Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 40,1%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 40,1%, registrada no fim da manhã desta quarta-feira (28). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 243.

Até o momento desta publicação são 205 leitos críticos (UTI) disponíveis e 137 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 234 disponíveis e 106 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 43,6% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 30,8% e a Região Seridó tem 48,1%.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 40,7%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 40,7%, registrada no fim da manhã desta terça-feira (27). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 239.

Até o momento desta publicação são 204 leitos críticos (UTI) disponíveis e 140 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 244 disponíveis e 99 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 44,9% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 30,1% e a Região Seridó tem 48,1%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 50,1%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 50,1%, registrada no fim da manhã desta sexta-feira (23). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 271.

Até o momento desta publicação são 170 leitos críticos (UTI) disponíveis e 171 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 247 disponíveis e 95 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 53,8% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 42,2% e a Região Seridó tem 51,9%.

Opinião dos leitores

  1. Há uma semana atrás era menos de cinquenta por cento de leitos críticos Ocupados, hoje já é mais de 50 por cento, basta flexibilizar um pouquinho e tudo volta a desandar e voltar a subir os casos e essas autoridades Irresponsáveis NÃO querem e NÃO desejam acabar com esse FAZ de CONTA. Que DEUS tenha MISERICÓRDIA de NÓS

    1. Irresponsável e inconsequente é quem quer entregar a sua liberdade ao estado. É um caminho sem volta. O estado não cuida nem de suas próprias responsabilidades ordinárias, quanto mais da segurança e saúde dos cidadãos.

    2. Só faltou observar que foram fechados quase 20% dos leitos!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 48,4%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 48,4%, registrada no fim da manhã desta quinta-feira (22). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 271.

Até o momento desta publicação são 182 leitos críticos (UTI) disponíveis e 171 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 244 disponíveis e 100 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 50,9% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 41,2% e a Região Seridó tem 55,6%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 50,4%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 50,4%, registrada no fim da manhã desta quarta-feira (21). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 280.

Até o momento desta publicação são 176 leitos críticos (UTI) disponíveis e 179 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 243 disponíveis e 101 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 53,1% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 43,1% e a Região Seridó tem 55,6%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 46,8%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 46,8%, registrada no fim da manhã desta terça-feira (20). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 265.

Até o momento desta publicação são 189 leitos críticos (UTI) disponíveis e 166 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 246 disponíveis e 99 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 50% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 37,3% e a Região Seridó tem 55,6%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 49,3%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 49,3%, registrada no fim da manhã desta segunda-feira (19). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 295.

Até o momento desta publicação são 180 leitos críticos (UTI) disponíveis e 175 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 238 disponíveis e 120 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 50,9% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 45,1% e a Região Seridó tem 51,9%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 54,6%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 54,6%, registrada no fim da manhã desta sexta-feira (16). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 314.

Até o momento desta publicação são 162 leitos críticos (UTI) disponíveis e 195 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 234 disponíveis e 119 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 51,5% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 62,1% e a Região Seridó tem 51,9%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 53,5%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 53,5%, registrada no fim da manhã desta quinta-feira (15). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 360.

Até o momento desta publicação são 177 leitos críticos (UTI) disponíveis e 204 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 275 disponíveis e 119 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 52,1% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 62,3% e a Região Seridó tem 37,8%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pela primeira vez desde dezembro, nenhum estado tem ocupação acima de 90% de leitos de UTI Covid-19 no SUS

Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Levantamento do Observatório Covid-19 divulgado nesta quarta-feira pela Fiocruz aponta uma melhora no cenário da pandemia no Brasil. Pela primeira vez desde o início de dezembro de 2020, nenhum estado apresenta taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 no SUS superior a 90%. Os dados são da mais recente semana epidemiológica, de 4 a 10 de julho. Esta é a terceira semana seguida com queda de indicadores de incidência e mortalidade por Covid-19 na análise feita pela fundação.

O número de casos e mortes vem caindo há três semanas em um ritmo de 2% ao dia, mas, alerta a Fiocruz, ainda permanece em alto patamar. A taxa de letalidade segue em torno de 3%, percentual considerado também elevado.

De acordo com os pesquisadores da Fiocruz, a diminuição na incidência de novos casos e de mortes pode indicar um processo de arrefecimento da pandemia, que deve persistir nos próximos meses. O estudo também sinaliza que a tendência de redução das taxas de ocupação de leitos é um reflexo desta nova fase.

Nesta terça-feira a média móvel de mortes por Covid-19 foi a mais baixa desde março, de acordo com os dados do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo e O Estado de São Paulo. Em uma redução de 23% em comparação com o cálculo de duas semanas atrás, a média móvel foi de 1.273 óbitos.

Também na terça-feira o Imperial College informou que a taxa de transmissão do vírus (rt) é a menor desde novembro de 2020. Ela caiu para 0,88. No relatório da semana anterior, o número era de 0,91. O índice atual indica que cada 100 pessoas contaminadas transmitem a doença para outras 88 pessoas. Quando fica abaixo de 1, a taxa de contágio indica tendência de estabilização.

A diminuição nas internações e mortes apontada pelo levantamento da Fiocruz, por sua vez, foi mais expressiva nos grupos prioritários, como idosos e pessoas com comorbidades, atestando que a vacinação é diretamente responsável pela melhora na situação. Ao mesmo tempo, a transmissão ainda permanece intensa entres aqueles que não foram imunizados.

Ainda de acordo com os pesquisadores, “é importante destacar que as vacinas disponíveis apresentam limites em relação ao bloqueio da transmissão do vírus, que continua circulando com intensidade. As vacinas são especialmente efetivas na prevenção de casos graves”.

Ocupação de leitos

Tendências de queda no indicador de ocupação de leitos foram observadas em todos os estados do Nordeste, Sudeste e Sul e também no Mato Grosso do Sul. Apenas quatro estados da Região Norte (Rondônia, Amazonas, Pará e Tocantins) e Goiás apresentaram crescimento em relação ao boletim da semana anterior.

Quatro capitais estão com taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 iguais ou superiores a 80%: São Luís (81%), Rio de Janeiro (81%), Goiânia (92%) e Brasília (80%).

Onze capitais estão na zona de alerta intermediário, com taxas iguais ou superiores a 60% e inferiores a 80%: Manaus (70%), Boa Vista (74%), Palmas (63%), Teresina (sem informação direta; número estimado em torno de 60%), Fortaleza (65%), Belo Horizonte (67%), São Paulo (61%), Curitiba (77%), Porto Alegre (69%), Campo Grande (79%) e Cuiabá (62%). As outras 12 capitais estão fora da zona de alerta, com ocupação de leitos de UTI inferior a 60%.

VEJA MAIS: RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 52,4%

“A redução da pressão por internações nos hospitais também é uma oportunidade para retomar o atendimento ambulatorial e hospitalar de demandas que ficaram represadas ao longo da pandemia e programar as cirurgias que foram adiadas”, informam os pesquisadores no boletim.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. A verdade é que essa redução é fruto das restrições definidas nos Estados, aliadas a uma ainda baixa vacinação. Foram 4 meses de muita luta e sofrimento para a população. Essa é uma redução que pode ser temporária, pois os cuidados deverão ser relaxados e ainda não temos nem 20% da população imunizada. As precauções deveriam ser mantidas até termos 80% da população imunizada. Se não for feito isso, poderemos em dois, três meses termos uma nova explosão de casos e até mortes( será menor a medida que avance a imunização). Não custa nada esperarmos até outubro.

  2. Agora os governadores, principalmente do nordeste vão dizer que é fruto do trabalho deles….qdo piora é culpa do presidente…a Esquerdopatia não tem cura… é muito cocô de galinha na cabeça…

  3. Parabéns ao MITO O MESSIAS, ser não fosse a luta dele junto ao povo brasileiro no Kit COVID jamais conseguiríamos esse Fato.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 52,4%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 52,4%, registrada no fim da manhã desta quarta-feira (14). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 316.

Até o momento desta publicação são 180 leitos críticos (UTI) disponíveis e 198 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 272 disponíveis e 118 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 51,9% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 60,4% e a Região Seridó tem 32,4%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 55,1%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 55,1%, registrada no fim da manhã desta terça-feira (13). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 323.

Até o momento desta publicação são 170 leitos críticos (UTI) disponíveis e 209 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 295 disponíveis e 114 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 53,2% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 65,4% e a Região Seridó tem 37,8%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 55,9%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 55,5%, registrada no fim da manhã desta segunda-feira (12). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 324.

Até o momento desta publicação são 167 leitos críticos (UTI) disponíveis e 212 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 302 disponíveis e 112 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 54,9% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 64,5% e a Região Seridó tem 37,8%.

Opinião dos leitores

  1. Louvado seja Deus e sua Infinita Bondade e MISERICÓRDIA. Pois se depender da Fiscalização das autoridades já estaríamos todos MORTOS. Que o Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal e DEUS Todo PODEROSO continue tendo MISERICÓRDIA de NÓS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Fiocruz aponta Natal entre as dez capitais com o menor percentual de ocupação de leitos Covid

Foto: Joana Lima/Secom

O último Boletim do Observatório Covid-19 organizado pela Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, foi divulgado nessa quinta (08,) e apontou Natal entre as dez capitais brasileiras que estão fora da zona de alerta na questão do número de ocupação de leitos. De acordo com o levantamento, a média de ocupação dos leitos é de 53%. Além da capital potiguar, Rio Branco (28%), Belém (51%), Macapá (56), João Pessoa (48%), Recife (56%), Maceió (57%), Aracaju (58%), Florianópolis (52%) e Cuiabá (61%) completam o rol de cidades bem posicionadas nesse quesito.

Para os pesquisadores, essa situação se deve ao avanço da vacinação da população. O estudo indicou que o país vacinou mais de 45% da população adulta com pelo menos uma dose de vacina e cerca de 16% com as duas doses. Em Natal, 509.302 doses foram aplicadas até esta quinta-feira, ou seja, mais da metade da população natalense já recebeu ao menos uma dose dos imunizantes disponibilizados.

Esses dados atestam que a pandemia apresenta sinais de regressão em Natal. Nesta quinta-feira (08), nenhum óbito relacionado à doença foi registrado no Município nas últimas 24 horas. Os números atualizados da Coordenação da Rede de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde mostram que a ocupação dos leitos clínicos atingiu 26%, menor patamar desde o início da pandemia. Já os leitos críticos ocupados no momento chegam a 60%. Entretanto, um ponto positivo precisa ser destacado. Nas Unidades de Pronto-Atendimento da rede municipal de saúde não há nenhum paciente aguardando internação.

Apesar dos índices do estudo, apresentando bons resultados nas últimas semanas, a Fiocruz alerta para que as medidas de contenção da pandemia continuem e até sejam ampliadas: “Mesmo com redução expressiva no número de casos, as taxas de incidência de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) ainda são muito altas em vários estados. Em sua maioria, esses números indicam casos graves de Covid-19”, destaca.

 

Opinião dos leitores

    1. Tá na hora de abrir. A caixa preta dos hospitais que presta serviços ao governo estadual, a começar por Mossoró, Caicó, Natal. E rever o estatuto de associação filantrópicas que alteram o seu estatuto colocando membros da direção com sócios sem fazer aporte de valores, e assumindo direitos em patrimônio milionário abença dos papéis com artigos manipulado e assinados por membros analfabeto na sombra da mipia da justiça. Quando o direito faz tudo que quer em uma folha em branco e a justiça está de óculos escuro em uma sala fechada com a luz apagada, e não consegue ver que foi manipulado para aceitar erros grosseiro em ata de associações de apamim. Como você pode ser vitalício e dono ser você não comprou os bens que são públicos e sem direito à compra por ser uma associação sem intuito de fim lucrativos. A corda senhores promotores, tem que abrir todas as caixas pretas das Apamim em todos os municípios com mas 25000 habitantes no RN. E tem que ver os furo nos contratos e atas. As Apamim não são privadas, não tem donos vitalício, não pode a justiça federal dá anos e anos para que os diretores sejam vitalício. Tem que existe auditorias em todas. São verbas federais, são os impostos colocados em instituições que também cobram procedimentos particulares e ainda, estão meses com a folha e prestação de serviços em atraso, algo tá errado. Dinheiro veio, tem que abrir a caixa preta de todos .

  1. Parabéns Presidente Bolsonaro, Prefeito Álvaro Dias e Dr Albert Dickson. Falta a Governadora Fátima Cadeado liberar as vacinas trancadas a 7 chaves, por essa maledita governanta.

  2. Realmente o trabalho realizado pela PMN fez o diferencial. Prefeito Álvaro Dias, Parabéns! Nós, natalenses, reconhecemos o seu esforço no enfrentamento desta pandemia. Sabemos também que a vacinação só não está mais avançada pela falta de repasse das doses pelo governo estadual, conforme a mídia divulga diariamente.

  3. O grande problema ainda é a FALTA de INTERESSE, DETERMINAÇÃO, CORAGEM e vontade politica em fazerem uma FISCALIZAÇÃO RIGOROSA E EFETIVA para combater a disseminação do covid-19. Ainda continua TUDO na base do FAZ DE CONTA, e os mercenarios planejando festas e MAIS aglomerações. QUE DEUS TENHA MISERICORDIA DE NÓS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 55,2%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 55,2%, registrada no fim da manhã desta sexta-feira (09). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 353.

Até o momento desta publicação são 176 leitos críticos (UTI) disponíveis e 217 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 279 disponíveis e 136 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 55,5% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 59,3% e a Região Seridó tem 42,5%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 55,5%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 55,5%, registrada no fim da manhã desta quinta-feira (08). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 360.

Até o momento desta publicação são 175 leitos críticos (UTI) disponíveis e 218 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 278 disponíveis e 142 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 55,5% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 60,2% e a Região Seridó tem 42,5%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *