Lava Jato denuncia Bendine por corrupção

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine. Também são acusados os empresários Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, os operadores André Gustavo e Antonio Carlos Vieira da Silva e o doleiro Álvaro Novis. Os crimes atribuídos ao grupos são corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, embaraço à investigação e organização criminosa.

Bendine é acusado de exigir R$ 17 milhões em propinas da Odebrecht. Segundo a investigação, ele acabou recebendo R$ 3 milhões em três parcelas de R$ 1 milhão entre junho e julho de 2015 enquanto ocupava a Presidência da Petrobras. Em troca teria agido em defesa dos interesses da empreiteira. Bendine foi preso em 27 de julho na Operação Cobra, 42ª fase da Lava Jato.

O executivo esteve à frente do Banco do Brasil entre 17 de abril de 2009 e 6 de fevereiro de 2015, e foi presidente da Petrobras entre 6 de fevereiro de 2015 e 30 de maio de 2016.

A investigação da Operação Cobra apontou que, na véspera de assumir a presidência da estatal petrolífera, Bendine e um de seus operadores financeiros novamente solicitaram propina a Marcelo Odebrecht e Fernando Reis. O pedido teria ocorrido para que o grupo empresarial Odebrecht não fosse prejudicado na estatal, inclusive em relação às consequências da Operação Lava Jato.

PF pede mais 15 dias para fechar inquérito contra Bendine

A delegada da Polícia Federal Renata da Silva Rodrigues pediu nesta quinta-feira, 10, ao juiz federal Sérgio Moro mais 15 dias para concluir a investigação do inquérito contra o ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine. Também são alvo da PF os irmãos André Gustavo e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior, apontados como operadores de Bendine.

“A Polícia Federal, por intermédio da autoridade policial signatária, representa ao MM. Juízo da 13.ª Vara Federal de Curitiba/PR, com fulcro no artigo 66 da Lei n° 5.010/66, pela prorrogação, por mais quinze dias, do prazo para conclusão desta investigação, uma vez que pendentes os trabalhos periciais”, argumentou a delegada.

Bendine, André Gustavo e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior foram presos em 27 de julho na Operação Cobra, 42.ª fase da Lava Jato. O ex-presidente da Petrobras é suspeito de receber R$ 3 milhões em propina da Odebrecht. Os três estão presos na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Segundo a delegada, “o farto material arrecadado em 27 de julho encontra-se sob processamento”.

“Desde então, material arrecadado continua sob processamento, sendo que até então foram produzidos os Laudos n° 1500/17, 1517/17 1520/17, sendo necessário, portanto, prorrogação de prazo para esgotamento dos trabalhos periciais”, registrou Renata da Silva Rodrigues.

“Encaminhe-se memorando ao Exmo. DRCOR para que, caso possível, solicite ao SETEC/SR/PF/PR priorização nos trabalhos periciais referentes 42a fase ostensiva da Operação Lava Jato.”

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodrigues disse:

    BENDINE É ANTIGO. DESDE O GOVERNO DE FHC.

  2. paulo disse:

    BG
    Mais é uma ratazana sem fim esses BANDIDOS que estiveram no governo pt.