Maior apoiador de Bolsonaro, empresário Luciano Hang diz estar decepcionado com saída de Moro

Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Um dos maiores apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, o empresário Luciano Hang, das lojas Havan, descreve a saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça como decepcionante. Ele descreve esta sexta-feira (24) como um “dia triste”, em que o seu “herói” deixou o governo federal.

“Fico triste com a saída do ministro Moro. Sempre tenho manifestado que ele é o grande herói brasileiro. Um herói vivo. O cara que fez uma grande transformação no nosso país contra a corrupção. Hoje é um dia pesado, muito, muito, muito ruim”, diz Hang ao Painel.

“”A saída do Moro me deixa decepcionado. Neste momento estamos vivendo uma crise de saúde, política, e uma crise econômica, e não temos que ter mais crises do governo. Temos que agora nos unir para passar esse momento. Estou muito triste. O Moro deixa um legado para o país inimaginável, sou fã de carteirinha dele, e ele é meu herói”, acrescenta.

Sobre as acusações feitas por Moro a Bolsonaro, como a tentativa de acessar arquivos da Polícia Federal e uma suposta fraude em sua assinatura no Diário Oficial, Hang disse que estava em um avião e não acompanhou o que disse o ministro, e que só se pronunciará sobre o tema depois de assistir o pronunciamento de Moro.

Perguntado se continua bolsonarista, ele não confirmou nem negou.

“Sou apoiador do Brasil. Quando me posicionei lá atrás, quando disse que seria ativista político, escrevi que ‘o Brasil que queremos só depende de nós'”, disse.

Ele também disse que não tem apego a políticos.

“Desde o princípio, se você procurar meu histórico, sou brasileiro como ativista político. Não tenho partido nem político de estimação. Continuo defendendo as pautas brasileiras. Desburocratização, menos interferência do governo na vida do cidadão.”

Sobre a preocupação de Bolsonaro com o inquérito de fake news, revelado pelo Painel, ele diz que o temor só deve existir em quem tem algo a temer, o que, na sua opinião, não é o caso do presidente.

“Quem não deve, não teme. Se você fez alguma coisa, você fica preocupado. Se não fez, você não fica. Espero que não seja a verdade. Não acredito que empresários tenham impulsionado determinadas campanhas​. Quero crer que houve uma saída por não compatibilizar o pensamento do presidente com o do Moro”, conclui.

Painel – Folha de São Paulo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Barba disse:

    O doente da Havan!
    KD os gados?

    • Tertu disse:

      O gado tá pensando que seus adorados ladrões CORRUPTOS condenados vão voltar ao poder. Não sejam imbecis, cretinos. O Brasil não aceita em hipótese alguma votar em CORRUPTOS. Hehehe

  2. Roberto macedo disse:

    Esse veio da havan é caloteiro

  3. Anti-Político de Estimação disse:

    Sonegador contumaz, que adora arrotar honestidade e patriotismo.

    • paulo disse:

      Bom mesmo era sua quadrilha. Esse Cidadão gera milhares de empregos pelo País todo e não existe nenhuma prova contra ele, agora os seus ladrões de estimação geraram milhares de desempregos. O seu poste que ensaca vento deixou 13 MILHÕES de desempregados.Babaca.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      Que quadrilha cara ?????kkkkkkkkkk. Não tenho e nunca tive nem político , e nem muito menos, BANDIDO de estimação.

  4. João Felipe disse:

    Claro..isso é óbvio. Pessoas com bom senso não tem políticos de estimação.

  5. Anderson disse:

    O Brasil inteiro está decepcionado. Tiro de bazuca no pé.
    Acabou, cadeia para todos os corruptos, seja de direita, seja de esquerda.
    Começou hoje a campanha MORO 2022

  6. Observando disse:

    Os ratos abandonam o navio.

    • Gustavo disse:

      Errar é natural. Agora permanecer no erro é que não dar. É o que vejo nessa pessoas que defendem o PT. Eles não vem para realidade. É uma ilusão total.

    • Jr disse:

      O anti petismo é tão cego quanto o petismo!

COMENTE AQUI