Esporte

CASO GERSON – FLAMENGO: Bahia informa que perícias em língua estrangeira não comprovam injúria racial, e diz que vai reintegrar Ramírez por ‘inexistência de provas’

Foto: Jorge Rodrigues / AGIF

Nesta véspera de Natal, o Bahia divulgou uma ‘carta à sociedade’ onde informa que o atleta Índio Ramírez será reintegrado ao elenco após o afastamento devido às acusações de injúria racial por parte de Gerson, do Flamengo. A decisão do Tricolor foi motivada por ‘inexistência de provas e possíveis’, mesmo entendendo que a palavra do jogador rubro-negro é revelante.

“Os laudos das perícias em língua estrangeira contratadas pelo Bahia não comprovam a injúria racial e o clube entende que, mesmo dando relevância à narrativa da vítima, não deve manter o afastamento do atleta Índio Ramírez ante a inexistência de provas e possíveis diferenças de comunicação entre interlocutores de idiomas diferentes. O papel do Bahia é de formação e transformação, sempre preservando os direitos fundamentais e a ampla defesa. O atleta deverá ser reincorporado ao elenco tão logo os profissionais da comissão técnica e psicólogos entendam adequado”.

Na carta, o Bahia também enfatizou que continuará atento aos desdobramentos do caso e anunciou que incluirá cláusula antirracista, xenofóbica e homofóbica no contrato dos atletas. Confira abaixo o que o Tricolor baiano chamou de ‘conjunto imediato de medidas estruturais’.

Confira a carta do Bahia na íntegra:

“PARTE 1 – O RACISMO E A SOCIEDADE

O racismo faz nosso país sangrar. Pela morte, pela dor, pelas portas fechadas, pela discriminação no mercado de trabalho, pela violência diária de todas as formas. O racismo entra pela fresta das casas, está nas ruas, nos supermercados, nas empresas e também no futebol. Segue impregnado por todos os lados. Combater o racismo é dever de todos: das organizações, dos governos e sobretudo das pessoas que historicamente se beneficiaram de uma estrutura social e econômica sustentada na branquitude e no racismo. O racismo é um fenômeno concreto e opera para além das estatísticas de expectativa de vida, acesso à saúde e garantias dos direitos fundamentais e dignidade humana. O racismo é persistente, gritante, barulhento e, por muitas vezes, silenciosamente cruel.

PARTE 2 – O BAHIA NO DEBATE RACIAL

Há três anos, através do Núcleo de Ações Afirmativas, o Bahia se tornou referência internacional na luta antirracista. As campanhas educativas do clube viraram tema de vestibular em universidades e de redação em escolas. Além das campanhas, o Bahia foi o primeiro time de futebol no mundo a lançar um programa de imersão para debater os aspectos estruturais do racismo. O “Dedo na Ferida” capacitou 484 pessoas em 15 organizações de 3 capitais brasileiras. Funcionários, diretores, conselheiros, torcidas organizadas, profissionais de imprensa, além de empresas de fora do esporte, participaram gratuitamente. Antes disso, homenageou personalidades negras do passado e do presente em suas camisas. Na divisão de base, o Bahia possui amplo programa de desenvolvimento humano tendo o combate ao racismo como tema principal. Há apenas 33 dias, abriu programa de trainee exclusivo para pessoas autodeclaradas pretas, ao todo com 305 candidatos, em outra inovação no futebol.

PARTE 3 – ACONTECEU COM O BAHIA? QUAL O SENTIDO DISSO?

O episódio do último domingo (20), com toda a sua repercussão e simbologia, nos revela que o combate ao racismo deve ser ainda mais aprofundado no nosso clube e no Brasil. O Bahia é um reflexo de uma sociedade que carrega o racismo em suas estruturas. A questão racial não pode servir de pano de fundo para uma disputa entre clubes e torcidas rivais. O racismo não veste uma só camisa. A postura antirracista deve ser constante e não apenas quando convém ao time que torcemos. No caso do Bahia, embora já venha perseguindo a luta antirracista, seria ingênuo acreditar que estaríamos imunizados a um fenômeno tão complexo e particularmente enraizado na sociedade brasileira. Ninguém está! Ser antirracista no Bahia não é apenas uma opção da presente gestão, mas uma obrigação institucional.

PARTE 4 – O QUE FAZER?

Os laudos das perícias em língua estrangeira contratadas pelo Bahia não comprovam a injúria racial e o clube entende que, mesmo dando relevância à narrativa da vítima, não deve manter o afastamento do atleta Indio Ramírez ante a inexistência de provas e possíveis diferenças de comunicação entre interlocutores de idiomas diferentes. O papel do Bahia é de formação e transformação, sempre preservando os direitos fundamentais e a ampla defesa. O atleta deverá ser reincorporado ao elenco tão logo os profissionais da comissão técnica e psicólogos entendam adequado.

O Futebol é reflexo de uma sociedade que, quando não nega o racismo, adere a um populismo punitivista que finge resolver o problema apenas punindo o agressor. Atos de discriminação racial não são “casos isolados”.

Portanto, por entender seu papel de entidade de interesse público, o Bahia se compromete publicamente a adotar um conjunto imediato de medidas estruturais:

1. Inclusão de cláusula anti-racista, xenofóbica e homofóbica no contrato dos atletas.

2. Proposta de criação de protocolo antidiscriminatório para jogos de futebol no Brasil.

3. Implantação do projeto “Dedo na Ferida” para o elenco na pré-temporada. Não haverá jogador ou jogadora que vista a camisa do Bahia sem que tenha antes a oportunidade de obter acesso a uma imersão sobre racismo estrutural.

4. Encaminhamento junto à mesa do Conselho Deliberativo do clube para incorporação de cotas raciais nas próximas eleições.

5. Inclusão de espaço no Museu do Bahia dedicado ao combate e debate do racismo, xenofobia, sexismo e LGBTfobia e demais formas de intolerância.

6. Apoio ao projeto de lei que Cria o Dia Nacional Da Luta Contra o Racismo no Futebol

Adicionalmente, o Bahia seguirá acompanhando os desdobramentos que ocorrerem fora das instâncias do clube, seja na Polícia Civil ou no Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

Além de negros, somos nordestinos e conhecemos bem o poder do preconceito e da exclusão pela xenofobia. Diante disso e das provas constituídas, caberá ao atleta Ramírez decidir pela denúncia ou não quanto ao tema – e ao Bahia apoiar a decisão.

Desde o domingo à noite o Bahia procurou uma rede de apoio formada por lideranças ligadas a movimentos sociais de enfrentamento ao racismo como o Observatório de Discriminação Racial e instituições como a Defensoria Pública e o Ministério Público do Estado, com quem está construindo um Termo de compromisso antirracista. Entendemos que nesse momento é necessário incorporar o compromisso com a implantação real e perene da agenda antirracista. Desta forma, respaldo institucional e a experiência de tais atores deste processo consolida e qualifica as nossas decisões.

Muitas das ações propostas neste documento, dentre outras, estarão sendo instrumentalizadas, nos próximos dias em convênios, parcerias e termos de compromissos com a agenda de enfrentamento ao racismo. As decisões e propostas durante esse processo tiveram a colaboração dos voluntários do nosso Núcleo de Ações Afirmativas, professores e ativistas atuantes no debate racial nas universidades e nos movimentos sociais.

O Bahia segue como um clube atento ao seu papel de transformação e bem-estar social. O futebol não é um fim em si mesmo. É um agente que deve promover união, preservação do patrimônio cultural, lutas por igualdade e diversidade dentro e fora das quatro linhas.

Esporte Clube Bahia.”.

Esporte Interativo

 

Opinião dos leitores

  1. Se comprovar que o Ramires não falou o que Gerson diz, não é nenhuma novidade, este clube é imbatível em casos criminosos e irregulares, tem o caso dos garotos que morreram queimados, até hoje não entraram em um acordo razoável para indenizar as famílias, mas pagar 1,6 milhões para o Gabigol por mês pode, tem o caso da portuguesa que levou dinheiro do Flamengo em 2014 para escalar heverton na última partida para perder pontos favorecendo o Flamengo permanecer na série A.
    Tem casos de aliciamento de jogadores, um exemplo é o do William Arão que saiu do Botafogo , hoje já está notificado pela justiça para pagar 7 milhões.
    Enquanto houver um Marinho na globolixo este time mesmo com todos esses casos criminosos, continuará nas cabeças.
    Isso é o Flamengo, não existe igual.

  2. Tem que processar esse atleta mentiroso que inventou essa celeuma na vida do jogador do Bahia. Isso é um perigo em se tratando de atletas profissionais que trabalham para ganhar o seu sustento.
    Mas a bandidagem de Gerson tem que ser apurada e ele deveria ser suspenso por mentir para toda uma nação.
    Cabra safado.

  3. Amigo desculpe, mais o que uma coisa tem a ver com a outra? Crimes distintos, culpas distintas, bem como penas. Caso houvesse havido crime do jogador índio, que ao que parece, nao restou caracterizado, absolviçao e ponto. O crime do CT do Flamengo está sendo respondido, caso haja culpa ou dolo, rogar que os culpados sejam punidos. Um crime não anula o outro.

  4. Engraçado essa atitude do flamengo em penalizar um atleta por causa de discussão besta de futebol , enquanto isto, as crianças que o clube matou da pior forma que existe tiveram sua indenização negada covardemente. É muita hipocrisia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Bolsonaro assina MP que libera mais R$ 5,5 bilhões para aquisição e produção de 150 milhões de doses de vacina contra Covid

Foto: Bio-Manguinhos/Fiocruz

O presidente Jair Bolsonaro editou nesta segunda-feira mais uma medida provisória para a liberação de recursos para a aquisição e produção de vacinas contra a Covid-19. O presidente liberou R$ 5,5 bilhões em crédito para o Ministério da Saúde. Os valores servirão para a produção e distribuição de 50 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, fabricada no Brasil pela Fiocruz, e para a aquisição de mais 100 milhões de doses de vacinas.

O governo federal decidiu publicar nova medida provisória porque já empenhou R$ 16,1 bilhões dos R$ 19,9 bilhões do crédito autorizado no início do ano para a aquisição de doses, bem como as despesas com insumos, logística, e publicidade.

Na semana passada, em depoimento para a CPI da Covid, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga anunciou a dispensa de licitação para a aquisição de mais 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pela farmacêutica Pfizer.

Nas últimas semanas, o Ministério da Saúde tem feito ajustes finais no novo contrato com a empresa norte-americana. O Brasil já tem um contrato, que foi firmado em março, para a disponibilização de 100 milhões de doses ao país até o final do terceiro trimestre de 2021. Um primeiro lote com 1 milhão de vacinas da Pfizer/BioNTech chegou ao Brasil na quinta-feira passada, dia 29. Outras 628 mil doses foram entregues ontem.

Nesta segunda-feira, o Instituto Butantan também liberou mais 2 milhões de doses da CoronaVac, a vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o órgão paulista. Até esta segunda-feira, já foram aplicadas 46,8 milhões de doses no Brasil.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Aras nega investigar Bolsonaro por cheques de Queiroz para Michelle

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O procurador-geral da República, Augusto Aras, disse ao STF (Supremo Tribunal Federal) que não vai investigar o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) pelos pagamentos de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. A decisão foi enviada, em ofício, ao gabinete do ministro do STF Marco Aurélio Mello.

Segundo Aras, no momento não existe “lastro probatório mínimo para ensejar investigação” contra Bolsonaro.

A decisão foi tomada em uma ação apresentada pelo advogado Ricardo Bretanha Schmidt, de Santa Catarina. O defensor pediu abertura de investigação em agosto do ano passado para tratar do eventual envolvimento do chefe do Executivo nas transações entre Queiroz e Michelle.

O ex-assessor é acusado de envolvimento em um esquema de rachadinha montando no gabinete de Flávio quando ele ocupava cargo na Alerj. O jurista cita reportagens destacando que Queiroz enviou para Michelle 21 cheques no total de R$ 71 mil entre 2011 e 2016.

No entanto, para Aras, não existem indícios de que Bolsonaro esteja envolvido em irregularidades neste caso. Para Aras, apesar das relações entre Queiroz e o senador serem alvos de investigação no Rio, não existem “indícios do cometimento de infrações penais pelo presidente da República”.

Com informações de Poder 360 e Correio Braziliense

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil chega a 35,9 milhões de vacinados com a 1ª dose de vacina contra covid, 16,9% da população

Foto: reprodução/Prefeitura de Piraquara-PR

Balanço da vacinação contra Covid-19 desta segunda-feira (10) aponta que 35.909.617 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo dados divulgados até as 20h. O número representa 16,96% da população brasileira.

A segunda dose já foi aplicada em 18.073.591 pessoas (8,54% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal.

No total, 53.983.208 doses foram aplicadas em todo o país, somando a primeira e segunda doses.

De ontem para hoje, a primeira dose foi aplicada em 581.772 pessoas e a segunda dose em 326.608, com um total de 908.380 doses aplicadas neste intervalo.

Quantas doses cada estado recebeu até 10 de maio

  • AC: 250.240
  • AL: 1.063.800
  • AM: 1.610.699
  • AP: 205.130
  • BA: 4.985.060
  • CE: 2.915.300
  • DF: 987.410
  • ES: 1.448.650
  • GO: 2.231.830
  • MA: 2.046.770
  • MG: 7.568.640
  • MS: 993.420
  • MT: 1.033.630
  • PA: 2.297.770
  • PB: 1.459.030
  • PE: 3.092.180
  • PI: 1.026.980
  • PR: 4.116.460
  • RJ: 4.391.120
  • RN: 1.167.010
  • RO: 484.468
  • RR: 206.980
  • RS: 4.921.310
  • SC: 2.564.570
  • SE: 691.840
  • SP: 14.588.560
  • TO: 465.760

Origem dos dados

  • Total de doses: números divulgados pelos governos estaduais.
  • As informações sobre população prioritária e doses disponíveis são do Ministério da Saúde.
  • As estimativas populacionais são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A informação é resultado de uma parceria do consórcio de veículos de imprensa, formado por G1, “O Globo”, “Extra”, “O Estado de S.Paulo”, “Folha de S.Paulo” e UOL.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Relatório detalha fichas criminais de mortos no Jacarezinho: tráfico, posse e uso de drogas, furto, roubo, porte ilegal de armas, ameaça e lesão corporal

Foto: reprodução/TV Globo

Um relatório da Subsecretaria de Inteligência (SSinte) da Polícia Civil do Rio de Janeiro detalha as fichas criminais de 25 dos 27 suspeitos mortos no Jacarezinho, favela na Zona Norte do Rio. Os outros dois que não tinham anotações de crimes tinham envolvimento com o tráfico confirmado em depoimento por parentes. Um deles era menor de idade.

Na semana passada, ao divulgar informações sobre a operação, a polícia havia dito que todos os mortos na operação mais letal da história do estado tinham antecedentes criminais e que entraram em confronto com os agentes.

Detalhamento dos crimes

O documento aponta que 12 deles tinham envolvimento com o tráfico de drogas no Jacarezinho.

Outros 12 tinham registros por outros crimes, como posse e uso de drogas, furto, roubo, porte ilegal de armas, ameaça e lesão corporal. Um foi fichado por desacato.

Dos 12 mortos sem denúncia de envolvimento com o tráfico, a polícia afirma que, em três casos, parentes confirmaram em depoimento a ligação deles com facções criminosas.

No caso dos outros nove, a polícia justificou o envolvimento deles com o tráfico a partir de fotos e mensagens publicadas em redes sociais.

O relatório traz, ainda, fotos dos mortos retiradas de redes sociais. Em muitas, eles aparecem portando armas.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

EUA autorizam vacina da Pfizer contra Covid para faixa etária de 12 a 15 anos

Foto: Mario Tama/Getty Images

A Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos autorizou nesta segunda-feira a vacina contra Covid-19 da Pfizer e da parceira BioNTech para uso em crianças a partir de 12 anos, ampliando o programa de vacinação do país.

A vacina está disponível nos EUA sob uma autorização de uso emergencial para pessoas a partir dos 16 anos. A Pfizer e a BioNTech disseram que iniciaram o processo de aprovação total para essas idades na semana passada.

A FDA afirmou que estava fazendo alterações para incluir milhões de crianças de 12 a 15 anos.

É a primeira vacina contra Covid-19 a ser autorizada nos Estados Unidos para essa faixa etária, vista como um passo importante para levar as crianças de volta às escolas com segurança.

O presidente dos EUA, Joe Biden, pediu aos Estados que disponibilizassem a vacina aos adolescentes mais jovens imediatamente.

“A ação de hoje permite que uma população mais jovem seja protegida da Covid-19, aproximando-nos de retornar a um senso de normalidade e acabar com a pandemia”, disse a comissária em exercício da FDA, Janet Woodcock, em um comunicado.

“Os pais e responsáveis podem ter certeza de que a agência realizou uma revisão rigorosa e completa de todos os dados disponíveis, como fizemos com todas as nossas autorizações de uso de emergência da vacina contra Covid-19.”

A maioria das crianças com Covid-19 desenvolve apenas sintomas leves ou nenhum sintoma. No entanto, as crianças correm o risco de adoecer gravemente e ainda podem transmitir o vírus.

Houve surtos relacionados a eventos esportivos e outras atividades para crianças nessa faixa etária.

UOL

Opinião dos leitores

  1. Uma prova que o governo parece não ter empenho para vacinar são os ataques que o presidente e outros membros do seu governo fazem a China, maior fornecedor de vacinas para o Brasil. Consequências disso é que está faltando vacinas e pode faltar insumos para produção da coronavac no Brasil. Enquanto isso, outros países seguem com o fornecimento normal. Alguém deve ser responsabilizado por essa irresponsabilidade.

    1. Esses esquerdistas só falam besteira, a China tem 1,5 bilhões de bocas para alimentar, precisa do Brasil tanto quanto, vai estudar desocupado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Juiz volta atrás e autoriza Prefeitura de Natal a colocar a Ivermectina no protocolo de atendimento a pacientes com Covid-19


Foto: Dirceu Portugal/FotoArena/Estadão Conteúdo

O juiz Cícero Martins de Macedo Filho, da 4ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Natal, voltou atrás na decisão que mandava a Prefeitura do Natal retirar a Ivermectina do protocolo de tratamento de pacientes da Covid-19. A decisão anterior havia sido publicado na sexta-feira (7) após ação movida pelo senador Jean Paul Prates.

O documento citava que o o medicamento deveria ser tirado do protocolo de tratamento, mas poderia ser distribuído pelo município e prescrito pelo médico, respeitando a autonomia.

“Revendo o que foi posto por este Juízo na decisão, convenço-me que, efetivamente, há nela um equívoco que pode suscitar dúvidas, podendo complicar o seu entendimento. Existe, sim, uma contradição, que pode e deve ser agora corrigida”, diz o juiz na decisão proferia após pedido de liminar da Prefeitura de Natal.

Com informações de G1-RN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN receberá mais 18 mil doses da vacina da Pfizer na manhã de terça (11)

Foto: Zeljko Zukunic/PIXSELL/picture alliance

O Rio Grande do Norte vai receber na manhã de terça-feira (11) mais 18.720 doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19, enviadas pelo Ministério da Saúde.

A previsão é que o voo que trará os imunizantes chegue ao RN às 10h10.

É o segundo lote de vacinas da Pfizer que chegará ao RN. Ele será usado como primeiras doses para pessoas com comorbidades.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro (37%) e Lula (33,2%) ampliam vantagem sobre concorrentes em 2022, mostra pesquisa Atlas

Fotos: Sérgio Lima/Poder 360

Pesquisa nacional da Consultoria Atlas divulgada nesta segunda-feira (10) mostra uma tendência de intensificação da polarização eleitoral entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A dupla ampliou a vantagem que já tinha sobre os demais possíveis concorrentes.

Conforme o levantamento realizado entre os dias 6 e 9 de maio, Bolsonaro aparece numericamente à frente com 37% das intenções de voto. Lula vem em seguida com 33,2%. Como a margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos, trata-se de uma situação de empate técnico.

Na pesquisa anterior, em março, Bolsonaro e Lula já lideravam. Mas ambos tinham taxas menores que as atuais: 32,7% e 27,4%, respectivamente

Com Bolsonaro e Lula crescendo, a distância da dupla para o terceiro colocado aumentou. Em março, a terceira posição era ocupada pelo ex-juiz Sergio Moro (sem partido), que detinha 9,7%. Agora, o terceiro passa a ser o ex-ministro e ex-governador Ciro Gomes (PDT), com 5,7%. Moro marca 4,9% na nova simulação.

A pesquisa mostra, na sequência, a seguinte ordem da intenções de voto: Luiz Henrique Mandetta (DEM), 3,4%; Luciano Hock (sem partido), 2,1%; Danilo Gentili (sem partido), 2%; João Doria (PSDB), 1,8%; João Amoêdo (Novo), 1,5%; e Marina Silva (Rede), 1,3%. Outros quatro nomes somam 2,6%. Não souberam responder ou sinalizaram intenção de votar em branco ou nulo 4,5%.

Com vantagem pequena, dentro da margem de erro, outros dois nomes marcam mais que Bolsonaro em simulações de embate final: Mandetta (42,4% a 40,5%) e Ciro Gomes (41,9% a 40,9%).

Nesta rodada, o Atlas colheu 3.828 respostas de eleitores em todo o país por meio de um questionário online aplicado via convites randomizados.

Valor Econômico

Opinião dos leitores

  1. É desanimador ver elementos torcendo pelo maior bandido que já surgiu na política brasileira. Querer ser governado por um canalha, mentiroso, cachaceiro, analfabeto, preguiçoso, corrupto e lavador de dinheiro, é demais até mesmo para alguém desprovido de caráter. Devemos a esse bandido e à ORCRIM que chefia a péssima qualidade dos serviços públicos de que dispomos, mesmo pagando impostos altíssimos. É a mesma gente que elege Fátimas, Renans, Cunhas e tantas outras preciosidades. A coisa não é fácil com um “povinho” desse. Só muita proteção Divina para evitar o pior.

    1. Se ele vier para Alcaçuz, vou todo dia lá levar um chazinho de tubaína com cloroquina.

  2. Na pesquisa diz que Lula vence o miliciano no 2º turno, eu acho que o Presidente Lula vence no 1º.

  3. Esse Lula é o verdadeiro mito. De presidiário a presidenciável. O VÉI é duro….Quem não quiser cair se deite…..É bom já ir se acostumando com LULA eleito presidente em 2022.

    1. É um energúmero idiotizado… o cara viu o lula roubar o país inteiro, e idolatra. Jumento como o quê?

  4. O mínimo que o leitor merece é respeito, mesmo os ruminadores. Então, que outros nomes marcam mais que o Bolsonaro no “embate final”? Além do Ciro e do Mandetta. É proibido falar, assim como é falar do bolsolão?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Presidente do SINGTUR/RN diz que os Guias precisam é de trabalho e que campanha virtual do Governo do Estado só contempla 32

Foto: reprodução

O presidente do Sindicato dos Guias de Turismo do RN (SINGTUR-RN), Júnior Lima, comentou sobre o concurso virtual lançado nesta segunda-feira (10) pelo Governo do Estado para os profissionais da área.

“A campanha tem seu lado positivo como incentivo e inclusão dos guias, mas na realidade, a necessidade do guia não é essa. Somos uma categoria que tem mais de 1.000 pessoas e a campanha vai contemplar 32. Nós precisamos de trabalho, precisamos que o Turismo seja aberto com responsabilidade”, disse o presidente do SINGTUR-RN que também falou sobre a questão dos bares e restaurantes. “Nós também dependemos dos bares e restaurantes abertos como ponto de apoio para os turistas fazerem suas refeições”, afirmou.

Júnior descreveu ainda os impactos provocados pela pandemia aos guias de turismo. “Nós fomos os primeiros a ser impactados pela pandemia a partir do momento em que o turista parou de vir. Nós não temos delivery, não temos serviços online. E seguimos sofrendo há quase um ano e meio com essa pandemia e não tivemos nenhum tipo de ajuda direta”. Ele disse que durante esse tempo a própria categoria conseguiu arrecada cerca de 25 toneladas de alimentos para distribuição entre os guias.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: Brasil registra 889 óbitos e 25 mil novos casos nas últimas 24h

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta segunda-feira (10):

– O país registrou 889 óbitos nas últimas 24h, totalizando 423.229 mortes;

– Foram 25.200 novos casos de coronavírus registrados, no total 15.209.990 milhões pessoas já foram infectadas.

Opinião dos leitores

  1. BB gostaria de saber se vc pode conseguir junta a tv cabugir o tel
    e conta bancária do menino Miguel, que tem uma doença rara e medicamento custa 13 milhões, foi mostrado sábado no RN tv , gostaria de ajudar mas não consigo os dados bancário, obrigado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *