Intervenções da STTU no trânsito e semáforo: ‘Em lugar nenhum no mundo 200 metros de engarrafamento é grande prejuízo’, diz secretário na Câmara Municipal de Natal

Foto: Marcelo Barroso

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) esteve presente na manhã desta segunda-feira (16) na Câmara Municipal de Natal. Representada pelo secretário adjunto da pasta, Walter Pedro, o gestor esteve na Casa a convite da Comissão de Finanças, Orçamento, Controle e Fiscalização com o objetivo de esclarecer sobre as alterações no trânsito na capital potiguar.

Em questão no debate, especificamente, os sinais e faixas instalados nas avenidas Hermes da Fonseca (junto à Avenida Alberto Maranhão) e um segundo na Avenida Salgado Filho (nas proximidades da Igreja Universal). Ambas medidas foram suspensas pela Secretaria na última sexta-feira (13).

De acordo com o secretário Walter Pedro, o recuo na decisão da pasta se deve a necessidade vista pelo órgão de estabelecer novos debates com a população, explicando mais a toda sociedade sobre as premissas de mobilidade urbana, que também norteiam as necessidades de trânsito de uma cidade.

“A prefeitura vem observando diversos corredores de Natal e a situação que trata de travessias de pedestres. Já fizemos grandes intervenções, como corredores exclusivos, e estávamos em falta na intervenção para pedestres, avaliando que as Leis tratam sobre segurança e conforto das pessoas nessa situação e levando em conta, também, que se existir alguma intervenção de trajeto o veículo é que deve se deslocar. Infelizmente existiu uma falsa comunicação nas redes sociais, o que prejudicou o projeto e nos levou a perceber que era necessário um novo debate”.

De acordo com o gestor, a distância entre a faixa instalada próximo a Igreja Universal e a Avenida Amintas Barros é de 350 metros, e que a instalação da faixa/semáforo registrou um aumento, no máximo, de 200 metros de congestionamento. “Em lugar nenhum no mundo 200 metro de engarrafamento é considerado prejuízo de grande escala. As pessoas que estão de carro não têm prejuízo, mas o pedestre tem. Nas premissas de mobilidade urbana nós tentamos sempre trabalhar com impacto mínimo, e que o pedestre e os veículos estejam no mesmo nível”, relata.

Segundo Walter Pedro, pelo menos 3 mil pessoas utilizariam diariamente a faixa. Ao se tratar da passarela existente na Salgado Filho, o secretário esclareceu que o objetivo é que a mesma seja retirada.

Para o presidente da Comissão, o vereador Dinarte Torres (PMB), a partir do momento que a STTU reconhece que houve erro na implantação e retirada do semáforo há o reconhecimento que deveria ter existido um debate prévio sobre as medidas. O parlamentar usou como base uma pesquisa divulgada pelo portal G1, que constatou que mais de 70% população aprovou a faixa de pedestre da Avenida Salgado Filho. “Sem dúvida houve uma precipitação no momento que se coloca e que se retira radicalmente, mas mesmo assim é um momento importante, pois abre o debate para a população e, sendo pedestre a parte mais importante que falamos aqui, são eles que devem ser ouvidos”, disse.

Especialista em trânsito, o professor da UFRN Rubens Ramos defende a instalação das faixas/semáforos. “Os semáforos são corretos sim. Esse é um modelo utilizado em São Paulo e nele o pedestre cruza a via com proteção de um sinal”, explica. Para o especialista, o uso da passarela não condiz com o fluxo urbano, sendo essa uma alternativa não viável. “A passarela é um obstáculo para o usuário. Ela tira o pedestre da rua, assim como tira o comércio, pois não há fluxo de pessoas, para zona urbana não é uma saída”, conclui.

Também presente na discussão, o vereador e membro da Comissão de Finanças, Maurício Gurgel (PSOL) entende que a iniciativa da comissão vem esclarecer a população sobre questionamentos que envolvem seu dia a dia. “A STTU reconhece que precisa haver mais debate com a sociedade e também entende que o pedestre precisa ser prioridade. Essa é uma oportunidade e alternativa de trazer temas de interesse social, mostrando alternativas para o pedestres, para o ciclistas e que ao mesmo tempo tragam fluidez no trânsito”, avalia.

Estiveram presentes no debate os vereadores Aroldo Alves (PSDB), Preto Aquino (PATRIOTA), Felipe Alves (MDB) e Fúlvio Saulo (Solidariedade). Representantes de comunidades relacionadas ao tema também marcaram presença, entre eles Francisco Iglesias, da Associação Potiguar Amigos da Natureza (Aspoan); Kleberson Melo, da Associação Bike Anjo; e José Canuto, presidente do Conselho Municipal de Política Cicloviária e da Associação de Ciclistas do Rio Grande do Norte (Acirn).D

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joaozinho da escola disse:

    Talvez alguem precise desenha uma passarela pra o setor de desengenharia da prefeitura. 3 mil pessoas que vao rezar nao podem prejudicar mais de 100 mil pessoas que precisam trabalhar. Será que se boicotassemos o IPTU e o ISS a prefeitura entenderia a diferença de uma passarela e uma faixa de pedestres? PQ nao adaptam a passarela atual? Ou se o motivo for preguiça, pq nao fazem outra passarela na porta da igreja? Se todos vendessem seus carros, a prefeitura e o Estado iriam ter que criar um imposto novo pra existirem, ja que o carro mantem o IPVA, bombeiro, ISS de oficinas mecanicas e estacionamentos, e todo o comercio que depende de veiculos pra levar produtos. VAo acabar com a cidade com esse idealismo utopico.

  2. Isabel disse:

    Volta semáforo logo vcs que tem carro tem que esperar isso é um absurdo está ganhando na enquete que o.povo e a favor

  3. Madeira disse:

    Fica latente a diferença de conhecimentos técnicos referente à tráfego de trânsito, entre as engenharias do DNIT e a STTU. O Prefeito deveria buscar apoio técnico do DNIT, pois são vias interligadas de responsabilidades do governo federal e municipal. Não se pode jogar dinheiro fora por incompetência de quem deveria buscar soluções.

  4. Roberto Machado disse:

    O que fica claro nesse episódio é o total despreparo e incompetência das pessoas que gerenciam a STTU, São ações como essa que fazem Natal está tão atrassada, na minha opinião uma ação eleitoreira , as desculpas dadas são pior que o que foi feito com o povo de Natal. Triste ver esse despreparo com o trânsito de nossa Capital.

  5. Sérgio disse:

    Tornar a Jaguarari e a São José mão única, eles não fazem! Mas piorar é com eles mesmos…

  6. Henrique disse:

    Uma prova que a STTU está mal de capacitação são os semáforos descalibrados. A "onda verde" não funciona. A gente mal sai de um sinal e já é obrigado a parar em outro. Estão fazendo isso pra gente gastar mais gasolina, poluir mais o ar e também ser assaltado nas paradas…. Bota o prefeito e a STTU pra andar na Av. Rui Barbosa. Se conseguirem andar sem parar, aplaudo com prazer; senão provam que mentem para a população….

  7. Rlrosa disse:

    Toda a população é contra e mesmo assim insistem, de onde vieram esses gênios???

  8. Fabio Cardoso disse:

    Quantos milhões foram gastos na BR para eliminar os semáforos que existiam, os retornos e na construção de viadutos, para aparecer um mentiroso (o congestionamento foi, no mínimo, 4 vezes mais) que desconsiderou recomendação do DNIT e da PRF? Dinheiro jogado no ralo por causa de causa de ego ou de negociatas para instalação de um semáforo (quem sabe os dois) que só trará imobilidade urbana.

  9. Kennedy Diniz disse:

    Só lamento a defesa de Walter Pedro sobre o congestionamento que ocasionou com o semáforo da Universal. No início da manhã o transtorno está na Br no sentido centro, já no final da tarde, toda a Salgado Filho estava congestionada. O próprio Twitter da STTU, pedia para não utilizar a Salgado Filho que estava congestionada. Já imaginaram se tirassem todas as passarelas da BR(Neopolis, Potilandia, a passarela do Sebrae e no lugar delas, substituísse por semáforos e faixas de pedestres? Enquanto a lógica da STTU é tirar passarelas, a população da zona norte, clama a muitos anos por passarelas na Felizardo Moura, Tomaz LANDIN, João MEDEIROS Filho, etc…SE A STTU se atrever de desmontar a passarela da SALGADO FILHO, vamos acionar a justiça. Seria um crime contra o patrimônio público é claro uma irresponsabilidade muito grande.

    Se a STTU alega que a passarela está em péssimo estado, a CULPA É EXCLUSIVAMENTE DELA! A manutenção é de total responsabilidade da STTU!

  10. oswaldo disse:

    Esses caras são os mesmos que acabaram as vias de fluxo das Av Afonso Pena, Rodrigo Alves e Campos Sales, fazendo de faixas áreas de exploração dos flanelinhas, e tb os mesmos que criaram as ciclofaixas nas avenidas para circulação de uma bicicleta por dia, pense nuns engenheiros!!!

  11. Edu_Brasil disse:

    A rua Alberto Maranhão já era para ser só no sentido da Prudente de Morais. Outras avenidas já eram para ser mão única.

  12. Antonio Turci disse:

    Parece que esse povo da STTU, mais o professor que defende o caos no nosso trânsito, esqueceram, ambos de mostrar algo importante: dizem que por aquele local passam 3 mil pedestres. Entretanto, se transitam pelo trecho em discussão, cerca 70 mil veículos, ônibus inclusive, temos algo superior, provavelmente, a 150 mil pessoas. 3 mil, portanto, representa uma minoria que deve ser respeitada, mas não a ponto de dificultar tão intensamente a vida da maioria.

  13. DeSacoCheio disse:

    Certamente esse senhor não passou por lá nos horários de pico. E se realmente passam 3 mil pedestres ali todos os dias, o mais seguro, sem sombra de dúvida é uma passarela de verdade, não aquele "elefante branco" que fizeram a poucos metros dali. Uma passarela bem feita seria benéfica p/ os pedestres e não causaria nenhum impacto no trânsito. Aproveito p/ lembrar da construção da passarela do Extra na Eng. Roberto Freire, que não provocou problemas no trânsito por mais de 1 (UM) dia. Talvez na Eng. Roberto Freire tivesse um engenheiro de verdade tocando a obra.

  14. Cidadão disse:

    200 metros d congestionamento……
    Kkkkkkkkkk
    Isso é um fanfarrão❗️

  15. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    Pq não usar uma passarela?
    Discurso vazio.
    Deve ser cobrado de quem determinou esse absurdo, o custo dessa obra sem resultado.

  16. VTNC disse:

    Engarrafou a partir do complexo viário do quarto centenário , tornou o trânsito da BR 101 e da Salgado Filho/Hermes da Fonseca UM CAOS , este secretário está subestimando Nossa inteligência.
    Omitiu que a 50 metros da nova faixa de pedreste tem uma passarela há anos e subutilizada . Claro que eles já estão em campanha política branca, uma vez que tem mais votos dos pedrestes que dos motoristas !!!

  17. Alaca disse:

    Não são 200 metros, são MAIS 200 metros.

  18. Prof Lira disse:

    E sem os 200 M de engarrafamento n é melhor?

  19. Luiz Fernando disse:

    Querer comparar São Paulo com Natal é de lascar. Gastou-se milhões para se fazer a entrada da cidade uma via expressa, aí vem os a "turminha cabeça de fumaça" e coloca uma porteira.

COMENTE AQUI