Boneco Cidadão pode ser solto ainda hoje

Episódio lamentável esse da prisão de um boneco que protestava contra os buracos de Natal. Uma atitude que não combina com democracia. A Prefeitura poderia ter passado sem essa. Segue reportagem do Diário de Natal.

Preso desde a última segunda-feira por fiscais da prefeitura de Natal, o Boneco Cidadão – criado há cerca de três meses para denunciar os problemas de infraestrutura nas ruas da cidade -, pode ser solto ainda hoje. Depois da apreensão, os donos do boneco entraram com um pedido de liberação, junto ao Tribunal de Justiça e aguardam a decisão do Judiciário sobre o caso. O boneco está na Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), razão que levou manifestantes a promover, na tarde de ontem, a Marcha dos Bonecos, como forma de protesto contra a apreensão do personagem. Segundo os organizadores do movimento, a intenção é pedir a liberação do boneco e lutar pela garantia da liberdade de expressão.

De acordo com o presidente da Associação dos Melhores Amigos do bairro Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte de Natal, Milklei Leite de Farias, o Boneco Cidadão percorreu 21 ruas da cidade e dessas, 13 já tiveram o problema solucionado. “A prefeita acha que temos algo contra ela, mas também estamos denunciando o descaso do governo do estado. Colocamos o boneco em diversos locais que são de responsabilidade do estado e cinco lugares já tiveram os problemas solucionados. Ele faz em poucos dias o que os governos não fazem em anos”, disse. Segundo Milklei, se o boneco for solto, será realizada uma carreata partindo da sede da Semurb até a prefeitura.

Para o líder comunitário Francisco Gomes de Lima, conhecido como Chiquinho, se algo acontecer com o boneco, os responsáveis por ele irão pedir indenização. “Tive informações de que haviam quebrado o braço do boneco. Nem ele está livre do abuso de poder e da arbritariedade da prefeitura”, afirmou. Informações de bastidores são de que a ordem para a prisão do boneco partiu do Chefe de Gabinete da prefeita Micarla de Sousa, Kalazans Bezerra. A reportagem do Diário de Natal procurou o secretário, mas ele não atendeu as ligações.