Anúncio de sinal de vida em Vênus é ‘imprudente’ e ‘precipitado’, diz astrofísica brasileira associada à Nasa

Astrofísica brasileira Duilia Fernandes de Mello pede cautela pede cautela na divulgação de gás que poderia indicar a presença de micróbios na atmosfera de Vênus — Foto: Duilia de Mello/ BBC

Março de 2014: cientistas chocam o planeta com o anúncio da detecção de ondas gravitacionais descritas como “ecos” do Big Bang, em uma descoberta retratada como das mais importantes da história sobre as origens do universo. O anúncio é destaque nas principais revistas científicas e especialistas dão o prêmio Nobel como certo para a equipe de astrônomos.

Janeiro de 2015: os mesmos cientistas voltam atrás, pedem desculpas à comunidade científica, e afirmam que o que haviam descrito como reflexo da megaexplosão que aconteceu há 14 bilhões de anos era na verdade uma interpretação equivocada. As ondas atribuídas ao Big Bang eram, na verdade, sinais emitidos pela poeira que se espalha pela Via Láctea. A descoberta virava pó.

Foto: NASA / JPL-Caltech

Cinco anos depois, na segunda-feira (14), veio o anúncio da descoberta de um gás que, apesar de várias ressalvas apontadas pelos próprios cientistas, pode indicar a presença de micróbios na atmosfera de Vênus. Divulgada pela revista “Nature Astronomy” e pela Sociedade Astronômica Real, de Londres, a descoberta causou euforia e foi vista, por muitos, como o indício mais forte de vida extraterrestre já anunciado pela ciência.

Explica-se: no planeta Terra, as mesmas moléculas de fosfina identificadas pelo estudo em Vênus só existem na natureza como fruto da ação de seres microscópicos que vivem nas entranhas dos animais e em ambientes pobres em oxigênio, como pântanos.

Como não há outra explicação para a presença natural de fosfina além da atuação destes micróbios, a descoberta poderia ser um sinal concreto de vida na atmosfera venusiana. Mas cientistas importantes como a astrofísica brasileira Duilia Fernandes de Mello, vice-reitora da Universidade Católica de Washington e pesquisadora junto à Nasa há 18 anos, pedem cautela.

“As pessoas, às vezes, na ansiedade de mostrar resultados, acabam cometendo erros”, diz a professora em entrevista à BBC News Brasil.

Na avaliação da brasileira, responsável pela descoberta da supernova SN1997 (supernovas são as megaexplosões que ocorrem no fim do ciclo de uma estrela) e participante da equipe que identificou as chamadas “bolhas azuis” (aglomerados estrelares detectados pelo famoso telescópio Hubble), o anúncio sobre Vênus é “imprudente”, carece de “confirmação” e pode ser fruto de uma “coincidência”.

“Estamos em uma fase muito complicada da ciência, com as pessoas negando a ciência. Então é preciso ser muito cuidadoso.”

Coincidência?

Liderada por astrônomos da Universidade de Cardiff, no País de Gales, em parceria com outros cientistas no Reino Unido, nos EUA e no Japão, a pesquisa identificou a presença de moléculas de fosfina em Vênus por meio de ondas de rádio pelo telescópio James Clerk Maxwell, no Havaí.

Elas foram confirmadas por um conjunto de 45 das 66 antenas que formam uma espécie de telescópio gigante no importante observatório Alma, que fica no deserto do Atacama, no Chile.

(mais…)

Economia brasileira cresceu 2,4% em julho, aponta monitor do PIB FGV

A economia brasileira registrou alta de 2,4% em julho na comparação com o mês anterior, segundo dados do Monitor do PIB-FGV, divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira (16). Frente ao mesmo mês de 2019, no entanto, o resultado é uma queda de 6,1%.

Segundo a FGV, nos três meses encerrados em julho, houve uma queda de 4% ante os três meses anteriores. Já na comparação com o mesmo período do ano passado, o PIB teve queda de 8,9%.

“A economia segue em trajetória de crescimento no mês de julho. Após ter em abril o seu pior momento econômico, reflexo da pandemia de Covid-19, é possível enxergar considerável melhora em todas as atividades econômicas”, afirma em nota Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

Ele ressalta, no entanto, que o país “segue com cenário de alta incerteza e com o nível de atividade em patamar ainda muito baixo e se recuperando muito lentamente”.

Principais resultados

O Monitor do PIB apontou que no trimestre encerrado em julho, em comparação com o mesmo período de 2019:

O consumo das famílias caiu 10,1%, com retração de 12,5% no consumo de serviços

Os investimentos (formação bruta de capital fixo) tiveram queda de 7,8%, com recuo de 18,1% em máquinas e equipamentos

A exportação teve alta de 4,9%; enquanto a importação encolheu 20%

Perspectivas e projeções para 2020

O indicador da FGV ficou melhor que o apontado pelo Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), do Banco Central (BC), que apontou uma alta de 2,15% no mês.

O mercado financeiro estimou, na segunda-feira, uma retração de 5,11% para a economia brasileira neste ano

Na terça-feira (15), o governo brasileiro manteve a expectativa de queda de 4,7% para o PIB de 2020

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima um tombo de 9,1% em 2020.

G1

FOTO E VÍDEO: Brasileira Maya Gabeira volta a estabelecer recorde mundial com a maior onda já surfada por uma mulher; veja dimensão de 22,4 metros

A brasileira Maya Gabeira voltou a estabelecer o recorde mundial com a maior onda já surfada por uma mulher. O Big Wave Awards (principal premiação mundial de ondas grandes) anunciou nesta quinta-feira que a onda que a brasileira surfou em Nazaré, Portugal, em fevereiro deste ano, chegou a 22,4 metros de altura. A marca anterior já pertencia a Maya, com uma onda de 20,7 metros.

Se é dificil dimensionar o tamanho do feito, pense que 22,4 metros é quase equivalente à altura de um prédio de sete andares. Mais alto que a Esfinge, no Egito. Não é pouca coisa.

Foto: Arte O Globo

— A velocidade era muito alta e o barulho que a onda fez quando quebrou me fez perceber que esta era provavelmente a maior onda que surfei — disse Maya.

Em julho deste ano, Maya foi escolhida a segunda maior surfista da história do Brasil em eleição promovida pelo GLOBO com 30 jornalistas especializados, ficando atrás apenas da cearense Silvana Lima.

A marca de maior onda da história também pertence a um brasileiro. O paulista Rodrigo Koxa pegou uma onda de 24,4 metros, também em Nazaré, em 2017.

O Globo e R7

Brasileira que coordena testes da vacina de Oxford contra Covid-19 se diz otimista: ‘Quero passar o Natal no Brasil’

Daniela Ferreira coordena um dos grupos responsáveis pelo estudo da mais promissora vacina até agora. — Foto: Reprodução/TV Globo

O Conversa com Bial de quinta, 16/7, atualizou o status da luta mundial da ciência contra o novo coronavírus, além de esclarecer dúvidas e explicar um conceito do qual muito se ouve nos últimos meses: imunidade de rebanho. Para isso, ouviu dois cientistas que estão na linha de frente da humanidade na guerra contra a Covid-19: o doutor Julio Croda, infectologista da Fiocruz que esteve no Ministério da Saúde até março, e a doutora Daniela Ferreira, que coordena no Reino Unido um dos grupos responsáveis pelo estudo da mais promissora vacina até agora.

De Liverpool, Daniela diz acreditar que até o fim do ano teremos algum tipo de vacina, “mesmo que não seja uma proteção alta”. Ela celebra que, pela primeira vez na história, a comunidade científica se dedica a uma coisa só:

“Eu realmente pretendo passar o Natal no Brasil e tenho esperança de que isso vai ser possível. O progresso que tem sido feito mundialmente com todas as vacinas é extraordinário.”

Ela e Croda discutiram qual a porcentagem da população que deve estar imunizada para que o vírus pare de circular. O infectologista cogita 60%, mas chama atenção para a questão do acesso, que deve se tornar um desafio moral:

“Como será feita a distribuição da vacina? Existem vários laboratórios públicos e privados, nacionais e internacionais, mas o acesso não vai ser igual para todo mundo, existem países mais ricos e mais pobres, e fazer essa escolha será um desafio para a humanidade.”

Croda fez parte do Ministério da Saúde até 24 de março, e lamenta que o governo tenha adotado a imunidade de rebanho como política de estado, o que define como “um genocídio”. Ele conta que o conceito também é chamado de ‘mortalidade de rebanho’, pois muitas vidas são perdidas para que se possa atingi-lo.

“Isso aconteceu em 1918, com a Gripe Espanhola, e tá acontecendo com Covid também. Como os EUA, o Brasil é visto como um mau exemplo nesse sentido, pois como as medidas de controle coletivas são ineficazes, vemos a história natural da doença.”

Conversa com Bial – Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pepe disse:

    Em vacina eu acredito.E vacinação de rebanho foi o que controlou a gripe espanhola e a quarentena

  2. Francisco de Assis disse:

    Isso se o Brasil ainda existir até o natal.

FOTOS: Brasileira estreante no UFC diz que olho roxo a fez deixar emprego

Foto 1: Evelyn Rodrigues/ Foto 2: Reprodução / Instagram

Quando subir no óctógono do UFC Norfolk, no estado da Virginia, nos Estados Unidos, sábado, a brasileira Norma Dumont estará completando uma jornada que começou há 15 anos. A mineira, que fará sua estreia no Ultimate contra Megan Anderson no card principal, teve que escolher entre uma carreira no mundo corporativo ou o caminho das lutas. Venceu a paixão pela competição e pelo octógono.

– Sempre gostei desde criança. Em 2005, eu tinha 14 anos, comecei no jiu-jítsu. Sempre fui do esporte, jogava bola, vôlei. Eu parei para trabalhar, porque precisava, mas permaneci malhando, corria na rua. Aos 19 anos voltei a treinar. Comecei no sandá (boxe chinês). Vi o treino e pensei: “Que doido! Quero fazer esse negócio”. Aquilo foi um prato cheio. Não parei, meu descanso é uma vez por semana desde então (risos). (…) Eu trabalhava como secretária na Vale do Rio Doce. Nos primeiros dias que eu comecei a treinar, o professor disse que eu levava jeito.

– Sempre fui competidora, comecei a pegar gosto, o que me atrapalhou no serviço por conta das lesões. Era torção de tornozelo, olho inchado…. o que para uma secretária não era bom. Segurei um ano e meio, mas não conseguia largar a luta. Meu gerente falou: “Você tem que escolher, não está dando, não pode chegar com o olho roxo”. Eu não conseguia calçar mais salto por causa das torções e permaneci na luta – declarou ao Combate.com.

Norma Dumont encara logo em sua estreia Megan Anderson, atleta com quatro lutas no UFC na bagagem e que vem embalada por expressiva vitória sobre Zarah Fairn dos Santos, por finalização, no primeiro round. Ainda assim, a mineira, de 29 anos, prefere contemporizar a sua diferença de experiência para a rival e valorizou as quatro lutas profissionais que já disputou e venceu na carreira.

– Ela (Megan Anderson) joga muito um direto e o joelho de esquerda. São os golpes que mais usa. Não são golpes tão contundentes. Ela é uma adversária difícil por ser muito grande, envergadura grande, membros compridos. Ela não é uma atleta tão forte e nem tão potente. Baseamos nosso jogo em cima disso. (…) Apesar de eu ter pouca experiência no MMA, digamos assim, eu não fiz cartel. Lutei nos maiores eventos do Brasil contra adversárias duríssimas. Minha última adversária tinha mais de 20 lutas. Não sinto a sensação de novata. Me sinto bem, confiante, em casa. Sei que elas são mais experientes, mas não vejo como superiores, o que me deixa bem tranquila para a luta.

Megan Anderson , adversária da brasileira Norma Dumont no UFC Norfolk, venceu sua última luta por finalização — Foto: Getty Images

Na entrevista, Norma procurou mostrar confiança em sua primeira experiência no UFC, mas também fez questão de manifestar as dificuldades que mulheres brasileiras enfrentam para seguir no MMA. Para a lutadora, o país tem potencial para ter ainda mais representantes de alto nível no Ultimate.

– Além da falta de apoio, existe o assédio muito grande em cima das mulheres dentro das academias, principalmente, se for bonita. Às vezes, a mulher desiste, porque não consegue ser levada a sério, respeitada, se desenvolver lá dentro, porque o assédio é grande. Já vi acontecer em várias academias. É triste. A gente perde, porque no UFC, todas as brasileiras, da melhor a pior, são duríssimas, aguerridas. O Brasil é um berço gigantesco que é pouco aproveitado.

UFC Norfolk
29 de fevereiro de 2020, na Virginia (EUA)

CARD PRINCIPAL (22h, horário de Brasília):

Peso-mosca: Joseph Benavidez x Deiveson Figueiredo
Peso-pena: Felicia Spencer x Zarah Fairn dos Santos
Peso-meio-pesado: Ion Cutelaba x Magomed Ankalaev
Peso-pena: Megan Anderson x Norma Dumont
Peso-pena: Grant Dawson x Darrick Minner

CARD PRELIMINAR (19h, horário de Brasília):

Peso-galo: Gabriel Silva x Kyler Phillips
Peso-médio: Brendan Allen x Tom Breese
Peso-pesado: Marcin Tybura x Serghei Spivac
Peso-leve: Luis Peña x Steve Garcia
Peso-pena: Jordan Griffin x TJ Brown
Peso-pena: Aalon Cruz x Spike Carlyle
Peso-meio-médio: Sean Brady x Ismail Naurdiev

Globo Esporte

 

Governo monitora família brasileira com suspeita de coronavírus nas Filipinas

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta terça-feira (28) que o governo acompanha a situação de uma família brasileira que está nas Filipinas com suspeita de ter contraído o coronavírus e que não há orientação do governo para a retirada de brasileiros das regiões afetadas pelo vírus.

Antes de ir para as Filipinas, a família de três pessoas (pai, mãe e uma criança de 10 anos) passou por Wuhan, na China. A criança de 10 anos tem suspeita de contaminação e está em isolamento. Já os pais da menina estão isolados como medida de precaução.

“A gente fica monitorando com atenção o caso dessa família. Quando a gente tem uma situação como essa a pessoa tem que ficar onde ela está. Não é orientada a remoção, mesmo porque você não tem um tratamento especifico definido para esse vírus. O mesmo tratamento que é aplicado na China vai ser feito no Brasil”, disse o ministro durante entrevista coletiva para tratar das medidas adotadas pelo governo para evitar a entrada do vírus no país.

Durante a entrevista, Mandetta confirmou a suspeita de um caso de contaminação por coronavírus em Minas Gerais. Com isso, o governo elevou o nível de atenção para o vírus que passou de 1 – nível de alerta – para 2, de perigo iminente.

Brasileiros no exterior

O Ministério das Relações Exteriores confirmou que não há orientação do governo para a retirada de brasileiros que vivem na China. Por meio de nota, a pasta disse que a embaixada brasileira em Pequim está acompanhando a situação dos brasileiros que vivem na China. De acordo com o Itamaraty, o governo chinês mantém comunicação constante com os representantes diplomáticos e consulares e, até o momento, não considera a hipótese de organizar a retirada de estrangeiros das áreas já em situação de isolamento.

“Recorde-se que qualquer evacuação demandará, além da autorização chinesa, cumprimento das normas internacionais sobre quarentena e permissão de sobrevoo e pouso de avião com pessoas provenientes de área que experimenta surto da doença”, diz a nota.

Viagens para a China

Durante a coletiva, o ministro da Saúde disse ainda que, após a Organização Mundia da Saúde (OMS) elevar de moderado para elevado o risco de contaminação pelo vírus, brasileiros só devem viajar para a China em caso de necessidade.

“Estamos recomendando que viagens à China sejam feitas apenas em caso de necessidade. A OMS desaconselha qualquer viagem nesse momento para o país”, disse Mandetta.

O ministro disse ainda que, com a decisão da OMS, o governo vai passar a tratar como casos suspeitos, os de pessoas que estiveram em toda a China nos últimos 14 dias e apresentarem sintomas respiratórios, como tosse ou dificuldade para respirar. Antes, a atenção recaía apenas às pessoas que estiveram na cidade de Wuhan, local com maior número de casos.

O ministro disse ainda que não há orientações específicas para o período de Carnaval. “Não temos nenhuma recomendação específica de comportamento, a não ser aquelas clássicas que usamos sempre: lavar as mãos, evitar compartilhamento de objetos, copos talheres para que se possa ter um risco menor, mas nada especifico para o Carnaval”, disse.

Aeroportos

Desde o fim de semana, os aeroportos brasileiros divulgam alerta da Anvisa sobre o coronavírus. A mensagem reforça procedimentos de higiene e diz que os passageiros que apresentarem sintomas relacionados ao vírus devem procurar um agente de saúde. O ministro disse que o governo também trabalha com a elaboração de material impresso em diferentes idiomas para orientar as pessoas que chegam no país sobre o que fazer para evitar contrair o vírus.

Hoje à tarde, integrantes da Anvisa se reúnem com representantes de companhias aéreas no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, para dar orientações sobre o coronavírus.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), até ontem (27), foram confirmados 2.798 casos do novo coronavírus, batizado 2019-nCoV, em todo o mundo. A maior parte na China (2.761), incluindo a região administrativa de Hong Kong (8 casos confirmados), Macau (5) e Taipei (4).

Fora do território Chinês foram confirmados 37 casos. Destes, 36 apresentaram histórico de viagem à China, dos quais 34, estiveram na cidade de Wuhan ou algum vínculo com um caso já confirmado. Desse total, os Estados Unidos e a Tailândia registraram cinco casos cada; quatro casos foram registrados no Japão, Cingapura, Austrália, Malásia e a Coreia do Sul. A França registrou três casos, o Vietnam dois, e o Canadá e Nepal um caso cada.

Nesta terça, representantes do Ministério da Saúde vão participar de uma reunião com a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o tema. Na próxima semana, Mandetta disse que vai se reunir com os secretários estaduais de Saúde e os secretários de Saúde das capitais também para detalhar as ações tomadas pelo governo.

Agência Brasil

Brasileira na Nasa revela que Titã, uma lua de Saturno, tem ciclo hidrológico parecido com o da Terra

Foto: Nasa/JPL-CalTech/ASU

Desde que a sondas Pionner 10 e 11 visitaram os gigantes gasosos na década de 1970, a maior lua de Saturno, Titã, é um dos lugares mais estudados do Sistema Solar. Isso porque, nas imagens das duas sondas, nenhum detalhe de sua superfície pode ser visto. Tudo bem que as câmeras eram meio tosquinhas até em comparação com outras de sua época, mas outras luas revelaram características de suas superfícies. Em vez de crateras e penhascos, Titã exibia uma pálida coloração amarela-alaranjada.

A conclusão, depois confirmada pelas sondas Voyagers, era que Titã é coberta por uma espessa atmosfera. A única lua do Sistema Solar a ter uma atmosfera densa. Foi por esse motivo que a sonda Voyager 1 foi planejada para fazer um sobrevoo exclusivo em Titã, abrindo mão de todo o resto do Sistema Solar exterior. Essa tarefa acabou ficando para sua irmã gêmea, a Voyager 2.

Quando a Nasa decidiu por uma missão a orbitar Saturno, uma das missões principais da sonda Cassini foi estudar Titã fazendo diversos sobrevoos. Nessas rasantes, a sonda utilizou seu radar para penetrar na atmosfera e mapear o solo do satélite. Além disso, seus instrumentos no infravermelho também ajudaram a entender o que havia por baixo das nuvens.

A atmosfera de Titã é composta basicamente por metano e nitrogênio e sua pressão chega a ser 45% maior do que a pressão atmosférica. Sendo densa assim, seria possível manter algumas substâncias em estado líquido. Não há água, já que a temperatura por lá é de -180 graus Celsius! Mas com metano na atmosfera, as chances de haver metano líquido não são pequenas, já que a essa temperatura ele pode se condensar.

Quando a Cassini começou suas observações com seu radar, encontrou de fato metano líquido, talvez até etano, mas mais do que isso, encontrou lagos e até mares dessa substância! Com o passar dos anos – a missão Cassini durou 13 anos – a superfície de Titã foi sendo mapeada aos poucos, combinando-se as informações de radar e de infravermelho.

Depois de 13 anos de dados coletados e mais de 2 anos analisando todas as imagens, a geóloga planetária brasileira radicada nos EUA, Rosaly Lopes, do Laboratório de Propulsão à Jato da NASA, publicou nesta semana um estudo com o mapa mais completo de Titã até hoje conhecido. Esse mapa geológico global permite identificar lagos, mares, planícies e dunas de areia.

O mapa é tão detalhado que é possível identificar a ação do ciclo hidrológico de Titã, que é igual ao da Terra, com a diferença que aqui o elemento ativo do ciclo é a água. Durante todos esses anos de mapeamento, foi possível ver lagos diminuírem de tamanho até desaparecerem totalmente durante épocas em que a lua se aquecia. Para depois reaparecer em épocas de temperaturas mais amenas. Em outras palavras, era possível o ciclo de evaporação e chuva do metano em Titã!

Foi possível, inclusive, ver a ação desse ciclo hidrológico no terreno, através da erosão provocada no leito dos rios de metano e na mudança nos campos de dunas. As imagens da Cassini por vezes mostravam a formação de nuvens de metano que iam desaparecendo aos poucos, conforme se dissipava com o vento ou mesmo com a precipitação.

“Titã tem um ciclo hidrológico ativo baseado em metano que formou uma paisagem geológica complexa, fazendo de sua superfície a mais diversa em termos geológicos do Sistema Solar,” disse Lopes em entrevista. Ela acrescentou, ainda, que mesmo com diferenças grandes de temperatura, pressão, gravidade e principalmente de substância ativa, as semelhanças entre rios, lagos e vales encontrados na Terra e em Titã mostram que o processo geológico que os criou deve ser o mesmo.

Fotos mostram pedaço de ilha desaparecendo em lago de metano em Titã — Foto: Nasa/ESA

Além do interesse geológico, Titã também é de interesse na busca por vida. Para que ela surja e se desenvolva, um dos pré-requisitos é haver um meio líquido. A vida como se conhece é baseada na água, mas metano e etano líquidos poderiam ser esse meio aquoso. É claro que a vida baseada em hidrocarbonetos líquidos seria muito diferente da vida baseada em água e provavelmente não haveria estruturas muito mais complexas do que seres unicelulares. Ainda assim, seria vida e motivo de todo o interesse da ciência.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lúcifer disse:

    Manda o fascista seboso, junto com suas crias, sua inútil primeira dama e seu vice de mentirinha prá lá.
    Sem passagem de volta.

    • Cidadão disse:

      Aceita q dói menos 😎
      Já vi q és fã d quem está levando
      Muita ovada, ultimamente.

    • Luis disse:

      Esse é o fake em pessoa, e ainda reclama de fake news, é o imundo falando do mal lavado. Vai idolatrar o teu CANALHA ladrão de estimação, idiota

    • Indignado disse:

      Homi, faz isso não, vai que o bixo volta Thanos…

Brasileira vence concurso para férias ‘offline’ na Itália

DOLOMITAS, NOS ALPES ITALIANOS (FOTO: GETTY IMAGES)

Uma brasileira está entre os 10 vencedores de um concurso para passar cinco dias de férias na cordilheira das Dolomitas, nos Alpes italianos, sem celular nem computador.

A iniciativa é de sete cidades da província de Belluno, na região do Vêneto, no norte da Itália, e se chama “Recharge in nature, in the Heart of the Dolomites” (“Recarregue as energias no coração das Dolomitas”, em tradução livre).

Ana Carolina Ramos vive no Rio de Janeiro e está entre os seis estrangeiros selecionados, além de quatro italianos, de um total de 19 mil concorrentes. Os candidatos tiveram de preencher um questionário e enviar um vídeo contando suas motivações para passar cinco dias offline.

Os outros estrangeiros escolhidos são da Bélgica, da Eslováquia, da França e do Reino Unido. A viagem será entre os dias 13 e 17 de setembro, como parte de um projeto para promover o turismo em uma das regiões mais bonitas da Itália.

Os vencedores também terão de trabalhar como voluntários em ações de melhoria no território, fortemente afetado por uma tempestade que provocou inundações, deslizamentos e quedas de árvores em outubro passado.

Época

 

Café e soja puxam melhor resultado da história agrícola brasileira

Foto: Paulo Whitaker/Reuters – 19.3.2004

A produção dos 64 principais itens agrícolas brasileiros cresceu 8,3% e somou R$ 343,5 bilhões durante os 12 meses de 2018, maior valor apurado pela pesquisa Produção Agrícola Municipal, divulgada desde 1974 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Os dados revelados nesta quinta-feira (5) apontam que o bom desempenho do setor foi guiado pelas produções recordes de soja (117,9 milhões de toneladas) e café (3,6 milhões de toneladas). O algodão herbáceo também marcou um novo recorde ao alcançar uma produção de 5 milhões de toneladas e ao apresentar valor de produção de R$ 12,8 bilhões.

De acordo com o IBGE os recordes registrados no ano passado podem ser justificados pelas “disputas comerciais entre Estados Unidos e China, quebra de safra na Argentina e a demanda chinesa pelo algodão herbáceo alavancaram os preços das principais commodities brasileiras”.

Por outro lado, a produção de milho em território nacional despencou 16% na passagem de 2017 para 2018. De acordo com o estudo, a redução ocorreu devido aos problemas climáticos. Os prejuízos dos produtores, no entanto, foram compensados pela alta dos preços do produto.

Apesar da maior arrecadação do setor, a área colhida em 2018 caiu 0,6%, para 78,5 milhões de hectares. Do total, soja, cana-de-açúcar, milho, café, algodão herbáceo, mandioca, laranja, arroz, banana e fumo representaram quase 85,6% de todo o valor gerado pela atividade.

Localidades

Na análise das 27 Unidades da Federação, São Paulo permanece em primeiro lugar no valor da produção, com 15,5% da participação nacional. A liderança foi mantida apesar da queda de 1,3 ponto percentual na participação do Estado em comparação com 2017.

Melhoraram suas produções na passagem de 2017 para 2018 os Estados de Mato Grosso (14,6%), Bahia (5,7%) e Mato Grosso do Sul (5,6%). Segundo o levantamento, o resultado positivo das localidades ocorrerem devido à produção de milho, soja e algodão herbáceo.

O estudo mostra ainda que, dentre os 50 municípios com maior valor de produção, 18 estão no Estado de Mato Grosso. Apesar disso, o primeiro lugar do ranking pertence à cidade baiana de São Desidério, que arrecadou R$ 3,6 bilhões com produtos agrícolas no ano passado, resultado 54,4% superior ao registrado em 2017.

“O bom clima no estado baiano proporcionou ao município acréscimo de produção das principais culturas, que somado aos bons preços pagos às commodities”, avalia o IBGE.

As cidades de Sapezal e Sorriso, ambas localizadas no Mato Grosso, completam o pódio do ranking de 2018 com produções de 3,3 bilhões, cada. Enquanto o resultado de Sapezal foi puxado pelo cultivo do algodão herbáceo, Sorriso tem a soja como principal produto.

Produção Agrícola Municipal 2018/IBGE

R7

 

HISTÓRICO – (FOTO): Brasileira conquista primeiro título do país no Mundial de esgrima

 Foto: Flavio Florido/Exemplus/COB

Pela primeira vez na história, o Brasil tem uma atleta medalhista no Campeonato Mundial de Esgrima, e a estreia no pódio veio justo no lugar mais alto dele.

Nesta quinta (18), Nathalie Moellhausen, 33, venceu a chinesa Sheng Lin na decisão da competição individual de espada do Mundial, realizado em Budapeste, na Hungria. A vitória veio no tempo extra, por 13 a 12.

A campanha histórica do país surpreendeu, já que a brasileira é atualmente a 22º colocada do ranking na sua especialidade. Antes da chinesa, 13º do ranking, ela derrotou Vivian Kong, de Hong Kong (terceira melhor da lista) na semifinal.

Outras favoritas ficaram pelo caminho. Primeira colocada do ranking da espada, a italiana Mara Navarria foi eliminada na segunda rodada do Mundial. Vice-líder, a romena Ana Maria Popescu caiu nas oitavas de final.

Nascida em Milão, Nathalie tem cidadania brasileira por causa de sua família materna. Ela é filha da estilista ítalo-brasileira Valeria Ferlini. O sobrenome de origem alemã é da família do pai.

A esgrimista competiu a maior parte da sua carreira representando o país europeu, uma das maiores potências da modalidade.

Pela Itália, a atleta conquistou três medalhas em campeonatos mundiais: duas por equipes (ouro em 2009 e bronze em 2011) e uma no individual (bronze em 2010).

Após a Olimpíada de Londres, ela não teve mais espaço na equipe italiana e decidiu paralisar a carreira no esporte para se dedicar a outras. Estudou filosofia na Universidade Sorbonne, foi modelo, produtora de eventos e diretora de arte.

Em 2010, ela já havia criado um espetáculo de dança coreografada com esgrima para a cerimônia de abertura do Mundial de Paris. Depois, produziu o primeiro calendário fotográfico mundial com atletas da modalidade.

Em novembro de 2013, fez a direção de arte da festa dos cem anos da Federação Internacional de Esgrima.

Nathalie voltou a competir em 2014, após receber um convite para representar o Brasil, país que ela estava acostumada a visitar para ver a avó quando era criança.

“Sempre tive o sonho de me aproximar ao Brasil. A oportunidade dos Jogos Olímpicos do Rio me pareceu o momento certo para dar esse passo”, afirmou Nathalie à Folha na ocasião.

Pelo país, Moellhausen foi medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015 e chegou até as quartas de final na Olimpíada do Rio-2016, o melhor resultado do país na história do evento ao lado do obtido por Guilherme Toldo, no florete, também nos Jogos do Rio.

Folha de São Paulo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Ora essa, há muito já que o Brasil mantém o título de campeão mundial de esgrima. Só não vê quem não quer. Literalmente dividida entre "nós e eles", a terra de Macunaíma se tornou território livre de esgrimistas do óbvio.

Brasileira ganha 1º lugar em feira de ciências para pré-universitários do mundo e terá asteroide com seu nome

Foto: Reprodução)

A estudante brasileira Juliana Estradioto, de 18 anos, conquistou o 1º lugar em uma das maiores feira de ciências para pré-universitários do mundo. Natural de Osório, no Rio Grande do Sul, ela fez uma pesquisa sobre o aproveitamento da casca de noz macadâmia para curativos de ferimentos da pele ou para embalagens.

Juliana conquistou a premiação máxima na categoria de Ciência dos Materiais, da Intel International Science and Engineering Fair (Isef). O resultado foi anunciado na última sexta-feira, 17, durante o evento em Phoenix, nos Estados Unidos. Por causa do resultado, Juliana também poderá batizar um asteroide com seu nome – essa chance é dada aos estudantes que conquistam os primeiros e segundos lugares em cada categoria da premiação.

A jovem acabou de se formar no curso técnico em Administração integrado ao ensino médio, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS). Durante a formação, ela investigou como a macadâmia poderia substituir materiais sintéticos, evitando a produção de lixo.

Estadão

VÍDEO: Brasileira arranca boné de jovem pró-Trump e pode ser deportada

A frase “Make America Great Again” foi o slogan usado por Donald Trump em sua campanha eleitoral de 2016 Foto: Mike Segar / Reuters

Uma brasileira foi presa por arrancar um boné pró-Trump da cabeça de um homem no Estado americano de Massachusetts e, agora, corre o risco de ser deportada.

Há duas semanas, Rosiane Santos, de 41 anos, foi filmada tirando de um americano o boné que ele usava com a frase “Make America Great Again” (Faça a América Grande de Novo), slogan usado por Donald Trump em sua campanha eleitoral de 2016, em um restaurante mexicano.

Na delegacia, ela afirmou que não acreditava que o indivíduo havia tido permissão para entrar em um estabelecimento mexicano usando um boné como aquele, segundo um relatório do Departamento de Polícia de Falmouth.

Bryton Turner se identificou como vítima do ataque de Rosiane em uma nota enviada à emissora NBC News, e seu nome é mencionado no relatório policial do caso. Ele contou que a brasileira começou a “assediá-lo verbalmente” logo que ele entrou no restaurante. “Tudo o que eu falei foi ‘eu posso usar esse boné em qualquer lugar que eu quiser, estamos na América’”, disse.

O vídeo do episódio, que foi publicado no Facebook e depois retirado do ar, mostra Turner sentado no que parece ser um bar e filmando a si mesmo enquanto Rosiane caminha atrás dele. “Veem isso aqui? Esse é o problema”, diz ele na gravação. “Pessoas ignorantes como essa. Estou apenas tentando sentar aqui e ter uma boa refeição, e olhem isso.” Neste momento, ela aborda Turner por trás, bate no boné dele e começa a disparar alguns palavrões. “Esse é o problema com a nossa América hoje em dia. As pessoas são ignorantes e querem atacar as que são educadas.”

Rosiane, que estava bêbada, foi presa sob acusações de conduta desordeira e agressão simples – duas contravenções – e foi retirada do restaurante. Ao sair do local, ela agrediu fisicamente o americano e arrancou seu boné.

Ela foi solta após pagar a fiança de US$ 40 e se declarou inocente. Mas agora Rosiane – que vive nos Estados Unidos sem documentação legal – enfrenta a possibilidade de ser deportada para o Brasil.

Funcionários da Agência de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE, na sigla em inglês) prenderam a brasileira nessa terça-feira 26 de fevereiro, disse um porta-voz em um comunicado, acabou sendo liberada e agora está em processo de remoção no tribunal federal de imigração. Ela deve comparecer à Corte em uma data a ser anunciada.

Ainda não se sabe como o órgão de imigração soube do caso de Rosiane. A polícia de Falmouth disse ao jornal The Washington Post que não sabia do status migratório da brasileira no momento em que ela foi presa e não notificou a agência.

De acordo com um representante policial, é possível que os funcionários tenham sido notificados quando o nome de Rosiane entrou no sistema. “O ICE não discute publicamente sobre ferramentas de busca e inteligência e métodos que nossos agentes e funcionários podem usar em seu trabalho”, explicou John Mohan, porta-voz do órgão para a região da Nova Inglaterra.

A advogada de Rosiane, Katarina Kozakova, afirmou ao site Boston.com que a brasileira é casada com um cidadão americano e está aguardando a aprovação de seu green card. O envolvimento do ICE no caso implica que a solicitação do documento será revisada agora por um juiz de imigração, ao invés do Serviço de Cidadania e Imigração dos EUA. “Esta é a única mudança que essa prisão custou a Rosiane em termos de imigração”, ressaltou Katarina.

Estadão, com W. Post

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roberto disse:

    Lá vem mais uma desgraça pra cá.

  2. Jefferson disse:

    Tem que mandar embora mesmo, acho que ela pensou que estava aqui no Brasil. Aqui ela pode fazer isso, mandar ela fazer o mesmo numa concentração do MST.

Brasileira é morta, mutilada e exposta em praça pública na Venezuela

Uma brasileira de 33 anos foi assassinada, mutilada e teve seu corpo exposto em praça pública em uma cidade da Venezuela, informa o jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira. O crime aconteceu em 27 janeiro na cidade de Las Claritas, região garimpeira que fica próxima a fronteira com Roraima, no norte do Brasil.

Os parentes, que moram em Boa Vista, acreditam que Ana Cristina da Silva, de 33 anos, foi assassinada por vingança. De acordo com o tio da vítima, Edivan da Silva, Ana Cristina teria testemunhado “algo ligado a execuções ou tráfico de drogas”, e falado sobre o que viu para a namorada de um dos bandidos. “Ela foi executada dessa maneira para servir de exemplo aos moradores da região”, informou Silva. Ele contou que sua sobrinha foi esganada com arame farpado, teve a língua cortada e o corpo foi exposto ao público.

O governo de Roraima e o Ministério das Relações Exteriores não foram procurados pela família da vítima, informou o jornal. O caso está sendo investigado por uma delegacia em San Félix, cidade venezuelana próxima a Las Claritas. Atraídos pelo ouro, muitos brasileiros vivem na região onde a brasileira foi assassinada e, segundo o tio de Ana Cristina, milícias e traficantes controlam os garimpos. “Ela sempre falava que uma parte do ouro extraído era entregue a policiais corruptos e traficantes”, disse.

Silva informou ainda que trabalhando no garimpo Ana Cristina era paga em ouro. Seus rendimentos variavam de cinco a oito salários mínimos por mês. A família não pretende acompanhar as investigações pois considera que as autoridades venezuelanas não têm interesse em esclarecer o crime. O corpo de Ana Cristina foi levado da Venezuela para Boa Vista, onde foi sepultada.

Veja

Vacina brasileira contra a Aids será testada em macacos

 Uma vacina brasileira contra o vírus HIV, causador da Aids, começará a ser testada em macacos no segundo semestre deste ano. Com duração prevista de 24 meses, os experimentos têm o objetivo de encontrar o método de imunização mais eficaz para ser usado em humanos. Concluída essa fase, e se houver financiamento suficiente, poderão ter início os primeiros ensaios clínicos.

Denominado HIVBr18, o imunizante foi desenvolvido e patenteado pelos pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) Edecio Cunha Neto, Jorge Kalil e Simone Fonseca.

A pesquisa foi baseada no sistema imunológico de um grupo especial de portadores do vírus que mantêm o HIV sob controle por mais tempo e demoram para adoecer. No sangue dessas pessoas, a quantidade de linfócitos T (tipo de células de defesa) do tipo CD4 – o principal alvo do HIV – permanece mais elevada que o normal.

“Já se sabia que as células TCD4 são responsáveis por acionar os linfócitos T do tipo CD8, produtores de toxinas que matam as células infectadas. As TCD4 acionam também os linfócitos B, produtores de anticorpos. Mas estudos posteriores mostraram que um tipo específico de linfócito TCD4 poderia também ter ação citotóxica sobre as células infectadas. Os portadores de HIV que tinham as TCD4 citotóxicas conseguiam manter a quantidade de vírus sob controle na fase crônica da doença”, contou Cunha Neto à Agência Fapesp.

Os pesquisadores, então, isolaram pequenos pedaços de proteínas das áreas mais preservadas do vírus HIV – aquelas que se mantêm estáveis em quase todas as cepas. Com auxílio de um programa de computador, selecionaram os peptídeos que tinham mais chance de ser reconhecidos pelos linfócitos TCD4 da maioria dos pacientes. Os 18 peptídeos escolhidos foram recriados em laboratório.

Testes in vitro feitos com amostras de sangue de 32 portadores de HIV com condições genéticas e imunológicas bastante variadas mostraram que, em mais de 90% dos casos, pelo menos um dos peptídeos foi reconhecido pelas células TCD4. Em 40% dos casos, mais de cinco peptídeos foram identificados. Os resultados foram divulgados em 2006 na revista Aids.

Em outro experimento divulgado em 2010 na PLoSOne, em parceria com Daniela Rosa, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), e Susan Ribeiro, da FMUSP, os peptídeos foram administrados a camundongos geneticamente modificados. Nesse caso, 16 dos 18 peptídeos foram reconhecidos e ativaram tanto os linfócitos TCD4 como os TCD8.

O grupo, então, desenvolveu uma nova versão da vacina com elementos conservados de todos os subtipos do HIV do grupo principal, chamado grupo M, que mostrou-se capaz de induzir respostas imunes contra fragmentos de todos os subtipos testados até o momento. “Os resultados sugerem que uma única vacina poderia, em tese, ser usada em diversas regiões do mundo, onde diferentes subtipos do HIV são prevalentes”, afirmou Cunha Neto.

No teste mais recente, feito com camundongos e ainda não publicado, os pesquisadores avaliaram a capacidade dessa nova vacina de reduzir a carga viral no organismo. “O HIV normalmente não infecta camundongos, então nós pegamos um vírus chamado vaccinia – que é aparentado do causador da varíola – e colocamos dentro dele antígenos do HIV”, contou Cunha Neto.

Nos animais imunizados com a vacina, a quantidade do vírus modificado encontrada foi 50 vezes menor que a do grupo controle. Agora estão sendo realizados experimentos para descobrir se, de fato, a destruição viral aconteceu por causa da ativação das células TCD4 citotóxicas.

Os cientistas estimam que, no estágio atual de desenvolvimento, a vacina não eliminaria totalmente o vírus do organismo, mas poderia manter a carga viral reduzida ao ponto de a pessoa infectada não desenvolver a imunodeficiência e não transmitir o vírus.

Segundo Cunha Neto, a HIVBr18 também poderia ser usada para fortalecer o efeito de outras vacinas contra a Aids, como a desenvolvida pelo grupo do imunologista Michel Nussenzweig, da Rockefeller University, de Nova York, feita com uma proteína do HIV chamada gp140.

Macacos

A última etapa do teste pré-clínico será realizada na colônia de macacos Rhesus do Instituto Butantan. A vantagem de fazer testes em primatas é a semelhança com o sistema imunológico humano e o fato de eles serem suscetíveis ao SIV, vírus que deu origem ao HIV.

O ensaio clínico de fase 1 deverá abranger uma população saudável e com baixo risco de contrair o HIV, que será acompanhada de perto por vários anos. Nesse primeiro momento, além de avaliar a segurança do imunizante, o objetivo é verificar a magnitude da resposta imune que ele é capaz de desencadear e por quanto tempo os anticorpos permanecem no organismo.

Se a HIVBr18 for bem-sucedida nessa primeira etapa da fase clínica, poderá despertar interesse comercial. A esperança dos cientistas é atrair investidores privados, uma vez que o custo estimado para chegar até terceira fase dos testes clínicos é de R$ 250 milhões. Até o momento, somando o financiamento da Fapesp (Fundação de Amparo e Pesquisa do Estado de São Paulo) e do governo federal, foi investido cerca de R$ 1 milhão no projeto.

UOL Notícias

Inflação brasileira em 2013 deve ficar entre 5% e 6%, diz ministro

O Brasil deve ter uma “inflação de base” entre 5% e 6%”, acima da meta prevista pelo Banco Central (BC) de 4,5%, de acordo com informações do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, divulgadas pelo jornal Folha de S.Paulo nesta quinta-feira. No entanto, ele falou que não há risco inflacionário no futuro próximo.

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) nos últimos 12 meses terminados em março ultrapassou o teto da meta de 6,50% e ficou em 6,59%. Conforme o ministro, o processo de redução da inflação é leno, mas deve ocorrer, mas será preciso que a competitividade da economia se recupere como um todo.

 

Brasileira desaparecida em Cruzeiro pulou do navio

A brasileira Lais Santiago Almeida SantosA brasileira Lais Santiago Almeida Santos, 21, que trabalhava como camareira em um cruzeiro na costa da Itália e desapareceu na sexta-feira passada, se jogou do navio, segundo a assessoria do Itamaraty.

A informação teria sido dada pela Capitania dos Portos de Catania ao Consulado Geral do Brasil em Roma.

Segundo o Itamaraty, as câmeras do navio Costa Magica registraram imagens da jovem subindo ao convés e se atirando ao mar após minutos de hesitação, às 2h de sábado. Ela foi vista pela última vez na sexta.

O desaparecimento da brasileira havia sido relatado pelo namorado dela, que disse não ter encontrado a jovem na cabine que dividiam. O navio, que possui 1.358 camarotes, estava atracado em Catania e foi inspecionado na tentativa de localizar a brasileira.