Em Alcaçuz, há o temor da contaminação presos por covid-19, mais cedo ou mais tarde

A Penitenciária Estadual de Alcaçuz não registra neste momento apenados positivos para Covid-19. O único registro se deu no complexo Rogério Coutinho, conhecido como pavilhão 5. Na ocasião, após o suporte e transferência do preso, os agentes penitenciários que tiveram contato com o homem foram afastados.

Contudo, há uma preocupação nos bastidores da maior penitenciária do estado, que fica localizada em Nísia Floresta, na Grande Natal. Da mesma forma que vem acontecendo em unidades prisionais pelo país, uma contaminação de presos pode ser iminente, e preocupa, além dos seus familiares, profissionais de saúde, administração e segurança quem frequentam o local.

Há o temor que agentes penitenciários, que assumiram seus cargos recentemente, não somente do Rio Grande do Norte, como os que chegam do Ceará e Pernambuco, por exemplo, de alguma forma, transmitam o vírus, já que são muitos os casos de pacientes assintomáticos em meio ao nível de transmissão no país que se chegou – de forma comunitária.

Na direção de Alcaçuz e da equipe da saúde, há um consenso da busca por uma estratégia para evitar ou amenizar uma contaminação em massa.