Polícia

Delegado: Dr. Jairinho ligou para políticos para ‘acelerar burocracia’ no IML

Foto: Renan Olaz

Após a morte do menino Henry Borel, de 4 anos, em 8 de março, o vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade), ligou para o governador em exercício do Rio de Janeiro, Claudio Castro (PSC) e para outras pessoas do meio político.

Dr. Jairinho e a mãe do menino, Monique Medeiros, foram presos temporariamente por 30 dias pela Polícia Civil nesta quinta-feira (8).

O objetivo das ligações no dia do crime, segundo o delegado Henrique Damasceno, responsável pelo caso, era “se garantir” e acelerar burocracias no Instituto Médico Legal (IML) da cidade.

Segundo o delegado, Jairinho queria que a tese de que a criança “passou mal, morreu e vamos enterrar logo” fosse confirmada.

Castro admitiu que recebeu uma ligação de Dr. Jairinho logo após a morte do enteado.

Em nota enviada pelo governo do estado, Castro afirmou que “limitou-se a explicar ao vereador que o assunto seria tratado pela delegacia responsável pelo inquérito e encerrou a ligação”.

Afastamento do cargo

Com a prisão preventiva, Dr. Jairinho teve sua remuneração como vereador imediatamente suspensa e ficará formalmente afastado do mandato a partir do 31º dia, de cordo com o artigo 14 do Regimento Interno da Câmara.

Ainda na tarde desta quinta-feira (8), o Conselho de Ética da casa se reunirá para discutir a situação do político, que é membro do órgão colegiado, incluindo seu afastamento imediato do cargo.

Além disso, o Solidariedade afirmou que o politico já foi afastado do partido até a conclusão das investigações.

“Aguardamos junto às autoridades competentes a apuração dos fatos com o processo de investigação e uma posição final da Justiça”, disse o Solidariedade, em nota.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

VÍDEO – Deputado Daniel Silveira resiste a usar máscara no IML: “E se eu não quiser botar? Se a senhora falar mais uma vez eu não boto. Respeito que não está falando com vagabundo”

Preso em flagrante na noite dessa terça-feira (16) por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) causou confusão no IML (Instituto Médico Legal) por resistir a colocar uma máscara, em função da pandemia do novo coronavírus.

O parlamentar foi conduzido ao local para realizar o exame de corpo de delito, antes de ser transferido para a Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. No IML, reagiu ao pedido de uma policial civil para que usasse a máscara, apontou o dedo e levantou a voz para ela.

“E se eu não quiser botar? Se a senhora falar mais uma vez eu não boto. Respeito que não está falando com vagabundo, não. A senhora é policial civil, eu também sou polícia, e aí? Sou deputado federal, e aí?”, disse. “Folgada pra caralho.”

A cena foi gravada e transmitida ao vivo na rede social do próprio deputado. Depois de resistir, Silveira acata o pedido da policial, mas meio minuto depois abaixa a máscara, que fica na altura da boca.

O ministro Alexandre de Moraes ordenou a prisão de Silveira após o deputado publicar um vídeo com ofensas contra ministros do Supremo. Ele é alvo de dois inquéritos na corte —um apura atos antidemocráticos e o outro, fake news.

Na decisão, Moraes disse que “medidas enérgicas” são necessárias para para impedir a perpetuação da “atuação criminosa” do parlamentar “visando lesar ou expor a perigo de lesão a independência dos Poderes constituídos e o Estado democrático de Direito”.

No vídeo, o deputado afirma que o ministro Edson Fachin é “moleque, mimado, mau caráter, marginal da lei” e depois acrescenta que é “vagabundo, cretino e canalha”. Silveira também fala que o ministro é a “nata da bosta do STF”.

O deputado também chama Alexandre de Moraes de “Xandão do PCC” em alusão à facção criminosa Primeiro Comando da Capital. Disse ainda que o ministro Luís Roberto Barroso “gosta de culhão roxo” e, ao falar de Gilmar Mendes, fez um sinal com os dedos indicando dinheiro.

A ordem de prisão do ministro Alexandre de Moraes é liminar (provisória) e ainda será submetida aos demais ministros da corte. O presidente do STF, ministro Luiz Fux, decidiu levar o despacho individual de Moraes para referendo do plenário nesta quarta-feira (17).

Além disso, a prisão ainda precisará ser avaliada pelos deputados e será levada à confirmação pela Câmara, em plenário. Os deputados podem derrubar a ordem, com quórum de maioria simples.

Em nota, a defesa do parlamentar afirmou que a prisão do parlamentar representa um “violento ataque” à liberdade de expressão e que tem evidente teor político.

Os advogados de Silveira sustentam que os fatos não configuram crime, “uma vez que acobertados pela inviolabilidade de palavras, opiniões e votos que a Constituição garante aos deputados federais e senadores”.

“A prisão do deputado representa não apenas um violento ataque à sua imunidade material, mas também ao próprio exercício do direito à liberdade de expressão e aos princípios basilares que regem o processo penal brasileiro”, diz a nota da defesa.

Folha de São Paulo

 

Opinião dos leitores

  1. Se fosse um vagabundo comum, tinha levado pêia, mas o policial federal que o acompanhava nem o repreendeu… Por quê bem?

  2. Esse cidadão está com a bolinha muito alta, precisa calçar as sandálias da humildade nem que sejam à força. Já colocaram uma pulseira…

  3. Nunca ouvi falar nessa doida descompensada, ela fez qual novela, Maria do Bairro ou Marimar?

  4. Pior é saber que tem muita gente que vota nesse cara. Como? Qual a contribuição que ele traz para a nossa sociedade?

  5. O que determina o grau de instrução de uma pessoa não é o seu emprego, o seu cargo eletivo, a sua preferência partidária, muito menos a grossura dos braços, devido aos litros de "bomba" que usou… Além de não ter respeito ou educação esse sujeito é um animal, arrogante, prepotente, um deslumbrado que ao se identificar como, envergonha a instituição Policial, assim como os Brasileiros ludibriados que jogaram o seu voto no lixo ao eleger esse brucutu. É bicho feroz e valente??? Nada é mais adequado que uma jaula, para conter sua fúria bestial, seu animal(será que estou sendo injusto com os animais?). E TENHO DITO!!!

  6. O que esse deputado fez não tem defesa. Arrogante, prepotente e autoritário, esperava ele o que ? PIXU é um democrata, nunca imaginei que um representante popular chagasse a esse ponto . O supremo por unanimidade já aprovou a decisão de ministro, que foi na opinião de PIXU, correta. A câmara dos deputados na avaliação de PIXU, não vai se submeter a endossar uma violência desse nível . O deputado jogou todas as cartas para agradar jacaré ? Doido, mas como dizia meu avô ?. Doido , mas doido mesmo é aquele que rasga dinheiro e come cocô ?. Duvido que da lua entre nessa barca furada.

    1. Vibrando com a prisão de um boçal que só é machão com mulheres. Olha como ele é mansinho com o policial. E você deve se identificar muito com esse tipo de gente pra ficar revoltadinho com essa notícia.

  7. Se a servidora do IML tivesse solicitado o uso de focinheira ou de um arreio, ele não teria reclamado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *