Entidades do comércio e do turismo soltam nota conjunta e vão pedir socorro ao Governo do Estado

NOTA CONJUNTA

Antes de mais nada é importante ressaltar que o setor turístico e a Fecomércio RN sempre foram a favor da vida. O recrudescimento dos casos de Covid-19 é um tema grave e precisa seguir sendo encarado com toda a responsabilidade. Nossa postura de atuar na formatação do Plano de Retomada da Economia, do Plano de Retomada do Turismo, dos cursos de capacitação e qualificação para implantação de normas de biossegurança (a imensa maioria deles, gratuita) e no projeto SOS Protocolos, realizado pela Fecomércio RN em parceria com o Sebrae e a CDL Natal, são algumas das provas incontestes deste nosso posicionamento.

O que nos causa preocupação é que, ao limitar, de maneira generalizada, o funcionamento do setor de bares e restaurantes, os decretos (estadual e das principais prefeituras do estado), punem, injustamente, um segmento que já vem sendo um dos mais prejudicados com toda a crise e do qual dependem dezenas de milhares de famílias.

Importante destacar, que defendemos os estabelecimentos que trabalham cumprindo todos os protocolos de biossegurança. E, podemos garantir, eles são a imensa maioria deste universo, por isso a generalização é tão injusta, a nosso ver. Ressalte-se, ainda, que não há nenhuma contaminação comprovada em bares e restaurantes que cumprem os protocolos de biossegurança.

Diante disso, estamos formatando, no âmbito da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio, um pacote de sugestões que pretendemos apresentar ao Governo do Estado e às prefeituras. Trata-se de uma tentativa de evitar que as empresas quebrem, o que não seria nada bom para ninguém. Nem para as empresas, nem para os seus colaboradores e nem, muito menos, para os entes públicos, que deixam de recolher impostos.

Entre outras coisas, pretendemos sugerir ações nas áreas fiscal, tributária, de concessão de crédito, treinamento e suporte à fiscalização dos estabelecimentos. Nosso apelo, repetimos, está centrado em amenizar o forte impacto negativo que prevemos para o setor com mais esta medida. Em paralelo, aproveitamos para reforçar a extrema importância de que os novos leitos de UTI já anunciados pela prefeitura de Natal e pelo Governo do Estado sejam efetivamente postos em funcionamento o mais breve possível, visto que tal medida irá impactar diretamente no salvamento de vidas, que é o foco maior de todos nós.

Marcelo Queiroz

Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio RN)

George Costa

Coordenador da Câmara Empresarial do Turismo da Fecomércio RN (CET Fecomércio)

Habib Chalita

Presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do RN (SHRBS RN), membro da CET Fecomércio

Paolo Passarielo

Presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no RN (Abrasel), membro da CET Fecomércio

Abdon Gosson

Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no RN (ABIH RN), membro da CET Fecomércio RN

George Gosson

Presidente do Natal Convention Bureau, membro da CET Fecomércio

Rútilo Coelho

Presidente do Mossoró Convention Bureau, membro da CET Fecomércio

Francisco Câmara Júnior

Presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do RN (Sindetur), membro da CET Fecomércio

Michele Pereira

Presidente da Associação Brasileira dos Agentes de Viagem do RN (Abav RN), membro da CET Fecomércio

José Maria Pinheiro

Vice-presidente da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo do RN (Abrajet), membro da CET Fecomércio

Wanderson Borges

Presidente da Associação dos Hoteleiros de Tibau do Sul e Pipa (Ashtep)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Édson disse:

    Hoje o dinheiro que gastaram com estádio de futebol e aeroporto inoperante, está fazendo falta para investimento em hospitais .

  2. Sociedade falida disse:

    Poder público ineficiente, punindo quem gera emprego. Um ano passou e ainda vem com conversa de fechar. Nota zero! Os ônibus cheios nunca lembraram de fazer um decreto obrigando mais ônibus nas ruas.

  3. Ana Paula M. Morais disse:

    Se as pessoas tivessem consciência tvez não estaríamos passando agora por isto e que afeta diretamente a economia do estado.
    Infelizmente as medidas protetivas foram esquecidas ou deixadas de lado qdo da campanha eleitoral ,onde todos que hoje falam em "pacto pela vida" aglomeraram nas carreatas e tudo mais.
    A própria governadora e o prefeito participaram de vários eventos onde tudo era permitido; a população foi junto e contribuiu,
    Agora estamos pagando o preço com vidas sendo ceifadas pela imprudência de todos.
    Fechar o comércio não resolve o problema.

    • JMalucelli disse:

      O que resolve é o poder público abrir leitos de UTI pra tratar os infectados como qualquer outra doença já existentes.
      Esse vírus não vai embora tão cedo, vai ficar sempre se renovando.
      É como qualquer vírus.
      O único que foi totalmente extinto, foi o da varíola os outros continuam aí matando.
      H1n1
      Tuberculose.
      HIV
      Etc etc etc…
      O que tem que ser feito por parte dos cidadãos e cidadãs é se prevenir como se previne dos outros.
      O inimigo taí solto, é encarar de frente e em pé com muita fé em Deus.
      O resto é,
      Muito interesse político e financeiro.
      É uma verdadeira cachorrada generalizada.

COMENTE AQUI