Detran reforça que cidadão não precisa de terceiros para acessar serviços

Foto: Divulgação

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) está reforçando junto aos usuários a dispensabilidade de atravessadores para que o cidadão seja atendido nas suas demandas junto às coordenadorias de Registro de Condutores, de Veículos e na Coordenadoria Médica. O plano do Detran é também de alertar aos cidadãos que fazem uso de terceiros para efetivar serviços, que não esqueçam de verificar se aquele profissional é credenciado pelo Detran para atuar como despachante.

O coordenador de Habilitação do Detran, Jonas Godeiro, explicou que o órgão vem facilitando e agilizando cada vez mais os processos de atendimento ao usuário. Dessa maneira, fica bem mais simples e rápido que o próprio cidadão venha ao Detran e solicite seu serviço diretamente ao setor competente.

Outro ponto lembrado pelo coordenador é que vários serviços de competência do Departamento podem ser solicitados via internet, pelo site do Detran, ou mesmo pelo aplicativo para smartphone, “Detran RN”.

No caso de Habilitação de Condutores, há diversos serviços já disponíveis ao cidadão pelo sistema online do Órgão, a exemplo de agendamento de teste prático de direção veicular, solicitação de segunda via de CNH, renovação de CNH, pedido de Permissão Internacional para Dirigir (PID), CNH Digital, além de outros tipos de abertura de processos onde, inclusive, o usuário pode gerar o boleto de pagamento, pagar e chegar ao Detran com essa etapa do serviço já concluída.

O coordenador de Registro de Veículos do Detran, Carlos Silvestre, lembrou que em último caso o cidadão pode constituir procuradores para atuar por terceiros. Essa situação é de duas naturezas, sendo uma pessoa física qualquer, onde o interessado deve constituir uma procuração pública se dirigindo ao Detran e especificando o serviço autorizado. “Já no outro caso, é quando for um advogado ou despachante credenciado, que a procuração pode ser particular”, completou.

No uso de terceiro que se apresenta como despachante é importante que o cidadão verifique a veracidade da informação conferindo os dados no sistema do Detran por meio do link: Despachantes Credenciados.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ex-Petralha disse:

    Só de segundos, que possamos molhar a mão, para termos acesso célere a setores e procedimentos do órgão!

  2. Seu Jorge disse:

    Piada né?

Manchas de óleo: Shell diz que suas embalagens de lubrificante foram reutilizadas por terceiros

Lubrificante argina S3 30 da Shell — Foto: Divulgação

A empresa Shell Brasil afirmou nesta segunda-feira (14) que, embora tenham sido encontrados tambores de sua marca na Praia da Formosa, em Sergipe, o conteúdo original dessas embalagens não tem relação com o óleo cru que manchou o litoral brasileiro nos últimos dias. A Shell avalia que as embalagens foram reutilizadas por outras pessoas.

Análises feitas pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) verificaram que o material encontrado no interior dos barris é o mesmo das manchas de óleo que atingiram praias nordestinas nas últimas semanas. Pelo menos dois testes realizados pela UFS chegaram ao mesmo resultado.

Diante disso, e após questionamento do G1, a Shell alegou que:

“Tratam-se de embalagens de lubrificante para embarcações, de um lote não produzido no Brasil. Vale ressaltar que o próprio adesivo em um dos tambores encontrados em Sergipe traz a data de 17/02/2019 associada ao transporte do lubrificante Argina S3 30, e que a mancha de óleo cru que está atingindo o litoral começou a impactar a costa em setembro. Isso aponta para uma possível reutilização da embalagem em questão – reutilização esta que não foi feita pela Shell.”

Além disso, a empresa afirma que não transporta óleo cru acondicionado em tambores em rotas transatlânticas. E enviou a foto abaixo, de amostra do lubrificante Argina S3 30, para demonstrar que não se trata do mesmo óleo encontrado nas praias.

O lubrificante Argina S3 30 é multifuncional, muito usado em partes metálicas de máquinas que funcionam com diesel.

Esclarecimentos ao Ibama

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse à GloboNews no sábado (12) que solicitou ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) que intimasse a Shell a prestar informações sobre barris com inscrição de um lubrificante fabricado pela empresa, que foram encontrados no litoral de Sergipe.

Salles disse ter feito a solicitação ao Ibama na última sexta-feira (11) e acrescentou que a Shell seria notificada nesta segunda. De acordo com o ministro, a empresa terá 24 horas para prestar esclarecimentos depois de notificada.

Segundo Salles, o objetivo da intimação é obter mais informações na tentativa de descobrir qual navio teria sido o responsável pelo despejo do material no mar. Conforme o ministro, não está descartada a hipótese de o óleo ter origem em um navio irregular, o que dificultaria a identificação dos responsáveis.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. O MICO disse:

    PRIVATIZA QUE MELHORA!
    KKKKKKKK
    A SHELL NAO ESTÁ NEM AÍ.
    ABOCANHARAM O PETRÓLEO BRASILEIRO E JOGAM A BORA NO MAR SEM TRATAMENTO ALGUM.
    Só não entendo porque ainda não acionaram as imagens por satélite.
    Será que querem descobrir mesmo? Ou é igual as investigações da morte de Marielle, a facada do Zé e as laranjas do Queiroz?

    • Francisco disse:

      Isso petralhas, desdobrando. Declara logo "não sei quem fui", destruiram as finanças do país, agora o ganha pão dos que vivem no litoral nordestino. CANALHAS da pior espécie.