Saúde

VACINA COVID: Natal aplica mais de 50 mil doses em oito dias

Foto: Joana Lima/Secom

A vacinação realizada pela Prefeitura do Natal está em ritmo acelerado. Hoje, com o início da aplicação da primeira dose contra a Covid-19 da população com 48 anos ou mais, sem comorbidades, Natal avançou 11 anos em oito dias. Em uma semana, foram aplicadas 51.163 doses, entre as faixas de idade de 59 e 48 anos. A diminuição da faixa etária durante toda a semana e a imunização desses grupos veio com uma boa dose de emoção e esperança na vida pós-pandemia.

“A ideia da Prefeitura do Natal de reduzir as idades da campanha para o público em geral deu certo. Na quinta passada a faixa etária de imunização diminuiu para 59 anos ou mais sem comorbidades e nesta sexta, para 48 anos. Isto sem citar os grupos prioritários que também avançaram paralelamente. Estamos fazendo a nossa parte”, comemora o prefeito Álvaro Dias.

Os dados da Secretaria Municipal de Saúde confirmam a eficácia do avanço da imunização. Desde a quinta-feira passada (10) com a vacinação de 3.444 pessoas até ontem (17), com destaque para terça-feira (15) de 12.219 pessoas imunizadas, Natal contabiliza um significativo volume de doses aplicadas nestes últimos oito dias. Confira os dados no final da matéria.

Hoje, além deste público sem comorbidades, continua a vacinação dos grupos prioritários das pessoas a partir de 18 anos com comorbidades; trabalhadores industriais a partir dos 38 anos; grávidas e puérperas; os profissionais que atuam na educação do ensino fundamental I e II de escolas públicas e privadas de Natal, e demais grupos prioritários.

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal reforça ainda a importância da segunda dose do imunizante. “Pedimos à população que olhe seu cartão de vacina e veja a data aprazada para receber a segunda dose”, solicita George Antunes, Secretário de Saúde de Natal.

Além dos seis pontos de drive da cidade, a população tem 35 unidades básicas de saúde para buscar o imunizante. Para os profissionais da educação a Secretaria Municipal de Saúde (SMS/Natal) disponibiliza o Palácio dos Esportes e mais dois pontos exclusivos: o ginásio do colégio Expansivo, na Zona Norte (Rua Wiliam Marinho de Leiros, 50 – Pajuçara); e o ginásio do Instituto Sagrada Família, no Alecrim (R. Olinto Meira, 1076. Alecrim). Os locais funcionarão diariamente das 08h às 16h, inclusive aos domingos.

Doses Aplicadas nos últimos oito dias:

10/06 – 3.444

11/06 – 6.568

12/06 – 5.686

13/06 – 1.438

14/06 – 8.814

15/06 – 12.219

16/06 – 8.072

17/06 – 4.922

Total de doses aplicadas nos oito dias – 51.163

Além deste número, foram aplicadas 4.914 doses nos profissionais da Educação Infantil entre os dias 07 e 17 de junho

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

MPF pede que PF apure ‘sumiço’ de 50 mil doses de vacinas no Piauí

Foto: Regis Falcão/Governo do Piauí

O Ministério Público Federal (MPF) requisitou, na tarde desta quinta-feira (25), a instauração de inquérito pela Polícia Federal para apurar o possível desvio, por parte do governo do estado do Piauí, de 50.667 doses de vacinas contra a covid-19 que não foram registradas no sistema do Ministério da Saúde, conforme amplamente noticiado nos meios de comunicação e em vídeo de autoridade do legislativo que circula nas redes sociais. A pasta da Saúde do governo de Wellington Dias (PT) nega desvios e afirma que atualiza o sistema após entrega das doses aos municípios.

De acordo com portal de notícias piauiense Cidadeverde.com os 224 municípios piauienses receberam até agora 392.080 doses de vacinas Coronavac e AstraZeneca e os prefeitos incluíram no cadastro do governo federal somente 341.413 doses dos imunizantes, tendo uma sobra de mais de 50 mil doses que não estão sendo localizadas.

O portal ainda aponta três possibilidades para a ausência do devido registro no sistema do Ministério da Saúde: as Secretarias Municipais de Saúde estão vacinando e não incluíram no cadastro do Ministério da Saúde, as doses foram utilizadas de forma irregular – fura-filas e outros fins – ou as vacinas estão paradas.

Diante da gravidade das denúncias, o procurador da República Kelston Pinheiro Lages requisitou à PF a apuração da existência do possível crime de peculato, com a materialidade, bem como a identificação dos autores de eventuais infrações penais.

“A vacina é um bem público com destinação específica. O seu desvio ou subtração em proveito próprio ou alheio em uma situação de normalidade já grave , numa situação de calamidade pior ainda com sérias repercussões do âmbito criminal e da improbidade administrativa. Os fatos são graves e precisam ser esclarecidos”, destaca Kelston Lages .

Em razão dos mesmos fatos, o MPF também requisitou ao secretário estadual de saúde Florentino Neto que preste esclarecimentos, no prazo de dez dias úteis, bem como as providências que estão sendo adotadas.

Tanto a resposta do secretário como o relatório da Polícia Federal integrarão o Inquérito Civil número 1.27.000.000369/2020-75, que tramita na Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, com o objetivo de acompanhar as políticas públicas, bem como a utilização de recursos públicos destinados ao enfrentamento do coronavírus no estado do Piauí.

‘Transparência mantida’

Diante das suspeitas, a Secretaria da Saúde do Piauí afirmou que, por meio da Superintendência de Atenção à Saúde e Municípios, mantém a total transparência em relação aos dados relativos à Covid-19 no Piauí. E confirma o recebimento das 392.080 mil doses de vacinas para imunizar a população piauiense.

Em vídeo divulgado pelo governo do Piauí, o superintendente estadual de Atenção Primária à Saúde e Municípios, Herlon Guimarães, explica que o número total de doses entregues aos municípios não consta no Vacinômetro oficial do estado, porque só é possível registrar as doses depois que elas são entregues nas cidades.

“Nosso painel está sendo atualizado por conta da preocupação com a transparência, mas é uma certeza que todas as doses foram entregues nos municípios”, diz o superintendente.

Herlon explica ainda que a defasagem dos números acontece porque o Piauí guarda as doses de vacinas para a segunda dose, que só são distribuídas num prazo de 28 dias ou três meses depois, dependendo de qual vacina seja.

“Nós temos reuniões semanais com todos os nossos Conselhos de Secretários Municipais para mantermos um controle maior da entrega. Nunca registramos a entrega no mesmo dia que enviamos aos municípios. O registro só acontece quando eles recebem”, esclarece.

Veja o vídeo com a explicação oficial do governo do Piauí:

Diário do Poder, com informações da Assessoria de Comunicação Social do MPF no Piauí

Opinião dos leitores

  1. A culpa é de Bolsonaro que não fiscalizou o armazenamento e não viajou para o Piauí para ver aonde eles estavam colocando…(toda a culpa é dele..)

  2. Bom, roubar nós sabemos que pode, já aconteceu quando esse partido assumiu posições de comando, agora, num momento desses, demonstrar incapacidade gerencial é de matar. Passam o tempo que querem acusando o presidente de genocida, quando chega a hora e dentro do seu terreiro, de fazer a coisa certa, desandam a fazer besteira, aqui no nosso RN não é diferente.

  3. Esses são ladroes profissionais, PTralhas são assim , veja o exemplo do RN ? Contrato de ambulância, sacos plásticos, respiradores sucateados , 5 milhões …e o MINISTÉRIO PÚBLICO CALADO , irão se manifestar , só quando sair No fantástico, aí aparece logo logo um promotor na frente das CÂMERAS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *