PF faz operação contra fraudes no pagamento do auxílio emergencial em MG, TO, BA e PB

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quinta-feira (18), operação para combater fraudes no pagamento do Auxílio Emergencial. Ao todo, foram expedidos 66 mandados de busca e apreensão em 39 cidades de Minas Gerais. Só na capital são quatro alvos desta investigação. Policias cumprem mandados, também, em várias cidades da Região Metropolitana como Betim, Contagem, Lagoa Santa, Sabará, Ribeirão das Neves e Nova Lima.

Outros sete mandados de busca e apreensão serão cumpridos nas cidades de João Pessoa e Campina Grande, na Paraíba, e na Bahia e Tocantins.

Segundo a apuração da polícia, a suspeita é que criminosos usavam recursos do auxílio emergencial, de pessoas que não tinham solicitado a ajuda, e usavam os valores para o pagamento de boletos. A ação busca provas da atuação de fraudadores. A investigação começou a partir de reclamações feitas na Caixa e o cruzamento de dados com o núcleo de inteligência da PF.

A Operação “Terceira Parcela” conta com a participação de mais de 200 policiais e é uma continuidade de outras duas operações deflagradas pela Polícia Federal no ano passado. No dia 10 de novembro a Operação “Primeira Parcela” ocorreu nos estados da Bahia, São Paulo e Tocantins. Foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e quatro pessoas foram presas.

A ação, considerada pela Polícia Federal como a maior do país, foi resultado do trabalho feito por diversos órgãos e instituições públicas para combater fraudes no pagamento do Auxílio Emergencial. A chamada Estratégia Integrada contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial conta com a PF, o Ministério da Cidadania, a Caixa Econômica Federal, o Ministério Público Federal (MPF), a Receita Federal (RF), a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU).

As investigações, nesta primeira fase, contabilizaram que os prejuízos causados pela quadrilha aos cofres públicos giram em torno de R$ 350 mil, somente no estado de São Paulo.

No dia 10 de dezembro durante a Operação Segunda Parcela, a Polícia Federal enviou equipes para investigar as fraudes ao Auxílio Emergencial para 14 Estados: Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba, Espírito Santo, Bahia, Santa Catarina, Tocantins, Paraná, Goiás, Rio Grande do Sul, Maranhão, Piauí e Mato Grosso do Sul. Foram cumpridos 42 Mandados de Busca e Apreensão, 13 Mandados de Sequestro de Bens e sete pessoas foram presas.

Durante a segunda etapa da operação foi determinado o bloqueio de valores de até R$ 650 mil, em diversas contas que receberam benefícios fraudados.

Nesta quinta-feira, em Minas Gerais, os mandados serão cumpridos nas cidades de Araguari, Belo Horizonte, Betim, Caetanópolis, Campanha, Campestre, Contagem, Cristiano Otoni, Divinópolis, Dores de Campos, Governador Valadares, Itamarandiba, Ituiutaba, Jaíba, Juiz de Fora, Lagoa Santa, Luz, Machado, Mateus Leme, Montes Claros, Mutum, Nova Lima, Paracatu, Paraopeba, Passos, Patos de Minas, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Presidente Olegário, Ribeirão das Neves, Sabará, Salinas, Santa Maria de Itabira, Santo Antônio do Monte, São João Nepomuceno, Sete Lagoas, Uberlândia, Unaí, e Volta Grande.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Tomara que chegue ao RN, muita gente vai ser pega de calças arriadas.

FOTOS: PF apreende no interior do RN cerca de 500 comprimidos de ecstasy ‘camuflado’ em carroceria de carrinho de brinquedo

Fotos: Divulgação/PF

A Polícia Federal, com apoio da Polícia Civil, prendeu em flagrante na tarde desta terça-feira (9/2), em uma agência dos Correios na cidade de Caicó/RN, dois homens de 38 e 39 anos, respectivamente, acusados de tráfico de drogas. Com eles foram apreendidos aproximadamente 500 comprimidos com característica de ecstasy.

A ação teve início quando a PF, utilizando o auxílio de cães, realizava inspeção nas encomendas postais no centro de distribuição dos Correios em Natal e detectou um pacote suspeito enviado de São Paulo que tinha como destinatário uma pessoa em Caicó.

Os policiais então se deslocaram até aquela cidade e aguardaram a encomenda ser retirada, oportunidade em que dois homens apareceram e foram abordados no momento em que tentavam deixar a agência. De imediato o pacote foi aberto e continha um carrinho de brinquedo que trazia camuflado na carroceria, um saco plástico com os comprimidos.

Os homens receberam voz de prisão e ao serem identificados, um dos envolvidos apresentou documentação falsa. Eles foram conduzidos e autuados na Delegacia da Polícia Civil.

Indiciados por tráfico interestadual de drogas e um deles, também por uso de documento falso, os acusados encontram-se custodiados na Delegacia da Polícia Civil de Caicó, à disposição da Justiça.

Em nota, prefeito de Vera Cruz diz que operação da PF não tem relação direta com prefeitura

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Prefeito de Vera Cruz o Senhor Marcos Antônio Cabral vem através desta esclarecer o fato ocorrido hoje 05/02/2021, no município de Vera Cruz especificamente na Prefeitura Municipal pela Polícia Federal que realizou busca e apreensão em documentos licitatórios referentes ao ano de 2018; reportando-se às Pessoas do Prefeito e do Pregoeiro do Município. É importante destacar que todos os processos foram realizados dentro dos parâmetros legais não havendo qualquer ilicitude ou algo comprometedor com relação as pessoas do Sr. Marcos Antônio Cabral e do Sr. Davi Pinheiro de Lima Júnior.

Oportunamente ficará demonstrado durante a investigação que nenhuma irregularidade foi cometida por parte do Sr. Marcos Cabral ou de qualquer outro servidor do município de Vera Cruz-RN

É importante citar que a investigação versa majoritariamente sobre conluio de empresas em licitações, nada que tenha relação direta com a Prefeitura de Vera Cruz.

Vera Cruz-RN, 05 de fevereiro de 2021.
Marcos Antônio Cabral

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Brasil disse:

    Obras em municípios, se for atrás grande parte tem falcatrua

  2. Zuza disse:

    Caramba…Algum Município do RN está livre disso?

PF combate fraudes em licitações, corrupção e desvios de recursos públicos em prefeitura do RN

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (5/2), a 2ª Fase da Operação Guaraíras destinada a apurar fraudes em licitações promovidas por prefeitura, bem como, atos de corrupção e desvios de recursos públicos. Cerca de 21 policiais federais cumprem cinco mandados de busca e apreensão, sendo dois em Natal e três em Vera Cruz/RN.

A operação teve início com a notícia de que um engenheiro civil, já processado e condenado por fraudes em licitações e desvios de recursos pela Justiça Federal, continuava praticando crimes. Com o prosseguimento das diligências não só foram confirmadas as suspeitas, como também se tornou possível identificar dois grupos distintos que agiam no estado do Rio Grande do Norte fraudando licitações, seja para obras de engenharia ou para o serviço de transporte escolar.

Objetivando instruir as investigações, no dia 18 de setembro de 2018, foram cumpridos mais de 30 mandados de busca e apreensão nas cidades de Natal, Parnamirim, Macaíba, Arês, Passagem, Pedra Grande, Lagoa D’anta, Campo Grande, Goianinha, Monte Alegre, Lagoa de Pedras e Currais Novos, sendo que, após análise do material apreendido, novas condutas criminosas foram
identificadas, desta feita, na prefeitura de Vera Cruz/RN, razão pela qual houve a necessidade da instauração de um novo inquérito policial e de se fazer representação por busca e apreensão ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

As buscas realizadas no dia de hoje têm como finalidade reunir provas dos delitos sob apuração e apreender valores desviados.

Não haverá entrevista coletiva.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Clóvis disse:

    Arrocha!!!
    Bota pra fuder nesses corruptos.
    O dinheiro e nosso.
    Tem que ter zelo, não é pra da bagaça de jeito nenhum.

PF investiga venda de dados de ministros do Supremo e do presidente Bolsonaro

A Polícia Federal investiga um esquema de venda na internet de dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é da âncora da CNN Daniela Lima.

Os autos foram enviados ao diretor-geral da PF, delegado Rolando Alexandre, pelo ministro do STF Alexandre de Moraes.

Na segunda-feira (1º), o site do jornal O Estado de S.Paulo noticiou que os dados de ministros e do presidente da República estariam a venda na internet. Eles seriam vítimas, assim como outras dezenas de milhões de brasileiros, de um megavazamento de dados pessoais e empresariais.

Fux citou a reportagem em um ofício a Moraes, que é o relator do inquérito que investiga notícias falsas e ameaças aos ministros da Suprema Corte.

Na decisão em que determinou à PF a abertura da investigação, o ministro cita quatro sites: fuivazado.com.br; raidforums.com/Thread-SELLING-JBR-Serasa-Experian-Full-Service; raidforums.com/Thread-Just-Brazil-Basic-PF; drive.protonmail.com/urls/RG3F26N3FC.

O ministro Alexandre de Moraes determinou aos provedores de mecanismos de busca, como Google, Yahoo, Ask e Bing, que retirem quaisquer menções aos sites citados.

Os três últimos seriam plataformas da chamada “deepweb” ou “darkweb”, que é uma espécie de segunda internet que está alheia aos mecanismos de busca e a rastreamentos, frequentemente associada às atividades ilegais.

Moraes também determinou que “bloqueiem o acesso e exibição do material divulgado pela imprensa,  consistente em dados privados, ilegalmente obtidos, dos ministros do STF e de outras autoridades”.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ZéGado disse:

    Com o CPF do bozo, não se compra nem 1 pão mofado

  2. Lourenço disse:

    Esses ministros do supremo deviam liberar essas informações obtidas na surdina e sem comprovação de veracidade. Para ser justo com o que fizeram com os procuradores e ao juiz Sérgio Moro, dois pesos e duas medidas, a justiça é cega na vontade dos homens.

  3. Junior disse:

    Só pode investigar clandestinamente os membros da lava jato. Isso porque desbaratou uma quadrilha que roubou mais de um trilhão de reais, inclusive recuperou 40 BILHÕES DE REAIS, corruptos, os que inocenta e libera eles, nem pensar.

Casa de luxo, avaliada em R$ 4 milhões, é confiscada pela PF em operação no DF contra tráfico de drogas em aviões da FAB

Foto: PCDF/Divulgação

Uma casa avaliada em R$ 4 milhões foi alvo de sequestro judicial, a pedido da Justiça Federal de Brasília, durante uma operação da Polícia Federal que investiga o tráfico internacional de drogas por meio de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e lavagem de dinheiro.

O imóvel de luxo, localizado no Lago Sul – área nobre da capital federal (veja vídeo AQUI) – foi confiscado na manhã desta terça-feira (2). As imagens mostram a área externa da residência, onde há duas piscinas e, pelo menos, dois pavimentos ocupados.

A suspeita é de que a quadrilha usava imóveis para lavar dinheiro obtido com o esquema de tráfico de entorpecentes. Segundo a PF, a casa confiscada pertence a um dos alvos. O G1 tenta confirmar a identidade dele. Não houve prisões em flagrante.

A operação Quinta Coluna cumpriu 15 mandados de busca e apreensão e dois mandados que restringem a comunicação dos investigados e a saída deles do Distrito Federal, além do sequestro de imóveis e veículos. O balanço não havia sido divulgado até a publicação desta reportagem.

Tráfico de drogas

A investigação começou em 2019, quando um sargento da FAB foi preso na cidade de Sevilha, na Espanha, por transportar 39 quilos de cocaína na bagagem de mão.

Ao todo, dez pessoas são investigadas por participação no esquema. Entre elas, a mulher de Manoel Silva Rodrigues, preso na Espanha, além de um tenente-coronel e mais alguns tenentes da FAB. A operação também investiga três empresas.

De acordo com a PF, os alvos se associaram, “de forma estável e permanente, para a prática do crime de tráfico ilícito de drogas”.

Durante a operação desta terça-feira, os agentes apreenderam drogas na casa de um dos suspeitos. O G1 tenta confirmar o endereço onde o entorpecente foi encontrado e se houve prisões em flagrante.

Em nota, a Força Aérea informou que “atua firmemente para coibir irregularidades” e que atuou em conjunto com a PF no cumprimento das diligências necessárias para a investigação.

Investigação

A investigação começou após a prisão do sargento brasileiro Manoel Silva Rodrigues, flagrado com 39 quilos de cocaína em um avião da comitiva presidencial, em junho de 2019, na Espanha.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não estava na aeronave. A TV Globo apurou que o avião onde estava o militar, que atuava como comissário de bordo em voos da FAB, costuma fazer a rota presidencial antes do avião do presidente em viagens longas, e, por isso, fica à disposição do Executivo para quando ele pousar no destino.

O G1 tenta contato com a defesa de Manoel Silva Rodrigues, detido na Espanha, para saber se ele foi alvo da operação nesta terça-feira. O militar cumpre pena no país europeu e, em setembro do ano passado, a Justiça espanhola negou o pedido de transferência do sargento para o Brasil.

Em relação à lavagem de dinheiro, as investigações apontam “diversas estratégias do grupo criminoso” para ocultar os bens obtidos por meio do tráfico de drogas, “especialmente a aquisição de veículos e imóveis com pagamentos de altos valores em espécie”, disse a PF.

As penas previstas para os crimes de associação para o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro vão de 3 a 10 anos de prisão.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Emerson Fonseca disse:

    Que coisa estranha não temos comentários elogiando a PF… 😂
    Bem caladinhos, nem um murgidinho.. 😂😂😂😂

  2. Daniel disse:

    Essa Galera do Rio de Janeiro é intocável.

PF apreende em residência haxixe e maconha em operação que investiga associação criminosa que se utilizou de aeronaves da FAB para tráfico de drogas

Foto: Divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (2) a Operação Quinta Coluna, que investiga uma associação criminosa que se utilizou de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) para enviar drogas para a Espanha. As investigações também incluem os crimes de lavagem de ativos. Os policiais encontraram haxixe e maconha na casa de um dos suspeitos.

Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão. Além disso, dois mandados restringem a comunicação dos investigados e saída do Distrito Federal. A Justiça Federal do DF determinou o sequestro de imóveis e veículos dos envolvidos no esquema. Militares da FAB também participam do cumprimento das medidas.

As investigações são um desdobramento do caso que envolveu o sargento brasileiro Manoel Silva Rodrigues, flagrado com 37 quilos de cocaína em um avião da comitiva presidencial, em 2019. Segundo a PF, além do sargento, outras pessoas “se associaram ao militar, de forma estável e permanente, para a prática do crime de tráfico ilícito de drogas, tendo sido apresentado à Justiça elementos que indicam pelo menos mais uma remessa de entorpecente para Espanha”.

Bela Megale – O Globo

PF investiga suspeita de tráfico internacional de drogas em aviões da FAB

Foto: Guarda Civil de Sevilla

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (2), a operação Quinta Coluna, para investigar uma associação criminosa que usou aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) para traficar drogas para a Espanha. As investigações também apuram um esquema de lavagem de dinheiro.

Ao todo, estão sendo cumpridos 15 mandados de busca e apreensão e dois mandados que restringem a comunicação dos investigados. Os alvos também foram impedidos de deixar o Distrito Federal, por determinação judicial.

Até a publicação desta reportagem, a PF não havia divulgado a identidade dos envolvidos.

Durante a operação, os agentes apreenderam drogas na casa de um dos suspeitos. O G1 tenta confirmar o endereço onde o entorpecente foi encontrado e se houve prisões em flagrante.

A Justiça Federal de Brasília ainda determinou o sequestro de imóveis e de veículos dos suspeitos de integrar o esquema criminoso. Militares da FAB também participam do cumprimento das medidas. A reportagem tenta contato com a corporação.

Investigação

Segundo a PF, as investigações demonstram que, além do sargento brasileiro Manoel Silva Rodrigues, flagrado com 37 kg de cocaína em um avião da comitiva presidencial (relembre abaixo), em junho de 2019, na Espanha, outros suspeitos se associaram ao militar, “de forma estável e permanente, para a prática do crime de tráfico ilícito de drogas”.

À época, Jair Bolsonaro (sem partido), não estava na aeronave. A TV Globo apurou que o avião onde estava o militar, que atua como comissário de bordo em voos da FAB, costuma fazer a rota presidencial antes do avião do presidente em viagens longas, e, por isso, fica à disposição do Executivo para quando ele pousar no destino.

O G1 tenta contato com a defesa de Manoel Silva Rodrigues, detido na Espanha, para saber se ele é alvo da operação nesta terça-feira. O militar cumpre pena no país europeu e, em setembro do ano passado, a Justiça espanhola negou o pedido de transferência do sargento para o Brasil.

Em relação à lavagem de dinheiro, as investigações apontam “diversas estratégias do grupo criminoso” para ocultar os bens obtidos por meio do tráfico de drogas, “especialmente a aquisição de veículos e imóveis com pagamentos de altos valores em espécie”, disse a PF.

As penas previstas para os crimes de associação para o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro vão de 3 a 10 anos de prisão.

Droga apreendida

Em junho de 2019, o sargento da Aeronáutica brasileira foi detido no aeroporto de Sevilha por transportar 37 kg de cocaína na bagagem de mão. A droga estava em pacotes de um pouco mais de 1kg. O entorpecente foi detectado por agentes espanhóis.

No ano passado, o militar fez um acordo com a promotoria espanhola e cumpre pena de seis anos e um dia de prisão. O tempo de pena é menor do que o da condenação anterior, de oito anos. Rodrigues também foi condenado a pagar uma multa de 2 milhões de euros.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ReneGado disse:

    Falaram que tinha plantação de maconha nas universidades e o gado acreditou. Acharam farinha no avião do presidente mas… nas universidades não acharam nada. Aliás, acharam a vacina do Covid, mesmo o Bozo fazendo de tudo pra esconder.

  2. Romero Cezar da Câmara disse:

    Nossas forças armadas são caras e praticamente inúteis. São responsáveis pelas fronteiras; é mais fácil entrar e sair do Brasil do que da Rocinha no Rio. Responsáveis pelos explosivos, e mais fácil um bandido com dinamite que um de nós com um chiclete. Responsáveis pelo armamento; preciso falar? São atribuições constitucionais da referida instituição.

    • Jr disse:

      Dinheiro jogado no lixo, se desse devia privatizar. Ia ser mais barato e mais eficaz. So nao dava pra privatizar a guarda da fronteira, mas o resto…..

  3. Lourenço disse:

    Lembro sim, inicialmente, para o seu conhecimento, a família do PRESIDENTE, não estava nem próximo do avião. O meliante que conduzia a droga foi capturado e está preso na Espanha, não tendo havido nenhuma condescendência com o seu ato. Agora vamos lá, quantas vezes foram pegas cargas desse tipo nos governos do PT? Muito foi praticado do nosso dinheiro para a conta de ditadores estrangeiros, principalmente da África; nossas fronteiras virou uma babel com a Bolívia, Venezuela, Cuba, grandes produtores e entrepostos do tráfico internacional. Vcs são seletivos e burros, agora não tem boquinha como antes, vai procurar sol no teu chiqueiro fedorento mala.

    • Minion alienado disse:

      Chola não Minion, fica tite não. Laranja, chocolate e leite condensado aliviam a sua ansiedade. Taokey!?

    • ZéGado disse:

      Esse tem ciúmes da mulher de Lula, se pudesse, estaria no lugar DELA.

  4. Neco disse:

    Bolsonaro interfere na PF.

  5. Papo_Reto disse:

    Novidade, lembra do avião indo para Espanha com os Bolsonaros?

PF abre inquérito para investigar conduta do ministro Pazuello na crise sanitária do Amazonas

Foto: Reprodução/G1

A Polícia Federal abriu nesta sexta-feira (29), por determinação do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), inquérito para investigar a conduta do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na crise sanitária do Amazonas.

A investigação deve tramitar no Serviço de Inquéritos Especiais (Sinq) porque Pazuello, na condição de ministro, tem foro privilegiado.

Lewandowski, relator da investigação, avaliou que, considerando a fase embrionária das investigações, Pazuello terá a prerrogativa de marcar dia, horário e local para ser ouvido em depoimento pela Polícia Federal.

O ministro da Saúde é investigado por causa do colapso na saúde pública no Amazonas. Pacientes morreram pela falta de oxigênio medicinal nos hospitais e muitos foram transferidos para receber atendimento médico em outros Estados.

O envio do caso a Lewandowski foi determinado na segunda-feira (25) pela vice-presidente do STF, Rosa Weber – que está à frente do plantão judiciário durante o recesso. Lewandowski já é relator de outros temas ligados à pandemia e, por isso, foi designado como responsável pela análise.

O pedido de inquérito foi enviado ao Supremo no sábado (23) pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, com base em uma representação do partido Cidadania e em informações apresentadas pelo próprio ministro Pazuello – além de apuração preliminar da própria PGR.

Após o pedido da PGR ao Supremo, o Ministério da Saúde informou que aguardaria a notificação oficial para se manifestar.

No documento enviado ao STF na última semana, a PGR afirma que o Ministério da Saúde recebeu informações sobre um possível colapso do sistema de saúde na capital do Amazonas ainda em dezembro, mas só enviou representantes ao estado em janeiro deste ano.

A PGR também aponta indícios de atraso para o envio efetivo de oxigênio hospitalar às cidades amazonenses – a falta do insumo levou à morte de dezenas de pacientes com Covid-19 neste mês.

Um outro fato chamou a atenção da PGR. No dia 14 de janeiro, portanto oito dias depois de Eduardo Pazuello saber do iminente colapso no sistema de saúde de Manaus, o ministério fez a entrega de 120 mil unidades de hidroxicloroquina, como medicamento para tratar a Covid-19, quase a mesma quantidade de testes do tipo PCR que havia sido entregue ao estado do Amazonas.

Aras afirma que “a distribuição de cloroquina foi iniciada em março de 2020, inclusive com orientações para o tratamento precoce da doença, todavia sem indicar quais os documentos técnicos serviram de base à orientação”. A cloroquina não tem eficácia comprovada.

O procurador-geral defende o aprofundamento nas investigações sobre os “gravíssimos fatos imputados” ao ministro, “considerando que a possível intempestividade nas ações do representado, o ministro Eduardo Pazuello, o qual tinha dever legal e possibilidade de agir para mitigar os resultados, pode caracterizar omissão passível de responsabilização cível, administrativa e/ou criminal”.

“Mostra-se necessário o aprofundamento das investigações, a fim de se obter elementos informativos robustos para a deflagração de eventual ação judicial”, diz Aras.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Esses esquerdopatas não se cansam só que é maís um inquérito que vai ser arquivado sem provas, que venha outro que o excelente governo federal mata no peito e faz o gol com categoria.

  2. Tico de Adauto disse:

    Esse cara ainda tá solto?

  3. Francisco disse:

    Estão torcendo pra dar merda

  4. ZéGado disse:

    É o que menos tem culpa… Culpado mesmo é o patrão dele.

  5. Quero saber disse:

    A função de abrir esse tipo de investigação não seria do MPF?
    Onde está definido na legislação que isso é atribuição do STF?
    Esse inquérito é legal?
    Não entendo mais nada!

    • Marcelo disse:

      Aprenda a ler e entender….releia o 6 parágrafo, que talvez vc entenda que o processo foi aberto pelo Procurador Geral da República, Augusto Aras.

    • Jr disse:

      O MPF solicitou a investigação à PF. Cabe a PF investigar e, após o término, o MPF pode denunciar ou não.

PF prende no RN homem procurado pela justiça de Goiás

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal prendeu nessa terça-feira(26), em São Miguel, na Região do Alto Oeste Potiguar, um homem de 46 anos, condenado a uma pena de 9 anos de prisão pela 3ª Vara Criminal de Goiânia/GO, por crime de tráfico de drogas. Ele se encontrava foragido desde o ano de 2018. Na ação, a PF contou com apoio da Polícia Militar (7º BPM).

Após a detenção, o apenado foi conduzido para a Cadeia Pública de Pau dos Ferros/RN, onde permanece custodiado à disposição da Justiça.

Este foi mais um trabalho concluído com êxito pela Força-Tarefa de Combate ao Crime Organizado, coordenada pela Polícia Federal e composta por policiais federais, policiais civis, policiais militares e policiais penais federais, atuando em colaboração com a Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (SEOPI).

PF não encontra elementos para indiciar pessoas por financiamento ou participação em atos contra STF e Congresso, e indica encerramento de caso

Foto: Sérgio Lima/Poder360

A Polícia Federal disse que não encontrou elementos suficientes para indiciar pessoas pelo financiamento ou pela participação em manifestações contra o Congresso Nacional e o STF (Supremo Tribunal Federal) no 1º semestre de 2020.

A corporação enviou o relatório com as diligências do inquérito ao ministro Alexandre de Moraes, do STF, que conduz o caso, e à PGR (Procuradoria Geral da República). A informação foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo nessa 2ª feira (26.jan.2021).

No relatório, a delegada Denisse Dias Ribeiro, responsável pelas investigações, não pediu mais prazo para realizar diligências. Ela indicou que a corporação encerrou sua atuação no caso.

A delegada, no entanto, não classificou o relatório como “parcial” ou “final”, como de praxe. Sendo assim, a PGR ou o STF podem solicitar novas medidas para apurar o caso.

O trabalho da PF no inquérito incluiu a intimação do ex-ministro Sergio Moro e depoimentos de 2 filhos do presidente Jair Bolsonaro: o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

A corporação também cumpriu mandados de busca e apreensão contra deputados bolsonaristas, blogueiros e militantes, como Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, presa em uma ação dentro do mesmo inquérito.

Em um dos atos, em 19 de abril de 2020, o presidente Jair Bolsonaro participou –e discursou por 2 minutos e 30 segundos.

A manifestação teve como uma das pautas a defesa do AI-5 (Ato Institucional 5), de 1968, uma das medidas mais drásticas da ditadura militar.

O Poder360 entrou em contato com a PF para ter mais detalhes do relatório entregue ao STF e à PGR. Até o momento de publicação desta reportagem, não houve retorno.

Poder 360

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    Viiiixe. Como pode se o país inteiro viu pela TV. Essa PF tá com brincadeira!!!

    • Yago disse:

      Acho q só você viu. Vai na sede da PF e reclame com o delegado, babaca.

  2. José Humberto de Lima disse:

    Chora esquerdalha…ptsada rsrs

  3. Alex disse:

    O STF se comporta como um ativista político, a OAB como escritório da esquerda etc. Vergonhoso o que está acontecendo no Brasil.

  4. Manoel disse:

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Deixa eu rir mais um pouquinho
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Só mais um pouquinho
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Quem era a PF e em q se transformou.
    Talkei?

  5. Maçonaria britânica! disse:

    É sempre assim se quando se atingem pessoas e famílias com alto poder político,econômico e social e cultural é logo arquivado pelo poder judiciário,ou anda devagar quase parando ou como dizem anda-se a passos de tartaruga como aconteceu na própria lava jato até se ultrapassar o limite máximo para prescrição processual,principalmente os processos judiciais onde estavam ou estão envolvidas as poderosas lideranças politicas do PSDB paulista e mineiro.

    • Chico 200 disse:

      Procure aí, dê uma de Sérgio marreco moro e encontre algo que possa punir os culpados! Faça isso ao invés de tá falando besteiras. Vai punir o que não cabe punição?

    • Maçonaria britânica! disse:

      Chico 200,essa investigação que envolve a Polícia Federal,procuradoria geral da República e o STF,provavelmente essa tenha atingido como alvo especifico homens e mulheres super ou mega ricos empresários brasileiros,toda a pauta de ataques contra as instituições democráticas de direito como o hipotético fechamento do congresso nacional e do STF e também contra instituições de direito privado,principalmente o grupo Globo,veja,folha de são Paulo e etc…,tinham o apoio declarado do presidente da República do Brasil,inclusive o presidente Jair Bolsonaro acabou publicando vídeos com imagens e áudios nas suas redes sociais privadas e também dos seus filhos,mas,felizmente esse movimento político e social revolucionario totalmente anti-democratico,não teve nenhum êxito,não deu em nada,esse ato merecia uma punição dura,severa e rígida pela lei de segurança nacional,mas,por puro corporativismo político,empresarial e jurídico,irão passar a mão na borracha de todos esses maus feitos contra a ordem política e social que atacou diretamente a ordem democrática do país,conspirando pelo fechando do congresso nacional e do STF e pelo fechamento de instituições privadas do setor de telecomunicações em massa,principalmente a rede Globo de televisão.

  6. Hipocrisia pouca disse:

    O Ministro Marco Aurélio tinha razão: Inquérito do fim do mundo. Taí o resultado. Outra coisa, pixar e depredar o prédio onde uma Ministra do STF mora, é um ato de terrorismo ou antidemocrático? Não atenta contra a Instituição STF? A verdade é que abstinência causa amnésia nos idiotas úteis.

  7. Joao Bolsonaro disse:

    CHORA MAIS cabeça de ovo

  8. Davi disse:

    Se fosse contra o petê ela tinha encontrado até o resto de comida do intestino de um petista… esse país é uma piada pronta.

  9. Bolsovirus disse:

    Quem se lembra da reunião ministerial famosa? "Não vou deixar que fodam meus amigos e meus familiares". Por aí, a investigação. Não é crime defender ditadura? Fechamento do congresso e do supremo? Não é crime defender ruptura democrática?

    • Boró disse:

      Engole o choro, bebê! Você sabe que o que tá não tem nada a ver. Só falta de argumentos.

  10. Gildo disse:

    Tá dominado. Tá tudo aparelhado.

  11. Natalense disse:

    Absurdo!

Polícia Federal publica edital de concurso com 1.500 vagas; inscrições até 9 de fevereiro

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Em sua edição nesta sexta-feira (15), o Diário Oficial da União (DOU) publicou o edital do concurso para a Polícia Federal (PF). No total, serão ofertadas 1,5 mil vagas para os cargos de agente, escrivão, papiloscopista e delegado. Os interessados deverão se inscrever no site.

Os salários iniciais variam de R$ 12 mil a R$ 23 mil. As inscrições terão início em 22 de janeiro e terminam no dia 9 de fevereiro.

Os valores da inscrição variam conforme a carreira: R$ 180 para os cargos de agente, escrivão e papiloscopista e R$ 250,00 para delegado. O pagamento deverá ser efetuado até 3 de março.

Candidatos que desejam solicitar a isenção da taxa de inscrição poderão fazê-lo em link específico no site da banca organizadora, no período das inscrições.

Além das 1,5 mil vagas, o certame ainda vai reservar 500 vagas para a formação de cadastro de reserva.

O concurso será composto por provas objetiva e discursiva, além de demais etapas: teste de aptidão física, avaliação médica, avaliação psicológica e outras.

As provas objetiva e discursiva estão previstas para 21 de março de 2021.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ZéGado disse:

    A boiada passa longe disso aqui.
    Leem pouco, mal sabem interpretar um texto, a complicação pra somar 2 + 2 é gigantesca. Fica praticamente impossível passar num concurso que será extremamente concorrido.

    • Calígula disse:

      Se for os alunos do Brasil pátria Educadora ou os alunos da balbúrdia nas universidades não passam mesmo.

    • Julio priziaca disse:

      Zé do gado foi beneficiado por cotas, nem estudar precisou pra entrar no antigo mobral, inclusive nem terminou. Dos concursos, o da PF é um dos menos difícil, poucos são os que querem seguir essa carreira, babaca

    • Calígula menininha do Pr. disse:

      Concurso da PF menos difícil, esse manja MUITO!

Covid-19: PF e CGU apuram irregularidades na Saúde do Piauí

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Polícia Federal (12) e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagraram, nesta terça-feira (12), no Piauí, a Operação Campanile. O objetivo é aprofundar investigações sobre a possível existência de conluio entre gestores da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e empresários, em processos de dispensa de licitação durante a pandemia da covid-19, cujos pagamentos ocorreram anteriormente a qualquer formalização das etapas da contratação.

A partir de denúncia recebida pela PF, sobre a negociação oculta entre gestores da Sesapi e empresários, com a emissão de empenhos e a realização de pagamentos antes da formalização dos contratos e de suas publicações nos meios oficiais, a CGU levantou informações e identificou pagamentos que foram feitos antes da publicação do extrato do contrato no Diário Oficial do Estado do Piauí.

“Também foram identificados casos de empenhos ainda não pagos, cuja emissão ocorreu em momento anterior ao da publicação do extrato do contrato e casos de empenhos ainda não pagos em relação aos quais nem se identificou a publicação do extrato do contrato”, diz ainda a CGU.

A nota diz ainda, que a “formalização dos processos de contratação em momento posterior demonstra que a Sesapi contratou as empresas de forma irregular e que, ciente das falhas, tentou dissimular tais ocorrências com publicações retroativas dos extratos dos contratos”.

Em 2020, para o enfrentamento da emergência de saúde pública provocada pelo novo coronavírus, o Piauí recebeu do Fundo Nacional de Saúde (FNS) cerca de R$ 100 milhões.

Os dados levantados pela CGU referiram-se a contratações por órgãos da Sesapi que resultaram em pagamentos de pelo menos R$ 33,7 milhões a empresas envolvidas na investigação, durante o período de março a dezembro deste ano, sendo parte desses recursos de origem federal.

Os policiais federais estão cumprindo 21 mandados de busca e apreensão, nos municípios de Teresina, Parnaíba e Joca Marques, no Piauí; na cidade de São Paulo (SP); e em Pelotas, no Rio Grande do Sul.

Nota

A secretaria divulgou nota, na qual diz que colabora plenamente com as investigações e “ressalta sua transparência e seriedade durante todo o trabalho de combate a pandemia do coronavírus e destaca que todos os procedimentos contratuais e licitatórios obedecem, rigorosamente, o que prevê a lei. A Sesapi reconhece o trabalho e o dever da polícia de investigar e irá mostrar, ao longo do processo, que não há nenhuma irregularidade em suas ações”.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Pois é, um dia aqui chegará?????????????????????????????????????????????????

FOTOS: Operação da PF e PRF, com apoio da PM, Polícia Civil, Bombeiros, Receita e Marinha mira localidades estratégicas da região metropolitana de Natal, inclusive, no porto e aeroporto

Fotos: Divulgação

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal, com apoio Polícia Militar/RN, Polícia Civil/RN, Corpo de Bombeiros/RN, Receita Federal e Marinha do Brasil, deflagraram na manhã desta terça feira, 12/01, na região metropolitana de Natal/RN, a denominada Operação Concórdia.

Trata-se de operação integrada entre instituições federais e estaduais com ações ostensivas coordenadas, baseadas em inteligência, e com foco na repressão a crimes como tráfico de drogas e armas, porte ilegal de arma de fogo, contrabando, receptação de bens, além de cumprimento de mandados de prisão.

As ações se concentram no porto e no aeroporto interacional de Natal-RN, bem como em rodovias federais, zonas costeiras e rios navegáveis da região, observadas as atribuições de cada instituição.

Uma das ações ocorre na Comunidade do “Mosquito”, região com alto índice de criminalidade e situada em ponto estratégico desta capital.

As ações, que não se encerram nesta data, tem por finalidade reduzir os índices criminológicos da região metropolitana de Natal/RN, melhorando a sensação de segurança da população.

Aproximadamente, 230 policiais e agentes públicos participam da ação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    Show!! Parabéns a todos !

  2. Carlos disse:

    A comunidade do mosquito tem que ter uma atenção especial.faz parte da estrada que liga natal ao litoral norte e a zona Norte.o mosquito cada dia que passa piora .

  3. ALEX disse:

    Parabéns aos policiais !!!! tem que fazer pente fino em tudo mesmo.

  4. Silas Araújo disse:

    De fato
    A sociedade quer saber
    Houve prisão? Quem foi preso?
    Afinal uma.operação destas custa caro ao contribuinte. Só faltou tanque de guerra. Tem que ter resultados.

  5. Severino Rocha disse:

    Em São José de Mipibu tem umas bocas de fumo siçenciosas..a.polícia estoura e elas voltam a funcionar. Precisa de polícias do cunhao roxo para por um basta.

  6. De olho disse:

    Toda essa mega operação e ninguém preso??? Estranho. Muito estranho.

    • Paulo disse:

      No desgoverno Lula e Dilma, as facções tomaram conta do nordeste.
      No Ceará de Ciro Gomes e Camilo Santana, as facções obrigam as pessoas a saírem de casa…
      Em Natal, por que Fátima não manda a PM ocupar bairros dominados por facções?
      Coloca 100 PMs em cada bairro ?
      Mas no Rio um deputado esquerdista pediu ao STF para a polícia não perturbar bandidos.
      A esquerda também quer o fim da polícia.
      Somente alguém cego por ideologias nefastas pode querer o fim da polícia.

    • Insti Gado disse:

      Esse Paulo sempre com palpites tendeciosos. Faltou falar das milícias do RJ e sua aproximação com traficantes e com o PR. Estamos nos transformando numa Venezuela graças aos zumbis do Bozo.

  7. Calígula disse:

    Hô Bolsonaro bom da gota serena.
    Se nao6for o Véio tamos lascados.

FOTOS: Obras de arte, carros de luxo e helicóptero são apreendidos em fase da Lava Jato que investiga propina na Transpetro e lavagem de dinheiro

Operação Vernissage apreende obras de arte na casa de Marcio Lobão, filho do ex-ministro Edison Lobão Foto: Reprodução

A Polícia Federal (PF) cumpre, na manhã desta terça-feira (12) 11 mandados de busca e apreensão pela 79ª fase da Operação Lava Jato. Nesta fase, são investigados pagamentos de propina na Transpetro e operações de lavagem de dinheiro por meio da negociação de imóveis e obras de arte.

Segundo a PF, são três mandados no Rio de Janeiro, dois mandados em Brasília, dois em São Luis do Maranhão, dois em São Paulo e um em Angra dos Reis.

O G1 apurou que mandados são cumpridos nos endereços de Márcio Lobão e Edison Lobão Filho, filhos do ex-ministro Edison Lobão. O pai dos investigados não é alvo da operação desta terça-feira.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), as ordens judiciais visam apreender mais de 100 obras de arte dos investigados. As obras serão levadas para Curitiba para uma perícia da polícia.

Em São Luís, no Maranhão, foram apreendidos carros de luxo e um helicóptero.

Foto: Reprodução/PF

Os mandados judiciais foram expedidos pela 13ª Vara Federal em Curitiba.

O G1 tenta contato com as defesas dos investigados.

Investigações

As investigações apuram fraudes em licitações por meio de pagamento de propina a executivos da Transpetro.

Os crimes investigados aconteceram entre 2008 e 2014, segundo a PF, com pagamento de R$ 12 milhões em propinas.

As investigações apontam que a propina era paga em espécie, e a lavagem do dinheiro acontecia por meio da compra de obras de arte e imóveis.

A operação desta terça-feira é um desdobramento da 65ª fase da Lava Jato, deflagrada em setembro de 2019.

Uma das transações investigadas foi a compra de um apartamento de alto padrão em 2007 por R$ 1 milhão e vendido menos de dois anos depois por R$ 3 milhões, em uma valorização que, de acordo com a PF, não correspondia com as condições do mercado financeiro da época.

Na lavagem de dinheiro por meio das obras de arte, segundo as investigações, notas fiscais e recibos eram emitidos à Receita Federal com valores menores do que eram efetivamente praticados. Segundo a PF, a diferença entre o valor pago e o declarado variava de 167% a 529%.

Em uma fase anterior da operação, segundo a PF, já foram encontradas obras de arte na casa de um dos investigados que apresentavam variações significativas entre o preço de aquisição declarado e o valor de mercado, em patamares de até 1.300%.

G1 – Paraná

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nilton disse:

    Esse era a merda de governo PETISTAS.
    Uma bosta.
    Tem ladrão de mais.
    MITO
    2022.

  2. J disse:

    Amanhã de manhã o nosso amado STF manda devolver.

  3. João Soares disse:

    Esses bandidos do PT assaltaram todas s empresas do nosso país, principalmente a Petrobrás e suas subsidiárias. Bilhões e bilhões esses canalhas surrupiaram do povo brasileiro, e ainda tem um punhado de fdp que ainda defendem esses bandidos.

  4. Erasmo disse:

    Bota pra fuder Mito. Os adoradores do Condenado sem dedo piram. 2022 MITO.

  5. Marciel Carvalho disse:

    Pense numa herança maldita.
    Só tem corrupção onde exista investigação. Os trilhões de recursos públicos desviados deveriam ser suficiente para banir seus autores da vida pública.
    Mas no Brasil até condenado em segunda instância pode participar e tem espaço generoso na mídia.
    Quem sabe se os bilhões enviados as ditaduras e países falidos economicamente estão sendo devolvidos ou será mais uma herança maldita deixada pelo PT?

  6. Ivan disse:

    Os adoradores de corruptos piram!!!!!!!!!!!!!!! Pega p!!!

Brasil fecha 2020 com recorde de 180 mil novas armas de fogo registradas na PF

Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Segundo dados obtidos pela BBC News Brasil com a PF, foram registradas 179.771 novas armas no ano passado, um aumento de 91% ante o registrado em 2019 (94.064), ano em que já havia ocorrido uma forte alta (84%). É o maior patamar da série disponibilizada pela instituição, que começa em 2009.

Com isso, o resultado dos dois primeiros anos do governo Bolsonaro (273.835) representa um aumento de 183% em relação ao total de novos registros de armas de fogo em 2018 e 2017 (96.512).

A liberação do acesso a armas de fogo é uma das principais bandeiras do presidente.

Além de mudanças normativas promovidas pelo governo para facilitar o acesso a armas, especialistas em segurança pública consideram que a constante defesa de Bolsonaro e seus filhos a favor de que pessoas comuns se armem explica o crescimento dos novos registros pela PF.

É justamente a categoria cidadão que teve o maior número de novas armas registradas na Polícia Federal no ano passado: foram 122.378, o que representa quase 70% do total.

Enquanto Bolsonaro defende o acesso a armas de fogo para defesa pessoal, especialistas em segurança pública dizem que mais armas circulando causam aumento da violência e dos homicídios.

Entre as mudanças implementadas pelo governo nos últimos dois anos, foi o aumento do limite de armas e munições que pessoas com porte de arma podem adquirir. Além disso, o governo também liberou acesso a armas de maior potencial ofensivo.

“Agora é muito mais fácil para qualquer um ter o registro. Não precisa mais provar efetiva necessidade (de ter a arma). Basta a palavra do cidadão dizendo que tem efetiva necessidade. Ou seja, acabou a restrição que existia antes de a PF fazer uma análise para enxergar se havia uma efetiva necessidade”, afirma o especialista em segurança pública Daniel Cerqueira, presidente do Instituto Jones dos Santos Neves.

“Isso significa que qualquer pessoa que tenha dinheiro para pagar um registro e comprar arma pode ter uma arma. Então foi um liberou geral da arma de fogo que vai contra o Estatuto do Desarmamento”, acrescentou.

G1,  com BBC

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Bayer disse:

    Se vc quer a paz arme-se para a guerra. Simples assim!

  2. José Macedo disse:

    Parem de hipocrisia, a bandidagem nunca vai deixar de ter armas para matar as pessoas, a PF não vai conceder autorização para qualquer um terá informações se tem residência fixa , onde trabalha, se tem algum processo. A arma é utilizada para defesa do seu patrimônio e da sua família.
    Nos EUA compra-se armas em supermercado sem burocracia no entanto não tem a mesma quantidade de homicídios que temos.

  3. Messias de Barro disse:

    As prioridades do Bozo: liberação de armas, manipulação do processo eleitoral com tentativa frustrada de desmoralização das urnas eletrônicas, já prevendo a peia que vai
    levar na próxima, e diminuição de impostos para video games. Não há pautas mais importantes no país? Enquanto isso o MEC, o Ibama, o Min. das Relações Exteriores, o da Saúde estão nas mãos de incompententes que se acham iluminados salvadores e reformadores do pensamento nacional. O Centrão, cúmplice do PT nos roubos de outrora, agora é a principal sustentação de seu desgoverno em troca de mini$terio$ e do controle das verba$ pública$. Está derrubando, um a um, todos os mecanismos de combate à corrupção, para salvar seus filhos e aliados, todos enrolados na justiça. Não sabe se expressar e quando fala, se desdiz e se desmente logo depois, ou é desmentido por inimigos e até por aliados que tentam consertar suas cagadas diárias. Enfim, esse é o Bozo, amigão de Ciro Nogueira, Roberto Jefferson, Artur Lira e outros líderes de quadrilha, além do crime organizado do RJ denominado milícia. Para a maioria dos brasileiros que votou nele inconformada com os roubos do PT, a dúvida sobre se valeu a pena está se transformando em certeza que não.

  4. Giuliano disse:

    Avisa o especialista que não basta ter dinheiro, pois ainda é preciso cumprir uma série de requisitos para conseguir a posse de armas.

  5. Anderson disse:

    Ótimo, quanto mais armas, mais paz o país vai ter, faz todo sentido.

  6. Chicó disse:

    Muito interessante !!! Enquanto isso o número de homicídios caiu, ou seja, mais armas menos mortes. Mentiram para mim sobre o desarmamento !

    • Queiroz disse:

      MENTIRA. Os casos de homicídios aumentaram em 2020 com relação a 2019. Você mente o tempo todo, Chicó, ou só quando quer embasar seus instintos primitivos?

  7. Tico de Adauto disse:

    Mais uma tragédia nacional.

  8. seu cuca é eu disse:

    So6 falta 399 milhões, pra ficar igual aos EUA.

  9. Lourenço disse:

    Pois é, não sou eleitor de Bolsonaro, acredito em algumas de suas bandeiras, acreditei outrora nas do PT (me decepcionei) vejo a população desprotegida, desarmada, parte viciada em drogas, em esmola e observo alguns hipócritas dizerem que cidadão com arma é o fim. Fim é o Brasil ter virado paraíso das quadrilhas, traficantes de armas, do tráfico e uso de armas modernas por meliantes e tudo mais. Não possuo arma por convicção, mais vivemos numa democracia, o senhor ZeGado tem automovel e varios artefatos em casa que matam, abra mão de todos eles.

  10. Leonardo disse:

    FAltou comentar que o número de homicídios vem diminuindo, e que essas armas não são para sair fazendo trabalho de polícia. Essas armas são para segurança do lar.

    • Patriota disse:

      Faltou não. Esse teu argumento é mentirosos. Parem de mentir!!!! Os homicídios tiveram queda até 2019. A partir de 2020 voltaram a aumentar justamente na mesma época do aumento mencionado na matéria. Seja cristão de verdade e, pelo menos, NÃO MINTA!!!!

  11. Manoel disse:

    Ótimo! Aumentou o número de armas legais e diminuiu a criminalidade.

  12. ZéGado disse:

    A boiada pra comprar uma arma, vendem até os órgãos, a mãe, etc. Vendem até a alma ao diabo.