Paralisação dos médicos em Natal revolta população

Segundo reportagem do DEFATO.COM, muita revolta e tumulto marcaram a sexta paralisação dos médicos em Natal ocorrida nesta terça-feira(27). A população ficou revoltada pela falta de atendimento e houve tumulto em algumas unidades médicas para tentar remarcar consultas. No Centro Clínico de Carlos Passos, na Ribeira, na Zona Leste de Natal, muitas pessoas deram com a cara na porta. Houve tumulto na hora de remarcar consultas e revolta da população.

Antônia de Fátima foi a unidade para uma consulta com neurologista, mas foi informada que o atendimento estava suspenso devido a paralisação e que ela deveria remarcar a consulta. “Tentei remarcar para o dia 10, mas eles mandaram eu procurar um posto de saúde. O que eu vou fazer num posto de saúde, se lá não marca consultas? indagava ela mostrando irritação.

Situação semelhante viveu Don Amarilda Tavares. Ela foi até a unidade para uma consulta marcada com um reumatologista. “Saí da Zona Norte e cheguei aqui de 6h. Fui informada que não tinha médicos e me remarcaram para o dia 24 de setembro. Esse tempo todinho”, disse ela aos prantos.

No hospital Walfredo Gurgel, o maior da rede pública do estado, apenas os serviços de urgência e emergência estavam funcionando. No posto de saúde de Mirassol, na Zona Sul, os cinco médicos que atendem lá – dois clínicos-geral, dois pediatras e uma ginecologista – não compareceram ao trabalho. “Isso é horrível. Estou com um exame para ser mostrado há dois meses e devido a greve ainda não o fiz. Hoje, vim aqui e novamente não consegui atendimento. É revoltante”, disse uma paciente.

Com informações do DEFATO.COM