Michael Schumacher está consciente e pode ter alta nesta quarta, diz jornal

Foto: Gero Brelo/EFE

O real estado de saúde do ex-piloto Michael Schumacher, de 50 anos, é rodeado de mistérios desde o acidente de esqui sofrido por ele, em dezembro de 2013. Nesta quarta-feira (11), o jornal francês Le Parisien publicou que o heptacampeão de Fórmula 1 está consciente, depois de passar por um tratamento com células-tronco, no Hospital Georges-Pompidou, em Paris, e pode ter alta a qualquer momento.

A publicação se baseou no depoimento de uma funcionária do hospital que estaria atendendo o alemão. “Sim ele está no meu departamento e posso garantir que está consciente”, afirmou.

Schumacher está internado na França desde a última segunda-feira para fazer um tratamento especial para diminuir os processos inflamatórios de seu corpo. A chegada dele foi cercada por forte esquema de segurança.

O diário ainda publicou que o ex-piloto passou pelo procedimento com o médico Philippe Menasché na terça e logo vai ser liberado para voltar para casa en Lausanne, na Suíça.

A assessoria de imprensa da família Schumacher segue sem comentar sobre a internação e o estado de saúdo do campeão.

R7

'Schumacher terá uma vida relativamente normal dentro de pouco tempo', diz presidente da FIA

schumacherO presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, deixou os fãs da Fórmula-1 otimistas com a recuperação do alemão Michael Schumacher. Em entrevista a veículos de imprensa da Europa nesta terça-feira, o dirigente disse que em pouco tempo o heptacampeão voltará a ter uma vida normal.

– Podemos assumir que ele terá uma vida relativamente normal dentro de pouco tempo – disse o francês.

Todt era chefe da Ferrari nos anos em que Schumacher conquistou cinco títulos mundiais pela equipe. Amigo do alemão, ele visita frequentemente o ex-piloto de 45 anos. Todt acrescentou que, embora a vida de Schumacher vá voltar ao normal, ele provavelmente nunca mais poderá dirigir um F-1.

– O que podemos dizer é que ele provavelmente nunca mais vai guiar um carro de Fórmula-1. Ele é um lutador, mas foi vítima de um trágico acidente, que pode acontecer com qualquer pessoa. Esperamos que as coisas melhorem. A família está voltada para ele. E ele está batalhando, mas precisa de tempo e o melhor é deixá-lo tranquilo.

Todt afirmou ainda que Schumacher vem evoluindo nas últimas semanas e se recuperando bem do acidente que sofreu no final de dezembro do ano passado.

– Mas ele ainda tem um longo caminho pela frente. Agora, apenas temos a esperança que ele melhore. Ele está perto da família e precisa somente de tempo e paz.

Schumacher sofreu um grave acidente quando esquiava nos Alpes franceses no fim do ano passado. Após seis meses internado no Centro Hospitalar Universitário de Grenoble, na França, ele foi transferido para o Hospital Universitário de Cantão de Vaud, na Suíça.

No mês passado, o heptacampeão mundial deixou o hospital para continuar o seu tratamento em casa.

O Globo

Ex-médico da F-1 acredita que Schumacher pode ficar em estado vegetativo

A falta de notícias oficiais a respeito do estado de saúde de Michael Schumacher é a maior preocupação do Dr. Gary Hartstein, ex-médico da Fórmula 1. Gary acredita que, baseado na reportagem do jornal alemão Bild, a falta de reação de Schumacher aos estímulos externos podem indicar um estado vegetativo.

– Se a resposta motora à estímulos externos é uma reação primitiva, temos más notícias, mas ainda assim deixa esperança à certo nível de recuperação. Números? Bom, esse nível de resposta indicaria a persistência de um estado vegetativo, mas, geralmente, 50% desses pacientes acordam, normalmente com um nível de sequela residual – afirmou o médico.

As informações passadas pelo médico através de seu blog são, como o próprio diz, baseadas na experiência do mesmo em casos do tipo e em relatos jornalísticos. O próprio Gary acredita que o diário alemão Bild possui uma boa fonte dentro do hospital.

Hartstein também acredita que a diminuição da sedação de Schumacher já deveria ter sido completada e que, se não houvesse um estado vegetativo, o piloto já deveria ter respondido aos estímulos do corpo médico, ainda que não estivesse 100% recuperado.

– Com relação aos remédios usados na UTI, buscamos drogas que são eliminadas rapidamente para permitir ajustes rápidos nos níveis de sedação. Eu acredito que é justo assumir que, nesse ponto, a sedação já foi suspensa por tempo suficiente para não haver resíduos de remédios – disse Gary.

O médico crê que o sigilo utilizado nas informações sobre o estado de Schumacher causam uma preocupação maior sobre a condição do piloto, visto que, em sua opinião, caso houvesse uma melhora, ela teria sido passada pelo hospital.

– Presumo que, caso tenha havido uma notícia boa, seríamos avisados. Compreendemos a necessidade da família de Michael por sua privacidade, mas ele é uma figura pública, admirada e reverenciada por todo o mundo. Se minha presunção estiver errada e houve uma decisão de reter todas as informações sobre o caso, eu acredito que isso é injusto – completou Hartstein.

Lancenet, Terra e R7

COMA: Assessora confirma que médicos estão retirando os sedativos de Schumacher

Após veículos franceses noticiarem na quarta-feira que a equipe médica que cuida do caso de Michael Schumacher estava reduzindo os sedativos que mantêm o ex-piloto em coma induzido no Hospital Universitário de Grenoble, na França, a assessoria de imprensa do alemão – que inicialmente havia classificado a notícia como especulação – confirmou a informação na manhã desta quinta-feira. O comunicado oficial, porém, detalha que o tempo para que Schumi acorde pode ser longo.

“Os sedativos de Michael (Schumacher) estão sendo reduzidos a fim de permitir que ele acorde em um processo que pode ser longo. Para a proteção da família, foi originalmente acordado que estas informações só seriam dadas se o processo fosse consolidado. Por favor, entendam que nenhuma outra atualização será divulgada”, diz o comunicado de Sabine Kehm, porta-voz do ex-piloto.

O comunicado também volta a solicitar privacidade para a família do heptacampeão mundial de Fórmula 1.

“A família de Michael mais uma vez pede que sua privacidade e o segredo médico sejam respeitados e que os médicos não sejam perturbados em seu trabalho. Assim como, a família agradece ao carinho em todo o mundo”.

Schumacher permanece em coma induzido há 32 dias. Ele sofreu um traumatismo craniano no dia 29 de dezembro após uma queda que o fez bater a cabeça enquanto esquiava em uma pista não demarcada, nos alpes franceses. O alemão já foi submetido a duas cirugias para o dreno de hematomas cerebrais e a redução da pressão intracraniana desde então.

O ex-piloto tem recebido o apoio de todos na Fórmula 1. A Ferrari e a Mercedes têm dedicado homenagens a Schumi durante os primeiros treinos de pré-temporada, em Jerez de la Frontera, na Espanha.

O Globo

Estado crítico: Médicos retiram parte do cérebro de Schumacher

france-schumacher-inj_amar-19O piloto Michael Schumacher segue em estado crítico de saúde no Centro Hospitalar Universitário de Grenoble, na França. O alemão teve uma pequena parte do cérebro removida pelos médicos na tentativa de diminuir a pressão craniana, segundo o jornal alemão ‘Bild’.

O risco agora, porém, é que o ex-piloto sofra hemorragia cerebral e infecção. Segundo o cirurgião suíço Fréderic Rossi, os riscos vão de inchaço até sangramento pela abertura externa do cérebro. Nos próximos dias Schumacher será reavaliado para que a equipe médica saiba quais partes do cérebro estão ativas e quais ainda estão dormentes.

Schumacher sofreu acidente em 29 de dezembro quando andava de esqui na estação de Meribel, na França. Ele perdeu o controle e bateu a cabeça em uma pedra. O alemão está em coma induzido há 15 dias.

Torcedores.com e R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Josias Araujo disse:

    A matéria original no site torcedores.com fala em retirada de crânio, o que é muito diferente de retirada de cérebro…

    • Rodrigo disse:

      Acho que a produção não lê os comentários do blog e do face. 🙂

Acidente: Schumacher teria deixado pista para ajudar criança, diz jornal

O acidente sofrido pelo ex-piloto Michael Schumacher teria se originado após o alemão ter tentado ajudar uma criança enquanto esquiava, segundo versão publicada pelo jornal alemão “Bild” nesta quinta-feira. Este seria o motivo para o heptacampeão da F-1 ter saído da área demarcada para a prática do esporte, no último domingo.

A publicação afirmou que ele se afastou 20m da pista para ajudar a filha de um amigo que tinha caído, quando acabou se chocando com uma pedra.

Nesta quinta, a assessora de imprensa do alemão, Sabine Kahm, anunciou que não fará mais atualizações diárias sobre o estado de saúde do ex-piloto enquanto ele permanecer estável e não surgirem novidades. O último boletim médico foi divulgado na quarta.

Schumacher está internado desde o último domingo no Centro Hospitalar Universitário de Grenoble. Ele já passou por duas cirurgias na cabeça e corre risco de morte. Ele completa 45 anos na próxima sexta-feira.

Lance

Schumacher está em estado "muito grave" e luta pela vida, diz hospital

O alemão Michael Schumacher, 44, continua internado em estado “muito grave” no Centro Hospitalar Universitário de Grenoble, cidade próxima à divisa da França com a Suíça e a Itália, segundo informou o porta-voz do hospital, Jean-Francois Payen, nesta segunda-feira.

De acordo com os médicos, o ex-piloto é mantido em coma artificial para limitar os efeitos em seu cérebro das lesões cranianas “difusas e graves”.

Schumacher está internado desde domingo, quando sofreu traumatismo craniano e ficou em coma após acidente de esqui nos Alpes franceses.

“Nós podemos dizer que ele está lutando pela vida. Ele está em uma situação muito grave. Ele foi operado de urgência para liberar a pressão em sua cabeça. Infelizmente, ele tem algumas lesões no cérebro”, disse Jean-Francois Payen durante entrevista coletiva.

Jean-Francois Payen afirmou também que o fato de Michael Schumacher estar usando capacete na hora do acidente foi importantíssimo. “Achamos que o capacete ajudou. Sem o capacete, ele não estaria agora [aqui]. Este acidente aconteceu no lugar certo porque ele foi levado para o hospital imediatamente e operado logo que chegou”, completou.

Schumacher sofreu o acidente no domingo por volta das 8h (de Brasília). Ele foi levado de helicóptero ao hospital de Moûtiers, na região dos Alpes, mas posteriormente foi encaminhado ao Centro Hospitalar Universitário de Grenoble. De acordo com o diretor-geral da estação, Christophe Gernignon-Lecomte, o ex-piloto esquiava em uma área fora da pista da estação e se chocou com uma pedra.

“Ele tinha movimentos espontâneos nos quatro membros, mas não respondia a perguntas”, disse o neurocirurgião Stephan Chabardes.

Segundo ele, o estado de saúde do campeão, que bateu com o lado direito da cabeça numa pedra, “se deteriorou rapidamente” e ele entrou em coma, “com sinais de hipertensão intracraniana”.

Schumacher, que completará 45 anos no dia 3 de janeiro, é o piloto com mais títulos mundiais na história da F-1 -sete entre 1994 e 2004- e venceu 91 provas em sua carreira.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. EVILÁSIO disse:

    Poxa, foi só sair uma foto do Rubinho com ele, e taí o azar.