Tenente da PM suspeito de assassinar lutador de MMA em Cidade Satélite é considerado pela 9ª vez "incapaz"

Segundo matéria publicada pelo portal G1-RN nesta segunda-feira (3), o tenente da Polícia Militar do Rio Grande do Norte Iranildo Félix – apontado como único suspeito de matar a tiros o professor e lutador de MMA Luiz de França Trindade, no dia 10 de fevereiro, em frente a uma academia em Cidade Satélite, na zona Sul de Natal – foi pela 9ª vez considerado incapaz de exercer suas atividades como policial. Com mais esta licença médica, o tenente Iranildo Félix soma agora 377 dias de afastamento.

Com isso, o oficial teve prorrogada, por mais seis meses, a licença médica que o impede de portar arma de fogo. Ele nega qualquer participação no crime. O resultado da avaliação clínica foi publicado nesta última sexta-feira (dia 28 de fevereiro) no Boletim Geral da PM e atesta que o oficial “necessita de 181 dias de licença para tratamento de saúde a contar de 26 de fevereiro de 2014”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Policial disse:

    Infelizmente a junta médica da polícia militar faz açepção com relação a hierarquia, eu tive o meu atestado médico contestado em parte, mesmo eu apresentando os meus exames atualizados e declaração de que estou sendo acompanhando semanalmente, isso so pq sou soldado, acham que eu não sou importante na coorporação.

Defesa de PM suspeito de morte de lutador no Satélite diz que ele sofreu atentado

Segundo matéria do portal G1-RN, a defesa do tenente da PM Iranildo Félix, apontado pela Polícia Civil como suspeito de ter assassinado a tiros o professor e lutador de MMA Luiz de França Trindade, de 25 anos, o policial foi alvo de um atentado no final da manhã dessa quarta-feira (12) quando teria sido perseguido por dois homens em uma motocicleta.

De acordo com a advogada Juliana Melo, defensora do oficial, atentado aconteceu logo após o oficial ter deixado o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep), onde foi submetido a um exame residuográfico que pode identificar a presença de chumbo nas mãos. Ela conta que o tenente foi seguido por uma dupla em uma motocicleta, que emparelhou em seu veículo. Na ocasião, o policial teria percebido o garupa colocar a mão na cintura, como se fosse puxar uma arma, restando a ele jogar o carro por cima dos suspeitos. Logo após, eles desviaram e teriam fugido com destino ignorado.

A advogada ainda disse que após o episódio, o tenente se dirigiu ao comandante geral da PM, coronel Francisco Araújo, e comunicou o suposto atentado. Na ocasião, o oficial foi encaminhado para um promotor criminal, que ficou de ouvi-lo nesta quinta-feira (13). Vale destacar que mais tarde, o policial acabou sendo socorrido em sua residência pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), com alta dosagem de medicamento desconhecido. Ele, inclusive, foi internado em um hospital particular.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FRASQUEIRINO disse:

    Ja dizia a minha avó: "Quem com ferro fere, com ferro será ferido".

PM suspeito de assassinar professor de MMA no Satélite é internado após alta dosagem de medicamento

Suspeito de ter assassinado a tiros o professor e lutador de MMA Luiz de França Trindade, de 25 anos, na calçada de uma academia em Cidade Satélite na segunda-feira (10), o tenente da Polícia Militar Iranildo Félix foi levado às pressas na noite dessa quarta-feira (12) a um hospital particular de Natal depois de ter ingerido uma alta dosagem de medicamentos. A informação foi confirmada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), responsável pelo socorro, e também pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo.

Iranildo Félix havia realizado na manhã dessa quarta-feira (12), no Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep), um exame residuográfico que pode identificar possíveis vestígios de chumbo nas mãos. Não se tem informação que tipo de medicamento foi ingerido e o seu estado de saúde. O que se sabe é que o oficial encontra-se afastado pela junta médica há dez meses, por problemas psicológicos. O suspeito nega a autoria do crime e diz ter álibis, esses, considerados fracos pela Polícia.

Com informações adicionais do G1-RN