Geral

RN não registra mortes por Covid nas últimas 24 horas; novos casos são 19

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta segunda-feira (18). São 370.914 casos totalizados. No domingo (17) eram contabilizados 370.895, ou seja, 19 novos casos em comparação com o dia anterior, destes, 19 confirmados nas últimas 24 horas.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 7.364 no total. Sem registro de óbitos ocorridos nas últimas 24h. No domingo (17) eram7.364 mortes. Óbitos em investigação são 103.066.

Recuperados são 260.484. Casos suspeitos somam 178.747 e descartados são 746.778. Em acompanhamento, são 103.066.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 37,2%

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 37,2%, registrada no início da tarde desta segunda-feira (18). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 119.

Até o momento desta publicação são 120 leitos críticos (UTI) disponíveis e 71 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 96 disponíveis e 48 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 38,6% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 36,4% e a Região Seridó tem 26,7%.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Remédio contra a Covid tem resultados animadores, mas acesso pode ser limitado

Durante o início da procura por vacina, muitos países pobres acabaram ficando para trás. Desta vez, algumas dessas nações não estão cometendo o mesmo erro, como as da região da Ásia-Pacífico.

Os países da região estão correndo para fazer pedidos da mais recente arma contra a Covid-19: uma pílula antiviral que ainda não foi autorizada para uso.

O molnupiravir, produzido pela empresa farmacêutica norte-americana Merck, conhecida no Brasil como MSD, está sendo anunciado como uma solução em potencial para mudar o jogo, especialmente para aqueles que não podem ser vacinados. A Merck está buscando autorização de uso emergencial da FDA (Food and Drug Administration, autoridade americana de saúde) para uso do medicamento. Se for concedida a autorização, a solução se tornará o primeiro tratamento antiviral oral contra a Covid-19.

Pelo menos oito países ou territórios na região da Ásia-Pacífico assinaram acordos ou estão em negociações para adquirir o medicamento, de acordo com a empresa de análises Airfinity, incluindo Nova Zelândia, Austrália e Coréia do Sul, todos com programa vacinal relativamente lento.

Os especialistas dizem que, embora a pílula pareça promissora, há o temor de que algumas pessoas a usem como uma alternativa às vacinas, que ainda oferecem a melhor proteção.

E eles alertam que a corrida da Ásia para estocar a pílula pode levar a uma repetição da compra da vacina no ano passado, quando os países mais ricos foram acusados ​​de acumular doses, deixando os países de renda mais baixa atrasados no acesso ao imunizante.

“(O molnupiravir) realmente tem o potencial – o potencial – de mudar um pouco o jogo”, disse Rachel Cohen, diretora executiva norte-americana da iniciativa sem fins lucrativos Medicamentos para Doenças Negligenciadas.

“Precisamos ter certeza de não repetir a história, de não cair nos mesmos padrões ou repetir os mesmos erros que vimos para as vacinas da Covid.”

Para ler a matéria na íntegra acesse AQUI.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Agência dos EUA aprova dose de reforço da vacina da Janssen

Foto: VINCENT WEST / REUTERS

O Comitê Científico da FDA (Food and Drug Administration — agência reguladora dos Estados Unidos) autorizou, nesta sexta-feira (15), a aplicação da dose de reforço em todos os americanos acima dos 18 anos que receberam a vacina contra a Covid-19 da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson. O imunizante deve ser dado a partir de dois meses da primeira dose.

A vacina é ministrada em dose única. Porém, no fim do mês passado, a farmacêutica apresentou resultados de um estudo mostrando que uma segunda aplicação, feita cerca de dois meses após a primeira, aumentou a proteção de 70% para 94%.

Essa é a primeira autorização nos Estados Unidos de dose extra de proteção contra a Covid-19 aprovada para maiores de 18 anos. Até então, o reforço com a Pfizer e a Moderna só havia sido liberado para idosos e pessoas com problemas no sistema imune.

A Pfizer chegou a pedir à FDA a ampliação para todas as pessoas com mais de 16 anos, mas a agência reguladora decidiu limitar o alcance da autorização alegando que as evidências mostraram que o reforço é benéfico para os mais velhos e para as pessoas expostas a maior risco.

Mais de 15 milhões de americanos receberam esse imunizante, de acordo com os dados mais recentes do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA.

Segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 4,78 milhões de brasileiros foram vacinados com a Janssen. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não recebeu nenhum pedido do laboratório para analisar a aplicação de uma dose de reforço do imunizante.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid: Sesap orienta que municípios do RN reduzam para 5 meses intervalo para aplicação da dose de reforço

Foto: Divulgação / Ascom PMP

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) orientou que os municípios do Rio Grande do Norte reduzam para cinco meses o intervalo para aplicação da dose de reforço contra a Covid em idosos e profissionais da saúde. Atualmente, esse prazo é de seis meses.

A recomendação da Sesap foi emitida em uma nota informativa nesta sexta-feira (15) após decisão tomada em conjunto com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RN (Cosems/RN) e a Câmara Técnica das Vacinas.

Segundo a nota, a vacina da Pfizer, que é a de reforço, deve ser administrada em idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde que já completaram o esquema vacinal há cinco meses – ou seja, tomaram a segunda dose ou a dose única nesse tempo.

De acordo com a Sesap, a mudança se deu após alguns municípios sinalizarem a iminência da perda de doses da Pfizer por conta do prazo de validade após o descongelamento. Isso ocorreu em decorrência da baixa procura para dose de reforço e D2.

“Chegamos a conclusão que temos um quantitativo de doses da vacina da Pfizer junto aos municípios, descongeladas há mais de 20 dias, que devem ser aplicadas de forma imediata, considerando o intervalo de vencimento de 31 dias. Então, decidimos, em parceria com os municípios, antecipar a terceira dose”, informou a coordenadora em Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima.

Além disso, foi considerado ainda que boa parte da população idosa na faixa etária abaixo de 70 anos ainda não completou os 6 meses após a segunda dose. Ou seja, poderiam tomar a vacina devido à idade, mas não conseguiam por não terem o tempo necessário de intervalo.

Os municípios precisam oficializar a redução do tempo de intervalo para esse público, o que deve ocorrer a partir da próxima semana, segundo a coordenadora da Sesap.

Para a mudança, a Sesap se embasou na recomendação emitida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a qual estabelece que a aplicação da dose de reforço tem aprazamento três a seis meses após a completude do esquema vacinal.

Distribuição

A Sesap distribuiu na manhã desta sexta-feira (15) cerca de 97 mil doses de vacina contra a Covid. São 60.756 doses da Pfizer, das quais 10.002 doses destinadas para adolescentes entre 12 e 17 anos com ou sem comorbidades e 50.754 doses para aplicação da D2 nas pessoas acima dos 18 anos.

Mais 36.230 doses da Coronavac também foram direcionadas para população adulta do RN. Além de 135 doses de Oxford para aplicação da D2 no município de Bom Jesus, em decorrência de ajustes.

G1 RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN tem mais 129 casos da variante Delta identificados

Foto: © Reuters/Direitos Reservados 

O Laboratório Central Dr. Almino Fernandes (Lacen-RN), referência estadual no diagnóstico da Covid-19, recebeu a análise das amostras enviadas à Fiocruz que confirmam mais 129 casos da variante Delta no Rio Grande do Norte. Com isso o estado já soma 173 amostras positivas em 30 municípios.

Os resultados são referentes a amostras coletadas nos meses de agosto e setembro. O maior número de casos é do município de Parnamirim (43), seguido por Goianinha (10) e Nísia Floresta (7). A capital, Natal, tem 5 amostras positivas para a variante Delta.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) reforça a necessidade de manutenção das medidas sanitárias, principalmente o uso de máscara e álcool gel, além da vacinação em seu esquema completo, com duas doses.

Lista dos municípios:

Açu 2
Alto do Rodrigues 1
Antônio Martins 1
Brejinho 1
Caicó 6
Canguaretama 2
Ceará-Mirim 2
Equador 4
Extremoz 5
Guamaré 3
Goianinha 10
João Câmara 6
Jucurutu 1
Macaíba 5
Marcelino Vieira 1
Natal 5
Nísia Floresta 7
Nova Cruz 1
Parazinho 1
Parnamirim 43
Santa Cruz 1
São João do Sabugi 1
São José de Mipibú 5
São Gonçalo do Amarante 5
São Miguel do Gostoso 2
Senador Elói de Souza 2
Tibau do Sul 2
Timbaúba dos Batistas 2
Touros 1
Vera Cruz 1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra 03 óbitos por covid nas últimas 24 horas; Novos casos são 85

O RN registrou 03 óbito nas últimas 24h (Lagoa D’anta, Natal e Mossoró ), segundo a atualização da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) desta sexta-feira (15).

São 370.418 casos totalizados. Na quinta-feira (14) eram contabilizados 370.120, ou seja, 298 novos casos em comparação com o dia anterior, destes, 85 confirmados nas últimas 24h horas.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 7.361 no total. Na quinta-feira (14) eram 7.358 mortes. Óbitos em investigação são 1.353

Recuperados são 260.484. Casos suspeitos somam 178.795 e descartados são 744.480. Em acompanhamento, são 102.573.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 31,3%

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 31,3%, registrada no início da tarde desta sexta-feira (15). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 115.

Até o momento desta publicação são 132 leitos críticos (UTI) disponíveis e 60 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 100 disponíveis e 55 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 35,3% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 27,3% e a Região Seridó tem 6,7%.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: RN possui 132 leitos críticos e 100 leitos clínicos disponíveis

O RN permanece com fila zerada de pacientes para UTI Covid conforme levantamento feito por volta das 12h00 desta sexta-feira (15).

Neste período, havia 03 pacientes com perfil para leitos críticos na lista de regulação e nenhum aguarda avaliação. Foram registrados disponíveis 132 leitos críticos e outros 100, sendo clínicos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI aprova convocação de médico para esclarecer kit Covid e outros 5 requerimentos

O presidente da CPI, Omar Aziz, confirmou, nesta manhã (15), a convocação do médico pneumologista Carlos Carvalho para a oitiva de segunda-feira (18).

O senador Randolfe Rodrigues apresentou questionamentos para não convocar o médico, com quem se reuniu no último fim de semana. Aziz pediu uma reunião particular com Randolfe, mas manteve a convocação do médico na agenda, contrariando a proposta de Randolfe de ouvir autoridades da ANS, Conazens, Conaes ou Conselho Nacional de Saúde.

Além da oitiva de segunda-feira, a CPI ainda deve receber familiares de vítimas na terça-feira (19). O relatório será votado na próxima quarta-feira (20).

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Painel norte-americano ainda não se decidiu sobre o reforço da vacina da Moderna

Foto: © REUTERS / Dado Ruvic / Illustration / Direitos Reservados

O regulador norte-americano pode já ter decidido sobre a terceira dose da vacina da Moderna para maiores de 65 anos e a resposta deverá ser um sim, tal como já o fez com a terceira dose da vacina da Pfizer/BioNTech, avançou o STAT News.

Apesar de o anúncio ainda não ter sido feito oficialmente e de ainda estar a decorrer a reunião do painel independente de especialistas, a pergunta feita pela FDA parece indicar que uma parte da decisão está tomada. A pergunta da FDA focou-se em saber se pessoas entre os 18 e os 65 anos devem tomar a terceira dose da vacina da Moderna.

A farmacêutica pediu autorização para uma dose de reforço com metade da dose das duas anteriores para todas as pessoas a partir dos 18 anos (as mesmas que podem, neste momento, tomar esta vacina). A farmacêutica defende que esta quantidade é suficiente para desencadear a reação do sistema imunitário, mas terá menos efeitos secundários.

A Moderna, tal como a Pfizer/BioNTech, alega que a proteção contra doença Covid-19 diminui ao longo do tempo — ainda que a proteção contra a doença grave pareça manter-se. Os argumentos agora apresentados pela Moderna focam-se mais na prevenção da doença ligeira e moderada do que na doença grave e internamentos, refere o jornal The New York Times.

Ao contrário da vacina da Pfizer/BioNTech, a vacina da Moderna não parece apresentar um decaimento tão grande da proteção — aliás, alguns estudos não mostram qualquer perda de proteção —, como refere o documento do regulador norte-americano (FDA), citado pelo STAT News.

O painel independente de especialistas que aconselha a FDA têm-se mostrado cético em relação aos resultados apresentados pelas farmacêuticas que pretendem demonstrar a necessidade de um reforço — até porque a perda de proteção é apresentada sob a forma de diminuição do número de anticorpos, o que, por si, não define a resposta imunitária completa.

Ainda assim, o painel admitiu a terceira dose da vacina da Pfizer/BioNTech a grupos específicos: maiores de 65 anos, imunodeprimidos e profissionais que contactam diretamente com muitas pessoas. Falta saber se fará o mesmo em relação à vacina da Moderna.

Observador

Opinião dos leitores

  1. O “lobby” da indústria farmacêutica é poderosíssimo, compra consciências, opiniões e estudos “científicos”. Os heróis que ousam enfrentá-lo estão sendo perseguidos. E se trata de um fenômeno mundial, que também envolve interesses dos globalistas e ditadores (enrustidos ou não). O jogo é bruto e nós somos a moeda.

  2. Se a maior economia é democracia do mundo já está de joelhos p o lobby das farmacêuticas imagine o probre do Brasil. Pelo visto caminhamos para a quarta, quinta, sexta doses… de 3 em 3 meses pelos “estudos” delas mesmas

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra 01 óbito por covid nas últimas 24 horas; Novos casos são 77

O RN registrou 01 óbito nas últimas 24h (Parnamirim), segundo a atualização da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) desta quinta-feira (14).

São 370.120 casos totalizados. Na quarta-feira (13) eram contabilizados 369.995, ou seja, 125 novos casos em comparação com o dia anterior, destes, 77 confirmados nas últimas 24h horas.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 7.358 no total. Na quarta-feira (13) eram 7.357 mortes. Óbitos em investigação são 1.349.

Recuperados são 259.995. Casos suspeitos somam 178.582 e descartados são 743.072. Em acompanhamento, são 102.767.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 33,9%

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 33,9%, registrada no início da tarde desta quinta-feira (14). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 119.

Até o momento desta publicação são 127 leitos críticos (UTI) disponíveis e 65 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 105 disponíveis e 54 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 36,8% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 29,5% e a Região Seridó tem 20%.

Opinião dos leitores

  1. MAIS Leitos criticos Ocupados, significa a flexibilizaçao no combate a disseminação do virus. E o Virus vai pegar mesmo com o carnatal e demais festival com publico aglomerado e sem nenhuma FISCALIZAÇÃO. E tome gente e mais gente infectada, em virtude da populaçao irresponsavel e autoridades sem determinaçao e sem interesse.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: RN possui 127 leitos críticos e 105 leitos clínicos disponíveis

O RN permanece com fila zerada de pacientes para UTI Covid conforme levantamento feito por volta das 11h50 desta quinta-feira (14).

Neste período, havia 01 pacientes com perfil para leitos críticos na lista de regulação e 03 aguardavam avaliação. Foram registrados disponíveis 127 leitos críticos e outros 105, sendo clínicos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra 01 óbito por covid nas últimas 24 horas; Novos casos são 13

O RN registrou 01 óbito nas últimas 24h (Parnamirim), segundo a atualização da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) desta quarta-feira (13).

São 369.995 casos totalizados. Na terça-feira (12) eram contabilizados 369.903, ou seja, 92 novos casos em comparação com o dia anterior, destes, 13 confirmados nas últimas 24h horas.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 7.357 no total. Na terça-feira (12) eram 7.354 mortes. Óbitos em investigação são 1.348.

Recuperados são 259.995. Casos suspeitos somam 178.014 e descartados são 742.501. Em acompanhamento, são 102.643.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Casos de Covid-19 aumentam em crianças e adolescentes

Foto: Getty Images

Com a variante Delta em expansão, a flexibilização das medidas de isolamento e sendo o público ainda excluído da vacinação, as crianças brasileiras estão mais expostas à Covid-19 agora do que no que especialistas consideram ter sido o auge da pandemia, entre março e abril deste ano.

O número de internações de crianças e adolescentes por Covid-19 em 2021 já ultrapassa o total de 2020 no Brasil. As mortes pela doença entre crianças e adolescentes até setembro também já superam as do ano passado.

Médicos e pesquisadores consultados pela CNN alertam que cabe aos adultos proteger essa população mais vulnerável para evitar uma explosão de casos e internações.

E que, embora a volta às aulas possa ser uma preocupação, são os familiares quem mais transmitem o coronavírus às crianças, principalmente durante reuniões e festividades.

“Depois de feriados sempre aumenta o número de casos de crianças com Covid. O que contribui para isso é que os pais se contaminam e levam o vírus para dentro de casa”, diz o infectologista pediátrico Victor Horácio de Souza Costa Júnior, vice-diretor técnico do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, maior hospital pediátrico do país.

Segundo o infectologista, apesar de as crianças terem voltado às aulas, o maior risco de contaminação está mesmo em seus lares, pelo fato de os parentes terem passado a circular mais após a vacinação.

Essa percepção é compartilhada pelo infectologista Francisco Júnior, gerente-médico do Sabará Hospital Infantil, em São Paulo. Ele afirma que mais de 80% dos casos de Covid em crianças vêm de alguém do núcleo familiar. “Tem sido muito raro o diagnóstico de Covid em crianças que relatam ter tido o contágio na escola”, diz.

Para ler a matéria na íntegra acesse AQUI.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *