Sob ameaça de greve dos caminhoneiros, Ministério da Infraestrutura pede a suspensão da nova tabela do frete

Foto: (Nilton Cardin/Estadão Conteúdo)

Sob ameaça de greve dos caminhoneiros, o Ministério da Infraestrutura confirmou nesta segunda-feira, 22, que pediu a suspensão das novas regras para o frete mínimo rodoviário à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A medida, publicada em resolução pela agência na última quinta-feira e em vigor desde sábado, desagradou os caminhoneiros. Desde então, grupos articulam atos para protestar contra a decisão.

Na próxima quarta, 24, o ministro deve se reunir com lideranças de grupos de caminhoneiros para negociar uma nova tabela de frete. A fixação do frete mínimo foi reivindicada durante a greve dos caminhoneiros do ano passado. Até este sábado, quando a resolução da ANTT entrou em vigor, o método utilizado levava em conta apenas a quilometragem percorrida. Agora, fatores como o tempo de carga e descarga, custo com depreciação do caminhão, entre outros, também entrarão no cálculo.A nova tabela foi criada em conjunto com o Grupo de Pesquisa e Extensão em Logística Agroindustrial, ligado à Universidade de São Paulo (USP).

Procurada, a ANTT, que é vinculada ao Ministério da Infraestrutura., não se posicionou até a publicação desta reportagem.

Os caminhoneiros, porém, afirmam que os novos valores não são adequados e cobrem apenas os custos e não geram receita. Desde a divulgação da medida, os caminhoneiros passaram a criar grupos de Whatsapp para organizar atos e paralisações de estradas. Até a manhã desta segunda-feira, os grupos relatavam pequenas paralisações em Pernambuco e em São Paulo, mas sem bloqueios de pistas e pontos de paradas nas estradas. Um protesto marcado para a manhã desta segunda em Barbacena (MG), não teve adesão.

Em maio de 2018, caminhoneiros pararam estradas de todo o país por cerca de dez dias causando desabastecimento de combustível e supermercados. Entre as reivindicações estava a criação do preço mínimo para o frete e a redução do custo do diesel. O governo Temer criou uma tabela, que foi corrigida na última semana, e subsidiou até dezembro do ano passado o preço do combustível. Os itens foram acordados para que as estradas fossem desbloqueadas.

Essa não é a primeira ameaça de paralisação dos caminhoneiros neste ano. Em março, os motoristas começaram a articular paralisação após um anúncio de aumento dos combustíveis pela Petrobras. O presidente Jair Bolsonaro interveio na decisão, telefonando para o presidente da estatal pedindo a suspensão do reajuste. A petroleira, no entanto, manteve o aumento de 10 centavos no litro do combustível. Para acalmar os ânimos, o governo anunciou um pacote de medidas para os caminhoneiros, como uma linha de crédito para a manutenção dos veículos para autônomos e obras de infraestrutura em rodovias federais.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo disse:

    E se não nos atenderem, paramos o Brasil…. Fica a dica!!

  2. Antônio Bráulio disse:

    Como os caminhoneiros criaram tanta força? De quem é a culpa?
    DOS GOVERNOS ANTERIORES! Sarney, Collor, Itamar, FHC, Lula, Dilma e Temer nada fizeram
    NENHUM GOVERNO fez investimento em PORTOS e FERROVIAS ficou TUDO nas MÃOS dos CAMINHONEIROS.
    Agora 85% do transporte de cargas no Brasil depende deles e o país fica refém da categoria. Agora aguentem…

    • sheila disse:

      É uma classe trabalhadora como qualquer outra, e tem o seu grande valor…
      ficam meses e meses longe de suas famílias e nós temos todos os finais de semana com a nossa…
      É um trabalho muito árduo, muitos não aguentam enfrentar os perigos que eles enfrentam…
      Antes de opinarem, dêem mais valor a essa classe…

    • Sergio disse:

      Faltou vc falar da ditadura, responsável pelo "milagre" brasileiro! Por que eles não fizeram?

Senadora Zenaide pede plano econômico do governo para alavancar economia

Foto: Divulgação

Cobrar do governo um plano de recuperação econômica para o País. Essa foi a principal questão apontada durante o pronunciamento feito pela senadora Zenaide Maia, no plenário do Senado nesta quarta-feira (12).

“Não é uma questão de partido A, B ou C, é uma questão relacionada ao povo Brasileiro. Se não investirmos nos setores que geram emprego e renda, com 30 milhões de brasileiros desempregados ou subempregados, o Brasil não vai arrecadar impostos, porque não tem quem movimente a economia. Todos nós temos de dar as mãos e se unir para cobrar do Governo um plano de recuperação econômica para o País”, declarou a senadora Zenaide Maia.

A parlamentar apontou o setor da Construção Civil como o que mais sofre e está falido. “A Construção Civil deve ser o primeiro setor a ser beneficiado, pois através dele se emprega do analfabeto ao doutor, e em todo as regiões do país”, argumentou.

Zenaide Maia também criticou a posição dos bancos estatais, que deveriam contribuir com financiamentos para geração de empregos. “O Brasil é um dos poucos países que têm cinco instituições, que foram criadas para fomentar o social, o emprego e renda – Caixa Econômica, Banco do Brasil, BNDES, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia -, sem falar no Banco Central. Por que estamos parados com esses bancos, onde os lucros são cada vez maiores?”, questionou.

Segundo a senadora, é preciso investir nos setores produtivos. “Todos os problemas que vivemos hoje são muito pequenos diante da gravidade do índice de desemprego do nosso País”, declarou a parlamentar.

A senadora lembrou ainda que a agricultura familiar, que põe mais de 70% dos alimentos na mesa do brasileiro, precisa também de investimentos.

PGR pede à PF unificação dos inquéritos sobre ataques de hackers a procuradores; Raquel Dodge argumenta que atuação criminosa foi ‘sistemática’

Foto: Jorge William / Agência O Globo

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ofício ao diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo , solicitando que a corporação unifique em um inquérito só as diversas investigações abertas para apurar ataques de hackers a procuradores do Ministério Público Federal ( MPF ).

Para Dodge, houve um “ataque cibernético sistemático” contra membros da instituição e, por isso, seria importante adotar uma linha de investigação unificada. A procuradora-geral diz que é importante descobrir os motivos dos ataques e se há “eventuais contratantes” do serviço criminoso.

A PF já abriu ao menos quatro inquéritos para apurar os ataques, relacionados às forças-tarefas da Lava-Jato em Curitiba, Rio, São Paulo e Brasília. Caso o pedido de Dodge seja aceito, será tudo unificado em um inquérito só.

Para agilizar as investigações, a procuradora-geral encaminhou à Polícia Federal cópias de documentos para subsidiar a apuração desses crimes. Ela também solicitou ao diretor-geral informações sobre o atual estágio das investigações relativas à invasão das contas dos membros no aplicativo Telegram.

No ofício, Raquel Dodge pontua que “a ação criminosa resultante dessa invasão da conta dos membros, ou o chamado ‘sequestro’ de identidade dentro do aplicativo, tornou-se de conhecimento público a partir de recente divulgação, pela mídia, de dados e informações coletados de forma ilícita de celulares de membros do MPF”, divulgou a PGR em comunicado à imprensa.

Os primeiros ataques contra membros das forças-tarefas de Curitiba e do Rio foram comunicados em maio à PGR, que abriu um procedimento administrativo para apurar o assunto. Na ocasião, também foi solicitado a abertura de inquérito policial.

Dodge pediu ainda à PF a abertura de uma investigação sobre a invasão do celular do conselheiro Marcelo Weitzel, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). De acordo com a colunista Bela Megale, seu telefone foi invadido por um hacker que enviou mensagens ao grupo do CNMP no Telegram.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo disse:

    Dulce, vc ja se perguntou porque a DPF não prende os hackers?…..
    Porque autoridades públicas pensam que usando celular criptografados nao não vão ser hackeados?
    ILUDIDOS……
    SIM E LULADRÃO ESTA PRESO AGUARDANDO OS QUE ESTÃO POR IR JUNTAR-SE A ELE

  2. Dulce disse:

    Tudo dos petralhas é sistêmico, corrupção, ação de hackers, defensores de bandidos, e idiotas também

Bolsonaro pede que argentinos votem com a “razão” e alerta para risco de “novas Venezuelas”

Ao lado de Mauricio Macri, Jair Bolsonaro aproveitou o pronunciamento em sua primeira visita à Argentina desde que tomou posse para manifestar claramente seu apoio à reeleição do presidente daquele país.

Assim como já havia feito com o aliado Donald Trump durante a visita aos Estados Unidos, em março, Bolsonaro tomou partido no processo eleitoral do país vizinho.

“Conclamo o povo argentino. Que Deus abençoe todos eles porque terão pela frente, no mês de outubro, eleições. E todos têm que ter, assim como grande parte do Brasil teve [nas eleições de 2018], muita responsabilidade, muita razão e menos emoção para decidir o futuro desse país maravilhoso que é a Argentina”, afirmou Bolsonaro.

Sem citar o nome de Cristina Kirchner (que governou a Argentina entre 2007 e 2015 e já anunciou que será candidata a vice-presidente na chapa encabeçada por Alberto Fernández), Bolsonaro voltou a falar sobre um possível risco de que haja uma “nova Venezuela” no continente.

“Toda a América do Sul está preocupada que não tenhamos novas Venezuelas na região. Devemos nos preocupar e tomar decisões concretas nesse sentido, cada vez mais unindo os nossos povos e buscando cada um o seu potencial, de forma irmanada para que o progresso e a paz reinem entre nós.”

Em maio, o presidente brasileiro já havia dito, em discurso durante a formatura de novos diplomatas no Itamaraty, que “o mundo todo não quer” uma outra Venezuela “mais ao sul do nosso continente”.

Bolsonaro encerrou o seu pronunciamento desta quinta dizendo que Brasil e Argentina têm de continuar “cada vez mais parceiros não só na economia, mas também na liberdade”. “Deus abençoe o povo argentino para que possa escolher o melhor. Dessa forma, teremos paz, alegria e prosperidade entre os povos.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anti-Político de Estimação disse:

    A Venezuela é um verdadeiro inferno, mas a própria Argentina está caminhando para isso também ; está numa crise grave.
    Só faltou lembrar esse detalhe.

  2. Alvinho disse:

    E com novos brasis com caravelas e sem leme e sem destino. Aja maluquice no comando geral, aí, aí, aí!

WhatsApp detecta ataque hacker e pede que usuários em todo o mundo atualizem o aplicativo

Whatsapp divulgou comunicado sobre vulnerabilidade no sistema (Thomas White/Reuters)

O aplicativo de mensagem instantânea WhatsApp, de propriedade do Facebook, divulgou, nessa segunda-feira 13, que foi detectada uma vulnerabilidade em seu sistema que permitia que hackers instalassem spyware em alguns telefones – conseguindo, assim, acessar os dados contidos nos aparelhos.

A empresa confirmou em comunicado à imprensa a informação publicada horas antes pelo jornal Financial Times e pediu aos 1,5 bilhão de usuários em todo o mundo que “atualizem o aplicativo para sua versão mais recente” e mantenham durante o dia seu sistema operativo como medida de “proteção”.

O WhatsApp, que foi adquirido pelo Facebook em 2014, indicou que neste momento ainda não é possível dizer quantas pessoas foram afetadas, mas estimou que as vítimas foram escolhidas “especificamente”, de maneira que em princípio não se trataria de um ataque em grande escala.

O software espião que foi instalado nos telefones “se assemelha” à tecnologia desenvolvida pela empresa de cibersegurança israelense NSO Group, que levou o WhatsApp a colocá-lo como o principal suspeito por trás do programa de espionagem.

A vulnerabilidade no sistema, para a qual a empresa lançou um patch na segunda-feira, foi detectada há apenas alguns dias e, por enquanto, não se sabe quanto tempo duram as atividades invasoras.

Os hackers faziam uma ligação através do WhatsApp para o telefone cujos dados queriam acessar e, mesmo que o destinatário não respondesse à chamada, um programa de spyware era instalado nos dispositivos.

Em muitos casos, a chamada desaparecia mais tarde do histórico do aparelho, de modo que, se ele não tivesse visto a chamada entrar naquele momento, o usuário afetado não suspeitaria de nada.

O WhatsApp declarou que, logo após tomar conhecimento dos ataques, alertou a organizações de direitos humanos (que estavam entre as vítimas da espionagem), empresas de segurança cibernética e o Departamento de Justiça dos EUA.

O fato de algumas das organizações afetadas serem plataformas de defesa dos direitos humanos reforça a hipótese de envolvimento do Grupo NSO, uma vez que seu software já foi utilizado no passado para realizar ataques contra esse tipo de entidades.

Segundo o Whatsapp, o “spyware” detectado teve capacidade para infectar telefones com sistema operacional da Apple (iOS) e do Google (Android).

Veja, com EFE

Moro pede que empresários deem oportunidade de trabalho a presos

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, defendeu, nesta segunda-feira (6), que as empresas brasileiras contratem pessoas que cumprem pena ou que deixaram o sistema prisional. Para o ministro, é importante que os empresários ofereçam oportunidades aos presos que buscam uma oportunidade de se reinserir na sociedade por meio do trabalho e do estudo.

“Temos que acreditar na ressocialização do preso. Este é um objetivo importante. Nunca podemos perder a fé e a esperança de que as pessoas podem se redimir. E uma das melhores maneiras é dar uma oportunidade para estas pessoas”, disse o ministro durante a cerimônia de entrega do Selo Resgata a 198 empresas de 15 estados. Juntas, estas empresas contratam 5.603 pessoas. No primeiro ciclo de certificação das companhias, em 2017/2018, 112 instituições receberam o selo. A maioria delas, órgãos públicos. A expectativa do ministério é ampliar este número para mil empresas em 2020 e atrair mais empresas privadas.

Lançado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública no fim de 2017, o selo é uma estratégia federal de estímulo às empresas públicas e privadas, bem como a órgãos públicos e empreendimentos de economia solidária, para que contratem pessoas privadas de liberdade que estejam cumprindo penas alternativas ou que já tenham deixado o sistema prisional.

A contratação dos presos é feita por meio de convênios que as empresas habilitadas a apoiar o trabalho de ressocialização assinam com os governos dos estados onde atuam. A certificação da habilitação é a obtenção do próprio Selo Resgata. Para obtê-lo, a empresa tem que contar com entre 1% e 3% de presos no total de mão de obra contratada, mediante o que, recebem algumas vantagens, como redução das despesas trabalhistas.

Presente à cerimônia de habilitação de mais 198 empresas, o diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Fabiano Bordignon, lembrou que a Lei de Execução Penal prevê que os presos trabalhem, não podendo, em nenhuma circunstância, receber menos que 75% do salário-mínimo (R$ 998), não tendo algumas das garantias trabalhistas. Deste valor, um percentual pode ser descontado a título de custeio das unidades prisionais, como já acontece em Santa Catarina, apontado como um estado-modelo.

Para Bordignon, o maior benefício para os presos é a possibilidade de reduzir sua pena, já que, a cada três dias de trabalho, um dia é abatido da sentença a cumprir. “A Lei de Execução Penal diz que o preso condenado é obrigado a trabalhar. Claro que tratamos isto como um direito, já que a maioria dos detentos do Brasil quer trabalhar. A dificuldade é que dar trabalho para os presos dá trabalho. Então, precisamos criar estruturas nas unidades prisionais para que elas recebam parte deste trabalho”, comentou o diretor do Depen, admitindo que um dos desafios à iniciativa é o convencimento de mais empresas privadas.

“Temos que romper um certo preconceito. Também precisamos classificar melhor os presos para que as empresas saibam que podem recebê-los. A Lei de Execução Penal prevê as Comissões Técnicas de Classificação para fazer isso, mas, hoje, com as estruturas prisionais, a deficiência de servidores e de sistemas informatizados, isso é uma dificuldade”, pontuou o diretor-geral do Depen.

Microempresário do ramo da construção civil, José Geraldo Rosa Júnior era o responsável por um dos estabelecimentos que receberam o selo. Embora esteja afastado da direção da empresa, ele compareceu à cerimônia e garantiu que repetiria a experiência encerrada em 2018.

“Para nós, empresários, é uma maravilha; uma vantagem”, disse Júnior, revelando à Agência Brasil que os custos com a contratação de um apenado podem chegar a ser 65% inferiores aos de outro trabalhador. O que lhe permitiu, inclusive, vencer licitações para fornecer serviço a órgãos públicos. “Eu fiz um teste com alguns reeducandos e consegui êxito porque o meu valor [do serviço] era menor porque minha mão de obra era mais barata”, acrescentou o microempresário que chegou a ter sete apenados entre seus funcionários.

“Nunca tive problemas. Até porque, quando você dá uma oportunidade para eles, eles te vêm como um amigo e dão o seu melhor. Eles costumavam chegar antes do horário e, geralmente, eram os últimos a sair”, comentou o microempresário, explicando que o contrato que assinou com a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap), do Distrito Federal, previa que, caso houvesse algum problema, a entidade prestaria todo o auxílio necessário – o que nunca foi necessário.

Agência Brasil

 

Rogério Marinho pede que oposição apresente proposta para a Previdência

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, disse nesta terça-feira (30 de abril) que está ansioso para ouvir alternativas à proposta apresentada pelo governo federal para a nova Previdência Social. Ele propôs que os debates sobre o tema sejam feitos de forma técnica.

“Espero que a política, por mais importante que seja, e as paixões sejam sobrepostas pelo debate técnico. Os opositores já foram governo e sabem da necessidade de reestruturação [da Previdência Social]. Chegou a hora de a oposição mostrar qual é o seu projeto”, disse o secretário após participar do seminário Desafios para a Previdência e a Proteção Social no Brasil – evento promovido pelo Instituto Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). “Estamos sôfregos e ansiosos para escutar qual é a alternativa a ser apresentada por aqueles que se colocam contra”, acrescentou.

O secretário reiterou sua posição a favor da integralidade do projeto, que prevê uma economia de R$ 1,236 trilhão ao longo de 10 anos.

Marinho elogiou a forma como a questão tem sido tratada por parte do Parlamento. “Tenho sentido um clima muito propositivo no Congresso Nacional, ao contrário do que ocorria em outras épocas”.

Segundo ele, o projeto apresentado combate fraudes e cobra de quem deve à Previdência, além de estar focado em uma lei de responsabilidade voltada aos municípios. “Temos a responsabilidade de enfrentar esse problema e de não varrê-lo para debaixo do tapete. Quem tem mais paga mais. Quem tem menos paga menos. Mas todos pagam”, destacou.

De acordo com o pesquisador da Universidade Cândido Mendes Paulo Tafner, que já foi pesquisador do Ipea, em 1980 havia no mercado de trabalho 9,2 trabalhadores ativos para cada inativo. “Em 2020 serão 4,7 ativos para cada inativo; e em 2060 será 1,6 ativo para cada inativo. Isso coloca muita pressão sobre um sistema de sustentabilidade”, disse o economista.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruno Milla Tech disse:

    Perfeito!!!!👍 👏👏👏👏👏 isso mesmo, vamos ver o q aparece!!

  2. Carlos disse:

    Era bom que aparecesse um pra opinar com sabedoria e conteúdo, mais estes não entra pois quando vai ver os comentários , tem s aguentar este opinafores sem noção, só quer encontrar razão em agressão ao seu compatriota q está no mesmo barco e sofrendo do mesmo problema. E nós sabemos que o problema é muito mais profundo, e só uma unidade, uma união resolveria. E alguns tem olvidoi, ouça: uma casa dividida é sua ruína

  3. Bento disse:

    Secretario para RM é pouco merece ser Ministro por sua capacidade.

  4. George Linhares Couto de Melo disse:

    Tava lembrando das bandeiras do PT nas eleições e elas passavam pelas reformas tributárias e previdenciária.
    O PT ficou no poder, poder total, de 2003 a 2016, tendo o congresso e o senado nas mãos para fazer o que queria e desejava.
    Fez as reformas? Não!
    Agora aparecem dando palpite em tudo e dizendo que tem a solução.
    Qual a razão de não adotarem essas soluções para o bem do país quando tinham o poder nas mãos?
    Ficavam repetindo a cada eleição as promessas e nunca tornavam realidade, mas realizaram feitos que deram origem ao mensalão, ao petrolão e a lava jato.
    Alguém aí sabe quem matou Celso Daniel? Qual a motivação? Quem foram os mandantes?
    Por quê a esquerda não tem interesse em solucionar esse caso, como tiveram com Marielle?
    São apenas perguntas que poderiam ter as respostas devidas, ou seja, verdadeiras.

  5. realmadriddepiumgenerico disse:

    A reforma trabalhista ao tirar direitos e aumentar o desemprego também tirou muitos contribuintes do sistema previdenciário, diminuindo a arrecadação. Não se sustenta o discurso do governo, pois não criam nenhuma política de combate ao desemprego. Além de tirarem a obrigação dos patrões contribuírem com a previdência e aumentar a contribuição do trabalhador. Entendem o processo sádico deste governo. Reduzir a informalidade também deve fazer parte para melhorar e as políticas neoliberais empurram cada vez mais gente para informalidade. Basta ver nas ruas a quantidade de pessoas vendendo bugigangas, churrasquinho, etc. defendem o pão de cada dia, mas não contribuem para o sistema e o governo só pensa em mandar matar nos morros e agora, no campo.

  6. realmadriddepiumgenerico disse:

    Não é difícil. Eu que não sou nenhum especialista, posso apresentar uma: Divida as dívida que têm com a previdência para recebimento em dez anos, só ai´, já teriam metade do que eles querem arrecadar com a reforma nesses dez anos. Taxar as grandes fortunas e essa taxa ir para a seguridade social, só essas duas medidas, dariam mais do que eles pretendem arrecadar com a reforma em dez anos. O problema é que não querem tocar nos mais ricos e nem cobrar os devedores, que por acaso, são os mais ricos também.

    • Curioso disse:

      Sei que você é Lulista/petista, o que não sou mais, pois me enganaram, mas é uma boa pergunta: Por que não taxam as grandes fortunas?

    • M.Vinícius disse:

      Uma proposta boa, aquele ou aquela petista que receber salário acima de R$ 10.000 deve cumprir a risca a ideologias Marxista devolvendo para o Estado 50% do seu salário.

    • joao disse:

      Curioso, as grandes fortunas pertencem aos funcionarios publicos e aos amigos do rei… empresario so produz riqueza e gera emprego, somente isso…. Estado consome riqueza.

    • Ceará-Mundão disse:

      Quanto fanatismo, quanta falta de bom senso, quanto desconhecimento da realidade (ou má fé). O PT esteve por 13 anos no poder e fez o que? Criou esse tal imposto sobre grandes fortunas? Nos governos do PT, os bancos nunca ganharam tanto dinheiro, segundo seus próprios balanços. Lucros fantásticos. É só pesquisar na internet. Nosso dinheiro, ao invés de ser aplicado no Brasil, para diminuir nossas incontáveis carências, iam para ditaduras amigas do PT. As maiores empreiteiras do país e empresários como Eike Batista e os irmãos Batista (JBS/ Friboi), também foram muito beneficiados. E Lula fez 2 reformas da Previdência, em 2003 e 2005. Portanto, esses esquerdopatas só têm mesmo é papo furado. Incoerência, hipocrisia e mentiras são suas maiores armas.

Raquel Dodge pede que inquérito contra Rogério Marinho vá para Justiça Eleitoral

Foto: Adriano Machado / REUTERS

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge , pediu que o inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho , vá para a Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte. Ele foi candidato a prefeito de Natal em 2012 e teria declarado gastos inferiores ao que realmente praticou para contratar uma empresa responsável por produzir vídeos de campanha. Segundo Dodge, “as diligências já cumpridas reforçam as suspeitas de ocorrência do crime de falsidade ideológica eleitoral”. Assim, ela opinou que “a hipótese é de continuidade da apuração, porém no juízo de primeira instância”. Marinho nega as irregularidades e pede agilidade na conclusão do inquérito.

O relator do pedido no STF é o ministro Gilmar Mendes, responsável por tomar uma decisão a respeito. Marinho foi deputado federal pelo PSDB até janeiro de 2019 e, por isso, tinha foro privilegiado no tribunal. Como não tem mais mandato, o local para a continuidade da investigação, segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), é a Justiça Eleitoral do seu estado.

Na investigação preliminar feita até agora, a Polícia Federal (PF) anotou ter apurado gastos de R$ 527,5 mil com os profissionais que trabalharam na produção de material audiovisual na campanha de 2012, além de R$ 229 mil com a locação de imóvel e fornecimento de alimentação para esses profissionais.

“Dessa forma, sem incluir outras despesas com telefone, conta de energia, material de expediente, material utilizado nas gravações, locação de equipamentos, transporte, combustível, lucro, pagamento de cachês, dentre outros, a despesa até então contabilizada é de R$756.510,00, valor aparentemente superior ao montante declarado pelo candidato, dependendo do cotejo dessas informações com a prestação de contas eleitoral do investigado”, diz trecho de relatório da PF.

A procuradora-geral também anotou: “Como ainda resta pendente a diligência entre o cotejo das informações produzidas nas diligências realizadas neste apuratório e as declarações prestadas à Justiça Eleitoral pelo ex-deputado Rogério Marinho a fim de confirmar ou não a hipótese criminal ora investigada, o inquérito deve ser remetido ao juízo de primeira instância competente.”

No depoimento prestado no processo, Marinho afirmou que contratou a empresa para a produção de vídeo por R$ 700 mil. Depois, por dificuldades financeiras, pediu a redução do valor, que foi repactuado, pago e declarado à Justiça Eleitoral.

Por meio de sua assessoria, Marinho afirmou que as contas da campanha de 2012 foram aprovadas pela Justiça Eleitoral. Disse também que já houve três pedidos de prorrogação do inquérito e, mesmo assim, não há elementos para oferecimento de denúncia contra ele.

“Mais uma vez, espera-se agilidade e não novas prorrogações ante os esclarecimentos dos fatos, evitando-se o uso político de eventos que ocorreram há quase oito anos”, diz trecho da nota da assessoria do secretário.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fagner disse:

    Todo enrolado. Falsidade ideológica. E continua no serviço público?

  2. Realista disse:

    Se for para a eleitoral, é mamada.

  3. Curioso disse:

    Por que não mandam os processos de Lula para a Justiça Eleitoral?
    Bichinho inocente!

  4. Toni disse:

    e Mesmo Carlos Bastos kkkkkkkkkkkkkk!!!!!! Puta Que Pariu tamo Lascado!!!!!

  5. Carlos Bastos disse:

    Esse é o homem da reforma da previdência, kkkkkkkk

    • M.D.R. disse:

      Veja que tamanho do PIPINO, ainda tem privilégio de ser SECRETÁRIO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Isto é BRASIL!!!
      O HOMEM DA FORMA TRABALHISTA, ao concluir disse: 2MILHÕES de empregos direto, mas de "ARACAJÚ "não chegou 500 mil de empregos.

Alegando que não foi avisada com antecedência, defesa de Lula pede que julgamento de recurso seja adiado

Foto: Fernando Bizerra Jr./EFE

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu que o julgamento do recurso no STJ (Supremo Tribunal de Justiça), marcado para esta terça-feira (23), seja adiado.

O pedido foi enviado pela defesa ao ministro do STJ Felix Fischer. Segundo os advogados do ex-presidente, não houve notificação sobre o julgamento e, por isso, este precisa ser adiado.

O recurso pode manter Lula preso, fazer com que saia da cadeia ou que cumpra prisão domiciliar.

A defesa diz que até as 18h30 da segunda-feira (22) não havia previsão de julgamento.

R7

Deputado fala em desmoralização do PT no caso Cesare Battisti, e pede que o partido repense o apoio que continua dando a Maduro

O deputado federal Rubens Bueno, do Cidadania (ex-PPS), disse que o PT foi desmoralizado — ainda mais, claro — com o depoimento de Cesare Battisti à Justiça italiana.

“O que Lula e o PT terão a dizer com a confissão de assassinatos? Eles concederam refúgio político ao criminoso e o defendiam abertamente no Brasil e pelo mundo afora. Fica a desmoralização para o PT.”

O parlamentar acrescentou:

“Espero que esse caso sirva de lição para o partido. Que possa fazer o PT repensar, entre outras coisas, sobre o apoio que deu e continua dando ao regime ditatorial e sanguinário de Nicolás Maduro na Venezuela.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eitapiula disse:

    Quem ficou desmoralizado no episódio, foi o Brasil. Passamos por otários protetores de assassinos.

Depósito de R$ 100 mil, em dinheiro, na conta do policial reformado Ronnie Lessa, denunciado pelo assassinato de Marielle e Anderson; MP pede bloqueio de bens

Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou um depósito de R$ 100 mil, em dinheiro, na conta do policial reformado Ronnie Lessa, denunciado pelo assassinato de Marielle e Anderson. O Ministério Público citou esse relatório em um pedido de bloqueio dos bens de Lessa e do ex-PM Élcio Queiroz, também preso.

O depósito foi feito na boca do caixa, no dia 9 de outubro de 2018, sete meses depois do crime.

O MP pediu o bloqueio para garantir a indenização por danos morais e materiais às famílias da vereadora e do motorista.

Além do relatório, o MP cita no pedido a lancha, apreendida em Angra dos Reis em nome de uma pessoa que seria “laranja” de Ronnie Lessa, os automóveis do PM reformado (um deles, um Infinity avaliado em R$ 150 mil), e a casa dele, localizada em um “condomínio luxuoso na Barra da Tijuca”. Tudo isso, segundo o Ministério Público, seria incompatível com a renda de um policial militar reformado.

O pedido de arresto foi aceito pelo juiz Gustavo Kalil, da 4ª Vara Criminal, na mesma decisão em que recebeu a denúncia do MP e decretou a prisão de Ronnie Lessa e Elcio Queiroz.

Depoimento e transferência

Lessa e Queiroz devem ser levados para depor nesta sexta-feira (15) sobre o atentado a Marielle. Na quinta (14), ambos foram levados para audiência de custódia em Benfica por terem sido presos em flagrante, na terça-feira (12), por posse ilegal de arma. Na casa de um amigo de Ronnie a polícia encontrou 117 fuzis incompletos desmontados. Já Queiroz foi preso com uma pistola, e Lessa tinha armas em casa.

Após o depoimento desta sexta, Lessa e Queiroz devem ser levados para Bangu 1, onde aguardarão transferência para um presídio federal, como determinado pela Justiça.

Passo a passo da dupla no dia do crime, de acordo com a investigação:

Às 16h59, o celular de Élcio Queiroz é detectado por antenas no condomínio de Lessa, o Vivendas da Barra

Entre 17h e 22h não é possível captar sinais dos telefones de Élcio e Lessa;

Às 17h24, câmeras filmaram o Cobalt prata utilizado no assassinato de Marielle e Anderson próximo ao Quebra-Mar, na Barra;

Às 18h45, câmeras de segurança mostram o Cobalt chegando à Rua dos Inválidos, onde Lessa e Élcio aguardaram pela saída da vereadora de um evento na Casa das Pretas, de
acordo com a investigação;

Por volta das 21h10, Anderson e Marielle são assassinados na Rua Joaquim Palhares, no Estácio;

Às 22h11, antenas de telefonia voltaram a captar um deslocamento do celular de Élcio. O movimento indica que o suspeito foi do condomínio Vivendas da Barra para o
restaurante Resenha e Grill, onde chegou às 22h30.

Às 23h18, o telefone de Lessa foi detectado no mesmo local que o de Élcio. Para a polícia, essa é uma prova de que os acusados continuaram juntos após o crime.

Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz negam qualquer envolvimento nas mortes de Marielle e Anderson.

G1

 

Trump pede às Forças Armadas da Venezuela que deixem de apoiar Maduro

Foto: Reuters/Carlos Barria/Direitos Reservados

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, pediu às Forças Armadas da Venezuela que deixem de apoiar o presidente Nicolás Maduro ou correrão o risco de perder tudo.

Nessa segunda-feira (18), Trump falou na Flórida, diante de um público que incluía imigrantes venezuelanos.

Ele afirmou que os Estados Unidos buscam uma transição de poder pacífica na Venezuela, mas que todas as opções estão disponíveis.

Donald Trump alertou que, caso os militares venezuelanos continuem a apoiar Maduro, eles não encontrarão um refúgio seguro ou uma saída fácil, ficarão sem saída e perderão tudo.

Os Estados Unidos e outras nações ocidentais apoiam o líder oposicionista da Venezuela, Juan Guaidó, que se declarou presidente interino. Nicolás Maduro, por sua vez, é apoiado pela China e a Rússia.

O presidente americano chamou Maduro de um fantoche de Cuba. Ele criticou os governos socialistas da Venezuela, de Cuba e da Nicarágua, afirmando que os dias do socialismo estão contados nesses países.

Aparentemente, o discurso duro de Trump tem por objetivo conquistar o apoio de imigrantes hispânicos que fugiram de governos esquerdistas nas Américas Central e do Sul. A Flórida é um dos principais campos de batalha eleitoral no pleito presidencial de 2020.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justiceiro disse:

    kkkkkk bota moral nesses comunistas Trump se não a America vai pro fundo do poço

Mulher de Moro pede fim do “mimimi”, e manda recado aos críticos: “parem de reclamar e esperem para ver a que veio esse novo governo”

(Crédito: Reprodução / Facebook)

Rosangela Wolff Moro, esposa do ministro Sérgio Moro, utilizou seu perfil em uma rede social para escrever uma mensagem a todos os brasileiros e pedir que parem de reclamar do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). A advogada postou uma foto da bandeira do Brasil no Instagram e, na legenda, pediu que todos os brasileiros tenham consciência das mesmas preocupações durante o novo governo, que se iniciou no dia 1º de janeiro de 2019. Ela ainda usou uma hashtag como o nome do presidente e dos ministros Sérgio Moro e Paulo Guedes.

“O dia que todos os brasileiros se conscientizarem que somos UM SÓ povo com as mesmas preocupações, veremos um grande avanço e estaremos no caminho certo. Parem de reclamar e esperem para ver a que veio esse novo GOVERNO. #bolsonaromoroguedes Redução de custos (do seu $$), corte de despesas desnecessárias, zero propina. Chega de MIMIMI. Apenas espere e assista”, escreveu a mulher do ministro Sérgio Moro.

Nos comentários divididos, muitas pessoas elogiaram a postagem da advogada e outras fizeram críticas não só ao texto, mas também ao novo governo.

Isto É

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Emirton Mourinho disse:

    Um "juiz" multimilionário casado com uma grasna tão feia…

  2. Bosco disse:

    Eu fico imaginando: Essa senhora com certeza nunca sentiu a dor da fome, nunca teve um fornecimento de luz interrompido. Agora ( como a opinião dela tivesse alguma importância) acha que o povo brasileiro tá de mimimi! O povo tá cansado dessas falsas promessas. Qualquer idiota sabe que no Brasil, tudo depende de um tal toma-lá-dá-cá ! E pra que não apareça uns exaltados partidários: NÃO VOTEI EM NINGUÉM !

  3. justiceiro disse:

    Povo brasileiro nascem de meretriz e parece que prefere morrer na mesmice aff

  4. Potiguar disse:

    Eles passaram 13 anos reclamando…

    • Rosa disse:

      13 não, 16 anosb depenando o Brasil, tudo comprovado, inclusive pequena parte do roubo já foi devolvida, coisa de 20 bilhões de reais, estão faltando os petralhas devolverem mais uns 100 bilhões, só o filho de luladrão, hj bilionário, vai ter que devolver muito dinheiro.

MPF pede que Palocci pague US$ 20 milhões para permanecer em prisão domiciliar

Palocci deixou a prisão no dia 29 de novembro, em Curitiba, depois que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) concedeu prisão domiciliar a ele. — Foto: Reprodução/TV Globo

O Ministério Publico Federal (MPF) pediu à 12ª Vara da Justiça Federal de Curitiba para que Antônio Palocci pague US$ 20 milhões para permanecer em prisão domiciliar.

O ex-ministro tinha sido preso em setembro de 2016 e deixou a prisão no dia 29 de novembro, em Curitiba, depois que o TRF-4 concedeu prisão domiciliar a ele.

Os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato alegam que o juiz Danilo Pereira Júnior errou ao permitir que Palocci saísse sem pagamento da multa. O pagamento de US$ 20 milhões estava previsto na sentença de condenação.

Por maioria de votos, os desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Federal da 4ª Região (TRF-4) reduziram a pena de Palocci na Lava Jato, que era de 12 anos e 2 meses na primeira instância, para 9 anos e 10 dias. A sentença na primeira instância foi publicada em junho de 2017.

O juíz considerou que o bloqueio de bens de R$ 37 milhões era suficiente para conceder a progressão da pena de Palocci.

Segundo o Ministério Público, considerar apenas o bloqueio era uma cláusula do acordo de colaboração assinada pelo ex-ministro, mas que não foi homologada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e, portanto, não poderia ter sido aplicada.

O MPF pede que o juiz corrija esse erro e exija que Antônio Palocci pague o montante de US$ 20 milhões, além de manter o bloqueio de bens.

O requerimento pede que, caso não pague, que o ex-ministro volte a ser preso por não atender aos requisitos para a progressão.

O ex-ministro está sendo monitorado por uma tornozeira eletrônica.

Para a defesa de Palocci, “o pedido do MPF é manifestamente improcedente”. A defesa informou que irá se manifestar nos autos.

Pedido para trabalhar

Um dia antes de colocar a tornozeleira, Palocci questionou o juiz federal Danilo Pereira Junior sobre a possibilidade de trabalhar.

No entendimento do juiz de execução penal, que explicou sobre os regimes semiaberto e aberto, por ora, não é o momento para que ele comece a trabalhar, visto que o ex-ministro deverá cumprir a pena integralmente em casa.

Porém, o magistrado orientou que a defesa de Palocci, que é médico, faça o pedido no processo e não afastou a possibilidade por completo.

“Uma vez apresentado qual é o tipo de trabalho, onde, horário, aí a defesa peticiona e vou dar vista [ao Ministério Público Federal]. Em regra, não tem autorizado”, afirmou o juiz.

O juiz Danilo Pereira Júnior determinou que Palocci pague um valor mensal de R$ 149 pela manutenção do equipamento eletrônico.

G1

 

Toffoli pede ao comandante do Exército indicação de novo assessor para o STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) ministro Dias Toffoli — Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, pediu ao comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, a indicação de um novo assessor para o STF.

O atual assessor especial de Toffoli, general Fernando Azevedo e Silva, assumirá o Ministério da Defesa no governo de Jair Bolsonaro.

Toffoli quer que o novo indicado o auxilie, no STF e no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em análises e políticas voltadas para a área de segurança.

Diálogo com as Forças Armadas

Conforme o blog antecipou em setembro, Toffoli fez o gesto de convidar um militar para assessorá-lo no STF para manter aberto o diálogo com as Forças Armadas.

Antes mesmo de assumir o comando do STF, procurou Eduardo Villas Boas para pedir a indicação de um nome para a assessoria pessoal.

O general atendeu ao pedido e apontou um nome de confiança dele para trabalhar ao lado do novo presidente da Corte, o de Azevedo e Silva, que havia entrado recentemente para a reserva compulsória.

Andréia Sadi – G1

FOTO: “Preciso de um trabalho”, pede, humildemente, jovem que faz malabarismo em semáforos em Natal

Foto: enviada pelo ZAP Meio-Dia RN

Jovem malabarista em semáforos em Natal-RN, visualizado nesta segunda-feira(09), em trecho das avenidas Alexandrino de Alencar com Romualdo Galvão, humildemente, exibe placa pendurada em seu pescoço com a  frase “Preciso de trabalho”, com seu telefone para contato.

Apelo criativo na capital potiguar, cheio de disposição, serve de exemplo para quem busca caminhos pouco inteligentes, e que acabam levando a marginalidade.

Excelente oportunidade para empresas e empresários que buscam um trabalhador “raiz”, como vemos na foto acima.