Gilmar Mendes: “O Dallagnol é um bobinho. Quem operava a Lava Jato era o Moro”

Foto: Jorge William / Agência O Globo

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou Sergio Moro e Deltan Dallagnol pelo tom dos diálogos registrados em um aplicativo de conversas e ponderou sobre consequências para a operação Lava-Jato associadas ao conteudo publicado pelo site “The Intercept Brasil”.

De acordo com Mendes, as mensagens divulgadas no domingo (9) mostram que “o chefe da Lava-Jato não era ninguém mais, ninguém menos do que Moro. O Dallagnol, está provado, é um bobinho. É um bobinho. Quem operava a Lava-Jato era o Moro”, disse Mendes, em entrevista à ÉPOCA.

O ministro identifica implicações diretas das revelações para o desenrolar da operação. “Eu acho, por exemplo, que, na condenação do Lula, eles anularam a condenação”, analisou Mendes, referindo-se aos trechos das conversas que sugerem uma colaboração entre Moro e Dallagnol.

Mendes viu até a prática de um crime nas conversas vazadas. “Um diz que, para levar uma pessoa para depor, eles iriam simular uma denúncia anônima. Aí o Moro diz: ‘Formaliza isso’. Isso é crime”, avaliou Mendes, referindo-se a um trecho das mensagens em que Dallagnol escreveu que faria uma intimação oficial com base em notícia apócrifa, diante da negativa de uma fonte do MPF de falar. E Moro respondeu que seria “melhor formalizar”.

“Simular uma denúncia não é só uma falta ética, isso é crime.” Mendes ressalta não ser contra o combate à corrupção, mas sim contra o que ele chamou de “modelo de Curitiba”.

Época

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Quando Gilmar Mendes fala a podridão toma conta do ar.

  2. Tô veno disse:

    Sai às ruas, Gilmar… deixa os brasileiros demonstrarem o quanto vc é querido e respeitado.

  3. Ricardo disse:

    Espero o grande dia para ver boca de suvela na cadeia, vai ser a maior vitoria do povo brasileiro honesto, que luta contra corrupção e regalias.
    Boca de suvela ainda vai tomar na tarraqueta!

  4. Araújo disse:

    O que tu(Gilmar), fostes fazer na calada da noite no palácio Jaburu naquele encontro com Temer? Encontro esse fora da agenda. Muito estranho essa estreita amizade entre um juiz da mais alta corte com um indiciado, hj réu.

  5. Lucianobrito disse:

    O Gilmar Mendes foi pego no grampo com o ex governador Sival Barbosa pedido ajuda pra se livra da cadeia, aí ele vem com essa conversa fiada.

  6. Alex disse:

    Qual a moral, a ética que o Ministro GM tem para vomitar dessa forma!?

  7. Emerson disse:

    UM LADRÃO DE TOGA DESSES !
    SÓ QUEM NÃO APROVA A LAVA JATO SÃO OS SAFADOS COMO ELE.

  8. Antonio Turci disse:

    Esse cidadão, Gilmar, perdeu uma boa oportunidade (mais uma) de ficar calado. Sérgio Moro e Dallagnol continuam merecendo todo respeito, exceto, claro, dos que detestam a Lava Jato. Essa turma não se conforma com o resultado do pleito de 2018.
    MORO num país tropical……

  9. Preto disse:

    Cala te a boca corrupto.
    Esse deveria tá preso, atolado até as orelhas no esquema dos ônibus do Rio de Janeiro.
    É o famoso soltador de corruptos.

  10. #Lula Na Cadeia sempre disse:

    Voz da experiência ☝️LADRAO PROFISSIONAL

  11. #Lula Na Cadeia sempre disse:

    Calma ….pau que bate em Chico , bate em Francisco, esse rato terá seu telefone também exposto, aí verão a casa desse cair

Reportagem de O Globo revela que ataque criminoso de hackers foi orquestrado e mirou ‘coração’ da Lava-Jato”, atingindo até Janot e juíza que substituiu Moro; veja como PF detalha ação

Foto: Jorge William / Agência O Globo -20/05/2019

Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) têm indícios de que o ataque hacker que expôs mensagens privadas do juiz Sergio Moro e de procuradores foi muito bem planejado e teve alcance bem mais amplo do que se sabe até agora. Entre os alvos dos criminosos, estiveram integrantes das forças-tarefas da Operação Lava-Jato de ao menos quatro estados (Rio, São Paulo, Paraná e Distrito Federal), delegados federais de São Paulo, magistrados do Rio e de Curitiba.

Além do atual ministro da Justiça e do procurador Deltan Dallagnol,foram alvo de ataques a juíza substituta da 13ª Vara Federal Gabriela Hardt (que herdou processos de Moro temporariamente quando ele deixou o cargo), o desembargador Abel Gomes (relator da segunda instância da Lava-Jato no Rio), o juiz Flávio de Oliveira Lucas, do Rio, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot , os procuradores Januário Paludo, Paulo Galvão, Thaméa Danelon, Ronaldo Pinheiro de Queiroz, Danilo Dias, Eduardo El Haje, Andrey Borges de Mendonça, Marcelo Weitzel e o jornalista do GLOBO Gabriel Mascarenhas . Outros dois procuradores, ambos ex-auxiliares de Janot, relataram ao GLOBO também terem sido vítimas de ataques de hackers, mas pediram para não terem os nomes publicados.

Em nota, a Justiça Federal confirmou que a substituta de Moro foi atingida e disse que o fato foi “imediatamente comunicado à Polícia Federal”. Segundo o texto, “a juíza não verificou informações pessoais sensíveis que tenham sido expostas”.

Em alguns casos, como o da força-tarefa da Lava-Jato no Rio, alguns integrantes evitaram a invasão, já que tinham controles mais rígidos, em especial a verificação em duas etapas para acesso remoto ao aplicativo Telegram.

As mensagens atribuídas a Moro e Deltan indicam uma atuação combinada em determinados momentos da Lava-Jato, inclusive no processo que resultou na condenação do ex-presidente Lula, expondo a operação a inédito desgaste.

Mesmo após a revelação do caso, o esquema criminoso continua em atuação. Na noite de terça-feira, um hacker entrou em contato com José Robalinho, ex-presidente da Associação Nacional de Procuradores, se fazendo passar pelo procurador militar Marcelo Weitzel, que teve seu celular invadido, como revelou a revista Época.

Em meio à crise deflagrada pelos ataques, procuradores discutem entre si as mais variadas teses sobre as origens dos ataques. Alguns levantam suspeitas até sobre invasões de origem russa, o que não está comprovado. Mas, se os autores ainda são desconhecidos, entre os alvos prevalece a ideia de que as invasões são uma ação orquestrada contra a Lava-Jato.

Ação profissional

A Polícia Federal investiga os ataques dos hackers com duas turmas de agentes e delegados, em quatro cidades. A Procuradoria-Geral da República também abriu um procedimento para acompanhar o trabalho da polícia. A apuração desse tipo de crime é tida como complexa, e o prazo para conclusão das investigações será longo, prevê a cúpula da PF.

As suspeitas iniciais apontam para um mandante com capacidade financeira para bancar o esquema aparentemente sofisticado de ação. Uma das hipóteses é a de utilização de equipamentos que custam entre US$ 2 milhões e US$ 3 milhões, segundo uma fonte da cúpula da PF ouvida pelo GLOBO. Há diversas empresas sediadas no leste europeu e no Oriente Médio que oferecem estes serviços por esses valores.

Por outro lado, chamou a atenção o fato de o suposto hacker ter feito piada na terça-feira com um dos alvos. Numa das mensagens, o invasor afirmou que é apenas um “técnico de TI” (Tecnologia da Informação), sem objetivos partidários.

Segundo os relatos das vítimas e apurações do Ministério Público Federal, o esquema funciona em três etapas:

1 – O hacker descobre o número do celular da vítima e o utiliza para solicitar, via desktop, a abertura de nova sessão do Telegram. Imediatamente, o aplicativo encaminha para a vítima o código de acesso, via SMS, achando que o pedido foi feito pelo dono da conta;

2- O clonador adquire um número de celular, geralmente em países onde há pouca fiscalização, e o utiliza para ligar para a vítima, depois de ter solicitado o código de acesso. Por alguma técnica ainda desconhecida, a vítima, ao atender, permite que o clonador capture todo o conteúdo do SMS, incluindo o código de acesso ao Telegram;

3- Com esse código, o hacker acessa o Telegram através de seu PC e pode ver todas as conversas da vítima, entre as quais as de grupos. Isso porque os diálogos pretéritos ficam guardados no aplicativo. O hacker pode fazer um backup de todos os arquivos, mídias e conversas da vítima e/ou pode se passar por ela perante terceiros no aplicativo, dialogando etc.

Os integrantes do MPF só deram conta do tamanho da ação depois da divulgação dos diálogos de Moro com os membros da força-tarefa de Curitiba. Para o golpe ter êxito, desconfiam, é preciso da conivência de alguém dentro das operadoras de telefonia, uma vez que o acesso é dado no momento em que a vítima atende a ligação. Alguns dos números usados pelo esquema já foram repassados à Polícia Federal.

O problema, apuraram, seriam uma brecha denominada pelas operadoras de “Falha SS7”. Embora aplicativos como o WhatsApp e a Telegram ofereçam criptografia ponta a ponta para evitar que suas mensagens sejam interceptadas, ambos usam o número de celular do usuário para funcionar, e isto abre a guarda para os ataques. A fraude do SS7 permite que qualquer pessoa com acesso à rede de telecomunicações envie e receba mensagens celulares específicas, com alguns ataques que permitem aos hackers interceptar textos, chamadas e dados de localização.

O início dos ataques

A série de invasões teve início, até onde se sabe no momento, em 24 de abril. No primeiro dia de aposentadoria, Janot voltou mais cedo para casa aborrecido com uma série de ligações e mensagens esquisitas que tinha recebido ao longo do dia. Alguns telefonemas tinham partido do próprio número do ex-procurador. Por volta das 22 horas, o telefone celular voltou a tocar.

— Diga aí — disse um procurador, amigo de Janot, do outro lado da linha.

— Diga aí você, que está me ligando — respondeu o ex-procurador-geral, estranhando a abordagem do colega.

— Estou ligando porque você está me pedindo dados que eu já te passei — respondeu Janot.

— Estou estou te pedindo dados ?? — questionou Janot.

Antes de terminar a frase, os dois perceberam que estavam sendo vítimas de um ataque quase simultâneo de um mesmo hacker. O estranho, que tinha ligado várias vezes durante o dia para Janot, estava usando a conta do Telegram do ex-procurador-geral para conversar com um outro procurador. O invasor estava em busca da senha do Twitter do ex-procurador-geral.

No meio da confusão, o procurador interrompeu a conversa com o hacker e orientou Janot a não mais atender ligação e nem abrir mensagens para mudar códigos da Apple, do Telegram ou de outros aplicativos.

O Globo

(Colaboraram Cleide Carvalho, Gustavo Schmitt e Bela Megale)

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rômulo disse:

    Hacker não tem dever funcional de seguir a lei. Não adianta a Globo tentar inverter a situação! Quem tem dever de seguir a lei são os juízes! Moro, o anti-herói dos bozopatas, estava em conluio com a acusação para prender Lula para fins políticos. Isso já era praticamente verdade sabida, mas não havia como provar. Agora que a merda foi jogada no ventilador, ele pode esquecer a cadeirinha no STF, e tomar cuidado para não ir para atrás das grades! Estou ansioso pela liberação de áudios, pois são irrefutáveis!

    #VazaJato

  2. Walsul disse:

    A desmoralização da operação lava jato é mundial, não tem como mudar isso. O conteúdo do que está sendo exposto é criminoso para um juiz que deveria ter a função de zelar pela legalidade e isenção do julgamento. O fato se torna mais criminoso ainda, quando as decisões são para interferir no processo democrático. Quanto a globo, esperava-se o que? Como disse o jornalista , ela é sócia da operação lava jato. Essa discussão do hacker é para desviar o foco dos crimes cometidos. Não tem nenhuma prova que os documentos que desmascaram a operação tenha partido de hackers. Tem muita coisa para vir à tona e é isso que a globo teme.

  3. Gaius Baltar disse:

    Ativar verificação em dois passos evitaria todo esse imbróglio, mas a turma usa celular desprotegido para veicular informações sensíveis.
    OBS: O Telegram não tem criptografia ativada nos chats normais, do nos secretos.

  4. Rivanaldo disse:

    Brasil: O país onde o professor tem de ser imparcial mas juiz pode ter lado!

    • Rodrigo disse:

      Melhorando seu comentário: O país onde o professor tem de ser imparcial, quanto a política, mas o juiz pode ter lado, quanto a corrupção.

  5. M.Vinícius disse:

    Pacientemente, vou aguardar ss novidades contra os cibermortadelas!

  6. Potiguar disse:

    Essa reação contra os vazamentos da conversa do Moro era esperada. Eles não vão soltar o lula tão facilmente, apesar das evidências. Todavia, a repercussão do tema é grande no exterior vide reportagem do le monde, guardian, NYT… A dúvida que resta é a seguinte: lula receberá o nobel em Curitiba ou Oslo?

PF abre 4 inquéritos para apurar vazamento de mensagens de Moro e procuradores da Lava Jato

A Polícia Federal (PF) instaurou quatro inquéritos para investigar o vazamento de mensagens de celular de procuradores da República que integram a força-tarefa da Lava Jato e do ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Os investigadores trabalham com a hipótese de que houve uma ação orquestrada. Há a suspeita de que a invasão ao celular de Moro e de integrantes do Ministério Público Federal (MPF) tenha sido planejada.

Os investigadores estão colhendo indícios sobre a autoria, sobre quem teve acesso de forma ilegal a conversas privadas do ministro e qual o método usado pelos hackers.

No caso de Moro, já se sabe que o ministro da Justiça atendeu a uma ligação de um número igual ao dele, e que isso permitiu o acesso ilegal ao aplicativo Telegram, que ele não usava mais.

Investigadores afirmaram que os hackers clonaram o número de Moro, abriram ou reativaram a conta do ministro no Telegram e se passaram por ele. Moro desativou a linha invadida.

No mês passado, procuradores da Lava Jato no Rio de Janeiro e no Paraná relataram tentativas de invasões semelhantes.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, considerou os ataques graves e disse que configuram uma situação que pode comprometer diversas apurações em curso.

Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), integrantes da Lava Jato atenderam a ligações do próprio número. A PGR abriu procedimento interno para acompanhar o caso e, desde então, tem reforçado as orientações para ampliar a segurança dos aplicativos de mensagem usados pelos procuradores.

Nesta terça-feira (11), o Telegram negou que o aplicativo tenha sido alvo de hackers, ao contrário do que dizem os investigadores. A empresa aponta duas possibilidades para a invasão de celulares:

que as contas de Moro ou dos procuradores poderiam não estar bem protegidas

que houve invasão do próprio telefone celular, e não do Telegram

Esclarecimentos ao Congresso

Diante da repercussão do caso das mensagens sobre a Lava Jato, a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara aprovou nesta quarta-feira (12) convite para Sérgio Moro comparecer a uma audiência no colegiado para prestar esclarecimentos sobre o episódio. Como se trata de convite, e não convocação, o ministro não é obrigado a comparecer ao parlamento.

O deputado Rogério Correia (PT-MG) havia apresentado à comissão um requerimento de convocação de Moro, que obrigaria o ministro a comparecer, sob risco de cometer crime de responsabilidade.

No entanto, um acordo entre os parlamentares convocou o pedido de convocação em convite.

O colegiado agendou a audiência com o ministro da Justiça o dia 26, em conjunto com outras duas comissões: a de Constituição e Justiça e a de Direitos Humanos e Minorias.

No Senado, também houve acordo para evitar uma convocação do ministro da Justiça, e assegurar que ele possa ir à Casa voluntariamente como convidado para falar do conteúdo das conversas que supostamente trocou com o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, procurador Deltan Dall’Agnol.

Nesta terça, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou que Moro vai comparecer à CCJ da Casa no dia 19 para falar sobre o vazamento.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), encaminhou a Alcolumbre um ofício no qual o ministro da Justiça se colocava à disposição dos senadores para ser ouvido pela CCJ.

Pacote anticrime

Sérgio Moro voltou a se pronunciar nesta quarta-feira sobre o episódio das mensagens do Telegram. Ao anunciar em uma rede social a redução de crimes, o ministro da Justiça disse que os números seriam melhores com a aprovação do pacote anticrime que foi apresentado ao Congresso Nacional em fevereiro.

Moro destacou ainda na rede social que hackers de juízes, procuradores, jornalistas e, talvez, parlamentares, bem como suas linhas auxiliares ou escândalos falsos, não vão interferir na missão.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lourdes disse:

    Paciência, apenas paciência! Teremos a oportunidade de conhecer a ORCRIM dos partidos de esquerda!

    • Lucas disse:

      Exatamente. Por ora, já conhecemos parte do submundo de alguns procurados e juízes da Lava Jato, que puseram a política a frente da lei. E pra deixar claro, antes que venha um bolsominion raivoso, isso em nada tem haver com defesa de Lula. Continuo achando que Lula tem culpa no cartório, mas seu processo foi realmente maculado.

General Villas Bôas, ex-comandante do Exército, defende Sergio Moro e a Lava Jato

O general Villas Bôas, ex-comandante do Exército, foi ao Twitter e fez uma defesa enfática de Sergio Moro.

“Momento preocupante o que estamos vivendo, porque dá margem a que a insensatez e o oportunismo tentem esvaziar a Operação Lava Jato, que é a esperança para que a dinâmica das relações institucionais em nosso país venha a transcorrer no ambiente marcado pela ética e pelo respeito ao interesse público. Expresso o respeito e a confiança no Ministro Sergio Moro.”

No mês passado, durante sessão no Congresso, Moro também manifestou admiração por Villas Bôas: “Na minha opinião e de muitos, um herói nacional”.

Em abril de 2018, Villas Bôas teve papel fundamental para impedir que o STF livrasse Lula.

O Antagonista

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Robert disse:

    Origem do vazamento é irrelevante, discussão é a conduta do Moro e Dallangnol.
    Não era isso que se dizia na época dos Vazamentos Seletivos, que aliás, pararam logo depois de alcançados seus verdadeiros objetivos(Tirar Dilma do poder e impedir Lula de se candidatar)?
    Coincidência ou realidade?

    • Ceará-Mundão disse:

      Só mentes doentes ou pervertidas pela falta de ética e de decência irão (tentar) confundir escutas legais, autorizadas judicilmente, de elementos investigados por condutas criminosas, com a ação ilegal (incontitucional, na verdade) de hackers, bisbilhotando os celulares de autoridades da República. É praticamente impossível manter jm diálogo lógico e civilizado na ausência de caráter de alguma das partes.

  2. realmadriddepiumgenerico disse:

    Em um país onde a milícia se confunde com o governo, o moro é bem a cara do herói.

Oposição promete obstrução total enquanto Moro permanecer no cargo e a PGR não afastar procuradores da Lava Jato

A oposição na Câmara vai fazer obstrução total enquanto Sergio Moro não renunciar ao cargo e a PGR não afastar procuradores da Lava Jato.

O anuncio foi feito pelo líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta.

Ele defendeu que algumas medidas cautelares sejam tomadas, como a saída de Moro e todos os relacionados a ele do Ministério da Justiça, para “garantir a lisura” do processo de investigação da PF.

A oposição pede também o afastamento de Deltan Dallagnol e outro procuradores expostos pelo vazamento.

Por último, a oposição também quer a apreensão dos celulares funcionais de todos os envolvidos no caso, para evitar “queima de arquivos.”

“Nós vamos entrar em obstrução total para que nenhuma matéria possa tramitar até que estas medidas administrativas e cautelares sejam adotadas, tanto em relação ao Moro quanto em relação aos procuradores.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    Do jeito que vai, a esquerda está fazendo campanha presidencial antecipada para Moro. Pode anotar !!!

  2. Ana leticia disse:

    Do mesmo jeito que os bandidos se organizam, a Polícia e a justiça não ficam esperando sentado que esses safados renunciem ao crime. Tem mesmo é que ser mais esperto que esses PTralhas e seus seguidores, peia nesses cabras. E aqui no estado um punhado Aínda vai mofar na cadeia tb.
    Esses safados são espertos, veja que mataram Toninho do pt e varios outros e nunca foram pegos, são uma quadrilha super organizada, por isso nada mais justo para destruir esse bando do que a PF, MP e o ministro da justiça atuarem todos juntos, portanto bota pra F nesses safados. Kkkkk

  3. Olavo disse:

    Quem é agora que tem bandido de estimação????

    • Lobo disse:

      Quem é o bandido? quem roubou 200 bilhões de reais, deixando um rastro de desemprego e miséria, ou quem prendeu parte da quadrilha que praticou esse furto, ao mesmo tempo, já recuperou pra os cofres públicos, uns 50 bilhões de reais desse dinheiro roubado? Fácil de responder o óbvio

  4. PABLO disse:

    Como sempre o PT querendo acabar com o Brasil.

  5. Sandro disse:

    A casa caiu e agora quero ver esses bandidos na cadeia: moro, dallagnol etc. Como dizia o bozo, bandido bom é bandido morto. Agora ele não diz mais porque chegou na sala da casa dele. Cadê o Flávio e o Queiroz?

    • Francisco disse:

      Bandidos é quem prende ladrões e consegue reaver o dinheiro roubado?

  6. Tuta disse:

    É a turma do barulho.
    Lula tá preso babacas MORO presidente!!

    Tchau queridos
    PT nunca mais, podem esperniarem. Kkkkkkk

  7. Zé Raimundo disse:

    Mt interessante os comentários de Mané e Vinícius. Ao invés de defenderem a completa elucidação das graves denúncias q atinge o estado democrático de direito, prefere desfiar o foco e politizar o problema.

    • Zé Roela disse:

      Zé, papai tá preso, tá? Chora não, meu fi. Só para, pensa e se liberta.

  8. Manoel disse:

    Esperado: PT sendo PT, são contra tudo e contra todos quando não estão no poder!

  9. M.Vinícius disse:

    A patologia que consome o cérebro desses esquerdistas deve ser estudada pela NASA!

    Vão conseguir obstruir a saída das fezes com tanta mortadela com pão francês!

Associação Nacional dos Procuradores da República reitera confiança no trabalho da Lava Jato

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) reitera a confiança no trabalho desenvolvido pelos membros do Ministério Público Federal que atuam na Operação Lava Jato, defende a importância da liberdade de imprensa e condena a obtenção ilícita de dados, bem como a sua transmissão a terceiros.

A partir das notícias que estão sendo veiculadas, com o teor de conversas supostamente mantidas entre integrantes da Operação Lava Jato e outros agentes públicos, a ANPR vem a público se manifestar no seguinte sentido:

Os dados utilizados pela reportagem, se confirmada a autenticidade, foram obtidos de forma criminosa, por meio da captação ilícita de conversas realizadas, violando os postulados do Estado Democrático de Direito. Por essa razão, são completamente nulos os efeitos jurídicos deles decorrentes, na forma do art. 5, incisos XII e LVI, da Constituição Federal e do art. 157 do Código de Processo Penal. A ANPR repudia, categoricamente, o vazamento de informações obtidas de maneira ilegal, independentemente da fonte do vazamento, do seu alvo ou do seu objetivo.

Tendo em vista a gravidade do caso, a ANPR cobrará das autoridades competentes a apuração rigorosa, mediante investigação célere, isenta e aprofundada, já que a obtenção ilícita de dados e informações e a interceptação ilegal de conversas pessoais, bem como a sua transmissão a terceiros, além de se constituir em atividade que coloca em risco o trabalho e a segurança dos agentes públicos envolvidos, configuram os crimes previstos no art. 154-A, §§ 3º e 4º do Código Penal, com pena de até 3 anos e 4 meses de reclusão, e no artigo 10 da Lei nº 9.296/1996, com pena de até 4 anos de reclusão.

A ANPR reitera a confiança no trabalho que vem sendo desenvolvido pelos membros do Ministério Público Federal que atuam na Operação Lava Jato, seus associados, bem como a importância da continuação dos esforços que vêm sendo desenvolvidos, no Brasil, na prevenção e repressão às práticas de corrupção, que trazem consequências absolutamente negativas ao país.
Também reafirma a importância da liberdade de imprensa para a consolidação do Estado Democrático de Direito, bem como destaca, ainda, que as matérias jornalísticas produzidas devem oportunizar a prévia ouvida dos envolvidos e ter a cautela de não reproduzir frases descontextualizadas, soltas, desconexas, que possam confundir, ao invés de esclarecer. Tais expedientes são fundamentais para resguardar a prática do bom jornalismo, que vem pautando a atuação da imprensa brasileira.

Diretoria da Associação Nacional dos Procuradores da República

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carmen Maria de Leiros disse:

    Lava jato nos salvou do PT

  2. Ana disse:

    Os corretos vão tentar de tudo pra parar a lava-jato, mas não vão conseguir!

  3. Ana leticia disse:

    Cadeia para os corruPTos.

  4. Anônimo disse:

    Lava Jato sim fora corruptos!

Dallagnol renova o compromisso da Lava Jato

Nesta segunda-feira, depois do roubo de suas mensagens, Deltan Dallagnol voltou ao Twitter:

“A força-tarefa renova seu compromisso de prestar um serviço de excelência à sociedade na esfera da Justiça, continuando a promover a responsabilização de criminosos poderosos e a recuperar bilhões desviados em favor dos brasileiros.”

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anti-Comunista disse:

    SÃO MUITOS INTERESSES EM JOGO. É MUITO DINHEIRO EM JOGO.

  2. Antonio Turci disse:

    Lamentável o comportamento de parte da imprensa, que quer, por fim da força, colocar o rótulo da improbidade em pessoas como o Grande Juiz e o hoje Ministro da Justiça Sérgio Fernando Moro e no Dr. Deltan Dalagnoll. Tão lamentável quanto, é o movimento desta mesma imprensa atirando, com força, contra a Lava Jato. À Imprensa Marron, ficam os sinceros agradecimentos da bandidagem. Pobre Brasil!

  3. A. Vasc disse:

    Bom é ver os criminosos comemorando e pedindo a anulação de tudo e soltura de todos. Isso tudo com base em um crime cibernético, sem amparo legal e promovido sabe lá quem. Esse crime cibernético provavelmente nasceu e está crescendo no âmbito de grandes das ORCRIM´s .

  4. Gilson disse:

    Patéticos, vcs dado ridículos, bando d chorume humano, voltem para o esgoto de onde nunca deveriam ter saído.

  5. Ricardo disse:

    Se Deus quiser vai ser presidente do Brasil!
    Bota pra ferver nesses corruptos!

  6. Ana leticia disse:

    Meta a chibata nesses sem futuro. Não é só o crime que é organizado, a Polícia junto com a justiça também trabalham Unidas, com uma pequena diferença, uma se une para roubar a outra para prender os bandidos.

  7. Lourdes Siqueira disse:

    Que Deus proteja os homens de bem desse país e que Nossa Senhora Aparecida esteja ao lado deles dando-lhes coragem e determinação para seguir em frente e tentar limpar nosso país dessa praga de corruptos. Pelo menos tirar a lama, depois se limpa o resto.

Defesa de Lula diz ter sido monitorada pela Lava Jato e pede fim de pena a petista

A defesa de Luiz Inácio Lula da Silva diz que, além de ter feito a interceptação telefônica do escritório de advocacia representante do petista, a Lava Jato produziu relatórios que detalharam ao menos 14 horas de conversas entre os defensores do ex-presidente, em uma afronta à legislação.

Essa é a base da principal aposta de Lula para tentar anular no STF (Supremo Tribunal Federal) a condenação do ex-presidente no caso do tríplex de Guarujá (SP).

O petista está preso desde abril de 2018, após ser condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro nesse caso. Em abril deste ano, a pena foi reduzida para 8 anos, 10 meses e 20 dias pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), abrindo caminho para uma progressão ao regime semiaberto ainda neste ano.

A defesa do ex-presidente, porém, ainda tenta a anulação do processo no STF com base em uma ação ingressada no ano passado e que traz como base um relato do advogado Pedro Henrique Viana Martinez.

O defensor não faz mais parte da equipe contratada pelo petista, mas diz ter visto na 13ª Vara Federal de Curitiba os relatórios produzidos a partir das interceptações telefônicas do ramal-tronco do escritório Teixeira Martins & Advogados, responsável pela defesa técnica de Lula.

Era na 13ª Vara que atuava o então juiz e hoje ministro Sergio Moro (Justiça).

Diálogos entre advogados e também de defensores com seus clientes são sigilosos e protegidos por lei. O Estatuto da Advocacia determina, no seu artigo 7º, “a inviolabilidade de seu escritório ou local de trabalho, bem como de seus instrumentos de trabalho, de sua correspondência escrita, eletrônica, telefônica e telemática, desde que relativas ao exercício da advocacia”.

O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, já rejeitou no mês passado um recurso da defesa de Lula que questionava a imparcialidade de Moro como juiz nos processos contra o petista.

Essa ação ainda pendente no Supremo trata da interceptação autorizada em 2016 por Moro no telefone do escritório de advocacia onde atua Cristiano Zanin, advogado do ex-presidente, nos meses de fevereiro a março daquele ano.

À época, a decisão de Moro de grampear os advogados de Lula foi questionada pelo ministro Teori Zavascki, do STF, morto em janeiro de 2017. Moro respondeu que houve equívoco dos procuradores da Lava Jato, que teriam identificado a linha telefônica como sendo da empresa de palestras do ex-presidente.

O advogado Viana Martinez, porém, diz ter visto as provas de que esse material, incluindo análises de estratégias da defesa, foi usado pela Lava Jato.

Ele diz que, em 2017, quando ainda fazia parte do escritório que defendia Lula, esteve na 13ª Vara Federal de Curitiba, onde havia mais de 110 mil arquivos de áudio derivados de diversas linhas telefônicas de pessoas do círculo íntimo do ex-presidente.

Segundo Martinez, cerca de 14 horas foram captadas diretamente do ramal-tronco do escritório Teixeira Martins & Advogados. Ele disse que não teve permissão para copiar esse material da investigação, sendo permitida por Moro apenas a consulta no local, “em computador previamente preparado e sob a vigilância dos servidores da vara”.

O advogado descreveu em um documento aquilo que encontrou. “Cada ligação era separadamente identificada, sendo possível visualizar número de origem e destino da chamada, bem como a sua duração. Com um clique, era possível ouvir cada áudio interceptado”, disse.

“As listas contavam, ainda, com uma última coluna. Em tal coluna estavam inseridos comentários de análise realizada por agentes da Polícia Federal. Destaca-se que nem todas as chamadas continham comentários inseridos, ao contrário, a maioria delas apresentava esse campo em branco”, completou.

Martinez disse que as ligações geradas por meio do ramal-tronco do escritório traziam ao lado comentários a respeito do conteúdo do áudio. “Ou seja, com certeza tais chamadas telefônicas foram analisadas por agentes da Polícia Federal.”

Entre os exemplos registrados em relatórios estavam conversas entre os advogados Cristiano Zanin e Roberto Teixeira e também com Nilo Batista a respeito de estratégias jurídicas a serem adotadas.

O monitoramento telefônico do escritório estava vigente na época em que Lula foi levado em condução coercitiva para prestar depoimento, por ordem de Moro, em 4 de março de 2016.

A defesa de Lula usa dois comunicados da empresa de telefonia responsável pelas linhas como prova de que Moro foi informado se tratar de um escritório de advocacia –apesar de ele ter alegado equívoco com a avaliação de que pertenciam à empresa de palestras do petista.

O material da gravação de conversas entre advogados foi parar no STF porque, entre os diálogos, havia também conversas de Lula com a então presidente Dilma. Depois do impeachment da petista, o material voltou para as mãos de Moro, na primeira instância da Justiça.

Apesar de admitir erro e pedir desculpas ao ministro Teori, Moro não destruiu os áudios das conversas entre os advogados e ainda deu acesso do material a outras pessoas que faziam parte do processo.

O material com grampo considerado ilegal, o que incluiria as horas de conversas entre os defensores do ex-presidente, só foi inutilizado em março de 2018, após decisão do juiz João Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato no TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

O professor de direito penal da USP Pierpaolo Bottini avalia que, em casos assim, os juízes devem considerar que todas as provas produzidas em decorrência dessa quebra de sigilo sejam consideradas nulas. As demais, porém, podem seguir no processo.

OUTRO LADO

O ministro Sergio Moro não quis comentar os questionamentos da defesa de Lula. Já a Superintendência da Polícia Federal no Paraná apresenta uma justificativa para os grampos diferente da que foi usada pelo ex-juiz na ocasião em que Teori Zavascki pediu explicações ao magistrado.

Moro disse que determinou uma escuta no escritório porque pensava se tratar de um telefone da empresa de palestras de Lula –e que foi levado ao erro pela Procuradoria. Já a PF diz que a interceptação foi feita porque um dos advogados era suspeito de cometer crimes.

A assessoria da PF diz que “as conversas interceptadas envolvendo um número fixo de um escritório de advocacia contratado pelo ex-presidente Lula na época da 24ª fase da Operação Lava Jato eram decorrentes da suspeita do cometimento de crimes praticados por advogado daquele escritório”.

Segundo a PF, tal advogado figurava como investigado e não apenas como defensor constituído de um investigado, tornando-se réu em ação penal e sendo, na sequência, condenado por tal crime.

O sócio do escritório que defende o ex-presidente, Roberto Teixeira, compadre de Lula, foi realmente investigado, mas no caso do sítio de Atibaia. Na ocasião, Moro de fato determinou uma interceptação telefônica contra ele, mas o alvo foi seu aparelho celular, não o escritório de advocacia. Teixeira foi condenado neste caso a 2 anos de prisão por lavagem de dinheiro.

O advogado Cristiano Zanin, que defende Lula, diz que a interceptação do telefone “para acompanhar em tempo real a estratégia de defesa do ex-presidente Lula, como ficou provado, foi um verdadeiro atentado contra a advocacia e o Estado de Direito no nosso país”.

“A iniciativa revelou o desprezo de algumas autoridades com o direito de defesa e com a função constitucional do advogado na administração da Justiça. É lamentável que a despeito da gravidade da conduta os envolvidos ainda ocupem relevantes cargos públicos e não tenham sofrido qualquer consequência jurídica.”

VERSÕES PARA O GRAMPO

O que disse Moro

Em ofício ao STF, em 2016, o então juiz declarou que desconhecia que o ramal grampeado era do escritório:

“A autorização concedida por este Juízo tinha por pressuposto que o terminal era titularizado pela empresa do ex-presidente e não pelo escritório de advocacia”

O que diz a PF em nota

A interceptação foi feita porque um dos advogados era suspeito de crimes

“As conversas interceptadas envolvendo um número fixo de um escritório de advocacia contratado pelo ex-presidente Lula na época da 24ª fase da Operação Lava Jato eram decorrentes da suspeita do cometimento de crimes praticados por advogado daquele escritório”

Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Tomara que os filhos dessa galera que gosta de idolatrar ladrão sejam também ladrões no futuro. E ladrões bem-sucedidos, para orgulho dos papitos corujas.

  2. Dilmanta disse:

    Condenado em outro país de respeito, realmente democrático, Lula estaria num presídio, sem regalias e direitos, como qualquer detento condenado. Rasparia a cabeça inclusive. E os sonhadores e faladores de besteira "lulalivre" estariam trabalhando ao invés de ficar pregando sonhos irreais e prejudiciais à nação…

    • Rômulo disse:

      Em um país de respeito, o juizeco já estaria atrás das grades por permitir escuta das conversas entre advogado e cliente, e Lula jamais seria condenado num processo sem provas e feito ao arrepio da lei.

  3. Iranilson disse:

    Nem que a lavo jato tenha cometido crime, jamais um crime é matéria de inocentar um outro crime.

  4. Anti-Comunista disse:

    SE FOSSE NOS ESTADOS UNIDOS SERIA PRISÃO PERPÉTUA PRA LULA. NOS ESTADOS UNIDOS LULA SERIA PRESO CUMPRIRIA A PENA TODA.

    • Vitor Silva disse:

      Moro teria se dado mal no primeiro vazamento da conversa da então Presidente com ele.

    • Severino Carnegie-Rockfeller disse:

      Moro teria se dado mal e o Brasil pior ainda.

Lava Jato pede aumento da pena de Lula no caso do sítio de Atibaia

A Lava Jato pediu o aumento da pena de Lula no caso do sítio de Atibaia.

A juíza Gabriela Hardt condenou-o a apenas 12 anos e oito meses de prisão. Os procuradores querem mais do que isso, imputando-lhe 45 atos de lavagem de dinheiro:

“Os elementos constantes dos autos demonstram que, em verdade, cada um dos atos praticados são autônomos e não, como entendeu o Juízo sentenciante, um único crime de lavagem.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    Esse FDP DO LADRAO CONDENADO LULA tem que apodrecer e pagar pelo mal que fez ao Brasil …ladrao

    • Ceará-Mundão disse:

      Cria um pseudônimo prá ti. Eu já criei esse bem diferente prá não ser confundido. Embora eu concorde com a ideia.

    • Ceará-Mundão disse:

      Crie você.

  2. Ricardo Freire disse:

    Lula é o maior ladrão do Brasil, mas cadê o diabo desse dinheiro?

    • Ceará-Mundão disse:

      Boa parte está sendo gasta com essa chicana jurídica milionária, levada a efeito por esse exército de advogados do diabo. Mas tem muito dinheiro escondido, com certeza. As ditaduras amigas, afinal, estão ai prá isso. Lembra daquele filho do ditador africano que foi pego com uma fortuna no aeroporto?

    • ASV disse:

      Boa pergunta.

    • Ana leticia disse:

      Só na conta da falecida tinha 17 milhas. E Paraíso fiscal, tem esse nome porque?

    • Bolsonaro Junior disse:

      Olha pra periferia que vc vai ver que não está lá.
      A corrupção é um roubo em cadeia, seu líder não agiu sozinho.

    • J.C. Pereira disse:

      O maior ladrão é indivíduo igual a você que fala sem consciência apenas por rancor

Michel Temer, Moreira e mais 12 viram réus na Lava Jato do Rio

O ex-presidente Michel Temer, o ex-ministro e ex-governador do Rio Moreira Franco e outros 12 investigados pela força-tarefa da Lava Jato de desvios na Eletronuclear viraram réus nesta terça-feira (2).

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, aceitou duas denúncias feitas pelo Ministério Público Federal na última sexta-feira (29) – nesta terça, outra denúncia foi feita contra Temer e a filha dele, Maristela, pelo MPF de São Paulo (entenda).

No total, as denúncias aceitas por Bretas incluem 14 nomes. Seis dos réus respondem em ambas as denúncias, incluindo Temer e seu amigo João Baptista Lima Filho, o Coronel Lima:

Réus por peculato e lavagem:

Michel Temer
Coronel Lima
Othon Luiz Pinheiro da Silva
Maria Rita Fratezi
José Antunes Sobrinho
Carlos Alberto Costa
Carlos Alberto Costa Filho
Vanderlei de Natale
Carlos Alberto Montenegro Gallo
Carlos Jorge Zimmermann
Ana Cristina da Silva Toniolo
Ana Luiza Barbosa da Silva Bolognanni

Réus por corrupção e lavagem:

Michel Temer
Moreira Franco
Coronel Lima
Othon Luiz Pinheiro da Silva
Maria Rita Fratezi
José Antunes Sobrinho
Carlos Alberto Costa
Rodrigo Castro Alves Neves

Michel Temer chegou a ser preso, em São Paulo, no último dia 21 de março, pela força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro, que investiga o caso. Os agentes também prenderam o ex-ministro Moreira Franco no Rio e o coronel João Baptista Lima Filho, amigo de Temer, e mais sete acusados. Temer ficou preso quatro dias em uma sala da sede da PF, no Centro do Rio.

Na última segunda-feira (25), a Justiça determinou a soltura do ex-presidente, a pedido dos advogados entraram com pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). Na mesma decisão, o desembargador Ivan Athié mandou soltar os outros presos na mesma operação.

Sobre a denúncia de desvios na Eletronuclear, a defesa de Michel Temer disse que nada foi provado contra ele e que a prisão “constitui mais um, e um dos mais graves, atentados ao Estado Democrático de Direito no Brasil”.

Denúncias

A primeira denúncia, contra Temer, seu amigo João Baptista Lima Filho, o Coronel Lima, e mais 10, é pelos crimes de corrupção ativa e passiva, peculato – desvio de dinheiro público para uso próprio – e lavagem de dinheiro. Segundo a denúncia, foram desviados pelo menos R$ 18 milhões das obras da usina nuclear de Angra 3.

De acordo com o MPF, entre os denunciados estão o Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, ex-presidente da Eletronuclear, e suas filhas Ana Cristina da Silva Toniolo e Ana Luiza Barbosa da Silva Bolognani. Ele são acusados de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Os procuradores apontam que os três mantinham contas no exterior onde ocultavam cerca de R$ 60 milhões (15 milhões de francos suíços).

A segunda denúncia trata do pagamento de R$ 1,1 milhão em propina envolvendo Temer, Moreira e mais seis pessoas.

A defesa de Temer declarou que as acusações não se sustentam em nenhum “elemento idôneo”, mas apenas em suposições e na palavra de delatores, e que as denúncias não têm nenhum fundamento sério e insistem em versões fantasiosas (leia a íntegra no fim da reportagem). A defesa de Moreira Franco declarou que as acusações apresentadas serão afastadas no curso do processo.

G1

 

Ex-ministro Moreira Franco é preso pela Lava-Jato no Rio

Foto: Givaldo Barbosa / Agência O Globo

O ex-ministro de Minas e Energia Moreira Franco foi preso na manhã desta quinta-feira pela Operação Lava-Jato no Rio, ele é um dos alvos da fase que mira também o ex-presidente Michel Temer , preso na manhã desta quinta-feira em São Paulo. Moreira Franco viajava de Brasília para o Rio de Janeiro e embarcou às 9h30 na capital federal, conforme adiantou Lauro Jardim em sua coluna no GLOBO.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    E Queiroz?

  2. Ceará-Mundão disse:

    Se a Lava Jato prender a Dilma, pode pedir música no Fantástico.

  3. JUNIN disse:

    FALTA MUITOS AINDA, INCLUSIVE AQUI NO NOSSO ESTADO….!!!

  4. José Cláudio Pereira - Parnamirim /RN disse:

    Poderá acontecer a prisão da ex presidente Dilma, isso
    inguém dúvida, pois a lava jato está desmoralizada e fará tudo para atrair a opinião pública e sair das cordas. Mesmo esses fdp não tendo provas pois as delações do safado Palocci não foi apresentado nenhuma prova contundente mas, mesmo assim os alcapondes de Curitiba os fascistas cretino pune os petistas. Enquanto os corruptos do psdb com todos os elementos envolvidos com provas cabáis comprovante de contas na suissa escancarada estão aí soltos Aluízio Nunes, José Serra e outros .

  5. José Cláudio Pereira - Parnamirim /RN disse:

    Ainda temos que ver muita água a passar por baixo da ponte, pois faltam os bandidos mercenário da pior espécie que doaram o nosso patrimônio às nossas estatais estratégicas e ninguém diz nada sobre tal não tem nenhum da cópula dos governos FHC presos.

  6. #CADEIA disse:

    Falta prender a ANTA que queria envasar vento , DILMANTA, essa sabe muito ….repassou bilhões para países de FDP DITADORES

    • Brasil disse:

      Não leva uns três meses para Dilma ser presa também. Ainda tem gente defendendo esses bandidos.

A Lava Jato vira o jogo

A Lava Jato, a partir de agora, vai inverter as denúncias por caixa dois. Diz a Folha de S. Paulo:

“Se um réu afirmar, por exemplo, que arrecadou propina para investir ilicitamente em uma campanha, a Lava Jato deve pedir a inversão do ônus da prova — ou seja, se o réu diz que havia caixa dois, então que demonstre.”

Deltan Dallagnol explicou para a reportagem:

“A alegação do réu não basta. Você precisa de documentos materiais que comprovem aquilo, sob pena de que a competência seja determinada pela livre vontade do réu.”

O Antagonista

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Potiguar disse:

    Inversão do ônus da prova em direito penal? Eu acho que, deveriam investigar concursos públicos no Brasil.

    • Ceará-Mundão disse:

      Vcs, esquerdopatas, além de não entenderem mesmo de nada (afinal, não são afeitos ao estudo), são incapazes sequer de ler e entender um texto, por mais simplório que seja. O que o procurador disse foi exatamente que, se o criminosos alegar que foi caixa 2 eleitoral (e não, crime federal), deverá se submeter à inversão do ônus da prova e demonstrar o que diz com documentos materiais. E vc entendeu (????) exatamente o contrário. É hilário.

    • Potiguar disse:

      Ceará-mundão, criatura de Deus, no direito penal o ônus da prova é do Estado, ou seja, o MP deve provar a culpabilidade do agente. Inverter o ônus da prova nos moldes proposto de Procurador é admitir que o acusado "prove" sua inocência ou seu crime, facilitaria muito o trabalho do acusador. Na verdade tal conduta incriminadora deve ser do parquet. Este deve provar o ilícito penal. O crime de caixa dois ou corrupção deve ser comprovado pelo MP. Entendeu ou quer que desenhe?

    • Ceará-Mundão disse:

      Desenhe prá si próprio, grande jurista. A inversão ocorrerá caso seja alegado crime eleitoral. Nesse caso, serão exigidas provas documentais para que a ação tramite na justiça ELEITORAL e não na justiça FEDERAL (crime comum). Acho muita pretensão da sua parte querer entender mais desse assunto do que os procuradores da Lava Jato, vc não concorda?

  2. Ricardo disse:

    Que país é esse onde uma parte da justiça, a que decide, trabalha pra soltar e proteger os maiores ladrões de dinheiro público do país, e a outra parte tentando fazer a justiça agir. Isso é o cúmulo do absurdo. Canalhisse grande. E uma apatia dos cidadãos.

  3. Marcelo disse:

    ……. Pronto com essa agora é que luladrão vai sair rapidinho da cadeia…. Procurador (procure)….. Que Acha…..
    Fica a dica

Novo juiz da Lava Jato no Paraná comanda a primeira audiência da operação

Luiz Antônio Bonat deve conduzir as primeiras audiências como responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância — Foto: Nathan D’Ornelas/Divulgação

O juiz federal Luiz Antônio Bonat, que assumiu o comando dos processos da Lava Jato em 1ª instância, no Paraná, deve comandar a primeira audiência referente à operação na tarde desta quinta-feira (7).

Por videoconferência, a partir das 14h, ele deve ouvir testemunhas de acusação sobre a 56ª fase da Lava Jato, que apura superfaturamento na construção de uma sede da Petrobras em Salvador. O processo está em fase de audiências de instrução.

Réus

Quarenta e duas pessoas são rés nesta ação penal, respondendo por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, desvios de recursos de instituição financeira e organização criminosa.

O ex-executivo da construtora OAS, José Aldemário Pinheiro Filho – conhecido como Léo Pinheiro –, o ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht, o ex-tesoureiro do PT João Vacari Neto, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o ex-executivo da OAS Agenor Franklin Magalhães Medeiros estão entre os réus. Eles, inclusive, já foram condenados em outros processos da Lava Jato.

O G1 tenta contato com as defesas dos réus citados na reportagem.

Testemunhas

Entre as testemunhas a serem ouvidas nesta quinta-feira, estão o doleiro Alberto Youssef, o empreiteiro Ricardo Pessoa e Fernando Migliaccio, ex-diretor da Odebrecht. Eles devem prestar depoimento em São Paulo ao juiz, que acompanhará em Curitiba.

Bonat

Bonat ocupa a vaga na 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná, após a saída de Sérgio Moro, que assumiu o cargo de ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro.

A juíza Gabriela Hardt, que estava comandando as ações penais da Lava Jato desde a saída de Moro, volta a ser substituta.

Torre Pituba

A 56ª fase da Lava Jato prendeu 19 pessoas, em novembro do ano passado. A operação foi deflagrada em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia. Os presos foram encaminhados à Curitiba.

O nome da sede da Petrobras, em Salvador, onde foram realizadas as obras investigadas, é Torre Pituba. As construtoras OAS e Odebrecht, investigadas também em outras fases da Lava Jato são as responsáveis pela construção do prédio.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), as duas empreiteiras distribuíram vantagens indevidas de, pelo menos, R$ 68.295.866.

Os valores representam quase 10% do valor da obra e, conforme o Ministério Público Federal, eram pagos indevidamente para agentes públicos da Petrobras, do PT e dirigentes da Petros.

Ainda conforme o MPF, o esquema de contratações fraudulentas e pagamentos de vantagens indevidas ocorreu entre 2009 a 2016.

G1

 

Lava-Jato identifica contatos de Aloysio Nunes com Gilmar Mendes e pede suspeição do ministro

A Lava Jato encaminhou à PGR pedido de suspeição do ministro Gilmar Mendes nas investigações envolvendo Paulo Preto e o ex-senador Aloysio Nunes Ferreira.

No ofício encaminhado a Raquel Dodge, a força-tarefa anexou extratos de ligações e mensagens trocadas por Aloysio com o ex-ministro Raul Jungmann e menções a contatos feitos com Gilmar, justamente quando o ministro analisava habeas corpus sigiloso impetrado pela defesa de Paulo Preto.

Na sequência de conversas, primeiro o advogado José Roberto Santoro pergunta a Aloysio Nunes: “Caríssimo vc falou com nosso amigo ?”. O ex-senador responde: Falei.

O Antagonista

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. judson silva disse:

    finalmente, pensei que nunca iam pegar GM, agora duvido é ele ser preso!

  2. Brasil! disse:

    Lembro-me dos leilões. Leva quem pagar mais.

EDUCAÇÃO. QUAL O DESTINO DOS BILHÕES? “Dados iniciais revelam indícios muito fortes que a máquina está sendo usada para manutenção de algo que não interessa ao Brasil”, destaca Bolsonaro, confirmando Lava-Jato na área

Presidente questionou nesta segunda-feira(04) a forma que os bilhões anuais vêm sendo implantados no sistema de educação no país, e confirmou o trabalho da Lava-Jato da área para investigar o que classificou de “algo de muito errado acontecendo”.

Bolsonaro destaco que o “Brasil gasta mais em educação em relação ao PIB que a média de países desenvolvidos”, e indagou todo o investimento diante de resultados inexpressivos, fazendo o país ocupar as últimas posições no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. disse:

    É um oceano de dinheiro pra uma péssima edução em todo os níveis,principalmete nas Universidades Federais como nesses Institutos Federais,tem que haver uma severa fiscalização cCOM URGÊNCIA ,Parabéns Presidente!!!!!!

  2. paulo martins disse:

    Tomara que comece logo a "cepeí" da Pátria Educadora! Desde os primórdios da era petralha que o Ministério da Educação transformou-se no maior valhacouto comuno-socialista de Pindorama. O enredo é primoroso, oferece pano pras mangas.

  3. judson silva disse:

    é isso mesmo, todo mundo que passou pelo IFRN e UFRN sabe que o roubo é grande, principalmente nos campus do interior. Tomara que façam uma limpeza mesmo, vai sobrar muito mais dinheiro para uma educação de qualidade.

  4. João disse:

    Faltou ele destacar quanto o governo gasta por aluno (é uma vergonha). Bem menos que um país de 1° mundo. O Brasil é muito maior que um país europeu, por isso um volume bem superior. Não estou defendendo direita ou esquerda, o que precisamos é de um grande investimento em infraestrutura e formação continuada de nossos professores. Além disso, a família tem que participar efetivamente da educação. O problema maior é que os pais não cobram da escola e dos seus filhos, muitas vez não comparecem sequer nas reuniões da escola.

  5. palocha disse:

    Presidente tosco! E nada do governo iniciar. País parado. Uma tragédia!

  6. Ricardo Carvalho disse:

    Eis o legado da Pátria educadora do PT:

    O Pisa é um programa internacional que avalia sistemas educacionais em 70 países, incluindo o Brasil. Nessa avaliação, examina o desempenho de estudantes na faixa-etária dos 15 anos, idade média do término da escolaridade básica obrigatória na maioria das nações. O indicador é desenvolvido e coordenado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

    As questões importantes que deseja saber: a) Se os estudantes estão preparados para os desafios do futuro; b) Se os alunos conseguem refletir, argumentar e se comunicar com eficiência; c) Se os estudantes têm capacidade de continuar aprendendo por toda a vida. Essas são algumas das questões que o Pisa (Programme for International Student Assessment), programa de avaliação internacional de estudantes, em tradução livre para o Português, pretende responder.

    O Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) é hoje o principal exame para medir a qualidade da educação no mundo. As provas são aplicadas a cada três anos, desde 2000. Os resultados de 2017, a última edição realizada, mostraram o Brasil em uma situação delicada: no 63º lugar entre 70 países, ganhando apenas de Macedônia, Tunísia, Kosovo, Argélia e República Dominicana.

    Por esse ranking, o Brasil fica em penúltimo lugar em Matemática e Ciências – perdendo apenas para a República Dominicana – e alcança seu melhor resultado em leitura, com o antepenúltimo lugar, à frente apenas do Peru e da República Dominicana.

    Os estudantes não sabem o básico. Mais de 70% dos alunos brasileiros entre 15 e 16 anos não alcançam nem sequer o nível básico de proficiência em Matemática, isto é, são incapazes de resolver problemas simples envolvendo números. Segundo o relatório, são estudantes que não têm conhecimento suficiente para “exercer plenamente sua cidadania”. O escore médio do Brasil, em Matemática, foi de 377, enquanto a média da OCDE ficou em 490. Cerca de 43% dos alunos brasileiros estão abaixo do nível 1 – no qual sequer se especifica habilidades envolvidas, de tão precárias.

    Em Ciências, mais de 56% dos brasileiros entre 15 e 16 anos só conseguem resolver questões de baixa exigência cognitiva. O escore médio nacional é de 401 pontos. A disciplina foi o foco desta edição do Pisa, aprofundando informações sobre motivação, crenças e outras percepções dos jovens no aprendizado. Os resultados demonstram, por exemplo, que 40% dos estudantes brasileiros gostariam de seguir carreira na área de ciência e tecnologia; que metade se diverte e gosta de aprender tópicos científicos e mais de 41% têm ajuda individual do professor nas aulas.

    Para reverter esse quadro até a edição de 2018, o ministro anunciou que a pasta trabalhará em quatro eixos principais: o fortalecimento da alfabetização (prioridade para 2017), a formação de professores, a construção da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a reforma do ensino médio. Mas o fato real é que o Brasil precisa adotar política rígida para aqueles que desejam ser professores. São estes profissionais que preparam todos os outros no mundo inteiro. Saber selecionar e preparar bem os educadores é tarefa urgente ao país.

  7. David disse:

    Tá explicado pq a maioria dos professores são de esquerda.

  8. Felipe Augusto disse:

    De louco o bozo não tem nada. Coloca mil bodes na sala pra desviar a ATENCAO dos escândalos de corrupção que envolvem familiares e ministros. Mas a culpa é do PETÊ e do Lula…

Lava Jato bloqueou mais de R$ 3 bi em bens: veja o que já foi leiloado

Foto: Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal / Divulgação

Umas das formas que Operação Lava Jato tem para recuperar o dinheiro desviado da Petrobras é leiloando os bens dos réus.

Imóveis, automóveis, lancha, relógios e até mesmo vinho já foram a leilão. Os recursos arrecadados com a venda dos bens são depositados em uma conta judicial e podem retornar aos cofres da Petrobras.

O tríplex do Guarujá, responsável pela primeira condenação e prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi arrematado por R$ 2,2 milhões, em maio do ano passado.

A mansão do ex-governador Sérgio Cabral foi vendida no dia 13 de setembro, por R$ 6,4 milhões, valor mínimo estipulado. O imóvel tem 464 metros quadrados de área construída.

Cabral também teve três carros blindados leiloados: um Land Rover Discovery, por R$ 251 mil; um Land Rover Freelander, por R$ 156 mil; e um Hyundai Azera, por R$ 78 mil.

O leilão foi marcado após Cabral e a mulher, Adriana Ancelmo, abrirem mão dos bens para a Justiça em troca de redução de pena.

O primeiro leilão de bens apreendidos da Lava Jato foi do Porsche Cayman branco (2010/2011) da doleira Nelma Mitsue Penasso Kodama. O carro foi arrematado por R$ 206 mil em 2015.

O ex-doleiro Alberto Youssef, que deu início a investigação, teve 81 imóveis doados em 2017, o que somou R$ 8,9 milhões.

Localizados na cidade de Aparecida (SP), os 73 apartamentos do Hotel San Diego Express Aparecida foram leiloados por R$ 8,4 milhões. Nas oito cotas de apartamentos no Hotel Connect Smart, em Salvador, foram arrecadados R$ 450 mil.

José Dirceu também teve imóveis levados a leilão. Um sobrado no bairro da Saúde, na zona sul de São Paulo, foi vendido por R$ 465 mil, metade do valor avaliado pela Justiça.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), só a força-tarefa da Lava Jato no Paraná já bloqueou R$ 3,2 bilhões em bens dos réus.

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justiceiro disse:

    3,2Bilhoes? Aaaaah que isso! Os caras roubam mais de 200 bilhoes e so recuperam isso? Assim eu quero ser injusto e roubar tbm kkkkk sqn