Bolsonaro diz que vai vetar trecho da ajuda aos estados que libera reajuste salarial para servidores: “Sigo a cartilha do Paulo Guedes”

Foto: Reprodução/Globo News

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (7) que vai vetar o trecho do projeto de ajuda aos estados que abre a possibilidade de reajuste salarial para categorias de servidores públicos, mesmo em meio à pandemia do coronavírus.

A versão inicial do projeto previa que a ajuda financeira da União a estados e municípios tinha, entre as contrapartidas, o congelamento nos salários dos servidores. Durante a tramitação no Congresso, parlamentares incluíram no texto categorias que poderiam ter o reajuste. O projeto foi aprovado nesta quarta (6).

Antes de Bolsonaro afirmar que vai vetar o trecho, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia dito que sugeriria o veto.

“O que nós decidimos? Eu sigo a cartilha de Paulo Guedes na economia. E não é de maneira cega, não. É de maneira consciente e com razão. E se ele acha que deve ser vetado, esse dispositivo, assim será feito. Nós devemos salvar a economia, porque economia é vida”, disse Bolsonaro.

Guedes defendeu que o funcionalismo público fique sem aumento salarial até dezembro de 2021. Para o ministro, a medida vai ajudar o país a atravessar a crise gerada pela pandemia do coronavírus.

“Eu estou sugerindo ao presidente da República que vete, que permita que essa contribuição do funcionalismo público seja dada, para o bem de todos nós”, afirmou Guedes.

O presidente e o ministro falaram com a imprensa após uma visita surpresa ao Supremo Tribunal Federal (STF). Eles levaram empresários da indústria para uma conversa com o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli.

Na conversa, Bolsonaro, Guedes e os empresários expuseram a opinião de que medidas de isolamento social e restrição de mobilidade, para conter o avanço do coronavírus, não podem paralisar a economia. Desde que o vírus chegou ao país, Bolsonaro vem defendendo o relaxamento das medidas restritivas, tomadas por governadores e prefeitos.

Com G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Se o cara libera pau nele está criando dividas, se veta é arrocho de tudo quanto é jeito.
    Para esses comentários sem fundamentos é só postar "odeio Bolsonaro."

  2. Morais disse:

    Pois é… Passada a pandemia vem arrocho de tudo que é jeito. Aumento de impostos, congelamento do salário mínimo, aumento dos juros… Vai faltar apenas confiscar o saldo das contas correntes e poupança, como fez Zélia Cardoso. Tá igualzinho, muito parecido… Sei no que isso vai acabar:
    Num goipi, seja lá de que tipo…

  3. Antonio Turci disse:

    A Cartilha do Posto Ypiranga, vulgo Paulo Guedes, é a mesma dos banqueiros.

COMENTE AQUI