Sharon Stone entra em aplicativo de paquera, é bloqueada e reclama na web

A atriz Sharon Stone utilizou o Twitter e o Instagram para reclamar do bloqueio de sua conta no aplicativo de namoro Bumble. A celebridade de 61 anos disse que sua presença no app foi bloqueada após vários usuários a denunciarem sob a suspeita de ser uma conta fake.

A artista escreveu no Twitter: “Eu fui entrar no Bumble e eles fecharam a minha conta. Alguns usuários fizeram denúncias alegam que não era eu! Ei Bumble, ser eu mesma é fato de exclusão? Não me tirem da colméia”, fazendo referência à abelha que é símbolo do app.

Depois ela compartilhou um print da tela inicial do seu aplicativo, com o aviso do bloqueio: “Você foi bloqueada. Temos o compromisso de manter o Bumble seguro, o que significa que precisamos reforçar certas regras quando nossos valores são violados”.

O aviso encerra afirmando: “A sua conta foi bloqueada porque recebemos várias denúncias de que seu perfil seria fake”.

Fundado em 2014, o Bumble é considerado um “app de namoro feminista” por sua dinâmica de funcionamento. No caso de match entre os usuários, apenas a mulher pode fazer o primeiro contato. Já no caso de match entre pessoas do mesmo sexo, qualquer uma delas pode enviar a mensagem inicial.

Vencedora de um Globo de Ouro e indicada ao Oscar em 1996 por seu trabalho em ‘Cassino’ (1995), a também estrela de ‘Instinto Selvagem’ (1992) não voltou a tratar publicamente do tema apesar de vários questionamentos de seus fãs.

Da mesma forma, os assessores e representantes do Bumble nas redes também não responderam Stone em público até o momento sobre seu bloqueio.

O último relacionamento público de Stone foi com o empresário bilionário do ramo de imóveis Angelo Boffa (42 anos). Os dois namoraram por nove meses até encerrar o relaionamento em outubro de 2018.

A atriz já foi casada duas vezes: com o produtor de TV Michael Greenburg e com o jornalista Phil Bronstein, com quem ela adotou seu primogênito, Roan (19 anos). Ela tem mais dois filhos adotados: Laird (14 anos) e Quinn (13 anos).

Globo, via Monet

Seguir dieta sem glúten pode acabar com suas chances na paquera, aponta estudo

Segundo levantamento de universidade dos Estados Unidos, aqueles que cortaram o glúten da rotina são vistos com maus olhos na hora da conquista

Está difícil encontrar o par ideal? Até aparecem alguns encontros, mas o romance não vai para frente? De acordo com estudo recente de uma universidade dos Estados Unidos e publicado na imprensa britânica, a culpa do fracasso no amor está na forma como você se alimenta, mais especificamente na dieta sem glúten .

Foto: Pixabay

Segundo dados da Western Connecticut State University, as pessoas que seguem uma dieta sem glúten são vistas com maus olhos durante uma paquera . Pois é, uma simples proteína – encontrada em alimentos como massas e pães feitos com farinha de trigo e outros cereais – pode arruinar as suas chances no momento da conquista.

A pesquisa perguntou a 161 adultos se eles namorariam alguém que estivesse em uma alimentação sem glúten e muitos mostraram descontentamento com essa informação.

Para 44% dos entrevistados, aqueles que seguem uma dieta “gluten-free” são pessoas com as quais é difícil de se lidar;

Para 33%, as pessoas desse grupo são exigentes demais;

E para 14%, aqueles que não comem glúten são egoístas, arrogantes e difíceis de agradar

Até quando já há um relacionamento, a dieta pode voltar a atrapalhar. 10% dos pesquisados se preocupam que o parceiro que não consome glúten pode julgar a maneira como eles estão se alimentando e controlar o que eles colocam no prato.

Lado bom de quem segue uma dieta sem glúten

São poucos, mas há quem aprecie os seguidores de uma dieta sem glúten e relacione isso a algumas qualidades. Foto: shutterstock

Mas nem tudo está perdido. A pesquisa, divulgada nesta semana pelo jornal britânico “Daily Mail”, ainda mostra que há quem aprecie os seguidores da vida “gluten-free”.

Para 6%, pessoas desse grupo são mais compreensivas

3% acham que elas são mais felizes e disciplinadas

Os dados da universidade dos Estados Unidos ainda apontam que, quando o assunto é um possível envolvimento amoroso, a ideia de se cortar o proteína é mais bem aceita em caso de alergias ou intolerâncias alimentares, como a doença celíada, do que com aquelas pessoas que decidiram apostar em uma dieta sem glúten apenas por uma questão de estética e busca pela boa forma.

IG