Walfredo Gurgel terá leitos para assistir pacientes com Covid-19

O Corpo Diretivo do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) vem a público informar que – durante o período que durar a pandemia do Covid-19 – os pacientes do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) e as equipes médicas e de enfermagem deste setor, serão transferidos e assistidos no terceiro pavimento de enfermaria do hospital. Esta medida preventiva (e que tem caráter temporário) visa atender a uma demanda de pacientes que poderão adentrar o Pronto Socorro Clóvis Sarinho (PSCS), vítimas do trauma, mas com sintomatologia respiratória associada, causada pelo Coronavírus.

A antecipação da gestão a um muito provável aumento de casos de adoecimento pelo coronavírus do Rio Grande do Norte, tem como base o quadro epidemiológico similar ao brasileiro, vivenciado em outros países. Apesar do Walfredo Gurgel não ser uma unidade hospitalar de retaguarda para o Covid-19, existem muitas linhas de cuidados que são exclusivas de nossa assistência, como: pacientes politraumatizados ou outros agravos de causas externas, doentes hematológicos ou renais, acidente vascular cerebral que poderão adentrar o hospital com sintomas respiratórios e que terão de estar em área isolada, no próprio Walfredo, já que não haverá como os transferir para o Hospital Giselda Trigueiro (referência estadual para doenças infecto contagiosas).

Portanto, se fez necessário estabelecer, temporariamente, uma área no espaço físico do Centro de Tratamento de Queimados, para isolamento dos pacientes atendidos no HMWG com suspeita clínica e/ou  confirmação de COVID19 para garantir a segurança da equipe assistencial e a não circulação desses pacientes nas diversas áreas de cuidado.

A mudança visa – principalmente – ofertar um espaço adequado ao acolhimento de vítimas de uma doença potencialmente transmissível, que pode afetar a todos, inclusive e em especial aos agentes de saúde, considerando que as atuais áreas interditadas por obras, não possibilitam a disponibilidade destes espaços para fins de isolamento.

Neste sentido, precisamos entender que num cenário de grandes dificuldades, já vivenciado em outros países, medidas coletivas devem se sobrepor a pensamentos individuais. Estamos em um momento de exceção que, como tal, precisa ser tratado.

Por fim cabe ressaltar que a linha de cuidado do paciente vítima de queimadura não será interrompida dentro do HMWG. Os pacientes permanecerão sendo atendidos em nossa porta de urgência como sempre foram, continuarão tendo acesso às nossas UTIs se necessário for, conforme fluxo já estabelecido e serão internados em enfermarias para queimados em área exclusiva no 3º pavimento. Contudo, se algum desses pacientes apresentar sintomatologia sugestiva de COVID 19, o mesmo será deslocado para área de isolamento juntamente com os outros casos suspeitos ou confirmados.

Tão logo acabe a pandemia do Covid-19, e não haja mais pacientes internados com síndrome respiratória grave, o CTQ retornará, assim como suas equipes assistenciais, para seu local de origem.  Sabemos que o grupo de profissionais do nosso CTQ será capaz de fornecer atendimento aos pacientes queimados e atingir bons resultados da melhor forma possível, dentro das limitações temporárias impostas a todos os pacientes e funcionários do hospital, mas necessárias nessa hora de tantas dificuldades, sofrimento e angustia de todos.

Agradecemos a compreensão e o apoio de todos que fazem o HMWG.

CORPO DIRETIVO DO HMWG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Solução de jerico, uma pena que o corpo diretivo do hospital tenha dado respaldo a essa insanidade. Hospital geral de atenção às emergências clinicas e traumáticas, dando apoio e atençao a pacientes com doenças infecto contagiosas graves de fácil transmissao e insano. Colocar queimados com outros pacientes e decretar a morte dos mesmos, agravado pelo risco de disseminação do COVID 19 aos demais internos.

COMENTE AQUI