Educação

Sindicato dos Trabalhadores em Educação(Sinte-RN) orienta que professores da rede estadual não retomem trabalho presencial

A Tribuna do Norte noticia nesta segunda-feira(19) que o sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (Sinte-RN) solicitou aos professores da rede estadual de ensino para que sigam apenas em atividades remotas até que se cumpra o esquema vacinal de todos os funcionários da Educação do Estado.

Conforme calendário da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC/RN), A partir desta segunda-feira (19), os professores devem retornar às atividades presenciais. Vale destacar, especialmente, que no próximo dia 26 está previsto o retorno dos estudantes às aulas presenciais, de forma híbrida e gradual.

Opinião dos leitores

  1. Tem que cortar os salários desses sem futuros que só pensa em não trabalhar, tá na hora da PREFEITURA E GOVERNO DO RN, colocar essa gente sem futuro para trabalha, tá recebendo da PREFEITURA E ESTADO DO RN, pra ficar em casa . ESSA CLASSE DE SEM FUTURO TEM QUE TRABALHAR.

  2. Gostaria de respeito aos professores. Tem uns ignorantes aqui, que tem a mania de dizer que somos vagabundos. Vagabundos são aqueles que não tem noção do que é ficar mais de oito horas, sentado em uma cadeira ou em pé apresentando , demonstrando e falando, com recursos próprios, aumento de internet , compra de computador e celular mais potente, para dá aulas a mais de 180 alunos, entrando final de semana, onde muitos usam o watzap para dúvida e atividades. Sem horário fixo. Isso é uma falta de respeito. O outro fala , corta os salários deles, como se iso fosse resolver o problema. Pioraria mais. Porque sem salários, saliento, baixo, como iriamos comprar material para aula e para sobrevivência? Tenham respeito!!Façam concurso e venham para o nosso lugar!!!

    1. Leao, 1º parabenizo você pelo trabalho. Não é fácil e eu já falei isso aqui. Alguns alunos usam o celular do pai (único aparelho da casa em alguns casos).
      Outra coisa, essa boiada imunda não tem respeito por nada e nem por ninguém.
      É uma raça que poucos passaram por escolas, são ignorantes, praticamente uma raça criada em laboratório.

    2. Ainnnnn tadinho!! Buaaaaa !!! Coitado desse professor, ele trabalha tanto ! Vamos deixar eles mais 1 ano em casa ! Ahhh vai te catar !

  3. Casta superior de trabalho ! Todos voltaram, menos ELES ! Pq ? São especiais? Estão acima de todos os outros profissionais de todas as outras profissões? Não merecem ! O recolhimento que tinham, esta sendo jogado na lata do lixo, por pura ideologia política barata !

  4. Com a palavra a justiça, aprendi que decisão judicial não se discute, se cumpre, será que ainda vale este ditado?
    Será que um sindicalista vai peitar um desembargador, e sua excelência vai aceitar calado a desobediência?

  5. Essa turma de Lula e Fátima inventam narrativas, o que porta tem haver a mulher de Roni Lessa com o que tá acontecendo. O problema é a compra das vacinas não colou, gabinete paralelo não colou entre outras qual será a próxima narrativa desses malucos.

  6. Ainda bem que um filho meu estuda no CEI e outro na UNP.
    Todos tendo aulas normais e remota , com qualidade.

  7. Engraçado que os professores da ativa estão com os salários em dia pq são pagos com recursos do gov. federal, estão esse tempo todo a maior parte sem fazer nada, foram vacinados e os demais servidores, muitos ainda sem a vacina são obrigados a irem trabalhar presencialmente.
    Tenho um amigo que é professor, não quer retornar, mais tdo fds posta nas redes sociais fotos em pipa, bares e restaurantes.

  8. acho é pouco… xinguem mais os professores, fosse eu ainda botava um atestado de depressão e só voltava em 2023

  9. Santos, BG não vai fazer a “postagenzinha” porque a mulher do Ronnie Lessa é ou pode ser do crime, mas, não é professora sindicalizada, pelo menos não se sabe ainda, outra coisa não fique entrando e saindo de casa não dá um azar danado as vezes engancha na porta visse. Tú sabe o quê né

  10. O blog num vai fazer uma postagenzinha sobre a prisão da esposa do Roni Lessa por tráfico de armas? Pq?

    1. Aínda pergunta?
      Não pode postar nada que vá contra a família dos bolsoloides.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CLOROQUINA E OUTROS: “Ministério da Saúde nunca fez uma indicação direta de tratamento”, diz secretária em CPI, que cita nota orientativa e autonomia médica

Foto: Reprodução/CNN Brasil

Questionada sobre quais estudos científicos teriam orientado a recomendação de uso da cloroquina e outros medicamentos sem comprovação científica para tratamento de pacientes com Covid-19, a médica Mayra Pinheiro disse que o Ministério da Saúde nunca fez uma indicação direta de tratamento para o novo coronavírus.

“O Ministério criou um documento juridicamente perfeito, que é a nota orientativa número 9, que depois se transformou na nota orientativa 17, em que estabelecemos doses seguras para que os médicos brasileiros, no exercício da sua autonomia, pudessem utilizar esses medicamentos com consentimento dos seus pacientes”, afirmou.

“Se o senhor me perguntar o que os médicos brasileiros e do mundo que vem fazendo esse tratamento off label utilizaram como referencial, eu trouxe aqui e deixo à disposição mais de 2400 artigos impressos mostrando as evidências que tantos nós queremos.”

VEJA MAIS:  Secretária do Ministério da Saúde em CPI nega que recebeu ordem e diz que ‘toda doença deve ser tratada precocemente’

Com CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Eu acreditei na ‘midia’, quando disseram que não havia comprovação ciêntifica. Mas como pode a referida médica levar 2400 artigos sobre a eficácia de alguns fármacos, que não são a cura, mas podem reduzir o tempo de internação. Ou seja, esse papo de “não se deve contrariar a ciência”, vale só quando convém. Reposicionamento de fármacos sempre foi e sempre será comum na pratica clínica. Abutres.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Não fui orientado pelo presidente sobre uso de cloroquina, diz ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na CPI da Covid

Foto: Edilson Rodrigues – 6.mai.2021/Agência Senado

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta quinta-feira (6), em depoimento à CPI da Pandemia, que não foi orientado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o uso da cloroquina em pacientes com Covid-19.

“Não recebi [orientação]. Essa é uma questão técnica que tem que ser enfrentada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec). Eu sou instancia final decisória, e posso ter que dar um posicionamento acerca disso”, disse Queiroga.

A resposta do ministro foi interrompida pelo presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), que pediu respostas objetivas. “O senhor é testemunha aqui. Tem que dizer sim ou não. O senhor está aqui como ministro e médico. Peço para responder, se não vamos encerrar essa sessão agora”, disse Aziz.

“Existem correntes, uma defende e outra é contraria. Precisa de um protocolo técnico, e isso tem que ser avaliada quanto ao mérito da evidência cientifica, isso é colocado em audiência pública e o ministro é a instância final”, reiterou o ministro.

Questionado pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL) sobre se compartilhava ou não da opinião de Bolsonaro sobre o medicamento, Queiroga disse que não cabia a ele “fazer juízo de valor sobre opinião do presidente”.

“Essa é uma questão de natureza técnica, essa medicação foi suscitada no tratamento e o uso compassivo foi feito em diversas situações e estudos já mostram que o medicamento não tem efeito em vários âmbitos.”

Queiroga disse ainda que “não houve qualquer tipo de pressão” sobre uso de qualquer remédio e que está em elaboração um protocolo clínico para substituir a atual orientação sobre o uso de cloroquina.

Ele também afirmou que não autorizou e não tem conhecimento sobre a distribuição do remédio na sua gestão à frente da pasta.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Não perguntaram qual a opinião dele no tratamento, se não receita nada é igual ao mandetta, toma dipirona e vai para casa esperar a falta de ar, ai sim, quando estiver internado com o pulmão tomado eles tem medicamentos para tratamento.

  2. Como é ministro, tenho gastado meu salário com ivermectina e cloroquina, há 2 anos porque o presidente mandou, até nem tomei vachina porque os blogueiro apoiadores do presidente irientam pra não tomar, pois tem um chip na vacina que deixa o vacinado escravo da China. Isso não existe? Pu caridade

  3. “Não fui orientado pelo presidente sobre uso de cloroquina, diz ministro da Saúde, Marcelo Queiroga….”
    Foi não…o Dr. Bozo queria só MUDAR A BULA da cloroquina, só isso…

  4. Marrapaz….é capaz do Bozolóide também negar que recomendou o tal “tratamento precoce”…
    Bozo falando que não defendeu a cloroquina em 3, 2, 1….
    Bota pra lascar, CPI…kkkkkkkkkk
    A bozolandia pira….muuuuuuuuummmmm

    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      03 dias a CPI dos corruptos querendo impor fala e ordem que Bolsonaro não deu!
      03 ministros falando a verdade e a esquerdalha querendo colocar fala que não existiu. Bolsonaro pode ser a favor da medicação precoce, é direito dele, assim como a esquerda obrigou politicamente a anvisa aprovar a coronavac sem a comprovação científica necessária. Senadores ficha suja querendo jogar o Presidente na mesma conta que eles fazem política

    2. Fernando, o teu mito queria apenas e simplesmente alterar a bula do remédio…só queria isso…
      Não custa nada fazer um esforço e colocar seus dois neurônios pra exercitar o raciocínio…mas eu entendo vc…é difícil analisar criticamente… mais fácil aceitar as versões do Dr Bozo que chegam no “grupindozap”…

    3. Fernando, Flávio Bolsonaro também está na CPI? Ou o ex-vice líder do governo no Senado, Chico Rodrigues, mas você pode tá falando do cão de guarda do governo na CPI, Ciro Nogueira, ou o líder do governo no Senado, Fernando Coelho. Perguntando, pois não entendi!

  5. Ô medo grande da CPI…kkkkkkkkkkkkkk
    O MInTO tá se desfazendo aos poucos…ninguém acredita mais nas bravatas do inepto, só faz latir pra mover a boiada burra…Acabou porra!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

EUA vão ampliar recomendação de não viajar para 80% dos países; Departamento de Estado alega “risco sem precedentes”

Foto: © REUTERS/Arnd Wiegmann/Direitos Reservados

O Departamento de Estado dos Estados Unidos (EUA) anunciou que vai aumentar a orientação de “Não viajar” para cerca de 80% dos países do mundo, apontando um “risco sem precedentes aos viajantes” por causa da pandemia de covid-19.

“Essa atualização resultará no aumento significativo do número de países no Nível 4: ‘Não viajar’, para 80% dos países do mundo”, afirmou em nota.

O Departamento já havia listado 34 de cerca de 200 países no Nível 4, incluindo lugares como Chade, Kosovo, Quênia, Brasil, Argentina, Haiti, Moçambique, Rússia e Tanzânia. Chegar a 80% do mundo implicaria a inclusão de mais 130 países à lista, aproximadamente.

A maioria dos norte-americanos já estava impedida de viajar para grande parte da Europa por causa de restrições impostas pela pandemia de covid-19. Washington barrou quase todos os não cidadãos norte-americanos que estiveram recentemente em países europeus, na China, no Brasil, Irã e na África do Sul.

O Departamento de Estado disse que a medida não implica a reavaliação das atuais situações sanitárias em alguns países, mas “reflete um ajuste no sistema de aconselhamento de viagens do Departamento de Estado para se apoiar mais em avaliações epidemiológicas existentes (do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, o CDC).”

O CDC não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

No início do mês, o CDC anunciou que as pessoas vacinadas completamente contra a covid-19 podem viajar com segurança pelos Estados Unidos com “risco baixo”, mas a diretora do CDC, Rochelle Walenksy, desencorajou os norte-americanos a fazê-lo devido ao alto número de casos no país.

Agência Brasil, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. Só aqui no Brasil que “loucos” acham que está tudo bem, que a pandemia acabou no ano passado, conforme anunciado pelo maior. A situação é grave nessa pandemia. Os EUA que têm informações como nenhum outro país tem, está tomando as devidas precauções, pois sabe o que aconteceu no ano passado quando um presidente louco mandava no país. Aqui, o negócio é incentivar a indústria da morte, funerárias, etc…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Cientistas do LAIS/UFRN recomendam que decreto de isolamento social rígido seja prorrogado no RN até domingo com toque de recolher integral no fim de semana

Foto: Reprodução

Os cientistas do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN) – alguns integram também o comitê científico do RN – recomendaram nessa segunda-feira (29) que o governo do Rio Grande do Norte prorrogue até o próximo domingo (4) o atual decreto de isolamento social rígido que tem validade até o dia 2 de abril. A íntegra do documento pode ser conferida AQUI.

No documento, os cientistas ainda recomendam que se faça um toque de recolher integral de 48 horas – das 5h do sábado (3) até 5h da segunda-feira (5). A intenção dos especialistas com as medidas é evitar aglomerações durante o feriadão da Semana Santa em todo o Rio Grande do Norte.

“Esse toque de recolher de 48 horas é a circulação zero de pessoas em todo o RN, como nós já vimos em outro momento, que aumentou de maneira expressiva a taxa de isolamento social de todo o estado”, explicou o diretor executivo do LAIS, Ricardo Valentim.

No relatório, os cientistas indicam que março tem sido um dos piores meses desde o início da pandemia e que isso exigiu medidas mais duras, já que houve recorde de internações e o terceiro maior número de mortes e também o terceiro maior número de casos confirmados durante o mês.

As recomendações do LAIS

O atual decreto do estado deve ser mantido até o final da semana da Páscoa (04/04/2021).

Implantar, no sábado e no domingo de Páscoa, toque de recolher de 48 horas, iniciando-se às 5h da manhã do sábado (03/04/2021) até às 05h da segunda-feira (05/04/2021).

Após a Páscoa, deve ser iniciado o retorno às aulas em formato híbrido com 50% da capacidade para as atividades presenciais.

O Governo do Estado e os municípios devem apresentar um plano de retomada gradual das atividades econômicas.

Os educadores físicos, por serem profissionais de saúde, devem ser incluídos na lista de vacinação já nas fases prioritárias, pois esses têm um papel social importante e muitos deles estão expostos em academias e também porque trabalham com a população considerada de risco.

As Pessoas com Síndrome de Down devem ser priorizadas na vacinação, pois há comprovação científica de que estes fazem parte do grupo de risco, logo não é possível negligenciar essa população.

Os gestores públicos não devem investir recursos públicos em fármacos sem autorização da Anvisa, cuja bula do medicamento não conste explicitamente a indicação clínica para covid-19. Ao contrário, todos devem unir esforços em prol da

É altamente recomendado que as autoridades públicas do estado e dos municípios invistam em pesquisas clínicas para o enfrentamento a covid-19.

As autoridades sanitárias do estado devem alertar a população que a prescrição off-label de medicamentos sem autorização da ANVISA para a covid-19 é algo desaconselhado pela Associação Médica Brasileira. Caso a indicação clínica não conste na bula do medicamento, o paciente deve ser informado de que se trata de um método terapêutico experimental, uma vez que não há evidências científicas de que o mesmo tenha ação profilática e/ou terapêutica contra a covid-19. Além disso, o paciente deverá ser informado de que é preciso manter o distanciamento social adequado, usar máscaras, fazer higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool 70%.

Diante dos resultados apresentados em estudos científicos amplamente divulgados e revisados por pares sobre o uso indiscriminado e da automedicação utilizando Ivermectina, Cloroquina e Hidroxicloroquina, é fundamental que o Governo do Estado e demais municípios elaborem um plano de comunicação voltado para população em geral alertando sobre os riscos do uso desses medicamentos.

O Estado e todos os municípios precisam, urgentemente, discutir o retorno às aulas das escolas públicas, pois essas são as mais afetadas durante todo o curso da pandemia. As crianças e os adolescentes mais pobres do estado já foram bastante impactados pela falta das aulas presenciais, aspecto esse que poderá ampliar ainda mais a desigualdade social no RN.

Opinião dos leitores

  1. Todos esses cientistas estão com o salário garantido no final do mês.
    O povo que se lasque e se não morrer pela COVID-19, morra de fome ou de depressão dando um tiro na cabeça.
    Nesse time tem muita teoria e pouca prática.

  2. Tem que liberar com responsabilidade. E FISCALIZAR, o que é competência do governo estadual, e não ocorre.

  3. Medida sem qualquer comprovação científica de eficácia contra o vírus. Aliás, locais que vem "trancando" as pessoas há mais tempo estão tendo resultados piores ou, no máximo, idênticos aos que não adotam tal prática. É uma constatação mundial. E causa efeitos nefastos na população. Esses parasitas estão propondo a destruição do que ainda resta do RN.

  4. *Municípios que estão SEM MORTES há MAIS DE 30 dias por causa do tratamento precoce:*

    Itajubá,
    Patos de Minas,
    Ipatinga,
    São Lourenço, Governador Valadares em MG;
    Maxaranguape em RN;
    Porto Seguro/BA; Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste do Rio Grande do Sul, Taquara,
    Gramado em RS; Sorocaba,
    Engenheiro Coelho,
    Porto Feliz em SP;
    Itajaí,
    Rancho Queimado em SC;
    BÚZIOS em RJ;
    São Pedro dos Crentes em MA.
    *CIDADES DO BRASIL QUE ADOTARAM O TRATAMENTO PRECOCE e PREVENTIVO*

    Porto Feliz, S.P.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/384

    Taquara, R.S.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/383

    São Lourenço, M.G.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/382

    Maxaranguape, R.N.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/375

    Itajubá, M.G.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/373

    Gramado, R.S.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/369

    Búzios, Angra dos Reis, R.J.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/116

    São Pedro dos Crentes, Maranhão
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/247

    Patos de Minas, M.G.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/193

    Porto Seguro, Bahia
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/183

    Rancho Queimado, S.C.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/274

    Itajaí, S.C.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/252

    Natal, R.N.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/89

    Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste do Rio Grande do Sul
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/15

    Engenheiro Coelho, S.P.
    https://t.me/tratamentoprecocepreventivo/386

    1. Kkkk. Sério que faz um mês que não morre ninguém em Natal?! Acorda! Aqui em Natal a taxa de letalidade do covid eh maior que nos municípios do interior! Será que eh devido ao uso e distribuição gratuita de ivermectina feita pela prefeitura?

    2. Os respectivos CPFs estão sendo informados?
      É só clicar no link

    1. Deixa de falar asneira
      sujeito, vc deve ser um desses inoperantes que fazem parte do governo, veja quantos pais de família precisam trabalhar e não tem como pois depois de um ano da doença tá pagando por falta de competência de gestores, se vc pode ficar em casa que fique

  5. Nas vi recomendação p/abertura de novos leitos de uti e clínicos…Não vi recomendação p/ampliação das estruturas de vacinação…Muita ideologia eu vejo muito!!!!

  6. A ciência do tranca tudo sem credibilidade cada vez mais: Por que não sugeriram manter os leitos abertos? por que não orientam qual medicamento tomar para covid-19 ? Por que não exumam os corpos de quem morrem por covid ? medo de achar a cura? só sabem mandar ficar em casa? só sabem dizer que invermectina não funciona? lamentável! Estão agindo de forma politica em nome da ciência!

  7. Muita gente criticando e berrando contra os cientistas do comitê..não vejo ninguem criticar a falta de ajuda do governo federal..briguem pelo auxilio que nunca deveria ter acabado e parem de zoar com a ciência..
    S pessoa vivo com saude se vira..intubado ou morto não!!

    1. 600 paus pra 40 milhões de pessoas. 288 bilhões por ano. É só dar calote na dívida ou dar uma canetada cobrando imposto, né? Ou mandar imprimir notas. Cada jegue.

    1. O que você entende por cientista, heim!? Pra ser cientista precisa ser médico?

    2. Bom, o presidente do comitê é engenheiro elétrico, por isso ele entende muito de tratamento e acompanhamento precoce com medicamentos a covid kkkkkllkkllkkkkkkkkkkkkkkk

  8. Está na hora do povo ir às ruas. Em 1992, foi o grito das ruas que tiraram um presidente do poder; em 2016, a vontade popular e do Congresso também retirou uma Presidente do poder. Creio que os natalenses nas ruas poderão sensibilizar a governadora a revogar o artigo que restringe e prejudica grandemente a economua do RN.

  9. É Incrível a capacidade de alguns de só enxergar o próprio umbigo, enquanto o salário de vcs estiver na conta garantido todo mês, é bom demais ficar mandando fechar tudo, bando de FDP, o povo não aguenta mais, temos que aprender conviver com esse Vírus!

  10. Poderia esses intitulados cientistas do lais participarem de um debate publico e transmitido em tempo real com a Dr Lacerda. Ela convidou pra um debate.. pq nao aceitam o convite??? Faltaram argumentos??

    1. Eles não vão porque colocam suas energias em promover ciência.

  11. Esses cientistas políticos deveriam recomendar o tratamento no início da doença e abertura de leitos.

    1. São os Deuses. Já previram que com esse “confinamento total” vai resolver tudo e determinam a volta as aulas. Deveriam , muito tempo, ter dito ao Governo do Estado que tinha de abrir leitos para evitar mortes por falta de UTI e respiradores. Fica claro a posição política contra medicamentos em uso. Qual medicamento, que na bula, tem indicação para COVID? Como Deuses deveriam ordenar o fim da pandemia, como foi feito no período eleitoral pelo TSE e politicos.

    2. O que eu acho interessante é o nome pomposo "LAIS – Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde"…..gostaria de saber de uma dessas Inovações mirabolantes do engenheiro elétrico …a não ser trancar ruas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Ministérios Públicos no RN e Defensoria Pública recomendam exigência de documentos que comprovem atuação profissional para vacinação contra Covid-19

Foto: Ilustrativa

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), o Ministério Público do Trabalho no RN (MPT-RN), o Ministério Público Federal no RN (MPF/RN) e a Defensoria Pública do RN emitiram nova recomendação conjunta à Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) e à Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) sobre a vacinação contra covid-19 dos profissionais e trabalhadores da saúde. As instituições recomendam que sejam acrescidos aos documentos já exigidos para comprovação de vínculo profissional outros que atestem o efetivo exercício de atividade em serviços de assistência à saúde e que implique em exposição ao risco de contaminação pelo coronavírus.

O documento recomenda que a Sesap e a SMS exijam, dos trabalhadores da saúde com vínculo ativo nos estabelecimentos públicos ou privados, carteira de trabalho que especifique o local de trabalho ou contrato de trabalho ou contracheque ou publicação de nomeação ou ficha funcional do servidor público e a apresentação da escala de trabalho ou declaração do serviço de saúde ao qual esteja vinculado comprovando estar no exercício da atividade.

Dos trabalhadores autônomos da saúde, devem ser exigidos registro ativo no conselho de classe e pelo menos três contratos de prestação de serviços de assistência à saúde ou três declarações de pacientes, notas fiscais ou contrato de vinculação a planos de saúde privados. Daqueles trabalhadores terceirizados vinculados a estabelecimentos públicos ou privados devem ser exigidas, além de comprovação de vínculo de trabalho, escalas de trabalho acompanhadas de declarações das empresas, que comprovem o trabalho em serviço de saúde.

A recomendação também trata dos trabalhadores das áreas administrativas dos serviços públicos de saúde. O documento recomenda que sejam exigidos desses profissionais, além da carteira de trabalho ou outro comprovante de vínculo, declaração da Secretaria de Saúde ao qual esteja vinculado com indicação do tipo de vínculo, do local de prestação de serviço e do efetivo exercício de atividade funcional que implique em exposição ao risco. Dos trabalhadores das áreas administrativas dos serviços de saúde privados, além da comprovação de vínculo, deve ser exigida a declaração do empregador, com indicação do local de prestação de serviço e do efetivo exercício de atividade submetida a risco. Ressaltam que a SMS Natal deve se abster de realizar a vacinação de todo e qualquer trabalhador de saúde atuante na área administrativa dos serviços públicos ou privados que não estejam comprovadamente expostos a risco, ainda que intermitente, de contaminação pelo coronavírus.

O MPRN também interpôs Suspensão de Segurança perante o TJRN em face da decisão monocrática proferida pelo Juízo da 2ª Vara da Fazenda Pública de Natal, nos autos de um Mandado de Segurança impetrado pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária, considerando que a decisão burla o plano municipal de vacinação estabelecido pelo Poder Executivo Municipal dentro de sua discricionariedade técnica e de acordo com as diretrizes estaduais e nacionais expedidas a respeito do tema.

O documento também trata dos acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em saúde em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios, indicando que deve ser exigida, para vacinação, declaração do serviço de saúde ao qual esteja vinculado, com indicação do curso, local do estágio e carga horária de estágio mensal.

A Defensoria Pública e os Ministérios Públicos também recomendam que a Sesap se abstenha de vacinar todo e qualquer profissional de saúde da área administrativa da secretaria, por incumbir a operacionalização da vacinação aos Municípios. No âmbito municipal, a SMS não deve manter a ampliação da vacinação contra covid-19 para as categorias profissionais de saúde com a mera apresentação de carteira profissional ou autodeclaração de exercício profissional.

Também foi recomendado que a SMS exclua de suas normas orientativas a exigência de comprovação, em relação aos cuidadores de idosos, de apresentação de certificado de conclusão do curso para o exercício dessa função, exigindo-se apenas a comprovação de vínculo empregatício ou contrato de prestação de serviços, tendo em vista que a atividade laboral ainda não foi regulamentada como profissão.

A recomendação esclarece que, em um cenário de escassez de doses de vacinas e de necessidade de estabelecimento de grupos prioritários para a vacinação, os agentes públicos responsáveis pela operacionalização do plano de imunização devem identificar, por grau de exposição inerente ao trabalho, as pessoas que se enquadram dentro de grupos de riscos. A medida está fundamentada na Lei nº 8.080/90 (SUS) e nos artigos 37 e 198 da Constituição Federal.

A Sesap e a SMS têm 24 horas para informar a adoção das providências recomendas e devem divulgar amplamente que a vacinação dos trabalhadores de saúde contempla apenas aqueles que estão efetivamente prestando serviços nos estabelecimentos públicos ou privados de assistência à saúde, vigilância à saúde, regulação e gestão à saúde.

Opinião dos leitores

  1. Tudo isso porque chegou a vez de alguns profissionais da saúde, que estão representantes dos trabalhadores? O MP deveria estar investigando as responsabilidades por demorarmos tanto para adquirir vacinas e as consequências dessa possível irresponsabilidade. Foi devido a não valorização das vacinas, ao negacionismo, ao incentivo a aglomerações, ao incentivo a não usar máscaras que estamos onde nos encontramos, com esse número absurdo de mortos. Amanhã, um blog, um jornalista descobre que um desafeto seu tomou a vacina, joga isso nas redes e o MP vai publicar nova nota estabelecendo novas regras? É nisso que nos transformamos?

    1. Rapaz, desconheço que algum laboratório está disponibilizando vacinas de acordo com a demanda. O mundo todo, Agora, depois de alguns estudos preliminares, está querendo vacinas, mas não existe no mercado vacinas suficiente, aconteceu até de alguns países suspenderem vacinas, pois apresentavam efeito colaterais fortíssimo nos imunizados. Logo, não percebo tanto atraso na vacinação brasileira, haja vista que estamos entre os que mais vacinaram no mundo e muito longe dos que estão atrasados. Já o nosso estado, mesmo tendo recebido mais vacinas que outros, está atrás uns 10 anos, comparado a vacinação de outros estados, não sei porque o MP não cobra esclarecimento da governadora a causa dessa letargia e o objetivo.

    2. Será que o cidadão não leu que até na Europa está com vacinação lenta, devido a grande demanda? No Brasil não seria diferente.
      Se não tivesse havido tanto negacionismo em relação ao tratamento precoce capitaneado pela mídia nefasta, muitos não teriam morrido.

    3. Aqui no RN, esqueci de esclarecer, as vacinas estão num estoque de reserva ( estoque? e porque não aplicam) coisa de quem deseja que nossos conterrâneos morram. Se fosse um gestor com espírito público e tivesse caridade humana, era vacinação 24 horas, inclusive os 5 milhões de reais desviados, dariam pra pagar profissionais 24 horas por vários anos. Isso se chama assassinato coletivo.

  2. Também gostaria muito que os MPS tivessem a mesma coerência em relação a cobrar do governo do estado o ressarcimento dos 5 milhões desviados a um pagamento em que a mercadoria não foi recebida. Fica feio para esses órgãos fazerem ouvido de mercador sobre o mau uso da verba pública.

  3. MP e Defensoria, exigindo agora depois que o bando da cut e MST já furaram a fila e se vacinaram todos. Com essa quadrilha dos PTRALHAS, tem que se anteceder ou é enganado por eles.

  4. Esse MP só se mete para atrapalhar as coisas, cadê que vai atrás dos R$ 5.000.000,00 que a Governadora deu ao consórcio dos respiradores que nunca chegaram? Isso sim é obrigação do MP investigar, pelo amor de Deus o que foi que Fátima fez com vcs que só vcs não enxergam esse desgoverno. Só Deus na causa.

    1. Tb estou querendo saber o pq que nem o MP dá uma explicação sobre os 5 milhões, que já tinha salvado muita vidas.

    2. Se o MP não pode representar, representem os mortos que perderam suas vidas por esse ato, no mínimo, perdulário da governadora. Representem as famílias das vítimas, que nem direito a um respirador tiveram, por esse ato insano de toda equipe governamental.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Comitê Científico do RN recomenda fechar por 14 dias escolas, e bares e restaurantes após 22h

O Comitê Científico organizado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP/RN), considerando que é necessário manter sob controle a epidemia da COVID-19 no RN e entendendo que durante os períodos festivos e de feriado prolongados foram
provocadores de grandes aglomerações, que tiveram reflexo no aumento do número de casos no fim de dezembro e início de janeiro e que se intensificou nos dias iniciais de fevereiro;

Considerando as aglomerações que estão ocorrendo no período do Carnaval, que terão reflexo provável nas próximas semanas;

Considerando que a Região Metropolitana atingiu um platô no número de casos que se mantém alto por um período prolongado;

Considerando que a Taxa de Ocupação de Leitos Críticos encontra-se acima de 80%, com 3 unidades hospitalares de referência já com 100% de ocupação, alertando para um possível colapso de leitos na região;

Considerando que a introdução de novas variantes do SARS-CoV-2 já se encontram em circulação nos estados vizinhos, com possível circulação no Rio Grande do Norte, apesar de ainda não detectado;

Considerando que crianças e jovens, muitas vezes assintomáticos, são responsáveis pela transmissão domiciliar a idosos susceptíveis;

Considerando que interações em bares e restaurantes não conseguem cumprir com as medidas do protocolo de biossegurança e distanciamento social, assim recomenda, cabendo a decisão da governadora Fátima Bezerra:

1  – Suspensão das atividades presenciais de bares e restaurantes em todo RN após 22h por 14 dias, devendo a medida ser reavaliada após esse prazo;

2. Suspensão das aulas presenciais das escolas privadas por 14 dias, devendo a medida ser reavaliada ao final desse período;

3. Criação de serviço de denúncia para pais e alunos de escolas, sejam públicas ou privadas, fazerem denúncia sobre ocorrência de casos de sintomáticos respiratórios que não tenham sido devidamente afastados do convívio, assim como suas turmas escolares não tenham sido submetidas ao protocolo orientado na Nota Informativa número 03/2021 – SESAP/SUVISA;

4. Adiamento do início das aulas das escolas públicas do estado por 14 dias, ao fim do qual deverá ser reavaliada a necessidade de novo adiamento;

5. Fortalecer os cuidados preventivos nas academias no que concerne ao uso de máscaras e distanciamento social inclusive com aplicação de multa para aqueles estabelecimentos que forem flagrados infringindo as regras.

6. Estabelecimento de barreiras sanitárias com os estados da Paraíba e Ceará, bem como nos portos e aeroportos, assim como implementação de barreiras sanitárias e intensificação do monitoramento e rastreio nos municípios sabidamente turísticos do estado do RN;

7. Busca ativa de casos e contatos, bem como monitoramento dos casos ativos pela Atenção Primária dos municípios;

8. Aplicar sanções previstas em lei a estabelecimentos de saúde públicos e privados, como clínicas, hospitais e laboratórios, que deixem de notificar os casos aos serviços de informação e de controle de leitos;

9. Ampliar a vigilância genômica no Rio Grande do Norte;

10. Suspender as atividades ambulatoriais de clínicas e consultórios e serviços públicos de rotina que não comprometam o cuidado
continuado ao paciente;

11. Suspender cirurgias eletivas que demandem uso de leitos críticos na Região Metropolitana;

12. Proibir eventos em toda a orla do RN por 14 dias;

13. Abrir leitos de UTI covid-19 no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), os quais deverão ser mantidos enquanto a Taxa de Ocupação do RN estiver acima de 60%;

14. Ampliar a fiscalização do estado (Polícia Militar) nos finais de semana em bares e na orla potiguar, especialmente da região metropolitana.

Opinião dos leitores

  1. Não acredito que as escolas irão pagar pelos irresponsáveis. Pq não foram rígidos com as festas de fim de ano e carnaval? Agora as crianças irão pagar por isso? As escolas estão seguindo os protocolos tudo certinho! Isso é um absurdo!!!

  2. É muita INCOMPETÊNCIA achar que o vírus Sou Circula depois das Dez horas da noite até às Cinco da manhã. Meu Deus Ilumine essa Corja de cabeça de bagre e que Eles tenham CORAGEM, DETERMINAÇÃO, INTERESSE e VONTADE POLÍTICA para combaterem o Covid-19 e Essa população Irresponsável e Inconsequente com RIGOR e muito SPRAY de Pimenta e Cassetete. Ainda são os Melhores Remédios. Com certeza ficarão TODOS Dentro de casa.

  3. Espero que o Prefeito Álvaro Dias não embarque em nenhuma "canoa" oferecida pela UFRN. A instituição é seria, em tese, mas tem núcleos esquerdóides que são os queridinhos da governadora petista.

    1. Basta ter maior fiscalização. As rondas policiais serem mais efetivas. As pessoas precisam trabalhar, donos de estabelecimentos comerciais também tem famílias para sustentar.

  4. Nosso prefeito não vai corroborar com essa palhaçada…nossa cidade não pode parar…Bora Alvão!!!!!!!!!!!!!!

    1. O próprio comitê científico de natal já sugeriu postergar aulas presenciais .Continuará remotamente segundo a secretária.Nao se trata de acatar ou não as decisões de preservar vidas .A situação está alarmante.

  5. Pode apostar,: segunda onda, terceira onda, quarta onda, nova cepa do vírus… Esse papo só vai amenizar quando os que atrapalham os planos globalistas/comunistas forem neutralizados ou eliminados. Enquanto isso não acontecer, será somente o reino do terror e das ameaças biológicas.
    E mais, vacina não vai funcionar, sempre vai precisar de reforço enquanto o domínio globalista não se sentir confortável.

    https://is.gd/aBp9Su

    1. Verdade. Os usuários de ônibus tem que se mobilizar e cobrar uma solução para o problema dos ônibus.Tudo lotado se a mínima condição de se proteger do corona vírus.

  6. Essa desgovernadora não acerta uma, tudo desajustado e fora do tempo. Inicialmente mandou desativar leitos de atendimento ao covid ao tempo que estimulou a desativação de UTIs, não estimulou a tomada de decisões preventivas de combate a doença, fez vista Grossa na campanha e em muitos momentos, muita conversa e pouca ação, o seu secretário é um piadista de terceira categoria, já foi secretário diversas vezes e nunca emplacou como gestor,

    Pessima escolha, a SESAP está sendo loteada com partidários políticos, uma nova gestão repleta de incompetentes, sem rumo e prumo, não vamos sair dessa fácil, tomar as precauções necessárias e rezar, só Deus olha por nós.

  7. Essa mulher só sabe fazer Decreto? Os ônibus continuam cheios. Qual a providência? Incompetente. Kd o hospital de campanha? Kd os 5 milhões?

  8. O Governo de "Fátima Bezerra" é totalmente INCOMPETENTE, DESPREPARADO E MAL INTENCIONADO.
    Ela não vem NENHUMA PREOCUPAÇÃO COM O RN.

    1. Quando morrer alguém da sua família (se vc tiver) ai tu muda de conversa.

  9. Esses babacas deveriam ter se pronunciado no período da campanha eleitoral para prefeitos e vereadores, ficaram todos com as bocas costuradas, bem caladinhos. Cadê os cinco milhões dos respiradores que nunca chegaram no RN?

  10. Excelentes medidas, pena que chegou atrasado novamente, só depois do Carnaval . Não dão uma dentro, eita guvernu incompetente.

  11. Já ia esquecendo, feche também as bocas de fumo e bares das comunicações dominadas pelo tráfico de drogas, ai eu digo que a Sra tem capacidade, competência e domínio do Estado.

  12. Vamos Governadora Fátima Fecha logo tudo, dê o Golpe de Misericórdia nesse estado falido, mal administrado, vamos decretedos logo sua incompetência no poder executivo.
    Bora fecha tudo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

“Não vá a festas clandestinas, barzinhos lotados. Já aguentamos nove meses no limite de todos nós, vamos aguentar mais um pouquinho”, pede o presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia

Foto: Freepik/Ilustrativa

A recente disparada nos casos de coronavírus preocupa não apenas em Curitiba, mas em todo o Brasil. Por outro lado, a esperança vem ganhando força nos últimos dias com a aprovação e a chegada das vacinas mundo afora. Essa é a avaliação do presidente da Associação Brasileira de Infectologia (SBI), o médico curitibano Clóvis Arns da Cunha.

Em relação ao aumento dos casos, Arns afirma que as medidas tomadas pelo governo do estado e prefeitura, em fechar bares e proibir a circulação de pessoas e o consumo de bebidas alcoólicas à noite deve ajudar a aliviar o quadro nos próximos dias. Enfatiza ainda que o início da vacinação nesta semana no Reino Unido, e a perspectiva de que a imunização chegue ao Brasil nos próximos meses, é a melhor notícia desde o início da pandemia. Segunda-feira (8), a prefeitura de Curitiba fechou acordo com o governo de São Paulo para receber a vacina chinesa Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan no Brasil

Ao ponto de o médico fazer um apelo, em especial aos jovens. “O recado para a população é: aguente um pouquinho mais. Não vá a festas clandestinas de centenas de pessoas, barzinhos lotados. Já aguentamos nove meses no limite de todos nós, vamos aguentar mais um pouquinho”, pede o presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia em entrevista à Gazeta do Povo. Confira:

Qual é o momento agora da pandemia em Curitiba e no Paraná?

É um momento de grande desafio. Por outro lado, temos boas notícias. A perspectiva das vacinas é muito animadora, embora tenhamos um sinal de alerta pelo grande número de casos aqui em Curitiba, no Paraná e várias outras cidades do Brasil.
Duas dessas vacinas já terminaram a fase de avaliação e estão indo muito bem. Uma delas é a da Pfizer, que acaba de receber, no dia 2 de dezembro, a autorização de uso emergencial no Reino Unido, cuja vacinação começa essa semana. A vacina da Moderna deve seguir o mesmo caminho nos próximos dias. E temos outras: a da Oxford; a chinesa da Sinovac; e a da Janssen, que estão adiantadas da fase 3. Portanto, a mensagem é clara: temos vacinas eficazes chegando.

Mas o momento segue crítico.

O momento é crítico, sim. O número de casos aumentou muito em Curitiba e no Brasil, a ponto de continuar essa curva ascendente e não termos mais leitos e nem equipes de saúde para atender. Então o recado para a população é: aguente um pouquinho mais. Não vá para festas clandestinas de centenas de pessoas, barzinhos lotados, como estamos vendo. Os jovens têm que aguentar um pouquinho mais. Até a festa de família deve ser com poucas pessoas, de preferência em local arejado, com as janelas abertas e, até, se possível, em um lugar aberto, o que diminui muito o risco de infecção.
Além disso, qualquer pessoa que tenha sintomas de resfriado ou gripe não deve sair de casa. Deve se manter em isolamento até ser avaliado por um médico. Enfim, a mensagem tem que ser clara: aguentem mais um pouquinho. Se já aguentamos nove meses no limite de todos nós, temos que aguentar um pouco mais.

Esse recado vale especialmente para os jovens, não?

Embora a Covid seja leve para a maioria dos jovens, ela pode sim se tornar grave. E há ainda o risco de esse jovem levar a doença a seus pais ou avós, pessoas de mais de 60 anos que têm 15% a 20% mais chance de morrer. Para ele, jovem, é menos de 1%. Então, a mensagem é de otimismo em relação às vacinas, mas de alerta em relação ao comportamento humano. Todos nós cidadãos devemos coibir aglomerações. Para isso, devemos orientar nossos filhos, netos, parentes, enfim, os jovens.
Quando conversamos com nossos pacientes com Covid, muitos foram infectados por jovens. Porque como para o jovem a forma é geralmente leve ou mesmo assintomática, ele não fica em casa, continua saindo, e aí fica transmitindo o vírus. É um momento de alerta e prudência o que vivemos.

Por que nós não estamos vivendo uma segunda onda?

A gente não considera segunda onda porque em Curitiba e no Paraná estávamos começando a diminuir o número de casos [em outubro] e de repente subiu. Então não dá nem para chamar de segunda onda, porque não tivemos nenhum período em que estivéssemos quase sem internamentos. Nos dois serviços privados que coordeno aqui em Curitiba continuamos, mesmo na situação de menos incidência de casos, a internar de três a quatro pacientes por dia. Hoje isso saltou para de oito a dez internamentos diários. Houve aumento realmente significativo, mas nunca deixamos de ter uma fase de poucas infecções como na Europa, que ficou praticamente sem casos. Lá, sim, dá para chamar de segunda onda. Mas, mais importante do que se estamos na segunda onda ou se a primeira não acabou, é a mensagem para o curitibano e o paranaense fazer a sua parte como cidadão: que ele se cuide.

Na sua opinião, o que ocorreu para termos essa retomada dos casos tão expressiva, lotando os leitos dos hospitais após acharmos que o pico tinha sido entre julho e agosto?

O que aconteceu foi que, infelizmente, com a diminuição no número de casos, muitos jovens acharam que a pandemia havia acabado. Vimos bares lotados, festas noturnas lotadas, pessoal sem máscara, pessoal na fila sem o mínimo de distanciamento social, tudo o que a gente fala que é para evitar e não foi feito. Agora veio a conta. O coronavírus é que nem cartão de crédito: o que você gasta hoje, daqui alguns dias vem a cobrança.

O que o senhor achou das medidas restritivas tomadas pela prefeitura e governo do estado para frear a transmissão, como as proibições de abertura de bares, de circulação de pessoas e a venda de bebidas à noite?

Essa medida que o governo do estado e a prefeitura tomaram foi muito acertada. Essa situação do cidadão não poder sair de casa de noite evita de ele ir para festas e bares. Com isso, acho que em aproximadamente 10 dias vamos ver o número de casos cair novamente.

A falta de profissionais de saúde para atuar na pandemia voltou a ser uma preocupação.

A falta de profissionais é o fator mais limitante que temos, tanto no serviço público, quanto no privado. Esse é o principal desafio. E não só médicos, mas enfermeiros, fisioterapeutas, esse trio que faz o cerne do atendimento ao paciente com Covid. Em um dos serviços privados que coordeno somos 40 médicos e alguns contraíram Covid e ficaram 10 dias afastados. Isso com todos nós sobrecarregados, trabalhando 12, 14, 16 horas por dia, emendando o plantão noturno com o plantão diurno. Nós todos, médicos e profissionais de saúde, estamos muito no limite porque não é fácil você ter pacientes de Covid morrendo, alguns relativamente jovens, alguns colegas nossos morrendo. Todos os pacientes são igualmente importantes, mas quando você vê um colega que estava na batalha perder a vida, isso do ponto de vista emocional das equipes é muito impactante, muito doído. Igualmente é perder paciente em qualquer situação. Mas quando você perde um idoso de 90 anos, com mal de Alzheimer, numa fase de cuidados paliativos, você pensa “descansou”. Mas quando você perde um paciente de 50 anos ou de 40 anos, isso impacta muito a gente.

Estamos chegando no Natal. O movimento de pessoas nas compras preocupa?

Aquele comerciante, aquele industrial que está fazendo a lição de casa não deve ser punido. Hoje na maioria dos supermercados, na maioria dos shoppings há todas as medidas preventivas adequadas: distanciamento físico, com marcações na fila, todas as pessoas de máscara, álcool em gel à vontade… Eu não acho justo esse comerciante que fez a lição de casa ser punido. Por outro lado, aquela situação de bares que não controlaram seus frequentadores e deixaram as pessoas entrarem sem máscara, sem distanciamento físico, isso deve ser punido com o fechamento desses estabelecimentos. Porque o comportamento de quem frequenta e o comportamento do dono do bar, da festa, faz com que não só eles, mas todos nós possamos precisar de internamento.

Na minha visão não é só o poder público, não é só a Polícia Militar que tem que ir lá punir esses bares que não estão cumprindo as medidas de segurança sanitária. É dever de cada cidadão fazer sua parte. Na Europa, muitos países voltaram ao lockdown. Então para evitar que isso aconteça, cada um tem que fazer sua parte, sem precisar que a fiscalização ou a polícia tenha que interceder. Nós todos, na nossa família, nos nossos grupos de amigos, nos nossos grupos de WhatsApp, temos que colocar essa situação. Além disso, é importante um pacto de ouro: qualquer pessoa que tenha sintomas de resfriado ou gripe fique imediatamente em casa em isolamento respiratório, se isole da família, fique sozinho no quarto. Para fazer o exame você tem vários dias, mas se teve resfriado ou gripe fique imediatamente sozinho isolado no quarto. Teve tosse, febre, coriza, dor no corpo, não precisa esperar resultado do exame para se isolar.

O que o senhor recomenda para as festas de fim de ano?

Primeiro, evitar aglomerações. A festa de família deve ter núcleo pequeno. Se for uma casa grande, 10, 12 pessoas no máximo e desde que possam manter o distanciamento social o tempo todo, principalmente na hora de comer, em que a gente tira a máscara. Tem que usar a máscara sempre que estiver com outras pessoas, usar o álcool em gel ao colocar e tirar a máscara e em qualquer manipulação de objetos. O que temos visto: gente com Covid confirmada que continua fazendo corrida de Uber, continua indo no supermercado, na farmácia, sendo que hoje temos todos os atendimentos de delivery pra comida, farmácia, tudo que a pessoa não precisa para não sair de casa e expor a doença a outras pessoas.

O senhor está otimista com as vacinas?

Temos de ressaltar a importância de cada um fazer a sua parte, mas também temos que ser otimistas. Ainda tem um caminho a percorrer, mas agora essa perspectiva é de poucos meses. Para quem está há nove meses sofrendo com essa pandemia, ter a perspectiva da vacina no Brasil daqui dois, três meses, talvez até antes, é uma excelente notícia.

Como o senhor tem visto o tratamento da Covid-19 com medicamentos não comprovados cientificamente?

Nós, da Sociedade Brasileira de Infectologia, que representamos mais de mil médicos infectologistas pelo país, concordamos de usar os protocolos internacionais. Todos esses protocolos mostraram que, infelizmente, todos os estudos do tratamento precoce não têm impacto na evolução da doença. Usar hidroxicloroquina, ivermectina, zinco, ozônio retal e todas essas situações não comprovadas em estudos clínicos não diminuem as chances de contrair Covid grave. Adoraríamos que esses medicamentos dessem certo, mas eles não reduzem a possibilidade de o paciente morrer. Já vi médicos que não são especialistas dizendo “quem usar hidroxicloroquina ou ivermectina não vai evoluir mal”. Quero dizer que mais da metade dos pacientes graves que internam nos dois serviços que coordeno estão usando essas medicações. Ou seja, o médico que prescreve essa medicação no começo do tratamento, talvez até por questão ideológica, não segue acompanhando o paciente quando o quadro vira uma pneumonia com hipóxia, que é a falta de oxigênio.

Esse médico lá do começo não vai atender o paciente no estado grave – ou porque ele não fica sabendo do estado grave ou porque joga o paciente para outro médico. E depois ele vem na mídia e fala “eu tenho experiência de mil pacientes em que usei a hidroxicloroquina e foram bem”. É mentira! Por que a hidroxicloroquina dele funciona e a dos outros médicos, cujos pacientes estão batendo na porta dos hospitais, não funciona? De junho para cá, dezenas de estudos clínicos mostraram que esses remédios não funcionam, a ponto de nos Estados Unidos quem prescrever hidroxicloroquina fora do estudo clínico poder ser punido por má prática da medicina. O que os Estados Unidos fizeram? Doaram dois milhões de comprimidos de hidroxicloroquina para o Brasil, porque lá ninguém mais está usando. Portanto, é importante esclarecer que quando a população tem a hipóxia, tosse e outros sintomas da Covid, a gente recomenda usar o oxímetro.

Como a pessoa deve usar o oxímetro se tiver suspeita de Covid-19?

Na fase inicial, o paciente toma remédio para se sentir melhor, são analgésicos, remédios para febre. E a partir de então ele deve fazer o acompanhamento com o oxímetro digital, principalmente pacientes com mais de 60 anos ou que tenham outras doenças que possam levar à Covid grave, como diabetes, pressão alta, obesos, problemas pulmonares ou renais crônicos.

Com esse aparelhinho, o paciente consegue medir sua oximetria digital, que permite ver se você está ou não saturando bem, se você tem ou não hipóxia. Quando a saturação estiver em 95% ou mais, a pessoa pode ficar em casa. Na hora em que abaixar para 94% ou menos, a pessoa deve procurar um médico, que vai ver fazer tomografia ou outros exames para ver como está a oxigenação, a gasometria arterial e aí, sim, internar esse paciente no primeiro sinal de hipóxia, que acontece entre o quinto e o nono dia da doença. Com oxigenoterapia e dexametazona a maioria dos nossos pacientes está evoluindo bem. Para ter uma ideia em números: todos os dias damos de cinco a seis altas hospitalares de pacientes que, ao fazerem esse acompanhamento com o oxímetro digital, não precisaram de UTI, de ventilação mecânica.

Gazeta do Povo

Opinião dos leitores

  1. Esse babaca defende a teoria do #FiqueEmCasa
    Quando sentir falta de ar, procure um médico.
    Dou figa!

    1. Edison Cunha, se só morresse quem vai pra festa aglomerar era "bom", mas como o vírus não faz essa distinção é melhor todo mundo ficar ligado. O ideal era que quem se expõe sem necessidade assinar um termo abrindo mão da UTI.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Reitor do IFRN acata recomendação do MPF e revoga compra de notebooks

Após recomendação do Ministério Público Federal (MPF), o reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN), Josué de Oliveira Moreira, revogou o processo de compra de 20 Macbooks i5 13″, que seriam destinados à equipe de gestão. O MPF observou que há outros computadores com qualidade similar e preços menores que os R$ 12.700 previstos para esse modelo.

A recomendação, de autoria do procurador da República Kleber Martins, indicava a necessidade de o instituto abranger um maior número de marcas e modelos disponíveis no mercado, ampliando o objeto da compra e buscando a melhor relação custo-benefício. Uma análise da Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (Ctic) da Procuradoria da República no RN apontou a existência de computadores com configurações muito próximas ou mesmo superiores em diversos quesitos (para a finalidade pretendida) e a preços bem menores.

“Apesar de ser um aparelho muito bom e ter uma performance ótima, a relação custo-benefício é questionável, sobretudo para uma utilização básica. Quando comparado com outros notebooks equipados com o Windows e configuração e material similares, não percebemos vantajosidade na escolha pelo equipamento da Apple para uma utilização administrativa”, apontou o relatório.

O representante do MPF ressaltou que o IFRN, como instituição pública, precisa levar em conta os princípios constitucionais da eficiência e da economicidade, “a fim de evitar questionamentos e mesmo ações judiciais atribuindo a pecha de ilegalidade aos atos”.

Opinião dos leitores

  1. Seria bom o Ministério Público Federal informar em que pé se encontra a ação de improbidade decorrente do uso do prédio do IFRN para a instalação de uma barraca do "Lula Livre".

    1. Barraca "lula livre", que vergonha, esquerdopatas não tem limites…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Ministério de Minas e Energia mantém recomendação para extinguir horário de verão

Foto: © Arquivo/Agência Brasil

O Ministério de Minas e Energia (MME) manteve a recomendação de não se adotar o horário de verão neste ano (período de 2020/2021). O horário foi extinto em abril do ano passado, com base em estudos da pasta, que apontaram a pouca efetividade na economia energética, e também em estudos da área da saúde, sobre o quanto o horário de verão afeta o relógio biológico das pessoas.

Em nota técnica publicada quinta-feira passada (9), a pasta avaliou o resultado regulatório da extinção do horário de verãoe disse que a economia de energia com a medida diminuiu nos últimos anos e já estaria perto da neutralidade, em razão das mudanças no hábito de consumo de energia da população.

Quando foi criado, o horário de verão tinha por objetivo aliviar o pico de consumo, que era em torno das 18h, e trazer economia de energia na medida em que a iluminação solar era aproveitada por mais tempo. No entanto, nos últimos anos, o Ministério de Minas e Energia constatou uma alteração no horário de pico com maior consumo de energia no período da tarde, por causa da intensificação do uso do ar condicionado, quando o horário de verão não tinha influência.

A nota acrescenta que a descontinuidade da aplicação do horário de verão 2019/2020 implicou também redução do custo de operação do sistema elétrico e que, com a revogação dele, continuou ocorrendo redução de demanda no período noturno, “provavelmente pela alteração natural da luminosidade”.

“Este comportamento, provavelmente, está associado ao uso menor uso de equipamentos de climatização, em especial do ar condicionado, o que decorreu da melhoria das condições de conforto térmico aos consumidores de energia elétrica em seu período de descanso noturno, sem ter havido antecipação de uma hora”, diz a nota.

A nota informa também que as avaliações de impacto do horário de verão nos ciclos anteriores a 2019 superestimaram a redução de demanda no período noturno e que o aumento na carga foi subestimado. Uma avaliação anterior do Ministério de Minas e Energia já havia apontado que, entre os efeitos do fim da medida no setor elétrico, evitaram-se custos ao consumidor brasileiro de energia elétrica de R$ 100 milhões.

“Diante dos ganhos na otimização do uso dos recursos energéticos com a não adoção do horário de verão no ciclo 2019/2020, e na ausência de fatos novos que pudessem implicar a necessidade de avaliações adicionais às ora apresentadas, e também fundamentadas na Nota Técnica nº4/2019/CGDE/DMSE/SEE (SEI nº 0263485), recomendamos que se mantenha a suspensão dessa política pública também para o ciclo 2020/2021”, conclui a pasta.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

OAB-RN estuda representação contra procuradores que descumpriram recomendação do CNMP e acionaram Prefeitura por reabrir comércio

Foto: Divulgação

A seccional potiguar da Ordem dos Advogados do Brasil realizará uma reunião extraordinária nesta sexta-feira, 10, para analisar se farão uma representação contra os membros dos Ministérios Públicos que acionaram judicialmente a Prefeitura de Natal contra a reabertura do comércio.

Os advogados questionam o descumprimento dos promotores da recomendação do Conselho Nacional do Ministério Público que afirmou aos membros dos MP’s que obedecessem a autonomia administrativa dos gestores públicos para tomada de decisões.

Justiça Potiguar

Opinião dos leitores

  1. Bom, se os Promotores são "obrigados" a cumprir RECOMENDAÇÃO do CNMP, por que os gestores não seriam OBRIGADOS a cumprir RECOMENDAÇÃO dos Promotores?

    1. Por que os gestores são representantes do povo os promotores não é sim da justiça que últimamente não têm dado uma dentro pois se recomenda e já deve vir com a solução é ñ criar mais impecilios

    2. O MP recomenda porque a lei não obriga o Gestor a fazer aquilo recomendado, caso a lei mandasse este fazê-lo, esse mesmo MP entraria com Ação específica para obrigar o gestor a agir.
      Assim, o MP interfere nas atividades do gestor, que depois terá o argumento que não deu certo a atividade administrativa porque fez aquilo MP, equivocadamente, recomendou e, por sua vez, o MP dirá que apenas recomendou, não obrigou a fazerem nenhuma coisa, porque eles não têm esse poder, mas o Gestor escolheu atender a recomendação e fez algo inadequado porque não usou seu poder de discricionalidade.
      Assim, todos nós continuaremos a pagar pelos desmandos administrativos.
      Tem muita gente querendo mandar e poucos para fazer apenas o que a lei manda fazer!

      Armando

  2. são apenas recomendações do conselho, os procuradores não estão vinculados. De onde se tirou a possibilidade de representação. Os membros do MP possuem autonomia funcional e são fiscais da lei e da ordem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Procons Municipal e Estadual expedem Recomendação sobre gás de cozinha com limitação de 1 botijão por consumidor

Foto: Agência Brasil

O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon Natal, através do seu diretor geral, Gleiber Adriano de Oliveira Dantas, e a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon/RN, através do seu coordenador, Thiago Gomes da Silva, emitiram, nesta quarta-feira (15), uma Recomendação Conjunta relacionada ao funcionamento e venda de produtos considerados essenciais, entre os quais se enquadra o gás residencial de 13Kg, também chamado de “Gás de Cozinha”,

A Recomendação leva em consideração os Decretos N.º 11.920 de 17 de março de 2020 – Prefeitura do Natal e Nº 29.556 de 24/03/2020 – Governo do Estado do Rio Grande do Norte, que abordam situações emergenciais para o enfrentamento da pandemia decorrente do Covid-19, e recomenda ao Sindicato dos Revendedores Autorizados de Gás GLP do Estado do Rio Grande do Norte:

1. Recomendar a limitação da quantidade de botijões por consumidor;

2. A recomendação é de limitar a 01 (um) botijão de 13Kg, por consumidor;

3. A recomendação visa manter o abastecimento regular do gás de cozinha, bem como, evitar o aumento dos preços, mantendo-se o equilíbrio dos valores praticados, para evitar maiores prejuízos aos consumidores.

Opinião dos leitores

  1. Bom dia meus amigos, o procon estadual junto com o de natal, expediram uma recomendação para limitação de pessoas e criancas apartir de 14 anos, alguém teria esse arquivo.

    Não encontrei nos sites

  2. Porque essa preocupação? Parece até que o preço baixou! Vejam só se o dinheiro está diminuindo quem danado vai poder comprar 2, 3 botijões. Tem certas noticias que ta mais para piada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Seguindo recomendação do CNJ por causa da pandemia do novo coronavírus, Bretas manda para prisão domiciliar o megadoleiro Dario Messer

Foto: Divulgação

Seguindo recomendação do CNJ por causa da pandemia do novo coronavírus, o juiz Marcelo Bretas determinou a substituição da prisão preventiva do megadoleiro Dario Messer pelo regime domiciliar.

“Segundo alega a defesa no referido Habeas Corpus impetrado perante o STF, Dario tem 61 anos e é hipertenso; além disso, esteve internado em hospital no período de 18 a 20 de março, o que o coloca no grupo de risco para a infecção pelo Covid-19, bem como possível transmissor da doença, sendo necessária a sua transferência imediata para a sua residência”, escreve Bretas, em sua decisão, obtida por O Antagonista.

Para Bretas, embora seja “plausível a substituição da prisão preventiva pela prisão domiciliar por uma questão humanitária e de saúde pública, não há mudança de entendimento desse Juízo quanto à necessidade da segregação cautelar do investigado”.

“Trata-se, portanto, de medida de caráter extraprocessual, de natureza humanitária, que pode ser revista tão logo cessem os motivos excepcionais e emergenciais.”

O Antagonista

 

Opinião dos leitores

  1. É pra deixar preso essas pragas. Geddel, Cunha e outros LADRÕES. Vão mandar o Marcola e o Beira-Mar pra casa?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

OMS volta atrás e diz que não tem recomendação contra ibuprofeno no tratamento do coronavírus

Foto: Reprodução/TV Globo

A Organização Mundial de Saúde (OMS) voltou atrás e retirou a restrição de uso de medicamentos à base de ibuprofeno no tratamento contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A restrição havia sido anunciada na última terça-feira (17).

“A OMS está ciente das preocupações sobre o uso de anti-inflamatórios não esteroidais (isto é, ibuprofeno) para o tratamento da febre em pessoas com Covid-19. Após uma rápida revisão da literatura [pesquisas científicas], a OMS não está ciente dos dados clínicos ou de base populacional publicados sobre esse tópico”, afirmou a organização, em nota.

“Não temos conhecimento de relatos de efeitos negativos do ibuprofeno, além dos efeitos colaterais conhecidos usuais que limitam seu uso em determinadas populações”, informou a OMS.

Segundo a OMS, a conclusão foi tomada após ouvir médicos que tratam pacientes com Covid-19 e após consultas a pesquisas científicas desenvolvidas até o momento sobre a doença.

A organização reforça que, com base nas informações disponíveis, não há restrições ao uso de Ibuprofeno no tratamento contra a Covid-19.

Por que havia restrição contra o ibuprofeno?

Na última terça-feira (17), a OMS informou que o mais recomendado em tratamentos contra a Covid-19 era o uso de medicamentos à base de paracetamol.

A indicação ocorreu após o ministro da Saúde francês alertar, no sábado (14), contra o uso do ibuprofeno, que é encontrado em anti-inflamatórios.

Na semana passada, uma pesquisa científica sugeriu que pacientes com diabetes e hipertensão tratados com ibuprofeno tinham mais riscos de desenvolver quadros severos da doença. Para o infectologista Celso Granato, professor da Unifesp e diretor clínico do grupo Fleury, em São Paulo, a evidência mostrada na pesquisa não era forte o suficiente. “Existem vários outros anti-inflamatórios, antitérmicos – por exemplo, paracetamol – que têm o mesmo efeito e não têm evidência de que têm esse problema”, lembrou Granato.

Globo

Opinião dos leitores

  1. Isso eh pra pessoa morrer logo e não ser diagnosticado com covid-19 ninguém eh otário não ….paracetamol e dipirona somente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

MPRN expede recomendação para estabelecimentos comerciais evitarem o desabastecimento de álcool gel e máscaras descartáveis

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) expediu nesta quarta-feira (18) uma recomendação aos supermercados e aos estabelecimentos do comércio varejista e atacadista de produtos farmacêuticos do Rio Grande do Norte tratando sobre as vendas de álcool gel e máscaras descartáveis. A intenção é evitar o desabastecimento ou a demora na reposição desses itens.

No documento, que foi elaborado conjuntamente pelas Promotorias de Justiça de Defesa do Consumidor da comarca de Natal, o MPRN requer que os estabelecimentos definam estratégias para limitar quantitativamente as vendas de álcool gel e máscaras descartáveis.

Além disso, eles devem se abster de aumentar os preços dos produtos mais demandados para prevenção à contaminação do Coronavírus, especialmente álcool gel e máscaras, em desacordo com as diretrizes dos termos recomendados pelo MPRN e demais dispositivos legais competentes.

Os estoques dos produtos devem ser mantidos a fim de que os consumidores possam adquiri-los de acordo com as suas necessidades, respeitadas as limitações impostas pelo estabelecimento, enquanto durar a pandemia de Coronavírus.

Para ler a recomendação completa, clique aqui.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Presidente do América explica fala sobre recomendação para jogos sem torcida

Foto: Reprodução/Twitter

O presidente do América, Leonardo Bezerra, entrou contato com o Blog para explicar a repercussão sobre a sua fala no microblog Twitter nesta sexta-feira(13), destacada em post, sobre a recomendação da Sesap para cancelamento de eventos de massa, especificamente, no caso do futebol, disputada de jogos sem torcida, como medidas de prevenção contra o coronavírus.

“Deixa eu só esclarecer: quando digo é muito difícil. não me vem à cabeça nunca que foi uma medida para atingir o América. Mas é muito difícil que no momento que iríamos ganhar o dinheiro de uma folha inteira de pagamento só com renda, sem falar no apoio da torcida para uma cota de 2M se ganharmos a partida tenha acontecido essa determinação”.

Leonardo ainda completou. “É muito difícil fazer futebol num estado quebrado como o nosso”.

Por fim, o presidente do América deixou a entender que o clube não é contra a recomendação de saúde pública. “Mas se vai fechar realmente igrejas, cinemas e todos os estabelecimentos con um aglomerado de mais de 100 pessoas. Como você falou, quem é o presidente do poderoso América para ir contra?”, encerrou.

Opinião dos leitores

  1. Perdeu uma boa oportunidade de ficar CALADO! Essa turma do América sempre foi arrogante. O que danado tem haver o RN com medidas de combate à uma pandemia, coisa internacional!? Trata-se de sorte, e seu time teve esse ano de não pegar um clube de série A até agora.

  2. Sou Abcedista, mas essa decisão é precipitada e péssima para o mequinha, acho que eles são merecedores da presença da torcida e não há motivo para essa histeria aqui no RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *