Nasa descobre exoplaneta em zona habitável: ‘o mais parecido com a Terra’

Foto: Divulgação / Nasa

A Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) anunciou nessa quarta-feira(15) a descoberta de um exoplaneta em zona habitável. O corpo levou o nome de Kepler-1649c, em referência ao telescópio espacial que capturou sua imagem, o Kepler. Cientistas descreveram o planeta como o mais parecido com a Terra — e o mais próximo de nós — entre todos os exoplanetas localizados pelo telescópio.

Kepler-1649c, que fica a 300 anos-luz do nosso planeta, tem de sua estrela uma distância que possibilita a qualquer planeta rochoso conter água líquida. Os cientistas o descobriram ao rever o arquivo feito pelo telescópio Kepler, aposentado pela agência em 2018. O planeta passou despercebido por pesquisas anteriores, realizadas por algoritmos de computador. Numa segunda vista, porém, os próprios astrônomos reconheceram seu sinal.

Segundo a Nasa, o exoplaneta é só 1.06 maior do que a Terra, e recebe de sua estrela cerca de 75% da luz que nosso planeta recebe do Sol. A grande diferença é que Kepler-1649c orbita uma anã vermelha, categoria estelar propensa a explosões frequentes que podem tornar desafiadora a sobrevivência de organismos mais complexos.

Para a Nasa, a descoberta é “emocionante”, como classificou Andrew Vanderburg, pesquisador da Universidade do Texas em Austin e um dos autores do artigo publicado nesta quarta-feira no The Astrophysical Journal Letters sobre Kepler-1649c.

A razão é que, de todos os exoplanetas identificados pela Nasa, este é, ao mesmo, o que tem tamanho e temperatura mais parecidos com os da Terra. Existem outros com temperaturas mais aproximadas, como o TRAPPIST-1f e o Teegarden c. E outros com tamanhos mais parecidos, como TRAPPIST-1d e TOI 700d. Mas nenhum se aproxima tanto da Terra em ambos os aspectos ao mesmo tempo quanto o Kepler-1649c.

Os cientistas agora querem descobrir outros detalhes sobre o planeta, como a configuração de sua atmosfera, que também pode afetar sua temperatura. Os cálculos sobre o tamanho do corpo ainda são preliminares, e devem ser passar por revisão nas próximas semanas.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nica disse:

    A nova residência dos milionários e bilionários do arrasado planeta terra.
    Só a viagenzinha deve custar uns milhõezinhos.

  2. Ojuara disse:

    Fui!!!!

    • humbabomber disse:

      300 anos de viagem na velocidade da luz..
      Meta o pé, que é chão!!

Brasileira na Nasa revela que Titã, uma lua de Saturno, tem ciclo hidrológico parecido com o da Terra

Foto: Nasa/JPL-CalTech/ASU

Desde que a sondas Pionner 10 e 11 visitaram os gigantes gasosos na década de 1970, a maior lua de Saturno, Titã, é um dos lugares mais estudados do Sistema Solar. Isso porque, nas imagens das duas sondas, nenhum detalhe de sua superfície pode ser visto. Tudo bem que as câmeras eram meio tosquinhas até em comparação com outras de sua época, mas outras luas revelaram características de suas superfícies. Em vez de crateras e penhascos, Titã exibia uma pálida coloração amarela-alaranjada.

A conclusão, depois confirmada pelas sondas Voyagers, era que Titã é coberta por uma espessa atmosfera. A única lua do Sistema Solar a ter uma atmosfera densa. Foi por esse motivo que a sonda Voyager 1 foi planejada para fazer um sobrevoo exclusivo em Titã, abrindo mão de todo o resto do Sistema Solar exterior. Essa tarefa acabou ficando para sua irmã gêmea, a Voyager 2.

Quando a Nasa decidiu por uma missão a orbitar Saturno, uma das missões principais da sonda Cassini foi estudar Titã fazendo diversos sobrevoos. Nessas rasantes, a sonda utilizou seu radar para penetrar na atmosfera e mapear o solo do satélite. Além disso, seus instrumentos no infravermelho também ajudaram a entender o que havia por baixo das nuvens.

A atmosfera de Titã é composta basicamente por metano e nitrogênio e sua pressão chega a ser 45% maior do que a pressão atmosférica. Sendo densa assim, seria possível manter algumas substâncias em estado líquido. Não há água, já que a temperatura por lá é de -180 graus Celsius! Mas com metano na atmosfera, as chances de haver metano líquido não são pequenas, já que a essa temperatura ele pode se condensar.

Quando a Cassini começou suas observações com seu radar, encontrou de fato metano líquido, talvez até etano, mas mais do que isso, encontrou lagos e até mares dessa substância! Com o passar dos anos – a missão Cassini durou 13 anos – a superfície de Titã foi sendo mapeada aos poucos, combinando-se as informações de radar e de infravermelho.

Depois de 13 anos de dados coletados e mais de 2 anos analisando todas as imagens, a geóloga planetária brasileira radicada nos EUA, Rosaly Lopes, do Laboratório de Propulsão à Jato da NASA, publicou nesta semana um estudo com o mapa mais completo de Titã até hoje conhecido. Esse mapa geológico global permite identificar lagos, mares, planícies e dunas de areia.

O mapa é tão detalhado que é possível identificar a ação do ciclo hidrológico de Titã, que é igual ao da Terra, com a diferença que aqui o elemento ativo do ciclo é a água. Durante todos esses anos de mapeamento, foi possível ver lagos diminuírem de tamanho até desaparecerem totalmente durante épocas em que a lua se aquecia. Para depois reaparecer em épocas de temperaturas mais amenas. Em outras palavras, era possível o ciclo de evaporação e chuva do metano em Titã!

Foi possível, inclusive, ver a ação desse ciclo hidrológico no terreno, através da erosão provocada no leito dos rios de metano e na mudança nos campos de dunas. As imagens da Cassini por vezes mostravam a formação de nuvens de metano que iam desaparecendo aos poucos, conforme se dissipava com o vento ou mesmo com a precipitação.

“Titã tem um ciclo hidrológico ativo baseado em metano que formou uma paisagem geológica complexa, fazendo de sua superfície a mais diversa em termos geológicos do Sistema Solar,” disse Lopes em entrevista. Ela acrescentou, ainda, que mesmo com diferenças grandes de temperatura, pressão, gravidade e principalmente de substância ativa, as semelhanças entre rios, lagos e vales encontrados na Terra e em Titã mostram que o processo geológico que os criou deve ser o mesmo.

Fotos mostram pedaço de ilha desaparecendo em lago de metano em Titã — Foto: Nasa/ESA

Além do interesse geológico, Titã também é de interesse na busca por vida. Para que ela surja e se desenvolva, um dos pré-requisitos é haver um meio líquido. A vida como se conhece é baseada na água, mas metano e etano líquidos poderiam ser esse meio aquoso. É claro que a vida baseada em hidrocarbonetos líquidos seria muito diferente da vida baseada em água e provavelmente não haveria estruturas muito mais complexas do que seres unicelulares. Ainda assim, seria vida e motivo de todo o interesse da ciência.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lúcifer disse:

    Manda o fascista seboso, junto com suas crias, sua inútil primeira dama e seu vice de mentirinha prá lá.
    Sem passagem de volta.

    • Cidadão disse:

      Aceita q dói menos 😎
      Já vi q és fã d quem está levando
      Muita ovada, ultimamente.

    • Luis disse:

      Esse é o fake em pessoa, e ainda reclama de fake news, é o imundo falando do mal lavado. Vai idolatrar o teu CANALHA ladrão de estimação, idiota

    • Indignado disse:

      Homi, faz isso não, vai que o bixo volta Thanos…

Remédio parecido com o Viagra pode prevenir insuficiência cardíaca

REMÉDIO TADALAFILA, VENDIDO COMO CIALIS, PODE PREVENIR INSUFICIÊNCIA CARDÍACA (FOTO: MAX PIXEL/CREATIVE COMMONS)

Um medicamento semelhante ao Viagra – usado para disfunção erétil – pode ser um tratamento eficaz contra a insuficiência cardíaca, conforme aponta um novo estudo publicado na revista Scientific Reports.

Cientistas do Reino Unido demonstraram os efeitos do remédio tadalafila (comercializado pelo nome Cialis) em ovelhas. Na pesquisa, os animais que deveriam ter a doença não foram diagnosticados com enfermidades cardíacas quando receberam doses da droga.

Segundo os pesquisadores, alguns homens que estão tratando impotência já podem estar se beneficiando da proteção do medicamento. “É perfeitamente possível que alguns pacientes que tomam o remédio para disfunção erétil também tenham um efeito protetor no coração”, disse Andrew Trafford, professor da Universidade de Manchester, ao jornal britânico The Independent.

Outros estudos epidemiológicos já haviam demonstrado que o tadalafila pode ser eficaz no tratamento da insuficiência cardíaca, mas este nova análise explica por que ele é tão benéfico. A insuficiência cardíaca ocorre quando o coração está fraco demais para bombear sangue suficiente ao redor do corpo. A doença pode seguir um ataque cardíaco ou ser causada por uma anomalia genética. Pessoas com o problema ficam extremamente cansadas e sofrem de falta de ar e inchaço causado pelo fluído nos pulmões. Como a condição piora, pode se tornar uma ameaça à vida.

A descoberta

Para o estudo, carneiros foram equipados com marcapassos que induziram insuficiência cardíaca avançada o suficiente para necessitar de tratamento. Os animais foram escolhidos porque possuem corações semelhantes aos dos humanos.

O remédio Cialis inverteu quase completamente a causa biológica da falta de ar nas ovelhas com a doença. A capacidade do coração de forçar o sangue ao redor do corpo ao trabalhar também aumentou. Apesar do resultado positivo, Trafford alertou que as pessoas não devem se automedicar, devido a potenciais interações com outras drogas ou problemas de saúde.

Metin Avkiran, professor da Fundação Britânica do Coração, que financiou a pesquisa, afirmou que drogas semelhantes ao Viagra foram inicialmente desenvolvidas como medicamentos para o coração. “Parece que fizemos um círculo completo, com resultados de estudos recentes sugerindo que eles podem ser eficazes no tratamento de algumas formas de doença cardíaca. Neste caso, a insuficiência cardíaca”, ele comentou. “Precisamos de novos tratamentos seguros e eficazes para a insuficiência cardíaca, que é uma condição cruel e debilitante que afeta quase um milhão de pessoas no Reino Unido.”

Galileu