Brasileiras da seleção feminina de futebol 'comemoram' desclassificação na balada

O repórter e blogueiro do R7, Cosme Rímoli, se mostrou revoltado com a atitude das jogadoras brasileiras da seleção feminina de futebol. Após desclassificação nas Olímpiadas de Londres, as meninas foram “comemorar” na balada.

Segue o desabafo do jornalista:

As meninas da seleção brasileira de futebol feminino estão sem rumo. Depois da eliminação das Olimpíadas, ontem, na pior campanha de todos os tempos, perderam o senso. A jogadora Fabiana Simões e seu Twitter mostraram isso de forma clara. Depois de perder para o Japão e mais uma vez reclamar de apoio, de descaso, a atitude deprimente. Foram para a balada.Caíram nas Olimpíadas e foram festejar. Inclusive Marta.E não fizeram nem questão de esconder.

Imagem:reprodução do twitter

 

Perderam uma chance enorme de mostrar respeito pela dor de uma eliminação do País. Pel torcida fervorosa de brasileiros apoiando, sonhando com nova medalha.O time fez uma campanha fraquíssima na Inglaterra.

Estava tão sem apoio que atuou com o uniforme antigo da seleção, com a ridícula faixa verde.Os veículos de comunicação fizeram o que estava ao seu alcance.

Cobraram a CBF e seu presidente, José Maria Marin, para implementar uma política séria para o esporte. Depois da derrota diante do Japão, a hora era de recolhimento. Pensar uma noite ao menos nos erros da derrota. Respeitar as próprias lágrimas. Mas, sem rumo, não quiseram nem saber. Se arrumaram, passaram seus batons, fizeram seus cabelos. Marta colocou um chapéu até e foram para a balada. Sorridentes, como se fossem medalhistas de ouro.

E não uma das maiores decepções para o Brasil nestas Olimpíadas.O futebol feminino está sem comando, perdido. As meninas mais ainda. Não só dentro de campo, mas principalmente fora. Desperdiçaram todo apoio que poderiam ter. A foto feliz da balada de ontem à noite mostra a importância que elas deram para a competição. Como brigar por jogadoras que festejam em dia de eliminação? E não tiveram nem o cuidado de ser discretas.

Fabiana Simões colocou no seu Twitter para que todos pudessem ver. A legenda explicativa.”Nós na balada.”Falta de respeito inaceitável. Deixa revoltado quem vê a felicidade das eliminadas.

E a óbvia pergunta vem à mente.Como torcer por essas atletas?Que elas aproveitem as várias baladas que a Inglaterra oferece. Já que elas não têm mais o que fazer. Foram com toda justiça eliminadas das Olimpíadas.

Só há dois favores a serem pedidos.Que elas publiquem mais fotos. E não chorem pedindo apoio a cada derrota.Como acreditar nas suas lágrimas? Se poucas horas depois elas viram sorrisos na balada?

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maah disse:

    Tem mais é que comemorar mesmo, uma país que nao valoriza rm nada o Futebol Feminino chegar a uma Olimpíada, faria a mesma coisa que elas, esse jornalistaZINHO que fala isso, nao deve nem sabe o nome das jogadoras, quem dirá o que elas passam pra chegar até onde estão! conheça pra critica bundão.

  2. Vitorpipolo disse:

      Acredito cada vez mais que se fosse a Globo estivesse transmitindo os jogos , teriamos tido um quadro de medalhas melhor. Para quer o R7 colocar uma noticia dessas?  E o espirito olimpico onde " o essencial não é ter vencido, mas ter lutado bem". Lutamos sim , porém nossa velha falta de apoio e estrutura não consegue alcançar a excelência de paises como EUA e Japão que tem até 2° divisão no futebol feminino de tão bem difundido e apoiado que é esses esportes nesses paises.
     No final como bons Brasileiros só nos resta sorrir , trabalhar mais e erguer a cabeça para que nas próximas olimpíadas possamos virar o jogo. Chorar e se esconder das críticas não é da nossa indole.

    Boa festa meninas!

    • Favadeinstrumento disse:

      Falta de apoio é o que o brasileiro comum tem. Nos EUA o futebol é o soccer, um esporte não popular, e mesmo assim são tetracampeões olímpicos no feminino. Desculpas e mais desculpas. Nigéria e Camarões, países pobres e sem apoio milíonário, jogaram com inteligência e raça e foram ouro olímpico no futebol masculino, sem desculpinhas! Logo esses tal falta de apoio e de estrutura são desculpas.

  3. Sandro Múcio disse:

    Ridículo. Qual o problema de irem a uma balada pós-jogos?? Pense bem, se tivessem outros jogos posteriormente ao da eliminação, seria reprovável. Mas a campanha acabou. Nada de mais aproveitar o tempo ainda livre e tentar se divertir. Fair play não é para todos. Jornalistas que vivem se embriagando para fazer suas matérias adoram posar de éticos julgando atitudes de todo mundo. Ridículo. Falta de assunto?? Tem umas trouxas de roupas para lavar por aqui…

  4. Mas o que tem a ver o fato delas terem ido a uma balada?
    A seleção brasileira feminina de futebol, perdeu por falta de competência
    de um técnico que parecia perdido, sem noção de como dirigir o time, que após a derrota, impediu as jogadoras de falarem com a imprensa, perdeu pq a CBF há décadas não se preocupa com o futebol brasileiro, perderam pq são humanas e estão passíveis a isso. Agora, a imprensa, nem ninguém, pode cobrar nada de atleta  brasileiro nenhum, pois, o Brasil nunca teve, nem nunca terá uma política de valorização do esporte, investimentos, formação, nada!!! E como a imprensa, pode exigir e cobrar resultado nenhum por ter perdido uma partida, e/ou uma medalha?
    Sinceramente, uma nota desse tipo, de qualquer que seja o veículo de imprensa, é só mais uma forma de alienação, e a valorização da estupidez de dizer que o Brasil é o país do futebol.

MARIONETES UFANISTAS por Rubens Lemos Filho

Meu patriotismo permanece intacto. Meu ufanismo imbecilizado encontra-se no mais profundo mausoléu do cemitério das minhas insignificâncias. Fanatismo ficou para as seitas, os incapazes de raciocinar, debater, dialogar. São para os que ainda vivem, politicamente, na dicotomia mofada e copiada do parlamento francês: Os avançados, sentados à esquerda, os conservadores, do lado direito.

É uma mistura de irritação e divertimento a minha forma de acompanhar os Guevaras sem Sierra Maestra e os Roberto Campos sem nenhuma capacidade brilhante de formulação.

(mais…)