Mercado só gera emprego que paga até dois salários mínimos e informalidade faz desigualdade avançar, aponta Ipea

Foto: Fabiano Rocha / Fabiano Rocha

Praticamente todas as novas vagas com carteira de trabalho assinada geradas no país em 2019 possuem uma remuneração máxima de até dois salários mínimos. Os dados são da Carta de Conjuntura divulgada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) nesta quarta-feira.

Segundo o documento, apenas as duas primeiras faixas salariais (de até um e de até dois salários) têm saldos positivos, ou seja, o número de contratações supera o de demissões no primeiro semestre do ano. Para os demais níveis salariais, mais altos, a dispensa de trabalhadores é maior que o total de admissões.

O levantamento, feito com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) da Secretaria de Trabalho do governo federal, indica que, a partir do segundo semestre de 2018, a geração de novos postos de trabalho com carteira assinada voltou a apresentar maior dinamismo.

No acumulado em doze meses até julho deste ano, a economia brasileira havia criado 521,5 mil novos empregos formais. Junto a esse bom resultado, as estatísticas também mostram uma leve recuperação dos salários médios de contratação, embora estes, historicamente, mantenham-se abaixo dos salários de quem tem sido demitido.

Os dados do Caged analisados pelo Ipea também mostram que a maior parte dos trabalhadores demitidos é aquela com menos tempo de permanência no emprego. Na média, nos últimos doze meses até julho, enquanto na indústria, no comércio e nos serviços quase a metade dos demitidos estava trabalhando há menos de um ano, na construção civil esse percentual avança para 62%.

Em contrapartida, a menor parcela dos trabalhadores dispensados é formada por profissionais com mais de cinco anos de permanência no emprego. Se na indústria de transformação essa parcela corresponde a 14%, na construção civil não chega a 5%.

Informalidade faz desigualdade avançar

O levantamento também mostra que, embora o desemprego tenha caído e a massa salarial aumentado, o avanço da informalidade fez crescer a desigualdade de renda no país nos últimos anos.

De acordo com o Ipea, o índice de Gini da renda domiciliar do trabalho subiu de 0,514 no 4º trimestre de 2014 para 0,532 no 2º trimestre de 2019. Já para a renda individual do trabalho, o indicador saltou de 0,495 para 0,508 no mesmo período.

O Índice de Gini é um indicador que monitora a desigualdade de renda em uma escala de 0 a 1 –quanto mais próximo de 1, maior é a desigualdade.

Por outro lado, a queda do desemprego via ocupações sem carteira de trabalho assinada tem sustentado a recuperação da massa de rendimentos neste ano, como é chamada a soma de todos os salários recebidos pelos trabalhadores do país.

No segundo trimestre, a massa de rendimentos somou R$ 208,435 bilhões, crescimento de 2,4% na comparação ao mesmo período do ano anterior. Nos cálculos do Ipea, o resultado foi puxado pela alta de 4,6% da massa salarial dos trabalhadores sem carteira assinada e de 3,7% para os trabalhadores por conta própria.

O Globo

 

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nivaldo disse:

    Mas é assim mesmo. Os empregos mais qualificados são os últimos a aparecer quando a economia volta a crescer. Quanto menos ela crescer, mais se demora a se contratar gente mais qualificada.

  2. Wellington disse:

    PTladras nunca mais!

  3. Lourdes Siqueira disse:

    Na verdade o PT comeu o bolo que estava crescendo no forno. Se esbaldou, dividiu o bolo com as empreiteiras e os ditadores, deu os farelos do prato para o povão, mas quando o bolo acabou com a rapinagem, deu no que deu. O forno estava vazio e o Brasil agora tem que bater a massa de novo e aguardar ficar no ponto, talvez por muito tempo.
    O PT esqueceu que quem quer comer bolo tem que "trabalhar". Esqueceu não; nunca soube disso. Trabalho? Só na sigla do Partido.

  4. DesacocheiocomoBrasil disse:

    Pois é…….e tenham certeza que vai precisar de mais uns 5 anos para esse quadro começar a se modificar, pois o estrago que o PT fez ao país durante esses últimos 13 anos nunca foi visto desde o descobrimento………sem contar que quando tudo voltar a melhorar, ainda vão ter aqueles fanáticos alienados que voltarão a gritar pelo retorno dos ladrões.

    • Julia disse:

      Engraçado que nos 10 primeiros anos do governo do PT, o país disparou em geração de riqueza e crescimento. Agora é só ladeira abaixo.

    • Manoel disse:

      Não tem nada de engraçado não Julia! O Brasil foi beneficiado pela alta dos preços das "commodities" nos dois governos de Lula e ao invés de aproveitar essa abundância de recursos, a "alma mais honesta" preferiu enriquecer e roubar o nosso dinheiro do que investir em áreas de infraestrutura, por exemplo. Caso você queira entender melhor, pode consultar na internet: https://veja.abril.com.br/economia/decada-perdida-foi-a-da-alta-das-commodities-diz-economista-de-cambridge/ ou https://exame.abril.com.br/economia/por-que-o-brasil-surfou-na-onda-das-commodities/.

    • Arthur disse:

      Esses Bolsominios diziam que em um ano Bozo ia arrumar o país, já estão falando em 5 anos… Sei…

    • Nivaldo disse:

      Pois. Além das commodites em alta, o Brasil (aliás, o Mundo) pegou dólar inundando os países no pós-2008. No Brasil, as cabecinhas keynesianas inventaram de tentar impulsionar o crescimento em cima de crédito (sobreutdo para os amigos do poder) e gastos públicos. A rebordosa só veio a estourar lá por 2015. Paralelo, tem o fato de que se deu muito dinheiro às elites das mantenedoras. Distribuíram canudos sem combinar com o tal do mercado malvadão.

Emprego e residência permanente no Canadá: governo planeja milhares de oportunidades para imigração e reportagem mostra perfil que buscam

Foto: (Thinkstock/Thinkstock)

A estratégia do governo do Canadá para manter seu crescimento econômico é abrir ainda mais as suas portas para profissionais qualificados que desejam emigrar para lá. Segundo informações do relatório Anual do Parlamento Canadense sobre Imigração, obtidas por EXAME, o governo planeja admitir neste ano até 176 mil residentes permanentes pela via de classe econômica, que é a categoria formada por imigrantes que têm competências profissionais necessárias para o país.

Essa modalidade de imigração é feita por sistema implementado em 2015, o Express Entry que leva em consideração seis fatores classificatórios: conhecimento de inglês, experiência profissional, nível de educação, disponibilidade ou oferta de emprego no Canadá e adaptabilidade.

Quem se candidata pelo sistema e está no perfil de pessoas buscadas pelo país recebe um convite, o ITA (invitation to apply) e é direcionado para um dos três programas federais de atração de imigrantes qualificados: Federal Skilled Worker Program (Programa Federal de Trabalhadores Qualificados); Federal Skilled Trades Program (Programa Federal dos Comércios Especializados) e o Canadian Experience Class (Classe de Experiência Canadense). Em 2018, quase 90 mil pessoas receberam o convite.

Além das iniciativas federais, o sistema de pontuação do Express Entry também é base para alguns dos programas provinciais de imigração. Em algumas regiões com maior necessidade de mão-de-obra, os imigrantes que têm oferta de emprego conseguem acelerar o processo de obtenção da residência permanente.

Nas províncias atlânticas (costa leste), por exemplo, o Atlantic Immigration Pilot Program (Projeto Piloto de Imigração do Atlântico) permite que o imigrante que tenha proposta de trabalho em empresas participantes dessa iniciativa da província se candidate imediatamente à residência permanente, sem ter que esperar o prazo de um ano, que é a regra geral do processo.

“As províncias têm liberdade de eleger candidatos de acordo com o perfil que eles decidem, mas sempre exigem que tenha oferta de emprego para conseguir isso. Os programas provinciais são ótimos para quem já está no Canadá”, diz Ed Santos, consultor de imigração e co-fundador da Canadá Intercâmbio, maior agência de intercâmbio entre Brasil e Canadá. Neste mês de setembro, a sua agência promove a ExpoCanada em várias cidades brasileiras entre os dias 10 e 24 de setembro.

As oportunidades no Canadá existem, mas há desafios na mesma proporção, garante o consultor e qualquer imigrante que tenha passado pelo processo. Eventos como esse, ajudam a entender o tamanho da dedicação exigida a um projeto de imigração. “De 3,5 mil pessoas que eu vi emigrarem, umas quatro saíram do Brasil já empregadas”, diz Santos.

O primeiro ponto é que uma oferta de emprego no Canadá está, quase sempre, atrelada a um projeto de estudo no país, que demanda investimento financeiro e, para muitos brasileiros, um reforço no nível de inglês. Pelos últimos 14 anos, o Canadá tem sido o destino número um dos brasileiros para estudar inglês. De 2010 para cá, o número de vistos de estudo quadruplicou. Em 31 de dezembro de 2018, o governo contou exatamente 13.835 brasileiros com visto de estudante no país.

O próprio governo do Canadá promove neste e no próximo mês a feira oficial de estudos no país, a EduCanada, de 19 de setembro a 4 de outubro. O objetivo do Canadá é recrutar estudantes não só para programas de idioma, como também para ensino médio, graduação, pós-graduação, e MBA.

Tanto na ExpoCanadá quando na EduCanadá, as instituições participantes apresentarão a chance de entrada no mercado de trabalho canadense como um dos grandes atrativos para os brasileiros.

O perfil de imigrante qualificado mais valorizado

O perfil de quem consegue o convite para começar a obtenção da residência permanente indica qual o currículo mais valorizado para fins de imigração: a maioria dos ITAs foi emitida para candidatos entre 20 e 29 anos de idade e para quem tem curso tecnólogo de três ou mais ou diploma profissional com prática, segundo o relatório anual de imigração.

As profissões ligadas a tecnologia, desenvolvimento e engenharia de software, programação, mídia interativa, análise de sistemas se destacam entre os profissionais que receberam o ITA. Mas cozinheiros, profissionais da área de alimentação e hospitalidade e professores universitários também são valorizados no mercado canadense e aparecem entre as profissões mais quentes para imigrantes.

Indianos são maioria entre os imigrantes que recebem ITA. Em 2018, foram 41,6 mil imigrantes da Índia, alta de 15% em relação a 2017. A China vem em seguida com 6,248, número 16% menos do que em 2017. Para brasileiros, a tendência é de alta, mas os números são ainda modestos: 1.840 em 2018, alta de 9% na comparação com o ano anterior. “A maior parte são brasileiros que já estão no Canadá, que estão estudando, fazendo college”, diz Ed Santos.

Para os profissionais já graduados no Brasil e que desejam fazer uma transição de carreira para viver no Canadá o caminho mais rápido até o emprego de qualidade elegível para a residência permanente passa por um pedágio de formação técnica em colleges, nome usado para denominar as escolas técnicas do Canadá. “O college é a melhor maneira de se inserir no mercado de trabalho, custa quatro vezes menos do que uma universidade e a formatura é duas vezes mais rápida do que em uma universidade”, diz Santos.

São 135 escolas técnicas públicas espalhadas em mais de mil campi pelo Canadá (entre colleges, institutos, epolitécnicas) e segundo o Council of Ministers of Education, a taxa de empregabilidade dessas escolas é de 95%. No país, são oferecidos mais 8 mil programas técnicos de formação.

As estatísticas de empregabilidade de colleges se confirmam mesmo em regiões com mercado de trabalho menos efervescente como nas regiões de Ontario e British Columbia.

Na Holland College, da pequena província de Prince Edward Island na costa leste, a diretora de negócios internacionais Gaylene Carragher contou a EXAME que 96% dos alunos da instituição conseguem emprego em até um ano de formatura.

“Uma das coisas interessantes dos programas é que os estudantes aprendem trabalhando. O fato de ter que trabalhar é uma ótima oportunidade para fazer contatos. É como uma longa entrevista de emprego. O empregador não vai deixar passar alguém que está fazendo um ótimo trabalho”, explica.

Para compensar o desafio maior do mercado de trabalho de regiões como as províncias atlânticas, iniciativas como o programa Atlantic Canada Study and Stay tentam conectar estudantes do último ano de seus cursos em escolas técnicas ou em universidades a empresas na região que conta com as províncias de Nova Escócia, New Brunswick, Newfoundland e Prince Edward Island.

“Encontrar emprego é mais fácil quando você conhece as pessoas”, diz a estudante brasileira Samantha Figueira recém-formada no curso de design gráfico da Holland College, em busca de vaga de trabalho em Prince Edward Island. A sua profissão também aparece entre as mais frequentes entre os imigrantes que recebem o ITA.

Programas nos moldes do Atlantic Canada Study and Stay tentam solucionar justamente a questão apontada por Samantha: o networking. Estabalecer a rede de contatos é um desafio para os estrangeiros, e a iniciativa busca atrair mais pessoas também para regiões menos conhecidas e visadas do Canadá. Em 2018, 64% dos pedidos de residência permanente foram feitos na região de Ontario, 18% em British Columbia e 7% em Alberta. Juntas, as províncias do Atlântico não chegam a 5%.

Exame

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. cristian freitas disse:

    vou logo adiantar que não é essa facilidade toda.
    eu e minha esposa gastamos uns 10 mil reais com provas de ingles, documentação, consultoria e não conseguimos nada.
    O canadá está abarrotado de candidatos qualificados. A ÚNICA maneira de ir pra lá é pagar uma faculdade pra um dos dois e o outro ir trabalhar, só tem essa maneira!

    • Marcelo disse:

      Concordo com vc, a qualificação é necessária, estou no canada a 03 anos e com convite para um contrato de mais 10 anos.
      Mas somente para os melhores.

Taxa de emprego no turismo brasileiro cresce 5,8% de maio a julho deste ano

Foto: Montagem

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD-C, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), apontam que o turismo brasileiro segue em crescimento. Os números divulgados nesta sexta-feira (30) mostram que o setor teve alta de 5,8% no número de trabalhadores na categoria ‘alojamento e alimentação’, entre maio e julho de 2019. A comparação é com o mesmo período do ano passado.

Os resultados acompanham o crescimento do turismo que acontece desde abril deste ano, quando a pesquisa registrou também uma alta na taxa de emprego de 4,4% no segundo trimestre. Além disso, desde o segundo trimestre de 2012 até o mesmo período neste ano, o segmento que mais teve participação de trabalhadores no país foi o de alojamento e alimentação, item ligado ao turismo.

Outras categorias do setor, segundo classificação do IBGE, estão na categoria ‘Outros serviços’ que também apresentou alta no número de trabalhadores de 5,3%. Em agenda na cidade de Tiradentes (MG) para o 22º Festival Cultura e Gastronomia, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comemorou os resultados divulgados hoje pelo IBGE e destacou que as conquistas são fruto de ações que vem sendo implementadas pelo MTur e pelo governo federal ao longo destes sete meses de gestão.

“Esses resultados demonstraram uma perspectiva otimista e crescente de que estamos no caminho certo. O turismo no centro da agenda estratégica do Brasil proporciona isso. Vivemos um momento único que oferece uma excelente oportunidade ao nosso país. Trabalhamos exatamente para gerar oportunidades à população, seja com empregos, renda ou inclusão social”, ressaltou o ministro.

DEMANDA DOMÉSTICA – Em junho deste ano, o Ministério do Turismo fechou uma parceria com o IBGE para incluir nos questionários aplicados pelos agentes da PNAD Contínua, a partir das próximas visitas domiciliares, perguntas sobre o turismo no país. O acordo vai permitir a inclusão de até 48 perguntas sobre o setor de Viagens nos questionários.

Para o ministro do Turismo, a cooperação trará ganhos imprescindíveis para mensurar o alcance e os resultados das políticas públicas implementadas pelo Ministério no âmbito nacional. “Precisamos monitorar o comportamento do setor turístico brasileiro e ver se as ações chegam na ponta”, afirmou Álvaro Antônio.

PNAD – Segundo o IBGE, a PNAD tem um universo de pesquisa de 200 mil domicílios e acompanha as flutuações trimestrais e a evolução, no curto, médio e longo prazos, da força de trabalho, além de outras informações necessárias para o estudo do desenvolvimento socioeconômico do País.

A pesquisa também produz indicadores anuais sobre temas suplementares permanentes – como trabalho e outras formas de trabalho, cuidados de pessoas e afazeres domésticos, e tecnologia da informação e da comunicação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Az disse:

    E no RN só fumo.

    • Gustavo disse:

      Turismo aqui é tratado com total descaso. Natal é suja, escura, esburacada, orla feia, não tem parque, não tem praça, não tem segurança nem infraestrutura. Problema que o RN não tem outra alternativa econômica. Não temos comércio, indústria nem serviços
      O exemplo de Gramado, com eventos o ano inteiro e alta profissionalização, mostra como o turismo pode desenvolver uma cidade e uma região.

Emprego é recorde no Brasil no trimestre encerrado em julho

Foto: Arquivo Agência Brasil

O mercado de trabalho no Brasil atingiu, no trimestre encerrado em julho deste ano, um volume recorde de pessoas empregadas: 93,6 milhões. É o maior número da série histórica iniciada em 2012 e representa aumentos de 1,3% na comparação com o trimestre encerrado em abril deste ano e de 2,4% na comparação com o trimestre encerrado em julho de 2018.

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad-C), divulgada nesta sexta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o crescimento foi puxado pelos empregados sem carteira assinada e pelos trabalhadores por conta própria.

Os trabalhadores sem carteira assinada chegaram a 11,7 milhões em julho, também um recorde na série histórica. A alta chegou a 3,9% em relação a abril (mais 441 mil pessoas) e a 5,6% em relação a julho de 2018 (mais 619 mil pessoas).

Os trabalhadores por conta própria somaram 24,2 milhões e também atingiram um contingente recorde, subindo nas duas comparações: 1,4% (mais 343 mil pessoas) ante abril e 5,2% (mais 1,2 milhão de pessoas) ante julho de 2018.

A taxa de desemprego recuou para 11,8% em julho deste ano, abaixo dos 12,5% de abril deste ano e aos 12,3% de julho do ano passado.

A população fora da força de trabalho, ou seja, as pessoas que não estão nem trabalhando nem procurando emprego, chegou a 64,8 milhões em julho, estável em ambas comparações.

A população subutilizada (ou seja, que está desempregada, que trabalha menos do que poderia, que não procurou emprego mas estava disponível para trabalhar ou que procurou emprego mas não estava disponível para a vaga) ficou em 28,1 milhões de pessoas em julho, estável em relação ao trimestre anterior e 2,6% superior a julho do ano passado.

A taxa de subutilização da força de trabalho chegou a 24,6%, inferior aos 24,9% de abril e aos 24,4% de julho de 2018.

O total de pessoas desalentadas (aquelas que desistiram de procurar emprego) chegou a 4,8 milhões, estável em ambas as comparações. Já o percentual de desalentados chegou a 4,4%, também estável.

O rendimento médio real habitual do trabalhador ficou em R$ 2.286, uma queda de 1% ante o trimestre anterior e não teve variação significativa frente ao mesmo trimestre de 2018. Já a massa de rendimento real habitual (R$ 208,6 bilhões) ficou estável em relação ao trimestre anterior e cresceu 2,2% (mais R$ 4,5 bilhões) frente ao mesmo período de 2018.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alfredo disse:

    mas….
    Assinado: a extrema imprensa 🤣🤣🤣🤣

  2. Ivan disse:

    Vamos reagir PT!!! Libera um diálogo do Intercept logo!!!

  3. Severino disse:

    Imagine com a economia crescendo a uns 3% ao ano. Isso associado à queda nos índices de criminalidade, a se manterem em queda, é ulgo que deve deixar os petralho-chavistas em desespero.

  4. Nilvan Rodrigues da Silva disse:

    Imagine como são os empregos que foram contabilizados criados.
    Com todas as novidades tipo essa encrenca com Macron realmente esse governo corre sério risco de dar certo.

  5. Arnaldo Franco disse:

    Esse Governo corre o serio risco de dar certo.

  6. Gustavo disse:

    Muito bom. A recuperação deve ser consistente, mesmo que lenta. O estrago do PT foi grande.

Atividade e emprego na construção atingem maior valor em seis anos

Os indicadores de atividade e de emprego na indústria da construção alcançaram, em julho, o maior valor dos últimos seis anos, informou nesta sexta-feira (23), a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A Sondagem Indústria da Construção mostra que o índice de nível de atividade aumentou 0,2 ponto frente a junho e ficou em 48,4 pontos em julho. O índice de número de empregados teve leve alta de 0,1 ponto e foi para 47,3 pontos. No entanto, os dois indicadores continuam abaixo dos 50 pontos, o que mostra queda da atividade e do emprego, observa a pesquisa.

“Entretanto a queda é cada vez menos intensa e menos disseminada no setor. Os níveis de atividade e emprego melhoraram gradativamente desde o começo deste ano”, diz o levantamento.

De acordo com a pesquisa, o nível de utilização da capacidade operacional ficou em 57% em julho, mesmo patamar registrado em junho, e 5 pontos percentuais acima da média histórica. Isso significa que o setor operou com 43% do pessoal, das máquinas e dos equipamentos parados no mês passado. A ociosidade é menor nas grandes empresas, segmento em que a média de utilização da capacidade instalada alcançou 59%. Nas pequenas empresas o nível de utilização da capacidade instalada foi de 51% e, nas médias, de 57%.

Segundo a CNI, com a elevada ociosidade, a disposição dos empresários para fazer investimentos diminuiu. O índice de intenção de investimentos caiu 3,5 pontos em agosto na comparação com julho e ficou em 33,1 pontos, praticamente o mesmo patamar de maio, e 0,6 ponto abaixo da média histórica. O indicador varia de zero a cem pontos. Quanto maior o valor, maior é a disposição para fazer investimentos.

Previsão

O Índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção) ficou estável em 58,8 pontos em agosto e se mantém acima da média histórica de 53,3 pontos. O ICEI-Construção varia de zero a cem pontos. Quando está acima dos 50 pontos, mostra que os empresários estão confiantes.

De acordo com a CNI, essa edição da Sondagem Indústria da Construção foi feita entre 1º e 13 de agosto com 494 empresas. Dessas, 169 são pequenas, 213 médias e 112 de grande porte.

Agência Brasil

 

SINE-RN oferece nesta sexta-feira 77 oportunidades de emprego

Foto: Ilustrativa

Para concorrer às vagas, o candidato deve se cadastrar via Internet no Portal Emprega Brasil do Ministério do Trabalho e Emprego, através do endereço empregabrasil.mte.gov.br ou na unidade do Sine Matriz em Natal, na Cidade da Esperança, na Rua Adolfo Gordo, s/n, prédio da Central do Trabalhador, NOVO HORÁRIO de 8h às 14h, ou em qualquer agência do Sine nas centrais do cidadão de Natal e no interior.

O interessado que não tem cadastro e acesso ao Portal Emprega Brasil, pode comparecer as Agências do SINE, com Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), Número do PIS, cédula de identidade (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF) e comprovante de residência. O atendimento é de acordo com o horário de funcionamento das centrais do cidadão e do SINE Matriz Cidade da Esperança no prédio da Central do Trabalhador, das 8h às 14h, de segunda a sexta.

NATAL e GRANDE NATAL – (Vagas Permanentes)
OCUPAÇÃO QUANT. DE VAGAS

PASTELEIRO 1
RECEPCIONISTA DE HOTEL 1
TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES 1
VENDEDOR PRACISTA 2
Total 5

MOSSORÓ E REGIÃO – (Temporária)
OCUPAÇÃO QUANT. DE VAGAS

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO 1
Total 1

SÃO JOSÉ DE MIPIBU E REGIÃO – (Vagas Permanentes)
OCUPAÇÃO QUANT. DE VAGAS

ATENDENTE DE MESA 15
AUXILIAR DE COZINHA 15
AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO 1
Total 31

JOÃO CÂMARA E REGIÃO – (Vagas Permanentes)
OCUPAÇÃO QUANT. DE VAGAS

ATENDENTE DE MESA 10
AUXILIAR DE COZINHA 10
Total 20

ASSU E REGIÃO – (Vagas Permanentes)
OCUPAÇÃO QUANT. DE VAGAS

ATENDENTE DE MESA 10
AUXILIAR DE COZINHA 10
Total 20

Para o Trabalhador: Todas as oportunidades estão sujeitas à alteração. Para saber em tempo real qual ocupação está de acordo com o perfil profissional do trabalhador, o mesmo deverá acessar o Portal Emprega Brasil do Ministério do Trabalho e Emprego no endereço (empregabrasil.mte.gov.br) com o seu login (PIS) e senha ou através do celular no aplicativo SINE Fácil.

 

Mais de 5 mil postos de trabalho são fechados no RN durante 1º semestre do ano

Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte fechou 5.115 postos de trabalho com carteira assinada no primeiro semestre de 2019. O mês de junho, no entanto, foi o primeiro do ano com saldo positivo, com aumento de 1.237 vagas. Os números são do Cadastros Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, e foram divulgados nesta quinta-feira (25).

Nos primeiros seis meses do ano, o Rio Grande do Norte registrou 69.940 novos empregados contra 75.055 demissões, o que gera o número negativo. Apenas no mês de junho, entretanto, foram 11.452 admissões contra 10.215 desligamentos.

O setor que mais demitiu no ano foi o da agropecuária, com saldo de 4.620 trabalhadores a menos em junho do que tinha em janeiro. Ele é seguido pelo setor de comércio, que tem 2.084 menos vagas de trabalho do que no início do ano. Em junho, inclusive, o principal saldo negativo também é do comércio, com menos 114 vagas.

Por outro lado, o setor que teve aumento do saldo foi o de serviços, que fechou junho com 3.049 vagas a mais do que no início do ano. E o setor de agropecuária, que no ano foi o que mais diminuiu postos de trabalho, teve em junho o maior aumento, com 750 vagas a mais.

Saldo de emprego no 1º semestre de 2019

Extrativa mineral: -166

Indústria de transformação: -1.418

Serviços industriais de utilidade pública: 128

Construção civil: 34

Comércio: -2.084

Serviços: 3.049

Administração pública: -38

Agropecuária: -4.620

Total: -5.115

Municípios

A principal diminuição nos postos de trabalho neste primeiro semestre aconteceu no município de Mossoró, na Região Oeste, que teve saldo de – 1.564. Apodi é a segunda cidade com pior saldo negativo, diminuindo 747 postos de trabalho nos primeiros seis meses do ano, seguida de Natal (-417) e São Gonçalo do Amarante (-232).

Parnamirim, por sua vez, foi quem teve melhor saldo no comparativo entre admissões e demissões neste primeiro semestre: 692 novos contratados seguido por Assu, com 292.

Em junho, o principal saldo positivo ficou com Mossoró, com 443 vagas a mais de trabalho contra 68 a menos em Natal, cidade que mais fechou postos de trabalho naquele mês.

Saldo entre janeiro e junho

Janeiro: -1.359

Fevereiro: -2.249

Março: -2.033

Abril: -501

Maio: -496

Junho: 1.237

 

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PAULO disse:

    Com a palavra o relator da Reforma Trabalhista. Beneficiaram apenas os empresários, nada mais que isso… O Brasil ainda espera os milhões de empregos que seriam gerados pela reforma.

    • Netto disse:

      Para o nível de crescimento econômico, a geração de empregos pós-reforma tá bem razoável.

    • Gilmar disse:

      Reforma trabalhista impediu uma tragédia ainda maior. Estava de um jeito que as pessoas trabalhavam sozinhas ou com parentes de estrita confiança, pois o medo de ação trabalhista era grande.

  2. João Costa disse:

    Essa estatística deve ser analisada com ponderação. Perceba que o que levou a queda foi o setor agropecuário, esse ramo tem suas sazonalidades.
    Penso que o Governo do RN, NECESSARIAMENTE, tem que fazer parceria com o Governo Federal, esquecer divergências partidárias. O Estado agradece.

  3. LULADRÃO disse:

    Com essa governadora Ptralha, infelizmente os dias do RN são sombrios. É GÓPI DA PIPOCAS BOKU'S

  4. José disse:

    Só no RN! Imagine em todo país!

    • Moura disse:

      Zezim, o País de modo geral cresceu o número de pessoas com carteira assinada. Já o RN de Fatão GD, fecha postos de trabalho.

      Ô RN sem sorte

  5. Lampejao disse:

    É Gópi….É Gópi…..É Gópi…….

  6. Del disse:

    E a gunvernadora do imprêgo?

    • Luiz disse:

      Isso é ainda reflexo da reforma trabalista propost pelo Rogerio Marinho mais comnhecido como Saco Preto .vale salientar a refoma trabalista que foi aprovada o ano passado teve o voto do atual foi presidente.É. BOM JAIR SE ACUSTUMANDO

    • Acorda Brasil disse:

      Deixa de conversar lorota Luiz! O Brasil teve o melhor índice de geração de empregos no mesmo período desde o ano de 2013.

  7. Luciana Morais Gama disse:

    O Brasil tá começando a decolar, o RN a se enterrar…..

Cidade do Canadá abre 430 vagas de emprego e recruta brasileiros

Foto:(Quebec International/Divulgação)

A região de Quebec, no Canadá, quer atrair brasileiros e deu início a mais uma missão virtual de recrutamento. Nesta edição, além de profissionais, estudantes e pesquisadores também encontram oportunidades de bolsas-de-estudo.

Nos últimos anos, mais de 500 brasileiros se estabeleceram na cidade de Quebec para trabalhar, recrutados por meio de inciativas como essa, promovida pela Québec International, que é a agência de desenvolvimento econômico local.

“Mais do que nunca o Brasil é um território prioritário para nossas ações. Por isso, na missão de recrutamento on-line, apesar de ter uma abrangência mundial, o Brasil é um dos territórios mais visados pelas empresas de Quebec, por conta da qualidade dos perfis profissionais brasileiros”, diz Sara Tapia a diretora de mobilidade internacional da agência. A facilidade de adaptação à cultura de Quebec é também uma vantagem competitiva que as empresas enxergam nos brasileiros.

As inscrições para participar do processo seletivo desta missão vão até o dia 11 de agosto pelo site Québec En Tete. Profissionais podem se candidatar a 430 vagas temporárias de trabalho disponíveis em 21 empresas. As oportunidades são sobretudo para atuar nos segmentos de tecnologia da informação, jogos virtuais, saúde e manufatura.

Falar francês é um requisito para os interessados em morar em Quebec, já que essa é a língua oficial da província, e o nível proficiência exigido pode variar de uma vaga para outra. Algumas empresas também exigem conhecimento de inglês.

Os contratos são válidos por períodos de 1 a 3 anos, mas podem ser renovados de acordo com a necessidade do empregador. Os selecionados vão receber apoio dos empregadores para os trâmites de imigração. De acordo coma agência Quebec Internacional, os contratados terão salário, carga horária e benefícios sociais idênticos àqueles oferecidos a profissionais canadenses.

Os pré-selecionados farão entrevistas online, via Skype, entre os dias 9 e 20 de setembro com os gestores das vagas a que se candidataram.

Oferta de bolsas-estudo de até 40 mil dólares canadenses

A novidade desta missão é a oferta de bolsas-de-estudo. Serão selecionados estudantes para 13 bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Os cursos disponíveis são nas áreas de saúde, ciências biológicas, química,geografia, oceanografia e meio ambiente.

Os valores das bolsas vão de 15 mil a 40 mil dólares canadenses. Cada dólar canadense valia, 2,88 reais, segundo a cotação do dia 15 de julho.

Os interessados nas bolsas devem fazer o mesmo procedimento dos profissionais que vão se candidatar a uma das vagas de trabalho. Preencher o perfil no site Quebec Em Tête e então escolher a bolsa desejada.

Os programas de pós-doutorado são para pesquisas em: cuidados e serviços primários; pesquisa orientada ao paciente, ciências da saúde, bioestatística ou epidemiologia.

Para doutorado, há bolsas em programas de ciências ambientais, ciências sociais, ciências da saúde, bioestatística ou epidemiologia.

Em nível de mestrado a oferta é para bolsas nos programas de ciências sociais, ciências da saúde, bioestatística ou epidemiologia; bioprocessos e materiais; oceanografia; gestão da vida selvagem e do habitat; desenvolvimento regional e territorial.

Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Comentando apenas disse:

    Já tive esse sonho de morar no
    Canadá em dias passados, na minha realidade de hoje é algo impossível de acontecer. Deus abençoe quem conseguir uma vaga de trabalho lá no exterior pois aqui as coisas estão cada vez mais complicadas.

  2. Antonio Turci disse:

    Excelente oportunidade para profissionais jovens. O Canadá é um país muito bom, organizado sob todos os aspectos. Quanto à Província do Québec há uma certa facilidade uma vez que esta tem como idioma uma língua neolatina – o francês e um povo que se identifica razoavelmente conosco. Menos no cometimento de certas irresponsabilidades. Ex.: atrasar horário, aparecer sem agendar, exercitar a lei de Gerson. Estas coisas por lá não têm vez. No mais é um povo muito bacana.

    • Alaca disse:

      Sobre o idioma discordo, na verdade dificulta, dado que a maioria do pessoal só tem inglês em nível próximo do avançado, por isso que é sempre Quebec que tem mais demanda de vagas.

OPORTUNIDADE: Sine disponibiliza 200 vagas de emprego para trabalhadores do interior

FOTO: ASSECOM/SETHAS

O Governo do RN, por meio do Sistema Nacional de Emprego (Sine), vinculado a Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas-RN), está com processo seletivo aberto para 200 vagas de emprego para atendentes de mesa e auxiliares de cozinha. As vagas são destinadas para trabalhadores oriundos do interior do Estado e são para trabalhar na rede de Restaurantes Madero, especializado em sanduíches gourmet, que será inaugurado em Natal, no mês de setembro.

Para concorrer as vagas, os candidatos devem preencher os seguintes requisitos: ter idade entre 18 e 26 anos, o ensino fundamental completo e não podem residir em Natal. Os interessados devem procurar os guichês do Sine-RN, nas Centrais do Cidadão do interior do estado, munidos dos documentos pessoais, carteira de trabalho e comprovante de residência atualizado.

As entrevistas serão realizadas nos seguintes municípios: Mossoró (29/07), Assu (30/07), Caicó (31/07), Currais Novos (01/08), Santa Cruz (02/08), São José de Mipibu (05/08), Serra de São Bento (06/08), João Câmara (07/08) e Macau (08/08).

“Essa é a primeira grande empresa que captamos, mas já estamos trabalhando para que mais vagas sejam disponibilizadas por meio do Sistema. É preciso resgatar a credibilidade do Sine-RN e atrair os empresários para que eles possam utilizar os serviços de intermediação de mão de obra que oferecemos”, explica a subsecretária do Trabalho, Karla Veruska.

Os candidatos selecionados serão encaminhados para treinamento, na sede da empresa em Curitiba, que poderá durar de 30 a 40 dias. A Madero oferece uma série de benefícios como: alojamento (masculino e feminino), três refeições diárias, convênio médico e odontológico e desconto no restaurante.

Mais informações sobre a seleção nos telefones: (84) 3232-7848/7859.

O que é o Sine-RN?

O Sistema Nacional de Emprego (Sine) é o órgão que disponibiliza serviços gratuitos de intermediação de mão de obra, acesso ao seguro desemprego, cadastro dos trabalhadores, captação de vagas de emprego, entrevistas, encaminhamentos, como também ações de qualificação, capacitação e geração de renda.

Atualmente existem 15 postos, sendo quatro em Natal e 11 postos nos municípios de: Assu, Apodi, Caicó, Currais Novos, João Câmara, Mossoró, Nova Cruz, Parnamirim, Pau dos Ferros, Santa Cruz e São José de Mipibu).

Como fazer o cadastro?

O trabalhador, maior que 14 anos, deve procurar um dos guichês do SINE nas Centrais do Cidadão ou a unidade Matriz, situada na Rua Adolfo Gordo, na Cidade da Esperança, em Natal, no horário das 8h às 14h, de segunda a sexta-feira.

Quais documentos são necessários?

Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
Número do PIS/PASEP;
Comprovante de Residência;
Documento de Identidade;
Cadastro da Pessoa Física (CPF);
E-mail.

Como consultar as vagas?

O trabalhador pode consultar as vagas no site www.sine.rn.gov.br, presencialmente nas agências ou pelo portal do Ministério da Economia https://empregabrasil.mte.gov.br/, onde ele deverá fazer um cadastro.

Bolsonaro diz que Polos de Agricultura Irrigada vão gerar emprego

Foto: Arquivo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro comentou nesta sexta-feira (03), em sua conta no Twiter, a portaria do Ministério do Desenvolvimento Regional estabelecendo os Polos de Agricultura Irrigada.

“Nova Portaria 1.082/19 do @mdregional_br gere os ‘Polos de Agricultura Irrigada’ desenvolvendo e aumentando a produtividade. Foco é gerar emprego e renda, alavancar desenvolvimento dos setores produtivos, organizando esforços e investimentos”, escreveu o presidente.

A portaria define Polos de Agricultura Irrigada como aglomerados agrícolas irrigados onde a agricultura irrigada está presente e que tenha potencial de expansão, considerando, especialmente, disponibilidade de água e de solo.

É necessário que exista organização social na área, com associação de irrigantes organizada. As lideranças locais trabalharão em parceria com entidades de ensino e pesquisa, empresas públicas e privadas, bancos de desenvolvimento, entre outros. Os grupos gestores de cada projeto de irrigação usará recursos próprios e parcerias públicas e privadas.

Segundo o ministério, os polos de produção irrigada da Bacia do Rio Santa Maria (Rio Grande do Sul) e do Vale do Araguaia (Goiás) já realizaram a oficina de Planejamento Estratégico. O primeiro alcança cerca de 120 mil hectares nos municípios de Cacequi, Lavras do Sul, Dom Pedrito, Rosário do Sul, São Gabriel e Santana do Livramento.

Já o segundo integra mais de 100 mil hectares nas cidades de Britânia, Jussara, Santa Fé e Montes Claros de Goiás.

Em junho, será instalada a unidade da região de Cristalina (Goiás). Até o fim do ano, há a previsão de que os polos do Oeste da Bahia e o de Sorriso, este em Mato Grosso, também entrem no processo.

Agência Brasil

Jerimum Jobs: Instituto Metrópole Digital da UFRN amplia plataforma que oferece vagas de emprego, estágios e bolsas

Plataforma Jerimum Jobs está acessível a usuários de todo o Rio Grande do Norte – Foto: Ascom IMD

A plataforma Jerimum Jobs, serviço oferecido pelo Parque Tecnológico Metrópole Digital, cujo objetivo é conectar empresas de Tecnologia da Informação (TI) a estudantes e profissionais que atuam na área, acaba de lançar uma nova versão. Voltado para o anúncio de oportunidades de emprego, estágio e bolsas, a ferramenta teve várias mudanças de funcionalidade e expandiu seu raio de alcance, podendo receber inscrições de alunos de todos os cursos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), além de também ficar disponível para estudantes de outras instituições de ensino.

Assim, seu público em potencial se amplia para dezenas de milhares de pessoas e não mais apenas para profissionais de cursos como Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Engenharia de Software e Bacharelado em Tecnologia da Informação – para os quais era dada mais ênfase em um primeiro momento.

Anteriormente, o Jerimum Jobs voltava-se aos estudantes da área de Tecnologia, em especial àqueles matriculados na UFRN. A administração do Parque, no entanto, percebeu a necessidade das empresas de TI em contratar estagiários ou profissionais que não tenham formação na área, mas que são necessários aos seus quadros funcionais. Além disso, a plataforma ainda passa a acolher o cadastro de alunos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) e das unidades do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), entre outras instituições de ensino.

Outros estados

A expansão da plataforma também vai se dar para empresas de fora do Rio Grande do Norte. É que negócios de TI de outros estados do país vão poder anunciar suas vagas de estágio e emprego na ferramenta, desde que tais vagas sejam para atuação no estado. “A ideia, com isso, é expandir as oportunidades, mas ao mesmo tempo manter e atrair os talentos profissionais para o Rio Grande do Norte”, explica o diretor do Parque Tecnológico, Anderson Paiva Cruz.

Ele ainda esclarece que o Jerimum Jobs também aceita o cadastro de empresas que não tenham sua atividade fim voltada para a área de TI, contanto que seu objetivo seja o de disponibilizar vagas nesse campo. Com todas essas diretrizes em mente, a equipe do Parque Tecnológico vem dialogando com coordenadores de cursos da área de TI de outras universidades, com o objetivo de estimular que estudantes de fora da UFRN também adiram à plataforma.

Interatividade

A nova versão da plataforma ainda apresenta funções voltadas para melhorar a interatividade tanto com as empresas como com os candidatos. Uma delas é dirigida aos estudantes da UFRN, que poderão fazer seu cadastro por meio do sistema interno da Universidade, o Sigaa, o que vai agilizar a inscrição no Jerimum Jobs.

E, para o público em geral, a plataforma agora disponibiliza que, ao cadastrar-se, o estudante ou profissional receba notificações sempre que uma vaga em sua área de atuação for lançada. Em contrapartida, as empresas inscritas serão notificadas cada vez que um candidato demonstrar interesse em suas vagas.

“Antes o candidato se cadastrava no Jerimum e não tinha informação nenhuma de quando surgia uma nova vaga em sua área; ele tinha que acessar a plataforma e pesquisar. O grande diferencial técnico foi justamente este: a comunicação do sistema com os candidatos, bem como com as empresas. Nessa versão, candidatos e empresas sempre serão notificados quando novas oportunidades forem cadastradas”, esclarece um dos administradores da plataforma, Danilo Câmara.

Diretoria de Tecnologia da Informação do IMD é responsável pelo desenvolvimento da ferramenta – Foto: Ascom IMD

Ele conta ainda que, semanalmente, os candidatos cadastrados na plataforma receberão uma espécie de agenda da semana, com informações sobre as vagas abertas nos últimos dias, além de uma atualização daquelas que já estavam cadastradas.

Desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) do Instituto Metrópole Digital (IMD), o Jerimum Jobs está em funcionamento desde 2018. Conheça a plataforma acessando aqui o seu endereço eletrônico.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    Independente de qualquer reflexão sobre o ensino superior público e gratuito, parabéns pela plataforma. Parece ser algo realmente útil à sociedade.

  2. Ceará-Mundão disse:

    Nem tudo é marxismo nas universidades públicas. Mesmo assim, há outros aspectos a considerar. A relação custo-benefício é o principal, a meu ver. São caríssimas e produzem relativamente pouco. Também são frequentadas, em geral, por quem poderia pagar por seus estudos. Num país carente de muita coisa e cheio de desigualdades, como o Brasil, representam a melhor opção? Não seria melhor substituí-las por bolsas de estudos (concedidas aos realmente carentes) e financiamentos, aumentando a inversão de recursos no ensino básico e fundamental? E a UERN, que custa caríssimo a um estado pobre? E ensino superior não é obrigação dos estados. Para refletir.

  3. Realista disse:

    UFRN, antro do marxismo cultural, com esse tipo de proposta? Vai "bugar" uns comentadores daqui.

    • Ceará-Mundão disse:

      Os marxistas detestam estudar e trabalhar. Logo, preferem outras áreas da universidade. Se vc for de lá sabe quais cursos e centros são os seus preferidos. Todos sabemos.

    • Curiosa disse:

      Bom mesmo é o Olavismo, um homem que nunca frequentou um dia na sala de aula, mas se diz filósofo e ainda é "Guru"

    • Ceará-Mundão disse:

      A verdade lhe doeu, Curiosa? Foi mal. Rsrsrsrs.

    • Ceará-Mundão disse:

      Só um detalhe, Curiosa: esse tal "olavismo", se é que existe, não custa um centavo sequer a nenhum brasileiro. Já as universidades públicas…

    • Netto disse:

      Brasileiro é muito bacharelista. Herança ibérica.

PL prevê estabilidade no emprego para responsáveis por pessoa com deficiência

Tramita na Câmara dos Deputados, em caráter conclusivo, o PL 10.966/18, que prevê estabilidade no emprego de responsáveis por pessoa com deficiência.

Pela proposta, os pais ou responsáveis legais por pessoa com deficiência não poderão ser despedidos, senão por motivo de falta grave ou circunstância de força maior, devidamente comprovadas.

De acordo com a justificativa do projeto, a perda do emprego potencializa os prejuízos e o desemprego dificulta o suporte dado pelos responsáveis ao filho com deficiência. Para autora, deputada Conceição Sampaio, não se trata de um privilégio, mas sim de uma contrapartida justa ao ônus da inclusão social que os pais, via de regra, assumem sem qualquer auxílio do Estado.

PL 10.966/18
Migalhas

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. djailson disse:

    COM TODO O RESPEITO mas acho que isso vai dificultar a admissão das pessoas nessa situação. Deveria ser assumido pelo estado não pelo empresario

TRT-RN não reconhece vínculo de emprego de motoboy com pizzaria em Natal

O Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) não reconheceu vínculo de emprego de motoqueiro entregador de pizza que prestava serviço em veículo de sua propriedade.

A decisão manteve julgamento anterior da 7ª Vara do Trabalho de Natal.

No processo, o motoboy alegou que trabalhou, sem carteira, para a E C S Silva – ME (Mercatis Pizzaria), de junho de 2016 a março de 2018.

Durante esse período, ele fazia entregas de pizza e diversos tipos de lanche nos bairros da zona norte da cidade. Seu deslocamento era feito em motocicleta própria, sendo que ele arcava com os custos de combustível e manutenção da motocicleta.

O motoboy afirmou, ainda, em sua reclamação que recebia salário mensal da pizzaria no valor de R$ 1.100,00. A empresa não negou a prestação de serviços, mas afirmou que o trabalho se deu por “parceria e de forma autônoma, sem qualquer subordinação”.

O pagamento dos serviços prestados pelo motoboy, segundo a empresa, era feito diariamente, no valor de R$ 8,00 por entrega.

O relator do processo no TRT-RN, desembargador Carlos Newton de Souza Pinto, destacou que a prova juntada ao processo favorece a tese da empresa, “no sentido de que as atividades prestadas pelo reclamante não dão ensejo ao reconhecimento do vínculo de emprego”

Carlos Newton destacou trechos da decisão da Vara, concluindo que, pelo depoimento do ex-entregador, “não havia a vinculação direta do trabalho, haja vista que as entregas poderiam ser feitas por terceiros e que, ao se ausentar por faltas, não teve descontos procedidos pela empresa”.

Para o Carlos Newton, no caso, não ficou provada a “subordinação jurídica, habitualidade e pessoalidade típicas dos contratos de emprego e, nesse diapasão, não se fazem presentes todos os requisitos indispensáveis para a configuração da relação de emprego”.

A decisão da Segunda Turma do TRT-RN foi por unanimidade.

Processo: 0000298-34.2018.5.21.0007

Fonte: Ascom – TRT/21ª Região

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anderson disse:

    FOI COVARDIA!
    AUTOR, POR QUE VOCÊ NÃO DISCUTIU ESTE ASSUNTO COM OS RESPONSÁVEIS PELA PIZZARIA ANTES DE ACEITAR O TRABALHO?

  2. Luciana Morais Gama disse:

    Parabéns a Justiça do Trabalho, realmente fez justiça. ????

  3. Jorge santos disse:

    Esse povo pensa que pode arrancar dinheiro dos empresários de todo jeito, a coisa mudou, a lei agora esta mais rigorosa…

Emprego: Demitido antes de reajuste tem direito a ganhar rescisão maior

Quem foi demitido ou pediu demissão depois da data-base da categoria (data anual de revisão do acordo coletivo), mas antes da concessão do aumento, tem direito a ter sua rescisão recalculada com base no salário reajustado.

A crise e a alta do desemprego acirraram os embates entre empresas e trabalhadores na definição dos valores de reajuste salariais. Com isso, muitos acordos têm saído depois da data-base.

Foi o caso, por exemplo, dos bancários, que aceitaram o reajuste de 8% pouco mais de um mês após a data-base.

No Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região de São Paulo, o maior do país, o número de ações de dissídios coletivos (quando cabe à Justiça resolver impasses entre trabalhadores e empresas) passou de 90, em 2015, para 129, em 2016.

José Carlos Wahle, sócio da área trabalhista do escritório Veirano Advogados, diz que o trabalhador deve estar atento para o período de aviso prévio. Assim, se o empregador comunicou a dispensa a 30 dias ou menos da data-base, o término efetivo do contrato será posterior a ela, o que dá ao funcionário o direito de ter sua rescisão calculada.

Quem tem mais de um ano de casa deve acrescentar ao período de aviso prévio três dias para cada ano trabalhado, respeitando o limite de 90 dias, diz Daniela Yuassa, do escritório Stocche Forbes.

Quem se demite depois da data-base, mas antes do reajuste, tem direito à rescisão complementar independentemente de ter cumprido o aviso prévio ou não.

Se o funcionário não trabalhou o período, porém, o desconto de 30 dias de salário aplicado nesses casos também pode ser corrigido pela empresa, implicando uma redução maior da verba.

JUSTA CAUSA

Só quem é desligado com justa causa antes da data-base não tem aviso prévio, diz Wahle. Nesse caso, ele só tem direito à rescisão reajustada caso tenha sido demitido entre a data-base e o acordo.

Já em relação a bônus e participação nos lucros e resultados (PLR), as regras dependem do acordo coletivo.

O mais comum, segundo Wahle, é que o demitido sem justa causa tenha direito a uma PLR ou bônus proporcionais ao período em que esteve ativo –incluindo o aviso prévio, que conta como tempo de serviço.

Na fábrica da GM de São José dos Campos, por exemplo, os funcionários receberam R$ 7.859 correspondentes à segunda parcela da PLR de 2016. A primeira, no valor de R$ 8.600, já havia sido paga em maio, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos.

Com a divulgação dos balanços anuais dos bancos entre janeiro e março, o sindicato dos bancários vem pressionando as instituições para adiantar o pagamento da PLR, cujo limite definido na convenção coletiva da categoria é 2 de março.

Até agora, a campanha funcionou com o Santander, que antecipou o pagamento da segunda parcela para 20 de fevereiro, e com o Bradesco, que antecipou para sexta (10).

MULTA

Quem perde o emprego a 30 dias da data-base (já contando o período de aviso prévio) tem direito a receber uma multa no valor de um salário.

Assim, caso a contagem de 30 dias a partir da data de comunicação da demissão caia dentro do período de um mês antes da data-base, o trabalhador tem direito a multa.

O empregador só é isento de pagar essa indenização caso o contrato seja rompido com justa causa ou por iniciativa do próprio funcionário, afirma Wahle.

*

ENTENDA

Data-base
Data definida em convenção coletiva entre empresa e sindicato para revisão do acordo, incluindo reajuste salarial

Multa
Quem é demitido sem justa causa durante os 30 dias que antecedem a data-base (contando o aviso prévio) tem direito a receber uma multa no valor de um salário

Rescisão complementar
Diferença entre o que a empresa pagou ao empre-?gado demitido com base no salário pré-acordo e o que ela deveria ter pago com base nos valores reajustados

Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Blue disse:

    Os salários são baixos no Brasil. A CLT é de fundamental importância nessa desigualdade entre empregador é empregado. Precisamos lutar contra a reforma trabalhista e previdenciária.

  2. Luciana Morais Gama disse:

    Tá muito difícil gerar emprego no Brasil.

  3. bueno disse:

    É por isso que esse pais não vai pra frente. É muito direito, muito sindicato enchendo o saco e cada vez mais recai sobre o empregador encargos, taxas, impostos enfim e tome aumento no rabo de quem tenta fazer desse pais um pais melhor. Tomara q um dia entre um caba dos cunhão roxo e mude essa bagunça.

Ministro do Turismo empregou tia da mulher com salário de R$ 19,4 mil

Foto: MF Models Assessoria
Foto: MF Models Assessoria

O atual ministro do Turismo, Alessandro Teixeira, empregou uma tia da mulher, a ex-miss bumbum Milena Santos, como secretária na Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). O órgão está vinculado ao governo federal e foi presidido por Teixeira até o fim da semana passada, quando foi empossado ministro pela presidente Dilma Rousseff. Após ser questionada pelo GLOBO, a ABDI informou que demitiu hoje a servidora.

A tia de Milena é Delfina Alzira da Silva Gutierrez, que ocupou uma função de confiança na ABDI com um salário de R$ 19.488,60. Trata-se de um cargo de assessoramento especial da diretoria de nível 3 (CAE-3). A ABDI é uma caixa-preta no governo e esconde contratações; cargos e funções desempenhadas; salários e diárias pagas a funcionários e diretores.

Teixeira é um nome de confiança de Dilma e coordenou o programa de governo da petista na campanha à reeleição. Um dos próceres do PT gaúcho e aliado de primeira ordem da presidente, chegou a atuar como assessor especial do gabinete presidencial. O economista foi escolhido para ser ministro do Turismo diante da debandada do PMDB, que incluiu ex-titular da pasta Henrique Eduardo Alves.

Apesar da relevância dentro do governo e de ter virado ministro, Teixeira era um servidor dos bastidores. Milena fez o marido sair do quase anonimato ao publicar em sua página no Facebook, na última segunda-feira, um ensaio de cinco fotos dentro do novo gabinete do marido. O ministro aparecia em três das cinco fotos. A ex-miss bumbum usava um decote ousado e escreveu na página social que acabara de se tornar “primeira-dama do Ministério do Turismo”. “Ao lado de um grande homem, existe sempre uma linda e poderosa mulher”, escreveu a modelo, que apagou a página na rede social depois da forte repercussão negativa do caso.

Fonte: O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Edu disse:

    Com essa ai eu empregava minha avó, minha cozinheira, meu papagaio, meu cachorro, etc, etc….

  2. BRUNO disse:

    Acho que não vai da tempo ele receber nem o primeiro salário cheio kkkkkkkk
    #foraPT

  3. Falando Sério disse:

    Virou zona.

  4. Val Lima disse:

    Kkkk…dizer o q??!!

  5. Na bandeira do meu país não existe a cor vermelha disse:

    Essa turma do PT não tem jeito.

  6. Alfredo disse:

    Quando iremos virar um país?

  7. Mortadela no Pão disse:

    Hooooo Cagadorzão

  8. Quem nunca comeu mel, quando come se lambuza! kkkkkkkk

[OPORTUNIDADE] Sine-RN oferece mais 16 vagas de emprego nesta nesta terça-feira (19)

CarteiraTrabalhoEvelsondeFreitasFolha1O Serviço Nacional do Emprego (Sine) oferece nesta terça-feira (19), mais de 16 oportunidades de emprego em Natal e Mossoró.

Para concorrer às vagas, os candidatos devem se cadastrar via Internet no Portal Mais Emprego do Ministério do Trabalho e Emprego no endereço maisemprego.mte.gov.br ou na unidade do Sine Matriz Cidade da Esperança, localizada na Rua Adolfo Gordo, s/n, Cidade da Esperança – Natal-RN no prédio da Central do Trabalhador no horário de 8h ás 16h ou em qualquer agência do Sine nas centrais do cidadão de Natal e no interior.

Os interessados  que não tem cadastro e acesso ao Portal Mais Emprego, podem comparecer as Agências do SINE, com Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), Número do PIS, cédula de identidade (RG),Cadastro de Pessoa Física (CPF) e comprovante de residência. O atendimento é de acordo com os horários das centrais do cidadão e no SINE Matriz Cidade da Esperança no prédio da Central do Trabalhador, das 8h às 16h.