Produção de veículos no Brasil cresce 8,4% em julho, diz Anfavea

Produção de veículos no Brasil — Foto: Nacho Doce/Reuters

A produção de veículos cresceu 8,4% em julho, de acordo com a associação que representa as montadoras, a Anfavea. A comparação é com o mesmo mês de 2018.

Durante o último mês, o melhor julho desde 2013, foram produzidos 266.371 carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, contra 245.641 em julho do ano passado.

Quando comparado com junho, quando foram produzidas 233.150 unidades, o número é 14,2% maior.

Por enquanto, a entidade mantém as previsões para o ano.

“Estamos com otimismo moderado. Temos que ter certo cuidado, mas existem elementos na economia atual que podem impulsionar um segundo semestre melhor”, explica Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea.

Entre os fatores positivos estão a aprovação da Reforma da Previdência e a redução recente da taxa Selic.

Exportações: sobe e desce

Ainda como reflexo da crise na Argentina, as exportações seguem baixas. Em relação a julho de 2018, o número de unidades de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus exportadas caiu 15,3% – de 49.705 para 42.115.

Nos mesmos períodos, apenas o segmento de ônibus registrou crescimento, mesmo que pequeno: 0,8%. Para veículos e comerciais leves, houve queda de 15,3%, e de 29,7% para caminhões.

“Tivemos um crescimento importante em Colômbia e México, mas ainda são mercados pequenos para nós. Isso não compensa o impacto da Argentina”, afirma Luiz Carlos Moraes.

Por outro lado, a quantidade cresceu 4,2% considerando o mês anterior, junho, quando 40.434 veículos saíram do Brasil.

Caminhões em destaque

Apesar de ser o segmento que mais caiu nas exportações, os caminhões continuam se destacando na produção. Foram 10.918 unidades em julho de 2019, contra 8.855 de julho de 2018, um aumento de 23,3%.

Quando a comparação é com o mês anterior, junho, a categoria teve produção 9,3 maior, com 9.993 unidades.

Licenciamento também cresceu

De acordo com a Anfavea, o número de licenciamentos de veículos aumentou 12% comparando os meses de julho de 2019 e 2018. Mais uma vez, quem mais contribui para a conta são os caminhões, com aumento de 35,7% no período. Os ônibus apresentaram queda de 1,8%.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Said disse:

    O Brasil está melhorando a passos largos só a Midea que não quer admitir que o Brasil já decolou….

Acompanhando vendas, produção de veículos tem alta de 29,9% em maio

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A produção de veículos teve alta de 29,9% em maio em comparação com o mesmo mês de 2018. Segundo o balanço da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), foram montados ao longo de maio 275,7 mil unidades, contra 212,3 no mesmo período do ano passado. Em relação a abril, o crescimento na fabricação foi de 3,1%.

O presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, ponderou que o crescimento expressivo no mês acontece devido à comparação com um mês ruim para a indústria, que foi prejudicado pela greve dos caminhoneiros, em maio do ano passado. “Parte desse crescimento é porque a base de maio do ano passado teve oito dias de impacto”, disse.

No acumulado de janeiro a maio, o setor registrou uma expansão de 5,3% em comparação com os primeiros cinco meses de 2018. Foram fabricados neste ano 1,24 milhão de veículos, enquanto no mesmo período do ano passado foram 1,17 milhão de unidades.

A fabricação de caminhões teve uma alta de 51,3% em maio, com a montagem de 11,2 mil unidades. No acumulado de janeiro a maio, o setor registra um crescimento de 10,9% em relação ao mesmo período de 2018, com a produção de 45,4 mil caminhões.

Vendas

De janeiro a maio, as vendas de caminhões tiveram alta de 48,5%, com a comercialização de 39,1 mil unidades.

As vendas de veículos tiveram alta de 21,6% em maio na comparação com o mesmo mês do ano passado. Foram comercializadas no período 245,4 mil unidades. Em relação a abril, o crescimento nos emplacamentos foi de 5,8%. No resultado acumulado dos primeiros cinco meses de 2019, foram licenciados 1,08 milhão de veículos, uma expansão de 12,5%.

Exportações

As exportações caíram 30,7% no mês passado em comparação com maio de 2018. Foram vendidas para o exterior 60,8 mil unidades. De janeiro a maio, foram vendidos para outros países 181,6 mil veículos, uma queda de 42,2% em relação aos 314,1 mil exportados nos primeiros cinco meses do ano passado. De acordo com o presidente da Anfavea, as vendas para o exterior continuam sofrendo o impacto da retração do mercado argentino, principal comprador dos carros brasileiros.

Emprego

O número de pessoas trabalhando na indústria automotiva registra retração de 1,8% em maio na comparação com o nível de emprego do mesmo mês de 2018. O último balanço aponta para 130 mil pessoas empregadas no setor, uma ligeira queda (0,2%) em relação a abril.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcílio M. Filho disse:

    BG, cheguei ontem de Santiago (Chile), fui a passeio por 6 dias e fiquei impressionado com o valor dos automóveis por lá, detalhe, eles não tem fábrica automotiva (tudo importado). Só para ter uma pequena ideia o valor de um SUV que no Chile é em média R$ 45.000,00 (completo), aqui no Brasil não se compra um SUV por menos de R$ 85.000,00 (básico). Resumindo, um gol básico no Brasil é o preço de um Jeep Renegade completo lá. Conclusão, ou o governo brasileiro acha que o povo aqui é muito rico ou muito trouxa. Pagamos os impostos mais caros do mundo. Revoltante.

Agosto foi o melhor mês em produção de veículos dos últimos 4 anos

As montadoras de veículos instaladas no país ampliaram a produção em 18,6% no último mês de agosto sobre o mês anterior e 11,7% na comparação com igual período do ano passado, com um total de 291,4 mil unidades. Esse dinamismo foi puxado, principalmente, pelos licenciamentos de veículos novos, que representam o escoamento ao mercado interno, e que atingiram 248,6 mil veículos, com alta de 14,3% sobre julho último e 14,8% em relação ao mesmo mês de 2017, no melhor desempenho mensal desde janeiro de 2015 (253,8 mil) e o maior volume de produção desde outubro de 2014. No acumulado do ano, as vendas foram 14,9% maior em comparação ao período de janeiro a agosto do ano passado.

Ao anunciar os números, o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, comemorou o resultado, salientando que, tradicionalmente, agosto é um mês de bons resultados ficando atrás apenas de dezembro, e neste, em especial, o número de dias úteis (23) favoreceu os negócios.

As vendas externas alcançaram US$ 1,3 bilhão, 4,9% acima de julho e 7,8% maior do que de janeiro a agosto, porém teve um recuo de 11% sobre igual mês do ano passado. Em unidades, foram exportadas 56,1 mil, 9,2% maior do que em julho (51,3 mil em julho). Apesar dessa elevação, houve uma queda de 16,6% em relação a agosto de 2017 e de 4,6% no acumulado do ano.

Segundo o presidente da Anfavea, o volume financeiro das exportações em US$ 11,08 bilhões é um recorde e supera o valor anterior (U$ 8,6 bilhões), principalmente com o nosso principal parceiro, a Argentina”.

Agência Brasil

 

Produção de veículos aumenta em fevereiro, diz Anfavea

A produção de veículos no país aumentou 6,2% em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2017, passando de 201,1 mil unidades para 213,5 mil. Comparada à produção de janeiro, houve queda de 2,1%. Em janeiro e fevereiro, a produção cresceu 15% ante o primeiro bimestre do ano anterior.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (6), pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

“Foi um bom fevereiro: passou da linha dos 200 mil. Lembrando que, em 2016, tivemos oito meses abaixo disso e, no ano passado, alguns meses. Ao que tudo indica, não vamos reduzir dessa linha. O bimestre também foi positivo, quase na média dos últimos 10 anos”, afirmou o presidente da Anfavea, Antonio Megale.

Segundo a Anfavea, as vendas aumentaram 15,7% ante fevereiro do ano passado, ao passar de 135,6 mil para 156,9 mil veículos vendidos. Na comparação com janeiro, entretanto, houve queda de 13,4%.

No primeiro bimestre, foram licenciados 338,1 mil veículos, o que representa aumento de 19,5% em relação mesmo período do ano passado.

“O número de fevereiro é interessante. Houve queda em relação a janeiro, mas fevereiro teve quatro dias úteis a menos. O número não é ruim, está acima do de fevereiro de 2017 e mostra crescimento. Se considerarmos o emplacamento diário com a média de 8,7 mil, é um bom começo de ano. O crescimento no bimestre não é grande, mas mostra recuperação. Estamos abaixo da média dos últimos 10 anos, mas estamos na trajetória de crescimento, o que é mais importante” afirmou Megale.

A exportação de veículos montados cresceu 42,9% % em fevereiro na comparação com janeiro, ao atingir as 66,3 mil unidades. Em relação a fevereiro no ano passado, a venda para o exterior caiu 1,2% e no bimestre, aumento de 7,2%.

“Foi um número expressivo no mesmo padrão do ano passado. Batemos recorde histórico para o bimestre com um número positivo que mostra que a força das exportações vai trazer um bom ano. Acordos comerciais que estão evoluindo estão ajudando a consolidar nossas exportações”, ressaltou o presidente da Anfavea.

De acordo com a associação, o emprego no setor automobilístico teve estabilidade entre janeiro e fevereiro, com elevação de 1,1%, passando de 128,9 mil postos de trabalho para 130,4 mil em fevereiro. Ante fevereiro de 2017, quando havia 127,2 mil postos ocupados, o setor registrou aumento de 2,5%.

“A pequena variação mostra que, a conta-gotas, a situação está melhorando. Em janeiro, havia 1721 pessoas em lay-off e PPE e em fevereiro esse número é de 1344 pessoas. São 936 em PPE e 498 em lay-off [suspensão temporária do contrato de trabalho]. Praticamente 300 pessoas a menos e, gradualmente, caindo, à medida que as fábricas vão retomando a produção, aumentando turnos e chamando mais pessoas”, acrescentou Megale.

Agência Brasil

 

Produção de veículos cai 25,8% até abril, informa Anfavea

A produção de veículos caiu 25,8% de janeiro a abril deste ano, informou a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) nesta quinta-feira (5). As montadoras instaladas aqui fabricaram 658,7 mil unidades neste período. No mês passado, foram produzidos 169,8 mil veículos, queda de 13,6% em relação a março e 22,9% no comparativo com abril de 2015.

O recuo nas vendas foi maior no quadrimestre, 27,9%. Foram licenciados 644,25 mil veículos de janeiro a abril deste ano. No mês passado, as montadoras emplacaram 162,9 mil unidades, queda de 9,1% em relação ao mês anterior e 25,7% no comparativo com abril de 2015.

Já as exportações estão em sentido oposto do mercado. Foram exportados 136,35 mil veículos de janeiro a abril, alta de 24,3%. Por causa da mudança do mix exportado, em valores, porém, os embarques somaram US$ 3 bilhões, um recuo de 7,6%.

Folha Press

Produção de veículos cai 28% no primeiro trimestre, aponta Anfavea

A produção de veículos no Brasil continua em queda livre, de acordo com dados divulgados pela Anfavea (associação nacional das fabricantes de automóveis) nesta quarta-feira (6).

No primeiro trimestre deste ano, as montadoras instaladas aqui fabricaram 482,29 mil ante 667,57 mil unidades no mesmo período do ano passado, queda de 27,8%.

No mês de março, o recuo foi de 23,7% no comparativo com a mesma base de 2015, 195,3 mil ante 255,9 mil.

Em relação às vendas, de janeiro a março deste ano as montadoras venderam 28,6% a menos que no mesmo período de 2015, 481,31 mil ante 674,38 mil veículos.

No mês passado, os licenciamentos foram de 179,2 mil unidades -queda de 23,6% no comparativo com março de 2014. Já em relação a fevereiro deste ano, os emplacamentos apresentaram alta de 22,1%. Naquele mês foram vendidos 146,8 mil unidades.

Mesmo com o dólar mais valorizado este ano, as exportações em valores apresentaram queda de 7,6% nos três primeiros meses de 2016, passando de US$ 2,43 bilhões para US$ 2,25 bilhões. No mês passado, a queda foi de 7,7% em relação a março de 2015, US$ 920 milhões para US$ 850 milhões.

Folha Press

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo disse:

    BG
    E é bom que caia mais e mais para esse DESGOVERNO ptRALHA deixar de arrecadar impostos enquanto a NAÇÃO BRASILEIRA está totalmente parada e em RECESSÃO, fora pt.

Produção de veículos até maio é a menor em oito anos, diz Anfavea

222786888

As vendas de veículos novos caíram 27,5% em maio, ante o volume de um ano antes, mostrou balanço divulgado nesta segunda-feira (8) pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), entidade que representa as montadoras instaladas no país. Em relação a abril, a queda foi de 3%.

No total, 212,7 mil veículos foram vendidos em maio, em número que inclui carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus.

O resultado leva para 20,9% o tombo desse mercado desde o início do ano. O volume emplacado nos cinco primeiros meses -1,11 milhão de unidades- corresponde ao pior resultado da indústria de veículos em oito anos.

Só no segmento de carros de passeio e utilitários leves, que teve descontos no IPI retirados na virada do ano, os volumes de maio caíram 26,3%, na comparação com igual mês de 2014. Foram 205,2 mil unidades licenciadas, 3,2% a menos do que em abril.

Já as vendas de caminhões somaram apenas 6 mil unidades em maio, menos da metade do volume registrado um ano antes, de 12,7 mil veículos.

Ante abril, os emplacamentos de caminhões subiram, 3,9%. No segmento de ônibus, as vendas do mês passado foram 35,3% menores do que as de um ano atrás. No total, 1,5 mil coletivos foram entregues em maio, 7% abaixo perante abril.

As vendas de máquinas agrícolas equivaleram a 4.148 unidades em maio. Em relação a abril, a queda foi de 2,6%; na comparação com maio do ano passado, a retração ficou em 32,6%. Segundo o balanço da Anfavea, as importações responderam por 15,2% de todos os veículos vendidos no quinto mês de 2015, abaixo dos 16,2% de abril.

PREVISÕES

Para 2015, a associação previu queda de 17,8% na produção de veículos no Brasil em 2015, para 2,585 milhões de unidades, piorando expectativa anterior divulgada em abril de queda de 10%.

Para as vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, a indústria vê agora baixa de 20,6% em 2015, para 2,779 milhões de unidades, frente a uma projeção anterior de queda de 13,2%.

“As vendas de maio foram bastante piores do que esperávamos”, disse o presidente da Anfavea, Luiz Moan.

Folha Press

Produção de veículos cai 15,3% em um ano, segundo Anfavea

Por interino

A indústria automobilística produziu 3,15 milhões de veículos em 2014, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (8) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O resultado representa queda de 15,3% na produção em comparação com 2013 (3,71 milhões). Em dezembro, foram produzidos 203,8 mil veículos, com recuo da produção de 23,1% em relação a novembro (264, mil).

As vendas no ano registraram queda de 7,1%. No último mês, foram licenciados 370 mil veículos, ante 294,7 mil unidades vendidas em novembro, alta de 25,6%.

O setor automotivo viveu um dos anos mais difíceis em 2014, apesar dos incentivos do governo federal nos últimos anos. As desonerações do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), por exemplo, tinham como objetivo incentivar o consumo e, assim manter o nível do emprego, por meio de acordos com as montadoras de não demissão. Há ainda um acordo setorial  com o governo federal de lay off (suspensão do contrato de trabalho) para evitar demissões, mas algumas montadoras têm descumprido, como fez a Mercedes e a Volkswagen, em São Bernardo.

A longo do ano, o cenário ruim levou as montadoras a ajustar a produção por meio de concessão de férias, suspensão de contratos de trabalho e redução de jornadas em fábricas e obrigou o governo federal a adiar para janeiro o aumento de carga tributária (Imposto sobre Produtos Industrializados, IPI) que deveria ter ocorrido no final de junho.

Por segmento, a produção de carros e comerciais leves caiu 7,5% em outubro em relação ao mesmo período do ano passado. Já o volume produzido de caminhões recuou 32,4%, enquanto ônibus tiveram queda de 22,6%.

As vendas por segmentos recuaram 5,9% no ano na comparação com 2013. Na categoria veículos leves, as vendas recuaram 5,5%, alcançando 2.718 milhões. As vendas de caminhões caíram 10,7%, (134.991 mil) enquanto no segmento ônibus foi registrada queda de 16,5% (27.473 mil).

Segundo a Anfavea, o nível de emprego nas montadoras fechou o ano em 144.623 postos ocupados, queda de 8,9% sobre 2013 (158.733 postos). Os números da associação mostram que houve o fechamento de 1.538 vagas em novembro, quando a indústria empregava 146.161 pessoas.

O estoque de veículos nas fábricas e nas concessionárias caiu para 28 dias em dezembro, alto, mas com boa redução em relação a novembro, quando os estoques chegavam a 42 dias. Esse indicador sinaliza que em dezembro havia veículos suficientes para 28 dias de vendas.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. saulo disse:

    No dia que as montadoras diminuirem suas margens de lucro e oferecerem veículos a preços justos, o consumidor irá comprar veículos. É inadmissível que um carro fabricado aqui no brasil seja mais barato no méxico ou na argentina.