Covid-19: “Temos um grande desafio nos próximos dias”, diz secretário adjunto da Sesap, em apelo por mais medidas de proteção e isolamento social

Foto: Demis Roussos/ASSECOM-RN

O secretário adjunto da Saúde do RN, Petrônio Spinelli, fez um apelo, nesta segunda-feira, 18, para que prefeituras, empresas e a população redobrem os esforços e adiram maciçamente às medidas de proteção contra o novo coronavírus. Isto por que, esta semana, começa a ser paga a segunda parcela do auxílio emergencial que vem gerando grandes filas em todo o Estado. Estas aglomerações, em bancos, casas lotéricas e órgãos públicos para emissão de documentos, são a principal causa do crescimento do contágio em todo o país.

“Temos um grande desafio nos próximos dias. O pagamento bancário vai levar muita gente às ruas, formar filas e isso acaba favorecendo a contaminação. Faço apelo às prefeituras, às instituições bancárias e à sociedade como um todo para evitarmos que esta semana seja potencializadora de contágio, porque muitos desses casos poderão ter como consequência a morte”, alertou Petrônio Spinelli na entrevista coletiva realizada na Escola de Governo, em Natal.

VEJA MAIS: RN registrou isolamento de apenas 47,93% nesse domingo; pacientes internados por covid-19 somam 352

O índice de isolamento social registrado nesse domingo, 17, foi de apenas 47,93% no Estado. Número considerado muito baixo, uma vez que a recomendação dos especialistas da Organização Mundial da Saúde é de, pelo menos, 60%.

“Os dados disponíveis mostram que estamos muito próximos do colapso. Todos os esforços para abertura de leitos, feitos pelo Governo do Estado, pelas prefeituras e rede privada, não surtirão efeito se o isolamento continuar nos níveis atuais. Quem precisar sair de casa deve sempre usar máscaras. É preciso que os municípios, instituições bancárias e comerciais evitem a formação de filas e respeitem o distanciamento. Os órgãos de saúde, a assistência social e a segurança pública devem, mais do que nunca, atuar em conjunto. Sem estes cuidados certamente daqui a alguns dias iremos lamentar o quadro de altíssima gravidade. Nunca é demais lembrar: os números da superlotação de leitos de hoje são resultado do comportamento do grande número de pessoas nas ruas no período de 10 a 14 dias passados”, afirmou Petrônio Spinelli. O secretário explicou, ainda, que a aplicação de testes rápidos é uma responsabilidade das Prefeituras e que ao Governo cabe, apenas, recomendar a utilização desses testes.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Almir Dionísio disse:

    o grande desafio é o governo agir de forma a garantir atendimento a população.
    só vemos conversa e promessa e ação…… N A D A

  2. Prmo disse:

    Onde estão os milhões que O GF enviou para atender a saúde , ONDE ????

  3. Mito disse:

    Esses pronunciamentos desse secretario parece uma comédia pastelão. Não sabem de nada e ficam tentando passar a imagem de conhecimento.

  4. Ana paula disse:

    Sem a cloroquina nós primeiros sintomas, bando de incompetentes.

  5. Pedro disse:

    É lamentável, sob todos os aspectos, a gestão da SESAP nesse momento tão espantoso. De previsões catastróficas, desaparecimento da Governadora e seu Secretário de saúde, ausência de ações concretas, muita falácia, morosidade nas ações de enfrentamento ao COVID, ausência de parcerias institucionais, jogo de empurra, triste para o nosso povo e estado.

  6. Roberto disse:

    Srs. Onde anda as leitos de UTI.???

  7. Clésio disse:

    E os 11. 300 defunto, ninguém diz nada??
    Governo sem credibilidade, isso sim.

  8. Sera??? disse:

    O grande desafio e passar isso tudo com o desgoverno de vcs. So falam falam e nada.

COMENTE AQUI