Diversos

Correios lançam selo em homenagem aos 150 anos de nascimento do Maestro Potiguar Tonheca Dantas

Foto: Divulgação

Por indicação do ministro das Comunicações, Fábio Faria, os Correios promovem, no próximo domingo (13), em Carnaúba dos Dantas (RN), o lançamento do selo comemorativo aos 150 anos de nascimento do Maestro Tonheca Dantas. O evento, que integra a programação em homenagem a esse ilustre músico e compositor potiguar, será transmitido online, às 11h, no canal do YouTube da Filarmônica Onze de Dezembro.

Autodidata e intuitivo, Tonheca Dantas fez parte de várias bandas militares tocando os mais variados tipos de instrumentos. Em 1898, foi contratado como maestro da Banda de Música da Polícia Militar, além de ter sido regente da Banda de Música do Corpo de Bombeiros em Belém do Pará, em 1903.

As composições do Maestro Tonheca Dantas ficaram conhecidas em todo o Brasil e fora dele. A sua música de maior notoriedade é “Royal Cinema”, apontada pelos pesquisadores como sua mais notável produção e tocada durante a Segunda Guerra Mundial pela Rádio BBC de Londres, mas infelizmente executada como “autor desconhecido”. Muitas outras composições conseguiram o acatamento das mais primorosas orquestras, a exemplo das valsas “Delírio” e “A Desfolhar Saudades”.

O Maestro Tonheca Dantas nasceu em 13 de junho de 1871 em Carnaúba de Baixo (depois Carnaúba dos Dantas), então pertencente ao Município de Acari, na região do Seridó do Rio Grande do Norte. Filho do Tenente-Coronel João José Dantas e da escrava alforriada Vicência Maria do Espírito Santo, recebeu o nome de Antônio, em cumprimento à tradição luso-espanhola de reverência ao santo do dia. Antônio Pedro Dantas, por completo, apelidado Tonheca.

Aos 7 de fevereiro de 1940, aos 68 anos de idade, Tonheca Dantas falece na cidade de Natal/RN, deixando seu legado na história da música não só do Rio Grande do Norte, mas do Brasil. O reconhecimento de sua importância está marcado pela aposição de seu nome a uma sala do Teatro Alberto Maranhão e pelo patronato da cadeira 33 da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras.

*Arte do selo*– A emissão busca ressaltar a importância e resgatar a história do Maestro Tonheca Dantas. O desenho é de autoria de Francisco Iran e a fotografia de Evaldo Gomes. O selo é composto pela foto do maestro que tem ao fundo a partitura da valsa Royal Cinema e a ilustração de um de seus instrumentos, o bombardino. Já a folha é composta por 12 selos e apresenta uma vinheta com destaque ao aniversário de 150 aos do maestro. Com tiragem de 120 mil exemplares e valor unitário de 1º Porte da Carta (R$ 2,10), o selo está disponível para venda na loja virtual e, também, nas principais agências dos Correios.

Serviço:

Lançamento do Selo Comemorativo aos 150 anos de nascimento do Maestro Tonheca Dantas

Data e horário: 13 de junho de 2021 (domingo), às 11h

Transmissão ao vivo de toda a programação no canal do YouTube da Filarmônica Onze de Dezembro

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Projeto “Tonheca Dantas, o Maestro dos Sertões” está com quatro músicas gravadas

O Projeto “Tonheca Dantas, o Maestro dos Sertões” que tem previsão de lançamento para setembro deste ano, já está com quatro músicas gravadas. O livro que conta a história do músico e faz parte do encarte, está  digitalizado e aguardando agora a revisão, que será feita pelo próprio autor, o professor Cláudio Galvão.

Desenvolvido numa parceria entre o Grupo Vila, a Cooperativa de Música do Rio Grande do Norte e a OSRN, o Projeto está sendo realizado via Lei Djalma Maranhão e tem como finalidade homenagear e resgatar a obra do maestro potiguar Tonheca Dantas no ano em que a sua música mais famosa, a valsa Royal Cinema, completa 100 anos.

Tonheca Dantas, como era conhecido, foi músico, compositor e maestro, sendo autor de uma obra de mais de mil peças musicais. Suas músicas são executadas até hoje pelas bandas filarmônicas Brasil a fora e até mesmo no exterior.  É de sua autoria a Valsa Royal Cinema, que compôs para um cinema da cidade do Natal, pertencente a um amigo. Esta valsa foi tocada exaustivamente pela Rádio BBC de Londres, durante a Segunda Guerra Mundial, infelizmente executada como sendo de “autor desconhecido”.

Suas composições eram principalmente valsas, dobrados, maxixes, hinos, xotes, polcas, marchas e outros gêneros musicais orquestrados. São obras famosas também a as valsas Delírio e A Desfolhar Saudades,a marcha solene Republicana e o dobrado Tenente José Paulino.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *