ABIH-RN, CVC e Livelo lançam nova campanha de vendas do destino Rio Grande do Norte

Na última terça-feira, 15 de maio, foi lançada a Campanha da ABIH-RN/CVC LIVELO, uma ação de incentivo de vendas de pacotes turísticos. O lançamento foi marcado por um café da manhã que aconteceu no Teatro Itália, em São Paulo, e contou com a presença do presidente da ABIH-RN, José Odécio Jr, do diretor de Vendas da CVC, Rogerio Mendes, da Gerente CVC de Produtos do RN, Simone Bonilha, e do Gerente de Vendas Canal Multimarcas, Douglas Silva, além dos hoteleiros e representantes comerciais dos hotéis, bem como de agentes de viagens das principais lojas CVC de São Paulo.

A campanha consiste na premiação de pontos LIVELO aos agentes de viagens CVC que venderem pacotes de sete noites para o Rio Grande do Norte. Com início no ultimo dia 15 de maio, ela é válida até o dia 20 de dezembro e será extensiva a todas as lojas CVC Multimarcas, com abrangência nacional, resultado de um investimento de R$136.000,00, feito exclusivamente pela hotelaria.

O Rio Grande do Norte terá exclusividade na campanha de incentivo de vendas durante os primeiros 45 dias da ação. “Essa campanha é mais uma ação de promoção feita pela hotelaria potiguar através da ABIH-RN, e busca fomentar o aumento das vendas de pacotes turísticos para o estado, através de premiação aos agentes de viagens que venderem nosso destino. Tudo isso buscando o fortalecimento da nossa parceria com a CVC “, destacou José Odécio Jr.

Os hotéis que aderiram a campanha foram Aram Natal Mar, Aram Ponta Negra, Bello Mare Comfort, Bello Mare, BWP Majestic Natal, Coral Plaza, Costa do Atlântico, D. Beach Resort, Divi-Divi Hotel, Esmeralda Praia Hotel, Happy Hotel Ponta Negra, Holliday Inn Natal, Imirá Plaza, Marsol, Natal Dunas, Natal Praia Hotel, Ocean Palace, Paradise Flat Hotel Natal, Pontalmar, Porto Suites Natal Hotel, Praia Bonita, Praiamar Express, Praiamar Natal, Rifoles, Safári Hotel, Serhs Natal, Visual Praia Hotel, Wish, Yak Beach Hotel, Acquapipa Resort, Pipa Lagoa, Ponta do Madeiro Hotel e Pousada das Canoas.

No momento também houve uma capacitação sobre o destino, realizada pelo coordenador de guias da Potiguar Turismo, Thiago Dantas. Um momento onde os participantes puderam aprender mais sobre o destino, de uma maneira prática e divertida.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Clewton disse:

    De que adianta investir tanto em turismo, promover o Rio Grande do Norte no Brasil e exterior e não se preocupar com a segurança pública. Atualmente, as pessoas fazem uma pesquisa como está a situação em vários aspectos de cada cidade que pretende viajar.
    Nenhum turista quer ir em outra cidade para morrer, fica a dica.

Pesquisa estuda relação entre profissionais da saúde e mulheres em processo de aborto no Rio Grande do Norte

Foto: Anastácia Vaz

Pilar de uma boa universidade, a pesquisa acadêmica caminha lado a lado com o progresso das sociedades globais. Um dos campos mais beneficiados com as práticas de pesquisa é a saúde. Desde 2013, por exemplo, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio de um projeto de pesquisa aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), estuda a relação entre profissionais da saúde e mulheres usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) durante o processo de aborto em hospitais e maternidades do Rio Grande do Norte.

Quem conduz a pesquisa há cinco anos é a antropóloga e professora Rozeli Porto, atualmente chefe do Departamento de Antropologia da UFRN. Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a professora trabalha com temáticas ligadas à violência contra a mulher e a saúde reprodutiva humana há muitos anos, tendo explorado os temas durante as suas formações de mestrado e doutorado, tanto no Brasil quanto em países europeus como Portugal e Espanha. Em Lages, Santa Catarina, a antropóloga estudou a situação de mulheres grávidas que sofriam agressões e as registravam em delegacias da região. A partir disso, surgiu a ideia de estudar, também, a problemática do aborto.

Realidade brasileira

Uma a cada cinco brasileiras, ao completar 40 anos, terá feito um aborto. Essa é uma das principais conclusões da Pesquisa Nacional do Aborto (PNA), de 2016, conduzida por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB) e do Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero (Anis). O estudo avaliou populações urbanas com rigor científico, utilizando técnicas de urna, o que garante o sigilo das mulheres entrevistadas e a precisão dos dados coletados.

No Brasil, o aborto é legalizado em casos de violência sexual e de risco de vida para a gestante. Desde 2012, a antecipação terapêutica do parto pode ser solicitada em casos onde o feto apresenta condição de anencefalia. Contudo, independentemente da legalidade da prática, a pesquisa conduzida pela professora Rozeli Porto identificou, dentro da amostra estudada, que os procedimentos de interrupção da gravidez e a relação dos profissionais da saúde como as mulheres em processo abortivo são complexos e exigem reflexão.

Pesquisa no Rio Grande do Norte

Uma das principais causas de uma necessária reflexão sobre os procedimentos de atendimento de mulheres em interrupção de gravidez são os valores morais, filosóficos e religiosos que os profissionais da saúde carregam. No entanto, como explica a antropóloga Rozeli Porto, os problemas não estão só no campo ideológico. “O SUS é um sistema impressionante, o projeto é maravilhoso e funciona, mas também tem problemas. As condições de atuação dos profissionais da saúde não são fáceis. Eles têm uma vida árdua, são mal remunerados, muitas vezes possuem mais de um emprego e precisam lidar com situações muito intersubjetivas que são os seres humanos e as suas doenças. Tudo isso, além das motivações religiosas e de cunho pessoal, deve ser levado em consideração na dificuldade que alguns deles têm com a questão do aborto”, afirma a professora.

Foto: Wallacy Medeiros

Realizada no Hospital Dr. José Pedro Bezerra e na Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC), em Natal, além de postos de saúde e arredores na região de Caicó, cidade localizada no interior do Rio Grande do Norte, a pesquisa da UFRN contou com a participação de 50 mulheres. “Nosso campo de atuação não ficou só por aí, pois quando as pessoas sabem que você está fazendo pesquisa, outros casos começam a surgir. Algumas outras mulheres vieram nos procurar para falar sobre as experiências. Entrevistamos também diversos profissionais da saúde e, não só eles, como funcionários responsáveis pela limpeza e vendedores que trabalham nos entornos do hospital, da maternidade e dos postos de saúde”, explica a pesquisadora.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcio França disse:

    Pesquisa com total viés pró aborto………provavelmente cheia de dados duvidosos.

Potencial energético do Rio Grande do Norte continua em expansão

Em janeiro de 2017, o Rio Grande do Norte possuía 122 parques eólicos em operação, gerando 3.311,6 MW. Contava com outros 16 parques em construção, programados para gerar 417 MW e, aguardando o início das obras, porém com contratos firmados, 38 novos parques.

Em janeiro de 2018, as usinas de geração chegaram a 131 parques em operação, gerando 3.552,7 MW, enquanto havia 21 em construção (com expectativa de produção de mais 507,9 MW).

Em 1º de maio, o Rio Grande do Norte contabilizará 136 parques eólicos, gerando 3.678,9 MW.

O crescimento constante da produção de energia a partir das eólicas no Estado mostra que ainda há espaço para investimentos no setor, a partir dos leilões realizados pela Aneel. Quanto à produção de energia fotovoltaica, os quatro primeiros parques entraram em operação no final do ano passado; mas, há dezenas de projetos licenciados que deverão concorrer no próximo leilão de compra de energia.

Na avaliação do Coordenador da Secretaria de Desenvolvimento Econômico-Sedec, Josenilson Araújo, os números confirmam que, apesar da crise econômica nacional, os investimentos em projetos de produção de energia limpa no Estado continuarão em expansão nos próximos anos.

Após matar comparsas no Ceará, membros do PCC pousaram aeronave no RN para se desfazer de provas

por Dinarte Assunção

Paca e Gegê foram assassinados no Ceará

 

A inteligência da polícia em São Paulo já tem o itinerário do plano que resultou na morte de dois membros do PCC no Ceará, no início da semana e ele passa pelo Rio Grande do Norte, informou Marcelo Godoy, no Estadão.

Na cadeia de comando, o número dois do PCC está detido em Mossoró.

Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, foram mortos em Alquiraz. Um bilhete escrito por Marcola, comandante do PCC, a partir da penitenciária de Venceslau (SP) e apreendido pelas autoridades, é a evidência mais latente que se trata de acerto de contas.

Os dois assassinados são apontados pelos próprios comparsas como autores de desvios de R$ 20 milhões do PCC.

Ambos, Paca e Gegê, fretaram um ônibus para levar os familiares até Fortaleza. Na sexta (16), se despediram dos familiares – que apanharam o ônibus – e embarcaram em um helicóptero.

A aeronave havia saído de São Paulo, levando pelo menos cinco homens. O piloto seria conhecido como Felipe. Os demais integrariam a facção. A inteligência da polícia acredita que o grupo partiu para o Ceará já com a missão dada pela cúpula para matar os chefes.

Depois do embarque em Fortaleza, o helicóptero pousou, por volta das 10 horas, em Alquiraz, onde os dois foram executados. Gegê e Paca levaram tiros no rosto e facadas nos olhos. Era um recado: demonstraram ter olho grande demais.

A mesma aeronave e que é blindada, suspeita a polícia, iria ser utilizada para resgatar Marcola da Penitenciária de Venceslau em outra oportunidade.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio Freire disse:

    Alguém precisa fazer algo pela segurança pública . o Estado vergonhosamente perdeu a guerra. E a sociedade trancafiada em suas casas assistindo as autoridades querendo resolver o assunto através de entrevista na televisão. É mole?

Como a intervenção no Rio pode ajudar o Rio Grande do Norte

por Dinarte Assunção

A intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro não ficará circunscrita aos limites fluminenses. A repercussão do caso é nacional e pode ter implicações favoráveis para o Rio Grande do Norte.

É bem improvável que a intervenção se replique a outras unidades da federação, haja vista a dureza do decreto intervencionista ter sido concebida justamente para desestimular governadores de pedir ajuda nesse sentido. Entretanto, os efeitos colaterais tendem a ser benéficos a curto e médio prazos.

Com a impossibilidade da reforma da previdência ser votada em face do decreto de intervenção, a pauta do Congresso Nacional passa a ser prioritariamente segurança pública.

É nesse ponto que podemos ser favorecidos.

Com o assunto alçado à pauta de primeira ordem, o Estado, através de sua bancada e governador, terá mais chances de verem concretizadas as gestões feitas sobre os pedidos de segurança.

A partir de agora, o Congresso Nacional não passará apenas a tratar da intervenção no Rio, mas a analisar também assuntos correlatos que afetem o tema segurança pública como um todo.

Além disso, o Rio Grande do Norte recentemente teve operação militar para garantia de lei e de ordem, medida menos extrema que a do Rio, ou seja, o Estado já está no radar do Planalto no tema segurança pública.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Neto disse:

    Extremamente sensato! Que a bancada da bala arroche para os vagabundos!
    Precisamos de penas maiores e mais presídios

FOTOS: PRF inaugura Unidade Operacional no Rio Grande do Norte

Com discurso de investimento e fortalecimento das estruturas de fiscalização no nordeste, o Diretor-Geral da PRF inaugurou na sexta-feira, 26 de janeiro, a nova Unidade Operacional da PRF em Mossoró, Rio Grande do Norte. A nova UOP substituirá a antiga que funcionava em trecho 10 km distante desta nova e tinha estrutura ultrapassada e que não era suficiente para a demanda e atribuições da PRF.

A cerimônia, acompanhada também pelo Corregedor-Geral da PRF, Célio Constantino, pelo Assessor Nacional de Comunicação Social, Diego Brandão, e pelo Superintendente Regional da PRF no Rio Grande do Norte, Marcelo Montenegro, foi marcada também por homenagem ao PRF Francisco de Freitas Nogueira, falecido em acidente com viatura policial. Além da unidade ganhar o nome de Unidade Operacional Francisco de Freitas Nogueira, houve homenagem durante descerramento de placa de inauguração à esposa e filho do policial, presentes na cerimônia.

De acordo com Renato Dias, “a inauguração é importante pois mostra a intenção da PRF e do Governo Federal em investir ainda mais na segurança na região nordeste do país”. O Diretor-geral reforçou em seu discurso a necessidade de mobilização e consciência de todos para a valorização das forças policiais.

O Superintendente regional da PRF no RN, Marcelo Montenegro reforçou a mensagem do Diretor-Geral, enfatizando que “as questões de efetivo e infraestrutura são lutas constantes e diárias para a administração e que temos vencido, com paciência e profissionalismo”.

Ministério da Justiça enviará reforço da Força Nacional ao Rio Grande do Norte

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, autorizou o envio de mais 70 profissionais da Força Nacional a Natal (RN). A viagem do grupo deve acontecer ainda nesta quinta-feira (21).

“O governo federal tem um compromisso inadiável de auxiliar os entes federados quando se faz necessário, por isso atendemos a uma solicitação do governo do Rio Grande do Norte e determinamos um reforço imediato na operação que a Força Nacional desenvolve no estado desde fevereiro”, explica Jardim.

A aeronave com as equipes tem decolagem prevista para o início da noite, na base aérea de Brasília (DF), com destino à de Parnamirim (RN). O transporte da tropa deve acontecer em um modelo Hércules C-130, da Força Aérea Brasileira.

“Esse efetivo extra deve se somar aos cerca de 120 homens e mulheres que já atuam em apoio aos órgãos policiais e de perícia potiguares”, informa o secretário nacional adjunto de Segurança Pública, Alexandre Mota.

Além da Força Nacional, o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJ) mantém em Natal, desde janeiro, a Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária, coordenada pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen/MJ), em apoio ao sistema prisional do estado. As duas ações no RN fazem parte do Plano Nacional de Segurança Pública.

Coordenada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp/MJ), a Força Nacional de Segurança Pública é um programa de cooperação federativa de auxílio à segurança pública em qualquer ponto do país. Atualmente, a Força desenvolve 16 operações em 10 estados.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roberto disse:

    É muita sacanagem com o povo Brasileiro, mandar 200 homens da força nacional pro RN, só de diárias com esses 200 homens por dia é 40 mil reais.

  2. Flávio Andrade disse:

    Setenta???!!!! É um exagero. Falando sério é uma brincadeira. Não dá nem para um bairro de Natal, Avali pra todo o estado.

MPF reforça combate à corrupção no Rio Grande do Norte

Procuradores da República que atuam no estado acompanham mais de 2 mil procedimentos judiciais e extrajudiciais que tratam de improbidade administrativa

Manus, Alcmeon, Lavat, Kodama, Anjo Mau. Esses são os nomes de algumas das operações de combate à corrupção promovidas neste ano de 2017 pelo Ministério Público Federal (MPF) no Rio Grande do Norte e representam, em geral, a imagem mais conhecida do trabalho da instituição no combate aos desvios de recursos, mau uso do dinheiro público e outras ilicitudes semelhantes. Porém o trabalho dos procuradores da República no estado não se resume a essas operações.

Com unidades em Natal, Mossoró, Caicó, Assu e Pau dos Ferros, o MPF acompanha somente no Rio Grande do Norte 1.511 procedimentos extrajudiciais e 779 judiciais que tratam de casos de improbidade administrativa. O estado também foi o primeiro a contar com um Núcleo de Combate à Corrupção e Outros Ilícitos (NCC), criado em 1º de junho de 2007, e que garantiu desde então maior rapidez no ajuizamento de ações criminais e da área de improbidade administrativa.

Dos 18 procuradores da República que atuam no Rio Grande do Norte, 14 trabalham junto ao NCC investigando irregularidades (crimes ou atos de improbidade administrativa) que envolvam órgãos e verbas públicas federais, tanto na capital, quanto em todo o interior. Quaisquer denúncias ao MPF podem ser feitas presencialmente, nas unidades, ou pelo site http://www.mpf.mp.br/para-o-cidadao/sac .

Para o chefe do NCC, o procurador da República Fernando Rocha, o combate à corrupção no MPF vem sendo incrementado a cada ano, seja pelas experiências dos anos anteriores, bem como pelo aprimoramento das técnicas especiais de investigação, com destaque para a boa utilização da colaboração premiada.

“Também temos contado com valorosas ferramentas de banco de dados obtidas a partir de cooperações com outros órgãos que auxiliam na análise e nas investigações criminais, aliadas ao estreitamento das relações com instituições que igualmente fazem investigações como PF, CGU, MPE, TCU, TCE e RF. Por fim, deve ser destacada a sensibilidade que alguns juízes federais vêm tendo em ações que envolvem atos de corrupção no RN, dando a celeridade devida, as medidas cautelares exigidas e as condenações pertinentes”, destaca.

Operações – Dentre as grandes ações realizadas pelo MPF ao longo do ano, junto com a Polícia Federal e outros órgãos de fiscalização, destacaram-se operações como a Manus, que resultou na prisão do ex-ministro e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (em 6 de junho), já denunciado por recebimento de propinas em troca de favorecimento a empresas de construção civil, junto com o também ex-deputado Eduardo Cunha.

Desdobramento dessa operação, a Lavat ocorreu em 26 de outubro e teve como alvo ex-assessores de Henrique Alves, que ajudavam o ex-ministro em práticas ilegais – como a “lavagem” do dinheiro proveniente das propinas – e contou com o cumprimento de mandados de prisão temporária, busca, apreensão e conduções coercitivas.

Ainda antes, no final de agosto, foi deflagrada a Operação Alcmeon, que desarticulou um grupo envolvido na compra e venda de decisões judiciais no Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), com participação do ex-desembargador federal Francisco Barros Dias, que também foi denunciado por atuar irregularmente junto ao mesmo tribunal, após sua aposentadoria.

Logo depois, em 12 de setembro, a Operação Kodama cumpriu mandados de busca e apreensão em Natal, Ceará-Mirim, Goianinha e Tibau do Sul para obter mais informações contra o esquema de irregularidades que envolvia a Superintendência do Ibama no Rio Grande do Norte, a cargo de Clécio Antônio Ferreira dos Santos (afastado por decisão judicial). A suspeita é de que ele tenha beneficiado irregularmente empresas de pescado e de turismo.

Já a Operação Anjo Mau, deflagrada em 17 de maio, desarticulou um grupo que vinha fraudando benefícios do INSS e que contava com servidores do próprio órgão. Eles forjavam relações trabalhistas inexistentes e também pericias médicas para assegurar o desvio de recursos da Previdência Social.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. brasil colônia desde 1500 disse:

    investigar e denunciar não adianta se não condenar e tirar a liberdade por muito tempo! Pelo contrária, isso desmoraliza o sistema criminal que já é desacreditado por ter muitos benefícios para infratores quando deveria PUNIR!

  2. !! disse:

    Como combater se os políticos corruptos continuam soltos e em suas funções?

Ativo de Guamaré recebe todo petróleo explorado no Rio Grande do Norte

Região é uma das mais importantes do Nordeste para Petrobras e produz gasolina e querosene de aviação produzidos no estado

O ativo de Guamaré, localizado na costa branca do Rio Grande do Norte, é um dos mais importantes para Petrobras no Nordeste em termos de volume de óleo e água tratada. Toda produção dos campos marítimos e terrestres do estado é escoada para Guamaré. A Refinaria Potiguar Clara Camarão (RPCC) e a Unidade de Tratamento e Processamento de Fluidos (UTPF) da Unidade Operacional do Rio Grande do Norte e no Ceará compõem o Ativo Industrial de Guamaré e fazem parte do complexo industrial que também abriga o Terminal Aquaviário de Guamaré (Transpetro), a base da Petrobras Distribuidora, além do Centro de Defesa Ambiental (CDA) e do Parque Eólico de Mangue Seco. A RPCC produz toda gasolina consumida no Rio Grande do Norte e o querosene de aviação distribuído para o mercado potiguar e cearense.

O gerente geral da Unidade Operacional da Petrobras no Rio Grande do Norte e no Ceará, Tuerte Amaral Rolim, explica que a integração da Refinaria Potiguar Clara Camarão ao ativo de Exploração e Produção vai otimizar a estrutura e o processo industrial no polo. “Nada muda na RPCC e na operação da Petrobras no Rio Grande do Norte. O que muda é o modelo de gestão. Não teremos demissões e a refinaria não foi rebaixada. Agora vamos trabalhar com um processo integrado entre as duas áreas, o que vai aperfeiçoar a estrutura, reorganizar os processos e tornar o negócio mais eficiente”, enfatizou durante visita de jornalistas ao Ativo Industrial de Guamaré realizada nesta sexta-feira (1º/12). A RPCC vai manter sua capacidade de processar até 45 mil barris de petróleo por dia. Só neste ano, a refinaria bateu dois recordes de produção de QAV. Atualmente, a unidade tem capacidade de atender a uma demanda de 21 mil m3/mês de querosene de aviação, considerando a qualidade exigida para a comercialização deste derivado.

Durante a visita ao Ativo Industrial de Guamaré, Tuerte ressaltou ainda que a Petrobras mantém uma consolidada infraestrutura no estado, responsável pela exploração e produção de petróleo e gás em 66 concessões em terra e 12 no mar. “A produção no Rio Grande do Norte é de 48 mil barris de petróleo por dia e de 930 mil metros cúbicos de gás diários. No mar, temos 29 plataformas ligadas por dutos submarinos. Em terra, temos 5 mil poços e 130 estações de coleta que enviam o óleo e gás para 2 mil quilômetros de oleodutos e gasodutos até o Polo Industrial de Guamaré”, dimensionou.

Rolim destacou também a permanência da companhia no estado e o investimento de aproximadamente R$ 800 milhões previstos para o Rio Grande do Norte este ano, conforme o Plano de Negócios e Gestão 2017-2021. “Só em 2017 a companhia está investindo R$ 453 milhões em projetos de injeção de água e vapor em Ubarana, Estreito e Alto do Rodrigues. No custeio, foi aplicado em 2017 a cifra aproximada de R$ 1,65 bilhão nas atividades de produção de petróleo no RN”, explicou o gerente da Petrobras.

Saiba mais sobre o ativo de Guamaré

No ativo, são realizadas as etapas de tratamento do óleo e processamento do gás, que chegam por meio de gasodutos e oleodutos. Todo o gás é conduzido à estação de compressão de coleta e segue para processamento na Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN-III) para extração do gás liquefeito de petróleo (GLP), do líquido de gás natural (LGN) e do gás industrial. Já o petróleo bruto passa pelo processo de separação com a finalidade de extrair a água produzida em conjunto com o petróleo e recuperar o gás natural remanescente. A fase seguinte é o tratamento térmico do óleo, para especificá-lo. Após esse processo, o petróleo é transferido para RPCC, onde são produzidos combustíveis como diesel, querosene de aviação, gasolina, diesel marítimo e óleo combustível.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz Carlos disse:

    Faltou o gerente geral, Turte , dizer que todos os Campos marítimos e mais da metade dos terrestres estão colocados venda, pelo governo golpista de Michel Temer. Com isso causando um golpe mortal nessa integração de atividades que ele fala na matéria e causando sérios prejuízos econômicos ao RN.

  2. Carlos disse:

    Achei bastante interessante a notícia, principalmente por ficar sabendo que TODA a gasolina consumida no estado, é produzida na Refinaria Clara Camarão e mesmo assim temos a gasolina mais cara do nordeste. Em uma viagem recente até o estado de Pernambuco, encontrei gasolina R$ 0,30 mais barata que em Natal.

    • Luiz Carlos disse:

      Isso aí você pode debitar na ambição dos donos de postos, e na "fraqueza "dos órgãos fiscalizadores.

Petrobras garante investimentos e permanência no Rio Grande do Norte

O gerente geral da Unidade Operacional da Petrobras no Rio Grande do Norte e no Ceará, Tuerte Amaral Rolim, garantiu a permanência da companhia no RN e o investimento de R$ 800 milhões previsto para o estado este ano, conforme o Plano de Negócios e Gestão 2017-2021. As afirmações foram proferidas durante audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, realizada nesta quarta-feira (8), em Brasília, que debateu recentes ajustes internos no processo de gestão da Refinaria Potiguar Clara Camarão (RPCC).

Tuerte também esclareceu que a mudança na refinaria, cuja gestão passou para a área de Exploração e Produção, não acarretará demissões, nem diminuição na capacidade de produção de derivados de óleo e gás. “Nada muda nas instalações da RPCC e na operação da Petrobras no Rio Grande do Norte. O que muda é o modelo de gestão. Trabalhávamos com um processo integrado entre duas áreas. Agora, a Petrobras vai colocar a refinaria sob uma única gestão, otimizando a estrutura, reorganizando os processos e tornando o negócio mais eficiente”, explicou.

O gerente lembrou ainda que a Petrobras mantém robusta e consolidada infraestrutura no estado, responsável pela exploração e produção de petróleo e gás em 66 concessões em terra e 12 no mar, através de 29 plataformas ligadas por dutos submarinos, 5 mil poços e 130 estações de coleta que enviam o óleo e gás para 2 mil quilômetros de oleodutos e gasodutos até o Polo Industrial de Guamaré”, dimensionou.

 

Refinaria Potiguar Clara Camarão mantém capacidade de produção no Rio Grande do Norte

A Petrobras iniciou, no final do último mês, processo de reestruturação das unidades operacionais da companhia, que prevê ajustes internos nas áreas operacionais de Exploração e Produção e de Refino e Gás Natural. A Refinaria Potiguar Clara Camarão (RPCC), localizada no município de Guamaré, no Rio Grande do Norte, faz parte deste processo. A RPCC, hoje integrada ao ativo Industrial de Guamaré, manterá a capacidade de produção e continuará produzindo derivados e atendendo ao mercado potiguar. Não haverá demissões em função da reestruturação das áreas operacionais. O novo modelo de gestão reduz a complexidade operacional, otimiza custos e contribui para a eficiência do negócio, agregando valor e maior solidez à RPCC.

Os recordes de produção de querosene de aviação (QAV) obtidos em janeiro (18.323 m3) e setembro de 2017 (19.841 m3) reforçam o compromisso da Petrobras na otimização dos seus processos e ganhos de produção, premissas que não se alteram com a reestruturação interna da companhia.

O objetivo da reestruturação da Petrobras é adequar a estrutura e a gestão à visão e objetivos estabelecidos no Plano de Negócios e Gestão 2017-2021, dando mais competitividade à companhia. A iniciativa dá continuidade ao projeto de reestruturação da Petrobras, iniciado em 2016, quando os cargos gerenciais das áreas administrativas foram reduzidos em aproximadamente 40%. A economia estimada com essa nova fase é de R$ 35 milhões por ano para a companhia.

Detran abre Semana Nacional de Trânsito no Rio Grande do Norte

Foto: Edivan Jr.

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) abriu oficialmente na tarde dessa segunda-feira (18), a Semana Nacional de Trânsito (SNT), que neste ano trabalha o tema: Minha escolha faz a diferença no trânsito. A solenidade de abertura da SNT aconteceu no pátio do Natal Shopping, onde foi montada uma exposição abordando a temática da educação no trânsito, e reuniu representantes do Detran, PRF, CPRE, STTU, DER-RN, CBTU, Sest/Senat, Hemonorte e Samu.

Na ocasião, a SNT foi aberta pelo diretor geral do Detran, Júlio César Câmara, que em sua fala ressaltou a importância do trabalho continuado de educação e conscientização das regras legais de tráfego junto a todos os agentes que fazem parte do trânsito, seja ele condutor, motociclista, ciclista ou pedestre. O diretor apontou a relevância de todas as entidades ligadas a área de tráfego trabalharem integradas com o intuito de preservar vidas no trânsito. “Nossa missão é construir um trânsito cada vez mais seguro e humano sempre tendo em primeiro lugar o objetivo de salvar vidas, pois esse é o bem mais precioso do homem”, comentou.

O diretor Júlio César aproveitou ainda a oportunidade para informar sobre a modernização que vem passando o Detran no sentido da descentralização, agilidade e transparência nos serviços oferecidos à população pelo órgão de trânsito estadual. Entre outros benefícios citados pelo diretor foram apontados a implantação do teste prático de direção veicular monitorado por sistema de câmeras, o agendamento online de vistoria veicular, a criação de novas Ciretrans e a entrega no mesmo dia da Carterira Nacional de Habilitação (CNH). “Em apenas 1h30 o Detran emite e entrega a CNH ao usuário que veio renovar ou tirar a primeira habilitação. No Brasil, esse tipo de entrega no mesmo dia só acontece no Detran do Rio Grande do Norte”, informou.

No RN, o Detran segue com outras atividades relacionadas a Semana Nacional de Trânsito (SNT) até o próximo dia 25. Este ano, o tema da SNT determinado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) é “Minha escolha faz a diferença no trânsito” e vem com o objetivo de alertar condutores, ciclistas, passageiros e pedestres sobre a importância e a valorização de cada um para a construção de um trânsito seguro e mais humano.

A SNT é prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e tem a finalidade de conscientizar a sociedade para a criação de um ambiente favorável de valorização da vida, focando o desenvolvimento de valores, posturas e atitudes, no sentido de garantir a segurança e o direito de ir e vir dos cidadãos no trânsito.

 A programação completa da SNT pode ser acessada AQUI.

Estudo aponta crescimento da economia no Rio Grande do Norte

Com um bom desempenho na agropecuária, indústria e serviços, o Rio Grande do Norte tem perspectivas positivas de alcançar o terceiro maior Produto Interno Bruto (PIB) da região Nordeste em 2017, ficando atrás apenas dos estados do Maranhão e do Piauí. A projeção faz parte do estudo “Mapa da Recuperação Econômica”, do banco Santander e divulgado pelo jornal “Valor Econômico”. Segundo levantamento, o PIB do RN pode ficar em 0.5% este ano.

“A perspectiva desse estudo é um alento diante da maior crise econômica que vivemos no Brasil e com reflexos severos no RN. Os dados mostram que o estado começa a esboçar uma reação de crescimento da atividade econômica mesmo com o cenário atual. Não estagnamos e vamos seguir trabalhando para o crescimento de todas as atividades dentro do Estado”, destacou o governador Robinson Faria.

Entre os setores que foram analisados na pesquisa, a agropecuária puxou o crescimento com maior percentual dos três itens analisados, apresentando 4.4%.

AGROPECUÁRIA

Segundo o titular da secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), Guilherme Saldanha, o governo tem apoiado o setor em várias vertentes, como melhoria da infraestrutura e atração de novas empresas agropecuárias. “Também estamos discutindo a desburocratização do licenciamento ambiental e isso também facilita novos investimentos e financiamentos, em especial para micro, pequenos e médios produtores”, acrescentou.

Além dos fatores citados por Saldanha, o governo segue investindo em legislações adequadas para cadeia do leite/queijo e a carcinicultura, em pequenos produtores e as atividades de pecuária, bem como a agricultura irrigada e beneficiamento de produtos agrícolas, investindo mais de R$ 35 milhões através do programa Governo Cidadão, por meio do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial.

SUBSÍDIOS

Segundo melhor percentual, a indústria apresentou 0.6%. No RN, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Flávio Azevedo, destacou três ações de incentivo do governo que subsidiam essa expectativa de crescimento. “Embora todos os estados possuam programas de incentivo, nosso diferencial é a agilidade no processo de resposta. A concessão do Proadi, por exemplo, passa por diversas pastas, mas trabalhamos de forma colaborativa o que gera celeridade na liberação. O RN Gás Mais é o único programa do tipo no Nordeste, aliviando o gasto das empresas com o custo da energia. Soma-se a eles, a facilitação do licenciamento ambiental por meio do Idema, o que dá agilidade na instalação das indústrias e/ou empresas”, disse o secretário.

O Proadi é considerado o maior projeto de incentivo fiscal às indústrias que se instalam no estado. A iniciativa oferece redução no valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na parcela recolhida ao Estado. Atualmente, mais de 100 empresas dos mais variados segmentos são beneficiadas e geram aproximadamente 30 mil empregos diretos no RN. Outro incentivo oferecido pelo Governo do Estado é o RN Gás Mais, que tem como objetivo fomentar a atividade industrial, com tarifa diferenciada no consumo de gás natural para as empresas que se instalem no interior do estado ou nos Distritos Industriais, inclusive em Natal.

SAÍDA DA CRISE

Especialista em Economia e chefe da Unidade Estadual do IBGE no RN, José Aldemir Freire reforça que os números, ainda que caracterizados como uma estimativa, devem ser comemorados. “Os dados apontam que o estado, mesmo não como um todo, já apresenta índices positivos, ou seja, caminhamos para uma saída dessa crise”. Ele lembrou, ainda, que segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de janeiro a julho deste ano, o setor de serviços registrou aumento de 0.3% em se comparado a igual período de 2016.

Serviços foi o terceiro item analisado pelo estudo “Mapa da Recuperação Econômica”. Nele, o Rio Grande do Norte apresentou a expectativa de crescimento girando em torno dos 0.3%. O setor engloba as atividades como o Turismo, entre outros serviços. “Os números corroboram com a política que foi adotada desde o início da gestão de apoiar e desenvolver o turismo como nunca antes visto na história do RN”, pontuou o titular da secretaria de Estado do Turismo (Setur), Ruy Pereira Gaspar.

Segundo o gestor da Setur, o Rio Grande do Norte registrou no mês de agosto o crescimento de 13,5% no volume de turistas. De janeiro a agosto o percentual foi de 8%, o que injetou na economia mais de R$ 300 milhões se comparado ao mesmo período do ano passado.

“Em meio aos muitos problemas que temos enfrentado – na segurança e na economia, com queda de receitas – surge uma primeira luz no fim do túnel. O índice mostra que estamos em melhor situação do que a Paraíba, Pernambuco, Bahia, Sergipe e Alagoas na projeção do PIB. Estamos empatados com o Ceará e só perdemos para Maranhão e Piauí, que estão vivendo um grande momento pela expansão da soja. É alentador saber que as nossas escolhas, de incentivar o turismo, a indústria, a fruticultura e o camarão, para gerar emprego e combater a crise foram acertadas” finalizou o governador Robinson Faria.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Darwin disse:

    Deve ser apenas um "Percepção", assim como a violência!!

  2. Rival disse:

    Crise que crise? ela só está afetando a mim e meus companheiros que ainda não sabemos o que é o salário de agosto, pois todo mês temos que pagar ao banco os juros referente as contas pendentes. E se existe crise os bancos são os que faturam com isso.

  3. Helio Motta disse:

    Se entregar a pesquisa a FECOMERCIO estaremos maiores que a China.

  4. Netto disse:

    Terceiro maior PIB do NE ou (vá lá que seja) terceiro maior CRESCIMENTO DO PIB do NE?
    Amadorismo.

Petrobras oferece 14 vagas de estágio no Rio Grande do Norte

Começam no dia 25 de maio as inscrições para o Programa de Estágio de Estudante Petrobras 2017. No Rio Grande do Norte a Petrobras oferece seis oportunidades, sendo três para nível técnico e 11 para nível superior, as bolsas variam entre R$ 563,63 e R$ 1.646,56.O recrutamento e a seleção serão executados em conjunto com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) e o prazo final para inscrição é 6 de junho.

“Os estagiários oxigenam os ambientes e contribuem bastante para a companhia. É muito interessante ver que aprendem conosco também. Todos ganham com esse processo”, avalia o gerente executivo de Recursos Humanos, José Luiz Marcusso.

No total, a Petrobras está oferendo 340 oportunidades de estágio para todo o Brasil. Informações mais detalhadas sobre o processo estão disponíveis no edital do processo de recrutamento e seleção na página da Petrobras (www.petrobras.com.br) e na do CIEE (www.ciee.org.br), onde as inscrições podem ser efetuadas.

O processo oferece oportunidades de estágio para diversas formações de níveis médio, técnico e superior, distribuídas pelas unidades da companhia, em várias cidades do país. Os candidatos deverão optar, no ato da inscrição, pela localidade e formação para as quais desejam concorrer, sendo somente possível uma inscrição por CPF.

Seleção e contratação

Todos os candidatos inscritos serão submetidos à prova on line de conhecimentos. A avaliação será composta de 45 questões objetivas, sendo 15 de Língua Portuguesa, 15 de Raciocínio Lógico e 15 de Conhecimentos Gerais. A previsão é que os resultados finais estejam disponíveis nos sites da Petrobras e do CIEE no dia 18/07. Farão parte do cadastro os candidatos aprovados dentro das classificações abrangidas por até 10 vezes o número de oportunidades de estágio oferecidas por localidade e formação.

Carga horária e bolsas

A carga horária do estágio poderá ser de 20 ou 30 horas semanais (condicionado aos requisitos dispostos em cada oportunidade). Confira a tabela abaixo para saber sobre valores de bolsas oferecidas aos estagiários. A Petrobras também fornecerá transporte diário, assim como auxílio alimentação no valor de R$ 550,70 (apenas se não existir restaurante nas instalações da unidade).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Esdras Alves Alcantara disse:

    Busco trabalho e crescer junto com a empresa

UERN, um patrimônio do Rio Grande do Norte

Por Bruno Barreto, diretor da Agência de Comunicação da UERN

Muito se fala sobre a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), mas pouco se conhece a respeito da real importância dela na nossa sociedade. E de forma equivocada tem se apresentado valores sobre suas despesas que não são verídicas.

A UERN é uma instituição pública de ensino superior de baixo custo para as finanças do Estado, se analisarmos friamente os números veremos o tamanho do retorno.

Praticamente 100% dos professores da rede pública do Estado que atuam nas regiões do Oeste, Alto Oeste, Vale do Açu São formados na UERN. Isso sem contar que a Universidade está instalada em regiões carentes como a Zona Norte de Natal. São 12.652 alunos, sendo 70% deles de origem humilde beneficiados por cotas sociais. Além disso, 5% das vagas são destinadas para pessoas com deficiência.

Que universidade privada conseguiria se dispor a formar professores de História, Geografia, Matemática, Física e Química? Sem a UERN, uma empresa privada, que, legitimamente, visa o lucro, vai bancar cursos deficitários?

“Ah, mas 30% dos alunos da UERN são de outros Estados”, diria o crítico. Primeiro não são 30%, mas 15% de estudantes de outros Estados. Existem alunos do Ceará e da Paraíba por lá, da mesma forma que existem discentes potiguares na UECE e UEPB. Estamos numa sociedade que permite ao cidadão o direito de se mudar e tentar a vida em outro estado. Sem contar que muitos deles fixam residência nas cidades onde fazem faculdade, foi o que aconteceu comigo, inclusive. Mas tudo isso é caro e o Estado não tem condições de manter, alega o cidadão desinformado que não vai com a cara da UERN. Mais caro é aumentar o déficit de médicos e professores que tanto prejudica a nossa sociedade.

E se compararmos com a UEPB (uma universidade estadual com autonomia financeira), por exemplo, veremos como a UERN não é tão cara como dizem. Num levantamento sobre a folha de pagamento (sem incluir os aposentados) entre 2008 e 2015, identificamos uma universidade estadual no RN com média de R$ 45 milhões a menos que a sua congênere paraibana. Ou seja, a folha de pagamento da UERN é menor do que a da UEPB cerca de R$ 45 milhões por ano.

A folha de 2015 foi de R$ 180 milhões na UERN e R$ 225 milhões na UEPB.

Em 2016, o impacto da UERN foi insignificante no orçamento do Estado. O Governo teve R$ 8.904.481.133,49 em despesas.

Desse montante, R$ 21.514.017,77 foram usados para o custeio da Universidade. Isso representa o modesto percentual de 0,2% das despesas do Rio Grande do Norte. As despesas totais da UERN equivalem a R$ 196.264.881,80, que corresponde a 2,2% do Orçamento Geral do Estado.

Isso sem contar que a UERN nos últimos anos tem captado muitos recursos federais por meio de financiamentos, editais de extensão e emendas da bancada potiguar no Congresso Nacional.

Além disso, a UERN vem crescendo vertiginosamente com a criação de cursos de mestrados e doutorados, inclusive temos um doutorado em Pau dos Ferros na área de Letras.

Já pensou um professor com tamanha qualificação dando aulas numa escola pública numa cidade pequena como Encanto no Alto Oeste Potiguar? A UERN é a inclusão de todas as regiões do Estado no ensino superior.

O custo de um aluno é em média R$ 911 e isso inclui cursos como Odontologia e Medicina, que na esfera privada são os mais caros. Imagine que esses alunos atendem diariamente centenas de pessoas carentes em ambulatórios e clínicas odontológicas mantidas pela Universidade com supervisão dos professores. Num único dia esse investimento mensal já é devolvido aos mais pobres.

Vale salientar que tirando o pagamento dos terceirizados, o custeio mensal de toda UERN é inferior ao de uma única UPA.

Na UERN não há exageros em seu quadro docente. A média nacional para as universidades estaduais é de 14 docentes para cada aluno.

Atualmente, o investimento do Estado na UERN, com sua folha de pagamento, representa apenas 4,2% da Folha de Pagamento do Estado. É um montante muito baixo diante do retorno financeiro que ela dá formando médicos, advogados, juízes, promotores, jornalistas, dentistas, professores, economistas, contadores e tantos outros profissionais que só existem no interior do Rio Grande do Norte graças a existência de uma universidade pública e gratuita que já formou mais de 42 mil profissionais que estão contribuindo para o desenvolvimento das cidades potiguares e, portanto, do próprio estado do Rio Grande do Norte.

O retorno que a UERN dá ao Rio Grande do Norte não é só acadêmico, mas principalmente social.

A UERN é um patrimônio.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Miriam Carabetti disse:

    Fui informada que há professores médicos em greve há dois meses por salários atrasados, prejudicando aulas de alunos do curso de medicina. Isso procede? Obrigada

  2. Jose Ronaldo disse:

    Bruno, parsbens pelo texto, precisamos escrrver mais sobre isso. Apenas veja essa medida do número de docentes por alunos, a relação parece estar invertda.

  3. Ivanaldo Xavier disse:

    Só quem tem uma mente tacanha, doente e não pensa no social e no coletivo é que afirma ser a UERN um peso para o Estado. A miopia dos insensatos não o deixa ver a realidade. Mossoró e toda a região atendida pela Universidade do Estado não teriam se desenvolvido se dependesse da mentalidade atrasada dos nossos políticos que não veem além da Reta Tabajara.

  4. Bruno Barreto disse:

    Caro Manoel, a Uern não é um luxo e privitazar uma Universidade é uma ideia absurda. Venha ao interior do Estado conhecer a Uern e saber o papel social dela. A constituição fala em prioridade ao ensino médio para os estados e não determina que tenha que ser assim. Prioridade é diferente de obrigação. Por essa lógica as escolas estaduais de ensino fundamental deveriam ser fechadas pq a prioridade é dos municípios.

  5. Bruno Barreto disse:

    Caro Manoel, a Uern não é um luxo e privitazar uma Universidade é uma ideia absurda. Venha ao interior do Estado conhecer a Uern e saber o papel social dela.

  6. Paulo Damasceno disse:

    Tem que vender a UERN já!

  7. Bruno Barreto disse:

    Meu caro "filho de poti" preste atenção que são 4,2% da folha e do orçamento. O impacto da Uern no orçamento é de 2,2%. Além de usar um nome falso tem sérios problemas de interpretação de texto.

  8. Manoel disse:

    A UERN é bom sim, mas o RN não pode bancá-la. Privatizar e logo é o melhor caminho. O Sr. Bruno está cumprindo seu papel de defender mas a maioria da população é consciente do ralo de dinheiro público que é esta instituição que, diga-se de passagem, não faz parte das obrigações estaduais. Ensino superior não cabe aos estados.

  9. Tadeu disse:

    A UERN é mais um desses absurdos existentes no Brasil. Vai ver quem está no curso de Medicina da UERN… só classe média alta, estudando de graça sustentados por um Estado miserável, enquanto isso drena recursos que deveriam ser destinados à educação básica. É como se uma família pobre comprasse uma BMW financiada.

    • Lindercy. disse:

      Tadeu, 50% das vagas são para alunos de escolas públicas.
      Estude.

  10. Filho de Poty disse:

    Cadê meu comentário sobre a UERN? Não pode haver opinião contrária a matéria?
    Como a EURN sozinha consome quase 5% de toda arrecadação do Estado do RN? Onde isso é pouco?
    Se a UERN sabe das deficiência de professores do ensino público do RN, por que não tomou as providências para acabar com isso, em mais de uma década de existência?
    Comparou a folha de pessoal com a UEPB, que tal comparar com a folha da UFRN? Quem ganha mais, um diretor de curso da UERN ou da UFRN?
    A UERN quer ser maior que a UFRN, só que uma tem orçamento federal e a outro depende dos escassos recursos estaduais, de um dos menores Estados da federação.

  11. Lair Solano Vale disse:

    Bruno você deu uma aula sobre a nossa UERN e como o dinheiro aplicado nela afeta o nosso povo, principalmente, os mais pobres. Não se conheçe escândalos com o uso do dinheiro público dentro da Uern desde os tempos dos seus fundadores. Que a mesma continue atraindo pessoas como você para o seu quadro de abnegados colaboradores e enchendo de felicidade os lares de Patu até a Zona Norte da Capital.

Força Nacional ficará mais 30 dias no Rio Grande do Norte

Por interino

O Ministério da Justiça e Segurança Pública autorizou a permanência da Força Nacional por mais 30 dias no Rio Grande do Norte. A tropa está no estado desde setembro de 2016, atuando com a Polícia Militar em ações de policiamento ostensivo.

Segundo portaria publicada hoje (23), no Diário Oficial da União, o número de profissionais obedecerá ao planejamento definido pelas autoridades estaduais.

A presença da Força Nacional no estado foi solicitada pelo governador Robinson Faria, em agosto de 2016, e autorizada pelo ministério em setembro do mesmo ano. O pedido estadual foi motivado pelo agravamento da situação da segurança pública.

Em janeiro deste ano, em meio a uma crise no sistema penitenciário do estado, o governador Robinson Faria pediu aumento do efetivo da Força Nacional no estado.

No dia 14 de janeiro, a Penitenciária Estadual de Alcaçuz foi palco de uma rebelião, com detentos armados de paus, pedras e facas, além de bandeiras com as siglas de facções criminosas. Ao menos 26 presos foram assassinados brutalmente. Nos dias que se seguiram, presos de facções rivais voltaram a se enfrentar e a situação só foi contida depois da construção de um muro de contêineres dentro do presídio. O governo do estado anunciou a intenção de fechar o presídio e transferir os detentos para outros estabelecimentos.

Agência Brasil