Espanha tem novo pico de mortes por coronavírus em um dia; foram 864 nas últimas 24 horas

Foto: Olmo Calvo/AP Photo

As autoridades espanholas de Saúde informaram nesta quarta-feira (1º) que, nas últimas 24 horas, a Espanha registrou 864 mortes por Covid-19. É o segundo dia seguido que o país ibérico tem um pico na contagem de mortos.

O número é o mais alto para um dia, desde o início da pandemia de coronavírus. Na terça (31), a Espanha havia registrado 849 mortos, a maior cifra até então. Antes disso, o pico anterior foi no sábado (28), quando o país registrou 832 mortes.

Com ao menos 9.053 mortes, a Espanha é o segundo país no mundo que mais teve vítimas nesta pandemia de coronavírus, ficando atrás apenas da Itália que ultrapassou as 12,4 mil mortes.

O governo espanhol informou também que, em 24 horas, detectou mais de 7,7 mil contágios da doença em seu território. Com isso, o número de casos diagnosticados supera os 100 mil.

Veja a situação na Espanha
Casos confirmados: 102.136
Mortes: 9.053

(Fonte: Ministério da Saúde da Espanha)

Mais de 30 mil mortes na Europa

A pandemia provocada pelo novo coronavírus matou mais de 30 mil pessoas na Europa, continente mais afetado pela Covid-19 até o momento, segundo balanço da agência France Presse e do Ministério da Saúde da espanhol.

Mais de dois terços dessas mortes aconteceram na Itália (12.428 mortos) e na Espanha (9.053). O terceiro país mais afetado é França (3.523).

A Europa também concentra as confirmações de Covid-19 e tem até o momento mais de 40% de todos os casos de novo coronavírus no mundo, segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Apenas a Itália, Espanha, Alemanha e França já diagnosticaram mais de 300 mil pessoas.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silva disse:

    Alguém viu e ouviu pedirem a saida, o afastamento do primeiro ministro????
    Aqui a canalhada esquerdista, com 50 mortes, ja estavam pedindo a saída do Bolsonaro.
    VERGONHOSOS
    Esses PARASITAS.

França registra mais 499 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas

Foto: Pascual Guyot/AFP

Nesta terça-feira (31), a França registrou 499 mortes nas últimas 24 horas devido ao novo coronavírus. O número de óbitos aumentou para 3.523. Além disso, foram detectados 7.578 casos no intervalo de um dia.

O último balanço do novo coronavírus no mundo superou 40 mil mortos e 800 mil infectados, em uma escalada que deixou quase metade da humanidade confinada, em meio ao risco de uma recessão sem precedentes.

Diário de Pernambuco

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chicão disse:

    ALGUMA NOTÍCIA DE QUE NA FRANÇA, ESTÃO TENTANDO DERRUBAR O MANÉ MACRON???
    NO BRASIL, ESTÃO DANDO ATE MICROFONE PRA CONDENADO FALAR, CONTRA O PRESIDENTE HONESTO, ELEITO PELO POVO FALAR.
    UM ABSURDO.
    Bolsonaro o presidente, mais popular do mundo.
    Vai pro meio do povo, em quanto os outros, que o Brasil já teve ROUBA.

Mortes por coronavírus na Espanha chegam a 849 em 24 horas

A Espanha registrou 849 mortes pelo novo coronavírus entre a segunda-feira e esta terça-feira (31), o maior número em 24 horas desde o início da epidemia, embora a porcentagem de crescimento tenha sido levemente menor que nos dias anteriores, informou o Ministério da Saúde.

As mortes causadas pelo vírus subiram para 8.189, ante as 7.340 de segunda, enquanto o número total de casos de coronavírus subiu de 85.195 para 94.417 hoje.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Alves disse:

    É a tragédia do momento. Pergunta quantos morreram de câncer no mundo nos últimos dez dias. Pergunta quantos óbitos por infarte. Vê se juntando os dois não supera e muito os que faleceram por causa do Covid 19. Mas, o que pode ser usado, sobretudo aqui no Brasil, como principal fator de desestabilização do governo, pelos diversos segmentos político e pelos meios de comunicação sem escrúpulos é o Coronavírus. Simples assim.

  2. gusthenrique disse:

    Ninguém mais morre de outras doenças não? De repente, só a covid19 mata.

Brasil tem 159 mortes e 4.579 casos confirmados de coronavírus, informa Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou nesta segunda-feira (30) o mais recente balanço nacional sobre os casos de Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2. Os principais dados são:

159 mortes

4579 casos confirmados

3,5% é a taxa de letalidade

Sudeste tem 2.507 casos, 55% do total

São Paulo tem 1.451 casos

No levantamento anterior, divulgado no domingo (29), o Brasil tinha 136 mortes e 4.256 casos confirmados de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. São 23 óbitos nas últimas 24 horas.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria disse:

    Só um dado que geralmente não é divulgado e as pessoas não vão atrás: no Brasil morrem pouco mais de 3500 pessoas por dia, não eh por mês, eh por dia mesmo. Podem buscar a informação. Portanto, logicamente ninguém gosta de falar em mortes, mas quando comparado um ao lado do outro, números podem ter outras conotações.

Brasil tem 92 mortes e 3.417 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde

Arte Coronavírus — Foto: Arte/G1

O Ministério da Saúde divulgou o mais recente balanço dos casos da Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2. Os principais números são:

92 mortes

3.417 casos confirmados

2,7% é a taxa de letalidade

São Paulo concentra 1.223 casos, e o Rio, 493.

No balanço anterior, que marcou o primeiro mês da circulação do novo coronavírus Sars-Cov-2 no Brasil, os números apontavam 77 mortes e 2.915 casos confirmados. Em relação às mortes, o aumento foi de 19%, e de 17% em relação aos casos do dia anterior.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Xô petralhas disse:

    Bom são os comentários destes cientistas apartidários…kkkk…deixem de falar m _ _ _ _!!!

  2. Carlos Sérgio disse:

    Eu estava agora a tarde conversando com um bolsominions e ele falava que as mortes nada tem com o coronavirus, coisas da mídia, coisas da Globo, perguntei a respeita das mortes na Itália, ele falou que era o dia de quem morreu morrer mesmo.
    Falou que deve abrir tudo, nada de confinamento, perguntei a ele a respeito dos necrotérios montados ao meio das ruas em uma cidade americana. Ele falou que não assiste TV a alguns dias
    Deixei de entender como ele teve as opiniões e conclusões relatadas..estranho
    Kkkkkkk

  3. João disse:

    É o próprio governo que está contabilizando, mas daqui a pouco, quando ficar difícil contar, os terraplanistas vão falar que não morreram todos de covid-19

POLÊMICO: Médicos do Samu de SP são avisados que terão que atestar mortes ocorridas fora dos hospitais por Covid-19, e naturais e indefinidas correm risco de supernotificação

Foto: Daniel Castellano / Gazeta do Povo/

Durante a pandemia causada pelo coronavírus, os médicos que atuam nas dez ambulâncias de SAV (Suporte Avançado de Vida) do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e os do Grau (Grupo de Resgate e Atenção às Urgências e Emergências) da capital paulista passarão a atestar mortes naturais, indefinidas e causadas pela Covid-19 ocorridas fora dos hospitais.

Os profissionais do Samu foram avisados sobre a nova função em reuniões ocorridas nesta semana com a coordenação do serviço, mas ainda não há uma data para iniciarem o trabalho. A Folha teve acesso ao conteúdo discutido nos encontros.

A nova medida é baseada no decreto 64.880 do governo de São Paulo e em resolução da Secretaria Estadual da Saúde —ambos publicados na sexta-feira (20).

O decreto delega às secretarias de Saúde e de Segurança Pública de São Paulo a adoção de medidas necessárias para que as atividades de manejo de corpos e de necrópsias, no contexto da pandemia do Covid-19, não constituam ameaça às equipes de saúde e à população, além de dar carta branca para a tomada de decisões por parte dos secretários.

A resolução define apenas que os profissionais das unidades de saúde deverão emitir a Declaração de Óbito dos casos relacionados à Covid-19 e o seu procedimento.

Por enquanto, a atuação do Samu para atestar mortes ocorridas fora de ambiente hospitalar está sendo tratada no âmbito da coordenação do serviço com as secretarias municipal e estadual da saúde. A função ainda é de responsabilidade dos médicos do SVO (Serviço de Verificação de Óbitos).

Hoje, em caso de morte sem assistência médica, a família vai à delegacia e faz boletim de ocorrência de morte natural. O delegado manda o serviço funerário retirar o corpo e levá-lo ao SVO para necrópsia. Depois, o mesmo é liberado para velório.

O Samu, assim que iniciar na função, examinará o corpo, fará o teste para Covid-19, se necessário, e preencherá uma autópsia verbal, que ficará no serviço.

Se a morte ocorrer por Covid-19, o atestado será alterado com a confirmação.

A Folha ouviu profissionais do órgão, que estão preocupados. “Uma vez que o médico do Samu não fará uma autópsia completa, se for obrigado a emitir o atestado deverá colocar como causa da morte apenas o provável, o que pode levar tanto a uma supernotificação como a uma subnotificação de mortes pela Covid-19. De qualquer forma, ainda que se faça teste nos casos de morte possivelmente por coronavírus, as demais causas serão subnotificadas”, afirma um médico que preferiu não se identificar.

“Isso destrói as estatísticas usadas para políticas de gestão em saúde. Os falecimentos por infarto, derrame, aneurisma, etc serão classificados como causa indeterminada ou Covid-19.”

O médico Wagmar Barbosa, conselheiro do Conselho Regional de Medicina do estado de São Paulo, acha que é a melhor medida a ser tomada neste momento.

“O conselho foi consultado pelo governo. A decisão é baseada em experiências internacionais. O manuseio dos corpos e o traslado implicam em risco não só às equipes de saúde mas também à população”, diz ele.

“É óbvio que não é o ideal e eu entendo o lado dos médicos do Samu, mas, quando se fala em controle sanitário, a medida é válida. Dada a situação atual, não vejo outro tipo de atitude. A situação é dinâmica. Se houver uma alternativa melhor, não vou me opor”, afirma.

Equipes do Samu realizam atendimento pré-hospitalar de urgências e emergências, de acordo com prioridades.

Casos como infarto ou AVC, por exemplo, em que o paciente corre o risco de morte iminente, devem ser atendidos pelas equipes avançadas (com médico e enfermeiro, além do condutor da ambulância, que também é um socorrista) num tempo que não deve ultrapassar 12 minutos, segundo preconizam organizações médicas internacionais.

Outro ponto negativo, segundo os profissionais do Samu, é a desassistência que a medida pode ocasionar no atendimento de ocorrências graves.

Para o professor da Faculdade de Saúde Pública da USP Gonzalo Vecina Neto, a medida não é inviável, mas também não é adequada.

“Dado o fato de que o Samu não tem tempo de atendimento das emergências adequado, é uma má utilização de recurso sofisticado, de se ter equipes mais completas do Samu para fazer verificação de óbitos.”, diz ele.

“O mais correto seria suprir o SVO de equipes volantes. Um morto não sai do estágio de morto, mas quem está vivo e precisa da ambulância de UTI pode ser sacrificado. O ideal seria os médicos do SVO se deslocarem e fazerem esse serviço.”

Procurada, a Secretaria Estadual da Saúde negou que haja mudança de protocolo em relação ao Grau.

A pasta afirmou também que os funcionários do Serviço de Verificação de Óbito seguem desempenhando normalmente suas funções.

A Secretaria Municipal da Saúde, responsável pelo gerenciamento do Samu na cidade de São Paulo, afirmou desconhecer o assunto. O Ministério da Saúde não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Folha de São Paulo

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2020/03/medicos-do-samu-de-sp-sao-avisados-de-que-terao-que-atestar-mortes.shtml

https://tribunaonline.com.br/medicos-do-samu-de-sao-paulo-terao-que-atestar-mortes-por-coronavirus

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Heriberto disse:

    A ptzada está comemorando o caos no Brasil, aqui não é diferente.

  2. Lucian disse:

    As cartas estão na mesa.
    Ou vc acredita no presidente da República, ou estão lascados.
    Esse Doria é um canalha.
    É tudo que o Brasil não precisa.
    Faça as suas escolhas.
    Fátima Lula Bezerra ja fez.

  3. Silvio. disse:

    Esse é o Joãozinho.
    Kkkkkkkkkkll
    O RN tá fundido.
    Fora Fátima.
    A Paraíba e bem aí corra!!!!

  4. Aderbal. disse:

    Olhem os.numeros da Europa , aqui vai ser pior.

  5. Anderson disse:

    João Dória é um pilantra fino, um verdadeiro 171! Pisando sobre "mortos" visando ser Presidente da República!
    DÓRIALIXO

  6. Mpj disse:

    O tal decreto não diz que os médicos vão atestar sem fazer exame. Ele deixa explícito que em caso da covid19 , será feito exame e aí sim dirá se morreu por coronavirus ou não .

    • Miriã disse:

      Você leu toda matéria?
      Isso destrói as estatísticas usadas para políticas de gestão em saúde. Os falecimentos por infarto, derrame, aneurisma, etc serão classificados como causa indeterminada ou Covid-19

  7. LEO disse:

    Dessa Oposição Canalha ao Bolsonaro,se espera tudo….

  8. Silveira disse:

    Se ele fizer todos os absurdos, piorar a situação em SP, tiver o maior números de mortes, não fizer nada além do isolamento, mas se coloca contra Bolsonaro, a esquerda vai aplaudir, aclamá-lo, fazer passeata em apoio e vão culpar o presidente pelos erros dele. País de corruptos.
    Por sinal ele sabia do coronavírus desde janeiro e não tomou qualquer providência, sequer evitou o carnaval.
    Dória é contra acabar o isolamento, mas não permite as indústrias de SP pararem.
    Quando ele deveria ter agido não fez, agora toca fogo na situação.
    Mas o governo de SP fez um contrato milionário com a globo, então vai ser devidamente protegido pela emissora.

  9. Nando disse:

    Todo mundo tá errado, só Boisonaro estuda certo. Tá igual ao soldado de Caico, ligou pra mãe , que na parada militar em Natal, tinha 3 mil soldados desfilado errado, só ele estava certo.

  10. ForaCanalhas disse:

    O CANALHA do governador Dória quer aumentar os números pra confrontar Bolsonaro e consequentemente aumentar o pânico na população.

“A recessão resultante de se tirar a economia da tomada vai gerar muito mais mortes”, diz Flávio Rocha sobre paralisação

Foto: Divulgação

Não cai do céu O empresário Flávio Rocha (Riachuelo), que passou o último ano defendendo uma reforma tributária capaz de desonerar a folha de pagamento com base no resgate de um tributo sobre movimentação financeira, viu seu sonho murchar diante do coronavírus, mas não desistiu do objetivo. Afeito a analogias, ele diz que “não adianta jogar dinheiro de helicóptero, se continuar com o aspirador de dinheiro ligado, ou seja, a arrecadação de impostos, principalmente os incidentes sobre a folha”.

Bem maior Rocha, que pouco se manifestou nos últimos dias no debate sobre a eficácia do confinamento para frear o coronavírus, avalia que é tudo um “falso dilema”. Para ele, alguns de seus colegas empresários que recentemente atacaram a quarentena acabaram sendo mal interpretados.

A vida é… “Ou são vidas ou é a economia. Não se trata disso. O bem maior é a vida. Não são só vidas do coronavírus. São vidas que serão perdidas com desemprego, desalento, violência, que serão mais numerosas”, afirma ele.

…feita de escolhas Rocha faz comparações entre as mortes provocadas por H1N1 ou por acidentes de carro com aquelas que o novo coronavírus vem causando.

Cinto de segurança “Poderíamos ter evitado mortes proibindo o automóvel, com um impacto muito menor do que desligar toda a economia: bastaria desligar os veículos. Pouparia 10 mil vezes mais vidas do que o coronavírus”, diz ele.

Paralisação Na semana passada, a Riachuelo suspendeu as atividades de lojas e fábricas da marca.

“Há maneiras de não parar a economia sem colocar a população em risco. A recessão resultante de se tirar a economia da tomada vai gerar muito mais mortes

Flávio Rocha
presidente do conselho de administração da Riachuelo

Painel – Folha de São Paulo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucas disse:

    Flávio Rocha, você já tomou algo hoje? Então me faça um favor: vá tomar no meio do olho do seu …! Todos os demais países seguem as orientações de confinamento nesse momento inicial, e só na p. desse país esse retardados ficam com essa ladainha escrota!

  2. Zé Mané disse:

    A população vai escapar do vírus e morrer de fome.

  3. Josepe disse:

    Olhem a Itália.

  4. Leo disse:

    Mentiroso e irresponsável. O ídolo dele da América do norte tá vendo a m%$#@ q fez e voltou atrás.
    Esse povo só pensa em dinheiro.

  5. otarocha disse:

    A mascara e a vaga de UTI

  6. Chicó disse:

    Não entendi ! Um dia desses publicaram que Flávio Rocha e o Brasil 200 eram contra Bolsonaro quando este se posicionou contra as medidas restritivas tomadas pelos Estados. Seria mais uma fake news ???

    • M.D.R. disse:

      Dois pesos e duas medidas. Só que o PICO da CORONAVIRUS é no mês de ABRIL, segundo os técnicos da SAÚDE . Importante agora, é continuar no confinamento .

  7. valmir melo da disse:

    Análise feira com muita lucidez. Parabens empresário.

  8. Sergio disse:

    Aposto como a máscara dele tá reservada. Já a sua…

Número de mortos na Espanha volta a crescer e atinge recorde diário de 769; casos chegam a 64 mil

Foto: JAVIER SORIANO / AFP / 26-03-2020

Após a queda no número de mortos pela primeira vez em uma semana, a cifra voltou a registrar alta nesta sexta-feira, atingindo o recorde diário 769. Na quinta-feira, 655 pessoas haviam morrido e na quarta, 769. Com isso, o número de mortos no país chegou a 4.858, com 64.059 casos registrados da doença.

Até ontem, a Espanha era o país com o segundo maior número de casos da doença do mundo, mas passou a ser o terceiro após os Estados Unidos ultrapassarem o país ibérico e a Itália, tornando-se o país mais afetado do mundo. Até o momento, os EUA já registram mais de 85 mil casos, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins, superando as 81.782 da China, marco zero da pandemia, que anunciou ontem o fechamento de suas fronteiras.

O Globo

Itália tem mais de 8 mil mortes por Covid-19 desde o início do surto

Foto: Reuters/Yara Nardi

O Ministério da Saúde da Itália registrou ao menos 8.165 mortes pela Covid-19 desde o início do surto. Em um balanço divulgado nesta quinta-feira (26), as autoridades de saúde contabilizaram mais de 62 mil infectados pelo novo coronavírus.

Nos últimos dias, desde o pico de sábado (21), quando o país registrou 793 mortes, o número de vítimas reduziu levemente e ontem chegou a 683 mortes. Na quinta o número diário de mortes ainda é alto, mas mais baixo que no dia anterior, nas últimas 24 horas o país registrou 662 mortes por Covid-19.

A região de Piemonte, no norte da Itália, contabilizou mais 50 mortes por coronavírus. O número não foi atualizado na contagem oficial do governo italiano, segundo a agência Reuters. Com estes casos, o número de mortos no país salta para 712 mortes na quinta-feira.

Trabalhadores da saúde também estão entre as vítimas do novo coronavírus. Um levantamento do governo italiano mostrou que cerca de 9% dos infectados do país no início da semana eram médicos, enfermeiros ou técnicos. A Federação de Médicos da Itália contabilizou nesta quinta 37 médicos mortos pelo novo coronavírus.

Quarentena

A Itália vive, desde o dia 9 de março, um isolamento total que inclui a suspensão de aulas e de serviços não essenciais. Eventos foram cancelados, e até mesmo o transporte de mercadorias foi limitado.

Giuseppe Conte afirmou nesta quarta-feira que a emergência do novo coronavírus é “sem precedentes” em todo o mundo. Ele pediu também que os países sejam rigorosos no combate ao coronavírus.

“Ninguém pode aceitar, muito menos a Itália que está fazendo grandes sacrifícios para combater o vírus, que outros países não percebam essa necessidade de máxima atenção preventiva”, disse o primeiro-ministro durante um pronunciamento na Câmara dos Deputados da Itália.

O premiê disse também que, se outros países não forem rigorosos com as medidas preventivas, a pandemia pode aumentar ainda mais o ritmo dos contágios.

Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observando disse:

    em 23.02.2020 eram 17 mortos.

Confinamento achatou a curva: menos mortes e menos casos de Covid-19 na Itália

Foto: Reuters / Manuel Silvestri / Direitos Reservados

Pelo quarto dia consecutivo, a Itália emite sinais positivos.

Desta vez, todos os principais números da epidemia apresentaram uma melhora.

De ontem para hoje, houve 5.210 novos casos (-0,8%), 683 mortos (-8,1%) e 1.036 pacientes curados (+13,7%).

O confinamento achatou a curva. Agora é preciso descer a montanha.

O Antagonista

Espanha chega a 3.434 mortes por coronavírus, ultrapassando a China

Foto: OSCAR DEL POZO / AFP

Com 3.434 mortes causadas pelo novo coronavírus, a Espanha já é o segundo país do mundo com mais casos fatais da doença, ficando atrás apenas da Itália, onde há ao menos 6.820 mortos. Nas últimas 24 horas, segundo o Ministério da Saúde espanhol, foram registradas 738 novas vítimas, 27% a mais que na véspera, seu maior saldo desde o início na pandemia. Com isso, o país europeu ultrapassou as 3.287 mortes na China, marco zero da doença.

De acordo com os dados divulgados pelo governo espanhol nesta quarta-feira, 7.937 pessoas foram diagnosticadas com a doença no país nas últimas 24 horas, 20% a mais que na véspera, elevando o número de casos totais para 47.610. Há ainda 3.166 pessoas em unidades de terapia intensiva, 20% a mais que na véspera. O número de infectados que recebeu alta, por sua vez, também aumentou cerca de 41%, chegando a 5.367.

A região da Catalunha superou Madri como a área com o maior número de casos diagnosticados, registrando respectivamente 1.221 e 1.939 casos na segunda e na terça-feira, enquanto os casos diagnosticados na capital foram 873 e 1.777. Apesar dos números absolutos em Madri continuarem maiores, o grande crescimento dos casos nos arredores de Barcelona é preocupante. Segundo José María Martín Moreno, professor de medicina da Univesidade de Valência, disse ao El País, o impacto era esperado pois a região é bastante popular entre turistas do norte da Itália, epicentro dos casos no país.

Segundo o diretor do Centro de Coordenação de Emergências Sanitárias do Ministério de Saúde, Fernando Simón, no entanto, o aumento diário no número de mortes parece ter se estabilizado na casa dos 20%, algo que indica que o pico da pandemia estaria próximo, apesar de atrasos e problemas na contabilidade dos dados. A espectativa do governo é que as medidas de isolamento comecem a se refletir nos números nos próximos dias, com uma redução na taxa de novos casos diagnosticados.

A Espanha declarou “estado de alarme” em 14 de março, medida em vigor no dia seguinte e vale até o dia 29 deste mês. O governo do primeiro-ministro Pedro Sánchez, no entanto, foi ao Congresso solicitar que o prazo seja estendido até o dia 11 de abril. A votação deverá ocorrer ainda nesta quarta-feira, e a expectativa é que a ação do governo não encontre resistência.

Os cidadãos que descumprirem as restrições, pondo em risco a saúde pública, ficam sujeitos a multas entre 100 e 600 mil euros e penas de prisão de três meses a um ano. Nas últimas 24h, segundo o diretor de polícia José Ángel González, 55 pessoas foram presas e 6.039 multas foram aplicadas.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lobinha disse:

    O mundo tem que responsabilizar a China pelas pestes que tem dissiminado pelo mundo. No caso da covid 19, até cientistas chineses foram vítimas do país, por tentar alertar o mundo do grave problema que estava vindo.

Itália regista 743 mortes por Covid-19 entre segunda e esta terça

Foto: Reprodução

Depois de dois dias de queda, subiu tragicamente o número de mortes de Covid-19 na Itália.

Morreram 743 pessoas de ontem para hoje.

O número total só não foi maior do que o de sexta-feira, quando houve 793 mortes.

O número de novos casos (3.612) e de novos pacientes na UTI (192), porém, sinalizam que o aumento exponencial do contágio pode ter sido revertido.

O Antagonista e Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Matematica disse:

    Aqui ainda se permitr voos vindos dos EUA. Depois não estejam no choro..

  2. Antonio disse:

    Esses países que fazem fronteiras com a China fecharam suas fronteiras bem cedo, logo quando apareceram os primeiros casos. Por isso eles tem poucos casos. Já a Itália tem a população mais idosa da Europa por isso tá havendo tantas mortes. É grupo de risco da doença

  3. Lobinha disse:

    Não consigo entender como países que fazem fronteiras com a China se encontram com números insignificantes de casos e de mortes, como é o caso da russia, Índia e Mongólia, muito estranho isso.

Novo balanço do Ministério da Saúde registra 34 mortes no Brasil em razão do novo coronavírus

Foto: Reprodução

O novo balanço do Ministério da Saúde registra 34 mortes no Brasil em razão do novo coronavírus. Eram 25 até ontem.

O total de casos confirmados subiu de 1.546 para 1.891 –alta de 22,3%.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silva disse:

    O ministro disse ontem que estes médicos , estão aptos e podem se voluntariar nos países onde se formaram a exemplo da Bolívia e Paraguai, pois eles sabem a realidade do país onde estudaram e estão precisando deles.

  2. Silva disse:

    O ministro disse ontem que estes médicos , estão aptos e podem se voluntariar nos países onde se formaram a exemplo da Bolívia e Paraguai, pois eles sabem a realidade do país onde estudaram e estão precisando deles.

  3. Paulo disse:

    A progressão está sendo lenta no Brasil. Dizeam que a cada 24 horas dobraria. Isso pode ser o efeito positivo das medidas de contenção.

  4. Marlete Belarmino disse:

    Boa tarde! Temos hoje centenas de médicos Brasileiros que se formaram no exterior a espera do revalida, são médicos capacitados, porquê não os convocam?

    • Ricardo Lúcido disse:

      Sra Marlene . Muito pertinente seu questionamento . Aquentai é emergencial , acho que esses médicos deveriam ser convocados . Outra profissão de muita importância são os enfermeiros , bioquímicos e fisioterapeutas ( fisioterapia respiratória ) , são profissionais que trabalham integrados nas equipes e que devem ser também convocados . As forças armadas tem um gigantesco cadastro de oficiais da RESERVA NÃO REMUNERADA que estão pela constituição preparados para serem convocados em tempo de guerra . Poderiam ser chamados juntos com oficiais médicos da reserva remunerada que tenham menos de 60 anos . O patriotismo não se restringe a bater panela e fazer Zuada em manifestações . O momento dessa classe dar uma resposta ao. Rádio é esse . Doutor para faturar pelo SUS tem muito , qual a contrapartida que o Brasil merece ? Bora turma do jaleco Branco . A hora é agora .

Mortos por coronavírus na Itália passam de 6 mil

Foto: Miguel MEDINA / AFP

A Itália, país mais atingido pelo novo coronavírus, registrou a morte de mais 601 pessoas nesta segunda-feira (23). O dado faz aumentar para 6.077 as fatalidades causadas pela Covid-19, mas também marca o segundo dia consecutivo de queda no número de mortes, que atingiu seu pico no sábado (21), quando 793 pacientes morreram em apenas um dia.

Os casos também continuam aumentando em níveis impressionantes na Itália. Até esta segunda, 63.927 haviam sido infectados pelo vírus Sars-Cov-2 – 4.789 a mais nas últimas 24 horas. Destes, 7.432 se recuperaram, o que coloca o número de casos ativos da doença no país em 50.418.

Gazeta do Povo

Coronavírus: Brasil agora registra 793 casos confirmados e 11 mortes

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 17h00 desta sexta-feira (20), 793 casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil em 23 estados e no Distrito Federal. São 11 mortes no Brasil, duas no Rio de Janeiro chegou a nove em São Paulo, onde o Ministério da Saúde registrou apenas quatro mortes.

Os estados do Amapá e do Mato Grosso identificaram seus primeiros casos. O Pará já registrou dois homens infectados, na faixa etária dos 35 anos, e o Acre alcançou sete casos. Somente o Maranhão, Rondônia e Roraima ainda não confirmaram casos. O Amazonas registrou um total de sete casos e a Bahia já está com 33 infectados confirmados. Houve um salto de casos confirmados no Ceará, de 24 para 55 nesta sexta-feira.

O último balanço do Ministério da Saúde, divulgado na tarde de quinta-feira (19), contabiliza 621 infectados. O órgão anunciou que deixará de trabalhar com casos suspeitos e divulgará apenas situações confirmadas e mortes.

Transmissão comunitária

De acordo com o ministério, há transmissão comunitária em algumas áreas do país. A pasta cita dois estados, três capitais e uma região de um estado no Sul. A transmissão comunitária ou sustentada é aquela quando não é possível rastrear qual a origem da infecção, indicando que o vírus circula entre pessoas que não viajaram ou tiveram contato com quem esteve no exterior.

A transmissão comunitária está configurada nos estados de São Paulo, de Pernambuco e da Bahia. Além disso, ocorre isoladamente em três capitais: Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre (além das capitais de SP e PE, já incluídas acima).

Por fim, a pasta também considera o mesmo status apenas para o sul de Santa Catarina, mais especificamente a região da cidade de Tubarão. A declaração não vale para todo o estado.

Situação no mundo

Mais de 220 mil foram infectados e mais de 10 mil morreram até a manhã desta sexta-feira por causa do novo coronavírus, o Sars-Cov-2, em todo o mundo, de acordo com a universidade americana Johns Hopkins.

Com informações do G1

Gripes no Brasil mataram mais de 900 em 2018 e quase 800 em 2019 ; quando pesquisado dengue, 782 óbitos no país ano passado

Foto: Ilustrativa

Apesar da preocupação com a disseminação do coronavírus na pandemia que vem fazendo vítimas pelo mundo, outras doenças, já conhecidas e até evitáveis com vacina, ainda fazem vítimas no país e continuam alvo de preocupação em saúde pública. Não são apenas doenças com surtos recentes, como sarampo, dengue e chikungunya, mas também gripes, como a causada pelo coronavírus. O vírus influenza A (H1N1), por exemplo, matou uma média de duas pessoas por dia no Brasil no ano passado.

Em 2019, foram registrados 3.430 casos de infecção e 796 mortes em decorrência da infecção por H1N1, segundo o Ministério da Saúde. A maioria dos casos afetou idosos, crianças pequenas e pessoas com outros fatores de risco associados, como pneumopatias e doenças cardiovasculares crônicas. A epidemia de H1N1 começou em 2009, em um cenário de alarde similar ao vivido hoje com o coronavírus.

Em 2018, foram registrados 3.880 casos de H1N1, e 917 óbitos nesse mesmo período no país. Além do desafio desse e de outros vírus respiratórios, como o A(H3N2) e o vírus influenza B, surtos conhecidos no verão brasileiro e doenças que se consideravam desaparecidas e voltaram ao país ainda inquietam especialistas e afetam a população.

No ano passado, segundo dados do Ministério da Saúde, foram confirmados 782 óbitos por dengue no país, e 92 por zika. O sarampo fez 15 vítimas letais em 2019 – 14 delas em São Paulo, estado que ainda vive um surto da doença.

Levantamento com informações de O Globo e Folha de São Paulo.

 

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Pelo que entendi, o problema do coronavírus não é a letalidade e sim a chance de infectar muita gente em um curto espaço de tempo, fazendo com que os sistemas de saúde entrem em colapso (mais do que já estão). O país não tem capacidade de atender a grande quantidade de infectados em pouco tempo. Portanto, comparar somente por causa do número de mortes não tem lógica. Se o sistema de saúde superlotar, vai acabar morrendo muito mais gente dessas doenças aí também por falta de atendimento e assim segue…