Ocupação de voos para o Rio Grande do Norte registra aumento

Foto: Emprotur/Ilustrativa

Os voos para o Rio Grande do Norte estão com ocupação superior a alguns destinos do Nordeste. É o que revelam os dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), onde Natal se posiciona acima da média da região no balanço anual do segmento. O destino apresentou uma média de 90,5% de ocupação de voos no mês de dezembro de 2019, sendo o “Fator de Aproveitamento dos Assentos” (load factor) maior que os de Fortaleza, João Pessoa, Recife, Salvador, Aracaju e São Luís, no mesmo período.

“O cenário que apresentamos hoje é positivo se comparado aos anos anteriores e um claro reflexo da política de redução do QAV e das contrapartidas determinadas pelo governo em 2019”, afirmou a secretária de turismo, Aninha Costa. “A iniciativa faz parte de uma série de medidas que estão sendo tomadas pela atual gestão para reposicionar o Rio Grande do Norte nacional e internacionalmente e potencializar a entrada de turistas”, concluiu a titular.

Reunião com companhias aéreas

De posse dessas informações, a equipe do Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Turismo, Secretaria de Tributação e a Empresa Potiguar de Promoção Turística (EMPROTUR), em parceria com a Inframérica, vai realizar uma série de reuniões de trabalho com as principais companhias aéreas do Brasil, no mês de março, em São Paulo. O intuito é articular ações que fomentem a demanda de passageiros para o RN e incentivar o desenvolvimento de novas rotas para ampliar a conectividade do estado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Coitados dos turistas desavisados, além de exploração e violência vão contrair leptospirose.
    As ruas de Natal estão inundadas de águas de chuva misturadas com esgotos clandestinos.
    Sem falar no enrocamento de Ponta Negra, o maior ninho de gabirus a céu aberto de todo o Brasil.

  2. Carlos disse:

    Mudem enquanto dá tempo, tudo aqui é um absurdo de caro. Motoristas mau- educados, insegurança generalizada, hoteis sem estrutura etc. Caiam fora.

  3. Carlos disse:

    Coitados, tenho muita pena. Vão ser assaltados em todos os sentidos. Viagem para o sul, américa do sul, caribe ou seja lá para onde for. Mas, não venham para Natal. Perigosíssimo.

De Pipa a Natal, um roteiro pelas praias e dunas do Rio Grande do Norte, destaca página de Turismo em O Globo

Foto: Canindé Soares

Os versos do folclorista potiguar Luís da Câmara Cascudo dão um aperitivo da capital do Rio Grande do Norte, Natal. Mas as atrações da cidade e seu entorno não são fáceis de caber em algumas linhas. Das praias e dunas estonteantes a um celeiro da cultura potiguar, é preciso reservar pelo menos uma semana para ter uma boa ideia de tudo o que a região tem a oferecer.

As principais atrações praianas do estado estão espalhadas na chamada Costa das Dunas, que abrange quase todo o litoral, incluindo destinos populares como Tibau do Sul, onde estão o vilarejo de Pipa e a Lagoa de Guaraíras; Maxaranguape, com as piscinas naturais (ou parrachos, como são chamadas) de Maracajaú (vide a da capa desta edição); e as cidades de Touros e São Miguel do Gostoso, muito procuradas por amantes dos esportes náuticos.

Variado também é o cardápio de atrativos nos arredores de Natal. Assim como o Rio não é somente Copacabana, a capital do Rio Grande do Norte não se restringe à badalada Praia de Ponta Negra. Quem passa pela cidade não pode deixar de lado uma visita às Dunas de Genipabu. Mesmo para aqueles que não gostam da aventura proporcionada pelo passeio de buggy nos morros de areia branca, vale a pena criar coragem para conhecer a paisagem.

Os passeios são oferecidos por agências de turismo, e todos os motoristas são credenciados após passar por um curso da Secretaria de Turismo do estado. Um passeio de buggy pela Costa das Dunas custa em média R$ 450, valor que pode ser dividido entre até quatro passageiros. Os preços podem variar durante a alta temporada, de dezembro a março.

Com 70 quilômetros (considerando a ida e a volta), o trajeto inclui todas as praias urbanas de Natal. No caminho, a exuberância do litoral nordestino é marcante mesmo para os brasileiros mais viajados. É possível dar um mergulho nas lagoas que brotam no local, como a de Pitangui e ter um momento de adrenalina no “esquibunda” na Lagoa de Jacumã.

Conhecido como Rota do Sol, o caminho que leva ao litoral sul do Rio Grande do Norte também merece ser explorado, a partir de Natal. O trecho, que vai até Tibau do Sul, reserva algumas das paisagens mais bonitas da região, como a Praia de Camurupim. Os corais formam piscinas naturais e o desenho da praia se transforma ao longo do dia, de acordo com a oscilação da maré. Antes de chegar à praia, a Parada dos Golfinhos é uma boa chance para os visitantes que quiserem admirá-los. Principalmente pela manhã, é possível avistar grupos deles nas águas.

Berço do Brasil

Não apenas de mar e sol vive o potiguar. A Grande Natal também reúne riquezas culturais e históricas de vários períodos do Brasil. Um pouco dessa história é contada pelo guia e historiador Ítalo de Araújo num passeio de catamarã pelo Rio Potengi, que banha a capital do estado.

Num pôr do sol regado a drinques e música ao vivo, Ítalo defende que, diferentemente do que diz a História, os portugueses chegaram primeiro a Touros, no Rio Grande do Norte, e não a Porto Seguro, na Bahia. Um dos argumentos é que Touros, num dos extremos do Brasil, é o local do país mais próximo da Europa. Não à toa, a Secretaria de Turismo do estado, com apoio do Sebrae-RN, tem investido no mote “Tudo começa aqui”. O passeio explora um pouco da história colonial brasileira.

Às margens do Potengi também será inaugurado um novo complexo histórico da capital potiguar: o Museu da Rampa. O local serviu como base para partida de aviões americanos para lutar na Segunda Guerra Mundial. Foi ali que o presidente Getúlio Vargas recebeu, em 1943, a visita do chefe de Estado americano à época, Franklin Roosevelt, para falar sobre uma possível participação mais efetiva do Brasil no conflito. A expectativa é que o museu seja inaugurado ainda este ano e atraia tantos turistas quanto o Museu do Amanhã, no Rio, já que também está localizado às margens de uma paisagem natural.

— A nossa ideia é de que o museu faça parte da história do estado, resgatando as memórias da participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial — afirma Aninha da Costa, secretária de Turismo do Rio Grande do Norte.

Matéria completa aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ROBERTO EIDER LIRA disse:

    Parabéns família BG pela materia referente ao Turismo Potiguar.abs Roberto lira bugueiros 001

  2. Francisco Neves disse:

    Fiquei fascinado com a ideia desse roteiro, moro em Guaraí/TO e amo o Nordeste Brasileiro.
    Pode ser feito em carro convencional ou somente 4×4

Turismo Religioso ganha destaque no Rio Grande do Norte

Foto: Emprotur

Explorar a vocação turística do Rio Grande do Norte em todas as suas vertentes faz parte do novo posicionamento da Empresa Potiguar de Promoção Turística (EMPROTUR), responsável pela divulgação do destino para agentes de viagens, operadores de turismo e público final. Com isso em vista, o segmento do turismo religioso tem ganhado destaque no portfólio de produtos do RN.

Ações de promoção e divulgação já estão em andamento, com o objetivo de oferecer mais visibilidade ao Santuário de Santa Rita de Cássia, onde foi erguido o maior monumento católico do mundo. Ele deve ser o ponto de partida para fomentar os demais atrativos turístico-religiosos da região. A iniciativa deve estimular operadoras focadas no segmento a desenvolverem produtos para o Rio Grande do Norte.

Um exemplo de produto bem sucedido é o roteiro que está sendo comercializado pela agência Catedral Viagens, com base em Campinas (SP). Após o sucesso obtido com a visita do primeiro grupo ao RN, a empresa está preparando mais duas saídas para visitação ao estado. “O Rio Grande do Norte já possui uma certa consolidação no quesito turismo quando se trata de Natal, agora a Catedral Viagens se esforça em promover o circuito religioso do RN, apresentando aos peregrinos a história dos protomártires e da estátua de Santa Rita de Cássia”, revelou o diretor de marketing da Catedral, Luís Mourão.

Para Marcela Pessoa, secretária de turismo de Santa Cruz, a promoção do destino é fundamental para impulsionar o município, que conta com um atrativo turístico diferenciado. “O turismo religioso é de suma importância para o Rio Grande do Norte por ser um segmento que tanto cresce no Brasil e no Mundo. Em Santa Cruz, o segmento vem transformando a cidade nos últimos dez anos. Acreditamos na sua força para desenvolver economicamente o nosso município”, ressaltou.

A proposta da EMPROTUR para 2020, é divulgar o turismo religioso em regiões do Brasil onde o ele já é consolidado. “Temos ações previstas em Aparecida, no primeiro semestre, e no Círio de Nazaré, no mês de outubro. O nosso o objetivo é fazer com que os importantes atrativos ligados ao segmento religioso do RN se unam aos tradicionais atrativos de sol e praia e se tornem mais conhecidos e procurados pelos turistas”. Revelou o diretor da Empresa, Bruno Reis. “Além disso, vemos no turismo religioso uma importante oportunidade para movimentar a baixa estação em todo o RN”, concluiu.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rannieri Oliveira disse:

    Não vamos esquecer do santuário do Lima em Patu,

  2. Sérgio disse:

    Pra quem gosta de adorar estátua, o RN é um paraíso. A mais nova é a de Iemanjá!

  3. Rafael Pinheiro disse:

    Não graças a nossa (des)Governadora que é Ateia, para existi qualquer turismo no estado , tem que investir em segurança! Coisa que não esta existindo nesse governo

  4. Paulo Cesar disse:

    Enquanto isso, Canguaretama continua sem qualquer infraestrutura p desenvolver o Turismo religioso dos Mártires do Cunhaú

Petrobras inicia venda de usinas eólicas no Rio Grande do Norte

Foto: Divulgação/Ari Versiani/PAC

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira(31) o início da venda de sua parte em duas usinas eólicas: Mangue Seco 1 e 2.

A primeira etapa é a chamada “divulgação de oportunidades”, em que a empresa divulga informações sobre as unidades e sobre os critérios de elegibilidade para os interessados em comprar as usinas localizadas em Guamaré no Rio Grande do Norte.

Cada usina tem capacidade de gerar 26 megawatts (MW) de energia elétrica através de turbinas acionadas pelo vento. Elas fazem parte do complexo Mangue Seco, que inclui mais duas usinas com a mesma capacidade.

A Petrobras detém 49% de Mangue Seco 1. Os outros 51% são da empresa Alubar Energia S.A. Já em Mangue Seco 2, a Petrobras é sócio majoritária, com 51%, enquanto a Eletrobras detém 49% do empreendimento.

Segundo informações do site da estatal, a empresa também detém participação nas outras duas usinas do complexo e na usina eólica de Macau.

Refinarias

A empresa também divulgou hoje o início da fase vinculante da venda de suas refinarias Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas; Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (Lubnor), no Ceará; e Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), no Paraná.

As três têm capacidade de processar 60 mil barris de óleo por dia: Reman (46 mil), Lubnor (8 mil) e SIX (6 mil). Os potenciais compradores que foram habilitados para essa fase receberão uma carta-convite com informações sobre a venda e para o envio de suas propostas vinculantes de compra.

A venda dos ativos faz parte do projeto de desinvestimentos da estatal e está, segundo a empresa, alinhada “à otimização do portifólio e à melhora de alocação do capital da companhia, visando a maximização de valor para os seus acionistas”.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Aonde que a venda dos nossos ativos e patrimônio é um bom negócio pro nosso país meu caro Ivan. Você tem alguma noção do fala? Olha esse artigo Brazil for sale de 27 Janeiro escrito por Afonso Costa.
    Esse artigo irá te esclarecer os reais interesses de Paulo Guedes nessa política de vender nosso patrimônio. Acesse esse link aqui https://aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/4188-brazil-for-sale

  2. Junior disse:

    Vendendo o patrimônio para comprar pêlo dobro a mesma energia aos amigos aliados, esse é o Brasil das mudanças.

  3. Ivan disse:

    Deviam acabar com esses "desinvestimentos" e privatizar logo, acho q arrecadaríamos mais!!!!

  4. Souzão disse:

    O desmonte é grande!!!

    • Manoel disse:

      O que você chama de desmonte é o fim da corrupção, acabou a mamata da turma vermelha.

    • Matematica disse:

      A odebrecht é uma empresa privada. Foi corrupta? Praticou corrupção.

    • Manoel disse:

      A Odebrecht era contratada da Petrobras e nesses contratos foi onde houve o maior esquema de corrupção da história mundial, entende? Quanto menos estatais o Estado tiver, menor a chance de corrupção e apadrinhamentos…

Novo tremor foi registrado no litoral do Rio Grande do Norte no último domingo

No domingo(19), às 07:58 UTC (04:58, hora local) ocorreu um novo tremor no litoral do RN, desta vez de magnitude preliminar estimada em 1.4. O epicentro foi localizado a aproximadamente 16 km a NNE de Touros. Esse evento foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.

O mapa de localização epicentral está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. A estrela vermelha indica o epicentro do sismo de ontem. A estrela amarela indica o epicentro do evento de 04/05/2019. A linha vermelha indica a Falha de Samambaia. Os triângulos vermelhos mostram a localização das estações de João Câmara (ACJC) e Riachuelo (RCBR).

O registro do evento pela estação ACJC está mostrado na Figura 2.

Figura 2. Registro do evento em ACJC.

“Atualizando o que comentamos acerca do tremor de 04/05/2019, olhando para a Figura 1, podemos conjecturar, levando-se em conta as possíveis imprecisões na determinação epicentral se esses eventos podem ou não estar localizado num possível prolongamento da Falha de Samambaia no oceano. Se essa hipótese vier a se confirmar com o tempo, teríamos então uma falha sismogênica de aproximadamente 100 km de extensão”, resumem os sismógrafos.

Fonte: LabSis/UFRN, RSBR
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes

Número de mortes violentas cai 26,3% no RN em 2019

Segundo dados da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine) da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social do Rio Grande do Norte (Sesed), em uma parceria com o Observatório da Violência (Obvio), o ano de 2019 comparado com o anterior registrou uma queda de 26,3% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). Em números, de janeiro a dezembro do ano passado foram 1.446 mortes, contra 1.963 no ano anterior.

O levantamento ainda informa que o mês de dezembro foi o mais violento segundo o Obvio: foram 132 óbitos, crescimento de 16,8% em relação ao mesmo mês de 2018, que registrou 113 mortes. Já o período com o menor índice em 2019 foi fevereiro. Foram 103 óbitos em 2019, contra 181 no ano anterior, o que equivale uma queda de 43,1%.

Brasil fecha acordo e melão produzido no Rio Grande do Norte pode ser exportado para a China

Foto: Divulgação

Nesta semana o Ministério da Agricultura divulgou a concretização do acordo que dá início ao processo de exportação de melão brasileiro para o território chinês.

O acordo já estava sendo encaminhando há alguns meses. Em outubro deste ano, a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, viajou até a China para discutir as novidades no mercado agropecuário brasileiro, estreitando o laço para a finalização do acordo.

A novidade agradou os produtores potiguar e é importante salientar que o Rio Grande do Norte é o maior produtor de melão do país e segue mantendo o alto padrão de qualidade exigido pelos países importadores.

O Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária, IDIARN, é responsável pelo processo de fiscalização do plantio de melão do Estado, assim como também, pelo monitoramento da área livre de moscas-das-frutas, atualmente composta por 13 municípios e em processo de ampliação para mais 08, perfazendo mais de 15.077 km² de área.

As moscas das frutas (Amastrepha grandis e Ceratitis capitata) são uma praga que preocupa produtores e agricultores. A presença dos insetos nas plantações pode trazer uma redução significativa na produção devido ao ataque da praga.

O IDIARN também é responsável pelo funcionamento das barreiras fitossanitárias (fixas e móveis), fiscalização da execução de boas práticas fitossanitárias pelos produtores de cucurbitáceas, fiscalização do comércio interno e a Certificação Fitossanitária de Origem (CFO), ações que beneficiam o trabalho no campo.

Praia de Galinhos, no Rio Grande do Norte, é a nova descoberta do verão, destaca reportagem da Folha de SP

Foto: Reprodução/Youtube

Nem Pipa nem São Miguel do Gostoso. Na próxima temporada, um areal rodeado por dunas, com piscinas naturais desertas e que atende pelo nome de Galinhos é o lugar para quem quer distância de badalação e procura refúgio em praias do Rio Grande do Norte. Colado a ele está o seu distrito vizinho, Galos.

Não é tarefa das mais fáceis chegar a esse pedaço da costa pouco explorado pelo turismo de massa, localizado a cerca de 170 km da capital, Natal.

Isolado por dunas e água salgada, Galinhos fica na ponta de uma península, braço de terra que avança sobre o mar, ocupando área de 342 km².

A pequenina cidade é acessível por barco, bugueiros aventureiros ou até por automóveis tração 4×4, conduzidos por quem conhece a região e, mesmo assim, corre o risco de ficar atolado na areia fofa.

O jeito mais rápido e, digamos, cômodo de alcançar aquelas terras é sair de Natal ou São Miguel do Gostoso por estrada de asfalto, a BR-406.

A viagem, de aproximadamente duas horas, corta a vegetação da caatinga, cruza cidadezinhas perdidas no tempo e passa no meio de salinas.

O ponto final é o estacionamento do porto de Pratagil, mantido pela prefeitura, gratuito e com segurança 24h. De lá, é só tomar um dos barcos que fazem a travessia para desembarcar no destino final em um trajeto de 15 minutos.

Outra opção, recomendada para os mais aventureiros, é seguir de bugue de São Miguel de Gostoso até Galinhos, percorrendo 80 km, passando por praias desertas do litoral norte potiguar.

Qualquer que seja a escolha, o esforço justifica-se caso você procure por ambientes tranquilos, nos quais a natureza opera soberana.

Galinhos tem praias tranquilas de águas mornas e transparentes. É um lugar rústico. Suas poucas ruas são calçadas de paralelepípedos. A maioria segue de areia, onde circulam bugues ou burros-táxi, charretes puxadas pelos bichinhos —o passeio até o farol leva meia hora e custa R$ 30.

Erguida em 1931, a construção orienta navegações na região. É também um ponto para ver o pôr do sol, na praia do Farol. Esse trecho é o mais seco da costa brasileira: as raras chuvas concentram-se entre março e abril.

Cercado por uma atmosfera bucólica e acolhedora, Galinhos e seu distrito vizinho, Galos, têm menos de 3.000 moradores. Os dois destinos caíram no gosto de estrangeiros, sobretudo franceses, que fogem do agito de Natal e Pipa, à procura de praia intocada.

As duas localidades fazem parte da Costa Branca, roteiro marcado pela vegetação da caatinga, dunas multicoloridas, falésias, extensas praias desertas e uma das maiores produções de sal do Brasil.

O nome do município está associado a antigas histórias de pescaria. Antigamente, ali havia o peixe-galo, mas uma espécie um pouco menor, conhecida como “galinhos”. Na praia ao lado, a 3 km na direção leste, a pescaria era outra, mais graúda: a de peixes-galo do alto, esses, bem maiores. Assim, as praias foram batizadas por moradores, respectivamente, de Galinhos e Galos.

Quem dita a pauta da estadia é a natureza. Lagoas se transformam em piscinas naturais. Ao sabor da maré, praias isoladas surgem. Horas depois, desaparecem. Montanhas de sal embranquecem o horizonte.

Muita gente confunde, mas o traço largo de água que separa a cidade do continente é um braço de mar —e não um rio.

Nele, há um mangue preservado, que abarca berçários de caranguejos e ostras que se fixam nas raízes, além de cavalos-marinhos, peixes-morcegos e estrelas-marinhas. Devido à alta concentração de sal na água, é fácil simplesmente ficar boiando.

É nesse cenário que ocorrem tours gastronômicos preparados pelo nativo Júnior Tubarão, 29. Em seu passeio de barco, mostra espécies de plantas, peixes, aves, como a rara garça-azul. Faz uma pausa num lugar chamado Gamboa da Areia, para coletar ostras que serão saboreadas pelos visitantes, junto com vinho branco e espumante.

Ele escolhe uma praia deserta para a parada na qual provaremos ceviche de cavala-branca, molho manguezal e sashimi de pescada. O passeio de quatro horas para grupos de quatro sai por R$ 130/pessoa —bebidas à parte.

Bem diante de cata-ventos gigantes do parque eólico na Dunas do Capim, o percurso segue. Desta vez, de bugue, cruzando montes de areia com paradas estratégicas para apreciar o Atlântico.

É bom proteger a boca e os olhos porque ali venta a dedéu, com correntes que chegam a 50 km, ideais para a prática de esportes náuticos, como o winde e o kitesurfe.

Em Galinhos e Galos, o visitante precisa de disposição para caminhar, para desbravar, para encarar dunas, mas é agraciado com banhos relaxantes em praias calmas.

Para isso, precisa, sobretudo, esquecer o luxo. Já existem, porém, pousadinhas charmosas tocadas em sua maioria por estrangeiros.

Para evitar perrengue, outra dica: leve dinheiro em espécie, apesar de ser crescente o número de estabelecimentos que trabalham com cartão de crédito e débito. Em Galinhos, tampouco em Galos, não há bancos nem caixas eletrônicos.

PACOTES

2 noites em Galinhos, na Top Brasil Turismo (topbrasiltur.com.br)
Com café da manhã, na pousada Peixe Galo, em acomodação dupla .Preço por pessoa. Pacote não inclui passagens aéreas

R$ 1.915
6 noites entre Natal e Galinhos, na Maringá Lazer (maringalazer.com.br)
Com café da manhã, no D Beach Resort, com acomodação dupla. Hospedagem em Natal. Inclui city tour pela capital potiguar, passeio à praia de Galinhos e traslados. Preço por pessoa. Com passagens aéreas a partir de São Paulo. Pacote entre os dias 19 e 25 de março

R$ 1.957
7 noites em Natal, na Submarino Viagens (submarinoviagens.com.br)
Com café da manhã, no hotel Recanto da Costeira, em acomodação dupla. Preço por pessoa. Pacote inclui passagens aéreas com embarque em São Paulo

R$ 3.850
5 noites em Touros, na Abreu (abreutur.com.br)
Com regime de alimentação all-inclusive, no hotel Vila Galé Touros, em acomodação dupla. Inclui traslados entre o aeroporto de Natal e o destino. Preço por pessoa. Com passagens aéreas a partir de São Paulo. Pacote entre os dias 5 e 10 de fevereiro

Folha de SP

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Lugar bacana e bom demais, só faltava colocar mais uma dose de açúcar na água

  2. Geni disse:

    Conheço Galinhos, e em especial Galos. É um paraíso que vou pelo menos uma vez ao ano. Tranquilidade total e energias renovadas

  3. Alguém disse:

    HAHAHAHHAHA
    Deixe chegarem aqui, preço exorbitantes, atendimento péssimo, assalto na ida ou volta do aeroporto.

    Sucesso garantido.

    • Dr. Veneno disse:

      Va conhecer Galinhos e renovar suas energias.
      Deixe de negativo. O q vc relatou pode muito bem não acontecer.

    • Diogo disse:

      Né isso, qualquer coisa q fale do RN o pessoal já mete desgraça, isso que é ódio interno.

Rio Grande do Norte receberá 12 novos parques eólicos até o final de 2025

Foto: ABEEólica/Divulgação

O Rio Grande do Norte receberá 12 novos parques eólicos até o final de 2025, totalizando mais 161,800MW de potência instalada.

Os novos parques eólicos foram contratados no leilão A-6 realizado na última sexta feira dia 18/10/2019.

No pacote, o estado também receberá mais duas usinas solares com potência total instalada de 80MW.

FOTOS: Profissionais da CASACOR Rio Grande do Norte recebem premiação pela edição 2019

Foto: Raul Gama

Uma noite de expectativa e celebração. Assim foi a premiação da edição CASACOR Rio Grande do Norte nesta quarta-feira (09), no Olimpo Recepções. A festa para profissionais e fornecedores revelou os vitoriosos da 5ª edição no Estado.

A premiação dos ambientes aconteceu durante um jantar, com os franqueados Cesar Revorêdo e Luciano Almeida. A jornalista Luíza Ribeiro foi a mestre de cerimônias e contou com a ajuda do arquiteto Thyago Dantas. De forma descontraída, os vencedores foram anunciados com abertura de envelopes e entrega do troféu por representantes dos fornecedores da Mostra.

Entre os ambientes premiados estão: Lounge de recepção, projetado pela arquiteta Lorena Azevedo, que levou o prêmio de 1º Lugar em Finalização. A Cozinha Deca, criada pela arquiteta Samara Gosson recebeu o prêmio de Melhor Projeto Luminotécnico. O ambiente Estúdio Pedra foi o Melhor Uso da Arte, Design e Artesanato, criado pelas arquitetas Gracita Lopes e Sheila Lopes, que também levaram o prêmio de Projeto Destaque do Júri Técnico. O prêmio de ambiente de Maior Uso Tecnológico foi para a Varanda das Dunas, projetado por Renata Matos, ganhadora também do prêmio Projeto Destaque pelo Júri Imprensa. O prêmio originalidade foi para a Casa Eva, projetado pelo arquiteto Matheus Bulhões. O Restaurante, criado pelo arquiteto Renato Teles levou o prêmio de Melhor Projeto Comercial de Uso Público. O prêmio projeto Planeta Casa foi para o Living do Explorador, projetado pelos arquitetos Rita Ribeiro e Rodrigo Gurgel. A arquiteta Marília Bezerra, que criou o ambiente Teto Afeto, foi a grande vencedora do prêmio Projeto Destaque, escolhido pelo júri popular. A recepcionista do Living do Explorador, Kasylla Leite, foi escolhida como a melhor de 2019. E o título de fornecedor do ano foi para a loja Officina Interiores, de Renato Raposo.

Fotos: Raul Gama

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo Benevides disse:

    Podiam informar quem é quem nas fotos.

Rio Grande do Norte terá de qualificar 85.901 trabalhadores para a indústria até 2023

Foto: Ilustrativa/iStock

Com o avanço das energias renováveis e do conceito de indústria 4.0, as profissões transversais e ligadas à tecnologia estarão entre as mais buscadas nos próximos cinco anos no Rio Grande do Norte. Neste período, o estado tem o desafio de qualificar 85.901 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento. É o que mostra o Mapa do Trabalho Industrial 2019 e 2023, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e publicado nesta segunda-feira (30).

O estudo se propõe a subsidiar a oferta de cursos da instituição, como também a apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. As ocupações têm em sua formação conhecimentos de base industrial e por isso são oferecidas pelo SENAI, mas os profissionais podem atuar em qualquer setor da economia.

Divulgado nesta segunda-feira (30), o Mapa mostra que no topo do ranking por áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica no Rio Grande do Norte estão as chamadas transversais (3.203), ocupações compreendidas como aquelas cujos profissionais estão aptos a trabalhar em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção, pesquisadores e desenvolvimento. Seguido por energia e telecomunicações (2.017), metalomecânica (1.833), construção (1.507) e informática (1.493).

Veja mais: Estudo aponta áreas com maior demanda por formação técnica no RN; confira

O diretor regional do SENAI-RN, Emerson da Cunha Batista, analisa que o fato do Rio Grande do Norte ter forte atuação nos segmentos de energias renováveis, com a liderança na geração de energia eólica no país e potencial de crescimento exponencial com a energia solar fotovoltaica reflete no fato de as duas áreas com maior demanda de formação técnica ser a de profissionais transversais e de energia e telecomunicação. Com as ocupações industriais de Técnicos em eletricidade e eletrotécnica e Técnicos em eletrônica liderando a demanda.

“Com a ascensão da indústria de energias renováveis, seja ela solar ou eólica, no estado, estão ligadas diretamente com essas áreas transversais. Porque não é só a instalação de painel solar fotovoltaico, há toda uma rede ligada que interfere e demanda profissionais qualificados. Construção civil não é apenas levantar prédio, há o estudo da acústica instalada nas paredes, da térmica de ambientes, do uso de sensores na parte elétrica para reduzir ou eliminar fiação”, explica ele.

Para 2020, o SENAI-RN tem previsão de 31 mil vagas para matrículas em cursos de educação profissional nas mais diversas áreas de atuação. “Tudo isso requer conhecimento, que deve ser começado o quanto antes para que esses profissionais estejam formados, nesses cinco anos, para atender a indústria e demais áreas que vão precisar deles. E começar hoje”, completa. Os cursos técnicos têm carga horária entre 800h e 1.200h (1 ano e 6 meses) e são destinados a alunos matriculados ou egressos do ensino médio.

As áreas com maior demanda por trabalhadores com cursos de qualificação estão confecção e vestuário, metalmecânica – área que deverá ter um acréscimo com a retomada do crescimento econômico -, além de construção, logística e transporte. E entre as ocupações estão operadores de máquinas para costura de peças do vestuário, padeiros e confeiteiros.

“O SENAI-RN dispõe em suas unidades, em Natal e interior, de cursos que atendem todas as áreas apontadas no mapa. Inclusive com formação e oferta de cursos também por demanda, quando temos listas de espera. Temos cursos nas áreas de construção, confecção, alimentos, panificação, energias, metalmecânica, entre outros, com padrão de excelência e certificação”, lembra o diretor.

Já em nível superior, segundo o Mapa, as áreas de gestão, informática e construção serão as que mais vão precisar qualificar profissionais no período de 2019 a 2023, no estado potiguar.

Formações estão ligadas às novas tecnologias

Com o advento da quarta revolução industrial, a chamada indústria 4.0, explica o diretor regional do SENAI-RN, Emerson da Cunha Batista, todas as profissões vão precisar de conhecimento sobre tecnologias, seja em pequenas aplicações, como uso de sensores, pequenas automações nos processos de produção, gestão ou eliminação de desperdícios.

“O uso das novas tecnologias não é somente numa visão futurística da robótica, mas nas pequenas automações também. O pedreiro, hoje, não trabalha só com a colher de pedreiro, ele vai ter que entender e lidar com máquinas, sensores que contam os tijolos que passam na esteira, por exemplo. Ou seja, requer esse conhecimento, a atualização por meio de cursos de formação, qualificação técnica”, explica o diretor.

No estado, segundo aponta o estudo, há uma forte tendência pelos cursos de aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. “Esta é uma demanda que nós já atendemos. São profissionais que já estão no mercado de trabalho e buscam se aperfeiçoar na área escolhida. A constância da educação continuada leva a excelência e contribui para a permanência, crescimento ou mesmo recolocação no mercado de trabalho”, disse.

Neste sentido, Emerson Batista observa que o mercado de trabalho prioriza o profissional que tem excelência na área de atuação. “O ideal é que o trabalhador, em vez de fazer muitos cursos de formação inicial em áreas diversas, ter foco numa área de atuação e realizar todas as qualificações necessárias para se tornar o melhor, o que traz as soluções”, afirma.

Em parcela menor (27%) no RN, estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões.

Senai-RN, com informações de Sara Vasconcelos, jornalista Unicom/FIERN

 

 

Mês de agosto gerou 3.739 empregos formais no Rio Grande do Norte, 3ª maior variação percentual do país

Foto: Ilustrativa

O mês de agosto gerou 3.739 empregos formais no Rio Grande do Norte. Variação de 0,89% no estoque de empregos formais. A informação é da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia.

Os números positivos para o Rio Grande do Norte representam a terceira maior variação percentual do país, abaixo apenas da Paraíba, com (1,7%) , e Alagoas (1,06%).

Trabalhadores dos Correios encerram greve no RN

Os trabalhadores dos Correios do Rio Grande do Norte encerraram na nessa terça-feira (17) a greve que havia começado no dia 11 de setembro. A adesão à paralisação seguiu a orientação nacional da categoria, assim como a decisão pelo fim da movimentação grevista.

A movimentação teve início com o propósito de ser contra o projeto de venda dos Correios ao setor privado, bem como de brigar pela manutenção de cláusulas sociais, econômicas e trabalhistas no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

Com informações do G1-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Irany Gomes disse:

    A privatização está a caminho, aí é tarde para fazer greve…

  2. DeSacoCheio disse:

    E estavam em greve? Nem percebi. As correspondências continuaram NÃO chegando.

Busca ativa por pretendentes impulsiona adoção internacional no Rio Grande do Norte

Na manhã dessa terça-feira (27) a equipe da Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional do Estado do Rio Grande do Norte (CEJAI/RN) se despediu de dois irmãos adotados por um casal de italianos, em um café da manhã realizado na sede da Corregedoria Geral de Justiça. Os dois fazem parte do grupo de onze crianças e adolescentes que foram adotados por famílias estrangeiras em 2019. O número, mais alto que a média registrada até então, se deve ao novo método de busca ativa adotada pelas Corregedorias do país.

Desde o ano passado, uma nova versão do Cadastro Nacional de Adoção, agora chamado Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento (SNA), traz a criança como sujeito ativo na busca por pretendentes à adoção. Isso tem sido feito tanto para adoções dentro do território nacional quanto para as internacionais. O sistema encontra para as crianças pretendentes que buscam por um perfil parecido com o dela, não necessariamente igual, para que as chances sejam ampliadas.

O juiz corregedor Diego Cabral, membro da CEJAI/RN, ressaltou que o processo de adoção internacional é extremamente seguro para ambas as partes, principalmente para a criança. “Existe uma convenção por trás que exige uma série de pré-requisitos para serem preenchidos”, explicou.

“Se tem a ideia que o Brasil está se desfazendo de suas crianças, mas não é isso, é preciso desmistificar e abrir os olhos, na verdade a adoção internacional é uma oportunidade para crianças e adolescentes de terem uma família. E notadamente uma adoção internacional é uma alternativa para que essas crianças, que a gente chama de ‘perfil difícil’ na adoção nacional. Quando chega entre os 10 ou 12 anos se percebe uma dificuldade na adoção aqui, mas ainda existem chances na internacional”, completou o juiz.

Agora, com o uso da busca ativa pela Corregedoria, o juiz acredita que cada vez mais crianças possam ter a oportunidade de encontrar uma família. Ele atribuiu o crescimento no número de adoções ao trabalho que se tem feito dentro da Corregedoria em parceria com outros atores importantes no processo. “Foi fruto de um trabalho conjunto, a confiabilidade do procedimento foi fundamental. A comissão estadual tem se envolvido muito fazendo, juntamente com a 1ª Vara da Infância de Natal, a equipe técnica e dos juízes do acolhimento uma busca ativa, que procura fazer esse contato com os organismos internacionais, com as equipes técnicas e com as varas para fazer a vinculação adequada”.

Ineditismo

A servidora Celly Elane, da CEJAI/RN, destaca que o processo de adoção das onze crianças foi inédito pela quantidade, por todas pertencerem a grupos de irmãos, pelo fato de todas já estarem em casas de acolhimento (destituídas do poder familiar, sob a tutela do Estado) e também por terem vindo de cidades do interior.

Cinco famílias italianas adotaram três grupos de irmãos. Segundo Celly a adoção de mais de três irmãos é muito rara, mas os que se separaram durante o processo vão continuar cultivando vínculos, estimulados pelos seus novos grupos familiares.

“No exterior, principalmente, a gente busca manter o maior número de irmãos possíveis juntos”, disse a servidora. “A lei preconiza que eles adotem mediante ao comprometimento de vinculação, eles se encontram nas festas, nas férias, via internet, para não perderem o contato, fazem isso por amor e por comprometimento dos pais”, completou Celly.

Despedida

Os irmãos G.P., de 11 anos, e A.E., de 5 anos, não pareciam tímidos junto aos seus novos pais, afinal, as crianças passaram 30 dias em Natal convivendo diretamente com eles. Antes disso, já estavam se comunicando por videoconferência desde que a busca ativa formou a nova família. Os pais, italianos, compraram uma camisa do time de futebol favorito do filho, decoraram o quarto da filha com personagens de seu desenho preferido. Mesmo antes de se encontrarem, o vínculo entre eles já estava estabelecido.

O estágio de convivência mínimo de um mês é obrigatório para todos os casais internacionais que buscam a adoção no Brasil. Agora, ao fim desse período, eles estão prontos para prosseguir com o processo e levar os filhos para o novo lar.

O corregedor geral de Justiça, desembargador Amaury Moura, chamou atenção dos presentes no café da manhã para dizer o quanto ele estava feliz em estar presente na oportunidade.

“Realmente é um momento que emociona, é um momento sobretudo de demonstração de amor, é uma família que recomeça. A gente percebe a satisfação e vê no semblante do casal essa alegria, esse ar de felicidade quando adota. No contato com as crianças a gente vê que eles estão ali realizando um sonho e isso é o que é mais importante, esse gesto de amor que leva ao caminho para a felicidade, para a convivência em família com pai e filho e que tem que ser sempre amparada pelo amor”, comentou o desembargador.

Amaury Moura pontuou que além da parte burocrática, a CEJAI lida com emoções. “Nós que lidamos com isso no dia a dia, no trato e no procedimento das ações de adoção, nos realizamos profissionalmente e como ser humano. Vemos nesse gesto a grandeza do casal, adotar de uma vez só outro casal de crianças que vão agora ter seu lar e enfim serem felizes”, completou o presidente da CEJAI/RN.

Estágio de convivência

O casal de italianos, agora pais de duas crianças, comenta que o estágio de convivência foi fator determinante para que eles pudessem escolher o Brasil como o país em que procurariam por seus filhos. “Eu achei muito importante, pois é um período que a criança vai aproveitar com os pais e vai se adaptar dentro do país dela, com sua língua e seus costumes para depois ir para a Itália. Imagine se não houvesse estágio de convivência e a criança fosse direto para o outro país? Assim não tem o trauma e a criança já se acostuma com o processo”, comentou o pai, Giovanni Carrelli.

A mãe, Lucia, diz que inicialmente só pensavam em adotar uma criança, “mas frequentamos grupos com outros casais e vimos que se a criança tivesse irmãos seria bom mantê-los juntos, para que crescessem juntos, fazer companhia e dar força um para outro”. Sobre o perfil da adoção o casal disse não se importar com todas as exigências que geralmente são feitas. “A cor da pele não é importante e nós não queríamos uma criança muito pequena. Quanto ao sexo, a gente não escolheria também se fosse biológico então não é importante para nós”, comentou Lucia.

Giovanni salientou que durante o período de convivência eles se comportaram como eles mesmos, para que a adaptação fosse natural. “Tanto nas partes boas quanto ruins. Como qualquer pai falando, por exemplo, se vamos comprar determinada coisa ou não, se precisar colocar de castigo colocamos. Tudo muito natural”, explicou.

O advogado do casal, Marco Baroni, é representante da Il Mantello, uma organização internacional que atua na Itália, na Bulgária e tem representantes nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Ainda na Itália, eles iniciaram o processo de adoção junto a Commissione per le Adozioni Internazionali (CAI), o órgão equivalente à CEJAI no país.

Procedimento Adoção Internacional

Para se habilitar para adotar uma criança no Brasil, o estrangeiro deve primeiro fazer o processo no seu país de origem. Lá, seguindo a legislação local, eles informam o perfil e é realizado um estudo psicossocial.

Depois, o país em questão encaminha todo o dossiê do pretendente, por meio do organismo internacional, para o órgão responsável no Brasil. Eles se submetem a um segundo processo de habilitação por meio da CEJAI, composta por um colegiado que é presidido pelo corregedor geral de Justiça, dois magistrados e um membro representante da OAB. O Ministério Público também analisa toda a documentação.

O processo de habilitação leva no máximo 40 dias se toda a documentação entregue estiver correta. São seguidas rigorosamente as determinações do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e do regimento interno da CEJAI.

Depois de todos os passos de segurança, os pretendentes recebem um laudo de habilitação com validade de um ano. Então, por meio de seu advogado, podem dar entrada na esfera judicial do processo quando a criança é escolhida. A 1ª Vara de Infância e Juventude de Natal é a única do estado que tem competência para realizar esse processo, e o juiz responsável, José Dantas de Paiva, também faz parte da CEJAI.

Realizada a entrada no processo de adoção é marcada uma audiência, onde é deflagrado o prazo de 30 dias de estágio de convivência. O casal tem que ficar esse período mínimo no país, convivendo com a criança. A equipe técnica da 1ª Vara vai até o local onde eles estão, realizando várias visitas durante esse período, para fins de acompanhamento. Ao final a equipe faz um relatório que fica anexado ao processo. O Ministério Público, de posse desses documentos, vai deferir ou não o processo de adoção. Em caso positivo, o juiz marca uma nova audiência, escuta todas as partes novamente e dá a sentença.

O processo então volta para a esfera administrativa, na CEJAI, onde o Corregedor emite o último documento, o certificado de conformidade, dizendo a todas as autoridades dos dois países, inclusive a Polícia Federal, que todo aquele regulamento está de acordo com a Convenção de Haia, com o Estatuto da Criança e do Adolescente e com a Constituição Federal, é um documento de segurança. Feito isso é finalizado o processo de adoção, mas a nova família deve enviar semestralmente, por dois anos os relatórios semestrais pós adotivos.

TJRN

 

Dados do IBGE: saiba o número de habitantes nos municípios do Rio Grande do Norte

A população do Brasil ultrapassou a marca de 210 milhões de habitantes, de acordo com dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicados nesta quarta-feira pelo Diário Oficial da União. A estimativa considera o total de habitantes nos estados e municípios em 1º de julho de 2019. O novo total (de 210.147.125 habitantes) representa uma alta de 0,79% em relação às informações obtidas pelo IBGE no ano passado. Em 2018, a estimativa era de que o país abrigava 208,5 milhões de pessoas. O novo levantamento informa que a população do Rio Grande do Norte possui 3.506.853 habitantes.

A nova estimativa representa um aumento de 0,80% em relação ao que havia sido publicado pelo IBGE em 2018, quando o total de habitantes no RN era de 3.479.010 de pessoas. Entre as cidades mais populosas, Natal é a maior com (884.122 habitantes), seguida de Mossoró (297.378) e Parnamirim (261.469). (Para acessar os demais municípios potiguares, basta digitar o nome, pausadamente, acima da tabela).

Ainda em relação aos municípios, a projeção do IBGE identificou que as 27 capitais dos estados reúnem 23,86% da população brasileira — o equivalente a mais de 50 milhões de pessoas. Consulte abaixo a estimativa para o número de habitantes no seu município e a taxa de crescimento dele no último ano.

O crescimento populacional identificado no país este ano foi menor do que o registrado entre 2017 e 2018 (0,82%). Dos 5.570 municípios do país, 28,6% apresentaram redução populacional no último ano. E aproximadamente metade deles (49,6%) cresceu entre zero e 1%. O restante (4,8%) apresentou alta igual ou superior a 2%.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sylvia disse:

    Parabéns pela correta análise Nvng.

  2. Luciana Morais Gama disse:

    Maceió, São Luiz, já passaram Natal pra trás, muito breve Teresina e João Pessoa….. Isso é o retrato de uma política de ALVES/ MAIA…. e ainda corremos o risco de um PT….

    • Nvng disse:

      Essa comparação é incorreta: por mais problemas políticos que Natal possua, a sua limitação populacional é fortemente ligada ao seu pequeno território. É a segunda menor capital do país, maior apenas que Vitória.

      Assim, o crescimento populacional ocorre agora quase exclusivamente nos municípios vizinhos.

      Os outros municípios citados têm área muito maior.

MPF obtém condenação de mais uma envolvida em desvio no Ministério do Trabalho via Superintendência Regional no Rio Grande do Norte (SRTE/RN)

O Ministério Público Federal (MPF) obteve a condenação por peculato da oitava integrante do grupo formado por servidores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) envolvidos no desvio de recursos da Superintendência Regional no Rio Grande do Norte (SRTE/RN) – atualmente ligada ao Ministério da Economia –, entre 2006 e 2008. Ivana Nazaré Freitas de Oliveira era namorada do empresário beneficiado pelos desvios – Francisco de Assis Oliveira, da Glacial Refrigeração – e participou do esquema ajudando a liberar os recursos ilegalmente pagos à empresa.

Ela trabalhava como assessora da Secretaria Executiva do então MTE, em Brasília, e foi apontada como uma das “mentoras” do esquema, atuando exatamente em sua origem: a descentralização de recursos do ministério para a SRTE/RN. Parte desse dinheiro que chegava à superintendência local alimentava o desvio de verbas para a Glacial.

A empresa do então namorado de Ivana mantinha contrato até o fim de 2006 e uma prorrogação, abrangendo o ano de 2007, já havia sido definida. No entanto, a Controladoria-Geral da União (CGU) verificou irregularidades e determinou o cancelamento dessa prorrogação. Para promover nova contratação, foi elaborado um processo que teve prosseguimento mesmo depois de a Advocacia-Geral da União opinar pela desaprovação do edital. Não por coincidência, a Glacial foi novamente contratada, para o período de 5 a 31 de dezembro de 2007, quando deveria cuidar exclusivamente da manutenção de ar-condicionado, bebedouros e geladeiras.

A empresa, porém, passou a prestar serviços como a manutenção dos prédios e a fornecer equipamentos novos de climatização, recebendo inclusive por serviços não comprovados, tendo angariado ao final daqueles 26 dias um valor 100 vezes acima do previsto em contrato. A Glacial emitia notas fiscais com descrição fictícia de serviços, que eram “atestadas” por servidores envolvidos no esquema. A documentação, encaminhada para o setor financeiro, tinha sua quitação determinada pelo ex-chefe de Logística e Administração e seu substituto, respectivamente Marcelo Rodrigues Vaz e Raimundo Nonato Rodrigues.

Condenações – Ivana era uma das denunciadas na Ação Penal 0004452-43.2013.4.05.8400, porém seu caso foi desmembrado quando, mesmo citada por edital, não houve manifestação de sua defesa. A ex-servidora chegou a ter sua prisão preventiva decretada, sendo presa em 12 de dezembro de 2017 e solta no dia seguinte.

Na ação original já foram condenados por peculato – em primeira instância, ainda cabendo recursos – Marcelo Vaz; Raimundo Nonato; o então superintendente, Pedro Lopes de Oliveira; além do empresário Francisco Oliveira, da Glacial. Os quatro foram sentenciados ao regime inicial semiaberto, podendo apelar em liberdade. O MPF já recorreu, buscando o aumento das penas.

Os outros quatro servidores condenados – estes por peculato culposo, quando não há intenção de cometer o crime – foram sentenciados ao pagamento de cestas básicas: Maria das Dores Bezerra de Souza, Márcia Fonteneles de Souza, Francisco Januário de França e Lucy Duarte de Carvalho Ferreira Silva. Eles teriam sido negligentes ao contribuir para o esquema, ainda que não tenham agido de má-fé, mas também poderão recorrer. Já o acusado Ilton Ferreira de Menezes teve reconhecida a extinção de sua punibilidade, por ter falecido.

Números – Antes mesmo de ser publicado o contrato de dezembro de 2007, houve pagamento de R$ 15 mil à Glacial, quantia dez vezes maior que a prevista (R$ 1.529). Até o fim daquele mês o repasse total foi de R$ 155.818,49, valor 100 vezes acima do constante no contrato. Pouco antes, em outubro, chegou a se pagar mais de R$ 6 mil à empresa, sem que houvesse sequer contrato em vigência. Em 2008 as irregularidades continuaram. O aditivo previa em torno de R$ 18 mil para o ano inteiro, mas somente em janeiro a Glacial emitiu R$ 267 mil em faturas. Ivana chegou a ir a Natal (RN) e obter o afastamento de um servidor que glosou (anulou) alguns pagamentos à Glacial.

Apenas em agosto de 2008 foi determinada a suspensão dos repasses, ainda assim houve um último pagamento de R$ 64 mil, por ordem de Raimundo Nonato. Em janeiro de 2013, Marcelo Vaz e Raimundo foram demitidos dos cargos, enquanto Pedro Lopes Filho teve sua exoneração do cargo em comissão convertida em “destituição de cargo”. Ivana também já havia sido demitida por conta das irregularidades, após ser alvo de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

A sentença judicial estipulou pena de 8 anos de reclusão para a ex-servidora, a ser cumprida em regime inicialmente semiaberto, além da perda do cargo (medida relevante, já que a decisão tomada a partir do PAD pode vir a ser revista, o que permitiria o retorno de Ivana às antigas funções). Ela poderá, no entanto, recorrer da sentença em liberdade. O processo específico de Ivana Nazaré tramita na Justiça Federal sob o número 0807303-80.2017.4.05.8400 e a sentença é de autoria do juiz federal Adrian Amorim.