Lava-Jato mira pagamentos da Oi para empresas de filho de Lula; mandados de busca e apreensão em SP, RJ, BA e DF

Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo

A Polícia Federal (PF) realiza nesta terça-feira mais uma fase da Operação Lava-Jato . São cumpridos 47 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Distrito Federal. A PF e o Ministério Público Federal (MPF) investigam pagamentos suspeitos de R$ 132 milhões da Oi para empresas do filho do ex-presidente Lula, Fabio Luis Lula da Silva, o Lulinha.

Essa é a 69ª fase da Operação Lava-Jato e foi batizada de “Mapa da Mina”, um desdobramento da 24ª fase, que levou o ex-presidente Lula para depoimento .

De acordo com o Ministério Público Federal, tais pagamentos foram realizados sem justificativa econômica plausível enquanto o grupo Oi/Telemar foi beneficiado por diversos atos praticados pelo Governo Federal.

Contratos e notas fiscais colhidas pela operação, além da quebra de sigilo bancário e fiscal que demonstrariam que as empresas do grupo Oi/Telemar contrataram as empresas de Lulinha sem cotação de preços e com pagamentos acima dos valores contratados e praticados no mercado, bem como teriam realizado pagamentos por serviços não executados.

“Entre 2005 e 2016 o grupo Oi/Telemar foi responsável por 74% dos recebimentos da Gamecorp”, afirma o MPF, citando uma das empresas de Lulinha.

Fabio Luis Lula da Silva é sócio de Fernando Bittar, Kalil Bittar e Jonas Suassuna em pelo menos nove empresas. Fernando Bittar e Jonas Suassuna também aparecem como proprietários do sítio de Atibaia, que levou à condenação do ex-presidente Lula a 17 anos, um mês e dez dias de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

De acordo com a Lava-Jato, as evidências apontam que os serviços contratados pelo grpo econômico foram contratados em patamares ínfimos ou sequer foram prestados.

“O montante dos repasses apurado até o momento chega a R$ 193 milhões, ocorridos entre 2005 e 2016”, afirma a Polícia Federal.

Segundo o MPF, o grupo Oi/Telemar teria sido beneficiado pelo Governo Federal em algumas decisões políticas e administrativas.

Além dos pagamentos para empresas ligadas ao filho do ex-presidente Lula, a Lava-Jato também apura pagamentos para a RT Serviços Especializados, empresa que teria sido utilziada para o custeio de despesas do ex-ministro José Dirceu.

Além da Oi, os investigadores também apuram indícios de irregularidades da empresa Vivo. Dados bancários indicam o pagamento de R$ 40 milhões de uma das empresas do grupo.

A operação foi batizada d e “Mapa da Mina”, em razão de um arquivo eletrõnico de apresentação financeira interno da empresa encontrado durante a deflagração da 24ª fase da Operação.

Os mandados expedidos pela 13ª Vara Federal, em Curitiba, estão sendo cumpridos em São Paulo e no Rio de Janeiro.

O GLOBO está procurando as empresas e pessoas investigadas.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Gente vamos com calma, o nove dedos nunca viu nada, não sabe de nada, Rosemeyre, oi, Petrobras, África, ditadores de segunda linha, gamecorp, sítio de Atibaia, triplex, dona marise, fundos de pensão, BNDES, irmãos, Dilma, José Guimarães, Dirceu, aloprados, Toninho do PT e celso Daniel (assassinados), falência do Brasil, vcs deixem de onda, se não os atrapalhados do PT ficam com raiva..kkkkkkkk, tudo mera ilusão.

  2. Luciana Morais Gama disse:

    Por isso que a OI entrou com pedido de recuperação judicial.

  3. Véi de Rui disse:

    E o COAF nunca se manifestou?

  4. Manoel disse:

    E o dinheiro num era de Marisa, que tinha ganho vendendo avon ?

  5. Junin disse:

    Agora a casa desmoronou mesmo. Era só o que precisávamos. Kkkkkkk

COMENTE AQUI