Sismologia registrou tremor no município de Taipu, distante 50 km de Natal

O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Nessa quarta-feira(11), às 11:47 UTC (08:47, hora local), foi registrado mais um evento em Taipu, desta vez de magnitude preliminar 1.0. Estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN registraram esse evento.

A Figura 1 mostra o mapa de localização epicentral. O epicentro está representado pela estrela vermelha. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo. Em destaque, a área do município de Taipu.

O registro desse evento na estação RCBR está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Registro do evento em RCBR.

“Como sempre afirmamos em situações semelhantes, é impossível saber como essa atividade sísmica vai evoluir. É possível que a atividade cesse, fique na situação atual, com a ocorrência esparsa de eventos, ou recrudesça, com a ocorrência de eventos de maior magnitude que os até agora observados”, afirmam sismólogos.

Fonte: LabSis/UFRN, RSBR
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes

Tremor de terra foi registrado em Taipu, distante 50 km de Natal, no fim de semana

Na noite de sábado(03), às 23:41 UTC (20:41, hora local) ocorreu um novo tremor em Taipu,  município distante 50 km de Natal, desta vez de magnitude preliminar estimada em 1.3. Esse evento foi registrado por algumas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.

O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro está representado pela estrela vermelha. A estrela amarela indica o epicentro do tremor de magnitude 4.3 de 2010. A linha vermelha representa a Falha de Samambaia. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo (RCBR).

O registro desse evento na estação RCBR está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Registro do evento em RCBR.

A atual atividade sísmica em Taipu vem se manifestando desde algum tempo na área a NE da cidade sendo que, no passado, alguns sismos foram sentidos nessa região. É interessante notar, pela Figura 1, que essa atividade sísmica não está diretamente relacionada nem com o sismo de 2010 nem com a Falha de Samambaia. Vamos aguardar a evolução da mesma e, se possível tentar colocar uma rede local.

Fonte: LabSis/UFRN, RSBR