Saúde

90% das cidades brasileiras têm queda ou estagnação no número de mortes por Covid

Foto: Reprodução/CNN Brasil

Um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) realizado entre segunda e quinta-feira (12 a 15) aponta que apenas 10% das cidades brasileiras apresentam uma tendência de alta no número de mortes em decorrência do novo coronavírus. O estudo obtido pela CNN contou com a participação de 5,5 mil prefeitos.

De acordo com a pesquisa, metade dos municípios brasileiros não registraram mortes pela Covid-19 nesta semana. Em 21% das cidades o número de óbitos se manteve estável, enquanto 16% tiveram uma redução.

Epidemiologista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Diego Xavier, destaca que a redução do número de mortes por Covid-19 está diretamente relacionada com a vacinação, em especial, do grupo prioritário. “Com a vacinação, mesmo que ocorra o aumento de casos por coronavírus, não observamos o aumento de mortes. Já imunizamos a população de maior risco, ou seja, mesmo que o número de casos aumente não vamos ter o aumento exponencial dos óbitos”, explicou o pesquisador da Fiocruz.

No entanto, Diego Xavier afirmou à CNN que precisamos estar atentos às novas variantes que possam surgir. “Precisamos tomar cuidado, porque agora nós temos o risco da variante Delta, que as vacinas possuem uma menor eficiência. Isso reafirma a importância da imunização completa, tem muita gente que não volta para tomar a segunda dose”, completou.

O Ministério da Saúde distribuiu, até esta sexta-feira (16), mais de 153 milhões de doses de imunizantes contra Covid-19, por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI). Os estados brasileiros já vacinaram pelo menos 118 milhões de pessoas.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Claro! Graças a vacinação, devidamente autorizada pela ANVISA, que o governo federal tá enviando pra todo Brasil.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

TRAGÉDIA – (FOTO E VÍDEO): Fortes chuvas deixam mais de 100 mortos e centenas de desaparecidos na Alemanha e Bélgica

Foto: Boris Roessler/picture alliance via Getty Images

As enchentes causadas por fortes chuvas que atingem a região oeste da Alemanha e a Bélgica deixaram dezenas de mortos e centenas de desaparecidos. Também há registros de inundações na Holanda e em Luxemburgo.

Após um dia de intensos trabalhos de resgate e de operações para evacuar as cidades que começaram na noite anterior, as autoridades alemãs confirmaram a morte de 93 pessoas.

A maioria das mortes ocorreu nos estados da Renânia do Norte-Vestfália e na Renânia-Palatinado, em cidades cortadas pelos rios Ahr e Reno.

Autoridades disseram que ainda não puderam localizar 1.300 moradores da cidade de Bad Neuenahr-Ahrweiler. A administração regional afirmou que a rede de telefonia não está funcionando na região, e por isso as autoridades esperam que as pessoas que ainda não puderam ser contatadas estejam simplesmente passando por dificuldades de comunicação.

Cerca de 3.500 pessoas da região estão alojadas em acomodações de emergência e mais de mil trabalhadores, entre bombeiros, policiais e outras forças, estão atuando no serviço de emergência, afirmou em comunicado a administração do distrito.

Na Bélgica, autoridades relataram que ao menos 11 pessoas morreram em decorrência das enchentes. Os moradores de Liège foram evacuados quando o rio Meuse, que corta a quarta cidade mais populosa do país, transbordou.

Com Gazeta do Povo

Opinião dos leitores

  1. Isso é a natureza, em qualquer parte do mundo é assim, em Natal quando chove forte e alaga tudo culpam o gestor.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CoronaVac tem 86% de efetividade contra mortes, aponta estudo

FOTO: IVAN ALVARADO/REUTERS

A polêmica que se criou em torno da efetividade da CoronaVac após surtos de covid-19 no Chile, mesmo com a vacinação avançada, pode estar perto de acabar. Estudo publicado na quarta-feira (7), no New England Journal of Medicine, mostra que o imunizante teve 86% de eficácia na prevenção de mortes causadas pela doença no país andino.

A pesquisa foi realizada com o acompanhamento dos resultados de 10,2 milhões de pessoas vacinadas com as duas doses da Coronavac entre 2 de fevereiro e 1.º de maio. É o primeiro estudo de efetividade da vacina publicado em uma revista científica. Até então, essa era uma das críticas que o imunizante da chinesa Sinovac recebia.

Entre as pessoas que foram totalmente imunizadas, a eficácia da vacina foi de 65,9% para a prevenção de covid-19, de 87,5% para a prevenção de hospitalização, de 90,3% para a prevenção de internações em UTI, e de 86,3% para a prevenção de morte relacionada à doença.

Cerca de 55% da população chilena já está protegida pelas duas doses, o melhor desempenho na América Latina. Lá, estão sendo aplicadas as vacinas Pfizer, CoronaVac, CanSino e AstraZeneca. A CoronaVac foi a mais usada com 17,2 milhões de doses, seguida pela Pfizer com 4,3 milhões, AstraZeneca, 355 mil e CanSino, 296 mil.

“É o primeiro artigo sólido, publicado na revista mais conceituada do mundo. Os resultados falam por si. A Coronavac tem um excelente desempenho naquilo que mais importa que é salvar vidas”, diz Alexandre Naime, médico infectologista e professor da Unesp.

“É um resultado sólido que contraria as fakenews dos ‘antivaciners’ mostrando que toda vacina conta e impulsiona a necessidade de reforçar a vacinação”, acrescenta o especialista.

No Brasil, a Coronavac é produzida no Instituto Butantan. Apesar de ter sido primeira vacina a ser utilizada na campanha de imunização e a mais usada até abril, ela é constantemente alvo de críticas. “É provavelmente a vacina que mais salvou vidas, milhares, no Brasil. Ela vai ficar para sempre na história”, afirma Naime.

R7, com Estadão

Opinião dos leitores

  1. Pelo que estamos vendo são pessoas que ja foram vacinadas, que ja pegaram o virus e ficou bom e sendo infectado novamente de forma grave precisando ser entubada e ir ara UTI. agora, se outros virus fabricado pelos laboratórios para roubar mais dinheiro dos miseraveis paises, como o Brasil e Haiti, Congo, guatemala e por ai vai….. ai é outros motivos essa OMS E ESSA CHINA TEM QUE SE RESPONSABILIZAR PELO QUE ACONTECEU COM O MUNDO UMA VERDADEIRA SELECAO .

  2. Mas eu me pergunto… não se dizia lá no início da pandemia que 80% das pessoas, mesmo sem ser vacinadas e que pegaram Covid, apresentam sintomas leves e nem chegam a ser internadas?! Sinceramente, me parece que houve uma falha grande de metodologia nesse trabalho. Ainda não estou convencido da efetividade dessa Coronavac. Vacina sim, mas Vacina efetiva!

    1. Pesquisadores do mundo irão se reunir para convencer a esse abestalhado da efetividade da coronavac. Vai procurar pelo em pulga e deixa de conversar besteira. Vacina sim, não importa qual, o importante é estar vacinado, neurônios destrambelhado.

    2. Esse Bolsovirus eh um filhote da filosofia gramsciana que fica emburrecendo a discussão, sabe ao menos nem argumentar. Vai estudar lularapio esquerdista de cerebro vazio! Vai trabalhar seu sem futuro!

  3. Os “inventores” de vacinas já já chegam por aqui para vomitar pelos dedos e ofender a vacina CoronaVac…
    Idiotas, escrevem pouco e ruim, imagine “elaborar” vacinas.
    Vacina boa, é a que tem no posto.

  4. Lá em janeiro quando essa vacina foi aprovada pela ANVISA a propaganda era que ela era 100% eficiente contra mortes de covid19, em seis meses perdeu 14% da eficiência…

    1. Não existe vacina 100% eficaz contra nenhuma doença… No caso da Covid que surgem cepas novas devido a grande circulação do vírus no mundo, a tendência eh as vacinas perderem a eficácia, inclusive outras como a de Oxford, Pfizer ,etc.

    2. Daqueles que morrem atualmente, há dados consolidados relativos aos vacinados, inclusive qual teria sido a vacina?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Bolsonaro cita ‘equívoco’ e diz que errou ao citar TCU, reafirma que vê indícios de distorção dos dados da covid e fala em investigação pela CGU

O presidente Jair Bolsonaro admitiu hoje que errou ao atribuir ao Tribunal de Contas da União (TCU) um relatório que apontaria supernotificação de mortes por covid. Ontem, a fala do presidente a apoiadores foi desmentida pelo órgão. Apesar da retratação, o presidente insistiu que vê indícios de distorção dos dados e que há inúmeros “vídeos de Whatsapp” demonstrando isso. Também prometeu mobilizar a Controladoria-Geral da União (CGU) para analisar o caso.

Ao tentar justificar as informações que atribuiu ao TCU, Bolsonaro alegou que gostaria de fazer menção a um acórdão do tribunal que alertava para a possibilidade de Estados inflarem números sobre a covid como forma de receberem mais recursos do governo federal.

“Tem uma lei complementar do ano passado que diz que a distribuição de verba do governo federal para Estados levava em conta alguns critérios, o mais importante era a incidência de covid. O próprio TCU dizia que esta lei poderia incentivar prática não desejável da supernotificação de covid”, afirmou o presidente. “A tabela quem fez fui eu, não foi o TCU”.

Ontem, o presidente não usou o termo “tabela”, mas afirmou que um relatório do TCU mostrava que “em torno de 50% dos óbitos por covid no ano passado não foram por covid”.

“Via CGU, vamos fazer uma investigação em cima disso. É um indício fortíssimo, vocês devem ter visto muitos vídeos no Whatsapp dizendo ‘meu pai, meu tio, meu avô, não morreu de covid'”, argumentou.

O presidente também acusou governadores de utilizarem estes números para “justificar toque de recolher e lockdown”. As medidas de isolamento, adotadas nos países desenvolvidos como forma de frear a doença, são criticadas pelo presidente, que reiteradamente descumpre as principais recomendações sanitárias ao não usar máscara e incentivar aglomerações.

Confira abaixo o esclarecimento e questionamento do presidente:

Com Foco do Brasil e Valor Investe

Opinião dos leitores

  1. um presidente que não rouba e só tem isso de qualidade, p/ mim, é um presidente muito do fajuto. Ja pensou eu querer resumir um presidente bom a tão-somente pelo fato de ele nao roubar?! E o povo ganha onde nessa historia toda? que nao consegue nem comprar comida? esse presidente não consegue e nao vai conseguir fazer os brasileiros de classe média e baixa ficarem ricos. Adianta de que?! Nos paises ricos da Europa nao tem mendigo na rua. Aqui Bolsonaro consegue tirar os mendigos da rua? Ele nao conseguiu (e nesse estilo dele de governar, fazendo motociata, kkkk, jamais vai conseguir). Agora ele tem é que passar a vez dele p/ outro. Mas o omi resiste porque o poder é bom demais. Dê poder a um homem, e vc vai conhecer como é esse homem de verdade. Foi o que acontece com Bolsonaro. Ainda me lembro do dia que ele disse que nao iria se re-eleger. Até esse dia eu gostava dele, votei nele. Mas depois desse dia aí me arrependi: o omi so quer usufruir mesmo das mega-regalias da vida de um presidente (os filhotes dele claro que aproveitam bastante tambem esse mega vidão de regalias). Enquanto isso o brasileiro de classe media e baixa leva fumo, mesmo o PIB subindo.

    1. Felipe, só tem um detalhe:ATÉ AGORA, o MINTO é um presidente “honesto”! Mas veja bem, rachadinha ele fez até demais (crime de peculato comprovado – basta pesquisar no Google), mas como é presidente, não pode ser processado por crimes que cometeu antes do mandato… Lulaladrão com apenas dois anos de mandato também era um “santo” que não sabia de nada das falcatruas que aconteciam ao redor dele… O presidente inepto só está na presidência há dois anos… Esperemos…

  2. BG, você não colocou nenhuma matéria falando sobre a indicação de Marcelo Crivela para se embaixador na África do Sul. Isso mesmo o ex-prefeito do Rio, afastado por um escândalo de corrupção, foi indicado pelo presidente. Logo ele que não gosta de corrupção.

    1. O inquérito que levou o Ex Prefeito e Bispo Marcelo Crivela à prisao, foi arquivado.

    2. É a nova política talkei! Quando Lula rouba é ladrão (e é mesmo) mas quando um Crivella ou um Roberto Jefferson apoia o governo do MINTO já viram homens de deus (deus da ganância e bandidagem mesmo)! E rachadinha não é crime talkei! Deixem a família do messias em paz ! (Texto com ironias)

  3. A coisa não é tão simples como o irresponsável fala, nem como o blog tenta mostrar. Ele confessa, no vídeo, ter criado uma tabela. Entendem a gravidade? Claro que os bichos de chifres (gado) não entenderão e não querem, pois já andam divulgando a tabela mentirosa, criada pelo genocida, e pasmen, desmentindo o TCU, que se viu obrigado a fazer uma nova nota dizendo que essa tabela do bolsonaro era mentirosa. Vcs (não os bichos de chifres (gado) têm noção do que está acontecendo no país? É esse o nível de presidente, é esse o nível de governo, é esse o nível de apoiadores, é esse o nível de mídia que apoiam essas mentiras, é esse o futuro do país com essa gente. Uma mentira, desgraçadamente não tem presented e nem futuro, um país miliciano.

  4. Tudo que o Véio Bolsonaro fala, vira discussão.
    Por isso eu voto no Véio Bolsonaro, pq ele é duro.

  5. Esse senhor não cansa de passar vergonha não? Ao invés de ficar falando besteira, traga as provas, simples.

    1. Caligula , Bolsonaro erra e é ladrao . Ladrao safado há mais de 30 anos desviando recursos de seus gabinetes . Bolsonaro e Ladrao do rabo fino

    1. TCU desmente TCU, o mito é foda, chora esquerdalha.

    1. Cadê Calígula? Foge com o rabo entre as pernas nessas horas.kkkkkkkk

  6. Não, errou não. É totalmente proposital esse compromisso com a desinformação e pulverização de fake news que os seus seguidores se agarram como verdade absoluta!

    1. Manoel, por trás de um grito de gado, tem um burro frustrado Kkkķ

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Relatório citado por Bolsonaro aponta aumento de mortes por problemas respiratórios e cardiovasculares que Covid “poder ter contribuído” e não permite conclusão, dizem técnicos do TCU

Segundo Mônica Bergamo, na Folha de São Paulo, O TCU (Tribunal de Contas da União) deve divulgar uma nota explicando a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que o órgão teria um relatório “questionando o número de óbitos no ano passado por Covid”.

Bolsonaro deu a declaração a pessoas que o esperavam nesta segunda (7) na saída do Palácio da Alvorada.

Ele disse que o TCU tem um relatório afirmando que “50% dos óbitos por Covid não foram por Covid, segundo o Tribunal de Contas da União”.

Bolsonaro afirma a aliados também que “logicamente a imprensa não vai divulgar”. E diz que cuidará pessoalmente de dar publicidade do suposto relatório, por meio de jornalistas aliados.

“Eu tenho três jornalistas que eu converso, que são pessoas sérias. Já passei para eles. Eu devo divulgar hoje à tarde. E como é do Tribunal de Contas da União, ninguém queira me criticar por causa disso. Isso aí muita gente suspeitava.”

O ministro Benjamin Zymler, que é o relator no TCU de assuntos relativos à epidemia do novo coronavírus, já informou a colegas que a informação não é verdadeira.

No relatório citado por Bolsonaro, técnicos do tribunal na verdade afirmam que as mortes por problemas respiratórios subiram no Brasil, bem como por problemas cardiovasculares para os quais a Covid-19 pode ter contribuído.

A informação não permite trazer a conclusão apontada pelo presidente, afirmam técnicos em mensagem que circula entre integrantes do TCU.

“Essa foi uma informação trazida para enriquecer o relatório, com dados de registros de óbitos de cartórios. Assim, não se trata de uma informação do TCU. Ademais, fala-se em uma possibilidade de óbitos em relação aos quais a Covid pode não ter sido a principal causa”, diz a mensagem.

O relatório afirma que os números de óbitos em registros cartoriais mostram que entre 2019 e 2020 o registro total de mortes por doenças no aparelho respiratório aumentou em 157.976. E, por doenças
cardiovasculares, em 175.009.

Os números poderiam indicar apenas que a Covid-19 pode não ter sido a principal causa da morte, “tendo influenciado em óbitos causados por outras doenças”.

Ou seja, além das mortes efetivamente causadas pelo novo coronavírus, a doença pode ter contribuído também para a morte por outras causas no país.

A assessoria de imprensa do TCU confirmou que o tribunal divulgará uma nota ainda nesta segunda (7) esclarecendo os fatos.

Com Folha de São Paulo

 

Opinião dos leitores

  1. Quem não puder suportar Bolsonaro, é só migrar para a Venezuela, Cuba ou Coreia do Norte. Lá há muita liberdade e a Economia é pujante. As fronteiras estão abertas.

  2. “O TCU esclarece que não há informações em relatórios do tribunal que apontem que ‘em torno de 50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram por Covid’, conforme afirmação do presidente Jair Bolsonaro divulgada hoje”, disse o TCU, em nota divulgada na tarde desta segunda-feira.

    Thank you for watching

    De manhã, durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro falou que estava divulgando “em primeira mão” a informação sobre o suposto relatório, que teria sido divulgado “há alguns dias”.

    — Em primeira mão para vocês. Não é meu, é do tal do Tribunal de Contas da União, questionando o número de óbitos no ano passado por Covid. E ali o relatório final, não é conclusivo, mas em torno de 50% por Covid no ano passado não foram por Covid, segundo o Tribunal de Contas da União. Esse relatório saiu há alguns dias, logicamente que a imprensa não vai divulgar, vamos divulgar hoje aqui. MENTIROSO!!!! MUDA BRASIL!!! SAI DESSE IMPRENSADO!!!!

  3. PRESIDENTE PINÓQUIO ! INFELIZMENTE FEZ UMA PARTE DA POPULAÇAO QUE NAO TINHA ESSE COSTUME, FICAR REPLICANDO SUAS MENTIRAS !

  4. Eu acredito no Presidente, por ele eu boto a mão no fogo.
    Tem uns ai que estão procurando os chifres que caíram de raiva.

    1. TCU desmente Bolsonaro e diz que não fez relatório sobre mortes por Covid-19
      Presidente havia dito que tribunal apontou que 50% dos óbitos atribuídos à doença não haviam sido causados pelo novo coronavírus

  5. Esse energúmeno não pode ver uma vergonha que já que passar. E o gado aplaude, ops, digo, muge.

  6. Achei estranho o texto e fui até o final conferir a autoria. Folha de São Paulo… o golpe ta ai, cai quem quer

    1. Kkkkkkkkkkkk. Todo mundo mente né?! Só o MINTOmaníaco fala a verdade né mesmo?! Muuuu

  7. Eu gosto do Véio Bolsonaro, pq ele escancara, o homem é arroxado e não tem medo de esquerdopatas.
    RUMO a 2022 MITO.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Bolsonaro promete divulgar relatório do TCU que questiona números da pandemia no país: “Não é conclusivo, mas disse que em torno de 50% dos óbitos por covid no ano passado não foram por covid”

Foto: Carolina Antunes/ Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (7/6) que um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) revelou que 50% das mortes registradas por covid-19 no Brasil foram por outras causas que não o vírus. A declaração foi dada a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

“Não é meu. É do tal do TCU, questionando o número de óbitos no ano passado por covid. E ali, o relatório final, não é conclusivo, mas disse que em torno de 50% dos óbitos por covid no ano passado não foram por covid, segundo o Tribunal de Contas da União”, apontou.

O Correio questionou o TCU a respeito do levantamento. O Tribunal informou que não possui conhecimento sobre o documento e pediu prazo maior para apurar se há algum relatório sobre a informação.

Bolsonaro acrescentou que divulgará o documento nesta tarde. “Esse relatório saiu há alguns dias. Logicamente que a imprensa não vai divulgar. Já passei para três jornalistas com quem eu converso e devo divulgar hoje à tarde. E como é do TCU, ninguém queira me criticar por causa disso. Isso aí muita gente suspeitava. Muitos vídeos que vocês viram de Whatsapp, etc, de pessoas reclamando que o ente querido não faleceu daquilo. Está muito bem fundamentado, todo mundo vai entender, só jornalista não vai entender. O resto, todo mundo vai entender”, acrescentou.

Correio Braziliense

Opinião dos leitores

  1. esse presidente ja deu o que tinha que dar. Quem tem que pedir p/ sair é ele, é um perturbador da ordem a todo momento. So se mete em polêmica. Vai p/ porr* presidente chato e encrenqueiro, vai trabalhar seu incompetente cego pelo poder, so pensa no poder, ta nem aí p/ o povo, ele devia ter vergonha do mandato dele. Se não teve corrupção nao fez mais do que o seu dever. Mas o mandato se limitou a isso e a somente isso, presidente fraquissimo em relação a todo o resto! Um desbocado, mal educado e um falso patriota, isso sim, chega, que ja cansou, pede p/ sair, 2022 chegue logo p/ gente tirar esse incompetente!

  2. Na cabeça de Bolsonaro todo mundo que morre de covid é p atrapalhar a gestão dele. Todo mundo que reivindica algo é pq é contra ele. Todo mundo que fala de fatos ele vem com piada e achismos, sempre terceirizando a culpa.

  3. Chega a ser revoltante a falta de empatia com as vítimas desse cidadão. Pior ainda é quem defende.

  4. Se for pra chutar, o número de mortes real deve ser o dobro do oficial. Basta conversar com tabelião ou tabeliã de cartório (inclusive, gente que morre por síndrome respiratória grave sem o termo ‘covid’ porque não tem teste feito antes do óbito). Eu só não entendo como um ser desprezível desse não morre. Ele e o chefe de quadrilha de nove dedos.

    1. Tenha cuidado porque um bocado de otários inclusive você morreram, por desejarem a morte de outrem. Compre logo seu caixão para não deixar os parentes endividados.

  5. Omi mostre! Se o MINTO mostrar esse relatório que de fato indique isso que ele alega, eu até volto a tentar acreditar nele novamente…

  6. Mais uma mentira desse lixo.
    O TCU informou que não existe nenhum documento como esse em andamento.
    Esse esclerosado não tem o que fazer não? Não sabe fazer outra coisa, que não seja mentir.

  7. Quando ele viu que as mortes por falta de vacinas vão pra conta dele, já que apostou num remédio sem eficácia , vai mudar a narrativa de que não morreu tanta gente assim. É psicopatia em estado puro.

    1. O Brasil se transformou no país da desgraça pronta. A ignorância, o mal caratismo e a mentira passaram a ter validade e Nortear os rumos de uma nação, que como consequência perde respeito, moral e cidadania. O governo tem ministérios, mas segue as orientaçôes de um grupelho extra oficial, que é na verdade quem norteia o governo. Fazem parte desse grupelho os mais diversos tipos de irresponsáveis e incompetentes criaturas. Daí negam a pandemia, negam as vacinas, validam tratamento, contra a ciência, tramam ataques a pessoas e instituições, demitem ministros, enquadram militares. Um estágio para se tornado uma mafia que passará antes por uma mexicanização do paìs. Caminhamos a passos largos para nos tornarmos um paìs degraçadamente miliciano, como já é o estado do Rio de Janeiro. Agora, vão anunciar que mortes por covid, nao foram por covid, em mais um estudo tal qual da cloroquina para o virus, decidido pelo mesmo grupelho que dita o rumo do paìs. Logo, alguns meios jornalísticos, igualmentes associados a essa turma, cuidarão para que se torne verdade absoluta. Um paìs condenado a desgraça.

    2. Bolsovirus, meu amigo sábias palavras, falou tudo! Tenho nada a acrescentar. na verdade, ate tenho. Tem gente que pega covid e nao comunica que pegou. Entao com toda certeza o numero dos que pegaram a doença é muito maior, muito mesmo, essa doença altamente contagiosa

    1. Esse verme é um canalha, foi 50% a mais!!! Não tinha testes e morreram muitos de covid19 sem os exames. Que diabo o TCU têm com isso???? Só engana o gado .

    2. Que cuuunversa bonita Geraldo. Todos, absolutamente TODOS, que morreram no país a partir de abril de 2020 foram testados para COVID mesmo que nitidamente a morte não teria relação alguma com COVID. Imagina se fizesse isso quanto ao vírus da gripe. A verdade eh q muita gente, mas muita mesmo, morreu com covid e não DE covid, entrando nas estatísticas de forma completamente equivocada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

RN registra em apenas cinco meses em 2021 mais mortes por Covid-19 do que em todo o ano de 2020

O Rio Grande do Norte já registrou em menos de cinco meses neste ano de 2021 mais mortes por Covid-19 do que em todo 2020. Os dados constam nos boletins epidemiológicos e nos dados divulgados diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) no acompanhamento da Covid-19 no RN. Nesta segunda-feira (24), o estado chegou a 2.996 óbitos pela doença neste ano, ultrapassando os 2.993 registrados ao longo do ano passado.

Segundo a pasta, algumas das mortes contabilizadas nos boletins não acontecem necessariamente nos dias em que são registradas. Ao todo, o estado tem 5.989 mortes por coronavírus desde o início da pandemia.

Opinião dos leitores

  1. Alguns comentários dignos de um pré-adolescente ou de algum mal-intencionado e a soldo de alguém. O que a governadora está fazendo com relação à pandemia? Negacionistas é quem nega a realidade. Remédios alternativos estão tendo efeitos positivos em muitos locais que os utilizam e esse “lockdown” só piora as coisas. A Argentina já faz há muito tempo e vai de mal a pior. São Paulo e seu governador marqueteiro, também. Há muitos exemplos negativos e nenhuma comprovação científica de sua eficácia.

  2. Quem acha que Trump tinha razão tem de tomar clorquina, assinar um termo rejeitando as vacinas , bem como que se adoecer abre mão de ir a hospital

    1. Seria melhor cuidar da sua vida e cobrar sua governadora sobre ações efetivas contra a COVID, ao invés de fechar escolas e impedir as pessoas de trabalhar.

  3. Esses dados só reforçam a Incompetência, Negacionismo, FALTA de Interesse, Determinação, Coragem e vontade Política para Combater a Disseminação do covid-19. A única verdade nua e crua é o FAZ de CONTA, Mentiras e Enganação, mais o CRESCENTE número de Infectados e MORTOS. Que DEUS tenha MISERICÓRDIA de NÓS e Derrame sua IRA sobre esses incompetentes e NEGACIONISTAS.

    1. Negacionista é quem nega a eficácia de tratamento precoce (e toma ivermectina escondido) e nega que o Brasil está batendo seguidos recordes de vacinação. Somos o 4° psis que mais vacina no mundo, já compramos cerca de 560 milhões de doses e distribuímos 100 milhões, e estamos desenvolvendo vacinas 100% nacionais para fugirmos da dependência de outros países e da chantagem da China.

  4. Quais as medidas efetivas foram tomadas contra essa, chamada segunda onda?
    Quantas novas UTI foram providenciadas, instaladas e disponibilizadas?
    São mais de 90 dias e o que foi feito, além de contar e noticiar os mortos?
    Quais as medidas reais foram adotadas?
    Já não passou da hora de sair desse engodo do lockdown? Com a insistência e endurecimento das medidas restritivas, o número de mortes aumentaram ou diminuíram?
    Antes de criticar, julgar ou culpar, as autoridades poderiam responder mostrando as medidas tomadas?

    1. Né isso! A solução eh aglomerar pra “otorizar ” o MINTOmaníaco a impedir o fechamento mas assim aumentam os casos e tem que haver fechamento novamente e o presidente inepto poderá culpar os governadores novamente! Eh um ciclo nefasto que só a gadolandia entende a lógica disso !

    2. Tem que dizer a verdade, Mané f é uma otoridade em tudo, de calcinha, cueca, diarreia, jumento, jumenta, LGBT, babaquice e chifre, se postar ele entende, pense num cabra porreta, vai ser ministro do executivo ou ministro do supremo.

  5. Fato interessante, ano passado não tínhamos vacina, população susceptível 100%, mais dúvidas que respostas.
    A população correu atrás dos tratamentos profiláticos e precoces ( mesmo não tendo comprovação científica ), morreu muita gente.
    ano de 2021, inicia-se a campanha de vacina, a anvisa aprova medicamentos, grande parte da população já teve ou desenvolveu anticorpos ( entre 10 – 15% da população é sintomática, ponta do iceberg), os médicos já entedem mais sobre o desenvolvimento da doença, muitos médicos afirman que o tratamento precoce e a profilaxia não surtem efeito. Resultado este ANO MORREU MAIS GENTE QUE O ANO INTEIRO DE 2020.
    Tem alguma coisa errada no AR, só não enxerga quem quer.

    1. amigo vc tem toda razão. Tem muita coisa que não tem explicação já estou achando que o Trump tinha razão.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Cidade que fez vacinação em massa em SP tem média de mortes até 4 vezes menor que vizinhas

Foto: Instituto Butantan/Divulgação

Mais de um mês depois do término de uma vacinação em massa contra a Covid-19, Serrana (SP) registra uma média de mortes causadas pela doença até quatro vezes menor, se comparada com municípios com população similar na região de Ribeirão Preto (SP).

Desde o início de maio até quarta-feira (19), a cidade escolhida para o Projeto S, estudo do Instituto Butantan sobre a efetividade da CoronaVac, registrou três novas vítimas, contra óbitos que oscilam entre 5 e 13 nas demais. Com isso, a média para cada 10 mil habitantes é de 0,66, contra 2,89 na pior situação epidemiológica entre as outras três localidades.

Serrana também apresenta melhores retrospectos com relação às médias móveis diárias e, agora, também na totalização de mortes quando comparada com outras cidades (veja ao longo da reportagem).

O comparativo foi feito com Orlândia (SP), Pontal (SP) e Jardinópolis (SP), que têm entre 45 mil e 50 mil habitantes, mas, diferente de Serrana, ainda não atingiram a mesma proporção de moradores imunizados contra a doença.

Enquanto as duas doses chegaram a 60% da população por meio do estudo, nessas outras cidades as doses chegaram a proporções que variam entre 6% e 10%.

Para especialistas como o médico infectologista Fernando Bellissimo, da USP de Ribeirão Preto, os números colocam em evidência um dos principais resultados esperados pela vacina desenvolvida pelo Butantan com a Sinovac, que é de reduzir a manifestação de casos graves da doença.

“Esse é o efeito esperado da vacina Coronavac: redução da mortalidade, sem grande efeito sobre a incidência. Ou seja, a vacina previne o adoecimento com maior gravidade, mas não a infecção pelo SARS-CoV-2. Portanto, não há imunidade de rebanho como alguns pretendem”, diz.

Procurada, a Secretaria Municipal de Saúde de Serrana informou que não comentará números nem passará mais informações além das divulgadas periodicamente no boletim epidemiológico, até a divulgação dos resultados do estudo, prevista para o fim de maio.

O Instituto Butantan não comentou os dados até a publicação desta reportagem, mas confirmou que os resultados do estudo do Projeto S devem ser divulgados nos próximos dias.

Vacinação em massa

Iniciada em 17 de fevereiro, a imunização em massa foi concluída em 11 de abril, com mais de 27 mil pessoas vacinadas duas vezes, o equivalente a 60% da população de Serrana.

Por terem ficado de fora dos testes nas fases anteriores sobre a CoronaVac, não foram imunizadas no projeto menores de idade, mulheres grávidas ou em amamentação, pessoas com doenças graves e quem teve febre 72 horas antes da vacinação.

Localizada a 315 quilômetros de São Paulo, a cidade foi escolhida para o estudo clínico por ter um baixo número populacional, de 45.644 habitantes, além de estar próxima a Ribeirão Preto, que é considerada uma referência nacional em saúde.

Além disso, Serrana apresentou dados preocupantes de transmissão do vírus em um inquérito sorológico realizado pelo Instituto Butantan em 2020, que estimou que a cidade tinha 10,6% dos moradores infectados pelo novo coronavírus.

Além da queda nos casos e mortes após a vacinação em massa, entre os indicadores positivos profissionais da área também registraram queda de 55% no número de pacientes atendidos pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e uma proporção sete vezes menor de pessoas que desenvolveram complicações da doença.

Um acompanhamento divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, também indicou baixa constante na média móvel de casos da doença desde meados de março.

Mortes e casos por 10 mil habitantes

Com base em números divulgados pelas prefeituras, é possível apontar que, desde março, a média de mortes por grupo populacional está em queda em todos os municípios avaliados. Mas, entre eles, Serrana é o que tem a menor proporção de óbitos causados pela Covid-19.

Nos registros entre 1º e 19 de maio, em um grupo populacional de 10 mil pessoas, a taxa é de 0,66, menos de um quinto da média de Jardinópolis, com 2,89, e até 55% abaixo do atingido em Orlândia e Pontal, entre 1,13 e 1,18.

A média também representa a metade do registrado em abril, quando a cidade já tinha a menor incidência no comparativo.

A baixa também é observada com relação aos novos registros gerais da Covid-19, ainda que a eficácia global para casos sintomáticos seja de 50,38%, segundo os resultados de testes divulgados pelo Butantan em janeiro.

Em Serrana, a média de casos por 10 mil habitantes vem caindo desde março e até o dia 19 deste mês é de 44,91, o que deixa a cidade acima de Pontal, com 42 registros por 10 mil pessoas, mas abaixo de Orlândia e Jardinópolis, onde há, em média, entre 68 e 103 novos registros no mesmo contingente populacional.

Números acumulados da pandemia

No acumulado desde o início da pandemia, o município ainda é o que tem o segundo maior saldo de casos, com 3.906 pessoas infectadas, somente atrás de Pontal, mas é o que menos acumula mortes, com 87. Veja os resultados por cidade:

Serrana: 3.906 casos e 87 mortes

Pontal: 4.011 casos e 132 mortes

Orlândia: 3.518 casos e 97 mortes

Jardinópolis: 3.111 casos e 121 mortes

Médias móveis

Quando avaliadas as médias móveis diárias, ou seja, baseadas nos novos registros dos últimos sete dias, Serrana também apresentou melhora no retrospecto ao longo das semanas, até ficar abaixo de outras cidades.

Na avaliação das mortes, em 11 de março, o município teve um pico de 0,86, número que chegou a superar Orlândia e Jardinópolis e ficou oscilando até 24 de março, quando começou a demonstrar tendência de queda.

Ainda com elevações pontuais, sem voltar aos patamares anteriores, a média móvel chegou a 0 entre 22 de abril e 4 de maio, e desde então ficou em 0,14, número semelhante ao de Pontal.

Na análise dos casos, a média móvel chegou a 38 no dia 19 de março em Serrana, índice que superava os das outras três cidades, mas se manteve com tendência de queda até 2 de maio, quando atingiu o patamar de 2,86, abaixo de todos os outros.

Os números voltaram a subir, mas em níveis abaixo dos anteriores, e até o dia 19 chegou à média de 12,57 casos, acima de Pontal (10,71), mas abaixo de Orlândia (23) e Jardinópolis (20,86).

G1

 

Opinião dos leitores

  1. O pior dessa falta de vacinas foi a pagina da prefeitura de Natal continuar colocando ‘filas intensas’, filas moderadas etc quando não existia mais sequer uma dose. Enganosa e provocadora de prejuízos para os cidadãos a a pagina: https://vacina.natal.rn.gov.br/

  2. O sindicato dos professores fez duas manifestações esse ano:
    a primeira para que a educação não fosse considerada atividade essencial.
    a segunda que os professores tivessem prioridade na vacinação.
    Existe coerência nisso?
    Se professor deve ter prioridade, por quê não estariam incluídos os policiais militares e civis, os garis, motorista de ônibus, funcionários de supermercado, padarias, farmácias, açougues, bombeiro de posto de gasolina, construção civil e todo pessoal que vem trabalhando normalmente?

  3. Sou a favor da vacinação, mas a forma que foi veiculada pela imprensa, de que o indivíduo vacinado não apresenta a forma grave e nem vem a óbito, esta sendo um tiro no pé.
    Pois o próprio estudo feito em Serrana mostra números contrários, apesar que diminuiram drasticamente os casos.
    Todo cuidado é pouco, ainda não sabemos totalmente com o que estamos lidando. Acho que é valido todos os métodos que possamos utilizar, acho melhor pecar pelo excesso, do que pela falta.

    1. Em se tratando de medicação, excesso significa OVERDOSE

    1. Basta vc pesquisar um pouco, compare as capitais do sudeste ( onde não houve protocolos de tratamento precoce ), com as outras capitais que aderiram em parte ao tratamento precoce. Veja o dado de mortalidade/habitante e tire suas conclusões

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

OMS diz que número global de mortes por covid-19 pode estar subestimado e seria duas a três vezes maior

Foto: © REUTERS/Denis Balibouse/Direitos Reservados

Os números oficiais de mortes atribuídas direta ou indiretamente à pandemia de covid-19 provavelmente estão “significativamente subestimados”, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira (21), acrescentando que entre 6 milhões e 8 milhões de pessoas podem ter morrido até o momento.

Ao apresentar seu relatório anual Estatísticas Mundiais de Saúde, a OMS estimou que o total de mortes na pandemia foi de pelo menos 3 milhões em 2020 — 1,2 milhão a mais do que o relatado oficialmente.

“Provavelmente estamos diante de um total significativamente subestimado de mortes atribuídas direta ou indiretamente à covid-19”, afirmou.

A agência das Nações Unidas estima que cerca de 3,4 milhões de pessoas morreram diretamente em consequência da pandemia de covid-19 até maio de 2021.

“Este número, na verdade, seria duas a três vezes maior. Então acho que, por precaução, pode-se estimar seguramente cerca de 6 milhões a 8 milhões de mortes”, disse Samira Asma, diretora-geral-assistente da Divisão de Dados e Análises da OMS, em entrevista coletiva virtual.

William Msemburi, analista de dados da OMS, lembrou que essa estimativa inclui tanto mortes não relatadas de covid-19 quanto mortes indiretas devidas à falta de capacidade hospitalar e restrições à circulação, entre outros fatores.

“O desafio é que as [cifras de mortes] por covid-19 relatadas subestimam o impacto total”, afirmou Msemburi.

A OMS não detalhou os números aos quais os especialistas de saúde se referem como “mortalidade em excesso”.

Agência Brasil, com Reuters

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Proporção de mortes de idosos com 80 anos ou mais caiu pela metade no Brasil após o início da vacinação contra a covid-19, diz estudo

Foto: © Tânia Rêgo/Agência Brasil

A proporção de mortes de idosos com 80 anos ou mais caiu pela metade no Brasil após o início da vacinação contra a covid-19. Os dados fazem parte de um estudo liderado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O percentual médio de vítimas dessa faixa etária era de 25% a 30% em 2020 e passou para 13% no final de abril. Quando teve início a imunização, em janeiro de 2021, o percentual era de 28%.

De acordo com o Cesar Victora, epidemiologista e líder da pesquisa, outros estudos já demonstraram a associação entre a vacinação e a queda nas internações e nas mortes, por exemplo a partir dos dados da população de Israel. A novidade desta análise é que o mesmo se confirma em um cenário com predominância da variante P1. Em Israel, a imunização alcança mais de 55% da população, segundo dados da plataforma Our World in Data, da Universidade de Oxford.

A pesquisa liderada pela UFPel indica que pelo menos 13,8 mil mortes de brasileiros com 80 anos ou mais em um intervalo de oito semanas foram evitadas. O país registra 407.639 mortes por covid-19, conforme atualização do Ministério da Saúde divulgada nesse domingo (2). Em 24 horas, foram 1.202 novas mortes. A aplicação da primeira dose alcança cerca de 14% dos brasileiros; e 6,5% receberam as duas doses.

Os dados utilizados na análise foram disponibilizados pelo Ministério da Saúde e referem-se ao período de 3 de janeiro a 22 de abril. Nessas datas, 171.454 pessoas morreram pelo novo coronavírus no Brasil.

No começo de 2021, a taxa de mortalidade entre pessoas de 80 anos ou mais era 13,7 vezes maior do que para pessoas com zero a 79 anos. De acordo com o estudo, essa relação caiu para 6,9 vezes no início de abril.

As estimativas dos pesquisadores apontam que, com a nova cepa, se o número de mortes entre os mais idosos tivesse continuado no mesmo ritmo observado para grupos etários mais jovens, seriam esperadas quase 48 mil mortes contra as 34.168 registradas no período.

Os níveis nacionais de cobertura vacinal com a primeira dose nessa faixa etária chegaram a 50% na primeira quinzena de fevereiro, a 80% na segunda quinzena do mês e ficou em 95% em março. Os pesquisadores apontam que os resultados de queda da mortalidade encontrados são compatíveis com o efeito protetor da primeira dose e deve aumentar a partir da segunda.

O estudo também confirma que as vacinas aplicadas no Brasil protegem mesmo em um cenário em que a P1 predomina. Pesquisas com profissionais de saúde vacinados em Manaus e São Paulo já demonstravam essa proteção.

Agência Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Pois é. Já pensaram se a vacinação estivesse começado no ano passado caso tivéssemos um presidente sério e honesto? Milhoes de mortes teriam sido evitadas e a economia já estaria de volta há tempo. Mas o genocida vai pagar nem que seja no inferno. Tem problema não, já seinonqie fazer com meu voto em 2022.

  2. Esse pessoal da secretaria de saúde gosta de burocracia além de laudo médico ainda estão solicitando exames de sangue pra prova que os pacientes com que tem diabetes já tá difícil pegar o laudo imagine fazer o exames oh povinho cheio de frescura

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Abril se torna o mês com mais mortes registradas por Covid-19 no RN desde o início da pandemia

Um levantamento do portal G1-RN aleta que abril de 2021 se tornou o mês com mais mortes registradas por Covid-19 desde o início da pandemia no Rio Grande do Norte, superando março. Ao todo, morreram 939 pessoas vítimas da doença neste mês, que se encerra nesta sexta-feira (30).

O levantamento foi feito pelo G1 baseado nos boletins epidemiológicos da doença e nos dados diários divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). Segundo a pasta, algumas das mortes contabilizadas nos boletins não acontecem necessariamente nos dias em que são registradas. Anteriormente, a maior marca era exatamente no mês anterior, de março, quando 922 pessoas perderam a vida para a doença, mostrando o crescimento da letalidade nesse período.

Opinião dos leitores

    1. Fecha, mas manda ela também pagar auxílio aos ambulantes e micro empresários prejudicados com o Lockdown, com os bilhões de reais que o governo federal mandou pra o estado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Cidade de São Paulo tem queda de 90% em mortes de idosos por covid-19

FOTO: EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

A cidade de São Paulo (SP) teve queda de 90% no número de mortes de idosos – com 60 anos ou mais – por covid-19 no mês de abril. Os dados foram divulgados pelo governador João Doria (PSDB) em suas redes sociais.

O gráfico divulgado por Doria indica que, antes deste mês, as faixas etárias de 60 a 69 anos, 70 a 79 e 80 a 89 tiveram um aumento considerável nos óbitos entre fevereiro e março, mês mais crítico da pandemia no estado e em todo o Brasil. Somente a faixa dos 90 anos ou mais não apresentou acréscimos significativos entre os dois meses.

O gráfico indica também uma redução acentuada em abril, sobretudo nos dados das três primeiras faixas etárias.

A cidade teve, em março, mais de 3.400 mortes pelo novo coronavírus, sendo cerca de 2.600 na faixa dos 60 a 70 anos. Em abril, o número de óbitos por covid-19 ainda não chegou a 350.

Desde o início do processo de vacinação contra a covid-19, em janeiro a cidade de São Paulo imunizou, de maneira decrescente, grupos das faixas etárias de 90 anos ou mais até os idosos de 64 anos, os vacinados na capital paulista atualmente.

No total, o município imunizou 1.988.344 pessoas ao menos com a primeira dose. Destas, 1.122.376 já receberam a segunda.

Foto: Reprodução

R7

 

Opinião dos leitores

  1. Pelos comentários e raciocínio ilógico dos especialistas escritores do blog: Quando as mortes e contágios ESTÃO em alta, a culpa unica e exclusiva é do governo gederal. Quando passa o ciclo/onda da covid, ficando as mortes e infecções em baixa, o mérito é dos municípios e estados… Mudam as posições de acordo com a conveniência política. Se preparem, pois ainda vem outras ondas por aí, vocês ainda vão ter muito tempo para defecarem pelos dedos nas redes sociais… Como disse uma especialista: para que médico , se temos jornalistas e seguidores das seitas da extrema direita e esquerda radical?

  2. Argentina caminha para miséria e opressão , É ISSO QUE CRETINOS QUEREM PARA O BRASIL.

  3. Bota quente BOLSONARO. Não é a toa o melhor Presidente do Brasil.
    Tem alguns que preferem cachaceiro, mijado, ladrão, mentiroso ou até mesmo calça justa.
    BOLSONARO 2022

    1. 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣
      Ozônio? O gado adooooora….kkkk

  4. Seguindo o raciocínio majestoso e sagrado do MINTOmaníaco, chegamos ao corolário que não estão mais morrendo idosos pq eles estão virando jacaré talkei… KKK

    1. Esquerda cinismo, deboche e fakenews…
      São cara de pau.
      Bolsonaro comprou 100 milhões de doses da Oxford em julho de 2020.
      O negócio do jacaré ele se referiu ao fato de que a Pfizer não queria se responsabilizar por nenhum efeito colateral que viesse a ocorrer.
      O esquerdista gosta de mentir.
      Fidel castro, Msduro e Lula usam mentiras para chegar ao poder.
      Nenhum país desenvolvido usa vacina chinesa…

    2. Paulo, então deixa eu tentar entender : pela inépcia do MINTO estamos usando uma “vachina” que mais ninguém do ocidente comprou, né isso? Então o MINTO está nos tornando um país comunista é isso? Pq 85% ou mais dos vacinados tomaram a “vachina”! Onde estão essas 100 milhões de vacinas que vc disse que o MINTO comprou em julho de 2020? Vão chegar daqui a quantas décadas? Sai desse grupin de zap que vc está e vá buscar fontes que mostram a REALIDADE, não o devaneio de um presidente e seus asseclas cegos e surdos!

    3. Esse Manoel F come m……, nada do que ele fala se escreve, alguém da sua família diz que quem escolhe do voto a roupa íntima na casa dele é ele. Como ele é experto em tudo, deduzimos que não vale nada, na vida, quem tudo quer, tudo perde.

    4. Ana Maria KKKKKKKKKKK. Então, vc se incomoda muito com meus comentários ou a realidade lhe incomoda? Se não tem o que comentar sobre o assunto ou não entende de nada exceto a narrativa do grupin do ZAP, não tenho culpa tá?!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTOS: Polícia Civil detalha Operação no Paço da Pátria que teve morte de dupla em confronto com policiais apreensão de armas

Fotos: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte, por meio da Delegacia Especializada em Narcóticos (DENARC) de Natal e da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deflagrou, nesta sexta-feira (23), a “Operação Prainha”, no Paço da Pátria, em Natal. As ações aconteceram de forma integrada com a Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Penal, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil da Paraíba e equipes da Força-Tarefa de Combate ao Crime Organizado do Ministério da Justiça em Natal e Mossoró.

A operação teve como objetivo apreender armas de fogo e prender Renato Rovegno de Souza Júnior, suspeito do latrocínio que vitimou o policial militar Gustavo Pinheiro de Andrade, morto em 13 de abril, no bairro Capim Macio, em Natal, durante uma tentativa de roubo ocorrida em um estabelecimento comercial, quando o policial reagiu à ação e foi morto.

Durante as diligências realizadas nesta sexta-feira (23), Renato Rovegno, acompanhado de outro homem ainda não identificado, reagiu à abordagem realizada pela Polícia Militar e ambos foram atingidos por disparos, morrendo no local. Na ocasião, foram apreendidas com eles duas armas de fogo, sendo uma pistola .40 usada pelo cabo Gustavo, pertencente à Polícia Militar, e uma pistola 9mm.

O nome da operação, “Prainha”, remete à localidade no lado oposto ao Paço da Pátria, na qual foragidos da Justiça costumam se esconder e onde também foram realizadas diligências. As ações contaram com a participação do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e da Companhia Independente de Proteção Ambiental (CIPAM), todos da Polícia Militar, além da atuação dos canis da Polícia Federal e do Grupo Penitenciário de Operações com Cães (GPOC), e a presença do helicóptero da Polícia Civil da Paraíba.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. Essas operações no Paço da Pátria e e Mãe Luíza tem quer ser permanente. A polícia tem que asfixiar essa bandidagem e não dar espaço para esses safados agirem. Coloquem uns 300 homens em cada bocada dessas que a turma deixa o ramo e vai procurar emprego. O problema é que só atuam pesado quando PMs são mortos ou são vítima deles.

  2. Parabéns a todos os policiais empregados nessa operação, pois cancelaram em alto estilo dois CPFs de dois vermes vagabundos que estavam vivendo no meio de pessoas dignas. Esses tipos de operações tem que ocorrer com mais frequência, pois só assim seriam cancelados mais CPFs de vermes vagabundos que ainda estão circulando entre as pessoas de bem. A Polícia tem que fazer uma limpa desses vermes dessas facções criminosas covardes.

  3. Calma , até o final de tarde o DIREITO DOS MANOS , ops dos HUMANOS , irá fazer uma reclamação em algum lugar público, para infernizar a vida do real trabalhador, pela causa dos VAGABUNDOS , estará lotado de PTralhas

    1. Meter balas de borrachas neles e também spray de pimenta. Indivíduos desqualificados defensores de bandidos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil é o país das Américas com mais mortes por Covid em relação à população

O Brasil passou Estados Unidos, México e Peru nas últimas duas semanas e se tornou o país com mais mortes por Covid-19 do continente americano em relação à sua população, apontam dados do “Our World in Data”.

O Brasil tem atualmente 1.756 óbitos por milhão de habitantes e ultrapassou o México no dia 7 de abril, o Peru no dia 13 e os EUA no dia 14. Os 10 países com mais óbitos proporcionais das Américas são:

Brasil: 1.756 mortes a cada 1 milhão de habitantes

Peru: 1.722

EUA: 1.713

México: 1.646

Panamá: 1.434

Colômbia: 1.342

Chile: 1.317

Argentina: 1.310

Bolívia: 1.083

Equador: 1.003

Em termos absolutos, os EUA são o país com mais vítimas da Covid-19 do mundo (567 mil), seguido de Brasil (373 mil) e México (212 mil).

Na semana passada, com a piora da pandemia na América do Sul, o mundo atingiu a triste marca de 3 milhões de mortes por Covid-19.

A situação tem piorado na região principalmente devido ao Brasil, e a América do Sul é atualmente a região que mais registra mortes causadas pelo novo coronavírus no mundo, à frente da Europa.

Até começo de fevereiro, quando registrava cerca de 1 mil mortes por dia (um terço do que registra atualmente), o Brasil era o 7º do continente em óbitos proporcionais. Além de EUA, México e Peru, o país também estava atrás de Panamá, Colômbia e Argentina.

O país tinha também uma média de novas vítimas da Covid-19 em relação à sua população inferior à de EUA, México, Peru, Panamá e Colômbia.

Com a escalada de mortes no país, que chegou a passar de 4,2 mil em um único dia, o Brasil viu a média de mortes passar de cerca de 5 vítimas do novo coronavírus a cada 1 milhão por dia em meados de fevereiro para cerca de 13 atualmente.

Agora, além de liderar a triste marca nas Américas, o Brasil é também o 13º país com mais mortes proporcionais do mundo. Os 20 países com mais óbitos proporcionais do mundo são:

República Tcheca: 2.654 mortes a cada 1 milhão de habitantes

Hungria: 2.606

San Marino: 2.563

Bósnia e Herzegovina: 2.373

Montenegro: 2.275

Bulgária: 2.186

Macedônia do Norte: 2.132

Bélgica: 2.048

Eslováquia: 2.034

Eslovênia: 2.000

Itália: 1.933

Reino Unido: 1.878

Brasil: 1.756

Peru: 1.722

Estados Unidos: 1.713

Portugal: 1.661

México: 1.646

Espanha: 1.646

Polônia: 1.639

Croácia: 1.598

Desde o começo de fevereiro, o Brasil passou no ranking proporcional diversos países que sofreram com ondas muito fortes de Covid-19, como Portugal, Espanha, França e Suécia.

Recorde semanal de casos

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou nesta segunda-feira (19) que o mundo registrou um recorde de mais de 5,2 milhões novos casos de Covid-19 nos últimos sete dias e as mortes subiram pela quinta semana seguida.

“Números grandes podem nos deixar insensíveis”, disse Ghebreyesus. “Mas cada uma dessas mortes é uma tragédia para famílias, comunidades e nações.”

Tedros relembrou que o primeiro 1 milhão de mortes por Covid-19 aconteceu após nove meses de pandemia, em setembro do ano passado. Foram mais quatro meses para o mundo chegar aos 2 milhões de óbitos, e apenas três meses para atingir a triste contagem de 3 milhões de vítimas.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Se nossos políticos se unissem em torno da saúde pública, não teríamos chegado a esse ponto, no entanto, ficam utilizando-te da desgraça do povo para atacarem e se promoverem, nossa classe política com raras exceções, é uma porcaria.

    1. Ainda bem que a natureza criou esse monstro do Coronavírus.
      Luiz Inácio Lula da Silva

  2. É o efeito Bolsonaro que minimiza a proporção da pandemia aliada ao negacionismo constante. País sem política pública de combate a pandemia… Esse é o reflexo.

    1. Verdade. Faltou aos governadores fazer essa política que segundo o STF a eles competiam.

    2. Os números são bem próximos. Entre os países. Não sei se vc viu. Então nada mais determinante. A culpa é exclusivamente do vírus. E veja que tem paises muito mais ricos que o Brasil e com mais mortes.. e não vejo ninguém chamando o primeiro ministro do Reino Unido de genocida

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

São Paulo registra 1.095 mortes pela covid em 24 horas e média móvel chega a 862

São Paulo registrou nesta quarta-feira, 14, 1.095 mortes por covid-19 nas últimas 24h. Na média móvel chegou a 862 mortes e mostrou uma tendência de crescimento. Só para se ter uma ideia de comparação, a marca mais alta no Estado é de 1.389 mortes registradas, no dia 6 de abril. Este mês tem sido o pior para São Paulo, com registros acima de mil óbitos em seis dias até o momento.

Durante coletiva de imprensa nesta tarde, o secretário estadual da Saúde Jean Gorinchteyn afirmou que houve uma “boa evolução” nos índices da pandemia em São Paulo, atribuída por ele ao faseamento vermelho e à fase emergencial. De acordo com ele, as mortes pela covid, que tiveram aumento de 13% na última semana, “não configuram o momento atual da dinâmica da epidemia no nosso Estado”.

Ainda nesta quarta-feira, 14, o Estado tem 11.798 pacientes da covid internados em UTIs, cuja taxa de ocupação está em 86,4%, contra 84,9% na Grande São Paulo. Ao todo, já foram registrado 2.686.031 testes positivos para o coronavírus e 85.475 vidas perdidas para a doença no Estado.

Estadão

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Grande parte dos suspeitos de mortes de policiais em 2021 no RN já estão presos ou identificados, dizem forças de segurança

Grande parte dos suspeitos de envolvimento com as mortes de policiais ocorridas este ano no Rio Grande do Norte já foram presos ou identificados. A confirmação é da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED), do Comando Geral da Polícia Militar e também da Delegacia Geral da Polícia Civil. De janeiro até o dia 13 de março, quatro policiais militares do RN e um policial civil da Paraíba foram mortos, além de outros dois PMs potiguares que ficaram feridos, todos vítimas de assaltantes.

O caso mais recente aconteceu na noite desta terça-feira (13) no bairro Capim Macio, na Zona Sul de Natal. O cabo da PM Gustavo Pinheiro de Andrade, de 39 anos, estava em uma loja de aparelhos celulares quando foi abordado por um assaltante. O bandido percebeu que Gustavo estava armado e o agarrou. Houve luta e o policial acabou baleado.

Gustavo ainda foi socorrido ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Ele trabalhava no 5º BPM. A Polícia Militar informou que o criminoso foi identificado graças às imagens do circuito interno de vigilância do estabelecimento e ele continua sendo procurado.

Dois dias antes, um policial militar foi baleado de raspão na cabeça após reagir a um assalto no bairro de Lagoa Nova, também na Zona Sul da capital potiguar. O PM, que é lotado na Companhia Independente de Prevenção às Drogas (Cipred), foi socorrido, atendido e logo liberado. O bandido fugiu, mas também já foi identificado.

No final de semana passado, no sábado (10), a vítima foi um policial civil da Paraíba, morto em um assalto no bairro Pitimbu, que também fica na Zona Sul de Natal. Cleverson Luiz Fontes, de 45 anos, trabalhava há seis anos na Delegacia de Mulher em Mamanguape, mas morava na capital potiguar. Ele saía da casa de familiares quando foi abordado por assaltantes e baleado.

Dentro do carro do agente, os ladrões viram que havia uma arma e um distintivo policial. Foi quando os bandidos tiraram Cleverson do veículo e atiraram nele. Na fuga, os criminosos bateram o automóvel no bairro Cidade Nova, na Zona Oeste da cidade. Dois foram presos e autuados em flagrante.

Na sexta, dia 9, um sargento do Batalhão de Choque da PM foi baleado durante um assalto que aconteceu no cruzamento das avenidas Romualdo Galvão e Antônio Basílio, em Lagoa Nova, onde ele foi abordado. Os criminosos se aproximaram em uma moto e o renderam, sem saber que ele era policial. Ao perceberem que estava armado, atiraram contra ele. Um dos tiros transfixou o tórax do sargento, e outro tiro ficou alojado na parte de trás da cabeça.

O PM foi socorrido, medicado e se recupera bem dos ferimentos. Já os bandidos, fugiram com a moto e a arma do sargento. No início desta semana, a motocicleta e a arma do PM foram encontradas enterradas em uma área de dunas no bairro de Mãe Luíza. “Os criminosos também já foram identificados e presos”, destacou o comandante-geral da PM, coronel Alarico.

No dia anterior, em Mossoró, na região Oeste potiguar, a vítima foi o cabo da PM Francisco Marcolino Sobrinho, de 44 anos. Ele estava de carro, próximo da casa de um parente, quando foi abordado por dois assaltantes. O policial reagiu ao assalto, mas acabou baleado na cabeça. O cabo Marcolino foi socorrido, mas teve a morte cerebral confirmada dois dias após ser internado.

A Polícia Militar informou que um dos suspeitos de ter participado do latrocínio (roubo seguido de morte) do cabo Marcolino morreu em confronto armado com a PM na tarde desta terça-feira (13). Foi durante uma diligência na cidade de Itaú, também no Oeste do estado. Um segundo assaltante também morreu no confronto, mas ainda não há informações se ele também teria participação no crime que vitimou o policial. No local onde os dois bandidos estavam, os policiais apreenderam armas, drogas e celulares. Três mulheres também foram apreendidas na mesma operação.

Na noite de 4 de março, o sargento da PM aposentado Neuton Alves, de 56 anos, foi morto durante uma troca de tiros com assaltantes em um parque eólico de São Miguel do Gostoso, no litoral Norte potiguar. O PM trabalhava como vigilante do parque eólico, junto com outro policial, quando um grupo de assaltantes armados invadiu o local. O sargento aposentado reagiu e entrou em confronto com os bandidos, mas foi atingido e morreu. A PM confirma que pelo menos dois dos criminosos já foram identificados e são procurados pela polícia.

O primeiro agente de segurança vítima de assaltantes este ano foi o cabo reformado da Polícia Militar Haroldo Cavalcanti Gomes, de 52 anos, atingido por disparos de arma de fogo no dia 8 de janeiro em Maxaranguape, município do litoral Norte. Segundo a Polícia Militar, Haroldo foi reformado por ter problemas de coração. A Polícia Civil investiga o caso.

Núcleo de Investigação Policial de Mortes de Agentes de Segurança Pública está em ação

Titular da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o delegado Márcio Lemos ressaltou que as investigações estão bastante avançadas, mas que prefere não entrar em detalhes para não prejudicar o andamento dos trabalhos.

Na noite passada, o secretário da Segurança Pública e da Defesa Social, coronel Francisco Araújo Silva, determinou ao Núcleo de Investigação Policial de Mortes de Agentes de Segurança Pública (NIMAS) — que é vinculado à DHPP – a adoção de todos os procedimentos necessários para uma resposta rápida e eficaz, com a identificação, localização e prisão dos criminosos.

“Em tempo, e ainda perante a sociedade e as famílias dos agentes públicos envolvidos, externamos profundo pesar pelas vidas ceifadas de maneira cruel e covarde”, acrescentou o coronel Araújo.

Opinião dos leitores

  1. Secretario de segurança pede pra sair!!! Ninguém aguenta mais sua omissão, as facções estão dominando todo o Estado fato que na época que o Sr era cmte geral da pmrn negou q tivesse facção no Estado. Tá na hora de mudar, secretário de segurança, cmte geral e delegado geral todos acomodados e despachando de casa pelo ZAP!!!! Cadê as operações??? Não estão servindo a população!!!! Fora ja

  2. É fake news da SESED, pois apenas uma caso foi resolvido, o que ocasionou a morte de um policial paraibano no Bairro Pitimbu, os outros continuam insolúveis

  3. Sra. Governadora aproveite, seus dias de chefe de estado está chegando ao fim. O povo já percebeu. 2022 vem aí.

    1. Ela só não vai se eleger com o meu voto nem com os da minha família. Nós não comemos capim.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *