Saiba como higienizar o celular e evitar a propagação do coronavírus

Foto: G1

Estudos apontam que os smartphones acumulam fungos, bactérias e vírus. E a preocupação sobre como fazer para limpar os celulares tem crescido com a pandemia de coronavírus.

Para o médico infectologista Caio Rosenthal, o celular pode, sim, ser um meio de transmissão do novo coronavírus, já que usamos os aparelhos com frequência e depois que tocamos em objetos como corrimãos, maçanetas.

“O aparelho pode ser um meio eficiente de transmissão, principalmente se emprestado a outras pessoas”.

Ao tossir, falar ou espirrar, por exemplo, o vírus se espalha por meio das gotículas, que são um “transporte”, e permitem ao vírus ficar em superfícies como maçanetas, apoios de transporte público, botões de elevadores, teclas de computador, celulares, entre outros.

A melhor maneira de se prevenir do novo coronavírus é usar água e sabão, ou limpar as mãos com álcool. Apesar disso, não é recomendável passar esses produtos diretamente nos celulares, por serem objetos eletrônicos.

O problema é que as telas sensíveis ao toque (touchscreen) dos aparelhos não são simplesmente vidro: elas contam com algumas tecnologias protetoras, como uma película oleofóbica, que permite manter o aparelho livre do óleo que nossas mãos geram normalmente.

Isso inclui ainda tablets e computadores com telas sensíveis ao toque. Esses equipamentos passam por processos químicos para garantir resistência e funcionamento do touchscreen.

Por causa disso, o uso de alguns produtos químicos, como cloro, água sanitária ou álcool líquido com alta concentração, podem danificar a tela do smartphone. Existem lenços específicos, que podem ser usados para limpeza dos celulares, mas eles não têm características capazes de destruir vírus e outros microorganismos.

Recentemente, Apple e Samsung divulgaram recomendações do que usar e o que não usar na hora de limpar smartphones. Veja as recomendações das empresas.

O que é ideal:

Desligue o aparelho. É também necessário retirar a capa e desconectar cabos e acessórios.

Use álcool isopropílico com concentração 70%: ele é conhecido por quem trabalha com manutenção de eletrônicos porque sua composição tem pouca água, o que impede a oxidação das peças. A Samsung afirma que álcool etílico nessa mesma concentração também pode ser usado. Não é recomendável jogar o produto direto sobre o aparelho ou submergir o smartphone. O ideal é colocar o produto em um pano apropriado, como descrito abaixo.
De acordo com infectologistas, ambos os tipos de álcool são eficientes para matar a grande maioria dos vírus, inclusive o coronavírus.

Use somente panos macios, que não soltem fiapos: evite toalhas, lenços abrasivos, papel-toalha e itens parecidos. A Samsung recomenda usar um pano de microfibra, como os usados para limpar câmeras fotográficas.

Limpe a capinha: as capas de proteção são notórias por acumular sujeira. Se elas forem feitas de plástico, silicone, ou algum material semelhante, é possível usar água e sabão e deixar secar. Outros materiais, como couro, devem ser limpos com produtos apropriados.

O que NÃO fazer:

Não coloque nem borrife o aparelho com líquidos: mesmo o álcool, que evapora rapidamente, pode danificar partes sensíveis do aparelho, como as entradas de energia, de fone de ouvido ou os alto-falantes.

Não limpe o dispositivo enquanto ele estiver conectado à energia elétrica: essa é mais uma recomendação da Apple. Umidade e energia elétrica não combinam e é bom evitar riscos.

G1

 

Apple vai pagar US$ 500 milhões de dólares em indenizações por deixar iPhones mais lentos

Foto: (Thomas Peter/Reuters)

A Apple vai pagar 500 milhões de dólares (2,2 bilhões de reais) em um acordo com consumidores norte-americanos que acusam a empresa de ter reduzido propositalmente e sem aviso o desempenho de iPhones antigos, com o objetivo de induzir os donos dos aparelhos realizar um procedimento de troca de bateria para solução o problema. Segundo a agência Reuters, o caso foi revelado na noite da última sexta-feira (28) e precisa da aprovação do Distrito Jurídico Edward Davila, em San Jose, na Califórnia.

O acordo prevê o pagamento de 25 dólares por iPhone. O valor pode ser ajustado, mas o pagamento mínimo é de 310 milhões de dólares, ou seja, 12,4 milhões de aparelhos, ao menos, estão envolvidos na ação.

Os modelos afetados pela limitação alegada pelos consumidores são iPhone 6, 6 Plus, 6s, 6s Plus, 7, 7 Plus e SE.

A empresa negou a limitação de desempenho dos aparelhos, apesar de ter feito o acordo para solucionar a acusação de consumidores norte-americanos.

A Apple não se pronunciou sobre o caso.

Após o caso da limitação de desempenho de iPhones vir à tona, a Apple reduziu o preço da substituição de baterias de iPhones nos Estados Unidos, passando de 79 dólares para 29 dólares. No Brasil, a queda de preço foi de 300 reais, passando de 450 reais para 150 reais.

Exame

Apple quebra tradição e antecipa venda do iPhone 11 no Brasil

Foto: Thássius Veloso/TechTudo

O iPhone 11, o iPhone 11 Pro e o iPhone 11 Pro Max vão desembarcar no Brasil antes do que se esperava: a Apple confirmou o lançamento dos produtos em 18 de outubro. Com o anúncio de hoje, revelado em primeira mão pelo TechTudo, a fabricante quebra a tradição de iniciar a comercialização da nova safra somente em novembro. Nos Estados Unidos, eles estão à venda desde 20 de setembro por preços a partir de US$ 699.

Em nota, a companhia disse estar “muito animada” em trazer para o mercado os celulares com câmera dupla ou tripla, a depender do modelo. Só faltou revelar os valores que serão cobrados dos consumidores brasileiros. Por ora, permanecem em segredo.

Os sucessores do iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max estarão disponíveis no site oficial, no aplicativo da Apple Store, nos parceiros varejistas, em operadoras selecionadas e nas lojas oficiais da Apple (são duas: no Morumbi Shopping, em São Paulo, e no VillageMall, no Rio). Não se sabe em que dia começará a fase de encomendas (a chamada pré-venda) dos aparelhos.

Enquanto as vendas não começam por aqui, alguns brasileiros aproveitam a venda internacional. Os novos iPhones saem pelos seguintes preços nos Estados Unidos:

iPhone 11 de 64 GB: US$ 699 (R$ 2.930 em conversão direta)
iPhone 11 Pro de 64 GB: US$ 999 (R$ 4.185)
iPhone 11 Pro Max de 64 GB: US$ 1.099 (R$ 4.600)

Vale lembrar, porém, que a edição americana não é compatível com todas as faixas do 4G nacional. O mais recomendável é trazê-lo da Europa.

A Apple aposta em diversas cores, com destaque para o Verde Meia-Noite (Midnight Green) dos modelos Pro. Ela se tornou a mais procurada nas vendas internacionais.

As novidades dos iPhones

Dá para dividir a linha 2019 em tradicional e Pro. A primeira conta com câmera dupla, inclusive uma ultra wide que consegue capturar parcela maior da paisagem ou número maior de pessoas. O recurso é tido como um dos principais diferenciais, junto com as esperadas melhorias no poder de processamento – agora com o chip A13 Bionic.

A linha Pro marca a chegada da câmera tripla aos telefones da maçã. O acréscimo em relação ao iPhone 11 regular está na lente teleobjetiva, capaz de um zoom de 2x. O smartphone consegue chegar mais perto da pessoa que está sendo fotografada. Os modelos Pro também têm tela em painel OLED, tecnologia superior ao LCD encontrado no modelo regular.

A bateria foi reforçada para durar entre uma e cinco horas a mais do que na geração passada. A Apple não chegou a divulgar a estimativa oficial de autonomia de uso, mas é sabido que o novo processador garante maior eficiência energética e os celulares também contam com mecanismos para que o desgaste da bateria seja mais lento.

Os criadores do telefone apostam tanto na robustez do equipamento que produziram um vídeo publicitário em que o iPhone 11 Pro resiste a pancadas de diversos objetos arremessados com o auxílio de um ventilador industrial. Até um bolo de casamento caiu sobre o produto certificado, que tem certificação contra água e poeira.[

O slofie também ganhou destaque na comunicação da empresa. Mistura de selfie e slow motion, a palavra indica os vídeos em câmera lenta capturados com o sensor frontal do aparelho. Gostaram tanto da ideia que pediram para registrar o nome.

Ficha técnica do iPhone 11

Tamanho da tela: 6,1 polegadas
Resolução da tela: 1792 x 828 pixels
Painel da tela: LCD
Câmera principal: dupla, 12 megapixels
Câmera frontal (selfie): 12 megapixels
Sistema: iOS 13
Processador: Apple A13 Bionic
Memória RAM: não informado
Armazenamento (memória interna): 64 GB, 128 GB e 256 GB
Cartão de memória: sem suporte
Capacidade da bateria: não informado
Dual SIM: sim (nano SIM e eSIM)
Peso: 194 gramas
Cores: preto, verde, amarelo, lilás, vermelho e branco
Anúncio: 10 de setembro de 2019
Lançamento: 20 de setembro de 2019
Preço de lançamento: a partir de US$ 699 (cerca de R$ 2.930 em conversão direta)

Ficha técnica do iPhone 11 Pro

Tamanho da tela: 5,8 polegadas
Resolução da tela: 2436 x 1125 pixels
Painel da tela: OLED
Câmera principal: tripla, 12 megapixels
Câmera frontal (selfie): 12 megapixels
Sistema: iOS 13
Processador: Apple A13 Bionic
Memória RAM: não informado
Armazenamento (memória interna): 64 GB, 256 GB e 512 GB
Cartão de memória: sem suporte
Capacidade da bateria: não informado
Dual SIM: sim (nano SIM e eSIM)
Peso: 188 gramas
Cores: dourado, cinza espacial, prata e Verde da Meia-Noite
Anúncio: 10 de setembro de 2019
Lançamento: 20 de setembro de 2019
Preço de lançamento: a partir de US$ 999 (cerca de R$ 4.185 em conversão direta)

Ficha técnica do iPhone 11 Pro Max

Tamanho da tela: 6,5 polegadas
Resolução da tela: 2688 x 1242 pixels
Painel da tela: OLED
Câmera principal: tripla, 12 megapixels
Câmera frontal (selfie): 12 megapixels
Sistema: iOS 13
Processador: Apple A13 Bionic
Memória RAM: não informado
Armazenamento (memória interna): 64 GB, 256 GB e 512 GB
Cartão de memória: sem suporte
Capacidade da bateria: não informado
Dual SIM: sim (nano SIM e eSIM)
Peso: 226 gramas
Cores: dourado, cinza espacial, prata e Verde da Meia-Noite
Anúncio: 10 de setembro de 2019
Lançamento: 20 de setembro de 2019
Preço de lançamento: a partir de 1.099 (cerca de R$ 4.600 em conversão direta)

Globo, via Techtudo

 

Apple vira alvo em nova onda de golpes que afeta o país

Macs e iPhone tiveram 1,6 milhões de ataques de phishing entre setembro de 2018 e 2019 — Foto: Divulgação/Apple

Usuários de Mac, iPhone e outros aparelhos da Apple foram alvo de mais de 1,6 milhão de golpes de phishing apenas no primeiro semestre de 2019. Segundo estudo da Kaspersky divulgado nesta semana, o Brasil teve participação expressiva nos casos que visaram o macOS: de acordo com o levantamento, um terço das vítimas foram brasileiras.

Os ataques já superam em 9% o número total de casos registrados em todo o ano passado. A estatística leva em conta apenas os dados coletados pelo serviço de detecção em nuvem Kaspersky Security Network, levando a crer que a quantidade de fraudes possa ser bem maior. As fraudes visam, principalmente, o roubo de dados financeiros por meio de falsificação de páginas da empresa.

Segundo os especialistas, os golpes mais comuns envolvem a criação de páginas que simulam o site oficial da Apple ou a tela de login do iCloud para roubar senhas. Os golpistas distribuem e-mails de suporte falsos contendo alertas de segurança e ameaças de bloqueio de conta. O objetivo é fazer com que o usuário menos atento clique em um link, caia no site fake e informe dados de login e cartão de crédito ao criminoso sem perceber.

Embora os softwares da Apple sejam considerados popularmente mais seguros que o Windows ou o Android, o relatório aponta certa paridade em número de incidentes quando se trata de phishing. Como esse tipo de golpe é baseado em truques de engenharia social para atrair vítimas, a plataforma onde a isca é plantada importa menos quando o assunto é infecção por malware, em que os produtos de Microsoft e Google ficam em desvantagem.

Segundo a Kaspersky, usuários Apple podem ser mais suscetíveis a ataques do tipo por considerarem o iOS ou macOS mais seguros e, por isso, tomarem menos precauções. No entanto, os softwares tampouco estão livres de vírus: a firma de segurança também detectou adwares e o malware Shlayer, um cavalo-de-troia que se disfarça de atualização para o Flash Player.

Como se proteger

Para se manter seguro é importante entender que os sistemas da Apple podem esconder riscos assim como os concorrentes. Tendo isso em mente, é importante ter um bom antivírus e não baixar programas de locais desconhecidos, dando sempre preferência pela Mac App Store. Além disso, é recomendável manter o sistema operacional e aplicativos atualizados para não deixar de instalar eventuais pacotes de correções de bugs.

Globo, via Techctudo e Kaspersky

 

iPhone 11: conheça todos os detalhes do lançamento da Apple

Foto: Reprodução/ Apple

Em seu evento anual, a Apple apresentou o novo iPhone. Chamado simplesmente de 11, o aparelho possui um conjunto evoluído de câmeras. Evoluído a ponto de aparecer: as câmeras possuem uma protuberância, que se destacam da carcaça do aparelho.

O iPhone 11 conta com uma tela Retina de 6.1 polegadas, descrita como “a mais resistente de todos os tempos em um smartphone”, segundo a empresa. Além disso, o aparelho possui compatibilidade com o sistema de som Dolby Atmos.

As duas câmeras de 12MP do aparelho contam com funções como Modo Noturno, Retrato e Ultra Wide, com zoom ótico de 2x, que captura muito mais detalhes da imagem. Tudo isso iluminado por um flash 36% mais brilhante.

Além de fotografar, ela faz vídeos muito bem: em 4K, 60 frames por segundo, com funções slow motion e timelapse. Segundo a empresa, os vídeos com mais qualidade já feitos por um smartphone são desse aparelho.

Câmera fronta conta com slow motion. Reprodução/ Apple

A câmera frontal terá poderes similares. Com 12MP e sensores de direção que capturam rostos evitando distorção e fazendo selfies com ângulos wide, o que a empresa aposta que será uma tendência.

Os vídeos frontais também são feitos em 4K e 60 frames, além de um sistema de slow motion chamado “slofies”, o que também é inédito e aparenta ser outra possível tendência incentivada pela empresa.

Matéria em atualização. Veja aqui íntegra.

R7

Funcionários da Apple podem ouvir pela Siri conversas e casais fazendo sexo

Foto: (Apple/Divulgação)

Se você tem algum produto da Apple, um iPhone ou Apple Watch, muito provavelmente já utilizou o comando de voz da Siri, assistente virtual da marca. Acontece que as suas conversas podem estar sendo ouvidas pelos funcionários da Apple. A revelação veio à tona depois que um dos funcionários terceirizados falou sobre o assunto que foi publicado pelo jornal The Guardian.

De acordo com a fonte, uma equipe de funcionários terceirizados tem acesso a trechos de áudio capturados pelo iPhone, Apple Watch e HomePod, muitas vezes, contendo informações privadas, como conversas entre médico e paciente, negociações, compra de drogas e pessoas fazendo sexo. Ainda segundo informações, o conteúdo vem acompanhado da localização, detalhes do contato e dados de aplicativos usados pelo dono do aparelho.

A empresa confirmou ao jornal britânico que tem acesso a uma quantidade pequena de áudio da Siri para ajudar a detectar falhas técnicas. No entanto, a empresa nega que seja possível identificar os usuários por meio das gravações. “Uma pequena parte dos comandos feitos à Siri é analisada para melhorar a assistente e a função de ditado. As solicitações da pessoa não estão associadas ao Apple ID do usuário. As respostas da Siri são analisadas em instalações seguras e todos os revisores estão sob a obrigação de aderir aos requisitos rigorosos de confidencialidade da Apple”, diz a nota enviada pela Apple.

O funcionário informou também que a empresa não pede detalhes sobre o que foi ouvido nos áudios e que, a única ação é enviar um relatório sobre uma possível falha técnica, se a assistente foi ou não ativada sem querer.

A informação foi confirmada pela Apple que disse ainda que as gravações acessadas por humanos teriam ” “apenas alguns segundos de duração” e representariam menos de 1% de tudo o que a assistente captura.

Nos termos de uso da Apple, a empresa afirma que os dados capturados pela Siri podem ser usados para ajudar a assistente, a aprimorar o ditado e a reconhecer melhor o jeito que o usuário fala. No entanto, ela não deixa claro que outras pessoas podem ouvir trechos de gravações nesse processo

Correio Braziliense, com Francelle Marzano/Estado de Minas

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rogério Rocha disse:

    Quem quer privacidade vá para um mosteiro.

Apple, Facebook, Netflix, Google e outras gigantes têm vagas abertas para brasileiros

(Foto: Reprodução)

O número de desempregados no Brasil está aumentando cada vez mais. Segundo dados divulgados pelo IBGE, a taxa de desemprego no país atingiu 13,1% em abril, que é a mais alta desde maio do ano passado, quando o índice era de 13,3%. Com isso, o número de desempregados no Brasil nos três primeiros meses de 2018 soma de 13,7 milhões de pessoas.

Porém, quem está procurando emprego na área de tecnologia ou quer trabalhar em uma grande empresa, pode estar com sorte. Companhias como Apple, Google, Netflix e Facebook estão com vagas abertas para brasileiros.

Confira as vagas e como se candidatar:

Amazon

A Amazon está com três vagas abertas, sendo que duas são em São Paulo e uma para Jundiaí. Os cargos são para gerente de marketing, conselheiro corporativo e especialistas em operações de comércio internacional. A descrição das vagas e forma de como se candidatar podem ser encontradas aqui.

Apple
A empresa norte-americana está com 12 vagas de emprego para trabalhar nas lojas físicas da Apple no Brasil, sem especificar o local. Entre as oportunidades estão engenheiro de soluções, gerente, genius, líder de mercado, entre outras. Os interessados podem saber mais sobre as vagas e se candidatarem aqui.

Facebook
A rede social está com 46 vagas em aberto para quem quiser trabalhar em seu escritório de São Paulo. Os cargos são para diversas áreas, incluindo vendas, marketing, TI, RH, parcerias, entre outras. Veja os cargos e como se candidatar aqui.

Google
O Google está com seis vagas abertas para o escritório de São Paulo. As vagas são para gerente de marketing de produtos para o YouTube, líder de operações para o Google AdWords, especialista em faturamento, gerente de parcerias, especialista em experiência do cliente e analista da indústria. As vagas podem ser acessadas aqui.

Intel
A Intel está com duas vagas de estágio para as áreas de marketing e relações públicas. Os dois cargos são para trabalhar no escritório de São Paulo e podem ser acessados aqui.

Microsoft
A gigante da tecnologia está com oito vagas em aberto, sendo que todas são para trabalhar no escritório de São Paulo. As vagas são para consultor, engenheiro de campo, engenheiro de suporte e arquiteto de soluções. Confira as oportunidades e como se candidatar aqui.

Netflix
A Netflix está com 12 oportunidades para quem quiser trabalhar no escritório de Alphaville, em São Paulo. As áreas que estão contratando são de marketing, financeiro, produção, pós-produção, relações públicas, conteúdo e jurídico. Os interessados podem saber mais sobre as vagas e se candidatarem aqui.

Nubank
A startup brasileira está com sete vagas abertas, sendo que uma é para trabalhar no escritório em Berlim e as demais são para o escritório de São Paulo. Entre as oportunidades disponíveis estão engenheiro de software, data scientist, analista financeiro, entre outros. Confira as vagas aqui.

Uber
A Uber está com 49 vagas abertas para os escritórios de São Paulo, Feira de Santana, Fortaleza, Goiana, Guarulhos, Joinville, Manaus, Maringá, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luiz, Sorocaba, São Bernardo, Aracaju, Belo Horizonte, Brasília e Londrina. Saiba mais sobre as vagas aqui.

Olhar Digital

Apple, Google, Facebook e outras empresas estão com vagas de emprego no Brasil; veja cargos e faça inscrição

As empresas de tecnologia, como Apple, Google, Facebook, Spotify, entre outras estão com vagas de emprego abertas para seus escritórios no Brasil. Confira os cargos que estão disponíveis e como se inscrever:

Apple
A companhia está com 20 vagas abertas para as áreas de marketing, vendas e para as lojas, como gerente, Genius, analista de operações, engenheiro de soluções, entre outras. Confira as vagas e se inscreva aqui.

Facebook
A rede social está com 24 vagas para o seu escritório em São Paulo. Entre as áreas que estão contratando estão comunicação, marketing, vendas, operação de centro de dados, TI e desenvolvimento. Confira as vagas e se inscreva aqui.

Google
O Google está com 15 vagas para o seu escritório de São Paulo, que envolvem cargos dentro do próprio Google, como também para o YouTube e para o Waze. Confira as vagas e se inscreva aqui.

Netflix
A plataforma está com oito vagas abertas para o escritório de Alphaville, em São Paulo, incluindo áreas de marketing, comunicação, tecnologia, financeiro e tecnologia. Confira as vagas e se inscreva aqui.

Nubank
Ao todo, o Nubank tem sete vagas para o escritório de São Paulo, sendo elas para engenheiro de software, analista de experiência de consumidor, analista de operações, gerente de capital, engenheiro de aprendizado de máquinas, cientista de dados e recrutador. Confira as vagas e se inscreva aqui.

Spotify
A plataforma está com duas vagas para São Paulo, uma de estágio para publicidade e uma de gerente regional de operações de publicidade. Confira as vagas e se inscreva aqui.

Twitter
A empresa também está com duas vagas para o escritório de São Paulo, uma para a área do financeiro e uma para vendas e parcerias. Confira as vagas e se inscreva aqui.

Olhar Digital UOL

Apple, Google e Facebook abrem 55 vagas no Brasil

imagem.phpTrês das principais empresas de tecnologia do mundo estão com vagas abertas para brasileiros em São Paulo e Minas Gerais. O pré-requisito para se candidatar a elas já está na ponta da língua de quem conhece o mercado de trabalho: dominar o idioma inglês em nível avançado.

Confira as opções:

Apple

Nos últimos dois meses a Apple abriu mais de 20 vagas em São Paulo e em Jundiaí (SP) nas áreas de loja, negócios, comunicação e TI. Para acessar todas as vagas abertas na companhia, clique aqui.

1. Encarregado de estoque

2. Especialista

3. Criativo

4. Especialista em negócios

5. Engenheiro de soluções

6. Gerente de negócios

7. Líder de mercado

8. Líder de negócios

9. Expert

10. Gerente

11. Líder de loja

12. Apple Store Leader Program

13. Genius

14. Government Affairs Manager: Brazil

15. iTunes Legal Counsel

16. Operations Coordinator

17. TPM Manager

18. Apple Customer Experience (ACE) Leader (2)

19. Materials Program Manager

20. Consumer Offers Manager

21. Quality Program Manager (QPM) – Brazil

22. Ground – Thruthing Team Lead

Facebook

O Facebook tem 16 posicões em aberto, todas dedicadas a quem mora em São Paulo. As oportunidades valem para as áreas de operações, comunicação corporativa, finanças, vendas, desenvolvimento, mobile, instagram e conteúdo. Para saber mais sobre elas clique aqui.

1. Ad Operations Team Lead

2. International Internal Communications Manager

3. Partner Engineer, Platform (Sao Paulo)

4. International General Ledger Accountant

5. Brand Development Lead, Instagram

6. Client Partner, Government

7. Client Solutions Manager, CPG

8. Head of Client Solution Manager for Latin America

9. Head of LATAM Retail and eCommerce Strategy

10. Business Development Manager

11. Brand Development Lead, Instagram

12. Creative Strategist, Instagram

13. Strategic Media Partnership- News

14. Strategic Media Partnership- Sports

15. Sales Operations Associate LATAM

16. Integration Engineer, Carriers – Internet.org

Google

O Google procura profissionais para preencher 16 vagas, 2 delas em Belo Horizonte, nas áreas de engenharia de redes, infraestrutura, marketing e comunicação, soluções técnicas, jurídico, vendas, TI e finanças. Há também um programa de estágios para estudantes de MBA. Para saber mais sobre as posições clique aqui.

Vagas em SP

1. Product Marketing Manager, Consumer Media Strategist

2. Technical Solutions Consultant

3. Partner Product Solutions Regional Head, Latin America

4. Team Lead, Digital Media Management, Media Platforms Americas

5. Legal Assistant, Online Legal Support

6. Supplier Sourcing Manager

7. Head of Communications, LatAm

8. Platforms Media Specialist

9. Account Executive, LatAm Platforms and Programmatic Buying

10. Media Platforms Lead

11. Operations Manager, Corporate Engineering

12. Network Sales Engineer (Loon), Special Projects

13. Corporate Operations Engineer, IT Support Technician

14. Head of Google for Work Brazil

Vagas em MG

1. Software Engineer, University Graduate

2. Software Engineer

O Twitter também procura profissionais em São Paulo e no Rio de Janeiro. Saiba quais são:

Vagas em SP

1. Communications Manager

2. HR Business Partner

3. Product Marketing Manager, Advertising

4. Product Specialist

5. Receptionist

6. Revenue Operations Manager

7. Sales Marketing Manager

8. Sr IT Support Engineer

9. Sr. Media Research Manager

Vagas no RJ

1. Media Partnerships – Intern, Brazil

Olhar Digital – UOL

Apple diz que lançará nova atualização para o iOS 8

Após tirar do ar a atualização 8.0.1 do seu novo sistema operacional, a Apple disse nesta quinta-feira (25) que lançará a versão 8.0.2 do Software dentro de “poucos dias”.

A primeira atualização para o iOS 8 foi liberada e removida nesta quarta-feira (24) após causar problemas na recepção de sinal de celular e na função Touch ID (de reconhecimento de impressões digitais) de alguns smartphones.

A Apple espera corrigir os problemas com a nova atualização.

Em seu site, a empresa apresentou aos consumidores uma maneira alternativa de reinstalar o iOS 8 nos iPhones 6 e Plus por meio do iTunes.

Lançado no último dia 17, O iOS 8 já estava presente em 46% dos dispositivos móveis da Apple (entre iPad, iPhone e iPod Touch) até o dia 21.

Folha Press

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julio Rocha disse:

    VEJA PERDE DE 7 A 0 NO TSE E IRÁ REPARAR DANO AO PT?
    A revista Veja foi condenada a publicar direito de resposta em decisão tomada nesta noite no Tribunal Superior Eleitoral; reportagem dizia respeito a suposta chantagem, paga em dólar, para que dirigentes do partido, incluindo o ex-presidente Lula, não fossem arrastados para o escândalo da Petrobras; derrota da revista da Marginal Pinheiro foi acachapante; contou com voto favorável do procurador-geral Rodrigo Janot, de três ministros do Supremo Tribunal Federal (Dias Toffoli, Teori Zavascki e Rosa Weber), além dos outros quatro integrantes do tribunal; "não está em jogo a liberdade de expressão, mas sim o direito de resposta", ressaltou Dias Toffoli; crimes de imprensa começam a ser punidos.
    E agora José? Vai divulgar ou nãao?

Novidade: Apple anunciará novo iPhone no dia 9 de setembro

A Apple vai anunciar o próximo iPhone, que pode ser chamado de iPhone 6 e vir em duas versões, ambas com tela maior que a da atual geração, em evento no dia 9 de setembro, segundo reportagens do “Wall Street Journal”, da Bloomberg e do site especializado em tecnologia “Re/code” publicadas nesta terça-feira (5).

Informações publicadas nesses textos e anteriormente na imprensa internacional apontam para os tamanhos de tela de 4,7 polegadas e de 5,5 polegadas. O iPhone 5C e o iPhone 5S, lançados em 20 de setembro do ano passado, têm tela de 4 polegadas.

Os três veículos não identificam suas fontes, mas são bem-reputados. O “WSJ”, em específico, costuma ter as informações sobre os bastidores da Apple provadas verdadeiras posteriormente.

Mesmo com a existência de uma expectativa para o lançamento, que é anual, a Apple apresentou crescimento em envios de iPhones no segundo trimestre, como mostrou um relatório do IDC.

apple_0

Vendas de iPhones elevam receita da Apple para US$ 37,4 bi no terceiro trimestre fiscal de 2014

utah03

A Apple revelou nesta terça-feira que alcançou US$ 37,4 bilhões de receita no terceiro trimestre fiscal de 2014. A soma foi puxada, principalmente, pela venda de 35,2 milhões de unidades de iPhones no período — número superior aos 31,2 milhões de aparelhos vendidos no mesmo trimestre de 2013 —, que contribuíram para o lucro de US$ 7,7 bilhões. A receita foi pouco abaixo das estimativas de Wall Street, que apostava na soma de US$ 37,99 bilhões.

“Nosso recorde nesse terceiro trimestre foi impulsionado por fortes vendas de iPhones e Macs, e o crescimento contínuo das receitas provenientes do ecossistema da Apple, que nos levaram a maior taxa de crescimento em sete trimestres”, afirmou o diretor executivo da empresa, Tim Cook, em comunicado.

Apesar do bom desempenho dos smartphones no período, seu tablet, o iPad, decepcionou, ficando abaixo das estimativas de venda, com 13,27 milhões. No mesmo período do ano passado, a empresa vendeu 14,6 milhões de unidades do produto.

A revelação dos números da empresa é feita à sombra da notícia divulgada também nesta terça-feira de que a Apple já estaria se preparando para o lançamento da próxima linha do seu smartphone, o iPhone 6. De acordo com o “Wall Street Journal”, a Apple teria encomendado a seus fabricantes entre 70 e 80 milhões de unidades do produto, que seriam vendidos em dois tamanhos: um de 4,7 polegadas e outro de 5,5.

Há ainda a possibilidade da empresa anunciar o seu tão aguardado dispositivo vestível, que, a julgar pelos rumores recentes, poderia ser um relógio inteligente.

Apesar dos novos produtos da empresa ainda não terem sido anunciados oficialmente, a possível proximidade de seu lançamento foi indicada por Tim Cook no comunicado que acompanhou o relatório de lucros:

“Nós estamos incrivelmente animados com os próximos lançamentos dos sistemas iOS 8 e OS X Yosemite, assim como novos produtos e serviços que mal podemos esperar para apresentar”, afirmou o diretor executivo.

Fonte: O Globo

Apple projeta sistema que ajusta carro pelo celular

apple-1A Apple está pedindo a patente de um novo sistema que armazena ajustes de banco, espelho e volante no seu smartphone e configura os ajustes assim que você entra no veículo.

O projeto parte da ideia de que você não precisaria nunca mais ajustar essas partes de um veículo ao seu biótipo, uma vez que apenas com um toque no celular, ele faria a interação entre suas configurações pré-definidas e o carro. O pedido de patente não diz isso, mas para que o sistema funcione é preciso que esses ajustes no veículo sejam elétricos.

Se aprovada, esta patente seria uma evolução do iOS in the car, sistema da Apple para carros que oferece suporte aos aparelhos da marca, como iPhone, iPad e iPod, e que atualmente já permite acessar através do veículo mapas, músicas, mensagens, entre outros, que estão armazenados em um desses dispositivos.

Apple contrata veterano da indústria de TV a cabo para 'algo grande'

appleA Apple tem um novo diretor de engenharia – e ele tem um passado interessante. O mais recente contratado da Maçã é Jean-François Mulé, ex-vice-presidente sênior e empregado de longa data da CableLabs, empresa que desenvolve tecnologias de TV a cabo nos Estados Unidos.

Em um post no LinkedIn, o executivo veterano no setor de TV indica que entrou para a Apple em setembro e será “desafiado, inspirado” e fará parte de “algo grande” em seu novo papel na empresa comandada por Tim Cook. O suspense no texto e na contratação do executivo aumenta ainda mais as especulações acerca de uma possível iTV – ou um upgrade inovador na atual Apple TV.

Ainda durante sua carreira na CableLabs, Mulé atuou como vice-presidente de tecnologias e serviços de IP, diretor de arquitetura de pacotes a cabo e arquiteto-chefe. Durante esse período, ele liderou vários projetos, incluindo programas de alto nível.

Os rumores dizem que a Apple está trabalhando em um aparelho de televisão próprio e também em um set-top box expandido, capaz de trabalhar em parceria com os serviços oferecidos pelos provedores de TV a cabo, ou então um set-top box com conteúdo de televisão fornecido diretamente pela Apple através da internet.

Canal Tech

Apple quebra reinado da Coca-Cola e se torna a marca mais valiosa do mundo

28862.44171-appleO reinado de 13 anos da Coca-Cola como a marca mais valiosa do mundo finalmente acabou, segundo o relatório “Best Global Brands” da Interbrand. A empresa de bebidas foi finalmente ultrapassada pela Apple, que assume o primeiro lugar em um ranking dominado por empresas de tecnologia nas primeiras posições.

A Coca-Cola não apenas caiu da primeira posição, como também já perdeu o segundo lugar para outra empresa do setor de tecnologia: o Google. A Apple já vinha ascendendo no ranking desde 2011, quando ocupava a oitava colocação, chegando ao segundo lugar em 2012 e assumindo a liderança, com valor de marca estimado em 98,3 bilhões de dólares.

31232-InterbrandO Google aparece em segundo lugar com um valor de marca de 93,2 bilhões de dólares. As marcas de Apple e Google cresceram 28% e 34%, respectivamente, enquanto a Coca-Cola viu uma valorização de 2%, com valor de 79,2 bilhões, longe de ser suficiente para se manter no topo.

O relatório da Interbrand é baseado em critérios como performance financeira, lealdade do consumidor e o papel que cada marca desempenha na decisão de compra. Com receitas recorde de 54,5 bilhões de dólares no primeiro trimestre do ano e com filas enormes para o lançamento dos novos iPhones, é de se entender porque a Apple conquistou o primeiro lugar.

É interessante também notar que, das primeiras cinco posições nesse ranking, quatro pertencem a empresas do setor de tecnologia. A IBM aparece na quarta posição, com valor de 78,8 bilhões, enquanto a Microsoft fica em quinto, com 59,5 bilhões. Não só isso, como o Facebook foi a empresa que mais cresceu no ranking, passando do 69° lugar em 2012 para o 52° lugar este ano, com uma valorização de 43%.

Este é o reflexo de uma cultura onde a tecnologia se tornou algo “pop” e desempenha um papel cada vez maior em nossas vidas. Os smartphones são nossos companheiros diários, e juntos com tablet, laptops e outros gadgets, são responsáveis por armazenar nossos dados e informações mais importantes.

É claro que nem todas as empresas de tecnologia estão se dando bem com essas mudanças. A Nokia, por exemplo, caiu de 19° para 57°, enquanto a BlackBerry saiu definitivamente do Top 100, sem dar sinais de que pode se recuperar e voltar ao ranking.

Canal Tech

Malware se instala no Mac OS X, da Apple, e rouba 'printscreens' das telas do usuário

O Laboratório da Bitdefender identificou recentemente um novo malware capaz de se instalar e danificar o sistema do Mac OS X, da Apple. O código malicioso se instala no sistema através de um backdoor do SO e é capaz de tirar ‘printscreens’ da tela do usuário e depois redirecioná-las para uma central que controla o ataque. A prática foi identificada depois de um ativista angolano ter sido alvo de phishing e ter tido o novo tipo de malware instalado em seu computador.

Tanto a amostra original como a secundária da ameaça, ambas isoladas e analisadas por especialistas em segurança, continham a assinatura digital de um desenvolvedor da Apple legítimo, chamado Rajunder Kumar. A Apple, por sua vez, já realizou o bloqueio do ID identificado como o causador das ameaças, mas como o malware já havia sido assinado com o ID anteriormente, ele conseguiu enganar o Apple Gatekeeper e continuar se espalhando.

“Até recentemente, empresas e usuários finais se sentiam em segurança apenas por estarem blindados pelo sistema operacional da Apple, enquanto o sistema Windows era tido como inseguro. Mas agora o jogo ‘empatou'”, afirmou em nota oficial Eduardo D’Antona, Country Partner da Bitdefender. O executivo acredita que o crescimento no prestígio da Apple seja o principal responsável por seus sistemas terem se tornado atraentes para cibercriminosos.

Depois de infectar o sistema operacional, o código malicioso tira ‘fotos’ das telas dos usuários e as encaminha para uma URL, onde estão hospedadas todas as variantes do malware. A URL está hospedada em um servidor na Romênia. Os especialistas em segurança da Bitdefender afirmam que os danos causados pelo malware podem ser irreparáveis, principalmente, porque o Mac OS X é muito utilizado em redes empresariais que armazenam informações sigilosas e muito valiosas para criminosos.

D’Antona ainda ressaltou que o malware que acaba de ser descoberto não pode ser considerado de construção sofisticada, até porque os criminosos que atuam no universo Apple não se preocupam em criar vírus que sejam de difícil identificação, porque muitos usuários Mac OS X não possuem sistemas de segurança ideiais instalados em suas máquinas.

Matéria completa: http://canaltech.com.br/noticia/seguranca/Malware-se-instala-no-Mac-OS-X-e-rouba-printscreens-das-telas-do-usuario/#ixzz2UEpWf0mn

O conteúdo é produzido pelomCanaltech