iPhone 5 não é compatível com frequência 4G do Brasil

O iPhone 5, lançado pela Apple no meio da semana, pode decepcionar os consumidores quando desembarcar no mercado brasileiro. Algumas das novidades apresentadas, como a navegação curva a curva, mapas em 3D e integração do Siri com Twitter e Facebook, não estão disponíveis no país. Além disso, o novo aparelho não é compatível com a rede 4G que será instalada por aqui. Em seu site, a Apple apresenta três modelos diferentes do novo iPhone para diferentes frequências de 4G. Porém, nenhum deles funciona na faixa de 2,5 GHz, leiloada recentemente pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para a rede nacional.

O aparelho é compatível com redes nos Estados Unidos, Canadá, Japão, Alemanha, Reino Unido, Austrália, Coreia do Sul, Cingapura e Hong Kong.

— O Brasil nunca esteve entre as prioridades da Apple — afirma Eduardo Tude, presidente da consultoria Teleco.

De acordo com o cronograma da Anatel, a rede 4G, que permite acesso à internet com até 100 Mbps de velocidade, entrará em funcionamento no Brasil em abril de 2013 nas cidades que abrigarão a Copa das Confederações. Até o momento, apenas a Motorola Mobility anunciou telefone compatível com o sistema, o Razr HD, que chega às lojas em outubro com preço sugerido de R$ 2 mil.

— Depois que a rede for instalada, e existir uma demanda razoável, a Apple deve lançar um modelo para o nosso sistema. Talvez o iPhone 5S — diz Tude.

A Apple também apresentou melhorias em seu sistema operacional com o novo iOS 6. Em seu site, a companhia lista 24 novidades, mas apenas oito delas funcionam no Brasil: visualização, localização e direção em mapas, imagens de satélite e compra de filmes, músicas, aplicativos e games no iTunes. As funcionalidades do assistente por voz Siri, como acesso a informações sobre esportes, horários de cinemas e reservas em restaurantes, não estão disponíveis no país.

Apesar dos problemas, o iPhone 5 tem melhorias que devem atrair o consumidor. A tela retina cresceu para quatro polegadas e ganhou mais resolução e saturação de cores. A câmera manteve os oito megapixels da versão anterior, mas, com o novo hardware, permite tirar fotos enquanto se filma, e gera imagens com mais qualidade mesmo em ambientes com pouca iluminação, além do efeito panorâmico.

O novo smartphone também é mais fino e mais leve que o modelo anterior, com todo o corpo em alumínio e vidro. Para o vice-presidente de Marketing da companhia Phil Schiller, é o “mais belo produto já desenvolvido pela Apple”.

— Não tem nenhuma modificação revolucionária que o consumidor brasileiro veja nos produtos, mas é um aparelho desejável, que já possui um mercado cativo — avalia Jorge Monteiro, diretor-executivo da Superfones.

Ainda não existe data oficial para o lançamento nem previsão de preço para o aparelho no Brasil. Até o fim do mês, ele estará nas lojas de 31 países e, até dezembro, chega a cem países.