Balanço da PRF no Carnaval informa que não houve registro de mortes nas rodovias federais do RN, e destaca redução de 63% no número de acidentes

A Polícia Rodoviária Federal encerrou, à meia-noite desta quarta-feira (06), a Operação Carnaval 2019. Durante o período momesco, a fiscalização e o policiamento nas rodovias federais contou com o incremento de 30% no efetivo. Policiais que trabalham administrativamente foram remanejados para compor equipes operacionais, aumentando, assim, a percepção de segurança de quem transitava pelas vias federais.

AÇÕES PREVENTIVAS

Durante a operação, a PRF realizou ações educativas com o objetivo de sensibilizar motoristas e passageiros em viagem durante o feriadão, para os cuidados com a segurança do trânsito. Um total de 624 pessoas foram sensibilizadas através de abordagens educativas ao longo das rodovias federais.

FISCALIZAÇÃO

Durante a operação foram fiscalizados 5.677 veículos e 5.437 pessoas. 2.304 motoristas foram submetidos ao teste de etilômetro, dos quais 81 foram autuados. Também foram registradas 2.168 autuações por infrações diversas, sendo 218 só por ultrapassagens proibidas. 41 pessoas foram presas, sendo seis por embriaguez ao volante, duas por porte ilegal de arma de fogo, três por entregar veículos a pessoas não habilitadas e 30 por outros crimes. 1.002 veículos tiveram as imagens capturadas por transitarem com excesso de velocidade.

No tocante a falta do uso do cinto de segurança, 130 autuações foram lavradas, sendo a grande maioria motivada pelo não uso do cinto pelo passageiro (70%). Outros 32 motoristas foram notificados por transportarem crianças até sete anos e meio de idade, sem os dispositivos de segurança (cadeirinhas). 87 motociclistas também foram autuados por não uso do capacete de segurança.

ACIDENTES

Na operação Carnaval 2019, foram registrados nas sete rodovias federais no RN, um total de 10 acidentes, sendo dois graves, que resultou em 13 pessoas feridas e zero mortes. No carnaval do ano passado, foram registrados 27 acidentes, sendo oito graves, 32 feridos e duas mortes. Comparando-se as duas operações, verifica-se uma redução significativa em todos os números. Redução de 63% no número de acidentes, de 59% no número de feridos e de 100% no número de mortes.

A PRF atribui a diminuição da violência no trânsito nas vias federais durante o carnaval, principalmente, pelo aumento na fiscalização e no policiamento, bem como pela mudança de hábito de boa parte da população, no tocante ao respeito as normas de trânsito.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bismarck Pereira Sátiro disse:

    Muito bom. A culpa é do carnaval de natal que cada ano cresce e os foliões deixam de viajar. Bom demais, nniguém mais viaja para interior e para praias. O carnaval de Natal só tem que melhorar as bandas e os artistas, pois Paralamas do Sucesso, Titãns e Sidney Magal é de lascar. Queria saber quem indicam essas bandas.

  2. Ivan disse:

    A culpa é do UBER!!!! Obrigado UBER!!!!!!

    • Junior disse:

      Ótimo UBER,TÁXI, no interior MOTO TÁXI, mais o Brasileiro tem medo mesmo e de 3 mil de muita,advogado, e cadeia,kkklkkk.

Três mortes são registradas em rodovias federais do RN na manhã desta quinta; entre vítimas, bebê e avó

Foto: cedida

Dois graves acidentes resultaram em três mortes e em mais duas vítimas gravemente feridas na manhã desta quinta-feira(26) nas rodovias BR-304 e 405, no interior do potiguar.

No caso mais com mais vítimas, por volta de 8h30, na BR-405, na rotatória que dá acesso à RN-233, sentido Apodi-Caraúbas, um Fiat Uno e uma Parati bateram de frente. Com a batida violenta, o bebê acabou sendo arremessado para fora do carro. Infelizmente, ele e avó ainda foram socorridos com vida para o hospital, mas não resistiram aos ferimentos.

No Fiat Uno estavam um bebê, os pais dele e a avó, enquanto na Parati haviam dois homens.

Segundo a direção do Hospital Regional de Apodi, os pais do bebê permanecem internados em estado grave. Já os dois homens que estavam na Parati, também internados, sofreram ferimentos menos graves.

O segundo acidente grave foi registrado na BR-304, em Mossoró, nas proximidades das bases da Petrobras. Na ocasião, um Honda Civic e uma motocicleta se chocaram. O motociclista morreu na hora.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. fulano disse:

    Isso acontece porque a PRF não trabalha. Ontem liguei 2x para informar sobre um ônibus cujo motorista provavelmente estava embriagado, passei placa, disse em que parte da 226 se encontrava… ele quase bateu de frente com vários carros, ultrapassando em local proibido e nada da PRF aparecer. Inclusive ele passou em frente a um carro da PRF que não o parou. Recomendo que algum jornal faça o teste, grave as chamadas e filme o caminho pra ver se eles aparecem para averiguar algo… omissão total!

Feriadão de Ano Novo foi menos violento nas rodovias federais do RN; veja balanço

A Polícia Rodoviária Federal encerrou a meia-noite desta segunda-feira (01), a Operação Ano Novo. De 29/12/17 à 01/01/18 foram registrados nas rodovias federais do Rio Grande do Norte um total de 18 acidentes, 26 feridos e uma morte.

Durante esse período foram fiscalizados 651 veículos e 665 pessoas. 429 motoristas foram submetidos ao teste de bafômetro, dos quais 14 foram autuados por dirigir sob efeito de bebida alcoólica. Outros 395 condutores foram multados por cometerem infrações diversas, sendo 81 multas só por ultrapassagens indevidas.

Outros 504 veículos tiveram suas imagens captadas pelos radares portáteis, por transitarem com excesso de velocidade. Oito pessoas foram presas por crimes diversos, das quais três pela prática de assaltos. Quatro veículos foram recuperados durante o feriado.

Na Operação Ano Novo do ano passado (2016/2017), foi contabilizados nas BRs do RN, um total de 25 acidentes que resultou em 23 pessoas feridas e seis pessoas mortas. Comparando-se com o mesmo período deste ano, verifica-se uma redução significativa no número de acidentes e principalmente no número de mortes.

Portanto, o feriadão de ano novo(2017/2018) foi bem menos violento nas rodovias federais do nosso Estado. Essa redução se deve, principalmente, a uma fiscalização mais intensiva e mais rigorosa por parte da PRF.