Produção de veículos no Brasil cresce 8,4% em julho, diz Anfavea

Produção de veículos no Brasil — Foto: Nacho Doce/Reuters

A produção de veículos cresceu 8,4% em julho, de acordo com a associação que representa as montadoras, a Anfavea. A comparação é com o mesmo mês de 2018.

Durante o último mês, o melhor julho desde 2013, foram produzidos 266.371 carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, contra 245.641 em julho do ano passado.

Quando comparado com junho, quando foram produzidas 233.150 unidades, o número é 14,2% maior.

Por enquanto, a entidade mantém as previsões para o ano.

“Estamos com otimismo moderado. Temos que ter certo cuidado, mas existem elementos na economia atual que podem impulsionar um segundo semestre melhor”, explica Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea.

Entre os fatores positivos estão a aprovação da Reforma da Previdência e a redução recente da taxa Selic.

Exportações: sobe e desce

Ainda como reflexo da crise na Argentina, as exportações seguem baixas. Em relação a julho de 2018, o número de unidades de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus exportadas caiu 15,3% – de 49.705 para 42.115.

Nos mesmos períodos, apenas o segmento de ônibus registrou crescimento, mesmo que pequeno: 0,8%. Para veículos e comerciais leves, houve queda de 15,3%, e de 29,7% para caminhões.

“Tivemos um crescimento importante em Colômbia e México, mas ainda são mercados pequenos para nós. Isso não compensa o impacto da Argentina”, afirma Luiz Carlos Moraes.

Por outro lado, a quantidade cresceu 4,2% considerando o mês anterior, junho, quando 40.434 veículos saíram do Brasil.

Caminhões em destaque

Apesar de ser o segmento que mais caiu nas exportações, os caminhões continuam se destacando na produção. Foram 10.918 unidades em julho de 2019, contra 8.855 de julho de 2018, um aumento de 23,3%.

Quando a comparação é com o mês anterior, junho, a categoria teve produção 9,3 maior, com 9.993 unidades.

Licenciamento também cresceu

De acordo com a Anfavea, o número de licenciamentos de veículos aumentou 12% comparando os meses de julho de 2019 e 2018. Mais uma vez, quem mais contribui para a conta são os caminhões, com aumento de 35,7% no período. Os ônibus apresentaram queda de 1,8%.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Said disse:

    O Brasil está melhorando a passos largos só a Midea que não quer admitir que o Brasil já decolou….

Produção de veículos aumenta em fevereiro, diz Anfavea

A produção de veículos no país aumentou 6,2% em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2017, passando de 201,1 mil unidades para 213,5 mil. Comparada à produção de janeiro, houve queda de 2,1%. Em janeiro e fevereiro, a produção cresceu 15% ante o primeiro bimestre do ano anterior.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (6), pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

“Foi um bom fevereiro: passou da linha dos 200 mil. Lembrando que, em 2016, tivemos oito meses abaixo disso e, no ano passado, alguns meses. Ao que tudo indica, não vamos reduzir dessa linha. O bimestre também foi positivo, quase na média dos últimos 10 anos”, afirmou o presidente da Anfavea, Antonio Megale.

Segundo a Anfavea, as vendas aumentaram 15,7% ante fevereiro do ano passado, ao passar de 135,6 mil para 156,9 mil veículos vendidos. Na comparação com janeiro, entretanto, houve queda de 13,4%.

No primeiro bimestre, foram licenciados 338,1 mil veículos, o que representa aumento de 19,5% em relação mesmo período do ano passado.

“O número de fevereiro é interessante. Houve queda em relação a janeiro, mas fevereiro teve quatro dias úteis a menos. O número não é ruim, está acima do de fevereiro de 2017 e mostra crescimento. Se considerarmos o emplacamento diário com a média de 8,7 mil, é um bom começo de ano. O crescimento no bimestre não é grande, mas mostra recuperação. Estamos abaixo da média dos últimos 10 anos, mas estamos na trajetória de crescimento, o que é mais importante” afirmou Megale.

A exportação de veículos montados cresceu 42,9% % em fevereiro na comparação com janeiro, ao atingir as 66,3 mil unidades. Em relação a fevereiro no ano passado, a venda para o exterior caiu 1,2% e no bimestre, aumento de 7,2%.

“Foi um número expressivo no mesmo padrão do ano passado. Batemos recorde histórico para o bimestre com um número positivo que mostra que a força das exportações vai trazer um bom ano. Acordos comerciais que estão evoluindo estão ajudando a consolidar nossas exportações”, ressaltou o presidente da Anfavea.

De acordo com a associação, o emprego no setor automobilístico teve estabilidade entre janeiro e fevereiro, com elevação de 1,1%, passando de 128,9 mil postos de trabalho para 130,4 mil em fevereiro. Ante fevereiro de 2017, quando havia 127,2 mil postos ocupados, o setor registrou aumento de 2,5%.

“A pequena variação mostra que, a conta-gotas, a situação está melhorando. Em janeiro, havia 1721 pessoas em lay-off e PPE e em fevereiro esse número é de 1344 pessoas. São 936 em PPE e 498 em lay-off [suspensão temporária do contrato de trabalho]. Praticamente 300 pessoas a menos e, gradualmente, caindo, à medida que as fábricas vão retomando a produção, aumentando turnos e chamando mais pessoas”, acrescentou Megale.

Agência Brasil

 

Produção de veículos no Brasil sobe 21,8% em novembro, diz Anfavea; melhor mês do ano

2016-12-05t100918z_1701610850_lr1ecc50s772g_rtrmadp_3_britain-eu-autos-registrations(Foto: REUTERS/Nigel Roddis)

A produção de veículos no Brasil cresceu 21,8% em novembro, na comparação com o mesmo mês de 2015, segundo dados divulgados pela associação de fabricantes (Anfavea) nesta terça-feira (6).

No melhor mês do ano até agora, foram montados no total 213.313 carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, ante 175 mil no mesmo mês do ano passado. O volume de novembro é 22,4% superior ao verificado em outubro deste ano, com 174,2 mil.

No entanto, de janeiro a novembro, a produção nacional soma 1,95 milhão de unidades, o que representa queda de 14,6%, com relação aos 2,28 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

Licenciamentos

Com relação a vendas, novembro teve a melhor média diária do ano, de 8,9 mil emplacamentos, e chegou a 178,2 mil no total. O número é 12% maior que o registrado em outubro, mas segue 8,7% menor que o verificado no mesmo mês de 2015.

No acumulado do ano, a diferença agora é de -21,8%. “Começamos o ano com -38% e agora estamos com -21,8%, o que indica que vamos fechar o ano c

Auto Esporte, Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    Carro popular (carroça) a partir R$ 39.000 !!! As montadoras têm sorte de ainda conseguir vender !

  2. FRASQUIRINO disse:

    COMO DIZIA O GRANDE JORNALISTA JURANDIR NÓBREGA: "PAPEL AGUENTA TUDO".
    CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO NÃO SIGNIFICA AUMENTO DE VENDAS! PODE TER HAVIDO UM PLUS NA LINHA DE PRODUÇÃO PARA COMPENSAR AS FÉRIAS COLETIVAS DAS MONTADORAS NO FIM DO ANO.

  3. Reginaldo disse:

    Sinceramente, acho que esses dados deveriam passar por uma auditoria, porque o mais agente ver é a criae aumentando e agora vem essa conversa de que houve aumento de licenciamento, é muito estranho.

    • paulor disse:

      É porque vc é petista … a economia já começar a dar sinal de melhorar, graças a Deus !!

    • IB disse:

      paulor e você só pode ser PMDBista pra ver algum sinal de melhora na economia!

    • Professor disse:

      Paulo, vou jogar um livro de verbos da língua portuguesa na sua cara!

Produção de veículos até maio é a menor em oito anos, diz Anfavea

222786888

As vendas de veículos novos caíram 27,5% em maio, ante o volume de um ano antes, mostrou balanço divulgado nesta segunda-feira (8) pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), entidade que representa as montadoras instaladas no país. Em relação a abril, a queda foi de 3%.

No total, 212,7 mil veículos foram vendidos em maio, em número que inclui carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus.

O resultado leva para 20,9% o tombo desse mercado desde o início do ano. O volume emplacado nos cinco primeiros meses -1,11 milhão de unidades- corresponde ao pior resultado da indústria de veículos em oito anos.

Só no segmento de carros de passeio e utilitários leves, que teve descontos no IPI retirados na virada do ano, os volumes de maio caíram 26,3%, na comparação com igual mês de 2014. Foram 205,2 mil unidades licenciadas, 3,2% a menos do que em abril.

Já as vendas de caminhões somaram apenas 6 mil unidades em maio, menos da metade do volume registrado um ano antes, de 12,7 mil veículos.

Ante abril, os emplacamentos de caminhões subiram, 3,9%. No segmento de ônibus, as vendas do mês passado foram 35,3% menores do que as de um ano atrás. No total, 1,5 mil coletivos foram entregues em maio, 7% abaixo perante abril.

As vendas de máquinas agrícolas equivaleram a 4.148 unidades em maio. Em relação a abril, a queda foi de 2,6%; na comparação com maio do ano passado, a retração ficou em 32,6%. Segundo o balanço da Anfavea, as importações responderam por 15,2% de todos os veículos vendidos no quinto mês de 2015, abaixo dos 16,2% de abril.

PREVISÕES

Para 2015, a associação previu queda de 17,8% na produção de veículos no Brasil em 2015, para 2,585 milhões de unidades, piorando expectativa anterior divulgada em abril de queda de 10%.

Para as vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, a indústria vê agora baixa de 20,6% em 2015, para 2,779 milhões de unidades, frente a uma projeção anterior de queda de 13,2%.

“As vendas de maio foram bastante piores do que esperávamos”, disse o presidente da Anfavea, Luiz Moan.

Folha Press