ALERTA: Recomendação do MP visa combater propagação de dengue, chikungunya e zika em quatro municípios do RN

Foto: Ilustrativa

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) emitiu recomendação para que quatro Municípios adotem diversas medidas para combater arbovirores, como dengue, chikungunya e zika. As orientações são destinadas a Nova Cruz, Passa e Fica, Lagoa D’anta e Montanhas.

Os Municípios deverão realizar todos os ciclos anualmente previstos de controle e combate a essas doenças, incluindo ações educativas junto à comunidade local, considerando a porcentagem dos imóveis habitados e não habitados que já foram visitados com sucesso pelos agentes de endemias.

Para isso, é preciso que as Prefeituras garantam os veículos e o transporte dos agentes às áreas mais distantes do Município; adquiram os equipamentos de proteção individual (EPI) para esses profissionais e os insumos necessários ao trabalho (como pesca-larvas, provetas, trenas e escadas); e que promovam capacitações para as equipes, com foco no combate ao mosquito.

Outra garantia a ser dada aos agentes de endemias é que o Município adote as medidas administrativas, dentro do poder de polícia, para que possam adentrar nos imóveis habitados, a fim de verificar a existência de focos e sua eliminação, notificando prévia e amplamente a população em geral e os seus proprietários acerca do cronograma de visitação. A ação deve atingir 100% dos imóveis visitados, requisitando, se necessário, força policial para ingresso forçado. O mesmo uso do poder de polícia deve ser utilizado para que os agentes entrem nos imóveis não habitados.

O MPRN também recomendou que os Municípios providenciem a regular alimentação do Sistemas de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em relação à ocorrência das arboviroses em cada localidade.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. carlos cunha disse:

    Interessante como esse MPRN entende de tudo. Eles poderiam abandonar seus confortáveis escritórios e trabalhar no executivo. Secretário de saúde, por exemplo, seria um promotor e por aí vai. Será que eles topariam?
    Detalhe, o salário estaria passível de atraso, igual a de todos os servidores públicos "mortais" e falíveis.

Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) divulga situação epidemiológica em Natal, com dados sobre dengue, chikungunya e zika; confira

Por interino

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por intermédio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), divulgou o número atualizado da situação epidemiológica em Natal, com dados sobre dengue, chikungunya e zika.

Em relação aos números de casos notificados das arboviroses, foram contabilizados 4.538 em 2018. “Quando comparamos estes dados com os do mesmo período (janeiro a maio) dos principais anos de epidemia de dengue no município, 2008 e 2012, observamos uma importante redução dos casos notificados. A redução foi de 49,2% em relação a 2008 e 62,1% em relação a 2012”. declarou André Nascimento, do Núcleo de Análise de Situação em Saúde do CCZ.

Vale lembrar que, ao contrário dos outros municípios do estado, Natal não trabalha com o LIRAa (Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti), que costuma ser realizado a cada dois ou três meses. Ao invés disso, Natal desempenha o papel de cidade piloto para a implementação da estratégia de monitoramento chamada Ovitrampas, armadilha que captura ovos dos mosquitos para monitoramento de presença do vetor.

A análise do índice de densidade de ovos, elaborada a partir dos dados coletados nas ovitrampas, é realizada semanalmente pelo CCZ e seu resultado monitorado pelo Ministério da Saúde. Com esse monitoramento, é possível identificar exatamente o local de maior risco para transmissão das arboviroses de forma rápida e de baixo custo. A metodologia garante maior agilidade e oportunidade para promoção de ações integrada aos Distritos Sanitários.

A Secretaria Municipal de Saúde atualmente também aplica outro método pioneiro de combate às arboviroses: as Estações Disseminadoras de Larvicida. Já bem sucedida em outras localidades da América do Sul, a implementação desta estratégia no município de Natal faz parte de um projeto em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz, que terá a duração de 2 anos.

Sesap divulga novo boletim de dengue, chikungunya e zika; veja municípios com alta incidência no RN

No Rio Grande do Norte foram notificados 31.397 casos suspeitos de dengue em 2016, até a semana epidemiológica número 13 (terminada em 02/04/2016), representando uma incidência de 1.098,37/100.000 hab, um aumento considerável se comparada à incidência do mesmo período de 2015 que foi de 477,49/100 mil hab.

Os dados divulgados pelo boletim do Núcleo Estadual de Vigilância das Arboviroses da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) apontam que, até o momento, foram confirmados 1.918, ou seja, 6,1% dos casos notificados, sendo 1.884 para dengue, 29 como dengue com sinais de alarme e 5 como dengue grave. Em 2015, no mesmo período, forma confirmados 3.070, para dengue foram 3.042, dengue com sinais de alarme foram 24 e 4 como dengue grave.

De acordo com o Programa Estadual de Controle da Dengue (PECD), em 2016, 88 municípios do RN (52,7%) apresentam uma alta incidência acumulada de dengue, justamente aqueles que notificaram mais de 300 casos da doença por 100.000 habitantes. Outros 41(24,6%) municípios com média incidência, e 28(16,8%) com baixa incidência, além de 10(6%) municípios que estão silenciosos, ou seja, não notificaram nenhum caso suspeito de dengue nesse período.

Novamente o relatório aponta para uma subnotificação de casos suspeitos e indica a necessidade de sensibilizar os profissionais de saúde para a responsabilidade de notificarem todos os atendimentos que se enquadrarem na definição de caso suspeito para dengue definido pelo Ministério da Saúde. Ou seja: “Toda pessoa que viva ou tenha viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo dengue ou que tenha a presença de Aedes Aegypti que apresente febre, usualmente entre 2 a 7 dias, e apresente duas ou mais das seguintes manifestações: náuseas, vômitos, exantemas, mialgias, artralgia, cefaleia, dor retroorbital, petéquias ou prova do laço positiva e leucopenia”, recomenda o relatório.

MUNICÍPIOS COM ALTA INCIDÊNCIA

Os municípios de Natal, com 5.648 notificações, Guamaré (2.405), Parelhas (1.335) e Currais Novos com 1.333 lideram o ranking de notificações da dengue até a 12ª semana. Quanto aos óbitos, o relatório mostra que a ocorrência de grande número no estado, caracterizando uma situação preocupante para a vigilância epidemiológica uma vez que o óbito por dengue é, em sua maioria, evitável. No ano de 2015 foram notificados 13 óbitos e em 2016 são 81 óbitos, o que representa um aumento de 523% no número de óbitos notificados, destes, 2 para dengue grave, 3 descartados, e os demais em investigação.

CHIKUNGUNYA

No RN, no ano de 2015, foram notificados 4.352 casos de chikungunya, destes, nenhum caso foi confirmado. Em 2016, até a semana epidemiológica número 12 (terminada em 02/04), foram notificados 2.240 casos, sendo confirmados 195. Em relação à região de notificação, a maior quantidade de casos de chikungunya vem da 7ª Região de Saúde, composta pelos municípios de Extremoz, Macaíba, Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante.

ZIKA

Em 2015, até a SE nº 13 foram notificados 329 casos suspeitos de zika vírus, em 2016 no mesmo período foram notificados 1.534, apresentando um maior número de casos na SE nº 7. Dos casos notificados, foram confirmados 76 em 2015 e 3 em 2016. Os casos notificados em 2015 estão distribuídos em nove municípios e em 2016 no mesmo período, em 53 municípios, destes, Natal é responsável por 1029 (67%) dos casos, seguido por Mossoró com 94 (6%) dos casos notificados.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joao disse:

    É porque não foram em Luís Gomes (alto oeste) ainda, só semana passada morreram mais de 5 pessoas com complicações em decorrência da CHIKUNGUNYA e nenhuma autoridade faz nada para amenizar o sofrimento daquela cidade que por sinal sofre de outro mal, seca desde 2012.

  2. jose pereira da silva disse:

    os dados nos mostra que a forma de combater o mosquito Aedes aegypti no Brasil esta ultrapassado ,os governos querem que os agentes que trabalhar no combater do mosquito Aedes aegypti com uma bolça de lona e um larvicida que não mata larvas vai mudar o quadro.
    enquanto os tecnico dos governos não melharar as ações no combeter ao vetor , o interessante é que o mosquito esta tirando vida.

  3. jose pereira da silva disse:

    Gostaria de saber? quantos casos foram comfirmados no municipio de Guamaré em 2016 , dengue ,zika virus e chikungunya.