Educação

Escola aplica simulados remotos com foco na preparação para o Enem

Foto: Divulgação

O Exame Nacional do Ensino Médio já tem nova data para acontecer: será nos dias 17 e 24 de janeiro, para quem for fazer a prova impressa, e 31 de janeiro e 7 de fevereiro, para os inscritos na prova digital. As novas datas foram divulgadas esta semana pelo Ministério da Educação. Mesmo durante os quatro meses de indefinição sobre a realização das provas, os alunos do Colégio Porto, em Natal, não deixaram de lado a preparação. Durante esse período sem aulas presenciais, os estudos com foco no Enem foram reforçados com a realização de simulados remotos.

Neste mês de julho, os estudantes da 3ª série do ensino médio vão fazer o sétimo simulado para o Enem desde que as aulas passaram a ser feitas on-line. Já os alunos das 1ª e 2ª séries vão para a terceira maratona de provas. Os simulados seguem o mesmo formato do ENEM em relação aos conteúdos e tempo de duração e são monitorados de forma remota por professores, que observam os alunos, de forma geral e individual, por meio das câmeras usadas na plataforma Google Meet.

“Os simulados estão sendo muito importantes para que os alunos sigam essa preparação para o Enem de forma contínua, mesmo que de maneira remota. Os resultados têm sido muito satisfatórios. Inclusive, os nossos alunos estão com rendimento superior à rede de todas as escolas Bernoulli juntas no Brasil”, afirmou a diretora pedagógica do Colégio Porto, Ana Cristina Dias. A escola utiliza o material didático do Sistema Bernoulli de ensino, um dos mais conceituados do país, que também é responsável pela preparação dos simulados.

Yanna Rodrigues é aluna da 3ª série do ensino médio do Colégio Porto e vai tentar uma vaga no curso de Medicina, tradicionalmente o mais concorrido. Ela destaca a importância do suporte que está recebendo da escola em relação à preparação para o Enem. “O Porto está nos dando um suporte maravilhoso com simulados, assistência psicológica, aulas extras com os professores e isso ajuda bastante. Toda a base que precisamos estamos conseguindo ter, com professores, funcionários, todo mundo nos auxiliando, para que a gente tenha um resultado muito bom”, concluiu.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

UFRN aplica recurso na construção de sistema de energia solar

Foto: Cícero Oliveira

Com o intuito de incentivar o uso de energias sustentáveis, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebeu um recurso no valor de R$ 1.943.010, via Termo de Execução Descentralizada (TED) do Ministério da Educação (MEC). A verba será utilizada no projeto de instalação de sistemas de microgeração de energia solar fotovoltaica no Campus Central.

De acordo com a pró-reitora de Administração (Proad), Maria do Carmo de Oliveira, o recurso será aplicado na contratação de uma empresa especializada para a elaboração do projeto; aprovação junto à concessionária de energia; fornecimento de todos os equipamentos e materiais; instalação e efetivação do acesso junto à concessionária de energia; além dos serviços de treinamento, manutenção e suporte técnico.

Os sistemas ficarão na Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM) e no Instituto Metrópole Digital (IMD), localizados no Campus Central. Contudo, o superintendente de Infraestrutura (INFRA), Luiz Pedro de Araújo, contou que outros setores da UFRN, na capital e no interior, estão sendo analisados para verificar se possuem estrutura adequada para futuras instalações do sistema de energia solar.

A ação conjunta entre a Proad, a Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan) e a INFRA contou com a participação de diversos departamentos acadêmicos da universidade e trará benefícios financeiros, ambientais e acadêmicos, visto que possibilitará um consumo energético mais adequado para o meio ambiente e o desenvolvimento de atividades nos campos do ensino, da pesquisa e da extensão.

Sobre a redução do gasto com energia, o coordenador de Gestão dos Sistemas Elétricos da INFRA, João Maria Vital de Paiva, prevê que a instalação da energia solar trará uma economia inicial de 4% na fatura de energia da instituição de ensino. Representando a segunda maior despesa no orçamento da universidade, em 2019, a conta de energia elétrica de todos os campi da UFRN teve um impacto médio de R$19 milhões. Dessa forma, com a instalação do sistema de energia solar, estima-se que nos primeiros anos a economia mensal na conta de luz será em torno de R$ 420 mil.

Energia Solar

Conhecida como uma fonte limpa, a energia solar é proveniente da luz e do calor do sol, podendo ser utilizada por meio de diversas tecnologias, como o aquecimento solar, a energia solar fotovoltaica, a energia heliotérmica, a arquitetura solar e a fotossíntese artificial.

Com informações da UFRN

Opinião dos leitores

  1. Muito bom, ficam registrados os agradecimentos ao Min. Adam Weintraub pelos recursos, estávamos precisando dessa modernização.

    1. Errata: Onde se lê "Adam Weintraub", leia-se "Abraham Weintraub" .

  2. Ótima iniciativa da UFRN! Vai trazer um enorme economia de energia. O pessoal do planejamento e da administração podem entrar em contato com a UFERSA que já possui uma usina solar no campus Mossoró há 2 anos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *