Geral

VÍDEO: Advogado posta vídeo sendo agredido pela esposa no interior do RN

Um advogado identificado como Gustavo Lins, da cidade de São Vicente, no interior do RN, e que atua na área criminal também nas cidades de Acari, Florânia e Currais Novos postou um vídeo nas redes sociais em que aparece sendo agredido por sua esposa identificada até o momento como Beatriz.

No vídeo que circula nas redes sociais, o advogado diz que está sendo vítima de agressão e pede socorro. Confira AQUI via Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Isso aí já é “Maria da Pêia”!!!
    Deus me livre que a minha veja isso! Pode querer imitar!😅😅😅😅😅

    1. Tome vergonha na cara, tapinhas é o caralho, seu vagabundo, se fosse um homem batendo numa mulher daria pra usar um argumento desse seu filho da puta ?

  2. Cadê a lei Zé da Penha??? Conheço um amigo que apanha direto da mulher também. O problema é que se ele empurrá la vai preso. Coitado do pobi kkkk

    1. Exatamente.
      Injustiça.
      Tem muita mulher violenta por aí ainda mais com essas leis injustas…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil chega a 33,4 milhões de vacinados contra covid, 15,77% da população

Foto: Juranir Badaró/Estadão Conteúdo

Balanço da vacinação contra Covid-19 desta quarta-feira (5) aponta que 33.404.333 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo dados divulgados até as 20h. O número representa 15,77% da população brasileira.

A segunda dose já foi aplicada em 17.039.463 pessoas (8,05% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal.

No total, 50.443.796 doses foram aplicadas em todo o país.

De ontem para hoje, a primeira dose foi aplicada em 523.035 pessoas e a segunda dose em 315.702, com um total de 838.737 doses aplicadas neste intervalo.

Total de vacinados, segundo os governos, e o percentual em relação à população do estado:

  • *AC: 1ª dose – 94.960 (10,62%); 2ª dose – 33.638 (3,76%)
  • AL: 1ª dose – 462.872 (13,81%); 2ª dose – 217.061 (6,48%)
  • AM: 1ª dose – 614.578 (14,61%); 2ª dose – 310.352 (7,38%)
  • AP: 1ª dose – 91.856 (10,66%); 2ª dose – 40.249 (4,67%)
  • BA: 1ª dose – 2.511.475 (16,82%); 2ª dose – 1.190.287 (7,97%)
  • CE: 1ª dose – 1.377.242 (14,99%); 2ª dose – 741.263 (8,07%)
  • DF: 1ª dose – 478.346 (15,66%); 2ª dose – 274.454 (8,98%)
  • ES: 1ª dose – 701.619 (17,26%); 2ª dose – 261.560 (6,44%)
  • GO: 1ª dose – 976.105 (13,72%); 2ª dose – 501.851 (7,05%)
  • MA: 1º dose – 913.307 (12,84%); 2ª dose – 429.194 (6,03%)
  • MG: 1ª dose – 3.517.091 (16,52%); 2ª dose – 1.787.843 (8,40%)
  • MS: 1ª dose – 558.777 (19,89%); 2ª dose – 220.293 (7,84%)
  • MT: 1ª dose – 444.168 (12,60%); 2ª dose – 206.437 (5,85%)
  • PA: 1ª dose – 1.101.644 (12,68%); 2ª dose – 560.206 (6,45%)
  • PB: 1ª dose – 670.745 (16,61%); 2ª dose – 323.707 (8,01%)
  • PE: 1ª dose – 1.424.532 (14,81%); 2ª dose – 709.781 (7,38%)
  • PI: 1ª dose – 459.287(14%) ; 2ª dose – 231.656 (7,06%)
  • PR: 1ª dose – 1.871.663 (16,25%); 2ª dose – 1.035.462 (8,99%)
  • RJ: 1ª dose – 2.394.891 (13,79%); 2ª dose – 1.088.640 (6,27%)
  • RN: 1ª dose – 523.716 (14,82%); 2ª dose – 259.383 (7,34%)
  • *RO: 1ª dose – 200.060 (11,14%); 2ª dose – 87.328 (4,86%)
  • *RR: 1ª dose – 67.431 (10,68%); 2ª dose – 46.980 (7,44%)
  • RS: 1ª dose – 2.359.415 (20,65%); 2ª dose – 995.728 (8,72%)
  • *SC: 1ª dose – 1.107.809 (15,27%); 2ª dose – 599.900 (8,27%)
  • SE: 1ª dose – 331.342 (14,29%); 2ª dose – 153.177 (6,61%)
  • SP: 1ª dose – 7.963.325 (17,20%); 2ª dose – 4.630.922 (10%)
  • TO: 1ª dose – 186.077 (11,70%); 2ª dose – 102.111 (6,42%)

Doses recebidas por cada estado até 5 de maio

  • AC: 233.740
  • AL: 785.410
  • AM: 1.515.244
  • AP: 187.020
  • BA: 4.680.660
  • CE: 2.715.200
  • DF: 922.710
  • ES: 1.315.750
  • GO: 2.066.830
  • MA: 1.907.370
  • MG: 6.842.080
  • MS: 911.187
  • MT: 940.780
  • PA: 2.095.430
  • PB: 1.371.630
  • PE: 2.930.080
  • PI: 957.380
  • PR: 3.816.660
  • RJ: 4.391.120
  • RN: 1.086.910
  • RO: 357.808
  • RR: 196.710
  • RS: 4.667.910
  • SC: 2.330.090
  • SE: 648.540
  • SP: 12.749.915
  • TO: 430.060

Origem dos dados

  • Total de doses: números divulgados pelos governos estaduais.
  • As informações sobre população prioritária e doses disponíveis são do Ministério da Saúde.
  • As estimativas populacionais são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A informação é resultado de uma parceria do consórcio de veículos de imprensa, formado por G1, “O Globo”, “Extra”, “O Estado de S.Paulo”, “Folha de S.Paulo” e UOL.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Caso Robson: ex-motorista volta ao Brasil recepcionado por Bolsonaro

Foto: reprodução/Facebook

Robson Nascimento de Oliveira, ex-motorista da família do volante Fernando, do Spartk Moscou, retornou hoje ao Brasil após dois anos preso na Rússia. Ele foi recebido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao desembarcar no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, por volta das 19h30 (horário de Brasília).

A volta de Robson já havia sido anunciada nesta manhã por Bolsonaro. O ex-motorista foi solto no último fim de semana pelo governo russo após ter sido preso por porte de medicamentos ilegais.

Robson foi preso em março de 2019, um mês após chegar à Rússia, por ter entrado no país transportando duas caixas de Mytedom 10mg (cloridrato de metadona).

A substância é vendida legalmente no Brasil, com receita médica. Na Rússia, por sua vez, é proibida por ser considerada um tipo de narcótico. O medicamento era para o sogro de Fernando, que já estava na Rússia e sofre de dores crônicas. Na época, o jogador atuava pelo Spartak Moscou.

 

O governo brasileiro entregou, no final de outubro de 2020, uma carta na qual Jair Bolsonaro pedia ao presidente russo, Vladimir Putin, perdão a Robson. A carta foi entregue pessoalmente pelo senador Nelsinho Trad (PSD-MS).

Em dezembro de 2020, a Justiça russa condenou o brasileiro a três anos de prisão. Como já tinha cumprido um ano e nove meses, ele terminaria de cumprir a pena no começo de 2022.

Mais cedo, o volante Fernando se manifestou sobre a volta de Robson ao Brasil. Ele negou que tenha sido negligente na situação do ex-funcionário.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Anvisa diz que cobra ‘questões básicas’, refuta ataques por reprovar Sputnik e diz que requisitos para as vacinas são baseados na ciência

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) repudiou as críticas e ataques que recebeu por não ter aprovado a vacina russa contra a covid-19, a Sputnik V. Em comunicado divulgado nesta quarta-feira (5), a agência declarou que cobra questões básicas e que os requisitos para as vacinas são baseados na ciência.

“A Anvisa não está acima das críticas, mas são inadmissíveis os ataques à autoridade sanitária do Brasil e aos seus servidores públicos, que vem atuando conforme a missão de servir ao Estado brasileiro e de promover a proteção da saúde da população”, diz o comunicado.

A agência disse que os principais motivos que levaram a decisão de não autorizar a importação da vacina foram a falta de informações sobre segurança, qualidade e eficácia. A Anvisa também informou que exigiu, por exemplo, o relatório técnico ou dados de toxicologia da Sputnik V, dados de segurança por faixa etária, dados sobre as respostas imunes induzidas pela vacina, entre outros documentos.

“O que vem sendo exigido são questões básicas para uma vacina e não são motivos para indignação e tentativa de difamação do Brasil e dos seus servidores”, declarou. “A Anvisa já aprovou outras cinco vacinas e a autorização do processo da vacina Sputnik V depende do desenvolvedor, ou seja, os estudos devem ser apresentados, dúvidas devem ser esclarecidas e resolvidas referentes às questões exaustivamente já apontadas.”

O Instituto Gamaleya, responsável pela fabricação da Sputnik V, fez críticas à agência brasileira nos últimos dias e afirmou que a decisão de não aprovar o imunizante é de “natureza política”. No último dia 29 de abril, o Instituto declarou que vai processar a Anvisa por difamação.

UOL

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Juiz vê tentativa de ‘criminalização da política’ e absolve Henrique Alves, Temer, Cunha e Geddel no ‘Quadrilhão do MDB’


Fotos: Valter Campanato/Agência Brasil

A Justiça Federal de Brasília decidiu absolver o ex-presidente Michel Temer (MDB), o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, o ex-ministro Geddel Vieira Lima e os outros dez réus no processo aberto a partir das investigações do chamado “Quadrilhão do MDB”. Com isso, a ação penal por suposta organização criminosa foi encerrada, mas o Ministério Público Federal ainda pode recorrer.

A decisão é do juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12.ª Vara Federal do Distrito Federal, que recebeu o processo depois que o emedebista deixou a presidência e perdeu o foro especial. Na avaliação do magistrado, não há provas de associação entre os políticos que corroborem a narrativa construída pela acusação.

“É força afirmar que a inicial acusatória não descreve fatos caracterizadores do ilícito que aponta”, diz um trecho da decisão. “A denúncia apresentada, em verdade, traduz tentativa de criminalizar a atividade política.”

Também foram absolvidos os ex-deputados Henrique Eduardo Alves e Rodrigo da Rocha Loures, os ex-ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco, o coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo e amigo pessoal do ex-presidente, João Baptista Lima Filho, o empresário José Yunes, o corretor Lúcio Funaro, além de Sidney Noberto Szabo e Altair Alves Pinto.

“Esse procedimento evidencia, a um só tempo, abuso do direito de acusar e ausência de justa causa para a acusação. É que, ao somar às irrogações genéricas contidas na denúncia uma quantidade indiscriminada e invencível de documentos, o Ministério Público Federal impede possam os Denunciados contraditar os fatos e as provas que lhes dão supedâneo”, escreveu ainda o juiz.

A denúncia em questão havia sido apresentada em 2017 pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot. O chefe do Ministério Público Federal apontou Michel Tremer como líder de uma organização criminosa composta por correligionários, que teria atuado em diversos órgãos públicos, como Petrobrás, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados, em troca de propinas de mais de R$ 587 milhões.

No final de março, o mesmo juiz absolveu o ex-presidente da acusação de corrupção e lavagem de dinheiro em processo aberto a partir das investigações do caso do Decreto dos Portos, também por não considerar que os crimes ficaram provados.

“A absolvição de João Baptista Lima Filho põe fim ao absurdo roteiro ficcional criado pelo Ministério Público Federal, fruto de uma injusta e desmedida ânsia acusatória”, afirmam os advogados Maurício Silva Leite, Alexandre Sinigallia, Paola Forzenigo e Guilherme Pinheiro Amaral, que defenderam o coronel Lima na ação.

Fausto Macedo – Estadão Conteúdo

Opinião dos leitores

  1. Vamos rir pra não chorar, o crime voltou a compensar e quem Rouba , corrompe , monta esquema criminoso, frauda e faz de todo tipo de sacanagem em vez de réu criminoso vira vítima, essa justiça brasileira está atolada até o pescoço na lama.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Bolsonaro veta entrega de declaração do Imposto de Renda até 31 de julho

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

A Secretaria-Geral da Presidência informou nesta quarta-feira (5/5) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou o projeto que prorrogava, até 31 de julho, o prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física 2021, referente ao ano-calendário de 2020.

O texto foi aprovado pela Câmara em 13 de março, e em 6 de abril pelo Senado. O veto deve ser publicado no Diário Oficial da União desta quinta (6/5).

Com o veto, o prazo limite para entregar a declaração do Imposto de Renda é 31 de maio. Inicialmente, o prazo limite para entregar a declaração se encerrava em 30 de abril, mas foi prorrogado pela Receita Federal.

Em 2020, o prazo também foi prorrogado, por 60 dias, em razão da pandemia do coronavírus. Para este ano, a Receita estima que sejam entregues 32.619.749 declarações.

De acordo com o Palácio do Planalto, a prorrogação até 31 de julho contrariava o interesse público. Além disso, o texto mantinha o cronograma de pagamento da restituição, o que, segundo o governo, teria como consequência um fluxo de caixa negativo.

Justificativa

Na justificativa do veto, o Planalto também argumentou que a proposta poderia causar um “desequilíbrio do fluxo de recursos”, abrindo possibilidade para que o calendário de restituição fosse afetado, além de comprometer a arrecadação dos entes federativos e o repasse de recursos ao Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE) e Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

O governo ainda informou que o projeto afetaria a entrada de recursos aos cofres públicos referentes à devolução do auxílio emergencial recebido indevidamente em 2020.

Restituição

De acordo com a Receita Federal, o cronograma previsto para restituição das declarações é o seguinte:

  • 1º lote: 31 de maio
  • 2º lote: 30 de junho
  • 3º lote: 30 de julho
  • 4º lote: 31 de agosto
  • 5º lote: 30 de setembro

Metrópoles

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Copom eleva juros básicos da economia para 3,5% ao ano; Decisão era esperada pelo mercado financeiro

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Em meio ao aumento da inflação de alimentos, combustíveis e energia, o Banco Central (BC) subiu os juros básicos da economia em 0,75 ponto percentual pela segunda vez consecutiva. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa Selic de 2,75% para 3,5% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

Com a decisão de hoje (5), a Selic continua em um ciclo de alta, depois de passar seis anos sem ser elevada. De julho de 2015 a outubro de 2016, a taxa permaneceu em 14,25% ao ano. Depois disso, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano, em março de 2018.

Em julho de 2019, a Selic voltou a ser reduzida até alcançar 2% ao ano em agosto de 2020, influenciada pela contração econômica gerada pela pandemia de covid-19. Esse era o menor nível da série histórica iniciada em 1986.

Inflação

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em março, o indicador fechou no maior nível para o mês desde 2015 e acumula 6,1% no acumulado de 12 meses, pressionado pelo dólar e pela alta dos combustíveis e do gás de cozinha.

O valor está acima do teto da meta de inflação. Para 2021, o Conselho Monetário Nacional (CMN) tinha fixado meta de inflação de 3,75%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. O IPCA, portanto, não podia superar 5,25% neste ano nem ficar abaixo de 2,25%.

No Relatório de Inflação divulgado no fim de março pelo Banco Central, a autoridade monetária estimava que, em 2021, o IPCA fecharia o ano em 5% no cenário base. Esse cenário considera um eventual estouro do teto da meta de inflação no primeiro semestre, seguido de queda dos índices no segundo semestre.

A projeção está em linha com as previsões do mercado. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, a inflação oficial deverá fechar o ano em 5,04%. A projeção oficial só será atualizada no próximo Relatório de Inflação, no fim de junho.

Crédito mais caro

A elevação da taxa Selic ajuda a controlar a inflação. Isso porque juros maiores encarecem o crédito e desestimulam a produção e o consumo. Por outro lado, taxas mais altas dificultam a recuperação da economia. No último Relatório de Inflação, o Banco Central projetava crescimento de 3,6% para a economia em 2021, decorrente da segunda onda da pandemia de covid-19.

O mercado projeta crescimento menor. Segundo a última edição do boletim Focus, os analistas econômicos preveem expansão de 3,14% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos pelo país) neste ano.

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Ao reduzir os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Brasil registra 2.811 óbitos e 73 mil novos casos nas últimas 24h

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta quarta-feira (5):

– O país registrou 2.811 óbitos nas últimas 24h, totalizando 414.399 mortes;

– Foram 73.295 novos casos de coronavírus registrados, no total 14.930.183 milhões pessoas já foram infectadas.

– O número total de recuperados do coronavírus é 13.529.572, com o registro de mais 86.576 pacientes curados. Outros 986.212 pacientes estão em acompanhamento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Delegados aprovam regimento interno do Plano Diretor; discussões começam nesta quinta (6)


Foto: Divulgação/Semurb

O primeiro dia da Conferência de Revisão do Plano Diretor de Natal (PDN) começou na manhã desta quarta-feira (5), com plenária para aprovação do Regimento Interno e cronograma de atividades. Dos 119 delegados eleitos, 97 participaram do evento, que ocorreu de maneira virtual e foi transmitido ao vivo pelo canal do YouTube do PDN. O documento proposto pelo Conselho da Cidade (Concidade) foi posto em votação e aprovado com alguns ajustes pelos delegados. As discussões já começam a partir desta quinta (6), com reuniões internas de cada segmento e seguem até o dia 16 de junho.

Com o regimento aprovado, o cronograma de atividade seguirá três etapas: a primeira de 6 a 12 de maio, onde os segmentos envolvidos irão realizar reuniões internas e discutir a minuta. Já a segunda, de 17 a 21 de maio, onde serão realizadas intervenções e apresentações das propostas de alteração da minuta de lei; e também de 24 a 26 de maio com o envio das propostas de cada segmento pelos relatores. E por fim, a terceira etapa, de 14 a 16 de junho, quando acontece a votação.

O secretário de governo (SMG), Joham Xavier, participou do evento representando o prefeito Álvaro Dias e abriu a reunião parabenizando os delegados eleitos e a retomada das discussões do Plano. Ressaltando que a nossa capital possui mais de 70 áreas de interesse social, que incluem bolsões de pobreza e um percentual de 60% dos imóveis sem registro imobiliário.

“Sendo assim, precisamos repensar o ordenamento urbano de com proposições mais modernas, quanto à ocupação do seu solo, do potencial construtivo, das áreas de proteção ambiental e interesses turísticos”, comentou Joham Xavier. E emendou, “então a partir de hoje (5) até 16 de junho teremos várias discussões e formulações de propostas para enriquecer mais ainda o processo de revisão que é participativo”.

A primeira etapa começa com as plenárias internas para os segmentos das entidades profissionais, acadêmicas, de pesquisa e conselhos profissionais, e também dos movimentos populares, que se reúnem nesta quinta-feira (6), das 9h às 12h e das 14h às 17h.  Já na sexta-feira (7), é a vez dos  trabalhadores por suas instituições sindicais.

No dia 10 de maio,  são os representantes do poder público que fazem suas plenárias. No dia 11, os empresários relacionados à produção e ao financiamento do desenvolvimento urbano. E, por fim, no dia 12 de maio, as organizações não governamentais com atuação na área do desenvolvimento urbano e ambiental encerrando essa primeira etapa. Confira o cronograma detalhado aqui.

Alterações no regimento

Os ajustes ao regimento proposto pelo Concidade foram o acréscimo de um parágrafo único ao art. 5º, que trata da primeira etapa da Conferência. Nele foi acrescentado, que a agenda das reuniões por segmento pode ser estendida em até mais um dia, caso necessário e aprovado por 50% + 1 dos delegados do respectivo segmento. E a criação do art. 16º, que trata da disponibilização de um plantão para tirar dúvidas dos delegados do PDN, durante todas as fases da conferência, que poderá ser por e-mail e whatsapp.

Os delegados são os responsáveis por deliberar e apreciar a versão final do Projeto de Lei de Revisão da Lei Complementar nº 082 de 21 junho de 2007 (Plano Diretor de Natal), que será enviada à Câmara Municipal. Para o vice-presidente do Concidade, Albert Josuá Neto, a reunião de hoje foi muito tranquila e participativa.

“A metodologia aplicada hoje foi espetacular. Discutimos com os 97 delegados e aprovamos o regimento interno, que foi muito bem elaborado pelo Concidade, então não houve tantas modificações. A expectativa é que as discussões se iniciem amanhã que será por segmento e, a partir do dia 17 de maio ocorra a apresentação das propostas elaboradas pelos respectivos segmentos”, comentou Neto.

Para mais informações do processo de revisão, acompanhe o site do PDN no endereço planodiretor.natal.rn.gov.br, ou ainda, pelo Instagram @planodiretornatal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Prefeitura do Natal começa a imunizar com vacina da Pfizer pessoas de 55 a 59 anos com deficiências permanentes, doenças cardiovasculares e hipertensão

Nesta quinta-feira (6), a Prefeitura de Natal vai dar início à vacinação com o imunizante da Pfizer, destinada às pessoas com idades de 55 a 59 anos do seguinte grupo de comorbidades: pessoas com deficiências permanentes cadastradas no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e com doenças cardiovasculares e hipertensão arterial sistêmica.

O local de vacinação para o imunizante Pfizer será exclusivo no ginásio do SESI, localizado na Av. Capitão-Mor Gouveia, das 8h às 16h. A SMS Natal vai disponibilizar na sala de vacinação um intérprete de libras. As pessoas com deficiências permanentes que não possuem cadastro no BPC serão contemplados de acordo com a comorbidade, obedecendo o critério da idade.

“Como a vacina da Pfizer exige uma logística de armazenamento diferente, sendo necessária sala de refrigeração no próprio local onde a vacina será aplicada, escolhemos o ginásio do Sesi, nosso importante parceiro nessa jornada. O ginásio do Sesi também conta com acessibilidade”, explica o secretário de Saúde de Natal, George Antunes.

De acordo com o Plano Nacional de Imunização, são consideradas doenças cardiovasculares: Insuficiência cardíaca, Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar, Cardiopatia hipertensiva, Síndromes coronarianas, Valvopatias, Miocardiopatias e Pericardiopatias, Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas, Arritmias cardíacas, Cardiopatias congênitas no adulto, Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados; hipertensão arterial sistêmica (Hipertensão Arterial Resistente – HAR, Hipertensão arterial estágio 3, Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão alvo e ou comorbidade).

A vacinação para esse público com idade de 55 a 59 anos inicia nesta quinta-feira (06) e segue até dia 12.

DOCUMENTAÇÃO

Pessoas com deficiências permanentes (55 a 59 anos)
Apresentar comprovação de que faz parte do BPC – Benefício de Prestação Continuada, além de cartão de vacina, comprovante de residência de Natal e documento com foto.

Doenças Cardiovasculares ( 55 a 59 anos)
Devem levar cópia do laudo médico detalhado com CID – Cadastro Internacional das Doenças, exames comprobatórios e receituários ou cadastro no HIPERDIA ou cadastro no PROSUS, além de cartão de vacina, comprovante de residência de Natal e documento com foto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Cipriano Maia defende endurecimento nas medidas de restrição

Foto: Adriano Abreu

Em reunião do Comitê de Especialistas da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) na noite desta terça-feira (4), os integrantes demonstraram preocupação com o atual momento da pandemia. O indicador composto (veja aqui), que reúne uma série de informações sobre o quadro da pandemia no Rio Grande do Norte, aponta para uma piora em diferentes municípios do estado.

Na visão do secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia, o conjunto dos dados atuais não indica que seja para manter abertos ambientes que tenham alto risco de transmissão. “Os dados nos mostram que precisamos dar atenção mais ainda a todas as medidas de cuidado e evitar assim a transmissão desse vírus tão mortal para não chegarmos a uma terceira onda”, afirmou o secretário.

Apesar do secretário não ter especificado quais seriam os ambientes de alto risco de transmissão, que estariam abertos e que ele defende não manter abertos, fica claro que ele defende um endurecimento nas medidas de restrição, com base nos dados divulgados.

A análise feita pelo indicador composto aponta que o RN está há duas semanas com índices tanto de mortalidade quanto de casos confirmados com curva crescente. De acordo com o documento, as regiões Metropolitana de Natal, Oeste, Agreste e Vale do Açu estão em alerta vermelho para a taxa de casos ativos, o que corresponde a um aumento de casos confirmados na maior parte do estado.

DADOS

O levantamento mais recente do indicador composto, liberado no dia 4, aponta que 84,8% da população potiguar está em área de alerta, entre o sinal amarelo (3 e 4 pontos) e vermelha (5 pontos). A análise por região mostra que apenas o Alto Oeste conta com mais da metade de sua população em áreas de sinal verde (1 ou 2 pontos), apesar de ainda contar com 11,3% em sinal vermelho.

Na outra ponta, a Região Metropolitana está com toda a população em sinal amarelo, seguida do Agreste (94,6%), do Oeste (88,2%) e do Vale do Açu (84,3%).

O acompanhamento do indicador composto nas regiões, em comparação com o levantamento feito na última semana de abril, elenca que 78 municípios pioraram a situação, outros 80 mantiveram-se estáveis e apenas nove melhoraram de condição.

O indicador composto é fruto do trabalho da Sesap, do Comitê de Especialistas e da UFRN, sob a coordenação do professor Kenio Lima. O estudo permite um monitoramento da pandemia em todo o estado. O estudo reúne nove variáveis – casos ativos, ocupação de leitos, óbitos, entre outras – que traçam um olhar mais apurado sobre a situação de cada município e um escore que mostra a evolução a cada semana. Os dados servem de subsídio para a tomada de decisões na gestão da pandemia.

Opinião dos leitores

  1. Os que sobrarem desse desastrado governo, deverão dar, em solidariedade aos que morreram de fome ou covid, a devida resposta nas urnas. A maldade desse povo é uma coisa espantosa.

  2. Esse sujeito não pode ser levado a sério. Fez afirmações irresponsáveis no começo da pandemia, pregando terror na população . Terrorista incompetente!

  3. Fatima Bezerra e Cipriano Maia os verdadeiros genocidas no Rio Grande do Norte! Cadê os 5 milhões destinados a compra dos respiradores? Onde aplicaram os 1,8 bilhão destinado a saúde do Estado pelo Governo Bolsonaro?

  4. Devemos sim esta indiguinados. Porém nossa arma é o voto. Vamos banir de vez essa gente que tenta de todas as formas acabar com o nosso estado e colocar a culpa no Gov Federal.

  5. Se houvesse um estudo científico sério, incontroverso, imune a críticas, que demonstrasse a eficácia do isolamento social e do lockdown na diminuição de novos casos de Covid-19, e de mortes relacionadas à doença, então não se criticaria a adoção de tais medidas. Mas, ao contrário, em país nenhum onde houve a implantação das medidas severas de trancamento das pessoas, os casos diminuíram, vide os exemplos da Argentina, País que vem enfrentando o maior lockdown do mundo, Uruguai e Chile, estes 02 (dois) últimos, com larga vacinação em massa, mas que, juntos, estão enfrentando uma crescente de novos casos e mortes. Na verdade, o sr. Secretário Estadual de Saúde ecoa a ideologia política da sua “chefa”, e quanto mais a economia estadual sofrer, melhor para eles, pois podem culpar o Governo Federal. Acredita quem quiser. Idiotas úteis têm aos montes.

  6. Instalar UTIs esse cidadão não informa. Corta os salários dessa turma que resolve bem ligeirinho.

    1. O que ele vai querer é todo mundo na mão dele, até o gesto confirma. Isso é o gang dos PTralhas, querem é destruir o estado, pra depois vir com a istoria de reconstruir o estado. Isso é um bando de FDP

    1. Absurdo. O RN precisa de gente com sanidade mental e responsabilidade. Não se pode ter um lunático deste falando merda o tempo todo. Precisamos de alguém a altura e não deste canalha dissipador do caos. O RN está quebrando e sucumbindo a cada dia sem nenhuma atitude viável. É só fechar, fechar, fechar e não resolve cacete nenhum. Este imbecil precisa ser deposto do cargo junto a Fátima. Este governo está acabando o RN. Enquanto isso a Paraíba dá um show de administração e a jumenta do RN o show de perseguição e disseminação do Caos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *