Esporte

Deputado Gustavo Carvalho defende retorno do público aos estádios de futebol no RN

Foto: Reprodução/ALRN

O deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB) apresentou Projeto de Lei que defende o retorno de público nos jogos de futebol realizados nos estádios no Rio Grande do Norte. Este retorno estaria condicionado a um público formado por, no máximo, 50% da capacidade do local de pessoas já imunizadas. A proposta foi defendida na sessão da Assembleia Legislativa realizada na manhã desta quarta-feira (30).

“No Brasil e bem como no RN, podemos acompanhar a reabertura de diversos segmentos da sociedade. Atualmente com a edição dos novos decretos do Governo do Estado é possível observar a liberação de público em bares, restaurantes, praias e shoppings desde que sejam respeitadas as normas sanitárias. É sob esse prisma que apresentamos o presente projeto de lei”, justificou.

O parlamentar classificou os jogos de futebol como “parte da economia do Estado do RN, sendo muito importante na geração de emprego e renda” e considerou a medida “de relevante importância para os clubes de futebol”, pois estes enfrentam dificuldades financeiras por estarem sem receber as receitas oriundas do público pagante nos estádios.

Gustavo Carvalho encerrou sua fala destacando que “o projeto torna a presença do público tão segura quanto uma compra no supermercado ou uma feira livre”.

O texto do PL prevê campanha de conscientização com divulgação de informativos do Ministério da Saúde, secretarias estadual e municipais de Saúde, acerca da prevenção, diagnóstico e tratamento precoce da Covid-19 antes e durante o intervalo do jogo de futebol, aponta a importância do distanciamento mínimo entre as pessoas, obriga uso de máscara facial, antes, durante todo o transcurso e após o jogo, fornecimento de álcool em gel 70%, aferição de temperatura e triagem de sintomáticos respiratórios, punição em caso de descumprimento das regras e outros.

ALRN

Opinião dos leitores

  1. Esse deputado meia tigela é um grande irresponsável quer matar o povo é ele e o deputado Bernardo gosta de uma aglomeração

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Petistas estimulam tese fantasiosa de que facada de Adélio em Bolsonaro foi forjada

Foto: Raysa Campos Leite/Reuters

Parlamentares e dirigentes do PT estão emulando nas redes sociais a fantasiosa tese de que a tentativa de assassinato de Jair Bolsonaro em 6 de setembro de 2018 pode ter sido um atentado falso, forjado pelo próprio candidato à Presidência com o objetivo de ser eleito.

A suposição é insinuada em 1 hora e 44 minutos de um documentário lançado no sábado (11) pelo site Brasil 247, alinhado ao PT. No título, a acusação é feita de forma direta —”Bolsonaro e Adélio, Uma Fakeada no Coração do Brasil”.

A Polícia Federal concluiu, em duas investigações, que Adélio Bispo de Oliveira agiu sozinho, sem nenhuma evidência real de que tenha sido auxiliado por outras pessoas ou obedecido a um mandante. O inquérito mais recente tem nove volumes e 1.908 folhas.

Adélio sempre disse que agiu a mando de Deus, para tentar livrar o Brasil da vitória de Bolsonaro, que via como uma ameaça.

Considerado inimputável pela Justiça mediante diagnóstico de que ele tem transtorno mental que o incapacita de entender o caráter de crime que cometeu, ele cumpre medida de segurança na penitenciária federal de Campo Grande (MS).

O documentário do Brasil 247 tem como autor o jornalista Joaquim de Carvalho, que viajou a Minas Gerais e Santa Catarina e entrevistou personagens do episódio, entre outros elementos de apuração. Até as 22h desta quarta (15) somava cerca de 850 mil visualizações no YouTube.

Além de destacar informação falsa —a de que Adélio Bispo de Oliveira foi filiado ao PSD—, o documentário recorre a uma série de teorias da conspiração que pululam na internet, a maioria delas investigadas e descartadas pela Polícia Federal ou pela simples ausência de lógica, e as associa a outras de lavra própria para chegar a ilações sem qualquer comprovação, várias delas contraditórias umas com as outras.

“O documentário deixa evidente que o episódio e seu contexto têm muitos pontos sombrios, que aumentaram ainda mais as muitas dúvidas que eu já nutria sobre o fato”, disse à Folha o deputado Bohn Gass (RS), líder da bancada do PT na Câmara.

Em suas redes sociais, ele elogiou o documentário e pediu a seus seguidores que o assistam.

Ele não respondeu à pergunta sobre se o PT não estaria agindo, nesse caso, de maneira similar a uma das principais características do bolsonarismo, a de espalhar contra adversários fake news e teorias da conspiração da internet que não encontram qualquer lastro na realidade.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) escreveu que “o jornalismo cumpre papel importante ao investigar o caso das facadas”. À Folha afirmou que o caso causa dúvida em boa parte da população.

“Sempre acredito na vítima. Por esse motivo, naquele momento manifestei minha solidariedade ao atingido. Mas acreditava que existiria uma investigação mais profunda sobre o autor. O fato dele frequentar o clube de tiro dos filhos nunca foi respondido. Independente do documentário, avalio que isso gera suspeita fundamentada.”

Ela se refere ao fato conhecido de Adélio ter ido meses antes, por alguns dias, a um local de Santa Catarina também frequentado por dois filhos de Bolsonaro, Carlos e Eduardo, a “.38 Clube e Escola de Tiro”.

O documentário trata como “a chave do segredo” essa relação, insinuando que ali poderia ter sido acertada a trama do suposto atentado fajuto.

Apesar de aventar a tese de que uma sofisticada rede criminosa planejou minunciosamente uma espetacular fraude até hoje não desmascarada, não há explicação sobre o fato de que o caso da .38 só ter vindo à tona porque tanto os Bolsonaro quanto Adélio divulgaram a presença na escola de tiro em suas redes sociais, para qualquer um ver.

E por que trama tão engenhosa precisaria ser combinada pessoalmente em um clube de tiro de Santa Catarina, com check-in no Facebook.

Outra das contradições é que o documentário reserva vários minutos para levantar a hipótese de que um fotógrafo foi distraído de propósito em meio à multidão para não registrar o momento exato da facada, “ou da suposta facada”, como repete o jornalista em vários momentos do vídeo.

Ele não explica, entretanto, qual serventia haveria nessa atitude, sendo que a cena estava sendo gravada de perto por câmaras profissionais e de incontáveis aparelhos de telefone celular.

O documentário também tenta emplacar a tese de que Adélio era, na verdade, uma pessoa com posições mais alinhadas ao bolsonarismo, não uma pessoa simpática à esquerda.

Adélio foi filiado ao PSOL de Uberaba de 2007 a 2014, mas nunca militou —esse fato, sustenta o documentário, serviu à narrativa eleitoral da facada fajuta, a de que a esquerda quis tirar Bolsonaro da disputa.

O jornalista Joaquim de Carvalho ressalta no documentário a sua estranheza sobre o fato de a imprensa nunca ter dito que Adélio havia sido filiado do centro-direitista PSD, de Gilberto Kassab, até 2016. Como prova, mostrou um pedido de desfiliação do PSD assinado por Adelio.

A informação é falsa, Adélio jamais foi filiado ao PSD, e essa informação está disponível a qualquer cidadão no Tribunal Superior Eleitoral e é confirmada pelo partido.

À PF Adélio relatou que uma vez procurou a Justiça Eleitoral por achar que poderia ter sido filiado à revelia pelo PSD. Daí, assinou uma requisição de desfiliação, por segurança, apesar de ter obtido na mesma ocasião certidão oficial que informava não ter havido essa filiação.

O responsável pelo documentário disse à Folha considerar que a suspeita de Adélio de que era filiado representa, na prática, a seu ver, uma filiação.

“O Adélio pediu desfiliação do PSD. Se ele pediu desfiliação, é porque se considerava filiado, o que equivale dizer: era filiado de fato. Se você envia uma carta à Folha com pedido de demissão, significa que você acredita que é contratado da Folha.”

Os deputados Paulo Pimenta (PT-RS) e Rogério Correia (PT-MG), entre outros, também divulgaram o “Fakeada” em suas redes sociais.

“Creio que existem indícios e perguntas sem respostas que devem ser esclarecidas”, disse Pimenta à reportagem. “Há muito tempo uma grande reportagem, daquelas que fazem justiça ao nome, não gerava tanto comentário”, escreveu Correia, em um artigo.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), não respondeu à pergunta sobre qual é a posição dela ou do partido.

Pré-candidato à presidência e maior liderança do PT, o ex-presidente Lula também já manifestou dúvidas públicas sobre se Bolsonaro sofreu ou não um atentado.

Em uma entrevista, o ex-presidente afirmou que a facada “tem uma coisa muito estranha”, já que não aparece sangue nas imagens. “O cara que dá a facada é protegido pelos seguranças do Bolsonaro, a faca que não aparece em nenhum momento”, disse, citando teorias da internet também reproduzidas no documentário.

Questionado novamente dias depois, afirmou que tinha suspeitas sobre o ocorrido: “Não, eu não disse que não tinha tomado, eu disse que não acreditava [que Bolsonaro levou uma facada]”.

O “Fakeada no Coração do Brasil” usa também em boa parte de uma edição de vídeos do dia da facada feita pela conta do YouTube “True or Not”.

Esses vídeos levantam, sem qualquer prova, várias suposições de que Adélio poderia ter agido com colaboração de outras pessoas, em especial seguranças privados e os agentes da PF que faziam a escolta de Bolsonaro.

“Quem fez esse canal sabe das coisas”, diz no documentário Joaquim de Carvalho, que assina a direção ao lado de Max Alvim, afirmando ainda ter tentado descobrir seus autores, mas sem sucesso.

A PF investigou formalmente os vídeos desse canal.

“As narrativas constantes destes vídeos, calcadas em análises superficiais das imagens e dos fatos em torno do crime, ilustram a quase totalidade das conjecturas e teorias lançadas após o atentado, e foram minuciosamente averiguadas, concluindo-se pela falsidade de todas as teses aventadas”, afirma o relatório do delegado Rodrigo Morais.

O documentário também elenca como indícios a suposta afirmação de uma suposta cirurgiã que teria pedido para não se identificar, segundo quem os vídeos mostram que Adélio não teria “ponto de apoio” para enfiar a faca na barriga de Bolsonaro com tanta profundidade.

Além do precedente de uma pedrada na cabeça que teria contribuído para a eleição de um prefeito, justamente em Juiz de Fora.

O vídeo explora ainda o fato de Bolsonaro não ter usado colete à prova de balas no dia, o mistério sobre o financiador da defesa de Adélio —se é que houve, já que há suspeita de que o caso possa ter sido assumido de graça, em busca de holofotes— e a ocupação de cargos no governo por seguranças do dia 6 de setembro.

Tudo isso é apontado como suspeita de atentado forjado. A principal tese aventada, que não é nova no universo das teorias de conspiração, é a de que o presidente teria passado por uma cirurgia para retirada de um tumor já sabido, e não para o tratamento da facada, que não teria acontecido.

A Folha encaminhou 21 perguntas a Joaquim de Carvalho e ao Brasil 247.

Entre elas, a que os questiona sobre a que eles atribuem a não descoberta de tamanho ardil, três anos depois, mesmo sendo necessária a participação, na suposta trama, de uma infinidade de pessoas: testemunhas, aliados dos Bolsonaro, ex-aliados, seguranças, auxiliares, ex-auxiliares, policiais civis e militares de Juiz de Fora, policiais federais, integrantes do Ministério Público, integrantes do governo de Michel Temer (que tinha Henrique Meirelles como candidato à Presidência, à época), motoristas, funcionários, enfermeiros e médicos de dois grandes e respeitados hospitais (Santa Casa de Juiz de Fora e Albert Einstein, em São Paulo), além de familiares de todas essas pessoas, entre outras.

O 247 não respondeu, apenas reproduziu as perguntas em seu site, dizendo que “a intenção da Folha não é investigar as fragilidades do caso, que foram detalhadas por Joaquim de Carvalho, com riqueza de detalhes, em seu documentário”.

Joaquim de Carvalho afirmou que só poderá responder as perguntas de forma completa na segunda-feira (20), pois está finalizando um documentário sobre o centenário de Paulo Freire. Em uma manifestação geral, afirmou que o inquérito da PF não investigou a hipótese do autoatentado.

De fato, a PF nunca teve como objeto formal da investigação a hipótese de autoatentado, assim como não teve a de que a facada foi planejada por alienígenas, por exemplo, pelo simples fato de não haver qualquer indício plausível nesse sentido. Mas ela investigou e descartou a veracidade de várias das teorias de internet publicadas nesse sentido.

“A reabertura do caso levaria a essa investigação. Perdoe a sinceridade, mas falsa é a conclusão a que você chegou. O documentário não tem nenhuma informação inconsistente. Inconsistente é a narrativa que prevaleceu, abraçada sem contestação pela imprensa”, disse o jornalista.

Folha de São Paulo

 

Opinião dos leitores

  1. Já ultrapassou do ridiculo as sebozeiras desses ptralhas, mandem insinuar tambem uma facada no Ladrão de nove dedos, e por esses e outros motivos que cada vez mais as pessoa de bem se afastam desse grupo, eles mesmos estão fazendo campanha para o adversario , cada vez mais o povo tem nojo desses …..

  2. Sou eleitor de Ciro, mas devo confessar, com essa narrativa da facada mais uma vez, vejo, infelizmente, que Bolsonaro leva de novo. Estão loucos essa turma do Lula.

  3. Partindo da esquerdalha, só devemos esperar mentiras e corrupção. É algo TÃO ABSURDO que até a Folha de SP está criticando.

  4. Se subir essa tese p instâncias superiores eles dirão que JB tentou esfaquear Adelio e errando acertou seu próprio abdome.

  5. O PT não tem moral nenhum para dizer que foi falsa a facada… Cada dia os bolsonaristas estão mais parecidos com os petistas já que ambos grupos idolatram bandidos!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Pedido de vista não atrapalha prazo para votação do edital do 5G, diz ministro Fábio Faria

FOTO: REUTERS/Adriano Machado

A publicação do edital do leilão do 5G está prevista para a semana que vem, segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, apesar de a análise do documento pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) ter sido adiada no início da semana, após pedido de vista do conselheiro Moisés Queiroz Moreira.

“Acredito que, em breve, vamos resolver. O edital pode sair no dia 21 ou 24. Nenhuma dos investimentos e prazos que estão lá serão prejudicados. Tudo será mantido”, disse o ministro em evento do setor, nesta quinta-feira (16).

O edital foi aprovado pelo TCU (Tribunal de Contas da União) no último dia 25 de agosto.

5G Standalone

Faria disse ainda que a tecnologia 5G Standalone — que não depende do 4G para funcionar — deve chegar no estado de São Paulo até o Natal.

“Até julho do ano que vem, todas as capitais terão o 5G Standalone funcionando. Talvez nós ultrapassemos o Chile como o primeiro país na América Latina”, disse.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo aprova protocolo e libera Carnatal sob a condição de manutenção do cenário epidemiológico atual

O Carnatal tem sinal verde para ser realizado. A confirmação ocorreu durante reunião nesta quinta-feira (16), entre gestores da Secretaria Estadual de Saúde, e a decisão será anunciada detalhadamente na próxima semana. A realização da micareta, contudo, está condicionada ao cumprimento do protocolo aprovado e à manutenção do atual cenário epidemiológico no Rio Grande do Norte.

Para a realização do Carnatal, será necessário que o cenário epidemiológico no Rio Grande do Norte esteja igual ou melhor do que o atual. Assim, caso ocorra uma nova onda de casos da covid-19 e os hospitais voltem a ficar cheios, a festa será suspensa. Além disso, somente pessoas vacinadas com as duas doses poderão participar da micareta e será obrigatória a realização de um evento teste ainda no mês de outubro.

“Na avaliação que temos é que, permanecendo as condições atuais (pandemia), estamos autorizando o evento. A autorização vai ser condicional à evolução do cenário epidemiológico e deixamos isso claro. Também será obrigatória a confirmação de vacinação com duas doses (quando o imunizante não for de dose única) e cumprimento de protocolos de segurança para os grandes eventos”, explicou o secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia.

Sobre o evento teste, ainda não há a confirmação sobre a data exata. Segundo Cipriano Maia, ainda vai ser acordado entre Sesap e a empresa quais os moldes do teste, que será em proporções menores.

A autorização para realização do Carnatal confirma o que está previsto no mais recente decreto estadual que trata sobre os eventos de massa no Rio Grande do Norte, com a liberação total prevista para este mês, mas mediante autorização da Sesap para grandes eventos de massa.

Organização

A expectativa da Destaque Promoções era de que a resposta fosse dada até o dia 20 de setembro para que houvesse tempo suficiente para o lançamento e organização da micareta. Já há as datas confirmadas com os artistas para os blocos do Carnatal, que vai ocorrer entre os dias 9 e 12 de dezembro, caso o cenário epidemiológico não piore.

Tribuna do Norte

Matéria completa no link abaixo:

http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/governo-aprova-protocolo-e-libera-carnatal-mas-impa-e-condia-a-es/520784

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Em resposta a apoiador militar que pedia ajuda em caso de processo de patente, Bolsonaro mete o ‘sincerão’, diz que não pode passar ‘por cima’ da Justiça e que não tem ‘superpoder’

Foto: Foco do Brasil/YouTube

Na manhã desta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro foi abordado no cercadinho do Palácio da Alvorada por um militar reformado que ele disse conhecer há 41 anos.

Reconhecido pro Bolsonaro logo no início da interação, ele lembrou de um problema que enfrentou na Justiça a respeito da sua patente.

“Rapaz, o teu problema é de 41 anos, você não resolveu ainda?”, perguntou o presidente, ao que o apoiador respondeu que depende da Justiça.

“Eu passo por cima da Justiça? Então não é comigo”, retrucou Bolsonaro.

Visivelmente impaciente com os apoiadores, o presidente ficou irritado quando o militar pediu que ele olhasse “com carinho” a sua situação.

“O que é olhar com carinho? Eu tô olhando com carinho pra você agora. E daí?”, disparou.

O homem então disse que foi injustiçado e Bolsonaro afirmou que, se é Justiça, não passa por ele.

“Lamento. Tem uma sentença contra você, como é que eu vou mudar a sentença? Vou pegar o juiz e pegar “vem cá, juiz, assina aqui?”. Já transitou em julgado, eu sei teu caso”, declarou o presidente.

Bolsonaro continuou no desabafo sobre a sua impotência diante do caso e disse que não tem “superpoder”:

“Pessoal às vezes procura o presidente e acha que eu tenho super poder. Não tenho. Conheço esse garoto aqui há 41 anos. Se foi injustiçado ou não, tem sentença da Justiça dizendo que ele é soldado, e não terceiro-sargento. Como é que eu vou resolver agora? Nem se eu chamar o comandante do Exército, resolve. Ele fala: ‘presidente, como é que eu vou passar por cima de uma sentença transitada em julgado na Justiça. Aí tá chateado comigo. Lamento’”.

O militar bolsonarista encerrou o assunto dizendo que não estava chateado.

Com Radar – Veja

Opinião dos leitores

  1. O presidente é o ÚNICO que está respeitando as leis e as instituições brasileiras, sempre preocupado com os direitos e liberdades previstos na Constituição e com a vontade do povo brasileiro. É um verdadeiro democrata.

  2. Vixe! O MINTO das rachadinhas já tá repelindo os bovinos mais alienados e idólatras assim? Desse jeito ele vai perder o apoio da gadolândia…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

SINE-RN oferece nesta quinta-feira 33 vagas de emprego para Natal, região metropolitana, Mossoró e interior

A Subsecretaria do Trabalho da Sethas-RN, através do SINE-RN, oferece nesta quinta-feira, dia 16 de setembro, 33 vagas de emprego para Natal, Região Metropolitana, Santa Cruz, Mossoró, Pau dos Ferros e regiões.

Para concorrer às vagas, o(a) candidato(a) deve se cadastrar via Internet no Portal Emprega Brasil do Ministério do Trabalho e Emprego, através do endereço empregabrasil.mte.gov.br ou nos aplicativos Sine Fácil e Carteira de Trabalho Digital, disponíveis para Android e IOS.

As vagas para pessoas com deficiência são uma parceria da Subsecretaria do Trabalho da SETHAS com a Coordenadoria de Promoção e Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Semjidh.

Todas as oportunidades estão sujeitas a alteração. Para saber em tempo real qual ocupação está de acordo com seu perfil profissional é necessário acessar o empregabrasil.mte.gov.br com o seu login (PIS) e senha ou através do celular no aplicativo SINE Fácil.

Quer tirar alguma dúvida ou agendar um atendimento? Ligue: (84) 3190-0783, 3190-0788.

O atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 12h.

QUANTIDADE DE VAGAS

Natal e Região Metropolitana

ASSISTENTE DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTE 01

ASSISTENTE DE VENDAS 01

AUXILIAR DE ARMAZENAMENTO 02

AUXILIAR TÉCNICO DE MECÂNICA 01

CONTROLADOR DE PRAGAS 01

CORTADOR, A MÃO 01

DESENHISTA INDUSTRIAL GRÁFICO (DESIGNER GRÁFICO) 02

INSTALADOR DE SOM E ACESSÓRIOS DE VEÍCULOS 01

MECÂNICO DE AUTO EM GERAL 01

MECÂNICO DE AUTOMÓVEL 04

MECÂNICO DE GERADOR 01

MONTADOR DE MÁQUINAS 01

PINTOR DE LETREIROS 01

SERVENTE DE PEDREIRO 03

PCD – Pessoas com Deficiências

AUXILIAR DE LIMPEZA 06

Vagas Temporárias

FLORISTA (COMÉRCIO VAREJISTA) 01

Mossoró e Região

PADEIRO 01

Pau dos Ferros e Região

PROMOTOR DE VENDAS 02

Santa Cruz e Região

TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO 01

VENDEDOR PRACISTA 01

Total geral = 33 vagas

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil apreende drogas e coletes balísticos no Paço da Pátria em Natal

Policiais civis da Delegacia Especializada em Narcóticos (DENARC) de Natal apreenderam, nessa quarta-feira (15), material utilizado para promover o tráfico de drogas, na comunidade Paço da Pátria, na zona leste da capital potiguar.

Na ocasião, foram apreendidos: dois coletes balísticos, aproximadamente 400g de maconha, insumos para embalar os entorpecentes e duas balanças de precisão. No local, ninguém foi encontrado, motivo pelo qual a diligência, decorrente de denúncias anônimas, não resultou em prisão.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações, de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 27,7%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 27,7%, registrada no fim da manhã desta quinta-feira (16). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 115.

Até o momento desta publicação são 162 leitos críticos (UTI) disponíveis e 62 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 175 disponíveis e 53 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 31,4% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 16,7% e a Região Seridó tem 29,4%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: RN possui 162 leitos críticos e 175 leitos clínicos disponíveis

Foto: Regulação/Sesap

O RN permanece com fila zerada de pacientes para UTI Covid conforme levantamento feito por volta de 12h desta quinta-feira(16).

Neste período, não havia paciente com perfil para leitos críticos na lista de regulação. Apenas 02 aguardavam avaliação. Foram registrados disponíveis 162 leitos críticos e outros 175, sendo clínicos.

Opinião dos leitores

  1. E MUITA SAFADEZA POLITICA
    UM ESTADO COM 3 MILHOES DE HABITANTES SO TEM 337 LEITOS DISPONÍVEIS PRA COVID
    POR ISTO Q VIVIA LOTADO R VENDIAM COMO TUDO LOTADO DANDO A IMPRESSAO DE MILHARES DE DOENTE
    PURA MENTIRA

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI: Depoimento de diretor da Prevent Senior é adiado para próxima quarta

Após a ausência de Pedro Benedito Batista Junior, diretor-executivo da Prevent Senior e depoente desta quinta-feira (16) na CPI da Pandemia, os senadores resolveram remarcar a oitiva do médico para a próxima quarta-feira (22).

Com isso, a previsão é da CPI receber na próxima semana o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, na terça-feira (21), e Pedro Batista no dia seguinte.

Em nota enviada à comissão, a operadora de saúde justificou a ausência dizendo que o e-mail de intimação para que o médico fosse ao Senado prestar esclarecimentos sobre o chamado “tratamento precoce” chegou no fim da tarde de quarta-feira (15), e que, portanto, não houve tempo hábil para viabilizar seu comparecimento.

Segundo a defesa do médico, ele deve comparecer à CPI se receber outra notificação com maior tempo tanto para chegar à Brasília – o executivo encontra-se em São Paulo – como para a análise dos autos que embasaram a convocação.

Mesmo assim, os senadores pediram para que o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), avaliasse pedir autorização para realizar uma condução coercitiva caso Batista não compareça ao Senado na próxima semana.

A decisão foi tomada na reunião desta quinta, que aconteceu sem depoentes, mas com debates sobre os rumos das investigações da comissão e sobre as denúncias envolvendo a operadora de saúde.

Também foi aprovado um requerimento de pedido de informações ao Conselho Regional de Medicina de São Paulo, que estaria investigando denúncias sobre médicos da Prevent Senior terem sido forçados a receitar medicamos do “tratamento precoce” contra a Covid.

Os fármacos não têm eficácia nos cuidados da doença.

Para o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), o caso da Prevent Senior é “um dos mais graves” que serão abordados na comissão.

O senador também comentou sobre as expectativas para o relatório final das investigações, que é prometido para as últimas semanas de setembro.

“Essa é a CPI das CPIs. Ela tratou de vidas, virou uma espécie de santuário de defesa da vida, do enfrentamento ao negacionismo, à irresponsabilidade de tratamento precoce com medicamentos ineficazes”, disse Calheiros.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. CPI patética, dominada por notórios corruptos, que desrespeitam depoentes e seus direitos. Sigilos quebrados ilegalmente, narrativas mentirosas, ataques à reputação de pessoas idôneas, mera politicagem. Para não falar do desperdício de tempo e dinheiro público.

  2. Descobriram que essa Prevent Senior fraudou as pesquisas para dar a entender que a cloroquina funcionava. Pense num povo nojento!

    1. Ricardo pelo amor de deus não generalize, pra mim é milhares de brasileiros o senador Renan Calheiros com toda certeza nos representa. Obrigado e um forte abraço.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

FHC, Temer e Sarney pedem paz pelas vias constitucionais

Foto: Reprodução/Facebook

Em clima de pacificação, três ex-presidentes se encontraram virtualmente, na noite dessa quarta-feira (15), na abertura do seminário Um Novo Rumo para o Brasil. José Sarney (1985-1990), Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Michel Temer (2016-2018) aliaram-se para defender a democracia, as instituições e suas funções constitucionais e incentivar o diálogo conciliatório.

Temer (MDB) defendeu que a própria Carta Magna brasileira prega saídas pacíficas para conflitos. “A Constituição assim determina: toda ela está pautada pela ideia da paz”, afirmou. Temer destacou que cabe à classe política buscar conciliação e promover um relacionamento adequado entre os Poderes. “Quando você fala em democracia, parece que você está falando de uma obviedade, mas as obviedades precisam ser repetidas, afirmadas e reafirmadas”.

O ex-presidente emedebista, que ajudou a redigir a carta de “recuo” que Bolsonaro divulgou no dia 9, frisou que seu temperamento é de harmonia. “Seguindo o que o presidente Juscelino Kubitschek dizia, eu não tenho nenhum compromisso com o erro. Se eu erro, eu recuo. Portanto, o recuo é algo também da democracia. Só não recua quem é ditador. Então, esse evento tem essa grande vantagem de reunificar. O Brasil unido significa também ter todos os partidos unificados para um mesmo pensamento ou para uma mesma luta”, afirmou o ex-presidente.

Fernando Henrique Cardoso, o ex-presidente tucano, foi pela mesma linha. “O significado do nosso encontro é importante para o momento atual do Brasil. Todos nós aqui somos pela democracia, liberdade e ação partidária e política. É chegada a hora de um toque de alerta, nosso encontro transcende porque não é mais banal reafirmar pela democracia. O presidente (Bolsonaro) tem arroubos que não são condizentes com um futuro democrático. Mas ele não vai conseguir, ninguém vai conseguir”, disse FHC.

José Sarney (MDB), o decano do trio, exaltou o desejo de conciliação dos presentes. “Duas coisas são importantes e constantes na nossa reunião: primeiro, o desejo de pacificação do país. Segundo, nós, através do diálogo, encontramos a solução de acordo com a tradição brasileira”.

Sarney apontou que a “tradição brasileira” é de resolver problemas com “jeitinho”, usando a Independência do Brasil como exemplo. “A partir da própria independência, demos o primeiro jeitinho brasileiro. Fizemos um acordo, em vez de guerra. Pegamos um príncipe português e o transformamos em imperador brasileiro. E fomos fazendo o caminho da independência. Sempre seguimos o caminho da concórdia e não a luta, o ódio, que passou a interferir na nossa política.”

Jobim fala em disfuncionalidades; Sarney pede parlamentarismo

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-ministro da Defesa Nelson Jobim também participou do debate. Para ele, existe hoje no Brasil “uma disfuncionalidade entre os três Poderes” e, com isso, a política perdeu sua capacidade de administrar discordâncias.

“Nós tínhamos uma alternância de poder entre PSDB e PT, isso se rompeu. Houve a criminalização da política com a Operação Lava Jato e tivemos a eleição de Jair Bolsonaro. A partir daí, se agravou a disfuncionalidade do nosso sistema, que era relativamente organizado”, argumentou Jobim.

O ex-ministro citou o enfraquecimento dos líderes e das organizações partidárias, o surgimento de frentes parlamentares e a concentração de emendas na presidência da Câmara dos Deputados como fatores de disfuncionalidade do Legislativo. Além disso, para ele, a política foi judicializada e a Justiça, politizada.

“A política perdeu a capacidade de produzir consenso, sem instrumentos partidários para administrar um acordo, e passaram a recorrer ao Supremo. Como fator exógeno, tivemos a introdução da TV Justiça. Se falava que seria instrumento de transparência, mas acabou sendo instrumento de visibilidade. Hoje o sujeito demora 40 minutos para votar com o relator porque tem a visibilidade na TV”, afirmou Jobim.

Para o ex-presidente Sarney, o atual sistema brasileiro está esgotado. “Nós não podemos seguir mais com esse sistema eleitoral que aí está. Nós temos que partir para o parlamentarismo. Temos que acabar com o voto proporcional e com o voto uninominal. Temos que fazer um regime como é o português e o francês, países que conseguiram sair dessa situação. Sem isso, não sairemos de crises e mais crises”.

Jobim concordou que é necessário um “ajustamento nas instituições e que isso passa pelo sistema de governo” que não funciona mais. E frisou que é preciso uma agenda de construção para o futuro. “Hoje, há uma pseudo contradição: só se fala em responsabilidade fiscal, e não social. Nós tivemos capacidade de conciliar as duas, nos governos FHC e Lula. Temos que superar essa contradição, e não tentar defender exclusivamente uma delas.”

Com CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. 3 juntando não calçam nem a meia de nosso presidente de férias o Lula melhor presidente do mundo todo é 1³333333333333333333333

  2. Esses ex viciados em roubar , enganar, e matar a boa fé das pessoas de bem pensa que consegue +lubidriar o povão, lugar de bandidos é na cadeia e bandidos só atende com firmeza , dureza e muita borracha, bandidos não quer flores e amores, vamos destituir esses vermes de ministros que teimam em destruir o Brasil , todo baNDIDO POLÍOTIQUEIRO SÓ FALA EM DEMOCRACIA, destruiram até o tal nome, o democracia dos bandidos é a corrupção.

  3. O PSDB trabalha pelo “impeachment” do presidente. É assim que querem a paz? Essa turma chega a ser ridícula.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *