Polícia Civil no RN indicia policial exonerado pelo crime de peculato; investigada apropriação próxima de R$100 mil

A Delegacia de Defesa do Patrimônio Público e Combate a Corrupção (DECCOR) divulgou, nesta sexta-feira (27), o indiciamento de um ex-policial civil pelo crime de peculato. Após pedir exoneração em julho de 2016, o investigado continuou a receber o salário de agente de Polícia Civil de agosto de 2016 a novembro de 2018.

Os pagamentos indevidos foram descobertos através do Portal da Transparência e uma denúncia anônima feita à DECCOR. Os valores apropriados pelo investigado chegam ao montante aproximado de R$100.000,00. Outro inquérito policial foi instaurado para apurar possível envolvimento de funcionários públicos no pagamento indevido dos salários.

O procedimento policial será enviado ao Ministério Público, para análise sobre o encaminhamento de denúncia à Justiça. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil disse:

    Homiii nesse Estado organizado conheço professor pediu demissão e depois de vários anos retornou, pois perderam o processo ou esqueceram de publicar no DOE.

  2. Fernandes disse:

    Não vejo nenhum espanto no que ocorreu. Todo servidor que pede vacância ou exoneração do Estado do RN leva meses ou até anos até o que seja de fato retirado da folha de pagamento. Pode, nesse caso, ter ocorrido algo a mais. Mas já vi e vivi esse problema. E quem entra nos quadros do Estado leva no mínimo 6 meses para receber o primeiro pagamento. Um simples processo adm de ressarcimento resolve o problema.