Protesto do MLB em votação do Plano Diretor de Natal termina com conflito, gás de pimenta e eleição de delegados suspensa

Foto: Reprodução

Uma confusão marcou o primeiro dia da pré-conferência para eleição de delegados da Conferência Final do Processo de Revisão do Plano Diretor de Natal, na manhã desta segunda-feira (25). Integrantes do MLB fizeram um protesto e trancaram a quadra onde aconteceria a votação. A guarda municipal usou spray de pimenta para dispersar o grupo e abrir o local e o encontro acabou sendo cancelado.

Os manifestantes afirmaram que a guarda municipal agiu com truculência. Já a prefeitura repudiou o protesto e afirmou que houve depredação do patrimônio público.

O caso aconteceu na quadra de esportes localizada na Praça Augusto Leite, no Bairro Tirol, Zona Leste da cidade. Segundo o município, as datas da eleição tinham sido divididas por segmento a fim de garantir as medidas sanitárias e de distanciamento contra a Covid-19 e nesta segunda, a votação seria com os movimentos populares.

De acordo com Matheus Araújo, um dos coordenadores do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), um grupo com cerca de 60 pessoas foi ao local votar, porém, os candidatos do grupo não estavam na lista, o que gerou o protesto.

“Hoje nós somos o maior movimento na cidade e participamos das oficinas que nos garantiam a participação na eleição. Levamos identidade, estava tudo certo, mas não tinha ninguém do movimento na lista dos candidatos. Fomos impedidos de votar e resolvemos protestar por isso”, afirmou.

Segundo a Guarda Municipal, houve tentativa de negociação e a força foi usada, de forma progressiva, para permitir o direito de ir e vir das outras pessoas que estavam no local – algumas delas teriam passado mal, diante da situação. Ainda de acordo com o comando, o gás foi usado para dispersão, mas não foi direcionado no rosto dos manifestantes.

“O MLB trancou o portão do acesso, não deixando as pessoas entrarem nem saírem e foi necessária a intervenção da guarda. A gente começou uma negociação, mas como eles continuaram, e havia pessoas lá dentro, demos início ao uso progressivo da força. Não houve ninguém ferido ou preso”, afirmou o subcomandante da Guarda Municipal, Carlos Cruz, que comanda interinamente os agentes municipais.

Mais detalhes AQUI em matéria completa no G1-RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gaguinho disse:

    Como conseguem fazer estas camisas personalizadas, bandeiras, faixas? Não passam de massa de manobra política, fantoches nas mãos de políticos safados que os usam para conseguir o poder e lá se lambuzar com as beneces.

  2. General Tigrao disse:

    Viva a democracia!!!!!!

  3. Lourenço disse:

    Lamentável que tudo que esse povo de camisas vermelhas se envolva só termine assim.

COMENTE AQUI