Vendas de iPhones elevam receita da Apple para US$ 37,4 bi no terceiro trimestre fiscal de 2014

utah03

A Apple revelou nesta terça-feira que alcançou US$ 37,4 bilhões de receita no terceiro trimestre fiscal de 2014. A soma foi puxada, principalmente, pela venda de 35,2 milhões de unidades de iPhones no período — número superior aos 31,2 milhões de aparelhos vendidos no mesmo trimestre de 2013 —, que contribuíram para o lucro de US$ 7,7 bilhões. A receita foi pouco abaixo das estimativas de Wall Street, que apostava na soma de US$ 37,99 bilhões.

“Nosso recorde nesse terceiro trimestre foi impulsionado por fortes vendas de iPhones e Macs, e o crescimento contínuo das receitas provenientes do ecossistema da Apple, que nos levaram a maior taxa de crescimento em sete trimestres”, afirmou o diretor executivo da empresa, Tim Cook, em comunicado.

Apesar do bom desempenho dos smartphones no período, seu tablet, o iPad, decepcionou, ficando abaixo das estimativas de venda, com 13,27 milhões. No mesmo período do ano passado, a empresa vendeu 14,6 milhões de unidades do produto.

A revelação dos números da empresa é feita à sombra da notícia divulgada também nesta terça-feira de que a Apple já estaria se preparando para o lançamento da próxima linha do seu smartphone, o iPhone 6. De acordo com o “Wall Street Journal”, a Apple teria encomendado a seus fabricantes entre 70 e 80 milhões de unidades do produto, que seriam vendidos em dois tamanhos: um de 4,7 polegadas e outro de 5,5.

Há ainda a possibilidade da empresa anunciar o seu tão aguardado dispositivo vestível, que, a julgar pelos rumores recentes, poderia ser um relógio inteligente.

Apesar dos novos produtos da empresa ainda não terem sido anunciados oficialmente, a possível proximidade de seu lançamento foi indicada por Tim Cook no comunicado que acompanhou o relatório de lucros:

“Nós estamos incrivelmente animados com os próximos lançamentos dos sistemas iOS 8 e OS X Yosemite, assim como novos produtos e serviços que mal podemos esperar para apresentar”, afirmou o diretor executivo.

Fonte: O Globo