Economia

Enquanto vendas em março registraram aumento de 26% no RN, setor de bares, restaurantes e similares sofreu retração

O volume de vendas realizadas pelas empresas do Rio Grande do Norte no mês passado atingiu, em média, o patamar de R$ 304 milhões por dia. O valor é 26% maior que o registrado no terceiro mês do ano passado, quando as empresas potiguares conseguiram vender uma média de R$ 240 milhões por dia. O crescimento foi maior entre as organizações que atuam no segmento do comércio atacadista, cujo faturamento médio diário subiu de R$ 40,3 milhões por dia para R$ 59,9 milhões. Um acréscimo nominal de R$ 19,6 milhões negociados nos últimos 12 meses.

O segundo setor que mais teve o maior volume de vendas foi o comércio varejista. O ticket médio de vendas diárias do varejo passou de R$ 66,4 milhões para R$ 80 milhões entre março de 2020 e março deste ano. Apesar de o número de transações ter reduzido levemente, o valor das vendas subiu.

As empresas desse segmento foram as que tiveram oscilações menos drásticas no volume médio negociado ao longo dos últimos 12 meses, logo após o decreto do estado de calamidade pública em função da Covid-19. O volume médio diário de vendas do varejo potiguar fechou março deste ano com um total de faturamento bruto diário da ordem de R$ 80,3 milhões. No mesmo mês de 2020, o valor médio foi de R$ 66,4 milhões.

Os dados sobre a movimentação dos setores produtivos são da Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN), que divulgou nesta segunda-feira (12) a 17ª edição do Boletim de Atividades Econômicas. O informativo mensal reúne os principais indicadores da economia do Rio Grande do Norte a partir da emissão de notas fiscais e do volume negociado pelas empresas potiguares. A publicação completa está no site www.set.rn.gov.br/.

A publicação mostra, no entanto, que o setor de bares, restaurantes e similares registrou uma retração nas vendas da ordem de 30% mensais a partir de março do ano passado. O volume de movimentado começou a subir após agosto do ano passado, quando houve o início da retomada da abertura das atividades não essenciais, chegando a dezembro com um pico de faturamento bruto médio de R$ 4,8 milhões, negociados por dia. No entanto, gradativamente, esses estabelecimentos começaram a ter baixas novamente e, no mês passado, registraram uma média diária de vendas de R$ 2,7 milhões.

De acordo com a publicação da SET-RN, o volume de operações comerciais, verificadas nos principais setores da economia do Rio Grande do Norte, atingiu uma média de vendas de R$ 304,15 milhões por dia, o que é 2,4% menor que o resultado visto em fevereiro. Foram mais de 909 mil operações de vendas por dia no terceiro mês do ano, marcado pelo início das medidas restritivas neste ano para conter a segunda onda da pandemia no estado. Os segmentos que mais influenciaram positivamente o resultado foram o atacado, a indústria e o varejo.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Reabilitação transforma vidas no Rio Grande do Norte

Fotos: Divulgação

O Rio Grande do Norte tem o maior índice de pessoas com deficiência do Brasil. A amputação de membros se torna mais comum, por exemplo, com o aumento do número de acidentes de trânsito e casos de diabetes.

Empresas como a Bomporte, que existe em Natal há 21 anos, chega para dar suporte emocional e físico com todo o profissionalismo e excelência que qualquer pessoa que tenha passado por algum trauma nesses quesitos precisa. Não só atendendo pacientes particulares, mas também pela rede pública, INSS e Governo do RN.

Trabalhando com produtos de altíssima tecnologia, importados de países como a Alemanha, consegue realizar sonhos de pessoas como o Sr. Mário Júnior, que teve amputação nos dois membros inferiores. A reabilitação nesse caso foi muito impressionante, como mostra o vídeo acima. “A satisfação de ter uma ótima reabilitação como o do Sr. Mário nos faz sempre buscar aprimorar ainda mais nosso trabalho.”, disse Gustavo Pessoa, diretor da Bomporte em Natal.

Aos interessados em conhecer um pouco mais sobre a empresa Bomporte, ela fica na rua Mossoró, 734 no bairro do Tirol, pertinho da av. Hermes da Fonseca. Você também pode ligar nos telefones fixo 84 3201-4177 ou no WhatsApp 99641-0984.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Rio Grande do Norte arrecada R$ 6,2 bilhões em receitas próprias durante o ano de 2020

Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte encerrou o ano de 2020 com um aumento de 1,6% na arrecadação das receitas próprias em relação ao ano anterior. Foram recolhidos R$ 6,2 bilhões em tributos contra R$ 6,1 bilhões, arrecadados em 2019. O crescimento, no entanto, ficou bem abaixo da inflação oficial do período, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que foi de 4,52%. Com o Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), o estado recolheu R$ 5,8 bilhões, frente aos R$ 5,6 bilhões arrecadados em 2019.

Os dados constam na 15ª edição do Boletim Mensal da Receita Estadual, divulgada nesta quinta-feira (11) pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN). O informativo com os dados detalhados está disponível no endereço http://www.set.rn.gov.br/contentProducao/aplicacao/set_v2/principal/gerados/boletins-covid19.asp

Três fatores foram decisivos para o resultado: a intensa movimentação econômica após a retomada das atividades econômicas, a realização do Programa de Incentivo à Regularização Fiscal (o Super Refis) e uma série de ações adotadas pela Secretaria Estadual de Tributação para melhorar as malhas fiscais, ciclos de cobrança e negociações de débitos tributários. Lançado em novembro, o Super Refis contribuiu com um acréscimo de R$ 72 milhões na arrecadação global de 2020 (sem levar em consideração o arrecadado na Dívida Ativa).

Medidas Governamentais

As estratégias e ações tomadas pelo Governo do Estado foram determinantes para manter os níveis de arrecadação em 2020, ano marcado pela pandemia da Covid-19 e retração do consumo nos primeiros meses. A governadora Fátima Bezerra também adotou uma série de estímulos ao setor produtivo, com o programa RN Cresce Mais, que influenciaram diretamente o aquecimento das atividades econômicas. Para se ter uma ideia, o mês de dezembro foi o melhor dos últimos tempos. Foi registrado em um total de mais de um milhão de operações comerciais, cujos valores médios foram de R$ 367,6 milhões por dia.

“Esse desempenho, em um ano tão complicado sob todos os aspectos, foi positivo devido às medidas tomadas pelo governo, como o RN Cresce Mais, que estabeleceu políticas de incentivo ao desenvolvimento e uma das principais foi o Super Refis. Esse instrumento possibilitou que a arrecadação, mesmo inferior à inflação, fosse superior a de 2019”, explica o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier.

Evolução do ICMS

O Boletim da SET-RN mostra ainda que a evolução da arrecadação do principal tributo que compõe as receitas próprias estaduais, o ICMS, durante o período da pandemia. Verificou-se que houve um crescimento real a partir de agosto, somente no mês de dezembro foi possível recuperar todas as perdas de 2020, fechando o exercício com saldo positivo em relação a 2019. No acumulado do ano passado, o Rio Grande do Norte recolheu R$ 5,6 bilhões desse imposto, contra R$ 5,8 bilhões no ano anterior. Um aumento próximo a 1,75%.

O informativo também traz dados da arrecadação de receitas próprias, ICMS, IPVA, ITCD e das transações comerciais em janeiro deste ano. O total arrecadado chegou a R$ 557 milhões, um aumento de 3,5% em relação ao mesmo mês de 2020, quando o RN arrecadou R$ 538 milhões. No caso do ICMS, o crescimento foi de 3%, subindo de R$ 516 milhões para R$ 532 milhões no comparativo com janeiro deste ano com o referido mês do ano passado. Já as operações comerciais no período chegaram a 955 mil, com uma média de R$ 303,7 milhões por dia.

Opinião dos leitores

  1. Um dos estados que mais cobram impostos, mas as contra partidas é fumo no cidadão, esse dinheiro só serve pra pagar o funcionalismo público

  2. E cadê esse dinheiro, porque não coloca em dia o pagamento dos servidores, ou governo mentirosão, só sabe enganar o povo dados falsos

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Por causa da covid-19, Governo do RN publica decreto que proíbe eventos de carnaval e suspende pontos facultativos

Foto: Reprodução/DOE

O governo do Rio Grande do Norte proibiu a realização de eventos pré-carnaval e de carnaval e suspendeu os pontos facultativos (folgas) previstos para o período nos órgãos da administração estadual. A decisão foi oficializada nesta terça-feira (2) em decreto publicado no Diário Oficial, por causa da pandemia da Covid-19.

“Ficam suspensas, em todo o Estado do Rio Grande do Norte, quaisquer festas ou eventos comemorativos de carnaval, incluindo prévias carnavalescas e similares, promovidos por entes públicos ou iniciativa privada”, diz o decreto.

Leia íntegra AQUI ou descrita abaixo:

DECRETO Nº 30.369, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2021.

Suspende a realização de festas ou eventos comemorativos de pré-carnaval e carnaval no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte, revoga os incisos III, IV e V do Decreto Estadual n° 30.338, de 30 de dezembro de 2020, que estabelecem os pontos facultativos na Administração Pública Direta e Indireta nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro de 2021 e dá outras providências.

A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 64, V e VII, da Constituição Estadual,

Considerando o disposto no Decreto Estadual nº 30.338, de 30 de dezembro de 2020, que divulga os dias de feriados nacional e estadual e decreta os dias de ponto facultativo no ano de 2021 para os órgãos e entidades da Administração Pública estadual e dá outras providências;

Considerando o previsto nos incisos III, IV e V, do Art. 1°, do Decreto Estadual nº 30.338, de 30 de dezembro de 2020, que estabelece ponto facultativo para os dias 15, 16 e 17 de fevereiro;

Considerando o aumento nos números dos casos de infecção e reinfecção pela COVID-19 no Brasil e no Estado do Rio Grande do Norte;

Considerando as informações divulgadas por meio do indicador composto para monitoramento da pandemia pela COVID-19 no Estado do Rio Grande do Norte;

Considerando a necessidade de manutenção e estabilização dos dados epidemiológico no Estado;

Considerando a Recomendação n° 23/2020, de 29 de janeiro de 2021, emitida pelo Comitê de Especialistas da Secretária de Estado da Saúde Pública para o Enfrentamento da Pandemia pela COVID-19, a qual orienta a suspensão imediata de todas as atividades relacionadas ao Carnaval, seja em ambientes fechados ou abertos, incluindo carnaval de rua, clubes, shoppings e afins, no Rio Grande do Norte, bem como a suspensão do ponto facultativo do período no Estado;

Considerando que o cenário demanda a conjugação de esforços do Poder Público e dos particulares para o emprego de medidas de prevenção, controle e contenção da propagação da COVID-19;

D E C R E T A:

Art. 1º Ficam suspensas, em todo o Estado do Rio Grande do Norte, quaisquer festas ou eventos comemorativos de carnaval, incluindo prévias carnavalescas e similares, promovidos por entes públicos ou iniciativa privada.

Parágrafo único. Sem prejuízo do disposto no caput deste artigo, adotar-se-ão as seguintes medidas:

I – vedação ao financiamento ou apoio de eventos comemorativos de carnaval, incluindo prévias carnavalescas e similares durante o período em que vigorar as restrições impostas por este Decreto à Administração Pública Direta e Indireta do Poder Executivo Estadual;

II – reforço da fiscalização estadual aos municípios quanto à proibição da realização de festas e eventos, coibindo aglomerações, bem como quanto à obrigatoriedade do uso de máscara;

Art. 2º Ficam revogados os incisos III, IV, V do Decreto Estadual nº 30.338, de 30 de dezembro de 2020 que estabelecem os pontos facultativos nos órgãos e entidades da Administração Pública direta ou indireta estadual nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro de 2021.

Art. 3° Este Decreto entra em vigor na data da sua publicação. Palácio de Despachos de Lagoa Nova, em Natal/RN, 1º de fevereiro
de 2021, 200º da Independência e 133º da República.

FÁTIMA BEZERRA
Cipriano Maia de Vasconcelos
Maria Virgínia Ferreira Lopes

 

Opinião dos leitores

  1. vai entender…., ano passado ela antecipou o feriado dos mártires pra o povo ficar em casa , e agora tira o feriado pra o povo ir pra rua "trabalhar " , eu heim…

  2. Quem quer apostar como vai aparecer fotos ou vídeos durante esse período de Carnaval da Governadora brincando o Baiacu na Vara lá na redinha, junto com suas pessoas próximas numa casa de praia cheia de birita e caranguejo? Vamos aguardar!

  3. É para acabar com os setores de eventos e turismo junto com as suas cadeias produtivas. Com essa esquerda caviar não se brinca, o custo para as suas vítimas é alto.

    1. Meu Deus do céu! Mais de mil mortes evitáveis diárias e os caras estão pensando em "setor de evento e turismo".

    2. Vai quem quer. Fica em casa, zé! É só ficar em casa esperando a comida chegar. Fica pra ver se ela vem!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTOS: PF combate tráfico interestadual de drogas na Região Oeste do Rio Grande do Norte

Fotos: PF/Divulgação

A Força-Tarefa de Combate ao Crime Organizado, coordenada pela Polícia Federal e composta por Policiais Federais, Policiais Civis, Policiais Militares e Policiais Penais Federais, atuando em colaboração com a Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (SEOPI), deflagrou nesta quinta-feira, 29/10, a Operação Extração III, com o objetivo de coletar provas necessárias para instrução de investigação voltada à reprimir a atuação de uma organização criminosa dedicada ao tráfico de drogas na Região Oeste do Rio Grande do Norte.

Cerca de 30 policiais estão cumprindo 4 mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal, nas cidades de Mossoró/RN, Natal/RN e João Pessoa/PB.

As investigações revelaram que após a prisão de lideranças da facção criminosa em setembro de 2019, quando da deflagração da primeira fase da Operação Extração, o tráfico de drogas sob condução dos suspeitos passou a ser gerenciado de dentro de unidades penais com o auxílio de um advogado que transitava informações clandestinas objetivando perpetuar aquela atividade ilícita.

Também restou comprovado que o fornecedor das drogas comercializadas pela célula criminosa no Oeste Potiguar agia de dentro da Penitenciária PB1, em João Pessoa/PB, sendo que o mesmo suspeito já havia sido preso pela Polícia Federal em 2015, acusado de participar de diversos assaltos contra agências dos Correios no interior do RN.

Vale registrar que, no ano de 2019, cooperativa criminosa ligada aos investigados intencionou promover ataques dentro do sistema prisional potiguar, incentivando a violência contra integrantes de facções rivais e estimulando o confronto com forças policiais do estado, fato anteriormente investigado e acompanhado pela atual unidade de ações integradas. Em virtude de tal articulação, no ano de 2020, cinco membros da cúpula da Orcrim foram transferidos para o Sistema Prisional Federal.

Apesar das restrições impostas pela pandemia, a Polícia Federal e as demais forças policiais seguem atuando em sintonia contra o crime organizado no Rio Grande do Norte.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Roubos e furtos caem 29% no Rio Grande do Norte

Foto: Reprodução

Assalto a ônibus, instituições financeiras e roubo de veículos apresentaram queda no comparativo com o mesmo período do ano passado

Mesmo diante do período de pandemia do coronavírus, as forças de segurança do Rio Grande do Norte seguiram empenhadas no combate à criminalidade do Estado. O resultado é a queda nos índices dos Crimes Violentos Contra o Patrimônio (roubos, furtos, receptação e extorsão) que alcançou o percentual de 29,3%, nos seis primeiros meses de 2020 em comparação ao mesmo período de 2019, passando de 20.061 para 14.182.

Os furtos tiveram uma queda bastante representativa de 45,7%, enquanto os roubos de 20,4%.Os ataques contra instituições financeiras apresentaram a maior redução, 51,7%, saindo de 29 para 14, sendo que desse total apenas cinco foram consumados. Os assaltos a ônibus apresentaram queda 47,4% (de 232 para 122), enquanto os furtos e roubos de veículos reduziram em 1,22%.

Em relação às Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLI), o Rio Grande do Norte registrou redução na quantidade de feminicídios, caindo de 14 para 10 no primeiro semestre. No quadro geral, comparando com o mesmo período do ano passado, o RN apresentou um aumento, passando de 729 para 807. Vale ressaltar que o aumento no número de homicídios tem se mostrado uma tendência em todo o Brasil. O país passou no ano de 2019 por uma das maiores reduções no número de CVLIs da série histórica. Apesar do crescimento de casos, cidades como São Gonçalo do Amarante e Parnamirim viram seus índices reduzirem, respectivamente, em 23,6% e 29,8%.

Opinião dos leitores

  1. Vão creditar a queda a Bolsonaro. Se tivesse aumentado, a culpa era da governadora .
    É segue a boiada!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Câmara aprova Rio Grande do Norte, Paraíba e Amapá na área da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf)

Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nessa segunda-feira (20) proposta que acrescenta os estados de Amapá, Rio Grande do Norte e Paraíba na área de atuação da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf).

Foi aprovado um substitutivo do relator, deputado Silvio Costa Filho (Republicanos-PE), que incorporou emendas ao Projeto de Lei 4731/19, de autoria do presidente do Senado, Davi Alcolumbre. O projeto volta ao Senado devido às mudanças propostas pelos deputados.

Para o relator, a Codevasf é “um instrumento fundamental para o desenvolvimento regional, principalmente o Nordeste, por isso o projeto oferece ao governo uma autorização para atuar em novas bacias hidrográficas”.

Além de atender integralmente os estados de Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Piauí, Maranhão, Ceará e Goiás, nas bacias hidrográficas tanto continentais quanto litorâneas, a Codevasf deverá atuar ainda no Amapá, na Paraíba, no Rio Grande do Norte e nos municípios da região do Alto Rio Pardo, em Minas Gerais.

Devido às polêmicas debatidas em Plenário sobre a falta de recursos, Silvio Costa Filho acrescentou dispositivo para condicionar à dotação orçamentaria prévia a instalação e a manutenção de órgãos e setores de operação e representação da empresa fora de sua sede.

Entretanto, devido à grande extensão do estado de Amazonas, o relator decidiu não incluir suas bacias entre as apoiadas pela Codevasf, como proposto no projeto original.

Entre os rios pertencentes a estados não abrangidos totalmente pela atuação da empresa, o relator incluiu as bacias hidrográficas dos rios Jequitinhonha, Mucuri e Araguari, em Minas Gerais; de Contas, na Bahia; e de Gurupi, nos estados de Maranhão e Pará.

Ampliação

Para o deputado Tiago Mitraud (Novo-MG), a votação do projeto não deveria ter acontecido neste momento de pandemia. “Em um período em que estamos vivendo uma crise da pandemia e uma crise fiscal muito grave, estamos fazendo um projeto de lei para estender a atuação de uma companhia que foi criada para cuidar do vale do rio São Francisco, inclusive, para o Amapá”, criticou.

Por outros motivos, o deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA) também afirmou ser contra o texto. Segundo ele, a companhia “tem, infelizmente, servido quase sempre como moeda de troca política para oportunistas e tem sido instrumento de expulsão de pequenos produtores rurais em favor do agronegócio”.

Já o deputado Hildo Rocha (MDB-MA) argumentou que o projeto é inconstitucional porque a iniciativa seria exclusiva do presidente da República. “Isso é uma tremenda inconstitucionalidade. Não tem nenhum sentido. A Codevasf tem um tamanho com o qual não aguenta funcionar”, disse.

O deputado José Airton Félix Cirilo (PT-CE) concordou com a aprovação do projeto. “Acho positivo incluir novas bacias hidrográficas para promover o desenvolvimento regional, sobretudo na área de irrigação, na área de revitalização de bacias”, ponderou.

Também favorável ao projeto, a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) ressaltou que a empresa precisará de mais recursos. “Vamos votar favoravelmente à matéria, mas alertamos que a Codevasf precisará de reforço para que não deixe em descoberto o cobertor que ora está estendido sobre a bacia do São Francisco”, declarou.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Sesc RN será parceiro na primeira edição da Live Solidária Drive-in do Rio Grande do Norte

O isolamento social trouxe de volta a moda dos drive-in e no Rio Grande do Norte, o Serviço Social do Comércio (Sesc RN) será parceiro na primeira edição do projeto Live Solidária Drive-in, que acontece no Boulevard Recepções, na sexta-feira (19), a partir das 17 horas. O tema será São João e a atração principal será o artista Diogo Mello, com participação especial do quadro humorístico Budega do “Seu Dedé”.

A parceria prevê que parte do que for arrecadado seja direcionado ao programa Mesa Brasil do Sesc que por sua vez fará a coleta e doação para entidades cadastradas no estado. Outra parte das doações será entregue para entidade ligados ao turismo e hospitais públicos ou filantrópicos, da Grande Natal.

Popular em diversas parte do mundo, o drive-in permitia às pessoas assistirem filmes e espetáculos sem sair de dentro dos carros, em áreas amplas e com serviço de bar e lanchonete. O modelo local será adaptado e seguirá as recomendações das autoridades no apoio ao combate do novo Coronavírus.

Entre as medidas adotadas, limite de 30 carros pré-cadastrados no evento, permissão de acesso de até três pessoas por veículo, que receberão orientações sobre os protocolos de comportamento a serem cumpridos no decorrer da Live Solidária Drive-in.

O evento conta com a parceria da Secretaria Estadual de Turismo (Setur/RN), Sindicato dos Bugueiros e Guias de Turismo do RN, Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica ABMCJ/RN, Programa Mesa Brasil Serviço Social do Comércio (Sesc RN), entre outras empresas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

EFEITO PANDEMIA – MEDIDAS RESTRITIVAS: Rio Grande do Norte registrou a maior redução no volume de vendas do comércio em 20 anos, aponta IBGE

Foto: IBGE

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que o Rio Grande do Norte registrou a maior redução no volume de vendas do comércio da série histórica da Pesquisa Mensal do Comércio, que acontece desde janeiro de 2000.

A queda foi de 11,6% em abril na comparação com o mês de março. Vale destacar, que o mês de abril foi o primeiro mês completo que sofreu com as restrições de circulação e com o fechamento de parte do comércio não-essencial – o primeiro decreto estadual com restrições aos estabelecimentos foi de 20 de março.

Opinião dos leitores

  1. olha, acho que não foi só a pandamia… as vendas já estavam ruim ano passado. A verdade é que o atendimento em natal é muito ruim e as coisas são caras. Compensa muito mais comprar online 30% as vezes 50% mais barato. Muitos sites têm frete grátis e entregam em 5 dias úteis. Infelizmente era questão de tempo até muitos fecharem as portas!

  2. Os fica em casa estão aplaudindo a desgraça dos meus irmãos comerciante em todos os seguimento. Esse é o resultado de todos os governo incapaz de resolver os problema do RN. Em breve voltaremos as ruas e vamos bota pressão no congresso para reduzir salário de servidores nas três esfera. Fiquem tranquilos não vai ter quebra quebra. Ministros do STF o povo está de olhos abertos, vocês também vão sentir a pressão do povo.

  3. o PT no nível nacional quer o quanto pior melhor… pelo menos aqui no estado eles estão conseguindo

  4. Acho é pouco. Quem escolhe para si um governo petralha merece uma surra de urtiga todos os dias. E tomar um banho de merda para ir dormir.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Arrecadação de tributos no RN encolhe 18,3% em maio

Foto: Beatriz Albuquerque/VEJA

A arrecadação de tributos no Rio Grande do Norte tem reduzido gradativamente mês a mês depois da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Em maio, o estado recolheu R$ 77 milhões a menos que no mesmo mês do ano passado, uma queda de aproximadamente 18,3%. No mês anterior, essa redução havia sido de 15%, indicando a tendência de diminuição do volume mensal arrecadado. A baixa foi puxada pela queda no recolhimento do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), que caiu 16%.

Os dados publicados na sétima edição do Boletim Semanal da Atividade Econômica, divulgada na tarde desta sexta-feira (5) pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN). A publicação reúne informações sobre os principais indicadores das operações comerciais realizadas no estado. O objetivo do informativo é acompanhar semanalmente os impactos das medidas de combate à pandemia da Covid-19 na economia potiguar. O boletim traz O material está disponível para download no site da SET-RN (www.set.rn.gov.br).

“Já estimávamos que a queda na arrecadação seria maior que a de abril, cuja arrecadação ainda sofreu influência de março. As receitas de maio já contemplam o todo o período de distanciamento social em que a maioria dos estabelecimentos permaneceu fechada, reduzindo assim a atividade econômica. E a tendência nos próximos meses será de diminuição. Daí a importância, desse monitoramento que fazemos com este boletim”, avalia o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier.

De acordo com o boletim, o recolhimento de IPVA caiu de R$ 53,4 milhões para R$ 46,1 milhões, enquanto o ITCD registrou uma alta, passando de R$ 1,2 milhão para R$ 1,6 milhão. Mas a principal influência na arrecadação foi o ICMS, que encolheu 16%. O volume recolhido desse imposto em maio foi de R$ 374 milhões, porém, no referido mês do ano passado, o montante foi de R$ 443 milhões, impactando diretamente na arrecadação global do RN.

Atividades econômicas

Analisando por setor, o que mais puxou a arrecadação para baixo foi o da indústria de transformação, cuja arrecadação teve uma queda de 47,4% em comparação com maio de 2019. A indústria chegou a arrecadar R$ 41 milhões no mês passado, mas, em compensação, no ano passado, esse total foi de R$ 78 milhões. . Parte dessa baixa está relacionada ao Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do RN (Proedi), que ainda não estava em vigor em maio do ano passado (entrou somente no segundo semestre de 2019), e os incentivos do programa já integraram o cálculo da arrecadação de maio deste ano.

O comércio varejista também registrou recuo. Com a maior parte dos estabelecimentos fechada, a arrecadação do segmento reduziu 31,4%, caindo de R$ 87 milhões para R$ 60 milhõesO recolhimento de imposto da energia elétrica registrou um crescimento de 37,5%, enquanto no de combustível, a queda de arrecadação foi de 16,9%.

A publicação também mediu os níveis de atividades econômicas na última semana de maio, fazendo comparações com semanas anteriores, e constatou que a perda média de faturamento para todos os segmentos econômicos do Rio Grande do Norte é de 23,3% (linha média no gráfico) no período após as restrições comerciais para contenção do Covid-19.

Opinião dos leitores

  1. Vai correr pedir ajuda ao "papai" agora né? Quer ser gente grande, mas na hora em que a onça bebe água pede ajuda a quem? GOVERNO FEDERAL.

  2. Graças a incompetência do secretário da saúde e a burrice da governadora, se colocar ela fazer um O com uma quenga ela faz quadrado

    1. Figuem em casa!!
      Não produzam como é dos costumes dos esquerdistas.
      Vai fechando hospitais como fizeram em Canguaretama, que o RN cresce.
      Fora Fátima, incompetente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Veja protocolo sanitário do Turismo do Rio Grande do Norte para retomada

FOTO: Emprotur

Como forma de tentar recuperar um dos principais setores econômicos do estado, sete entidades do trade turístico se reuniram para formular um Plano de Retomada do Turismo. A iniciativa visa a construção de uma série de ações integradas para garantir a saúde pública e organizar a retomada gradativa do turismo, preservando os empregos e auxiliando na segurança econômica e sanitária para uma atividade mais segura em todo o estado.

O Plano possui ciclos norteadores com capacitações sobre a implementação do protocolo para os profissionais que atuam na atividade turística, priorizando em sua primeira etapa os meios de hospedagem, bares e restaurantes e agências de receptivo. Ao todo, o projeto contempla seis fases e prevê 18 meses de atividades.

Em maio, foram concluídas as duas primeiras ações previstas: criação de um protocolo de segurança sanitária, liderado pela Secretaria de Turismo do Estado do Rio Grande do Norte, e um plano de treinamento para habilitar as empresas a atuarem de acordo com as novas recomendações de biossegurança.

O foco do Plano Básico de Segurança Sanitária é oferecer diretrizes de enfrentamento à COVID 19 para a retomada da atividade turística. A ideia do documento é definir um fluxo geral de atendimento a ser seguido pelas empresas do turismo, em casos de turistas com suspeita de COVID-19 ou que informem estar com sintomas da doença.

Além disso, também apresenta critérios mínimos gerais de higiene pessoal, segurança sanitária, distanciamento social e sanitização de ambientes a serem seguidas pelos segmentos relacionados à atividade turística.

E para auxiliar as empresas na implementação das mudanças, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac RN) irá ofertar capacitações online gratuitas, para trabalhadores do segmento.

“As capacitações que iremos ofertar em parceria com o Senac é o grande diferencial do Rio Grande do Norte nessa retomada da atividade turística. Seremos pioneiros nessa estratégia de destrinchar, por meios de cursos específicos, a funcionalidade dos protocolos e com isso nos prepararmos, de fato, para voltar a receber as pessoas de forma segura”, declara o presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística, Bruno Reis.

“A importância do Plano de Retomada das Atividades Turísticas se dá pela relação de confiança e credibilidade com o mercado. Após essa crise, as pessoas passarão a procurar os destinos que se sintam mais seguras. Este passa a ser um forte diferencial de competitividade. Os nossos empreendimentos turísticos passarão a cumprir todos os protocolos de segurança sanitária, com todos os trabalhadores do turismo fazendo capacitações gratuitas no Senac, a partir de junho, para conhecerem e atuarem dentro das normativas. Estamos articulando esse trabalho com diversos setores da sociedade.”, afirma Aninha Costa, secretária de turismo do RN.

Acesse aqui o Plano de Retomada do Turismo do Rio Grande do Norte.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: Rio Grande do Norte tem quase todos os leitos ocupados, destaca Estadão

Foto: ILUSTRATIVA

O sistema público de saúde do Rio Grande do Norte para atendimento a pacientes com covid-19 está a beira do colapso, com ocupação dos leitos gerais públicos de UTI perto de 100% nas regiões mais populosas. A Secretaria de Estado da Saúde Pública corre contra o tempo para abrir novos leitos, mas esbarra na falta de respiradores e mão de obra especializada. “Estamos em uma situação extremamente crítica”, disse o secretário de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia.

Nessa terça-feira, a aposentada Paula Viana de Morais, de 97 anos, teve dificuldades em encontrar um leito. Ela começou a apresentar sintomas da covid-19 no início desta semana. A neta Maria Raíssa de Moraes acionou o Samu. “A ambulância chegou a minha casa por volta das 11 horas e ficou esperando mais de duas horas pela indicação de alguma vaga na rede pública.”

Ao ser internada, Paula foi colocada em uma sala com outras seis pessoas com sintomas de covid-19. “Só tem um médico e muitos pacientes por todos os lados”, lamentou Maria Raíssa.

Estadão

Opinião dos leitores

  1. O objetivo ANUNCIADO para esse tal isolamento era dar uma margem de tempo para adequar a rede de saúde para o combate à epidemia. Já se vão quase 80 dias e o que fez o governo estadual a esse respeito? O governo federal está mandando recursos, a sociedade civil está colaborando e o que está fazendo o governo Fátima do PT, além de mandar ficar em casa e acabar de quebrar o já falido RN?

    1. A sociedade está colaborando??? Com o isolamento abaixo de 40%??? Em que planeta vc vive???

    2. Sociedade civil colaborando? Você ao menos bota o lixo para fora? Você tem alguma fixação com o PT, que não consegue passar 1 dia sem falar?

  2. Vai piorar a situação, o estado e prefeitura não estão nem ai quero onde vão colocar tanto dinheiro que o governo federal tem enviado, o tal do Cipriano Maia só falar dizer para não sair de casa kkkkk , dizer q vai conseguir abrir mais leitos nem abri a boca. Na hora q ele está falando desligo logo a TV.

    1. A prefeitura abriu 100 leitos no hotel e a capacidade do mesmo é de 330 apartamentos, agora só uma pergunta. Pq o estado não abriu os 230 leitos restante e natal teria o maior hospital para o covid-19 do norte-nordeste?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

VÍDEO: Reportagem do Jornal Nacional destaca que Rio Grande do Norte enfrenta falta de vagas nas UTIs

ASSISTA AQUI

As unidades de terapia intensiva também estão lotadas no Rio Grande do Norte.

Há quase 20 dias, o marido de Joelma tem sintomas da Covid-19. José Haroldo procurou um posto de saúde, os médicos suspeitaram de dengue e mandaram ele de volta para casa. Com dificuldade para respirar, na última quarta-feira (6), o paciente de 37 anos foi até uma unidade de pronto atendimento, onde fez o teste de Covid-19 e ficou internado.

Na segunda-feira (11), José Haroldo foi transferido para o hospital de campanha de Natal. Mas Joelma disse que o marido ligou de madrugada pedindo ajuda: “Ele me ligou pedindo para levar um nebulizador para ele conseguir respirar”.

Sem respirador e sem Unidade de Terapia Intensiva no hospital de campanha que foi aberto na segunda-feira, José Haroldo foi levado de volta para a unidade de pronto atendimento na manhã desta terça-feira (12). No fim da tarde, ele foi transferido, desta vez, para o hospital da Polícia Militar.

A Secretaria de Saúde de Natal declarou que das 39 vagas de UTI, dez estão disponíveis, mas devem ser ocupadas até quarta-feira (13). Afirmou também que está esperando a chegada de 70 respiradores para abrir novos leitos de UTI.

Na rede estadual, a situação também preocupa. Dos 100 leitos de UTI exclusivos para Covid-19, 73 estão ocupados.

No dia 2 de maio, dona Maria de Lourdes, de 72 anos, morreu de Covid-19 depois de esperar mais de 24 horas por um leito de UTI na cidade de Ipanguaçu, a menos de cem quilômetros do hospital regional em Mossoró, para onde ela deveria ter sido levada.

“Ela passou mais de 24 horas sofrendo, em busca de um leito. Foi difícil pra ela, eu tenha certeza que foi muito difícil. Ela lutou muito pela vida. Infelizmente, eu perdi minha vozinha”, conta a jornalista Anne Caroline Lima, neta da Dona Maria.

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Norte declarou que a Central Metropolitana de Regulação orientou o médico da Dona Lourdes a fazer o pedido de leito de UTI para a prefeitura de Mossoró. O médico afirmou que fez o pedido por e-mail, mas a prefeitura de Mossoró declarou que não recebeu.

A Secretaria de Saúde de Natal não explicou o motivo da demora para José Haroldo conseguir um vaga na UTI.

Jornal Nacional – Globo

Opinião dos leitores

  1. Digo ainda amigo, que passei 35 anos da minha vida me doando aos que procuravam o Walfredo Gurgel/ P.S. Clóvis sarinho. Hoje fico triste com tantos comentarios sem fundamento, quando há tanta coisa a se construir.

  2. Amigo Ricardo Lúcido, eu não votei em Bolsonaro, tenho uma avaliação particular sobre esses rapazes que militam na política partidária, longe deles o máximo possível, não defendo ladrão ou figura míticas.

  3. Meus planos foram por água abaixo: pretendia arrematar esse hotel quando fosse leilão novamente, mas não imaginava que a Justiça do Trabalho tivesse a pachorra de emprestá-lo à prefeitura para que fosse usado como hospital de campanha contra a pandemia de Covid-19.
    Minha égua Adelaide está inconsolável com tamanho casuísmo. E eu pergunto: "E daí?"

  4. A responsabilidade não é somente dos gestores. Vejam o Alecrim: Vive lotado. Praia de Ponta Negra: Cheia de gente nos finais de semana. Aluma grande parcela dos natalenses vive uma vida normal como se o vírus não existisse.

  5. Onde foram investidos os recursos enviados pelo governo federal ? Onde estão os testes enviados pelo governo federal ?

  6. CADÊ O MILHÕES DE REAIS QUE FORAM ENVIADOS DO GOVERNO FEDERAL,PELO PRESIDENTE BOLSONARO PARA CONTER O COVID 19? EM GOVERNADORA????? O POVO QUE SABER!!!!

  7. Agora o Gado vai apoiar a globo.
    A vida desse povo deve estar um martírio. Uma hora diz q a emissora é comunista, que quer derrubar o "minto", a outra apoia, depois defende o imbecil da presidência q depois desmente o que disse. Isso para tdos os meios de comunicação nacional e internacional. A quantidade de alucinógenos e tranquilizantes q essa turma está tomando deve ser enorme.

  8. Infelizmente com essa atual Gestão da SESAP, estamos entrergues a própria sorte. A incompetencia, falacia, intrigas, falta de resolutividade, reunioes infindaveis, que nao resolvem nada, muita conversa, mentira e na pontac o povo que se vire, Deus permita que o virus se resolva e va embora, pois se depender dos atuais condutores da gestao, muitps ainda devem morrer.
    Em tempo: as amostras pata exames estao se acumulando no LACEN, pouco ou nada vem sendo feito, os funcipnariios estao apavorados.

    1. Pedro cada fez mais admiro seus comentários . Tô com vc e não abro nem para um trem carregado de respirador chinês . A propósito o amigo já se arrependeu do voto no Bozo . Em caso positivo , sinalize aqui . Oh glória !

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

COVID E A PANCADA NA ECONOMIA DO ESTADO: Rio Grande do Norte registra queda de 15% na arrecadação em abril; R$ 77 milhões a menos que o mesmo período ano passado

Boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN) revela que o RN recolheu R$ 77 milhões a menos no mês em relação a abril de 2019. Somente a arrecadação de ICMS reduziu 14% em comparação com o ano passado

A arrecadação do Rio Grande do Norte registrou uma queda de 15% no mês de abril em relação ao mesmo período do ano passado. O total recolhido pelo tesouro estadual reduziu de R$ 506 milhões, em abril de 2019, para R$ 429 milhões no mês passado. A redução foi influenciada principalmente pelo Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), que registrou, em abril, uma redução de 14%. O estado arrecadou R$ 64,4 milhões a menos em abril passado do que no mesmo mês de 2019.

As informações sobre a arrecadação constam na terceira edição do Boletim Semanal de Atividade Econômica, divulgada nesta quarta-feira (6) pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN), que está sendo emitindo semanalmente o informativo para acompanhar os impactos das medidas de combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) na economia potiguar. O boletim traz informações sobre os principais indicadores das operações comerciais realizadas no estado.

“Os dados apresentados neste boletim ratificam o que a equipe econômica do Governo já projetava em termos de perdas de receitas em função da pandemia do novo coronavírus. É um impacto bastante negativo diante da situação financeira em que já se encontrava o Rio Grande do Norte’, comenta o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier. Segundo ele, a tendência é de agravamento em maio e, por este motivo, julga ser fundamental a liberação do auxílio emergencial aos estados e município para compensar as perdas de arrecadação.

De acordo com a publicação, em abril, o comércio varejista, um dos que detém as maiores concentrações de empresas no estado, teve um recuo de 23% em comparação com o nível de arrecadação verificado em abril do ano passado. O recolhimento de ICMS caiu de R$ 88 milhões para R$ 68 milhões. No mesmo período, não houve oscilação no setor atacadista. Mas, em compensação, a perda de arrecadação no segmento industrial (indústria de transformação) foi da ordem de 35%. Saiu de R$ 76 milhões, em abril de 2019, para R$ 49 milhões no mês passado.

No setor de combustível, a redução foi de 9%, com uma arrecadação que caiu de R$ 97 milhões para R$ 89 milhões de um ano para o outro. Destaque para o setor de transporte que apresentou alta de 24% no mês em questão comparando com o mesmo período do ano anterior.

Essa edição do boletim também verificou a movimentação diária de operações comerciais por porte de contribuintes. Aqueles inscritos no regime normal, que envolve principalmente as médias e grandes empresas, ainda detêm o maior volume de transações comerciais e, na última semana de abril, foram responsáveis por movimentar R$ 129,8 milhões. Já os pequenos negócios, sem contabilizar os Microempreendedores Individuais (MEI), movimentaram R$ 12,8 milhões no mesmo período, enquanto os microempreendedores, R$63,2 mil.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Coronavírus no RN: 242 casos confirmados, 27 a mais que no dia anterior; e 7 óbitos.

O Rio Grande do Norte possui 242 casos confirmados até às 13h deste domingo (5), conforme informou a Secretaria de Estado e Saúde Pública – Sesap, em boletim divulgado no fim da tarde de hoje.

Uma morte a mais que ontem e 27 casos confirmados a mais em relação ao último sábado.

Ao todo, são 2.354 casos suspeitos, 675 descartados e 7 óbitos confirmados – Mossoró (3), Natal (2), Taipu (1) e Tenente Ananias (1).

A Sesap reforça a importância da população potiguar seguir todas as orientações recomendadas diariamente e que fique em casa se não precisar realizar alguma atividade essencial.

Opinião dos leitores

  1. Realmente é muito engraçado os casos confirmados e os óbitos são amplamente divulgados e os recuperados?será que ainda não recuperou nenhum ainda?

  2. Desejaria demais que colocassem também o número dos recuperados, creio que faria melhorar o ânimo da população. É muita notícia ruim….

    1. Oh, criatura, confirmado e não morreu… curado está! É difícil assim?

    2. Mas é o que vende amigo, tem inúmeras pessoas que foram curadas, mas esse tipo de matéria não interessa aos u…. de plantão.

    3. Concordo plenamente. Além de ser uma informação importante pra mostrar que o número de recuperados, e agora imunes, supera, e muito, o de mortos

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Renda per capita cresce 52% no Rio Grande do Norte nos últimos seis anos

Foto: Imagem ilustrativa

A edição da Tribuna do Norte deste domingo (8), destaca que em seis anos, a renda per capita no Rio Grande do Norte cresceu 52,08%. O valor saiu de R$ 695,00 em 2014 para R$ 1.057,00 em 2019, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tabulados a pedido da TRIBUNA DO NORTE. Em valores absolutos, o avanço foi de R$ 362,00 no período. No ano passado, o rendimento nominal mensal domiciliar no Estado foi o maior da região Nordeste.

Leia a matéria completa na Tribuna do Norte.

Opinião dos leitores

  1. Acredite se quiser . A credibilidade dos institutos de pesquisa , seja para o ramo que for, perdeu muito a credibilidade. Só para derrubar essa tese, estamos vivendo uma crise financeira e recessão, pouco dinheiro girando , aí vem um instituto desse jogar papa nos nossos olhos .

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *