Saúde

Anvisa pode liberar 2º lote da CoronaVac ainda nesta semana

FOTO: ISAAC FONTANA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

A aprovação para uso emergencial do segundo lote com 4,8 milhões de doses da vacina contra covid-19 CoronaVac poderá ser decidida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) até o fim desta semana.

Isto porque a agência reguladora tem um prazo de dez dias para dar um parecer final sobre o pedido, feito na segunda-feira (18), desde que não haja pendências.

Nesta terça-feira (19), a Anvisa informou que fez uma checagem inicial dos documentos enviados pelo Instituto Butantan e que esta etapa “foi concluída de forma satisfatória”.

Um dos fatores que facilita a segunda aprovação é que um volume maior de documentos foi revisado para a primeira autorização. “Muitos documentos, estudos e dados são comuns aos dois pedidos. Não haverá retrabalho”, salienta a agência.

A partir de agora, técnicos das três áreas responsáveis (registro, boas práticas de fabricação e monitoramento de medicamentos) irão iniciar a análise das 933 páginas do pedido de uso emergencial.

O pedido

Os frascos foram envasados no Instituto Butantan, em São Paulo, a partir de vacinas a granel importadas da fábrica da Sinovac, na China, no fim do ano passado.

Todo o carregamento já está pronto para ser distribuído aos estados assim que a Anvisa emitir a autorização.

O Butantan teve que apresentar a nova solicitação à agência reguladora por haver diferenças entre o lote de 6 milhões de doses liberado no domingo (17) e o de 4,8 milhões.

“O primeiro pedido, aprovado no último domingo, tratava das vacinas importadas prontas e envasadas em monodose (suspensão aquosa injetável, 0,5mL/dose). Este segundo pedido trata do envase pelo Instituto Butantan da vacina em frasco-ampola multidose. Ou seja, as duas principais diferenças são que, o segundo pedido, trata de vacinas envasada no próprio Butantan e em uma embalagem diferente, o frasco-ampola multidose. Isso requer avaliar as informações adicionais submetidas pelo Instituto”, diz a Anvisa em nota.

R7

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

F1 faz Band colar na Globo e ocupar vice-liderança da audiência

Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

O GP da Emília-Romanha de F1 deste domingo (18) foi marcado pela vitória de Max Verstappen e pelas diversas reviravoltas na pista – e tudo isso significou, para a Band, ocupar por 45 minutos (não consecutivos) a vice-liderança da audiência na Grande São Paulo.

A transmissão da prova da F1 em Ímola deu média de 4,3 pontos de audiência para a Band, tendo como pico 5,5 pontos na aferição, obtidos nas voltas finais da prova. Vale lembrar que o ponto de audiência representa 76.557 domicílios e 205.377 indivíduos.

Enquanto a emoção acontecia na pista, em etapa válida pela segunda etapa do Mundial de 2021, a emissora paulista oscilou entre a segunda e a terceira posição da audiência, perdendo para a líder Globo e disputando a segunda posição com o SBT. A Band, porém, ficou bastante próxima da Globo: da largada ao final da prova, a diferença caiu de 5,2 pontos para apenas 1,3 ponto, de acordo com o Teleguiado.

Durante a transmissão completa, que englobou o pré-corrida, a prova, a entrega dos troféus e os comentários de Reginaldo Leme e Max Wilson já no ‘Show do Esporte’, a Band obteve 3,8 pontos de média, igualando-se a Record e ficando atrás do SBT (4,3) e Globo (7,4), que ocuparam as primeiras duas posições.

Terra

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

GRAVE: Médicos que atuam na UTI Neonatal do Hospital Santa Catarina denunciam que estão sem receber desde dezembro de 2020

A equipe que presta serviço na UTI Neonatal no Hospital Santa Catarina através de uma cooperativa denuncia que está sem receber seus salários desde dezembro de 2020. Alguns membros da equipe procuraram a cooperativa para saber sobre os atrasados foram informados que o contrato da cooperativa com o Governo do Estado expirou.

Segundo os médicos, este contrato já havia sido prorrogado pela Justiça. Eles disseram ainda que a cooperativa comunicou à SESAP sobre a situação dos profissionais mas até o momento não obtiveram resposta alguma, muito menos previsão de pagamento dos profissionais.

Diante desta situação, os médicos explicam que com a ausência dos cooperados a escala não vai fechar. Eles correspondem à metade do efetivo necessário para atender os pacientes. Mesmo sem receber, os cooperados combinaram que cumprirão a escala já publicada até maio e que a partir daí, buscarão um novo contrato.

Os médicos informaram que na próxima semana vão formalizar à SESAP que devem parar e que só retornam quando receber os valores devidos há 5 meses e houver um novo contrato e que ele seja cumprido. Além de toda esta situação, os médicos ainda denunciam que incubadoras que estão danificadas não foram colocadas para conserto, apenas guardadas em uma sala.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Auditores Fiscais emitem nota em solidariedade à colega auditora presa por decisão judicial, sem condenação transitada em julgado

Auditores fiscais emitiram nota em solidariedade à colega Alyne de Oliveira Bautista, presa desde o dia 14 de abril por decisão judicial, mesmo sem condenação transitada em julgado.

Segundo a nota, a prisão dela, ao que tudo indica, é consequência de um desenrolar de fatos a partir de uma denúncia feita por ela em 2019 e acatada pelo TCE-RN, que resultou na suspensão de um contrato entre o Governo do Estado e uma empresa fornecedora de serviços. Leia abaixo a nota na íntegra:

NOTA DE SOLIDARIEDADE

Não tenho em mim muitos desgostos
posso ter falhado em tudo
mas ainda não estou completamente vencida
porque só uma verdade me interessa
Ana de Santana

O SINDIFERN – Sindicato dos Auditores Fiscais do Tesouro Estadual do Rio Grande do Norte, a ASFARN – Associação dos Auditores Fiscais do RN, a FEBRAFITE – Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais e a FENAFISCO – Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, manifestam solidariedade à colega auditora fiscal Alyne de Oliveira Bautista, presa desde o dia 14 de abril por decisão judicial, mesmo sem condenação transitada em julgado.

Alyne é servidora pública estadual há 22 anos, tem uma ficha funcional limpa, jamais foi penalizada nem mesmo com uma advertência funcional, não tem ligações com o crime organizado, nunca foi condenada em quaisquer ações judiciais ao longo de sua vida, tem residência e local de trabalho fixos, e sempre pautou sua vida funcional e de cidadã pela civilidade e pelo cumprimento da lei.

A sua prisão não está relacionada a qualquer conduta de improbidade administrativa no exercício de sua função de Auditora Fiscal e, ao que tudo indica, é consequência de um desenrolar de fatos a partir de uma denúncia feita por ela em 2019 e acatada pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte, que resultou na suspensão de um contrato entre o Governo do Estado e uma empresa fornecedora de serviços.

A defesa impetrou um pedido de Habeas Corpus e o Fisco Estadual brasileiro aguarda serenamente o pronunciamento do Poder Judiciário norte-rio-grandense sobre o pedido de liberdade para Alyne Bautista, para que ela volte ao seu lar e possa continuar a sua vida de forma justa e honrada, como cidadã e servidora pública estadual.

SINDIFERN – Sindicato dos Auditores Fiscais do Tesouro Estadual do RN
ASFARN – Associação dos Auditores Fiscais do Rio Grande do Norte
FEBRAFITE – Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais
FENAFISCO – Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Novas imagens da briga de torcidas antes do jogo entre ABC e América-RN

Torcedores de ABC e América-RN entraram em confronto nas proximidades da Arena das Dunas no início da tarde deste domingo (18). Moradores das imediações registraram em vídeo a ação. Instantes depois do ocorrido, a polícia prendeu membros de torcidas organizadas após o confronto entre os grupos na mesma região.

Durante a confusão, os homens atiraram pedras e rojões e utilizaram vários carros para fuga. Nas ruas de Potilândia, os moradores relataram que foram ouvidos disparos de armas de fogo. Na BR-101, muitos veículos precisaram seguir na contramão para não passar pelo confronto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Religião

Após quase 1 mês, Papa Francisco volta a receber fiéis na Praça de São Pedro

Foto: Vicenzo Pinto/AFP

O Papa Francisco voltou a receber fiéis na Praça de São Pedro neste domingo (18), quase um mês depois que as celebrações públicas foram suspensas para evitar a 3ª onda da pandemia do coronavírus na Europa.

O líder da Igreja Católica rezou com seus seguidores a partir da tradicional janela do Palácio Apostólico, onde fica seu escritório, que dá diretamente para a praça símbolo do Vaticano.

Centenas de católicos se reuniram em frente ao palácio papal para acompanhar a oração. O uso de máscara era obrigatório, mas alguns não respeitaram as recomendações de distanciamento social.

O primeiro lockdown imposto na cidade-estado que fica dentro de Roma aconteceu em 2020, durante a primeira onda da pandemia, quando a Itália chegou a ser considerada o epicentro da doença no mundo.

De 8 de março a 24 de maio, o Papa conduziu as orações de domingo de dentro da Biblioteca do Palácio Apostólico, sua residência oficial, com transmissão ao vivo pela internet.

Desde então, as celebrações públicas na Praça de São Pedro foram suspensas mais duas vezes por conta dos protocolos sanitários:

  • Entre 20 de dezembro e 7 de fevereiro
  • Entre 21 de março e 11 de março

As celebrações da Semana Santa, no início de abril, aconteceram com público reduzido e uso obrigatório de máscaras.

Francisco conduziu na Sexta-Feira Santa, a exemplo de como foi no ano passado, uma nova cerimônia de Via-Sacra sem a tradicional multidão de fiéis.

A volta das celebrações na Praça de São Pedro acontece três dias depois que Francisco enviou uma mensagem de apoio aos brasileiros.

Na quinta-feira (15), O Papa Francisco disse em vídeo que os brasileiros enfrentam “uma das provas mais difíceis de sua história” pela pandemia de coronavírus.

A mensagem, gravada, foi enviada aos participantes da Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que reúne por videoconferência 485 bispos.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

“Não foi uma absolvição”, afirma Gilmar Mendes sobre caso de Lula

Foto: Gabriela Biló/Estadão

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, avalia que a Operação Lava Jato provocou um “colapso” no Judiciário, atingindo da primeira instância até o Superior Tribunal de Justiça (STJ). Em entrevista ao Estadão, Gilmar disse que essas instâncias sucumbiram a “pressões políticas” da força-tarefa que comandou a operação em Curitiba. “O STJ não cumpriu adequadamente seu papel”, afirmou.

O ministro ressalta que o Supremo anulou as condenações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por questões meramente processuais, ao concluir que os casos não deveriam ter ficado em Curitiba. O STF não entrou no mérito se o petista cometeu corrupção passiva e lavagem de dinheiro. “Não foi uma absolvição”, observou.

Expoente da ala garantista, Gilmar admite que a correção de rumos imposta pelo STF coincide com o momento em que a Lava Jato caiu em desgraça, mas afirma que isso se deve à “estrutura hierárquica do Judiciário”, na qual o Supremo é o último a se manifestar.

Gilmar já fez duras críticas a posições adotadas pelo novato Kassio Nunes Marques que coincidem com os interesses do presidente Jair Bolsonaro, responsável por sua indicação. Mesmo assim, disse não ver riscos de uma Corte “bolsonarista” e afirmou que os vínculos políticos dos magistrados vão se “esmaecendo com o tempo”. Veja a entrevista completa.

Estadão Conteúdo

Opinião dos leitores

  1. Esse ministro é UMA VERGONHA para o BRASIL. Quantos anos se passaram para descobrir que Curitiba não tinha competência para julgar o LADRÃO MOR do PAÍS. Vai se deitar !

  2. Vão inventar condenação sem condenação para justificar o desejo de condenar o Lula. Não existe condenação contra o Lula. Você só é culpado quando condenado. O antônimo de culpado é inocente. Acabou. Qualquer outra coisa é retórica alucinógena.

  3. E foi o quê. Se a Vara de Curitiba não tinha competência por que os togados não avisaram antes. STF envergonhado os brasileiros de bom senso.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO E FOTOS: Polícia age para conter confronto e prende membros de torcidas organizadas em Potilândia

A polícia militar prendeu integrantes de torcidas organizadas no início da tarde deste domingo (18), no bairro de Potilândia, em Natal, horas antes da realização do primeiro Clássico Rei da temporada, entre América-RN e ABC, na Arena das Dunas.

Segundo relatos foram ouvidos muitos tiros na região entre o edifício Jacumã e o viaduto do Quarto Centenário e também em algumas ruas de Potilândia. Uma das imagens mostra um grupo na calçada que foi rendido pela polícia.

Foto: reprodução

Foto: reprodução

Opinião dos leitores

  1. Respeito a opinião de todos, mas abc e América tem histórias gloriosas, grandes jogadores que chegaram a celecao, agora bosta mesmo praim, são vários dirigentes que deixaram o nosso futebol chegar ao fundo do poço , e mais bosta ainda foram os governantes que durante anos deixaram a bandidagem se organizar durante anos, em tem dos os setores da sociedade, e no futebol foi mais fácil ainda, pois se disfarçam de torcedores, e agora não está fácil acabar, porque deixaram sair do vontrole

  2. A pessoa que briga com outra com paus e pedras por causa desses times bosta daqui, realmente tem que ser eliminada do convívio com a sociedade. Porque só quer um motivo pra brigar

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19 e a importância das vacinas

Você sabia que, em tempos de pandemia, mais do que nunca, as vacinas são poderosas ferramentas para controlar e eliminar doenças infecciosas que ameaçam a vida?

Portanto, diante desse cenário que vivemos em virtude do Coronavírus, ressaltamos a importância de manter em dia a vacinação de rotina.

Sua família está devidamente imunizada?

Atenção: a descontinuidade com o calendário vacinal pode aumentar o número de indivíduos suscetíveis às doenças evitáveis (gripe, pneumonia, dengue…) o que pode acarretar em uma sobrecarga ainda maior ao sistema de saúde.

As vacinas estimulam a produção das defesas do organismo por meio de anticorpos específicos.
Assim, o corpo humano consegue se defender de forma eficaz. Quando o “ataque” acontece de fato, o sistema de defesa é reativado por meio da “memória” do sistema imunológico.

É isso que vai fazer com que a ação inimiga seja muito limitada ou, como acontece na maioria das vezes, totalmente extinta antes que a doença se instale.

A Clínica Mimar informa que a campanha nacional de vacinação contra a gripe já começou e a equipe está 100% abastecida para imunizar toda a sua família. Protejam- se!

Para maiores informações, entre em contato através dos telefones:

(84) 3345 – 0824 (Fixo e WhatsApp | Unidade Afonso Pena)

(84) 3013 – 4000 (Fixo e WhatsApp | Unidade Neópolis).

(84) 3012-2202 (Fixo e WhatsApp | Unidade Lagoa Nova).

𝐂𝐋𝐈́𝐍𝐈𝐂𝐀 𝐌𝐈𝐌𝐀𝐑 – A saúde da sua família por quem é especialista em vacinas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

375 mil salões de beleza no país fecharam as portas na pandemia

Foto: SARA SANTOS/R7 – 08.04.2021

“A conta não fecha, o custo na pandemia aumentou muito e a gente está sofrendo com a queda financeira. O que entra ajuda, mas é muito pouco”, afirmou o empresário, que era dono de três salões, mas dois deles foram fechados definitivamente por causa da crise e a consequência imediata foi a demissão de dezenas de funcionários.

Há 22 anos no setor, João já chegou a receber em seus três salões – um especializado em noivas, outro em maquiagens e o terceiro em cabelos –artistas como Mc Mirella e a atriz Livia Inhudes, que atuou na novela Chiquititas.

“Eu tenho esperança de que o ramo da beleza volte a crescer a partir do segundo semestre deste ano”, disse o empresário.

Ele não está sozinho, conforme indicam os dados ABSB (Associação Brasileira de Salões de Beleza). Cerca de 47% desses profissionais declararam ter muita dificuldade para manter o empreendimento de pé e 5% já baixaram as portas de vez. Ainda segundo as estimativas da entidade, mais de 375 mil salões de beleza no país já foram à falência desde o começo da pandemia.

Sofrem os grandes, sofrem os pequenos

Cabeleireira informal há mais de 12 anos na comunidade Santa Cruz, em Guarulhos, Elenice Souza também foi afetada em cheio com as consequências econômicas decorrentes da pandemia. Tendo como carro-chefe os alisamentos sem formol, ela também recorreu ao atendimento domiciliar e lançou mão da criatividade para sobreviver.

“Tive um respiro por causa do auxílio emergencial. Mas eu fui além, me reinventei e adotei planos mensais de tratamento capilar para atrair mais clientes”, contou a autônoma. “Sabendo das dificuldades financeiras das minhas clientes, tive essa brilhante ideia”, completou, orgulhosa.

Retomada

O presidente da ABSB (Associação Brasileira do Salões de Beleza), José Augusto Nascimento Santos, afirma que a área de beleza não está sendo tratada na profundidade necessária para uma cadeia econômica complexa.

“As atividades do setor, ainda que consideradas essenciais à saúde, estão sendo tratadas de forma superficial e prejudicando a coletividades de consumidores que dependem de tratamentos como de podologia, massagem pós cirúrgicas, terapias capilares etc.”

O dirigente faz menção ao decreto nº 10.344, baixado pelo presidente Jair Bolsonaro em 11 de maio de 2020, que colocou os salões de beleza e barbearias no rol de atividades consideradas essenciais à economia. Porém, o STF (Supremo Tribunal Federal) já tinha considerado, e reafirmou neste ano, que estados e municípios podem definir suas próprias regras, incluindo classificação de serviços essenciais.

Formalização e criatividade

De acordo com o Sebrae, a formalização de pequenos empreendedores, como é o caso da cabeleireira Elenice, é o melhor caminho para geração de renda e proteção durante a crise. Entre as vantagens estão direito à previdência social, modelo simplificado de tributação, inscrição no CNPJ sem custo e sem burocracia, entre outros.

Apesar da pandemia, em 2020 o país criou 3,4 milhões de novas empresas, alta de 6% em comparação a 2019. Ao final de 2020, o saldo positivo no país foi de 2,3 milhões de empresas abertas, com destaque para MEIs.

Aliada à formalização, a criatividade e a atualização são fundamentais para sobrevivência em tempos de crise. Conforme a SBSB, cerca de 75% dos donos de salões de beleza e cabeleireiros passaram a usar as redes sociais para vender seus produtos e compensar a queda na arrecadação. E, mesmo com a escassez de recursos e falta de capital de giro para investir, 44% dos proprietários começaram a oferecer novos itens durante pandemia.

R7

Opinião dos leitores

  1. Nenhum fechou por determinação do Governo Federal. Todos fecharam por ordens de prefeitos e governadores. Inclusive dona Fátima Bezerra transformou-se na maior lacradora de empresas e autônomos e, portanto, a DESTRUIDORA MÓR da economia do RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI da Pandemia deve apurar distribuição de cloroquina e ouvir fabricantes de vacinas

Foto: LQFex/Exército Brasileiro (31.mar.2020)

Indicados para compor a CPI da Pandemia discutem incluir no plano de trabalho da comissão frentes de investigação que incluem as omissões do governo federal na recomendação do distanciamento social, a produção e distribuição de hidroxicloroquina e cloroquina durante a pandemia, e a demora na compra de vacinas.

Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que deve assumir a vice-presidência da CPI, é provável que se definam sub-relatorias diante do grande volume de trabalho.

Todos os ministros que comandaram a Saúde no governo Jair Bolsonaro e o atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga, serão chamados a falar, segundo o senador Otto Alencar (PSD-BA). Também devem ser ouvidos os principais fabricantes de vacina, em especial a Pfizer, cuja negociação com o governo federal ficou travada por meses, diz Randolfe.

Os integrantes da CPI, cuja instalação deve ocorrer na próxima semana, ainda são cautelosos sobre quais serão os investigados da comissão. Mas há expectativa que Eduardo Pazuello figure entre os alvos.

Ele está na mira do Tribunal de Contas da União, onde ministros apoiam a apuração de responsabilidades do general e defendem que ele receba multa por erros cometidos na gestão da pandemia. Um dos primeiros atos da CPI será justamente requerer documentos ao TCU e ao Ministério Público Federal.

Os senadores têm reforçado sua posição de isenção e que não chegam na CPI com conclusões tomadas. Mas a pressão sobre o governo federal será intensa.

Randolfe Rodrigues diz que é “explícita” a influência do presidente Jair Bolsonaro em decisões erradas tomadas pelo Ministério da Saúde no enfrentamento da pandemia.

Ele defende fazer uma cronologia dos posicionamentos do presidente e relacionar com o avanço da crise. “Qual a consequência do presidente dizer à população que é só uma gripezinha, que não vai comprar a ´vachina´ do Doria, que quem tomar vacina vai virar jacaré, a demora em fechar a compra da Pfizer?”, diz o senador.

Otto Alencar diz que a ideia é fazer uma CPI também propositiva, que pressione o governo a corrigir rumos. Ele faz um diagnóstico ácido da gestão do Ministério da Saúde até agora.

“O governo passou um ano com um ministro à frente da Saúde com procedimentos totalmente equivocados, que realmente não deram certo, tanto que houve expansão da doença, veio a segunda onda, com falta de oxigênio, falta de insumos do kit intubação, o drama no Amazonas”, diz o senador.

Alencar, que é médico e foi secretário de saúde na Bahia, diz que o país ouviu “muito besteirol” de integrantes do governo federal durante a pandemia.

“Besteiras faladas por pessoas que não tem formação médica, a começar pelo presidente Jair Bolsonaro. Tudo o que ele falou foi errado: gripezinha, cloroquina, anita. Se nem a ciência entende direito ainda a doença, será ele a entender?”.

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) tem feito críticas públicas à gestão do governo Jair Bolsonaro. Em entrevista publicada neste sábado pelo jornal Folha de S.Paulo, disse que “não há dúvida nenhuma que um dos principais culpados pela situação a que nós chegamos é o governo federal”.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Nada contra a CPI. Deve ter sim. Agora conduzida por Renan, que participou de tudo que é mais obscuro, nesse País. Para tudo e reorganiza. Tem coisa errada aí

  2. CPI nunca deu em nada

    Não sei como esse povo ainda acredita em políticos

    Todos vão usar essa cpi como palanque eleitoral pra 2022

  3. E aplicação dos recursos! não será apurado nada? definitivamente o Brasil não é para amadores…

  4. Podia fazer uma devassa nas compras por dispensas de licitações, inclusive as empresas que venderam os materiais e as prestadora dos serviços.

    1. Aí é que vc se engana , a cloroquina salvou muitas vidas , vá se atualizar . Os petistas que não tomaram nada , acreditando nos bandidos , morreram por falta de um tratamento profilático .

    2. A cloroquina pode levar gente pra cadeia. Caso o que vem sendo divulgado, como mortes por uso deste medicamento para tratamento da covid, vai ter muita gente encrencada,que saiu vendendo como a solução para o combate a doença.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *