Esporte

Flamengo vence o Barcelona-EQU novamente com dois gols de Bruno Henrique e vai à final da Libertadores

Foto: Marcelo Cortes/CRF

O Flamengo vai lutar pelo tri na final da Libertadores! Na noite desta quarta-feira, o Rubro-Negro venceu o Barcelona-EQU por 2 a 0, no estádio Monumental, em Guayaquil, e avançou para a decisão com o placar agregado de 4 a 0. Os gols da vitória foram marcados por Bruno Henrique, autor também dos dois gols no primeiro jogo da semifinal.

Com a classificação, o Flamengo enfrenta na decisão o Palmeiras, que superou o Atlético-MG na outra semifinal. A grande final da Libertadores acontece no dia 27 de novembro, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai, em jogo único.

GE

Opinião dos leitores

  1. Tudo preparado pros “urubu” chegar a mais uma final. Configuração da tabela muito injusta com o Palmeiras, que é o atual campeão, mas que teve de enfrentar o maior favorito ao título, em um mata-mata que deu a maior sorte. Por outro lado, os “urubu” pegaram o chaveamento, onde iria enfrentar um dos dois “patos mortos”, frôminense, ou o grande Barcelona de Guaiaquil. Coisas do pobre futebol brasileiro.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

CBF e clubes rejeitam volta de público e ingressam com ação contra o Flamengo

FOTO: DELMIRO JUNIOR/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e 19 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro decidiram que os jogos vão continuar sem a presença de público até que haja permissão de todas as prefeituras para realização de jogos com torcedores nos estádios. E propuseram que o retorno das torcidas aos estádios brasileiros acontecerá de forma simultânea para todos os times.

A decisão foi tomada, nesta quarta-feira (8), durante uma reunião na sede da entidade, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Em nota, a CBF informou que “os 19 clubes participantes do Conselho Técnico decidiram, por unanimidade, que somente haverá o retorno de público às partidas da Série A do Campeonato Brasileiro quando as autoridades públicas de todas as cidades dos clubes participantes autorizarem, garantindo a isonomia total na competição.”

Ainda segundo a entidade, haverá uma nova reunião no próximo dia 28 para deliberar sobre o tema. Até lá, a CBF e os clubes vão pleitear junto às autoridades sanitárias locais que permitam a presença de público.

Na reunião, também ficou decidido que eles ingressariam com uma ação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para tentar derrubar a liminar concedida ao Flamengo, que permite a presença de público em três jogos da equipe, que servirão de eventos-teste.

As partidas, que tiveram a anuência da prefeitura do Rio de Janeiro, terão ocupação de 35% a 50% da capacidade total do Estádio do Maracanã.

Dessa forma, o time rubro-negro foi o único que não participou da reunião e se pronunciou negativamente sobre o encontro. Em nota oficial, afirmou que a situação é uma “questão de suma importância, tanto no relacionamento dos clubes com seus torcedores como também na sobrevivência financeira das entidades desportivas”.

Apesar da liberação das autoridades em algumas cidades do país, como Belo Horizonte, os jogos do Campeonato Brasileiro de 2021 ainda não tiveram a presença de público.

A ideia dos dirigentes, que participaram do encontro, é manter os jogos no Brasil sem a participação de torcedores até que todas as prefeituras liberem a realização dos eventos com torcida.

À CNN, o presidente da Comissão Nacional de Médicos de Futebol (CNMF), Jorge Pagura, afirmou que a CBF preza pelo equilíbrio técnico e, por isso, não vai apoiar a retomada dos torcedores em apenas determinadas regiões do país.

E reiterou que a presença de torcida precisa ser autorizada pelos órgãos responsáveis.

“A reunião é para avaliar e discutir os aspectos de equilíbrio técnico em caso de autorização para uma eventual presença de público aos estádios, pois passamos o primeiro turno inteiro sem a participação dos torcedores. Precisa que os aspectos de equilíbrio técnico sejam preservados, lembrando que a liberação sempre dependerá das autoridades”, explicou.

O equilibro técnico tão apontado por Pagura está relacionado principalmente às partidas entre Flamengo e Grêmio pela Copa do Brasil. Isso porque no jogo de ida, no qual o time gaúcho foi o mandante, a entrada de torcedores não foi autorizada pelas autoridades.

Já a partida da volta, que acontece no próximo dia 15, é um dos três jogos que a prefeitura do Rio autorizou a presença do público.

A CBF e os clubes vão pedir também que sejam suspensas as rodadas do Campeonato Brasileiro nas quais as equipes sinalizem com a utilização de liminar para contar com público nos estádios.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Omi até na Argentina, Uruguai, Paraguai, e a pqp, locais que até a vacinação está bem mais atrasada que o Brasil, já voltaram o público só aqui q esse bando de burro ainda quer impedir, BORA VOLTAR A VIVER BANDO DE MEDROSO ! Vão se esconder embaixo da cama p o virus n ver eh ?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Presidentes do Flamengo e da FPF assumem como interventores da CBF

 Foto: Lucas Figueiredo / CBF

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e o presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, aceitaram nesta segunda-feira serem os interventores da CBF.

Eles assinaram o termo de confirmação numa rápida sessão na 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca. De lá, a dupla seguiu com um oficial de Justiça para o prédio da CBF. Landim e Carneiro Bastos têm poderes para demitir diretores e o secretário-geral da entidade.

— Aceitei pela importância do processo, por ser uma decisão judicial e por ter sentido o apoio dos clubes após conversamos nos últimos dias — afirmou Landim, na saída do fórum na Barra da Tijuca.

Na semana passada, o juiz juiz Mario Cunha Olinto Filho anulou a Assembleia Geral da CBF que mudou a forma de votação para a presidência de entidade, ocorrida em 2017. Com isso, a eleição de Rogério Caboclo para a presidência, em abril de 2018, está anulada. A CBF entrou com recurso contra a decisão na 17ª Câmara do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Os interventores agora têm como obrigação a “convocação do Colégio Eleitoral, composto pelas Federações e times da primeira divisão do Campeonato Brasileiro, para votarem a alteração estatutária no que diz respeito a redefinição das regras do estatuto de 2015, em especial”, segundo a decisão do magistrado. Eles terão 60 dias para realizar o pleito. Os dois não poderão concorrer.

Com a decisão desta segunda, o vice-presidente da CBF, Antonio Carlos Nunes, o Coronel Nunes, que comanda interinamente a entidade por conta do afastamento de Caboclo, não sabe se permanecerá no cargo. Landim e Bastos também têm de nomear um vice-presidente para comandar a entidade interinamente – que pode ser o próprio Nunes ou algum dos outros sete.

São eles: Fernando Sarney (Maranhão), Gustavo Feijó (Alagoas), Marcus Vicente (Espírito Santo), Francisco Noveletto (Rio Grande do Sul), Ednaldo Rodrigues (Bahia), Castellar Guimarães (Minas Gerais) e Antonio Aquino Lopes (Acre).

O que motivou a intervenção

Em março de 2017, a CBF promoveu uma assembleia geral – sem a participação dos clubes – e definiu novas regras para suas eleições. O colégio eleitoral da entidade passou a ser formado pelas 27 federações estaduais, os 20 clubes da Série A e os 20 clubes das Série B do Campeonato Brasileiro.

Para driblar a maioria dos clubes, a CBF estabeleceu que os votos das federações estaduais teriam peso 3, os votos dos clubes das Séries A teriam peso 2 e os votos dos clubes da Série B terão peso 1. Na prática, se as 27 federações estaduais votassem no mesmo candidato, elas teriam 81 votos. Se os clubes se unissem, teriam 60 votos.

Segundo o procurador Rodrigo Terra, que acionou a CBF em 2017, a mudança “não seguiu as regras democráticas previstas pela legislação”.

– A votação foi ilegal ao não dar chance aos opositores de viabilizar uma candidatura. Além de manter as federações como maioria no colégio eleitoral, a cláusula de barreira inviabiliza qualquer candidatura de oposição e favorece o grupo político que há décadas se mantém no poder lá. Por isso, queremos uma nova votação com chances iguais – disse Terra.

A CBF contesta a ação, afirma que por ser entidade privada sua eleição não pode ser rejeitada pela Justiça e alega autonomia de organização e funcionamento prevista na Constituição. A última eleição da CBF com dois candidatos foi em 1986, quando o carioca Octávio Pinto Guimarães venceu Medrado Dias. Em abril de 2018, já com a distribuição que dava 81 votos às federações, Caboclo venceu a eleição com 135 votos. Apenas Flamengo (abstenção), Corinthians (branco) e Athletico (branco) não votaram no dirigente que hoje está afastado.

A crise na CBF

A CBF atravessa uma das maiores maior crise da sua história. Em 6 de junho, o Rogério Caboclo foi afastado da presidência da entidade pela Comissão de Ética do Futebol. A decisão ocorreu dois dias depois de o ge revelar que uma funcionária da entidade o acusou de assédio sexual e assédio moral. Ele nega as acusações.

Desde então, Caboclo e Marco Polo Del Nero, ex-presidente da entidade, travam nos bastidores uma disputa pelo comando da CBF. Del Nero foi banido do futebol pela Fifa em 2018, acusado de diversos crimes pelo Departamento de Justiça dos EUA. Ele nega as acusações e recorre ao TAS (Tribunal Arbitral do Esporte) da punição da Fifa. Caboclo tenta retomar o cargo por meio de um recurso apresentado ao STJD.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Prefeitura do Rio libera 10% de público(totalmente imunizado) no Maracanã para a partida do Flamengo na Libertadores

Foto: Divulgação/ Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio liberou a presença de 10% da capacidade total de público no Maracanã no jogo do Flamengo contra o Olímpia do Paraguai pela Libertadores da América no dia 18 de agosto.

A decisão veio após troca de farpas na internet entre o prefeito Eduardo Paes e o vice-presidente Jurídico do clube, Rodrigo Dunshee de Abrantes.

A liberação para o público vai se dar em um percentual menor que o pedido pelo clube da Gávea.

“A solicitação do Flamengo era 30% de público e teste de antígeno com 72 horas. A gente não considera isso adequado nesse momento. Estamos mantendo as mesmas regras que foram feitas para a Libertadores, mas ressaltando que é importante que os erros cometidos na Libertadores não se repitam, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Ainda de acordo com o secretário, é importante que todas as entradas do Maracanã estejam abertas, que as pessoas tenham horário escalonado de entrada no estádio e não todas no mesmo horário e organização de saída escalonada.

“E também é importante que a empresa que realiza os testes seja credenciada e que possa garantir que os testes são verdadeiros. Tem que ter um responsável médico que garanta que os testes são verdadeiros. A cópia dos testes e do protocolo de vacinação são recolhidos por amostragem. Nós encontramos uma série de testes falsos e adulterados na Copa América. Encaminharemos os dados ao Ministério Público”, afirmou Soranz.

Na Copa América, cuja final ocorreu no Maracanã, a Prefeitura liberou a presença de 10% da capacidade. Foram distribuídos cerca de 4.400 convites e houve aglomeração.

Quem pode ir ao estádio:

Torcedor vacinado com duas doses da vacina (ou dose única) há pelo menos 15 dias antes da data do jogo (comprovação via aplicativo ConecteSUS) e com resultado negativo de teste de antígeno para Covid-19, realizada em até 48 horas antes da partida (teste terá que ser feito em laboratório autorizado pelo clube).

Regras no estádio:

uso de máscara e higienização das mãos;

10% da capacidade do estádio;

espaço mínimo de 2 metros entre cada indivíduo ou família;

controle de acesso de público.

Globo Esporte

Opinião dos leitores

  1. Cade o ze Roberto com seus chiliques ?? P falar sobre isso e sobre as olimpíadas que tem aumentado bastante as infecções no Japão. Ahhh eles estão transmitindo..então tem q ficar caladinho.. so podia falar da copa América, entendi..

    1. Calma 🐄, deixe de xilique, tome seu ozônio e vá dormir.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

CBF confirma Arena das Dunas como palco de duelo entre ABC e Flamengo pela Copa do Brasil no dia 05 de agosto

Foto: Divulgação/Arena das Dunas

Em busca de uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil, Flamengo e ABC vão se enfrentar em dois jogos para definir o classificado para a próxima fase do torneio. O primeiro duelo, com mando de campo rubro-negro, será disputado no Maracanã. O segundo, de responsabilidade do ABC, vai ser realizado na Arena das Dunas.

A confirmação do palco do jogo de volta, que tem mando de campo do ABC, foi divulgada pela CBF na noite dessa quarta-feira (28), uma semana antes do confronto. O decisivo duelo de classificação será disputado no dia 05 de agosto, quinta-feira, às 21h30 (horário de Brasília), em Natal.

O primeiro encontro entre Flamengo e ABC será realizado nesta quinta-feira (29), no Maracanã, e o rubro-negro vai tentar aproveitar o ‘fator casa’ para construir o resultado e garantir vantagem na partida de volta.

Com Coluna do Fla

Opinião dos leitores

  1. Lá vai o dinheiro público indo embora em prol de um evento privado:

    Segurança pública retirada dos bairros para o evento.
    Diária dos policiais.
    Sistema de saúde pública pode ficar lotado, basta um acidente.
    Facções na rua, já que as torcidas organizadas estão associadas a elas, só não vê quem não quer.

    Cidadão de bem evitando sair e passar pelo arena das brigas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Presidente do Flamengo e mais quatro são denunciados pelo MPF de Brasília por prejuízo a fundos de pensão

Foto: Marcelo Cortes

O Ministério Público Federal de Brasília denunciou à Justiça o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e outras quatro pessoas pelo crime de gestão fraudulenta por terem atuado em uma operação financeira que teria causado prejuízo de R$ 100 milhões a fundos de pensão de funcionários de estatais.

O MPF também apontou que autoridades da Suíça comunicaram suspeitas de lavagem de dinheiro realizada por meio de uma conta que era da titularidade de Rodolfo Landim no banco Credit Suisse, mantida entre 2008 e 2012. O caso foi remetido para investigação da Polícia Federal.

Landim também recentemente foi nomeado pela Justiça como um dos interventores no comando da CBF. Procurada, sua defesa afirmou que ainda não tomou conhecimento da denúncia.

A investigação faz parte da Operação Greenfield, da Procuradoria da República no Distrito Federal, que apura prejuízos milionários aos fundos de pensão.

Landim e os demais eram gestores do Fundo de Investimento em Participações Brasil Petróleo 1, que captou recursos da Funcef (aposentados da Caixa), Petros (da Petrobras) e Previ (do Banco do Brasil). Na época dos fatos, entre 2011 e 2016, Landim atuou na empresa Mare Investimentos, que foi uma das responsáveis por gerir o FIP.

Cálculos efetuados pela Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), órgão que fiscaliza os fundos de pensão, apontam que a Funcef investiu R$ 102 milhões no FIP Brasil Petróleo 1 e teve prejuízo de R$ 92 milhões; a Petros aportou também R$ 102 milhões e teve perda semelhante de R$ 92 milhões; a Previ investiu R$ 76 milhões e perdeu R$ 69 milhões.

Segundo a denúncia, o FIP Brasil Petróleo 1 realizou uma manobra ilegal para destinar esses recursos a uma empresa nos Estados Unidos, o que não é permitido pelo regulamento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Landim, que integrava o comitê gestor do fundo, deu aval à manobra, segundo a acusação.

“A instrução normativa 391/2003 da Comissão de Valores Mobiliários é expressa ao vedar a aplicação de recursos de FIPS no exterior, ainda que de forma indireta”, diz a denúncia, apresentada pelo procurador Anselmo Lopes.

“Por todo o exposto, conclui-se que os acusados Luiz Rodolfo Landim Machado, Demian Fiocca, Nelson José Guitti Guimarães, Geoffrey David Cleaver e Gustavo Peixoto concorreram, conjuntamente, para a prática do crime previsto no art 4º, caput, da Lei 7.492/1986, ao atuarem ardilosamente para permitir o investimento em empresa estrangeira”, escreveu o procurador Anselmo Lopes, na denúncia enviada à 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal.

O crime prevê pena de reclusão de três a doze anos e multa. O MPF chegou a oferecer aos alvos a possibilidade de assinar um acordo de não persecução penal, por meio do qual seria possível confessar o crime e pagar uma multa para encerrar o processo, mas não recebeu resposta.

Procurada, a defesa de Landim afirmou que não teve conhecimento sobre a apresentação da denúncia. A assessoria de comunicação do Flamengo afirmou que o assunto “em nada diz respeito ao clube”.

O ex-presidente do BNDES também foi procurado, mas ainda não se manifestou.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

“Treinar o Flamengo é treinar a seleção brasileira”, diz Renato Gaúcho em chegada ao clube”

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

O Flamengo apresentou, no início da tarde desta segunda-feira (12), o técnico Renato Gaúcho. O novo comandante chegou afirmando que está realizando um sonho e colocando o clube no patamar da seleção brasileira”.

“Acima de tudo é um prazer estar aqui com essa oportunidade, este grande clube. Eu falei que eu tinha o sonho e hoje eu estou realizando este sonho. Todo treinador tem que pensar alto e treinar o Flamengo, na minha opinião, é a mesma coisa que treinar a seleção brasileira.

Confira os principais trechos da coletiva de Renato Gaúcho:

EMOÇÃO DE COMANDAR O FLAMENGO

É emocionante. Título é sempre título. Hoje à frente do Flamengo é um título que eu ainda não tenho como treinador. Lembro até hoje de ter dado volta olímpica em 87 no Maracanã. Espero que com esse grupo, agora como treinador, eu possa realizar esse sonho. Estou bastante emocionado, falei isso com o Braz e com o Bruno. Poder voltar ao Flamengo, ao Maracanã, e estar ao lado desse grupo vencedor, acima de tudo. Tenho certeza que o torcedor entende que sou um profissional. Espero que a torcida possa voltar ao Maracanã, eu sei da força dela de todas as vezes que nos enfrentamos”.

UTILIZAR A BASE

Por onde eu passo, gosto de trabalhar com os garotos. Ontem mesmo no Maracanã, após a partida, falei com as pessoas aqui no Flamengo e pedi para marcar coletivo de hoje contra os garotos para poder começar a observar. Não tenho de lançar garoto, mas tem que ser na hora certa, no momento certo, para não queimá-lo. No Grêmio, descobrimos vários garotos lá que tiveram sucesso no profissional. Sempre que eu achar que está na hora de ser aproveitado, vai acontecer

SEM ATRITOS COM O CLUBE

Não lembro de atritos com o clube ou com a torcida. Maior prova é que, no jogo beneficente que o Zico faz todo o ano, o Zico brincava: “Está vendo, você é ídolo a torcida gosta de você.”. Nos últimos dias, eu estava na praia e tive que ir embora pelo excesso de carinho, de fotos. A torcida pode ficar tranquila que trabalho não vai faltar. Vamos trabalhar para que a gente possa continuar dando alegria ao torcedor.

COBRANÇAS PELO PODERIO FINANCEIRO

Se você gastar R$ 100 por mês num clube, isso vai ser cobrado. Se gastar R$ 100 milhões, vai ser cobrado. Acho que todo torcedor quer ver o time campeão. Claro que quando você gasta muito e qualifica seu grupo, você tem mais chances. O PSG, quanto que ele gastou? E não foram campeões. No Flamengo, as chances de conquistar são maiores, sem dúvidas. O Palmeiras, Atlético, Flamengo gastaram muito e, por isso, chegam toda hora.

AVALIAÇÃO DO ELENCO

O elenco é maravilhoso, muito forte. Se vai ganhar tudo, vamos trabalhar para isso. Palmeiras, Atlético-MG também querem. Todo mundo quer. Qual clube que entra na competição e não quer ganhar? Mas o elenco do Flamengo é forte, sim. Perdeu algumas peças? Perdeu. Mas ainda é muito forte.

COMPARAÇÕES COM JORGE JESUS

Na época do Jorge, ele fez um excelente trabalho, conquistou. Domenec e Ceni tentaram, e eu vou continuar tentando também. Mas cada um tem seu trabalho, suas ideias. Todos eles, antes do Jesus, o próprio Jesus, depois o Dome, Ceni, todo mundo tentou. Eu vou continuar tentando e trabalhando. Se todo clube que contratasse um treinador tivesse 100% de certeza que seria campeão, ele assinava um contrato de 10 anos.

VOLTA DO PÚBLICO

Com segurança e seguindo os protocolos, eu sou a favor. Joguei com a camisa do Flamengo como jogador, eu sei a força da torcida. Enfrentei o Flamengo no Maracanã, com essa torcida maravilhosa. É o nosso 12º jogador. Muita gente já foi vacinada, já teve (Covid). Então, com segurança, eu sou a favor da volta do público aos estádios.

ESTILO DE JOGO

O Flamengo sempre joga para vencer. Eu sempre tive essa opinião. Coloquei os clubes que trabalhei sempre para frente, em busca da vitória. O clube que busca a vitória está mais perto da vitória do que da derrota. O Flamengo, sem dúvida, vai jogar pra frente. Cada treinador tem uma maneira de trabalhar, vou trocar umas ideias com os jogadores. Vou procurar botar em prática aquilo que acho que é melhor para o clube.

SITUAÇÃO DOS ZAGUEIROS

Quando cheguei no Grêmio, por exemplo, o Arthur que foi vendido ao Barcelona estava para ser emprestado ao Ceará. Eu segurei e deu no que deu. No momento que você tem um grupo da forma que o Flamengo tem, e acima de tudo trocar ideia com o jogador… Eu gosto de passar muito confiança aos jogadores. Fundamental é o chefe passar confiança para você e vou passa confiança aos zagueiros. Tenho visto os jogos do Flamengo e vi coisas de bom e vi coisas que podemos ajustar.

REFORÇOS

Reforços, todo treinador gosta de ter. Às vezes nem sempre é possível. Até porque hoje temos que entender o motivo financeiro que todos os clubes passam pela pandemia. Lógico que o clube vai sentir. Não só o Flamengo, mas no mundo todo. Eu vou trocar muitas ideias com esse grupo aqui. Lá na frente a gente vê tem essa necessidade, dentro da possibilidade que a diretoria vai em dar.

RECUSAS A SANTOS E CORINTHIANS

Recusei o convite do Santos, o convite do Corinthians, agradeço, mas eu precisava de férias. No momento que eu descansei, apareceu o convite do Flamengo. E essa oportunidade sem dúvida eu peguei porque já descansei e estou realizando o meu grande sonho.

Goal

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

BARRACO NO FLAMENGO: “Ele é uma pessoa ruim”, diz em áudio analista de desempenho do Flamengo sobre Rogério Ceni

Na tarde de desta sexta-feira (09), um áudio do analista de desempenho do Flamengo, Roberto Drummond, sobre Rogério Ceni acabou vazando. Nele, o ex-funcionário do Rubro-Negro que acabou sendo demitido pelo ocorrido fez diversas críticas pesadas ao comandante: “Ele é uma pessoa ruim. Não tem outra definição”.

Confira o áudio:

TNT Sports 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

FOTOS: Zoações com o Flamengo bombam após derrota para o Vasco; veja os memes

fFotos: Reprodução/Humor Esportivo

A vitória sobre o Flamengo por 3 a 1 no Maracanã fez com que os torcedores do Vasco tirassem onda nas redes sociais. Os cruzmaltinos ironizaram os rubro-negros e bombaram a Internet com memes. A vitória do Vasco pelo Campeonato Carioca interrompeu um jejum de quase cinco anos sem vencer o Flamengo.

Com a vitória por 3 a 1 desta quinta-feira, o Vasco encerrou um jejum de 17 jogos sem ganhar do Flamengo. Desta forma, a maior série de invencibilidade no Clássico Dos Milhões continua sendo do Expresso da Vitória.

Entre 1945 e 1951, o lendário time vascaíno passou 20 jogos sem perder do rival. O 17º deste encontro aconteceu em São Januário e registrou triunfo por 5 a 2, um resultado marcante. A marca encerrada nesta quinta foi a maior do Flamengo contra o rival.

Com O Dia/ Globo Esporte e Lance

Opinião dos leitores

  1. O Flamengo está muito preocupado porque perdeu uma partida para o Vasco, o que vale é títulos no final do campeonato. É muita cara de pau um vaicaindo querer tirar onda com um flamenguista kkkkkkkkkkkkkkk sim e tem mais SEGUNDA DIVISÂO.

    1. Boa bora Vascao. Ganhe 3 … quando puder, kkkk depois agent se acerta. Trate de chegar na final ôme.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO: Vereador em Caicó participa de aglomeração em carreata do título do Flamengo

O vereador em Caicó, Diogo Silva(PROS), participou de uma carreata do título brasileiro do Flamengo na noite dessa quinta-feira(26), e deixou a população local revoltada.

Diogo Silva, além de cobrado pela participação da aglomeração, participou da carreata enquanto o município acompanha com preocupação a internação de seu colega de Câmara, Zé Filho, que está entubado.

Veja vídeo cedido abaixo:

Opinião dos leitores

  1. É essa a postura de nossos políticos. Se acham deuses, mas no final das contas são mais diabos que a gente. Cobrar é fácil, quero ver dar o exemplo. Agora o dindin dele está na conta todo mês além dos benefícios e mamatas que a classe política tem. Pode dar lock-down q essa thurma não está nem aí, eles acham é bom mesmo.

  2. Que exemplo! O povo também da uma contribuição maior que ele e depois fica reclamando da classe política que não consegue assistir os doentes . Quem aglomera é para arcar com todo o tratamento e ainda pagar uma boa multa.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Ex-Vasco e Flamengo reforça o Potiguar de Mossoró

Foto: Yhan Victor/ACDP

O Potiguar de Mossoró anunciou nesta terça-feira a contratação do volante Ives, ex-Vasco e Flamengo. Esta será a segunda passagem do jogador de 35 anos pelo futebol do Rio Grande do Norte – em 2017, ele defendeu o América-RN em três jogos.

Em 2020, Ives atuou pelo Rio São Paulo, na segunda divisão do Campeonato Carioca, e fez um jogo pelo Queimados, da terceira divisão também do Rio de Janeiro.

Na carreira, além de Vasco e Flamengo, Ives também defendeu clubes como Ituano, Mesquita, Náutico, Paraná, America-RJ, Bangu, Audax Rio, Rio Negro, Nacional-AM, Capital e Brasiliense.

Com Globo Esporte RN

Opinião dos leitores

  1. Oh fim de carreira triste, vim para no nosso futebol, quebrado e ainda no futebol de Mossoró.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Polícia indicia jogador Ramírez, do Bahia, por injúria racial contra Gerson, do Flamengo

FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

A Policia Civil do Rio indiciou, nesta quinta-feira (4), o jogador colombiano Ramírez, do Bahia, pelo crime de injúria racial contra o meia Gerson, do Flamengo.

O caso aconteceu na partida entre Flamengo e Bahia no Maracanã, em dezembro, pelo Campeonato Brasileiro.

Durante o jogo, Gerson afirmou que Ramírez se dirigiu a ele e disse: “Cala a boca, negro”. Já Ramírez negou ter sido ofensivo. O colombiano declarou ter dito: Joga rápido, irmão.”

A Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância) informou ter ouvido todas as testemunhas, além de ter analisado a súmula do jogo e as imagens apreendidas.

A investigação apontou a imediata reação da vítima, que ficou muito abalada com a agressão sofrida, passando a apresentar comportamento diferente do normal no vestiário, muito cabisbaixo e se recusando a encontrar parte do elenco após o jogo.

Gerson declarou que estava tão indignado que, logo após o encerramento da partida, ainda no gramado, precisou externar a indignação em entrevista para imprensa.

A delegacia especializada concluiu que o conjunto de provas corroborou a versão da vítima desde o momento em que disse ter sofrido a agressão até o comportamento de Gerson após o término da partida.

Procurado, o Esporte Clube Bahia ainda não se manifestou. A defesa do jogador Ramírez não foi localizada.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

Ex-presidente do Flamengo e mais 10 viram réus por incêndio do Ninho do Urubu

Foto: Agência Estado

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público (MP-RJ) no último dia 15 listando 11 réus após a conclusão das investigações sobre o incêndio no Ninho do Urubu que matou 10 adolescentes. Entre os acusados está o ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello. A informação foi publicada inicialmente pelo site “Esporte News Mundo” e confirmada pelo ge.

O ofício comunicando o recebimento da denúncia foi expedido pelo juiz titular da 36ª Vara Criminal – onde transcorrerá o processo – Marcelo Laguna Duque Estrada. Os 11 réus responderão por incêndio culposo (sem intenção) qualificado, que terminou em morte (de dez pessoas) e lesão corporal, no caso dos três jovens que sobreviveram. Como não foram denunciados por homicídio, e sim por incêndio culposo, eles não vão a júri popular.

Para estes crimes, na forma culposa, o Código Penal não prevê pena de prisão em regime fechado, apenas detenção em regime aberto ou semi-aberto, que é quando o réu precisa dormir na prisão, mas pode sair durante o dia. As penas podem variar de 1 ano e quatro meses até 6 anos.

Na madrugada de 8 de fevereiro de 2019, as chamas causadas pelo curto-circuito atingiram as instalações onde dormiam os jogadores do Flamengo entre 14 e 17 anos que não tinham residência no Rio. O incêndio causou a morte de 10 jovens: Athila Paixão, de 14 anos; Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, 14 anos; Bernardo Pisetta, 14 anos; Christian Esmério, 15 anos; Gedson Santos, 14 anos; Jorge Eduardo Santos, 15 anos; Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos; Rykelmo de Souza Vianna, 16 anos; Samuel Thomas Rosa, 15 anos; Vitor Isaías, 15 anos.

Três garotos ficaram feridos: Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos; Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos; Jhonatan Cruz Ventura, 15 anos.

Os 11 réus

Eduardo Bandeira de Mello – ex-presidente do Flamengo

Márcio Garotti – ex-diretor financeiro do Flamengo

Carlos Noval – ex-diretor da base do Flamengo, atual gerente de transição do clube

Luis Felipe Pondé – engenheiro do Flamengo

Marcelo Sá – engenheiro do Flamengo

Marcus Vinicius Medeiros – monitor do Flamengo

Claudia Pereira Rodrigues – NHJ (empresa que forneceu os contêineres)

Weslley Gimenes – NHJ

Danilo da Silva Duarte – NHJ

Fabio Hilário da Silva – NHJ

Edson Colman da Silva – técnico em refrigeração

Blog da Gabriela Moreira – Globo Esporte

 

Opinião dos leitores

  1. Mesmo sendo culposo e a justiça ser muito branda no tocante as penas, 10 vidas se foram, 10 sonhos de se tornarem jogadores profissionais não se concretizaram. No mínimo, a pena deve ser por indivíduo morto e feridos, o que poderia ser transformada em prisão em regime fechado, dado o número de vítimas. A pena informada, é mais uma vergonha pro judiciário brasileiro. Claro que não houve crime doloso, porém, a negligência e o descuido, no mínimo, contribuiram para ceifar a vida desses jovens. Que seja aplicada uma pena na proporção dessas perdas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

CASO GERSON – FLAMENGO: Bahia informa que perícias em língua estrangeira não comprovam injúria racial, e diz que vai reintegrar Ramírez por ‘inexistência de provas’

Foto: Jorge Rodrigues / AGIF

Nesta véspera de Natal, o Bahia divulgou uma ‘carta à sociedade’ onde informa que o atleta Índio Ramírez será reintegrado ao elenco após o afastamento devido às acusações de injúria racial por parte de Gerson, do Flamengo. A decisão do Tricolor foi motivada por ‘inexistência de provas e possíveis’, mesmo entendendo que a palavra do jogador rubro-negro é revelante.

“Os laudos das perícias em língua estrangeira contratadas pelo Bahia não comprovam a injúria racial e o clube entende que, mesmo dando relevância à narrativa da vítima, não deve manter o afastamento do atleta Índio Ramírez ante a inexistência de provas e possíveis diferenças de comunicação entre interlocutores de idiomas diferentes. O papel do Bahia é de formação e transformação, sempre preservando os direitos fundamentais e a ampla defesa. O atleta deverá ser reincorporado ao elenco tão logo os profissionais da comissão técnica e psicólogos entendam adequado”.

Na carta, o Bahia também enfatizou que continuará atento aos desdobramentos do caso e anunciou que incluirá cláusula antirracista, xenofóbica e homofóbica no contrato dos atletas. Confira abaixo o que o Tricolor baiano chamou de ‘conjunto imediato de medidas estruturais’.

Confira a carta do Bahia na íntegra:

“PARTE 1 – O RACISMO E A SOCIEDADE

O racismo faz nosso país sangrar. Pela morte, pela dor, pelas portas fechadas, pela discriminação no mercado de trabalho, pela violência diária de todas as formas. O racismo entra pela fresta das casas, está nas ruas, nos supermercados, nas empresas e também no futebol. Segue impregnado por todos os lados. Combater o racismo é dever de todos: das organizações, dos governos e sobretudo das pessoas que historicamente se beneficiaram de uma estrutura social e econômica sustentada na branquitude e no racismo. O racismo é um fenômeno concreto e opera para além das estatísticas de expectativa de vida, acesso à saúde e garantias dos direitos fundamentais e dignidade humana. O racismo é persistente, gritante, barulhento e, por muitas vezes, silenciosamente cruel.

PARTE 2 – O BAHIA NO DEBATE RACIAL

Há três anos, através do Núcleo de Ações Afirmativas, o Bahia se tornou referência internacional na luta antirracista. As campanhas educativas do clube viraram tema de vestibular em universidades e de redação em escolas. Além das campanhas, o Bahia foi o primeiro time de futebol no mundo a lançar um programa de imersão para debater os aspectos estruturais do racismo. O “Dedo na Ferida” capacitou 484 pessoas em 15 organizações de 3 capitais brasileiras. Funcionários, diretores, conselheiros, torcidas organizadas, profissionais de imprensa, além de empresas de fora do esporte, participaram gratuitamente. Antes disso, homenageou personalidades negras do passado e do presente em suas camisas. Na divisão de base, o Bahia possui amplo programa de desenvolvimento humano tendo o combate ao racismo como tema principal. Há apenas 33 dias, abriu programa de trainee exclusivo para pessoas autodeclaradas pretas, ao todo com 305 candidatos, em outra inovação no futebol.

PARTE 3 – ACONTECEU COM O BAHIA? QUAL O SENTIDO DISSO?

O episódio do último domingo (20), com toda a sua repercussão e simbologia, nos revela que o combate ao racismo deve ser ainda mais aprofundado no nosso clube e no Brasil. O Bahia é um reflexo de uma sociedade que carrega o racismo em suas estruturas. A questão racial não pode servir de pano de fundo para uma disputa entre clubes e torcidas rivais. O racismo não veste uma só camisa. A postura antirracista deve ser constante e não apenas quando convém ao time que torcemos. No caso do Bahia, embora já venha perseguindo a luta antirracista, seria ingênuo acreditar que estaríamos imunizados a um fenômeno tão complexo e particularmente enraizado na sociedade brasileira. Ninguém está! Ser antirracista no Bahia não é apenas uma opção da presente gestão, mas uma obrigação institucional.

PARTE 4 – O QUE FAZER?

Os laudos das perícias em língua estrangeira contratadas pelo Bahia não comprovam a injúria racial e o clube entende que, mesmo dando relevância à narrativa da vítima, não deve manter o afastamento do atleta Indio Ramírez ante a inexistência de provas e possíveis diferenças de comunicação entre interlocutores de idiomas diferentes. O papel do Bahia é de formação e transformação, sempre preservando os direitos fundamentais e a ampla defesa. O atleta deverá ser reincorporado ao elenco tão logo os profissionais da comissão técnica e psicólogos entendam adequado.

O Futebol é reflexo de uma sociedade que, quando não nega o racismo, adere a um populismo punitivista que finge resolver o problema apenas punindo o agressor. Atos de discriminação racial não são “casos isolados”.

Portanto, por entender seu papel de entidade de interesse público, o Bahia se compromete publicamente a adotar um conjunto imediato de medidas estruturais:

1. Inclusão de cláusula anti-racista, xenofóbica e homofóbica no contrato dos atletas.

2. Proposta de criação de protocolo antidiscriminatório para jogos de futebol no Brasil.

3. Implantação do projeto “Dedo na Ferida” para o elenco na pré-temporada. Não haverá jogador ou jogadora que vista a camisa do Bahia sem que tenha antes a oportunidade de obter acesso a uma imersão sobre racismo estrutural.

4. Encaminhamento junto à mesa do Conselho Deliberativo do clube para incorporação de cotas raciais nas próximas eleições.

5. Inclusão de espaço no Museu do Bahia dedicado ao combate e debate do racismo, xenofobia, sexismo e LGBTfobia e demais formas de intolerância.

6. Apoio ao projeto de lei que Cria o Dia Nacional Da Luta Contra o Racismo no Futebol

Adicionalmente, o Bahia seguirá acompanhando os desdobramentos que ocorrerem fora das instâncias do clube, seja na Polícia Civil ou no Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

Além de negros, somos nordestinos e conhecemos bem o poder do preconceito e da exclusão pela xenofobia. Diante disso e das provas constituídas, caberá ao atleta Ramírez decidir pela denúncia ou não quanto ao tema – e ao Bahia apoiar a decisão.

Desde o domingo à noite o Bahia procurou uma rede de apoio formada por lideranças ligadas a movimentos sociais de enfrentamento ao racismo como o Observatório de Discriminação Racial e instituições como a Defensoria Pública e o Ministério Público do Estado, com quem está construindo um Termo de compromisso antirracista. Entendemos que nesse momento é necessário incorporar o compromisso com a implantação real e perene da agenda antirracista. Desta forma, respaldo institucional e a experiência de tais atores deste processo consolida e qualifica as nossas decisões.

Muitas das ações propostas neste documento, dentre outras, estarão sendo instrumentalizadas, nos próximos dias em convênios, parcerias e termos de compromissos com a agenda de enfrentamento ao racismo. As decisões e propostas durante esse processo tiveram a colaboração dos voluntários do nosso Núcleo de Ações Afirmativas, professores e ativistas atuantes no debate racial nas universidades e nos movimentos sociais.

O Bahia segue como um clube atento ao seu papel de transformação e bem-estar social. O futebol não é um fim em si mesmo. É um agente que deve promover união, preservação do patrimônio cultural, lutas por igualdade e diversidade dentro e fora das quatro linhas.

Esporte Clube Bahia.”.

Esporte Interativo

 

Opinião dos leitores

  1. Se comprovar que o Ramires não falou o que Gerson diz, não é nenhuma novidade, este clube é imbatível em casos criminosos e irregulares, tem o caso dos garotos que morreram queimados, até hoje não entraram em um acordo razoável para indenizar as famílias, mas pagar 1,6 milhões para o Gabigol por mês pode, tem o caso da portuguesa que levou dinheiro do Flamengo em 2014 para escalar heverton na última partida para perder pontos favorecendo o Flamengo permanecer na série A.
    Tem casos de aliciamento de jogadores, um exemplo é o do William Arão que saiu do Botafogo , hoje já está notificado pela justiça para pagar 7 milhões.
    Enquanto houver um Marinho na globolixo este time mesmo com todos esses casos criminosos, continuará nas cabeças.
    Isso é o Flamengo, não existe igual.

  2. Tem que processar esse atleta mentiroso que inventou essa celeuma na vida do jogador do Bahia. Isso é um perigo em se tratando de atletas profissionais que trabalham para ganhar o seu sustento.
    Mas a bandidagem de Gerson tem que ser apurada e ele deveria ser suspenso por mentir para toda uma nação.
    Cabra safado.

  3. Amigo desculpe, mais o que uma coisa tem a ver com a outra? Crimes distintos, culpas distintas, bem como penas. Caso houvesse havido crime do jogador índio, que ao que parece, nao restou caracterizado, absolviçao e ponto. O crime do CT do Flamengo está sendo respondido, caso haja culpa ou dolo, rogar que os culpados sejam punidos. Um crime não anula o outro.

  4. Engraçado essa atitude do flamengo em penalizar um atleta por causa de discussão besta de futebol , enquanto isto, as crianças que o clube matou da pior forma que existe tiveram sua indenização negada covardemente. É muita hipocrisia.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Polícia instaura inquérito para apurar denúncia de injúria racial feita por Gerson, do Flamengo

Foto: SERGIO MORAES / REUTERS

A Polícia Civil abriu inquérito para apurar a denúncia de injúria racial do meia Gerson, do Flamengo. O jogador acusa o meia Ramírez, do Bahia, de lhe dizer “cala a boca, negro” durante a vitória rubro-negra por 4 a 3 sobre o clube baiano, no último domingo.

A investigação ficará a cargo da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI). Gerson assinou intimação nesta segunda e será ouvido na terça-feira, às 10h. Outros envolvidos serão convocados a depor sobre o caso.

Na madrugada desta segunda-feira, o Bahia divulgou nota prestando solidariedade ao meia rubro-negro e confirmando o afastamento do colombiano. Segundo o clube, Ramírez terá chance de se defender enquanto é realizada apuração. O colombiano nega as acusações.

CBF pede investigação

Assim que tomou conhecimento do fato, no domingo, a CBF solicitou ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva a abertura de investigação. A entidade prometeu enviar ao tribunal a súmula da partida com o registro da denúncia de Gerson. Confira o comunicado:

“A CBF está solicitando à Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva a abertura imediata de uma investigação sobre a denúncia de racismo feita pelo jogador Gerson Santos, do Clube de Regatas do Flamengo, na partida deste domingo (20/12) diante do Esporte Clube Bahia, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. A entidade encaminhará ao STJD a súmula da partida, na qual consta o relato da denúncia feita pelo atleta. A CBF reitera seu profundo repúdio ao racismo.”

Relembre o caso

O Flamengo venceu o Bahia por 4 a 3, neste domingo, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas as polêmicas aconteceram após Gerson deixar o gramado reclamando de uma injúria racial do atleta colombiano Juan Pablo Ramirez, do Bahia. O vice-presidente jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches, afirmou que o clube irá ao Superior Tribunal de Justiça (STJD) contra o atleta e ao técnico Mano Menezes.

“Além de apoiar o Gerson na esfera criminal, o Flamengo representará ao STJD contra o atleta que ofendeu racialmete o Gerson, assim como o fará contra o Mano Menezes, que apoiou a ofensa racial e chamou de malandragem. Temos que banir o racismo da nossa sociedade”, escreveu Dunshee.

Após a partida, o volante Gerson deixou o gramado reclamando de uma injúria racial do atleta colombiano Ramirez, do Bahia.

— Quero falar uma coisa: tenho muitos jogos como profissional e nunca vim falar nada porque nunca sofri esse preconceito. Quando tomamos um gol, o Bruno Henrique ia chutar uma bola, o Ramirez reclamou e fui falar com ele, que disse: “Cala a boca, negro” — declarou Gerson.

O fato ocorreu aos 7 minutos do segundo tempo, quando o Flamengo vencia por 2 a 1. Nas imagens, é possível ver Gerson inconformado e tirando satisfação com o atleta colombiano. Na hora, o volante do Flamengo contestou os atletas do Bahia sobre a declaração afirmando que “foi chamado de negro”.

— O Mano até falou “Ah, agora você é vítima, não é? O Daniel Alves te atropelou e você não falou nada. Claro, porque teve respeito entre eu e ele. Eu nunca falei de treinador, mas o Mano tem que saber respeitar. Estou vindo falar aqui por mim e por todos os negros do Brasil — reclamou Gerson.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Presidente do Flamengo perde processo e terá que pagar R$ 10 milhões ao Itaú

Rodolfo Landim, presidente do FlamengoRodolfo Landim, presidente do Flamengo | Jorge William

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, perdeu uma ação que movia contra o Itaú. Ex-presidente da OGX, Landim possuía 5,5 milhões de ações da empresa quando deixou o grupo de Eike Batista.

Assim que se desligou, tentou vender as ações, mas seu pedido foi recusado pelo Itaú, banco que geria as ações da empresa. Segundo consta no processo, havia uma cláusula no contrato entre a OGX e o banco determinando que as ações não poderiam ser vendidas imediatamente e que uma carência deveria ser cumprida.

Em 2011, Landim processou Eike Batista e a OGX. Neste processo, conseguiu que as ações fossem transferidas para o Bradesco.

Tempos depois, o atual presidente do Flamengo processou o Itaú sob a alegação de que por causa da negativa do banco em vender as ações, ele teve um prejuízo de R$ 100 milhões — e queria que o valor fosse pago como indenização.

O juiz Guilherme Kalil da 35ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro considerou que o banco cumpriu o que estava estabelecido em contrato e não aceitou os argumentos de Landim.

Além disso, condenou-o a pagar 10% do valor da ação como custas honorários advocatícios. Ou seja, R$ 10 milhões.

Cabe recurso da decisão.

Lauro Jardim – O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *