Valor médio de presentes para o Dia das Crianças passa dos R$ 120 em Natal e Mossoró, aponta pesquisa da Fecomércio RN

Além do apelo emocional, o Dia das Crianças é uma das datas comemorativas que mais movimentam o setor do comércio neste segundo semestre. Diante disso, há seis anos o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte (Fecomércio RN) realiza a pesquisa de intenções de compras para o Dia das Crianças em Natal e em Mossoró.

Em Natal, 65% dos consumidores pretendem presentear neste Dia das Crianças. O valor é 2,1 pontos percentuais a mais do que em 2018, quando a intenção de compras era de 62,9%. Em Mossoró, o que irão presentear este ano somam 63,1% (contra 62,2% em 2018). Entre os que não vão presentear este ano, as alegações variam entre: não ter quem presentear (Natal – 54,1%; Mossoró – 61,1%); a falta de dinheiro (Natal – 30,7%; Mossoró – 32,4%); e vão poupar (Natal – 5,2%; Mossoró – 3,2%).

Perguntados sobre quanto pretendem gastar com os presentes, tanto natalenses quanto mossoroenses devem desembolsar mais do que no ano passado. O gasto médio do consumidor natalense deve ser de R$ 132,21, 6,4% maior do que em 2018, quando o gasto médio foi de R$ 124,23. Já o gasto médio do mossoroense deve ser de R$ 121,53, valor 5,5% maior que o do ano passado, quando os consumidores gastaram uma média de R$ 115,22.

Em Natal, o perfil dos consumidores que vão comprar presentes é, em sua maioria, de homens (65,4%), com idade entre 35 e 44 anos (76,1%) e com renda familiar acima de dez salários mínimos (72%). Em Mossoró, a maior parte também é de homens (65,1%), com idade entre 25 e 34 anos (68,7%); e com renda familiar entre cinco e dez salários (69,2%).

A exemplo de pesquisas anteriores, os tipos de presentes mais procurados deverão ser os brinquedos (Natal – 52,1%; Mossoró – 61,1%); seguidos de roupas (Natal – 38,7%; Mossoró – 37%); calçados (Natal – 7,3%; Mossoró – 6,6%) e eletrônicos (Natal – 6,1%; Mossoró – 4,4%). Com relação à quantidade de presentes, a maioria dos entrevistados afirmaram que vão comprar apenas um presente (Natal – 45,3%; Mossoró – 43,4%); para presentear os filhos (Natal – 52,6%; Mossoró – 50%).

O preço dos presentes (42,5%) lidera o principal motivo de compra em Natal, seguido do desejo da criança (41%). Já em Mossoró, a situação inversa, com o desejo da criança sendo o principal motivo (49,1%) da compra, seguido do preço dos presentes (28,2%).

Na hora da escolha, a grande maioria (Natal – 65,6%; Mossoró – 74,4%) não irá levar as crianças para escolher os presentes. Quanto ao dia de compras, muitos vão deixar para comprar os presentes nesta semana que antecede o dia 12 (Natal – 65,6%; Mossoró – 70,7%). O local de compra mais procurado pelos natalenses devem ser os shoppings (43,1%), seguido do comércio de rua (42,2%). Já os mossoroenses preferem o comércio de rua (64,6%), seguido dos shoppings (25%).

A maioria dos entrevistados (Natal – 79,7%; Mossoró – 76,7%) afirmaram que irão fazer uma pesquisa prévia antes da compra dos presentes para economizar. Quanto à forma de pagamento, a maioria afirma que será à vista em dinheiro (Natal – 49,9%; Mossoró – 54,9%); seguido do cartão de crédito (Natal – 35,8%; Mossoró – 40,1%). Apenas 11,6% em Natal, e 3,5% em Mossoró vão usar o cartão de débito.

Além dos presentes, alguns entrevistados responderam que irão realizar atividades especiais na data (Natal – 38%; Mossoró – 31,1%). Entre os natalenses, 35,4% vão fazer passeios em clubes ou parques; 28% vão à shoppings; e 36,6% vão fazer outros passeios. Em Mossoró, 41,7% vão aos shoppings; 30,1% vão à clubes ou parques; e 28,2% farão outras atividades.

Valor gasto para compras no Dia das Crianças aumenta em Natal e Mossoró, diz pesquisa da Fecomércio RN

Nas duas maiores cidades do estado, os consumidores irão gastar mais de R$ 110

O Dia das Crianças, comemorado no próximo dia 12 de outubro, tem um forte apelo emocional, estimulando os consumidores a irem às compras para presentear os pequenos. A data também é a última que movimenta o comércio antes do Natal e baliza o comportamento do mercado para o final do ano. Por isso, o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio da Fecomércio Rio Grande do Norte (IPDC/Fecomércio RN), foi às ruas para mensurar o quanto será gasto em Natal e em Mossoró para o Dia das Crianças.

Na capital potiguar, 62,9% dos natalenses pretendem presentear pelo menos uma criança, um aumento de 5,4 pontos percentuais e relação ao ano passado. Esses irão desembolsar, em média, R$ 124,23 (aumento nominal de 3,9%), depois de pesquisarem os melhores valores (78,7%). Os 36,6% que não irão comprar apontam motivos econômicos ou por não haver crianças na família.

Mais de 42% dos compradores estão convictos que irão comprar apenas um item, e no topo da lista da preferência estão os brinquedos (53,6%), seguido de roupas com 38,2%, calçados com 6,9% das intenções de compra, e eletrônicos como tablets, celulares e videogames (5,5%).

O consumidor levará em consideração na hora da compra o desejo da pessoa a ser presenteada (40,8%) e o preço do presente (34,1%). Além da qualidade do produto (19,4%) e os descontos/promoções (10,7%). A pesquisa do IPDC da Fecomércio apresenta que promoções (40,6%), o atendimento (28%) oferecido pelo estabelecimento e os descontos (25,8%) podem ser grandes diferenciais para as lojas atraírem mais clientes nesse Dia das Crianças.

O principal meio de pagamento que os consumidores natalenses pretendem utilizar é a modalidade à vista no dinheiro, seguido pelo cartão de crédito de forma parcelada, comprando tanto no comércio de rua (43,5%), ou em shoppings (43,2%).

Segundo os dados, em 63,3% dos casos, os próprios adultos escolherão o que comprar, sem deixar a decisão por conta dos homenageados da data, uma forma de garantir a compra já planejada. Por outro lado, 36,7% farão a compra em conjunto com a criança.

O Dia das Crianças costuma movimentar também o setor de serviços. Para 34,5% dos entrevistados pretendem realizar algum passeio com os pequeninos na data. O que irá determinar a escolha do local são: diversão/lazer (57,8%), local que a criança escolheu (16,4%), preço (12,3%), atendimento (7,4%) e segurança do local (3,7%).

Mossoró

O Instituto de Pesquisa da Fecomércio foi até Mossoró para saber a intenção de compras para o Dia das Crianças na capital do Oeste. No levantamento, 62,2% dos consumidores irão presentear as crianças com brinquedos (56,6%), roupas (33,8%), calçados (9%), aparelhos/jogos eletrônicos (4,2%). Outros 6,1% ainda estão indecisos quanto aos itens que irão comprar, porém a maioria dos entrevistados (44,7%) pretendem comprar um item.

O valor médio de gasto com presentes será de R$ 115,22, maior, nominalmente, se comparado ao ano passado, que foi de R$ 109,32 (aumento de 5,4% na comparação). Grande parte dos entrevistados (63,6%) pagará pelo presente à vista, principalmente em dinheiro (60,4%) ou no cartão de débito (3,2%).

O que vai influenciar na definição do presente são os seguintes fatores: desejo da criança com 43,1% das intenções, o preço com 37,9%, e a qualidade do produto com 12,9%, seguida da política de descontos com 11,6%. Para garantir o consumidor, o empresário deve caprichar nas promoções (45,4%), bom atendimento (37,8%), descontos na hora da compra (19,4%). Além disso, o levantamento constatou que oito em cada dez (79,8%) dos consumidores planejam realizar pesquisa de preço antes de efetivar as compras relacionadas a data.

Sobre as comemorações, 65,4% dos mossoroenses não planejam celebrar a data com realização de passeio.

Os relatórios completos podem ser acessados no link: http://fecomerciorn.com.br/pesquisas/.

Pesquisa da Fecomércio RN aponta gasto médio superior a R$ 78 nas compras de Páscoa dos natalenses

Levantamento do IPDC aponta intenção de compra dos produtos para a data comemorativa e destaca, ainda, que consumidores irão pesquisar antes de adquirir os tradicionais chocolates.

Os natalenses querem presentear familiares e amigos no Domingo de Páscoa, mas para isso irão pesquisar os valores do principal produto ligado à data: o chocolate. No levantamento desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio RN), 71,2% dos natalenses irão buscar os melhores preços, antes de fazer a compra de chocolates. O estudo coletou 650 entrevistas, entre os dias 19 a 22 de fevereiro, nas quatro zonas urbanas de Natal.

Neste ano, 66,9% da população pretende comprar algum presente de Páscoa, um aumento de 0,02% em relação ao dado coletado em 2015, que registrou 65,8%. A maioria dos cidadãos, 44,5% dos entrevistados, querem gastar até R$ 50; 40,6% podem desembolsar de R$ 51 a R$ 100; outros 11,2% esperam gastar entre R$ 101,00 e R$ 200,00; e os 3,6% restante irão às compras com o intuito de desembolsar acima de R$ 200,00.

O preço médio do presente pretendido pelo consumidor natalense para as compras de Páscoa é de R$ 78,80. Esta média de gastos é menor do que a registrada pela mesma pesquisa em 2015, que havia sido de R$ 93,07. A intenção dos natalenses é comprar à vista, em dinheiro ou no cartão de débito, visando reduzir dívidas futuras.

Mais de 30% dos consumidores não irão comprar nenhum artigo da data comemorativa, cujos motivos são: falta de dinheiro, intenção de economizar, desemprego e contas a pagar.

“Mesmo com uma situação de crise financeira generalizada e cortes de gastos no orçamento familiar, o natalense quer presentar família e amigos com algum produto nesta Semana Santa. Essa intenção de compra anima o comércio da capital, que está se reinventando para superar os efeitos da crise”, analisou o presidente da Fecomércio RN, Marcelo Fernandes de Queiroz.

Entre os consumidores que pretendem comprar, o principal produto procurado está relacionado ao setor de chocolates (95,9%), seguido pelo setor de vestuário/calçados (6,5%) e pelos brinquedos (2,1%). Os maiores beneficiados com presentes serão filhos (42,5%); sobrinhos (18,4%); pais (18,2%); esposo (a) (15,6%); namorado (a) (10,3%); netos (8%); irmãos (7,1%); amigos (5,5%) e afilhados (5,3%).

No setor de chocolates, o produto mais visado pelos consumidores são os ovos de Páscoa, com 71,5%, seguido das caixas de bombons (22,3%) e barras de chocolate (6,5%). Um segmento que merece destaque são as cestas e chocolates caseiros, que totalizaram 2,4% das intenções de compra.

Pescado e Viagens

O setor de pescado potiguar também será movimentado durante a Semana Santa, já que, conforme a tradição da Igreja católica, na Sexta-feira Santa não é aconselhado o consumo de carne. Quase 79% dos natalenses irão consumir peixes e crustáceos no período, planejando um gasto médio de R$ 61,28.

O turismo também é impactado com o feriado da Semana Santa e estimula os potiguares a viajarem. 25,5% dos cidadãos vão viajar, sendo 53,3% para interior, 29,3% para o litoral potiguar e 17,4% para outros estados.

Entre os que pretendem viajar na data, 43,7% devem desembolsar até R$ 200,00 com a viagem; 37,7% entre R$ 201,00 e R$ 300,00; e 18% acima dos R$ 500,00.

“São valores interessantes que ativarão os setores de transporte, hospedagem, alimentação e diversão”, completou Queiroz. A maioria dos viajantes pretende se locomover de carro (69,5%), enquanto ônibus aparece como segunda alternativa (19,2%). O percentual dos que pretendem viajar de avião é de 4,2%.

A pesquisa do IPDC pode ser acessada na íntegra no site da Fecomércio (www.fecomerciorn.com.br).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cláudio disse:

    Eu mesmo não vou gastar um tostão.

  2. FRASQUEIRINO disse:

    KKKKKK FECOMÉRCIO!!! AHHH A FECOMÉRCIO….SÓ DIVULGA NÚMEROS OTIMISTAS, MAS QUEM PERCORRE A RIBEIRA E A CIDADE ALTA ENCARA UMA REALIDADE TOTALMENTE DIFERENTE COM VÁRIAS LOJAS FECHADAS.

  3. Gercivan oliveira disse:

    Pesquisa da Fecomercio!!!!!!
    Prefiro acreditar em papai Noel, mula sem cabeça, saci Pererê, e político honesto no Brasil.