79% dos brasileiros acreditam que a economia será muito afetada pela crise do coronavírus, aponta Datafolha

Pesquisa Datafolha publicada nesta terça-feira (24) pelo jornal “Folha de S.Paulo” aponta que a maioria dos brasileiros acha que a economia será muito afetada pelo coronavírus e quase um terço dos entrevistados entende que a vida financeira pessoal será prejudicada. Mais da metade está certa que a renda pessoal vai diminuir.

O Datafolha entrevistou 1.558 pessoas por telefone celular entre quarta-feira (18) e sexta (20). A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Veja abaixo os resultados de acordo com as perguntas feitas aos entrevistados:

A economia será afetada pela pandemia?

Muito afetada:79%
Um pouco afetada: 16%
Nada afetada: 3%
Não sabe: 3%

O surto do coronavírus prejudicará a economia do Brasil?

Por muito tempo: 50%
Por pouco tempo: 44%
Não irá prejudicar: 3%
Não sabe: 4%

O surto prejudicará sua vida financeira pessoal?

Por muito tempo: 28%
Por pouco tempo: 45%
Não irá prejudicar: 24%
Não sabe: 3%

Sua renda diminuirá nos próximos meses por causa do coronavírus?

Sim: 57%
Não: 43%
Não sabe: 0%

Poderá trabalhar em casa durante o surto?

Sim: 46%
Não: 54%

Tem perspectiva de ficar sem trabalho e renda?

Entre os mais pobres: 60%
Entre os mais ricos: 25%

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tonhão Marreta disse:

    Não tem credibilidade esse instituto, assim como alguns meios de comunicação, trabalham para produzir pesquisas com resultado favorável ao contratante. Qual o nível de acerto do datafolha e ibope nas últimas eleições? Sem credibilidade, tenho dito e as pesquisas produzidas por eles atestam isso.

  2. Tereza disse:

    Eis o resultado da corrupção dos governos anteriores.

    • Ricardo Lúcido disse:

      Ei Tereza ! Terezinha ! Teca ou TÊTÊ . Você está sonhando . A ara sabe quem é o presidente ? Passado é passado , justificativas desse tipo não valem . Acorde mulher .

Coronavírus nas superfícies: estudo aponta que plástico e aço ampliam a sobrevida

Foto: Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/Handout via Reuters

Um estudo publicado na terça-feira (17) na revista científica “New England Journal of Medicine” afirma que o coronavírus responsável pela doença Covid-19 consegue sobreviver até 3 dias em algumas superfícies, como plástico ou aço.

O estudo foi realizado por cientistas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), da Universidade da Califórnia, de Los Angeles e de Princeton. O trabalho avalia a resistência do vírus em cinco materiais diferentes, e mostra que o novo coronavírus fica “mais estável” em plástico e aço inoxidável, que são materiais bastante utilizados no dia a dia da população.

Veja o tempo de sobrevivência do novo coronavírus em cada material, de acordo com este estudo.

Sobrevida do coronavírus em cinco superfícies e materiais — Foto: Arte/G1

Aço inoxidável: 72 horas
Plástico: 72 horas
Papelão: 24 horas
Cobre: 4 horas
Aerossolizada/ Poeiras: 40 minutos a 2:30 horas

A pesquisa simulou pessoa tossindo ou espirrando usando um nebulizador, e descobriu que o vírus se tornou uma espécie de poeira – suas partículas ficam suspensas no ar – tornando-o detectável por quase três horas.

Segundo a AFP, um artigo feito por cientistas chineses descobriu que uma forma aerossolizada do novo coronavírus estava presente nos banheiros de pacientes de um hospital de Wuhan. Segundo estudos, o novo coronavírus é eliminado nas fezes.

Ainda segundo a agência, uma forma aerossolizada de SARS foi responsável por infectar centenas de pessoas em um complexo de apartamentos em Hong Kong, em 2003, quando uma rede de esgoto vazou para um ventilador de teto, criando uma fumaça carregada de vírus.

Comparativo entre Sars

Por isso, o estudo norte americano, comparou o tempo de sobrevivência do vírus SARS-CoV-2 e do SARS-CoV-1. O primeiro é o coronavírus, responsável pela Covid-19. O segundo, é o vírus que provoca a Influenza. Os vírus foram testados por 7 dias em diferentes superfícies a uma temperatura entre 21 e 23ºC, com 40% de umidade.

A comparação entre os dois vírus demonstrou que eles possuem características semelhantes, apesar de, em algumas superfícies, variar o tempo de sobrevivência.

“Isso indica que as diferenças nas características epidemiológicas desses vírus provavelmente surgem de outros fatores, incluindo altas cargas virais no trato respiratório superior e o potencial de pessoas infectadas com SARS-CoV-2 transmitirem o vírus enquanto assintomáticas”, aponta o estudo.

Sobre os velhos coronavírus e suas resistências

Em um outro trabalho, realizado por pesquisadores da Universidade de medicina de Greifswald, na Alemanha, foi feita a revisão de estudos já divulgados sobre os outros tipos de coronavírus o SARS-CoV e o MERS-CoV.

Neste estudo, foi verificado que estes vírus sobrevivem da seguinte maneira as superfícies:

Aço – a 21°C – 5 dias
Alumínio – a 21°C – 4 a 8 horas
Vidro – a 21°C – 5 dias
Plástico – temperatura ambiente – 2 a 6 dias
PVC – a 21°C – 5 dias
Borracha de silicone – a 21°C – 5 dias
Luva de latex – a 21°C – 8 horas
Cerâmica – a 21°C – 5 dias
Teflon- a 21°C – 5 dias

Segundo o estudo, que ainda não tem os resultados do novo coronavírus, em diferentes tipos de materiais, ele pode permanecer infeccioso por entre 2 horas e até 9 dias. Como o estudo considerou diferentes tipos de coronavírus, observou-se que alguns deles têm menos resistência a temperatura mais alta, como 30°C ou 40 °C.

Entendendo o vírus

Flavio Fonseca, virologista e integrante do centro de pesquisa em vacinas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) explicou ao G1 que o tempo de sobrevida do vírus depende, também, do material orgânico que ele tem contato.

“Uma gotícula de saliva, por exemplo, ela não tem só água, ela tem proteínas da saliva. Uma gotícula de secreção respiratória tem muco, que tem proteína, tem resto de célula. Todo esse material orgânico protege o vírus. Esse material orgânico consegue formar uma capa ao redor do vírus. Quando tem muco, catarro, essas coisas, o vírus fica viável por muito tempo, em qualquer superfície, é claro que se a superfície for porosa ele pode durar muito mais” – Flavio Fonseca, virologista e integrante do centro de pesquisa em vacinas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

O professor Júlio Borges, do Grupo de Bioquímica e Biofísica de proteína da Universidade de São Paulo(USP) de São Carlos, explica que o tempo de sobrevivência dos vírus é variável e depende do tipo, da superfície e das condições ambientais.

“Quando o vírus é exposto ao ambiente ele sofre desidratação e isto pode ocasionar danos à estrutura das biomoléculas e levá-lo ao desmonte e à sua inviabilidade em infectar as células do hospedeiro” – Júlio Borges, do Grupo de Bioquímica e Biofísica de proteína da Universidade de São Paulo(USP) de São Carlos.

O professor ressalta a importância da constante higienização das superfícies com desinfetantes em geral: álcool em gel 70%, água sanitária, sabão.

Bem Estar – G1

 

Primeiro exame aponta que Bolsonaro está com coronavírus, diz colunista

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O colunista Leandro mazzini, do jornal carioca “O Dia”, informa hoje em sua coluna “Esplanada” que o primeiro teste do presidente Jair Bolsonaro para o coronavírus deu positivo. O resultado da contraprova será divulgado nesta sexta-feira. Por enquanto, o governo ainda não divulgou qualquer informação sobre o caso.

Nesta quinta-feira o presidente fez uma transmissão ao vivo nas redes sociais dizendo que ainda aguardava os resultados. Ele, o ministro da saúde, Henrique Mandetta, e a responsável pela tradução em libras estavam com máscaras de proteção.

O Tempo, com O Dia

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Natal disse:

    Já estaodivukgando mentira ese jornal dos petralhas será da Globo

  2. Calixto Silva disse:

    Já era pra ter atualizado a notícia, acabei de ler no portal agora RN que é de esquerda, que o segundo exame deu negativo para o covid-19 ,o presidente Bolsonaro não está infectado pelo covid-19, bg já era pra ter atualizado a notícia assim como ele deu com tanta pressa que presidente estava com o covid-19.

  3. Dilermando disse:

    Ainda bem! Já estava com pena do pobre do vírus!

    • Guilherme disse:

      Em um futuro próximo, lembra-te do que tu andas semeando, besta quadrada!

  4. aof disse:

    Ainda não foi dessa vez. O choro é livre. Cuidado com a recompensa divina: essa não falha. O Presidente não tem coronavirus.

  5. Giba disse:

    Tudo que ele desejou ao Lula e a Dilma desejo em dobro pra ele

  6. Manoel disse:

    Uma facada elegeu Bolsonaro, agora o coronavírus vai fazer dele o maior político do mundo.

  7. Cidadão disse:

    Q o nosso BOM DEUS perdoe essa esquerdalhas❗️

  8. João disse:

    "desejo que Dilma morra infartada ou com câncer" .
    Não fiquem preocupados, gado!
    Não é a febre aftosa…é só uma gripe forte..nada demais…

  9. Bruno disse:

    Deus o elimine

  10. Junior disse:

    Agora fudeu tudo!

  11. Marcos disse:

    Tem que colocar toda a tripulação e os passageiros que viajaram no avião presidencial em quarentena. Todos devem ser observados e isolados. É uma questão de segurança nacional e de saúde pública.

  12. João disse:

    Grande dia!

    • Silva disse:

      Cuidado com as palavras. Que Deus abençoe a vc e ao nosso Presidente.

    • Guilherme disse:

      Infelizmente, esse é o "nível"! Que você e os seus recebam em dobro esse "grande dia"!

    • Joao disse:

      "desejo que Dilma morra infartada ou com câncer" alguém lembra, ou só eu?

    • realista disse:

      cara vc não tem família não ? , cara não misture as coisas , não é pq vc não gosta do político que vc vai desejar o mau do ser humano , cuidado com a lei do retorno.

    • Natanael disse:

      Eita o mundo dos corruptos e bandidos em festa…
      Os idólatras de ditadores sorrindo…
      A turma do quanto pior melhor pra nós em êxtase…
      Os torcedores do pior para o Brasil delirando…

    • Rômulo© disse:

      Não se anime, João! Nem Satanás quer que esse Diabo volte agora para o inferno!

    • Rio disse:

      Os chorões do Pinguço Trambiqueiro só sabem espalhar mentiras…….O choro é livre.

Ministério da Justiça vazou para ‘Rei Arthur’ em 2017 pedido de prisão feito aos EUA, aponta Lava-Jato

 Foto: Reprodução/TV Globo

Acusado de pagar propina na compra dos votos para os Jogos Olímpicos de 2016, o empresário Arthur Soares de Menezes, o “Rei Arthur”, tomou conhecimento de seu pedido de prisão quase duas semanas antes da operação Unfairplay ter sido deflagrada, em 5 de setembro de 2017. Ele não foi encontrado e seu nome passou a figurar na lista de procurados da Interpol. Após saber do pedido, Arthur voou no mesmo dia de Portugal para os Estados Unidos, onde firmou acordo de colaboração premiada que impediu a sua deportação para o Brasil.

A afirmação é do sócio de Arthur no LSH Hotel, Ricardo Siqueira Rodrigues, em delação premiada firmada com Ministério Público Federal (MPF). Segundo ele, o vazamento aconteceu quando Astério Pereira do Santos, preso nesta quinta-feira na Lava-Jato por envolvimento no esquema de Sérgio Cabral, era secretário nacional de Justiça e teria feito com que a informação chegasse a Arthur, de quem era muito próximo.

No Anexo 24 de sua colaboração com o MPF, o delator afirmou que ao visitar Arthur no dia 25 de agosto de 2017, em Portugal, quando o empresário já era investigado por ligação com o esquema Cabral, estranhou a reação do sócio depois que ele atendeu a uma ligação do Brasil. Após o telefonema, Arthur viajou aos Estados Unidos no mesmo dia. Seis meses depois, Arthur confidenciou a ele durante um almoço em Miami que tinha feito acordo de colaboração com o Departamento de Justiça Americano e que a ligação que recebera em Portugal era de uma pessoa de sua “total confiança” que o avisou de sua iminente prisão.

Arthur contou, de acordo com o delator, que a Justiça brasileira havia encaminhado o pedido de prisão via cooperação jurídica internacional para os Estados Unidos e que, “em razão disto, teria retornado aos EUA, no mesmo dia, ou no dia seguinte”, para firmar acordo de colaboração premiada com as autoridades americanas.

MPF vê proteção e blindagem

Segundo o delator, Arthur revelou que o vazamento da informação se deu por meio de pessoa de dentro do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) do Ministério da Justiça que teve acesso a documentos do pedido de prisão. E citou o nome de Astério, que por ter uma função graduada no Ministério da Justiça teria feito indicações de pessoas para o DRCI (sigla do departamento), vinculada à Secretaria Nacional de Justiça e por onde tramitou o pedido de cooperação jurídica internacional realizado pelo Ministério Público Federal (MPF) aos Estados Unidos feito em 18 de agosto de 2017, uma semana antes de Arthur ter sido avisado.

Astério foi secretário nacional de Justiça entre 23 de março de 2017 até novembro de 2017, durante a gestão do presidente Michel Temer.

“Muitas informações que SOARES recebia tinham como origem ofícios e comunicados que chegavam a esse departamento do Ministério da Justiça”, diz trecho da delação. “E que não só ele, como outras pessoas, recebiam informações oriundas do DRCI (sigla do departamento)”.

Em nota, o Ministério da Justiça informou que o atual comando do DRCI não pode responder por gestões passadas, mas que vai “contribuir com os órgãos judiciários para os esclarecimentos que se fizerem necessários”. O Ministério ressaltou ainda que na atual gestão não há, no quadro de funcionários do departamento, indicações do ex- secretário Astério Pereira do Santos.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chico disse:

    Não foi só esse vazamento não, luladrão também recebeu informações, inclusive foi quando os canalhas cogitaram ele pra ministro, evitando a prisão. Até muitos documentos não foram possível confiscar por esses vazamentos.

Feminicídios têm queda de 30% em 2019 no RN, aponta levantamento

Foto: Reprodução/G1

Um levantamento do Monitor da Violência, do portal G1, baseado em números oficiais de todos os estados brasileirosrevela que o número de feminicídios diminuiu 30% no Rio Grande do Norte, ao longo de 2019, na comparação com o ano anterior. Ao todo, 21 mulheres foram mortas no estado pelo fato de serem mulheres. Em 2018, foram 30. A quantidade de feminicídios do estado também foi a menor desde 2015, quando a lei brasileira passou a considerar este tipo de crime. Os dados locais estão na contramão do país, que apresentou crescimento de 7,3% na comparação com 2018.

O levantamento faz uma ressalva, que, apesar disso da redução, o estado ainda tem a mesma taxa de mortalidade que a média nacional: 1,2 vítimas de feminicídio a cada 100 mil mulheres.

Desde 9 de março de 2015, a legislação prevê penalidades mais graves para homicídios que se encaixam na definição de feminicídio – ou seja, que envolvam “violência doméstica e familiar e/ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher”. Os casos mais comuns desses assassinatos ocorrem por motivos como a separação.

Reportagem na íntegra aqui.

Aventura ou insegurança? Pesquisa aponta motivos para traição no carnaval

Foto: Ilustrativa

Todo início de ano o carnaval levanta as seguintes questões nos relacionamentos: Por que trair no carnaval , quando existe a opção de terminar o relacionamento? Por que mentir para curtir o carnaval, se existe a possibilidade de abrir o coração outra vez e mudar o rumo da sua vida? Encontrar essas respostas levam para outra pergunta: Por que terminar com o parceiro, quando tudo que a pessoa deseja é apenas um amor de carnaval, ou seja, passageiro?

As condutas morais não passam de regras éticas que visam orientar o comportamento coletivo, e que ignoram a felicidade e as particularidades de cada um. O desejo de trair dentro de um relacionamento e, principalmente, casamento, é algo que pesa.

Segundo pesquisa da Second Love, 6 em cada 10 mulheres que procuram um amante durante o período carnavalesco, não querem se divorciar; mas querem ter uma aventura, sentir emoções, ou seja, uma diversão passageira e não um compromisso com alguém.

Em outro cenário, em um relacionamento estável e duradouro, por exemplo, regendo uma família feliz e cumprindo inúmeros papéis exigidos – mulheres e homens apaixonados, mães e pais cuidadosos -, a diversão acaba sendo deixada ‘de lado’.

Caso juntarmos tudo isto com a rotina e a monotonia das relações monogâmicas de longa duração, a vontade de ir em um bloquinho de carnaval ou dar uma fugidinha de casa acaba surgindo inevitavelmente.

A Second Love realizou uma consulta com os usuários e listou alguns motivos que alimentam o desejo de trair durante o carnaval e outros pelas quais o término da relação não é desejado, mesmo com o desejo de se divertir livremente durante esse período.

Durante o carnaval, a traição ocorre, pois:

– Cerca de 50% que são infiéis, sentem-se atraídos por outras pessoas;
– 68% das mulheres confessam a necessidade de sentirem desejadas novamente;
– 25% das mulheres referem-se à necessidade de uma aventura por viverem um relacionamento sem sexo;
– Mais de 80% dos homens traem devido à falta de sexo com a justificativa de ter mais frequência e variedade;
– Nos relacionamentos a longo prazo, corpo e sexo acabam se tornando secundários;
– É uma oportunidade para experimentar momentos de fantasia e exaltação;
– Sentem necessidade de correr riscos e experimentar níveis altos de adrenalina.

Mais de 70% dos usuários confessam que não planejam terminar o relacionamento para curtir o carnaval, pois:

– Ainda amam seus parceiros;
– Valorizam a harmonia familiar;
– Muitos casais mantêm um acordo para se relacionar abertamente;
– Não querem outro parceiro, apenas uma diversão durante o período de carnaval .

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Toni disse:

    LEGAL MUITO LEGALLLLLLL!!!!!!!! PEGA O DEDO E ARRRRGGGG!!!!!!!!!

  2. gustavo disse:

    Interessante!

Aprovação de Bolsonaro cresce e atinge 50% dos brasileiros, aponta pesquisa Veja/FSB

Foto: Alan Santos / Planalto

A popularidade do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cresceu nos últimos dois meses e, pela primeira vez desde agosto do ano passado, atinge 50% dos entrevistados, aponta levantamento Veja/Instituto FSB.

Divulgada nessa quinta-feira (13), a pesquisa ouviu 2.000 eleitores, entre os dias 7 e 10 de fevereiro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

De acordo com os dados divulgados, 50% dos brasileiros aprova a forma como o presidente governa, 6% nem aprova nem desaprova e 44% desaprova. Apenas 1% não soube ou quis responder.

Este é o melhor resultado de Bolsonaro entre os quatro levantamentos bimestrais Veja/Instituto FSB, que começaram em agosto do ano passado. Nas pesquisas anteriores, o militar permaneceu com 43-44% de aprovação, enquanto sua reprovação variou de 46-48% do total.

O número de pessoas que considera o governo bom ou ótimo também cresceu, em relação aos levantamentos anteriores, passando de 12% e 19%, respectivamente, para 14% e 22%. Já o que classifica a gestão do militar como péssimo sofreu uma redução, indo de 26% para 22%.

Outro indicativo que demonstra uma melhora na imagem do presidente é o que mensura o alinhamento de expectativa do eleitorado, que atingiu o maior nível positivo na série histórica.

Em comparação com a última pesquisa, em dezembro de 2019, os que achavam que o governo seria muito melhor que o esperado eram 8% dos entrevistados, esse número passou para 10%. O número de pessoas que achavam que ia ser um pouco melhor que o esperado também cresceu, passando de 21% no fim do ano passado para 26% neste mês.

Combate ao desemprego

Um dos principais problemas enfrentado pelo governo, o combate ao desemprego, que permanece alto, atingindo 11% da população, se consolidou na terceira posição entre as áreas mais bem avaliadas da atual gestão, ficando atrás somente de Combate à corrupção e Segurança.

ÍNTEGRA DA PESQUISA AQUI.

Congresso em Foco, UOL

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zwylder disse:

    Os mortadela pira…

  2. Petralha disse:

    Rapz…esse presidente Fdp, vivia dizendo que as irmãs eram adulteradas, quando ganhou ficou calado!igual o eleitorado dele, pq não diz que a pesquisa é fake!

  3. Silvia Scuccuglia disse:

    Com certeza, o verdadeiro resultado deve ter chocado tanto que resolveram divulgar 50% como consolo para os bolsonaristas…

  4. José aldomar disse:

    Quando as pesquisas dão ruim eh fake quando dão boa não eh fake

  5. Cidadão Atento disse:

    SE FOSSE O CONTRÁRIO ESSA PESQUISA NÃO ERA VERDADEIRA. mAS COMO NOS FAVORECE, ELA É A PURA EXPRESSÃO DA VERDADE.
    ESSAS PESQUISAS ENCOMENDADAS PARA CRIAR CORTINAS DE FUMAÇA EM ÉPOCAS DE GRANDES DESGASTES SÃO UMA VERDADEIRA PIADA.
    PERGUNTAR NÃO OFENDE: Qual a validade e veracidade desse instituto Veja/Instituto FSB?
    No artigo não vemos onde e sob que número essa pesquisa foi registrada, qual a metodologia, onde foi realizada, entre outros "DETALHES" tão pequenos para nos ajudar a diferenciar as notícias dos Fakes, tão comuns nesses tempos sombrios onde verdadeiras fábricas são montadas e mantidas pelo sistema, dentro de gabinetes e com verbas públicas, para criar FAKES NEWS em série.

  6. Bento disse:

    Isso já tinhamos certeza.
    E achamos que passa dos 70%.
    Enquanto isso em Roma o sapo barbudo foi canonizado.
    São ladrão

Seguro-desemprego: CGU aponta R$ 149 milhões em pagamentos suspeitos de irregularidades

Foto: Reprodução/TV Globo

O governo federal pode ter pago indevidamente R$ 149 milhões em seguro-desemprego ao longo de 2018. A constatação é da Controladoria-Geral da União (CGU), que cruzou dados de pagamento do benefício com cadastros do próprio governo federal e identificou possíveis inconsistências e irregularidades. Os resultados da auditoria se tornaram públicos na quarta-feira (12).

Segundo a CGU, cerca de R$ 3,3 milhões foram pagos a 826 pessoas que já constavam como mortas antes mesmo do requerimento do benefício. Outros R$ 36,8 milhões foram pagos a mais de 28 mil pessoas que já recebiam benefícios do INSS, que por lei não podem ser acumulados com o seguro-desemprego.

Foi o caso, por exemplo, de 14,7 mil pessoas aposentadas por tempo de contribuição. Outros R$ 4 milhões foram destinados a pessoas cuja empresa empregadora já estava fechada antes da data de requerimento do benefício.

A maior parte dos pagamentos potencialmente irregulares, no entanto, foi feita a pessoas demitidas por justa causa e que, por isso, não teriam acesso ao benefício. Foram R$ 105,2 milhões, pagos a 26,5 mil trabalhadores.

“Os fatos descritos demonstram que existem fragilidades no processo de avaliação e de pagamento de Seguro Desemprego”, afirma a CGU no relatório.

Segundo os auditores, é possível que parte destes pagamentos estejam relacionados a decisões judiciais não-registradas nos sistemas inspecionados, mas informações pedidas à Secretaria de Previdência sobre o tema não foram entregues até a auditoria ser finalizada.

A conclusão da CGU foi pela necessidade de melhorias no cruzamento de informações.

“A implementação de controles automatizados (…) é necessária para evitar a realização de pagamentos indevidos e viabilizará a melhoria do gasto público, com economia de recursos e aprimoramento da execução da política pública”, conclui o documento.

Secretaria questionou conclusão

Durante a auditoria, a Coordenação-Geral de Gestão de Benefícios (CGGB) da Secretaria de Previdência se manifestou contrária às conclusões dos auditores. O órgão contestou a metodologia da CGU, divergindo quanto ao cruzamento de dados feito, e afirmou que não ficou comprovada a realização de pagamentos indevidos.

Em alguns casos, afirmou que os valores pagos estão sendo cobrados dos beneficiários após checagens posteriores.

A CGU, entretanto, não aceitou completamente os argumentos. Os auditores apontaram casos em que, seguindo as informações da CGGB, as inconsistências persistiam.

Os auditores também afirmam no relatório que quem deve comprovar a inadequação ou não dos pagamentos é o gestor fiscalizado, mas mantiveram a recomendação para que os responsáveis estabeleçam “um plano de ação visando apurar as situações de seguro desemprego potencialmente irregulares apontadas neste relatório, providenciando, para os casos pertinentes, a devolução dos valores recebidos.”

G1

 

Detran aponta aumento nos emplacamentos de veículos zero no RN em 2019; frota de 44.695 automóveis e 2,9%(+) em comparação com 2018

Foto: Divulgação/Detran

Durante o ano de 2019 a frota de veículos zero quilômetro do Rio Grande do Norte contou com um acréscimo de 44.695 automóveis. Os dados levantados pelo setor de Estatística do Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) mostram que a quantidade de emplacamentos de novos veículos teve uma alta em relação ao ano de 2018, contabilizando um aumento de 2,9%.

Em tabela comparativa, o relatório mostra que dos 12 meses de 2019 em cinco deles a quantidade de emplacamentos de veículos zero quilômetro foi menor do que no ano anterior, porém nos meses de fevereiro, maio e junho o crescimento comparativo com o mesmo período do ano anterior ultrapassou os 8%, chegando a uma retomada amplificada nos meses de outubro e dezembro, quando a evolução dos processos de emplacamento subiu de maneira significativa quando comparado aos mesmos meses do ano anterior, alcançando índices de 15,7% e 16%, respectivamente. Em média, aproximadamente 3.725 veículos zero quilômetros entraram mensalmente na frota do Rio Grande do Norte no decorrer do ano de 2019.

Os dados apontam para uma retomada significativa no registro de veículos zero quando avaliamos que na relação dos anos de 2017-2018 o acréscimo de automóveis novos no Rio Grande do Norte foi de apenas 0,1%, o que em números absolutos representou um aumento de 48 veículos. Já no comparativo 2018-2019 o crescimento de 2,9% apontou para 1.266 veículos zero a mais, ou seja, um acréscimo superior a 26 vezes em relação ao comparativo 2017-2018.

Nessa situação, as informações estatísticas mostram que a frota de veículos do Rio Grande do Norte vem num crescente a cada ano. Em meados de 2014 a quantidade de automóveis em circulação no estado bateu a marca de um milhão e agora em fevereiro de 2020 o dado atual aponta para 1.346.838 veículos cadastrados no sistema de informações do Detran. Foram quase 347 mil automóveis inseridos no estado em cinco anos e meio.

Natal continua no topo da lista quando comparada com os demais municípios do Estado, alcançando a soma de 218 mil veículos, o que corresponde a 31,03% de toda a frota automotiva do RN. Mossoró vem na vice-liderança com quase 170 mil (12,59%) e logo em seguida se apresenta Parnamirim, somando cerca 110 mil (8,16%) veículos.

Tabela 01: Distribuição de frequência dos veículos zero km que entraram para a frota do RN estratificados por mês e nos anos de 2017, 2018 e 2019.

Fonte: Setor de Estatística, DETRAN/RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fátima gopi disse:

    O problema todo é só as taxas que são gritantes e desproporcional a realidade do nosso Estado, valorws absurdos!

  2. Kid bengala disse:

    Essa governadora é topper

  3. andré disse:

    parece que tem um sinal de menos ( -2,9%) na manchete da notícia…

Decolar aponta crescimento da procura por Natal no período carnavalesco

FOTO: EMPROTUR

O levantamento realizado pela Decolar – maior empresa de viagens online do Brasil e América Latina – aponta Natal, capital do Rio Grande do Norte, como a 6ª cidade mais procurada para o Carnaval 2020. A pesquisa mostra que a cidade subiu quatro posições em relação a 2019, quando foi a 10º capital mais buscada do Brasil para o período carnavalesco.

De acordo com a pesquisa, entre as capitais do Nordeste, Natal está atrás apenas de Salvador e Fortaleza, tendo superado Maceió e Recife em consultas.

“O crescimento de Natal no ranking das capitais mais procuradas para o Carnaval é um claro reflexo de que as ações da Secretaria de Turismo, como o incrementando a malha aérea, e as atividades da EMPROTUR promovendo o destino em todo o país estão surtindo efeito”, relatou a secretária Aninha Costa, à frente da SETUR. “Esperamos que Natal seja apenas a porta de entrada desses turistas para explorarem mais roteiros em nosso estado.

“O lançamento do site promocional Tudo Começa Aqui, o investimento em marketing turístico digital e as campanhas realizadas pela Empresa de Promoção são alguns dos fatores importantes para o crescimento da busca pelo RN”, afirmou o presidente da EMPROTUR, Bruno Reis.

Sobre o levantamento

O indicador de Carnaval foi realizado com base nas emissões de produtos de turismo considerando a antecedência de 80 dias antes do evento, para check-in de sexta ou sábado de Carnaval. O estudo levou em consideração os destinos mais procurados para o Carnaval no comparativo 2020 e 2019.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Mais uma noticia boa
    Como é bom ter um Presidente competente e trabalhador.
    Num passado recente teve uma turma aí que se reuniam para tomar cachaca e assaltar os cofres públicos.
    E depois ainda tinham a cara de pau ao negarem tudo que são as almas mais honestas do planeta
    Tu acreditas. Kkkklllllllllkkkkkkkkkk

Pesquisa aponta Recife a melhor cidade do Nordeste para se fazer negócios, enquanto Natal amarga fim da fila

O Recife começou o ano com o título da melhor cidade para se fazer negócios do Nordeste. O posto é resultado da pesquisa Melhores Cidades para Fazer Negócios, da consultoria Urban Systems, em parceria com a revista Exame. O estudo aponta o Índice de Qualidade Mercadológica (IQM) de 100 cidades brasileiras com população acima de 100 mil habitantes, analisando quatro eixos principais: o desenvolvimento econômico (maturidade e crescimento da cidade), capital humano (qualificação profissional e formação de mão de obra), desenvolvimento social (reflexo social do desenvolvimento da cidade) e infraestrutura (o básico para o desenvolvimento de negócios. Por outro lado, neste último estudo, Natal-RN se encontra na pior colocação entre as capitais nordestinas. Em sequência, entre as melhores cidades na região foram destacadas Salvador, Fortaleza, Aracaju, Teresina, São Luis, João Pessoa, Maceió e Natal.

​O estudo é feito com base em levantamento de dados e indicadores das cidades analisadas e compreende a ponderação de cada informação em relação aos municípios analisados na pesquisa. A capital potiguar, por exemplo, não figura nem no ranking das 100 cidades no país.

Foto: Reprodução

Fonte: https://www.urbansystems.com.br/melhorescidadesparanegocios

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Edson disse:

    Com esses políticos que estão nos representando, nunca deixaremos de ser eternos provincianos!
    Vamos acordar povo potiguar!!!

  2. Oilerua disse:

    Realmente, NATAL, está muito atrasada. Existe um suposto conluio entre a Prefeitura e a Justiça, a Prefeitura com uma péssima equipe de Gestores, que impedem i crescimento dos servidores, tirando os direitos. Como podem os servidores ir ao comércio em geral gastar o dinheiro, comprando imóveis, móveis, eletrodomésticos, se estão perdendo os salários desde 2014. Se o comércio não vende, é porque não tem gente pra comprar. As lojas do centro de Natal, fechando as portas, no Alecrim, na Rua da Igreja assembléia de Deus, fechando também. Os ônibus circulando vazios. Qual a empresa que vai querer investir aqui. Se tem um procurador municipal que não negocia acordo nenhum com ninguém. Se tem um Ministério Público que não deixa construir hotéis a beira mar. Um Governo que fecha o na universidade como a U.VA. Pelo contrário, as nada vão muitas empresas embora daqui, e veremos Natal, deserta. Além de uma insegurança total.

  3. Rômulo© disse:

    Enquanto o povo continuar votando nos políticos de sempre, que fazem questão de manter Natal como uma eterna fazenda iluminada, nada vai mudar. Precisamos de pessoas visionárias para comandarem a cidade!

  4. Rui disse:

    Um município so de ASSALARIADO querendo ser RICO,e haja CARNET….kkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Assis disse:

    Só Natal tem um prefeito que não conhece a cidade

  6. Lula na cadeia sempre disse:

    Porque ??? Aquela BOSTA do hotel REIS MAGOS é exemplo vivo , qual o doido que irá investir em Natal ??? Só um desinformado, aqui existe um DIABO de gente ruim que adora o atraso

  7. João disse:

    E agora com o PT a coisa vai piorar.

    • Marcos disse:

      Tudo que é ruim é problema do PT. Tudo que é bom foi por causa de Bolsonaro. O estado a anos perdendo competitividade, Garibalde, Wilma, Rosalba, Robson e o governo do PT a um ano comandando e o problema é do PT. É de me fazer rir.

    • ALEXANDRE disse:

      A cidade do Natal- RN que é a divulgada na pesquisa tem como Prefeito Alvaro Dias do MDB ou antigo PMDB.

  8. Pedro Melo disse:

    NENHUMA NOVIDADE
    POLÍTICOS (90%) QUE SÓ PENSAM EM SI MESMOS
    POVO MESQUINHO, QUE SE ACHA RICO PORQUE COMPROU UM IMPORTADO FINANCIADO
    É MUITA PEQUENEZ NUMA PROVÍNCIA SÓ
    E MUITO MAIS

    NOSSA EVOLUÇÃO , TALVEZ NUNCA EXISTA!
    REALIDADE

Estudo da UFRN aponta que consumo do pescado é seguro

Fotos: Cícero Oliveira

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realizou a análise de peixes e crustáceos com o intuito de verificar a segurança alimentar do pescado, em virtude do aparecimento de manchas de óleo no litoral brasileiro a partir de agosto de 2019. O diagnóstico foi entregue nesta quinta-feira, 9, ao Governo do Estado e aponta que 17 espécies coletadas no litoral potiguar estão adequadas para ingestão, por não apresentarem componentes tóxicos à saúde humana.

De acordo com o coordenador da Central Analítica do Núcleo de Processamento Primário e Reúso de Água Produzida e Resíduos (NUPPRAR), Djalma Ribeiro da Silva, o resultado das análises de 17 amostras de peixes e invertebrados, coletados no dia 27 de novembro de 2019, na Colônia de Pescadores de Pirangi do Sul e Tibau do Sul, descarta o risco para a saúde do consumidor. “Esses resultados fazem parte de um esforço da UFRN, reforçando nosso compromisso com a sociedade”.

Realizado utilizando critérios qualitativos e quantitativos, o estudo observou a presença de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs), derivados que indicam a presença do petróleo. A coleta do pescado ocorreu sob a supervisão do Departamento de Morfologia da UFRN e do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), quando ocorreu a avaliação visual para detectar óleo no pescado. Em seguida, foi feita uma análise química mais detalhada para verificar a presença de HPAs, levando em consideração padrões internacionais de qualidade do pescado.

O diagnóstico mostra os resultados nas espécies da Cioba, Cambuba, Sardinha, Bicuda, Tainha, Serra-Pininga e Serra, além de lagosta (vermelha), polvo, ostra e sururu. “Os valores de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos encontrados em todas as 17 amostras analisadas encontram-se muito abaixo dos níveis de preocupação definidos pela Comissão de Regulamentação da Comunidade Europeia. Por esse motivo, é possível concluir que o consumo dos pescados e invertebrados não representa risco para a saúde”, explica o pesquisador.

Ainda segundo Djalma da Silva, a análise tomou como base os pescados dos locais mais representativos do RN, visto que do total de 34 toneladas de óleo coletadas, 31 toneladas estavam presentes no Litoral Sul. Então, por analogia, os peixes e frutos do mar dos outros locais não devem apresentar contaminação. Contudo, o pesquisador lembra que o ideal é que todo o litoral seja analisado. Nessa perspectiva, para continuar as análises nas outras colônias de pescadores, o NUPPRAR enviou proposta de financiamento e aguarda retorno.

Análise

A equipe que assinou o relatório técnico “Análises de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos em amostras de pescado coletados no litoral norte-rio-grandense – Novembro/2019” é composta por pesquisadores do NUPPRAR e do Departamento de Morfologia, entretanto, contou ainda com a participação de outras unidades da instituição de ensino, como os Departamentos de Ecologia, de Ecologia Marinha e de Oceanografia e Limnologia.

Com informações da UFRN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    É isso mesmo, coma que a Uferrenê garante. Depois não diga que foi por falta de aviso.

Desembargador aponta que “RN teria desemprego em massa” e nega liminar para suspender PROEDI em municípios

Foto: Reprodução

O desembargador do Tribunal de Justiça, Cláudio Santos, negou na manhã desta segunda-feira, 9, uma nova liminar impetrada por 8 municípios potiguares que pediam a suspensão dos efeitos de incentivo fiscal do PROEDI.

Na decisão obtida pelo Justiça Potiguar, o desembargador relata que a consequência prática do pleito antecipatório deduzido neste feito implicaria em súbita majoração da carga tributária sobre o setor industrial, o que, sem dúvidas, acarretaria a imediata oneração desta atividade no Estado.

“Como consequência, teríamos o possível fechamento de postos de trabalho, o encerramento de empresas e o desaquecimento da economia local, com a correspondente queda na arrecadação tributária. Além disso, enquanto mantidos os efeitos da decisão pretendida, não seria possível às indústrias potiguares competirem em igualdade de condições com as concorrentes situadas em outras Unidades Federadas, o que acarretaria na contínua migração de empresas e postos de trabalho aos Estados nordestinos adjacentes, comprometendo sobremaneira o parque industrial estadual. Teríamos um desemprego em massa no Rio Grande do Norte, com dezenas de milhares de postos de trabalho findos, haja vista a impossibilidade de concorrência em preços no varejo em face dos produtos semelhantes produzidos nos demais Estados.”, destacou a decisão.

Leia matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alfredo disse:

    E o desemprego viria mesmo. Nosso estado só perde competitividade em relação a nossos estados vizinhos.

  2. Beto Araújo disse:

    👏👏👏👏👏👏👏👏

  3. Carlos Bastos disse:

    Valeu Desembargador emprego em primeiro lugar.👏👏👏👏👏👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼

  4. Lopes disse:

    Prefeitos querem pegar o dinheiro para torrar com vereador e caminhonetes Hilux, enquanto as empresas, afogadas em impostos fecham as portas e demitem os verdadeiros trabalhadores.

  5. Thiago disse:

    Todos os Municípios tiveram aumento de ICMS

  6. Anti-Político de Estimação disse:

    Concordo com o Desembargador. Se existem inconsistências, as partes envolvidas devem buscar um consenso e não ficar fazendo politicagem barata pensando nas eleições de 2020.

  7. RMD disse:

    Perfeito

Vendas sobem 9,9% na semana da Black Friday, aponta Serasa

As vendas do comércio de rua e shopping centers cresceram 9,9% entre os dias 29 de novembro a 1º de dezembro, período da Black Friday, comparadas ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio. Na semana que antecede a data, entre 19 a 25 de novembro, foi registrada alta de 9,2% nas vendas.

“O resultado reflete a melhora já esperada pelo setor varejista e acompanhou o crescimento das duas últimas datas comemorativas do comércio [Dias dos Pais e Dia das Crianças]”, disse a Serasa.

Ainda segundo economistas do Serasa, “o período também foi influenciado pelo aumento em massa da renda da população com a liberação da primeira parcela do 13º salário e do saque do FGTS que, aliados à queda dos juros e da inflação, beneficiaram o varejo e impactaram positivamente as vendas da Black Friday”.

Agência Brasil

Extrema pobreza e desigualdade crescem há 4 anos; 13,5 milhões de pessoas no Brasil viviam em 2018 com até R$ 145 por mês, aponta IBGE

Fonte: IBGE

A leve recuperação econômica observada nos últimos dois anos no Brasil não se refletiu de forma igual entre os diversos segmentos sociais. Enquanto o Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas no país) cresceu 1,1% em 2017 e 2018, após as quedas de 3,5% em 2015 e 3,3% em 2016, o rendimento dos 10% mais ricos da população subiu 4,1% em 2018 e o rendimento dos 40% mais pobres caiu 0,8%, na comparação com 2017.

Com isso, o índice que mede a razão entre os 10% que ganham mais e os 40% que ganham menos, que vinha caindo até 2015, quando atingiu 12, voltou a crescer e chegou a 13 em 2018. Ou seja, os 10% da população com os maiores rendimentos ganham, em média, 13 vezes mais do que os 40% da população com os menores rendimentos.

É o que mostra a pesquisa Síntese de Indicadores Sociais (SIS) 2019, divulgada nesta quarta-feira (6), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo analisa as condições de vida da população brasileira.

O levantamento começou a ser feito em 1999, com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), e, desde 2012, passou a utilizar os dados da Pnad Contínua, ou seja, uma nova metodologia e, portanto, uma nova série histórica. Os dados divulgados hoje são referentes a 2018 e utilizam também outras informações, como a Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic) e o Sistema de Contas Nacionais.

Desigualdade

Segundo o IBGE, o aumento da desigualdade é reflexo da falta de ganho real no salário mínimo ocorrida em 2018, além da informalidade e da subutilização no mercado de trabalho, que atingem níveis recordes atualmente, com 41,4% das pessoas ocupadas nessa condição, de acordo com o gerente dos Indicadores Sociais do IBGE, André Simões.

“No mercado de trabalho, o que nós observamos é uma pequena redução na taxa de desocupação entre 2017 e 2018, juntamente com isso um pequeno aumento do rendimento do trabalho também. Apesar disso, vemos um aumento da subutilização da força de trabalho, encampado pelo aumento da proporção de pessoas com insuficiência de horas trabalhadas” disse. A subutilização passou de 15,8% em 2015 para 24,6% em 2018.

O Índice de Gini, um padrão clássico para medir desigualdade, vem subindo há quatro anos no Brasil. Em 2015, atingiu o mínimo da série histórica, com 0,524 e chegou a 0,545 em 2018. Quanto mais próximo de zero, mais igualitária é a sociedade.

Extrema pobreza

No indicador da pobreza monetária, ou seja, que leva em conta apenas a renda, o Brasil também tem apresentado piora nos últimos quatro anos. Ao todo, 13,5 milhões de pessoas no Brasil viviam em 2018 com até R$ 145 por mês, o que corresponde a 6,5% da população, após a mínima de 4,5% em 2014.

O IBGE destaca que no Brasil há mais pessoas em situação de pobreza extrema do que toda a população de países como Bolívia, Bélgica, Grécia e Portugal. Desse total, 72,7% são pretas ou pardas.

Na faixa da pobreza, considerando o rendimento per capita de até R$ 420 por mês, houve uma leve redução, passando de 26% em 2017 para 25,3% em 2018, com 52,5 milhões de pessoas. Ou seja, 1,1 milhão de pessoas deixaram essa condição na comparação anual.

O mínimo foi alcançado em 2014, com 22,8%. Por estado, o Maranhão tem a maior proporção de pobres, com 53% da população nesta condição, enquanto Santa Catarina tem a menor proporção, com 8%.

Redução da pobreza

André Simões explicou que o ingresso no mercado de trabalho é o principal meio de redução de pobreza. Porém, como os dados indicam que a faixa dos maiores rendimentos apresenta crescimento de renda enquanto os menores rendimentos estão estagnados ou com perdas, ele destacou a necessidade de outras medidas para reduzir as desigualdades sociais.

“Como é um grupo muito vulnerável e não está com uma propensão tão grande de entrar no mercado de trabalho quanto os outros grupos sociais, com rendimentos mais elevados, necessita de cuidados maiores, como políticas públicas, políticas de transferência de renda, políticas de dinamização do mercado de trabalho para que elas possam ter acesso a uma renda que as tire dessa situação de pobreza”, ponderou.

O IBGE também analisou as condições da moradia e constatou que, no total do país, 12,8% das pessoas moram em domicílios com pelo menos uma inadequação, que são a ausência de banheiro exclusivo, paredes feitas com material não durável, adensamento excessivo ou ônus muito alto com o aluguel. Na população que vive com até R$ 420 mensais, a proporção sobe para 29,3%.

Quanto à ausência de serviços de saneamento, que são a coleta de lixo, o abastecimento de água e o esgotamento sanitário, 58% dos pobres vivem com pelo menos uma dessas situações, enquanto a proporção geral é de 37,2%.

Agência Brasil

 

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Leu direitinho na reportagem? Últimos quatro anos, portanto o governo de Lula está fora da pesquisa, portanto, antes disso o Brasil ia bem melhor, no governo do perseguido Lula.

  2. Lau disse:

    O problema do pobre é que além de tudo, ele tem um tesão danado e faz menino demais. O cara chega na padaria e tem uma mulher sentada na calçada, buchuda e com três meninos pedindo dinheiro.

    • Alaca disse:

      Meuamigo, é bom demais fazer gostoso, pena que o pessoa não investe em controle de natalidade e fica com moralismo anti-aborto!

  3. Gustavo disse:

    Mas o PT não tinha acabado com a miséria? Não tinha virado tudo classe média?

  4. Ivan disse:

    2012-2018…Pense num período tenebroso!!!!! #nuncamais….

PF aponta que navio grego acusado de vazamento saiu da Venezuela; embarcação ficou atracada no país vizinho por três dias

FOTO: CARLOS EZEQUIEL VANNONI/AGÊNCIA PIXEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O navio de bandeira grega suspeito de ser a origem do óleo que atingiu praias de todos os estados da região Nordeste saiu da Venezuela, onde ficou atracado por três dias, antes do vazamento ocorrer em alto mar. Nesta sexta-feira, a Polícia Federal deflagrou uma operação em endereços ligados à empresa grega para obtenção de dados sobre a embarcação e sua tripulação.

“A embarcação, de bandeira grega, atracou na Venezuela em 15 de julho, permaneceu por três dias, e seguiu rumo a Singapura, pelo oceano Atlântico, vindo a aportar apenas na África do Sul. O derramamento investigado teria ocorrido nesse deslocamento”, afirma a Polícia Federal.

A partir de imagens de satélite, as investigações identificaram uma mancha inicial de petróleo cru a aproximadamente 700 quilômetros da costa brasileira no dia 29 de julho, de extensão ainda não calculada. Isso permitiu identificar um único petroleiro que navegou pela área suspeita na data provável do vazamento.

A PF concluiu não haver indicação de outro navio “que poderia ter vazado ou despejado óleo, proveniente da Venezuela.” De acordo com a Marinha, a embarcação chegou a ficar detida nos EUA por quatro dias, devido a “incorreções de procedimentos operacionais no sistema de separação de água e óleo para descarga no mar”.

As investigações coincidem com levantamentos de especialistas da Petrobras e da Universidade Federal da Bahia, que, embora não imputem culpa ao país vizinho, concluíram que o óleo é proveniente de campos venezuelanos. A PF afirma que o navio grego está vinculado a uma companhia de mesma nacionalidade, que não teve o nome divulgado. As investigações seguem para identificar a propriedade do petróleo transportado pelo navio.

O blog Radar adiantou que a principal suspeita do vazamento já recaía sobre navios-tanque que trafegam em alto mar sem rastreamento. É cada vez mais recorrente a prática de se desligar os transmissores para que os navios não possam ser rastreados por satélite com o intuito de burlar as barreiras e tarifas. É o chamado off transponder, que configura uma verdadeira frota crescente de “petroleiros piratas”.

Nesta sexta-feira, são cumpridos dois mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, expedidos pela 14ª Vara Federal Criminal de Natal, em sedes de representantes e contatos da empresa grega no Brasil, que não teve o nome divulgado. Foram solicitadas diligências para a obtenção de dados adicionais sobre a embarcação e sua tripulação.

“Há fortes indícios de que a empresa, o comandante e tripulação do navio deixaram de comunicar às autoridades competentes acerca do vazamento/lançamento de petróleo cru no Oceano Atlântico”, afirmam os procuradores da República no RN Cibele Benevides e Victor Mariz. Por isso, pediram os mandados de busca e apreensão.

Segundo o MPF, os responsáveis pelo vazamento devem responder nas esferas cível (com o pagamento de multas e indenização por danos morais) e penal pelo crimes de poluição e por terem deixado de comunicar o incidente às autoridades.

Desastre ambiental

O derramamento de óleo que atingiu as praias de todos os nove estados nordeste é considerado o maior do gênero em extensão. Até 29 de outubro, foram registradas manchas em 94 municípios e 264 localidades. Foram encontrados 107 animais afetados pelo óleo, com 81 mortes. Cerca de 70% dos animais contabilizados eram tartarugas marinhas.

A reação demorada e confusa ao desastre ambiental faz o governo passar do papel de vítima à condição de vilão do problema. Foi apenas em 5 de outubro, ou mais de um mês depois do primeiro sinal de alerta, que o presidente Jair Bolsonaro acionou a Polícia Federal, a Marinha e os órgãos ambientais do governo para investigar as causas do vazamento e os responsáveis por ele.

Procuradores do Ministério Público Federal na região foram à Justiça acusar o governo foram à Justiça acusar o governo de omissão e pedir que ele fosse compelido a acionar o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo, uma espécie de protocolo que lista procedimentos a ser adotados em emergências. Para o MPF, a União foi omissa ao demorar a tomar medidas de proteção ao meio ambiente e não atuar de forma articulada na região.

A crise também ganhou contornos políticos. Enquanto as manchas de óleo se multiplicavam, a conhecida animosidade do Palácio do Planalto com os governadores do Nordeste — quase todos de esquerda — ganhou novo combustível com a cobrança por um apoio efetivo de Brasília. O ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) trocou farpas com o governador baiano Rui Costa (PT) e ouviu de Paulo Câmara (PSB-PE) que a reação federal era improvisada. O chefe da pasta também atacou o Greenpeace ao sugerir que a entidade não participa dos mutirões de limpeza e insinuou.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsominion disse:

    Agora é guerra! O governo prometeu boicotar a mitologia e o iogurte gregos. E, daqui a pouco, o presida vai postar um vídeo de beijo grego, mostrando a prática que será proibida em todo território nacional.

  2. Cesar disse:

    Parabéns ao traficante de petróleo Nicolás Maduro que nos deu esse presente grego, conseguiu sujar os nossos mares com o petróleo Venezuelano, empurrando pra miséria ribeirinho, catador de caranguejo, pescador e garçom. E o irresponsável do Lula ainda teve coragem de pedir voto pra essa criatura.