Fumar maconha deteriora qualidade de espermatozoides

Foto: Pixabay

O médico da Divisão de Clínica Urológica do HC (Hospital das Clínicas), Jorge Hallak, ficou intrigado com a aparente pior qualidade do sêmen de seus pacientes usuários de maconha.

Essa dúvida se tornou uma ampla pesquisa, que lhe rendeu o prêmio da Associação Americana de Andrologia de 2019. O urologista acompanhou mais de mil pacientes por 19 anos e demonstrou o mecanismo de lesão celular causado pelo THC (tetra-hidrocanabinol) nos espermatozoides.

O THC é o derivado psicoativo da Cannabis. Hallak, que é professor da Faculdade de Medicina da USP, argumenta que existem poucos ensaios clínicos sobre os efeitos da substância no médio e no longo prazo.

Em seu artigo, ele identifica a formação de radicais livres de oxigênio dentro da membrana celular dos gametas masculinos. Ou seja, além de uma simples redução da produção de espermatozoides, “o DNA reprodutivo fica sujeito a risco de alteração”, conta ao Jornal da USP no Ar.

Na pesquisa, o urologista trabalhou quatro grupos como objetos. Usuários de maconha por períodos prolongados, de oito a dez anos; fumantes; pacientes pré-vasectomia que tiveram filhos nos últimos 12 meses; homens diagnosticados com infertilidade.

No escopo da saúde reprodutiva masculina, os efeitos do THC foram piores do que o do consumo do tabaco. O cigarro também facilitou a produção de radicais livres, só que em menores quantidades e externamente aos gametas. Em prazos estendidos, os resultados da maconha eram semelhantes ou piores aos daqueles já inférteis.

O médico deixa claro que a comparação com o tabaco se dá somente nesse âmbito.

“O cigarro é uma tragédia da saúde pública”, diz. Ele também defende que o debate sobre o uso recreacional da maconha deve ocorrer sob a luz da ciência. Como faltam pesquisas sobre os efeitos colaterais da inalação da fumaça produzida pela queima da maconha, o urologista recomenda que o uso de derivados da Cannabis seja feito por spray, óleo ou comprimido. Canabidiol e canabinol são os produtos medicinais, que não são psicoativos.

Toda escolha na medicina é feita a partir de uma avaliação de riscos, de acordo com Hallak.

“A quimioterapia é nociva, mas faz sentido no tratamento de um câncer”, esclarece.

Muitos dos pacientes do urologista minimizam o consumo da maconha com outros detalhes de sua rotina, como exercícios físicos e alimentação saudável, por exemplo.

Isso não basta para fazer receita médica e tampouco para política pública, conta o médico, esperando que seu ensaio dê evidências importantes aos gestores nessa discussão.

R7, com Jornal da USP

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antenado disse:

    Agora parece que faz sentido umas coisas. Kkkk

  2. Aldo Rabelo disse:

    é, nem sempre a teoria e como a pratica, fumei 23 anose e tenho 2 filhos feito na epoca que fumava. sou uma prova contraria viva.

VÍDEO: Mãe é presa em SP após adolescente forçar criança de um ano a fumar maconha

Foto da criança com cigarro de maconha foi enviada em aplicativo de mensagens. Reprodução

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um menino de apenas um ano e cinco meses fumando maconha no parque São Miguel, na zona sul de São Paulo. Os três jovens que aparecem nas imagens, a mãe e dois tios das crianças foram detidos.

Ao contrário do que o R7 reportou inicialmente, quem oferece a droga ao menino é uma adolescente de 14 anos. A mãe das crianças, segundo a polícia, estava no local, mas não participou das gravações.

A investigação começou quando policiais civis do 101° DP (Jardim das Imbuias), tiveram acesso ao vídeo que circulava em um aplicativo de mensagens.

Nas imagens, é possível ver uma adolescente colocando um cigarro de maconha na boca da criança. A jovem também oferece o cigarro para uma outra criança, uma menina de 4 anos, que recusa a oferta.

A mãe das crianças, que também estava no local, e dois tios foram presos.

A casa foi revistada e os policiais encontraram 50 papelotes de maconha no local. O caso foi registado no 101° DP (Jardim das Imbuias).

R7

Fumar maconha na adolescência aumenta risco de depressão, diz estudo

O USO DE CANNABIS ENTRE OS MAIS JOVENS PODE CAUSAR DEPRESSÃO (FOTO: FLICKR/JAMES ST. JOHN/CREATIVE COMMONS)

Cientistas sabem pouco sobre como a cannabis influência o cérebro de adolescentes, quando o órgão ainda está em desenvolvimento. E uma nova pesquisa, que analisou 11 estudos internacionais publicados a partir da década de 1990, apontou que fumar maconha aumentou em 37% o risco de depressão na fase adulta para cerca de 23 mil jovens.

De acordo com o relatório, publicado na JAMA Psychiatry, embora o hábito de fumar não estivesse ligado à ansiedade, os adolescentes que usavam cannabis tinham probabilidade três vezes maior de tentar suicídio. Contudo, os pesquisadores afirmaram que esse cálculo é impreciso: segundo eles, o risco de depressão e pensamentos suicidas é modesto, cerca de 7%. Mas isso não significa que não vale a pena ser considerado, especialmente dada a popularidade da maconha entre os jovens.

“Nossas descobertas sobre depressão e tendências suicidas são muito relevantes para a prática clínica”, disse Andrea Cipriani, psiquiatra da Universidade de Oxford, no Reino Unido. “Embora os efeitos negativos da cannabis possam variar entre adolescentes, e não é possível prever o risco exato para cada um, o uso disseminado de cannabis pelos jovens faz com que seja um problema de saúde pública.”

Os resultados são apoiados por alguns estudos anteriores. Para os pesquisadores, isso sugere que, mesmo na idade adulta, os fumantes de maconha enfrentam risco moderado de desenvolver depressão.

Ainda assim, não há evidências claras de que o uso de cannabis cause diretamente o problema. A explicação é mais complexa: fumar maconha, por exemplo, também está associada a fatores que aumentam o risco de depressão, como dificuldades na escola e desemprego. Além disso, adolescentes ou adultos podem fumar maconha para lidar com sintomas depressivos, não necessariamente causados ​​pela erva.

De acordo com os cientistas, é um assunto difícil de pesquisar, visto que há valores morais para testar a maconha em adolescentes. Como resultado, a maioria dos estudos é feito em animais.

Galileu

Tribunal reverte demissão de acusado de fumar maconha

Empregado de uma loja de comércio de alimentos no Distrito Federal que foi dispensado por justa causa, sob acusação de fumar maconha no shopping onde a loja está instalada, teve a demissão convertida para dispensa imotivada.

O juiz Osvani Soares Dias, em exercício na 3ª Vara do Trabalho de Taguatinga (DF), entendeu que a empresa não conseguiu comprovar a prática de falta grave pelo funcionário, confiando apenas na palavra de um segurança do shopping.

Segundo informa a assessoria de imprensa do TRT da 10a. Região, o empregado alegou que não foi informado do motivo da punição. A empresa afirmou ter aplicado a demissão por justa causa porque o autor da reclamação teria feito uso de entorpecentes nas dependências do centro comercial.

O magistrado lembrou que cabia à empresa provar suas alegações, o que não fez. O uso de maconha não é tão simples de observar, especialmente com muitos outros fumos e drogas afins à disposição no mercado, ressaltou o juiz.

O cigarro de palha, por exemplo, ainda segundo o magistrado, pode ser enrolado em papel e, a certa distância, não é possível ao homem comum identificar o conteúdo.

O que a empresa fez foi, na dúvida, aplicar a penalidade em prejuízo do empregado. Além disso, não houve prejuízo ao empregador, pois o shopping não aplicou penalidade monetária ou restrição.

Diante da falta de prova robusta da justa causa alegada, o magistrado condenou o empregador a pagar as verbas rescisórias devidas nesse tipo de demissão, além da entrega das guias para habilitação no seguro-desemprego.

Blog Fredericos Vasconcelos – Interesse Público – Folha de São Paulo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LOL disse:

    Se um funcionário se apresentar alcoolizado (percebam, já sob efeito do álcool), isso é motivo suficiente pra demissão por justa causa.
    Se levar e consumir álcool no trabalho então, nem se fala.

    Agora maconha tudo pode…Essa justiça militante consegue ser tão ruim quanto os políticos corruptos.

  2. Junior Trabuco disse:

    Continua este Câncer, esta praga inútil que é a (in)Justiça do Trabalho, a prejudicar a economia e a super proteger alguns bandidos travestidos de empregados.

  3. Braga disse:

    Mas pra que prova se sobram convicções?
    Não é assim que funciona a nova justiça criada em Curitiba?