Diversos

Correios lançam selo em homenagem aos 150 anos de nascimento do Maestro Potiguar Tonheca Dantas

Foto: Divulgação

Por indicação do ministro das Comunicações, Fábio Faria, os Correios promovem, no próximo domingo (13), em Carnaúba dos Dantas (RN), o lançamento do selo comemorativo aos 150 anos de nascimento do Maestro Tonheca Dantas. O evento, que integra a programação em homenagem a esse ilustre músico e compositor potiguar, será transmitido online, às 11h, no canal do YouTube da Filarmônica Onze de Dezembro.

Autodidata e intuitivo, Tonheca Dantas fez parte de várias bandas militares tocando os mais variados tipos de instrumentos. Em 1898, foi contratado como maestro da Banda de Música da Polícia Militar, além de ter sido regente da Banda de Música do Corpo de Bombeiros em Belém do Pará, em 1903.

As composições do Maestro Tonheca Dantas ficaram conhecidas em todo o Brasil e fora dele. A sua música de maior notoriedade é “Royal Cinema”, apontada pelos pesquisadores como sua mais notável produção e tocada durante a Segunda Guerra Mundial pela Rádio BBC de Londres, mas infelizmente executada como “autor desconhecido”. Muitas outras composições conseguiram o acatamento das mais primorosas orquestras, a exemplo das valsas “Delírio” e “A Desfolhar Saudades”.

O Maestro Tonheca Dantas nasceu em 13 de junho de 1871 em Carnaúba de Baixo (depois Carnaúba dos Dantas), então pertencente ao Município de Acari, na região do Seridó do Rio Grande do Norte. Filho do Tenente-Coronel João José Dantas e da escrava alforriada Vicência Maria do Espírito Santo, recebeu o nome de Antônio, em cumprimento à tradição luso-espanhola de reverência ao santo do dia. Antônio Pedro Dantas, por completo, apelidado Tonheca.

Aos 7 de fevereiro de 1940, aos 68 anos de idade, Tonheca Dantas falece na cidade de Natal/RN, deixando seu legado na história da música não só do Rio Grande do Norte, mas do Brasil. O reconhecimento de sua importância está marcado pela aposição de seu nome a uma sala do Teatro Alberto Maranhão e pelo patronato da cadeira 33 da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras.

*Arte do selo*– A emissão busca ressaltar a importância e resgatar a história do Maestro Tonheca Dantas. O desenho é de autoria de Francisco Iran e a fotografia de Evaldo Gomes. O selo é composto pela foto do maestro que tem ao fundo a partitura da valsa Royal Cinema e a ilustração de um de seus instrumentos, o bombardino. Já a folha é composta por 12 selos e apresenta uma vinheta com destaque ao aniversário de 150 aos do maestro. Com tiragem de 120 mil exemplares e valor unitário de 1º Porte da Carta (R$ 2,10), o selo está disponível para venda na loja virtual e, também, nas principais agências dos Correios.

Serviço:

Lançamento do Selo Comemorativo aos 150 anos de nascimento do Maestro Tonheca Dantas

Data e horário: 13 de junho de 2021 (domingo), às 11h

Transmissão ao vivo de toda a programação no canal do YouTube da Filarmônica Onze de Dezembro

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bebê do príncipe William e de Kate Middleton é do sexo masculino

Nasceu nessa segunda-feira (22), o filho do príncipe William e de Kate Middleton, duquesa de Cambridge. O privilegiado recém-nascido passou na frente do tio, o príncipe Harry, e se tornou o 3º na linha de sucessão ao trono britânico.

O príncipe Charles (à esq.), avô do mais novo membro da família real, é o 1º na linha de sucessão ao trono. Em seguida, está o príncipe William (no centro da imagem), filho mais velho de Charles.

Até o nascimento do filho de Kate, o príncipe Harry (à dir.) era o 3º na fila dos herdeiros, mas ele perdeu a posição para o bebê e agora está no 4º lugar

Até outubro de 2011 havia a lei da “primogenitura masculina”, ou seja, se o bebê de Kate e William fosse uma menina, ela poderia perder o trono, caso viesse a ter um irmão mais novo.

Entretanto, depois de décadas de discussões para acabar com essa desigualdade, o atual governo de David Cameron reformou a lei e acabou com este tratamento discriminatório entre os gêneros da família real

Apenas 16 dos 54 países da Commonwealth (incluindo o Reino Unido) onde a rainha Elizabeth 2ª (foto) é soberana concordaram com a mudança.

No Reino Unido, o projeto de lei foi rapidamente aprovado pelo Parlamento e consentido pela rainha em abril. Mas para entrar em vigor, deve ainda ser formalmente aprovado em cada um dos outros 15 países

O Palácio de Buckingham e o governo britânico “desejam evitar (…) um cenário no qual teríamos um monarca diferente nestes domínios”, explicou Robert Hazell, diretor do departamento de estudos constitucional da University College London (UCL).

— [Londres] espera que todos os países alterem a sua legislação até ao final deste ano ou, o mais tardar, dentro dos próximos 12 meses

A nova legislação também coloca um fim à proibição de um monarca de se casar com um ou uma católica. No entanto, a coroa está reservada para aqueles “em comunhão” com a Igreja Anglicana da Inglaterra, que exclui as pessoas de outras religiões e não crentes

Antes do nascimento do bebê, estudiosos da genealogia analisaram sua ascendência, encontrando surpresas como um suposto príncipe Drácula e um rei muçulmano de Sevilha que aparentemente descende de Maomé.

A árvore genealógica do pai, William, conta naturalmente com os ancestrais mais distintos da Europa e ali se encontram, junto com os reis da Inglaterra, os da Grécia, Dinamarca, Suécia, Rússia, Áustria, Espanha e muitos nobres alemães.

A família real britânica utilizou o patronímico da Saxônia-Coburgo-Gotha até 1917, quando, em plena guerra com a Alemanha, decidiu trocá-lo pelo de Windsor

Já do lado materno há uma grande maioria de plebeus.

Embora a “Rainha Mãe” — a mãe da rainha Elizabeth 2ª —, e a Lady Di tampouco tenham nascido princesas, “a aliança de William com Kate Middleton terminou verdadeiramente de democratizar a árvore genealógica do bebê”, destacou o famoso genealogista Jean-Louis Beaucarnot.

Na realidade, o futuro rei ou a futura rainha da Grã-Bretanha terá algum nível de parentesco com muitos cidadãos comuns.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Sejuc implanta programa de emissão de certidão de nascimento em hospitais

A Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc), por meio da Coordenadoria de Direitos Humanos e Defesa das Minorias (Codem), dá início, na próxima segunda-feira (16), a emissão de certidões de nascimento, através do Programa de Erradicação do Sub-Registro Civil de Nascimento e Acesso da População à Documentação Básica em cinco unidades hospitalares interligadas com cartórios do Rio Grande do Norte.

As unidades pilotos, onde o programa será implantado são: Maternidade Januário Cicco, em Natal; Casa de Saúde Dix Sept Rosado, em Mossoró; Hospital Universitário Ana Bezerra, em Santa Cruz; Maternidade Dr. Sadi Mendes (Divino Amor), em Parnamirim; Hospital e Maternidade Dr. Pedro Bezerra (Santa Catarina), em Natal.

O programa tem como meta conscientizar as pessoas e assegurar que todos, crianças e adultos, não fiquem sem o registro civil de nascimento. O documento é gratuito para todas as idades. O programa também busca alcançar as pessoas excluídas por barreiras sociais, políticas, econômicas e culturais.

De acordo com a coordenadora da Codem e membro do Comitê Gestor Estadual do Sub-Registro Civil de Nascimento, Adna Lígia, o programa tem entre seus objetivos efetuar o registro civil de nascimento nos primeiros dias de vida do recém-nascido, quando pais e filhos ainda estão dentro da unidade hospitalar. “Nossa meta é alcançar 49 Unidades hospitalares no Estado, equipando as maternidades com computadores, impressoras, birôs e profissionais treinados e aptos a emitirem a certidão”, finalizou Adna.

Unidade Interligada

Serve para encurtar o caminho entre hospitais e cartórios, pois possibilita que a que a mãe saia da maternidade com o bebê já registrado e com a certidão de nascimento.

Certidão de Nascimento

É o primeiro passo para o pleno exercício da cidadania no País. É gratuita e indispensável. Sem o documento, meninos e meninas ficam privados de seus direitos fundamentais, sem acesso aos benefícios sociais. Sem ela, adultos não podem obter a carteira de identidade, CPF e outros documentos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *