Judiciário

Lava Jato não comprou equipamento de grampo, diz PGR

Foto: Jorge William/ Agência O Globo

De todas as disputas recentes entre a Procuradoria-Geral da República (PGR) e a Força-Tarefa da Lava Jato, uma das mais rumorosas se deu em torno da suspeita de que os procuradores de Curitiba tivessem adquirido aparelhos de interceptação telefônica para montar uma central de grampos ilegais.

A denúncia de que a Lava Jato teria comprado os tais aparelhos foi uma das que motivou a abertura de uma sindicância da Corregedoria-Geral do Ministério Público Federal sobre a operação.

Mas, segundo informações oficiais prestadas pelo vice-procurador da República, Humberto Jacques, via Lei de Acesso à Informação, o único equipamento para interceptações telefônicas já comprado pelo Ministério Público Federal foi adquirido em 2005 e cedido em 2008 à Polícia Federal. Depois disso, não houve nenhuma outra aquisição.

No documento oficial, reproduzido abaixo, “desde 2008 o Ministério Público Federal não usa o seu equipamento guardião adquirido em 2005 para armazenamento e gravação de conversas telefônicas.”

Não há na administração pública outra fonte de recursos para o MP ou a força-tarefa comprarem equipamentos desse tipo.

A informação resolve um mistério que permanece em suspenso desde o fim de junho, quando a subprocuradora Lindôra Araújo, próxima do procurador-geral, Augusto Aras, foi a Curitiba para verificar denúncias de irregularidades no trabalho da Força Tarefa.

Na ocasião, seus assessores informaram aos procuradores que uma das coisas que estavam buscando eram equipamentos do tipo guardião, como é chamado o software usado para interceptação telefônica por órgãos de investigação. A mesma informação foi divulgada em sites jurídicos ligados à PGR.

Além dos equipamentos de gravação, Lindôra também buscava ter acesso aos bancos de dados sigilosos da Lava Jato e verificar se havia mais de mil inquéritos acumulados em Curitiba, como alegou.

Depois disso, três procuradores que assessoravam o gabinete de Aras, em Brasília, pediram demissão.

Em outro protesto, os 14 procuradores da Lava Jato em Curitiba pediram à Corregedoria do MPF que tomasse providências a respeito do que diziam ter sido uma tentativa de copiar bancos de dados sigilosos das investigações de maneira informal e sem apresentar documentos ou justificativas.

A sindicância acabou se transformando depois em um inquérito administrativo para apurar as irregularidades alegadas por Lindôra.

Na época, Aras afirmou em uma live promovida pelo grupo de advogados Prerrogativas que a Força-Tarefa de Curitiba tinha “caixas de segredos”.

O procurador-geral também bateu boca com o subprocurador Nicolao Dino em uma reunião virtual do Conselho Superior do Ministério Público a respeito do caso, e disse que tinha provas do que dizia sobre a Lava Jato. “Estou colecionando essas fake news com as respectivas respostas, para que no final da gestão eu apresente cada fake news, cada resposta, e é muito provável que eu diga de onde saiu cada fake news”, afirmou pouco antes de abandonar a live, irritado.

O inquérito administrativo sobre a Força Tarefa já foi concluído, mas continua sigiloso.

A coluna apurou que uma das constatações da investigação foi que, a pedido da Lava Jato, a Procuradoria da República no Paraná comprou um aparelho para gravar conversas de ligações feitas nos ramais da Força Tarefa, mas esse equipamento não era capaz de interceptar ligações telefônicas.

O pleito inicial da procuradoria havia sido o de comprar três equipamentos, para atender a todos os procuradores da República do estado do Paraná. Mas, por falta de recursos, apenas um foi comprado. Isso explica por que os assessores de Lindôra chegaram a Curitiba procurando “três guardiões”.

As informações sobre o guardião prestadas agora à coluna pela PGR são uma resposta a um pedido feito em julho de 2020, quando se deu a crise entre Aras e a Lava Jato.

Na ocasião, questionei à administração do MP quantos aparelhos do tipo guardião haviam sido adquiridos pela instituição desde 2014 (data de abertura da Lava Jato) e onde estavam alocados.

Houve uma primeira negativa, em setembro, que a PGR justificou alegando sigilo das informações. O recurso, argumentando que sigilosas são as investigações e não o uso do dinheiro público na compra dos equipamentos, foi acolhido no final de março passado.

Segundo documento obtido pela Lei de Acesso à Informação, MPF não usa seu equipamento guardião para armazenamento e gravação de escutas telefônicas desde 2008 | Reprodução

Malu Gaspar – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Em quem nós podemos acreditar, neste Ministro do STF é melhor acreditar em Beira Mar e Cartola, pq sabemos que eles são bandidos e não cidadãos como se declarao.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Juiz de Curitiba interrompe envio de dois processos de Lula na Lava Jato ao DF após suspeição de Moro

Foto: Giuliano Gomes/PR Press

O juiz titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, Luiz Antonio Bonat, decidiu interromper o envio de dois processos que investigam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no âmbito da operação da Lava Jato, ao Distrito Federal.

Um ofício, expedido na noite de terça-feira (23), determinou a suspensão do envio de dois processos que apuram supostas irregularidades na compra do terreno para a construção do Instituto Lula e doações ao órgão.

O envio dos processo ao Distrito Federal foi determinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, em 8 de março. À época, o ministro declarou incompetência da Justiça Federal do Paraná para julgar quatro processos de Lula.

Bonat chegou a determinar o envio dos processos ao DF, mas interrompeu a remessa após o STF declarar, na terça-feira, que o ex-juiz federal Sergio Moro foi parcial ao condenar Lula no processo do triplex do Guarujá.

De acordo com o juiz federal, a decisão da Segunda Turma do STF quanto a suspeição de Moro prejudica o envio dos processos determinado pelo ministro Edson Fachin.

Bonat citou na decisão que aguarda comunicação oficial para tomar outras providências. Enquanto isso, interrompeu o envio dos autos.

O G1 tenta localizar a defesa do ex-presidente Lula.

Suspeição de Moro

Por três votos a dois, a Segunda Turma do STF declarou que Moro agiu com parcialidade ao condenar o ex-presidente Lula no caso do triplex do Guarujá.

A sentença já havia sido anulada pelo ministro Edson Fachin, quando declarou incompetência da Justiça Federal do Paraná para julgar o caso.

Com a decisão de terça, todo o processo do triplex foi anulado. Sendo assim, a ação precisará ser retomada da estaca zero. As provas colhidas serão anuladas e não poderão ser usadas em um eventual novo julgamento.

Decisão de Fachin

A decisão do ministro Edson Fachin que anulou quatro processos de Lula na Lava Jato no Paraná atendeu a um pedido de habeas corpus feito pala defesa do ex-presidente, em novembro de 2020. Com a decisão, Lula recuperou os direitos políticos e voltou a ser elegível.

Segundo o ministro, a 13ª Vara Federal de Curitiba, cujo titular na ocasião das condenações era o ex-juiz federal Sergio Moro, não era o “juiz natural” dos casos.

O ministro determinou que sejam remetidos do Paraná para Brasília as seguintes ações:

Triplex do Guarujá: nesta ação, Lula foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, em julho de 2017. A condenação levou o ex-presidente a ficar preso por 580 dias. No mesmo processo ele foi absolvido das acusações de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o armazenamento de acervo presidencial;

Sítio de Atibaia: Lula foi condenado, no processo, em fevereiro de 2019, sob acusação de recebimento de propina. Nesta ação, o ex-presidente foi absolvido da acusação de lavagem de dinheiro envolvendo a ocultação e dissimulação de valores utilizados no custeio por um amigo de Lula nas reformas feitas no sítio.

Doações ao Instituto Lula: o ex-presidente responde a duas ações referentes ao caso. Em ambos, não há sentença da Justiça Federal em 1ª instância.

Com a decisão do STF, os processos serão entregues e analisados por um novo juiz, no Distrito Federal. O magistrado terá que analisar e decidir sobre a validade das movimentações dos processos.

Além disso, no habeas corpus, Fachin anulou o recebimento das denúncias feitas pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-presidente. Sendo assim, o novo juiz também vai analisar se Lula deve ser julgado pelos casos.

Caso o juiz sorteado na Vara Federal de Brasília não receba as denúncias formuladas pelo MPF, o ex-presidente pode ser absolvido sumariamente.

G1

Opinião dos leitores

  1. É abominável constatar como tem gente a favor da corrupção e que ainda comemora. Dinheiro roubado do bolso do contribuinte, do trabalhador.
    Certamente, não é dinheiro desviado, roubado daquele que está comemorando.

  2. Vai chegar. Ele deve responder cívil e criminalmente por tudo que fez. Sem falar nos crimes de mesa pátria. Já tem estudos que mostram os bilhões e bilhões de prejuízos que trouxeram ao país. A Carmen Lúcia ainda aliviou pra o moro e o livrou de ser responsável pelo pagamento das custas processuais.

  3. Bem vindos à ditadura do judiciário.
    Um absurdo, onde querem que um bandido seja o mocinho da história.

    1. Quais são os bastidores da decisão da segunda turma?
      Ministro batendo papo com advogado, dando parabéns, chorando?
      Quantos ministros seriam suspeitos para votar?
      Esse Ze Gado defende a corrupção do mensalão e do petrolao .
      O PT usou hackers para invadir smartphones de procuradores.
      Para mostrar que Moro conversava com procuradores .
      Falar com procuradores é crime e hackear smartphone não?
      O hacker também acessou conversas de ministros.
      O povo quer acesso a essas conversas..
      Pau que dá em Chico bate em Francisco.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

STF retoma nesta terça-feira julgamento que pode autorizar empreiteiras investigadas na Lava-Jato a participarem de licitações

Operação da Policia Federal Lava Jato para prender o advogado Nythalmar Dias Ferreira Filho, advogado de réus famosos da Lava-Jato Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) retoma nesta terça-feira um julgamento que pode liberar empreiteiras investigadas na Lava-Jato a participar de licitações.

Serão analisados recursos das construtoras Andrade Gutierrez, Artec, UTC Engenharia e Queiroz Galvão contra decisões do Tribunal de Contas da União (TCU) que as impediram de fazer contratos com a administração pública em razão de fraudes licitatórias, a maioria relativa a superfaturamento nas obras da Usina de Angra 3.

Os advogados alegam que a sanção esvaziaria acordos de leniência firmados com órgãos públicos federais e com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O julgamento começou em maio do ano passado, com os votos do relator, Gilmar Mendes, e de Edson Fachin. Ainda faltam votar os ministros Nunes Marques, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia.

Em 2018 e 2019, Gilmar concedeu liminares para suspender a sanção do TCU até o julgamento final dos recursos das empreiteiras pelo STF. No ano passado, o ministro votou pela confirmação das liminares. Para ele, o TCU não pode impedir os acordos de leniência, porque isso configuraria comprometimento da segurança jurídica e violação da garantia de transparência e previsibilidade de atos do poder público.

Segundo o relator, é preciso conceder incentivos para a realização de acordos, para que as empresas contribuam com as investigações. Ele ressaltou que toda a administração pública deve agir de forma coordenada. Ainda no voto dado no ano passado, Gilmar ponderou que é importante o funcionamento das empresas, com a reparação dos danos causados e o pagamento das multas aplicadas.

O ministro também afirmou que, nas decisões, o TCU extrapolou suas atribuições e usou provas emprestadas de outros processos, sem assegurar às empresas o contraditório e a ampla defesa antes de impedi-las de contratar com o poder público.

Fachin divergiu parcialmente e concordou com o relator apenas em relação à Andrade Gutierrez. Ele afirmou que, nesse caso, o acordo de leniência firmado entre a empreiteira e o Ministério Público Federal é anterior à decisão do TCU e, portanto, deve ser legitimado.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Alguém ainda tem dúvidas que o STF, vai liberar as empresas corruptas para participar de licitações ?
    Nosso supremo é uma vergonha.

    1. Vamos explicar pra ver se o ASNO (Calígula) entende: As empresas não corrompem ninguém…quem corrompe e é corrompido são os gestores…então, pq punir as empresas(e seus empregados, que são demitidos) e não apenas os gestores e administradores?
      Cadeia nos corruptos e deixem as empresas gerando empregos e renda…

    2. Pedro parece que vc é que é o asno na história. Existem dois tipos de corrupção ativa e passiva. As penas são iguais, só como informação viu. Se a empresa quebrou por má gestão, outra assume.

  2. Se já soltaram o chefe da quadrilha, o LULADRAO, isso aí seria questão de tempo. Depois irão pedir a devolução do dinheiro roubado com juros multa e correção monetária.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PGR recorre de decisão que anulou condenações de Lula na Lava Jato

Foto: Reprodução/Montagem

A Procuradoria-Geral da República recorreu da decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela Justiça Federal do Paraná em investigações da Lava Jato. A PGR pediu que os processos permaneçam na Justiça Federal do Paraná e que sejam mantidas as condenações.

Com isso, o caso deve ser levado para julgamento no plenário do Supremo. Ainda não há data para que isso ocorra. Agora, cabe a Fachin, que é o relator, liberar o processo para análise. O presidente do STF, Luiz Fux, já indicou que dará celeridade ao julgamento.

Na segunda-feira (8), Fachin anulou, em uma decisão individual, todas as condenações impostas pela Justiça Federal do Paraná ao ex-presidente Lula no âmbito da Lava Jato. Em consequência disso, Lula recuperou os direitos políticos e se tornou elegível. O ministro determinou que as ações sejam remetidas para Justiça Federal do DF, a quem cabe analisar se é possível aproveitar provas.

O ministro Fachin baseou a decisão no entendimento que o STF teve em outros casos, relativos a diferentes partidos, para concluir que a Justiça de Curitiba não tinha competência para julgar os casos, porque não havia relação direta apenas com os desvios de recursos da Petrobras (alvo da Lava Jato), mas também com outros órgãos da administração pública.

O recurso é assinado pela subprocuradora Lindôra Araújo, coordenadora da Lava Jato na PGR. Ela apresenta duas estratégias. A primeira é manter na Justiça Federal do Paraná os processos do Lula e, com isso, preservar as condenações, o que deixa o petista inelegível.

A outra é que, caso o Supremo mantenha as anulações, sejam preservados os atos tomados nos processos antes do entendimento do ministro. Na prática, isso também manteria Lula inelegível.

Argumentos da PGR

No documento, a subprocuradora argumenta que a jurisprudência do STF em relação à competência da 13ª Vara Federal em Curitiba é a de que cabe a esta instância judicial analisar tanto os crimes cometidos diretamente contra a Petrobras quanto casos conexos. Segundo o MP, a ação penal relativa ao triplex tem relação com os crimes praticados contra a Petrobras.

“O apartamento triplex concedido a Luiz Inácio Lula da Silva, assim como outras vantagens destinadas ao ex-presidente e apuradas em ações penais próprias, consistiu em retribuição pela sua atuação de modo a garantir o funcionamento do esquema que lesou a Petrobras, uma contraprestação não específica pelas contratações de obras públicas ilicitamente direcionadas da Petrobras, em ambiente cartelizado, às empresas do Grupo OAS”, escreveu Lindôra.

A PGR sustenta ainda que, no caso do triplex, é “indubitável” a competência da Justiça Federal de Curitiba.

Em relação aos outros três processos – sítio de Atibaia, a compra de um terreno para a nova sede do Instituto Lula e as doações da Odebrecht para a mesma instituição – , o MP também vê relação com o esquema que atuou contra a Petrobras.

“Os fatos ilícitos versados nas referidas ações penais estão, a toda evidência, associados diretamente ao esquema criminoso de corrupção e de lavagem de dinheiro investigado no contexto da ‘Operação Lava Jato’ e que lesou diretamente os cofres da Petrobras”, diz o recurso.

“Em conclusão, entende este órgão ministerial que os referidos feitos, por terem por objeto crimes praticados no âmbito do esquema criminoso que vitimou a Petrobras, estão inseridos no contexto da chamada “Operação Lava Jato” e, por tal razão, com acerto, tramitaram perante o Juízo da 13ª Vara Federal da Seção Judiciária do Paraná”, concluiu a PGR.

Decisão de Fachin

A decisão anulou as quatro ações envolvendo o ex-presidente na 13ª Vara Federal em Curitiba, que concentra todos os casos ligados ao esquema de corrupção da Petrobras.

Uma das ações é sobre o tríplex do Guarujá, a primeira condenação de Lula, em julho de 2017. O então juiz Sergio Moro condenou o ex-presidente a nove anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. De acordo com a Lava Jato, a OAS pagou propina a Lula por meio de reservar e reforma do triplex.

Em contrapartida, segundo as investigações, a empreiteira teria sido favorecida em contratos na Petrobras. Essa condenação foi confirmada em segunda e terceira instâncias e levou o ex-presidente a ficar preso em Curitiba por 580 dias, até que o Supremo decidiu que só deve ser preso o réu condenado em última instância, sem chance de recurso.

Fachin também anulou a condenação no caso do sítio de Atibaia, proferida pela juíza substituta Gabriela Hardt em fevereiro de 2019 e confirmada em segunda instância. Ele foi acusado de receber propina da OAS e Odebrecht por melhorias no sítio que usava em fins de semana.

As outras duas ações anuladas ainda não tinham sentenças em primeira instância.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Esse rato barbudo tem que voltar pra ratoeira, de onde nao deveria ter saído. Como o juiz que o julgou é indicação de luladrao, uma mão lava outra.

  2. Eu não entendo a Justiça do BRASIL . ( , 10 11, ) quando vão condenar é um monte de gente. É primeira instancia, segunda, instancia , terceira, quarta, parece caixa de marcha do fusca. Para livrar esse ladrão não tem instancia, não tem caixa de marcha , é só um bigodudo falso e o barbudo já está ´livre. ESSE é O PAÍS DA SACANAGEMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM

    1. A justiça pode inocentar esse ladrão, o povo não. Quem viver verá

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Gilmar acusa Lava Jato de promover ‘massacre’ de ministro potiguar do STJ, Marcelo Navarro

Foto: Reprodução STJ

Em 2016, em sua delação premiada, o ex-senador petista Delcídio do Amaral afirmou que ele foi nomeado por Dilma Rousseff, no ano anterior, sob o compromisso de conceder liberdade a donos de empreiteiras presos na Lava Jato.

Na época, ele negou e disse que nunca concedeu habeas corpus de forma monocrática em favor deles. Após a delação, no entanto, ele deixou a relatoria dos processos da Lava Jato no STJ.

No voto hoje, Gilmar Mendes disse que Ribeiro Dantas “sofreu um grande massacre a partir das ações dos procuradores”.

“É um caso de estudo. Os magistrados que eventualmente concedessem habeas corpus corriam risco de serrem massacrados nesse conúbio vergonhoso que se estabeleceu entre a mídia e os procuradores e o juiz”, afirmou.

Justiça Potiguar, com O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Forja provas por acreditar que uma pessoa é culpada ou por interesse obscuro é um crime terrível, pois nesse caso não se sabe quem é culpado ou inocente, não se pode condenar alguém quando se existe dúvidas, pois existe a possibilidade de um inocente perder a liberdade… isso não é justiça.

  2. Exatamente! Atitudes marginais contra o Ministro Marcelo Navarro! Pessoa com a reputação extremamente ilibada, teve contra si, mentiras espalhadas por alguns mal elementos da lava jato. Quem foi mais marginal, acusados ou acusadores?

    1. As pessoas deveriam estudar mais os fatos para não falar besteiras. Foi sim nomeado pela presidente Dilma para o STJ. Atuou no julgamento de Marcelo Odebretch como relator e votou favorável ao HC do mesmo , acontece que foi voto vencido , por isso não houve repercussão , mas o Senador Delcidio Amaral confirmou a verdade do motivo da nomeação .
      Papai Noel existe !!!!!!!!!!!!!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Gilmar Mendes: o que se fala da Lava Jato do Rio, de Marcelo Bretas, é “de corar frade de pedra”

Foto: Reprodução

Na sessão do Supremo Tribunal Federal que julga a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro nos casos de julgamento do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, o ministro Gilmar Mendes alegou que a Justiça Federal vive uma “imensa crise” e que havia, ali, a oportunidade de ser realizada uma reformulação.

Ainda durante sua fala, o ministro atrelou a crise na justiça ao “fenômeno de Curitiba” ao nacionalizar os julgamentos e se tornar um “juiz universal”.

Após tecer suas críticas, Gilmar Mendes citou a 7ª Vara do Rio de Janeiro, que tem como juiz Marcelo Bretas, e disse “não entender como esse escândalo não veio à tona”, ainda mais “é de fora frade de pedra”.

Justiça Potiguar com Último Segundo

Opinião dos leitores

    1. Só não tem para andar no meio do povo. Precisa ir para Portugal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Cármen Lúcia mandou decisão judicial de soltar Lula ser descumprida, dizem procuradores da Lava Jato em diálogos

Foto: Carlos Alves Moura/SCO/STF

Diálogos enviados pela defesa do ex-presidente Lula ao STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quinta (4) mostram os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato discutindo como evitar que o petista saísse da prisão por meio de habeas corpus concedido pela Justiça em 2018.

No dia 8 de julho daquele ano, um domingo, o desembargador Rogério Favreto, do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), atendeu a um pedido de advogados e determinou que Lula fosse solto.

Ele argumentou que o petista, embora condenado a mais de 12 anos de prisão, não tinha os direitos políticos cassados e por isso poderia fazer campanha eleitoral. Estaria ainda sendo submetido a constrangimento ilegal porque sua sentença ainda não tinha transitado em julgado. Favreto estava no plantão naquele dia.

A notícia foi recebida como uma bomba nos meios jurídicos e deu início a uma movimentação intensa dos procuradores e de magistrados para que a liberdade de Lula fosse evitada. Os diálogos revelam os bastidores das iniciativas tomadas por eles.

O desafio, naquele momento, era ganhar tempo até que a ordem de Favreto fosse revertida.

Por isso, a Polícia Federal foi orientada a descumprir a determinação do magistrado, mostram as conversas. E, de fato, a PF não soltou o ex-presidente.

O primeiro a se manifestar contra a soltura foi o então juiz Sergio Moro, que, embora de férias, deu um despacho afirmando que Favreto era autoridade “absolutamente incompetente” para se sobrepor à ordem de prisão, proferida pela 8ª Turma do TRF-4.

O desembargador Favreto derrubou o despacho de Moro e deu uma hora para que sua decisão fosse cumprida pela PF.

O desembargador João Pedro Gebran Neto, que relatava o processo de Lula no TRF-4, teria entrado no circuito para orientar a PF a manter Lula na prisão.

Nos diálogos, analisados pelo perito Cláudio Wagner e enviados ao STF pelo escritório Teixeira Zanin Martins Advogados, o procurador Deltan Dallagnol escreve aos colegas: “Orientação do Gebran è que a PF solte se não vier decisão do presidente do TRF” [a grafia foi mantida na forma original].

Dallagnol afirma ainda que ele mesmo tinha entrado em contato com os policiais: “Pedi pra PF segurar, mas predicávamos deneto dessa 1h ter sinal positivo. Pq eu dizer e nada não muda muito qdo tem ordem judicial”.

O procurador ainda afirma que “Moro tb não tem mais o que fazer​ “.

Matéria completa AQUI no Justiça Potiguar.

 

Opinião dos leitores

  1. Esses jornalistas do PT querem livrar Lula é? é tão simples, mostrem pro Brasil e para o mundo que ele não roubou.

  2. O STF e seus ministros foram usados covardemente pelos procuradores de Curitiba e o ex-juiz Sérgio Moro.

    1. Estão tentando prender a polícia e endeusar bandido.
      Quem paga os advogados de Lula, jatinhos?
      Existe alguma mensagem com esse desembargador que soltou?
      Será que ele é do PT?

  3. Frases que se correlacionam:

    "Acordo nacionalc om o supremo, com tudo." – Romero Jucá(mai 2015)
    "O supremo está acovardado"
    Lula da Silva(mar 2016)
    "Vai estar nos livros de história como 1 juiz que se corrompeu, como 1 juiz ladrão. É isso que vai estar nos livros de história”
    Glauber Braga(jul 2019)

    1. Zumbi enlouquecido dia e noite a serviço da seita…
      Décadas de lavagem cerebral nas universidades…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Para 57%, condenações de Lula na Lava-Jato foram justas

Foto: Nelson Almeida/AFP

Estudo realizado pelo Paraná Pesquisas aponta que mais da metade da população brasileira acredita que a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi justa. Essa é a opinião de 57% das pessoas ouvidas pelo instituto.

Ainda segundo a pesquisa, para 37,6% dos entrevistados a condenação do petista foi injusta.

Outros 5,4% não souberam ou preferiram não opinar.

Daqueles que acreditam que a condenação do ex-presidente foi justa, a maioria são homens representados por 59,5% das respostas. Seguidos por pessoas de 35 a 44 anos (59,5%); os que têm ensino superior (63%) e moradores do Sul do Brasil (63,8%).

Já no caso da condenação injusta, a maioria são mulheres representadas por 38,2% das respostas. Seguidas por pessoas de 60 anos ou mais (41,8%); os que estudaram até o ensino fundamental (43,3%) e moradores do Nordeste do país (47,9%).

Condenação

Lula foi condenado em duas ações penais decorrentes da operação Lava Jato.

Em 2017, foi condenado pelo então juiz federal Sergio Moro por conta do processo que investigou o tríplex no Guarujá (SP).

Em 2019, foi novamente condenado na 1ª Instância da Justiça Federal pelo caso do sítio de Atibaia.

Pesquisa

Para a realização da pesquisa foi utilizada uma amostra de 2.264 habitantes, sendo esta estratificada segundo sexo, faixa etária, escolaridade, nível econômico e posição geográfica.

O trabalho de levantamento dos dados foi feito por meio de entrevistas pessoais telefônicas com habitantes com 16 anos ou mais em 26 Estados e Distrito Federal e em 200 municípios brasileiros, de 16 a 19 de fevereiro de 2021.

A margem de erro é estimada em 2 pontos percentuais e o grau de confiança do estudo é de 95%.

Estado de Minas

 

Opinião dos leitores

  1. Bandido tem que ser condenado mesmo, era para morrer trancafiado numa cela de presídio federal, pois estruturou a maior quadrilha de ladrões que opera até hoje no País.

  2. No mundo tem imbecil e doido para tudo, inclusive ter coragem para defender ladrão, se revoltar com um é normal, com um, depois três e o mundo todo é burrice ou esperança de viver da roubalheira.

  3. SÓ NUM PAÍS COMO O NOSSO, UM CABRA DESSE APARECE NOS BLOGS, E NA IMPRENSA, RECLAMANDO O FALANDO ALGUNS PREETENÇÕES DE INTERESSE PROPRIO. FOI OU NÃO FOI CONDENADO PELA JUSTIÇA, FEZ OU NÃO FEZ, O QUE FOI APURADO, E AINDA TEM NEGO AI SEGUIDO A FIGURA .

  4. A justiça cometeu um erro grave, porém esperado, compactua com ladrão e os solta ex: solto LULADRAO.

  5. Para mim, 100% das condenações são injustas.
    Mas Deus não dorme e o bom, é que o dia de amanhã chega para todos.

  6. Acho que essa pesquisa foi feita dentro dos diretórios do PT.
    Onde que apenas 57% dos brasileiros acham que as condenações do ex presidente foram justas?
    Subtraíram aí, por baixo uns 23% que acham justas as condenações. Mas a esquerdalha pode acreditar na pesquisa, o sofrimento é menor.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: “Quero ser deputado”, diz hacker que vazou conversas da Lava Jato

Walter Delgatti Netto ganhou notoriedade ao ser preso em julho de 2019 por ter invadido o Telegram da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba e vazado mensagens trocadas entre procuradores e o então juiz Sergio Moro.

Em entrevista exclusiva a VEJA, ele fala como é a sua vida com tornozeleira e sem internet e a pretensão de entrar para a política.

Opinião dos leitores

  1. Faz muito bem. Vai se sentir em casa rodeado de ladrões, corruptos, pilantras, vagabundos, canalhas, etc. Esse nojento tem sorte de não estar num país sério.

  2. HACKER, SERVE É BOM PARA SER DEPUTADO, SE APARECER PROBLEMAS NA INFORMATICA ELE TIRA DE LETRA. E MELHOR AINDA SE JÁ PUXOU CADEIA.

  3. Roubou aqui no país, tem vez. Veja o caso de luladrao, o maior ladrão do mundo e foi presidente, pior, quer voltar novamente .

  4. Kkkkkkkkkk. Ele vai se sentir em casa assim, no meio dos parças! E periga ter mais esse bandido eleito na Câmara de deputados viu!

  5. Se tivesse invadido as entranhas dos governos petralhas, o mundo sentiria um odor insuportável de podridão, no entanto optou em invadir o lado positivo do Brasil, desde a República. Mesmo assim o que encontrou foi indivíduos probos, preocupados em defender o patrimônio financeiro do país, e enquadrar os criminosos aos rigores das leis, na verdade as leis pra combater a corrupção são cheias de brechas pra deixar escapar os corruptos, isso decorre dos legisladores do congresso serem na sua grande maioria, criminosos corruptos, logo legisla em causa própria, ou seja Sempre deixando uma brecha pra se safar; Entretanto a lava jato trabalhou com afinco e de precisão cirúrgica na movimentação processual, e assim não deixou que essa quadrilha escapasse da punibilidade da lei. Parabéns a lava jato, desbaratou o maior crime de corrupção que a humanidade tem notícias no mundo.

  6. PT , PSDB, PDT e PSOL, ele deve se encaixar em um desses partidos. Ou pode ir para o PSOLkids (MBL), fazer trio com Kim e Mamãe falei.

    Que decadência

    1. Esse sempre está do lado da escória desse país, luladrão e delgatt são sempre seu sonho de consumo e inspiração, por isso tem tanta credibilidade. Rsrsrs

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Barroso afirma que ‘eventuais excessos’ da Lava-Jato não podem desviar o foco de ‘corrupção sistêmica’ no Brasil

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso afirmou que “eventuais excessos” da Operação Lava-Jato, revelados nos supostos diálogos entre procuradores obtidos após um ataque hacker, não podem desviar o foco do combate a uma “corrupção sistêmica” que existe no Brasil.

Em uma entrevista ao historiador Marco Antonio Villa, exibida no último sábado, Barroso citou existir em curso uma “operação abafa” por meio da aliança de todos os setores para enterrar as ações de combate à corrupção.

— Não é esse o ponto, alguém ter dito uma frase inconveniente ou não. É que estão usando esse fundamento pra tentar destruir tudo que foi feito, como se não tivesse havido corrupção. O problema do Brasil foi a Lava-Jato e os seus eventuais excessos, não foi a corrupção — ironizou o ministro.

Barroso citou que um ex-gerente da Petrobras devolveu mais de R$ 100 milhões de propina desviada dos cofres da estatal e lembrou a apreensão de R$ 51 milhões em dinheiro vivo em um apartamento ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB), dentre outros casos apurados na Lava-Jato. Citou também a existência de agentes públicos desviando recursos da saúde que deveriam ser usados no combate à pandemia.

—Então é claro que se tiver um excesso, ele deve ser objeto de atenção. Mas é preciso não perder o foco. O problema não é ter tido exagero aqui ou ali. O problema é esta corrupção estrutural, sistêmica, institucionalizada, que não começou com uma pessoa ou um partido, vem de um processo acumulativo que um dia transbordou. E o que a gente assiste hoje é a tentativa de sequestrar a narrativa como se isso não tivesse acontecido — afirmou o ministro.

— E um dos problemas é que no andar de cima no Brasil quase todo mundo tem um parente, um amigo, um parceiro que esteve envolvido com alguma coisa errada. E aí se forma um arco de alianças. O Brasil está polarizado de norte a sul, só há um consenso: varrer a corrupção pra baixo do tapete — concluiu.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Certíssimo!

    O fato da lava-jato ter sido um circo partidário montado com auxílio estrangeiro tendo como único foco a corrupção de um único partido não deve ser tirado de foco que ainda é preciso um combate expressivo à corrupção no Brasil.

    O que foi feito na Lava-Jato deveria ter sido feito em todos os outros partidos do Brasil. Mas resolveram que o pau que bate em chico fosse jogado no fogo…

    Lembrando que Bolsonaro era do PP, o partido com mais condenados pela Lava-Jato.

    1. Você está errado! A lava jato teve a competência sobre crimes relacionados à Petrobras e outros desvios ocorridos no governo do PT e por tabela outros partidos que apoiavam esse governo e eram beneficiados nesse esquema. A lava jato não tinha nem tem competência sobre todos os demais escândalos de corrupção que envolvem outros partidos no Brasil. A corrupção existia antes do PT, durante o PT como Tb existe agora, eh óbvio. Mas se o PSDB, por exemplo, era oposição aos governos do PT, ele não teria como ter sido beneficiado nesse esquema, logo, a lava jato não o investigava. Sem contar a questão do foro privilegiado. Muitos envolvidos no esquema tinham foro privilegiado e a instância jurieciiianada lava jato mandava pro foro competente. Muitos desses processos estão "dormindo" no STF, por exemplo .

  2. Infelizmente ministro o STF faz parte desse arco de aliança que eu prefiro chamar de quadrilha dos três poderes para salvar todos os delinquentes com dinheiro ou poder.

  3. Isso Barroso, o que não pode é querer jogar a culpa toda pra Lula muitos que vc citou aí como gerdel foram 51 milhões e o Lula foi preso por uma relação de corrupção com mais de 40 anos de prisão, aí falar falar que o triplex é de Lula que sua pena cai rã 3 anos e em casa é com direito de gastar o dinheiro que roubou ….du sou a favor se mostrarem uma prova como Lula fazia parte que mostre o dinheiro encontrado na casa dele , não encotraral em todos os outros, agora querer jogar a culpa só em um cara e um partido, não me engana de jeito nenhum……tem gente muito mais sujo que Lula e está aí rindo atoa e curtindo com milhões de corrupção….o filho de temer de q0 anos tem um patrimônio maior que o de Lula será que esse menino é um prodígio.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

“Quero entender como permitimos isso acontecer”, diz Gilmar Mendes, sobre ação que julga ‘parcialidade’ de Moro na Lava Jato

Foto: Carlos Moura/SCO/STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse nessa terça-feira (9), que a ação sobre a parcialidade do ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro pode ser julgada na semana depois do carnaval. A declaração foi dada em entrevista ao portal Jota.

“Estou com a expectativa de julgar isso ainda neste semestre e espero que se realize. Tenho a expectativa que deveríamos julgar esse caso em uma sessão presencial. No plenário por videoconferência há interferências e o debate é difícil. Só que agora estamos vendo que a volta para o plenário está sendo alongado. Estou pensando em julgar isso depois do carnaval”, afirmou.

Segundo Gilmar, são muitos graves as acusações. “Isso tudo indica uma fase do Brasil. A esta altura, quero entender como permitimos isso acontecer. Quanto mais a gente aprofunda, há dois dias parei de ler as coisas e me senti perturbado. São informações desorientadora. É uma avalanche. Quero saber o que fizemos de errado para que institucionalmente produzíssemos isso, um setor que cria sua própria constituição e opera seguindo seus sentimentos de justiça”, disse.

Com CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O Ministro Kassio foi colocado onde está pelo centrão. Ou seremos inocentes de pensar que foi Jair que o colocou lá. Boa parte da quadrilha responde na lava-jato, vai ter que ter alguém no STF prá ajudar. Aguardemos!

  2. Um comentário desse saindo de quem sai, não é para acreditar. GM e todo STF hj tem o intuito de defender só bandido, lealdade ao passa longe.

  3. Grande credibilidade tem esse Gilmar Mendes e a Suprema Corte. Morriam de inveja do Moro . Grandes advogados de partidos políticos e políticos postos lá para continuar a defendê-los . Filhas de ministros da Suprema corte sem experiências nomeadas Pelo PT como desembargadoras , furando a fila literalmente tomando lugar de outros Experientes . E será que tem alguém com 2 neurônios Nesse país que ainda acredita nessa suprema Corte Da vergonha ? Verdadeiro Jogo de cartas marcadas . Esse país está difícil .

  4. Que democracia mequetrefe essa nossa: é feita só de ódio e ignorância. Duvido que os moralistas de plantão sigam as leis em suas vidas pequenas. Duvido que tenham lido meia página da CF. Duvido que atentem que o devido processo legal é um bem coletivo, uma alternativa ao autoritarismo que pode ferrar qualquer um se não for combatido… Triste nação de abestalhados somos nós!

  5. Nem vi essa valentia toda, quando o Min. Gilmar deu uma forcinha ao 01…
    Ficaram todos com os dedinhos quietos.

  6. Pôxa como tem analfabeto comentando aqui no Blog, tbem , 14 anos de PT só aprenderam a mentir e acreditar num jegue ladrão.

  7. Verdade Gilmar Mendes, esse stf nunca condenou uma quadrilha de corruptos no Brasil, isso não era permitido. Entretanto, Moro conseguiu esse feito favorável aos cidadãos brasileiros, mas pelo andar da carruagem, estamos sentindo que pode haver retrocesso nesse avanço, e talvez, mais uma vez, a elite canalha desse país vencerá. A dúvida é se o povo dessa nação permitirá.

  8. STF = Advogados de bandidos, e estão fazendo isso descaradamente, sem a mínima vergonha na cara.

    1. Quais os crimes que ele cometeu?
      Prouni;
      Minha Casa Minha Vida;
      Construção dos IFs;
      Desemprego zero;
      Transformou o país na 6ª economia mundial;
      Etc.
      Escolha

  9. Os Deuses do Olimpo estão indignados com as mensagens roubadas, Será! Ah Se os cigilos do telefones dos ministros do STF vinhece a luz do dia, este pilar da República se desmoronava.

  10. Ainda bem amigo Zumbi, esse Ze saiu avariado, existe tratamento para esse tipo de Noia, ele é aplicado em Cuba, Venezuela, China , e era perversamente aplicado na Alemanha de Hitler. Aqui eles ficam tentando, repetindo o mesmo discurso, com a finalidade de nos deixar iguais, vai morrer disso.

  11. Geografia, assino embaixo. Acrescento o óbvio: Moro e is demais componentes da Lava Jato trabalharam, e muito, pela moralização do Brasil.

  12. Ou meu Deus. Que homem preocupado em fazer as coisas certas!! Que cidadão ímpar! Que exemplo de postura! Ninguém tinha percebido esse caráter ilibado do GM? Acho que agora vai.

  13. Ele deveria tentar entender como ele chegou a ser um ministro do STF porque bandido é para esta na cadeia.

  14. É muito massa, vê um bandido todo impoluto parece até que é serio e honesto. Kkkkkk
    E agora todos os PTralhas aplaudindo ele, muito bonito você vê que o crime compensa.

  15. Em um país sério, esse tal de CALÍGULA não abriria nem a latrina para falar tanta MERDA…

  16. Em um país sério Lula e seu bando já teriam ido para forca.
    E esses ministros do stf destituidos, isso sim.

    1. O Bozo é um dos que quer acabar com a lava jato,mas o gado não querr enxergar……..
      Aliás, o Bozoloide não disse um pio em suas redes spciais imundas…….

    2. Você não salvaria nem o Kassio, escolhido pelo BOZO, que com seu voto contribuiu para o acesso da defesa de Lula à provas roubadas, titia?

  17. Em um país sério, esse juizeco (morinho) e esses "deuses" procuradores de Curitiba, já estariam presos, julgados e condenados.

    1. Sua deformação mental é caso de psiquiatria com remédio controlado, tratamento de choque e uso de camisa de força.

    2. País sério era antes, e pós moro; tempos que não existiam corruptos, e os poucos processados foram inocentados ou os crimes prescritos. Pensei nunca ninguém poderia chegar a essa conclusão, precisava vir de um idiota que todo dia comenta asneiras e miolo de pote nesse blog.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Lava Jato vê risco de ‘anulações em cadeia’ com uso de mensagens roubadas

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Procuradores da Lava Jato enviaram ofícios hoje ao STJ, à PGR e ao CNMP alertando para o “risco real de anulações em cadeia” de condenações da operação, com o uso das mensagens roubadas da força-tarefa.

“A divulgação dirigida das supostas mensagens no presente contexto, ilícitas e sem integridade aferida, para produzir falsas acusações sem base na realidade, faz parte, nos parece, de um evidente plano de comunicação para influenciar o julgamento da alegada suspeição do ex-juiz federal Sergio Moro e anular condenações bastante sólidas, já confirmadas inclusive pelo próprio Superior Tribunal de Justiça , gerando um risco real de anulações em cadeia que coloque por terra o relevante trabalho de todas as instâncias do Poder Judiciário na operação Lava Jato, que permitiu a responsabilização de centenas de criminosos e a recuperação de bilhões de reais”, diz o documento.

Os ofícios foram enviados na véspera do julgamento, na Segunda Turma do STF, da decisão de Ricardo Lewandowski que deu a Lula acesso a todo o material apreendido com hackers presos na Operação Spoofing, que desmantelou o esquema de invasão de celulares de autoridades.

Na semana passada, a defesa do ex-presidente começou a anexar no processo, que é público, partes dos diálogos. Um deles motivou o presidente do STJ, Humberto Martins, a pedir a Augusto Aras investigação sobre uma suposta tentativa dos procuradores de investigar informalmente ministros do tribunal.

Nos ofícios, os procuradores afirmam que é “absolutamente equivocada” a notícia sobre a investigação e que em todas as vezes em que foram encontrados indícios contra autoridades com foro, as autoridades competentes foram devidamente comunicadas.

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Se o juiz fosse honesto, faria seu trabalho e condenaria com base nas provas, sem conluio. Mas preferiu os holofotes, a fama, o poder. Agora perdeu tudo, principalmente a credibilidade.

  2. O MECANISMO é muito forte, e os mega ladrões envolvidos nas investigações da Operação Lava Jato podem se livrar porque o Brasil é o país da impunidade. Esses canalhas, psicopatas ladrões de dinheiro público, são orientados pela fina flor do Garantismo Penal, defensores de bandidos do colarinho branco. Na Itália os corruptos mandaram matar dois juízes e oito policiais. Moro e Dallagnol que se cuidem.

  3. Inversão de valores. Os bandidos sendo "inocentados" e os cumpridores da lei transformados em bandidos. Só no Brasil mesmo.

  4. O mínimo que poderiam fazer, pedir desculpas a Lula.
    Mas o ❤️ do amigo e companheiro Lula não possui tamanho e o sobrenome dele é Perdão.
    A injustiça que fizeram com ele, com Dona Marisa, a morte do seu irmão, a morte do netinho Arthur e esse Homem suportou tudo isso, EU, não tenho dúvidas, Lula é INOCENTE!

    1. Zé gado, qual é o tamanho do teu chifre ? Não entendeu nada da reportagem, deve ser um esquerdopata alienado / cego.

    2. Está menor que a sua?! Você não consegue nem entrar em casa mais, a galhada não deixa. Engancha.

    1. Leia de novo a matéria.
      Tem um trecho aí que fala de recuperação de bilhões.
      *******Se devolveram é porque roubaram.********
      Não se engane, a quadrilha do Petista capitaneado por Lula, roubou e deixaram roubar
      Alguma dúvida?

    1. Você comedor de MERDA , acha que o ladrao do maior roubo da história da humanidade Lula, é inocente??? Todo o dinheiro devolvido e recuperado é tudo MENTIRA??? Você só deve comer MERDA

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Lava Jato pagou R$ 3,8 milhões em diárias e passagens a só 5 procuradores

Da esquerda para a direita, de cima para baixo: os procuradores Antonio Carlos Welter, Januário Paludo, Orlando Martello Jr., Carlos Fernando Lima e Diogo Castor de Mattos. Foto: MPRS/Divulgação/IDL-Reporteros/Divulgação/MPSP

A operação Lava Jato de Curitiba, enterrada nesta semana, gastou R$ 7,5 milhões em diárias e passagens ao longo dos 7 anos que durou. Os dados foram obtidos pelo Poder360 via LAI (Lei de Acesso à Informação). No total, foram pagas 5.864 diárias ao longo desse período.

O valor pode parecer baixo para o tempo de duração da operação. O detalhe, porém, é que R$ 3 milhões foram pagos em diárias a somente 5 procuradores –além dos salários, que estão na faixa de R$ 30.000 por mês.

Além disso, esses mesmos procuradores somaram mais R$ 734.812,03 em passagens –40% do total. Esses valores se referem, em sua maioria, a deslocamentos –e permanência– em Curitiba, que era a base da operação. Esses procuradores foram deslocados de seus Estados de origem para atuar junto à equipe de Deltan Dallagnol. E receberam em paralelo por isso.

RANKING

O procurador que mais recebeu diárias foi Januário Paludo, com R$ 712.113,87 em 699 diárias. A esse valor, somam-se R$ 165.142,75 pagos em passagens, sejam elas aéreas, de ônibus ou pagas para ele usar seu automóvel próprio no deslocamento. Segundo a assessoria de imprensa do MPF (Ministério Público Federal), todos esses gastos foram autorizados pela portaria 41 de 2014.

Na sequência aparecem Antonio Carlos Welter (R$ 667.332,31 em 645,5 diárias e R$ 246.869,51 em passagens) e Orlando Martello Junior (R$ 609.396,56 em 604,5 diárias e R$ 154.147,25 em passagens). O 4º é Diogo Castor de Mattos, R$ 545.114,53 em 596 diárias e R$ 25.054,49 em passagens. E o 5º, Carlos Fernando dos Santos Lima, teve 524 diárias totalizando R$ 505.945,81 e R$ 143.598,03 em passagens. Ele aposentou-se em março de 2019.

Foto: Reprodução/Diário do Poder

ANOMALIA GERENCIAL

Os 5 procuradores que ganharam essa bolada se beneficiaram de uma decisão que dificilmente se vê na iniciativa privada. Eram requisitados de outras cidades para trabalhar na Lava Jato. Muitos nunca se mudaram para Curitiba. Ficaram anos ganhando hotel, roupa lavada, refeições e passagens aéreas.

Foto: Reprodução/Diário do Poder

VIAGENS: EUA E FRANÇA

Foram 49 idas ao exterior, com 13 viagens a cada 1 desses 2 países. A Suíça foi o destino de 6 viagens. Até 2020 foram 2.585 deslocamentos nacionais e internacionais.

FORÇA-TAREFA É ENCERRADA

O MPF anunciou que a operação em Curitiba “deixou de existir” na 2ª feira (1º.fev). Foi incorporada ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). Em quase 7 anos de atuação, foram 79 fases e 278 condenações. Eis a íntegra do anúncio.

A Lava Jato em seu site oficial diz ter recuperado R$ 4,3 bilhões para os cofres públicos.

OUTRO LADO

O MPF do Paraná disse que os gastos estão de acordo com as regras do órgão. É verdade. Mas o MPF não explica por que alguns procuradores passaram anos deslocados, sem se mudar definitivamente para a cidade em que estavam trabalhando.

Poder 360

Opinião dos leitores

  1. Não tem crime nesse fato, se eles são de fora tem direito a passagens e diária, mesmo com o salário de 30mil. Pode ser imortal mais não ilegal .
    Tem de mudar a lei…. pq vc acha quê todo polícial quer ir pra força Nacional… e essa tal.de diária operacional.

    Não é só na lava jato… todo sistema público está assim.

    Na minha opinião deveria mudar a norma.

  2. Muito pouco pelo que fizeram ao BRASIL, podeiram ter investido mais. Isso sim e investimento em combate a corrupção.

  3. Parabéns aos procuradores pelo resultado da missão .
    O sistema venceu ao desmontar essa equipe que abalou a estrutura de corrupção no Brasil.
    A população deveria sair às ruas pedido novas lavajato e o combate à corrupção . Os ptralhas estão conseguindo evitar as investigações .

  4. Custou 0,1% do q recuperou…ô povo burro é esse povo adorador de corrupto e inimigo da operação que mais combateu corrupção na história da humanidade!!!!

  5. Quem tem interesse em acabar com a Lava-Jato? Bolsonaro, o Centrão, o PT e o PSDB. Vocês defensores de corruptos, também…

  6. Esse barulho tem nome.
    Estão querendo tornar sem efeito as sentenças do Moro no caso do maior ladrão do mundo.
    Eles acham que lula tem condições de derrotar Bolsonaro.
    Kkkkkk
    Que venha pra ser desmoralizado nas urnas.

  7. Importante mesmo é saber quanto no total custou a Lava Jato durante o período de sua existência. Certamente, mais que os 4,3 bilhões recuperados. Se assim for, a pergunta que não quer calar é: em todos os processos de produção e derivando para esse caso de investigações, existem perdas, as quais beiram os 30% daquilo que se produz, então, se os 4,3 bilhoes não superar os gastos com a lava jato, teria sido melhor deixar os caras corromper e ser corrompindos. Pelo menos obras teriam sido feitas.

    1. Certamente você não entende nada meu chapa. Os ladroes sendo flagrados, o fruto do roubo recuperado e você diz que o custo foi maior. E que melhor seria deixar roubar? Me arrisco a dizer que você é petista ou bolsonarista.

    2. Jeremias, acredito mesmo é que esse ai tenha de alguma forma participado desses esquemas. Kkkk

  8. Esqueceram propositadamente de colocar os valores recuperados pela operação, mais de QUATRO BILHOES outros tantos em processo de devolução, estanqueidade do roubo e da corrupção pelos envolvidos, condenacao e prisao de mais de uma centena de bandidos de todas as espécies, foi escancarado como funcionava todo o sistema de corrupção, principalmente dentro e utilizando a empresa Petrobrás como suporte, entre tantos outros benefícios para o país, agora isso tem custo, ninguém trabalha de graça tem q pagar os salários, as viagens, as diárias, as refeições……o problema é que querem endemonizar todos os que estavam a procura dos maiores corruptos e bandidos do nosso país, aí vão procurar chifre em cabeça de cavalo, não tem mais vão dizer que sim. Aqui sempre o bandido, o corrupto, o ladrão tem mais direito que a policia, a justiça e o ministério público. Pq será que somos essa merda de pais? Por esses e outros motivos.

  9. R$4,3 BILHÕES RECUPERADOS. Sem mais. 6 anos de trabalho. Jornalismo porco descontextualizando pra criar falsas impressões.

  10. Temos que aprender a diferenciar operação lava jato de lavajatismo. Lavajatismo esse, que o marreco pratica atualmente.

    1. Quadrilha não, desde o Brasil República, foi a única operação que desvendou as entranhas da engrenagem da corrupção nesse país, coisa de mais de um trilhão de reais em desvio, os membros da operação prenderam os envolvidos diretamente, canalhas como ex presidentes, ministros, lideres de governo e partidos, tesoureiros e políticos de todos os partidos, ex governador do psdb de MG, a casta dos maiores conglomerados empresariais do país, gerentes administrativos de autarquias, enfim, os responsáveis por deixar o país com um povo miserável numa nação riquíssima. Toda essa engrenagem era azeitada pela distribuição de migalhas aos humildes e desavisados. Deixando-os Sempre na dependência de auxílios e favores governamentais, onde seriam usados como arma na perpetuação do poder, impedindos da independência financeiro, alijados de produzir seu próprio sustento, tanto que qualquer mudança de governo, todos são carreados pra sarjêta da miséria.

  11. Tá muito clara a intenção deste Blog, em desqualificar os funcionários públicos e a operação Lava-jato, todos os dias sai algo mostrando só o lado ruim da parte. BG, quanto a Lava-jato recuperou aos cofres públicos? Tens idéia do quanto deixou de sangrar só nos cofres da Petrobras, Transpetro e Petrobras Distribuidora?
    À propósito, o salário do Presidente da Petrobras, que você divulgou em matéria anterior R$ 3.000.000,00, saiba que um executivo de grande empresa no Brasil, ganha em média mais de 4 milhões por mês.

  12. Investimento mínimo para o trabalho desempenhado. Diferente de deslocamentos de outros agentes públicos, que sempre levam uma comitiva de parasitas junto em cada viagem.

  13. Tudo legal, tudo lícito.
    A recuperação do montante desviado demonstra o quanto foi importante para o Brasil a lava jato e o trabalho incansável dos nobres procuradores.
    O resto é mimimi

  14. Relevantes serviços prestados à nação.
    Querem endominizar o trabalho gigantes dos procuradores.
    Bravos profissionais.
    Orgulho para nós.

  15. Enquanto a população acha que a lavajato é a salvadora da pátria – os maiores escândalos estão na própria justiça – como se sentem DEUSES e intocáveis nada acontece.
    Um verdadeiro absurdo que exercem o poder do cargo para massacrar – acham-se superiores a tudo e a todos.

    1. Falou a viúva do Lula, saudosista dos tempos em q se roubava e ninguém descobria nada. Mulher, deixa de ser mimizenta, se tá achando errado, vai pra rua fazer protesto gritar Lula 2022. Pega os teus 30 reais e o teu pão com mortadela.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Gilmar Mendes diz que Moro chefiava Lava Jato e critica procuradores

Foto: Reprodução/CNN Brasil

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta sexta-feira (5) que o ex-juiz Sergio Moro – quando ainda atuava na 13ª Vara Federal de Curitiba – era o chefe da Operação Java Jato. Ele defendeu que a incorporação dos membros da força-tarefa ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Paraná vai permitir o restabelecimento de relações.

“Esses fatos revelados indicam que a Lava Jato estava em outra estratosfera. Sequer pertencia ao Ministério Público, você não vê ninguém da Procuradoria Geral da República (PGR), nenhum corregedor. Quem é o chefe/coordenador da Lava Jato segundo esses vazamentos, esses diálogos? É o [Sergio] Moro, que eles [procuradores] chamavam de russo”, disse Gilmar, em entrevista exclusiva à colunista da CNN Basília Rodrigues e ao âncora Rafael Colombo.

“Eles diziam até seguir o Código de Processo Penal (CPP) da Rússia. Isso é sintomático de um total descolamento institucional. Daí talvez a importância desse regresso ao Brasil. Eles talvez tenham que estabelecer relações via Gaeco”, completou.

O ministro avaliou ainda que a operação teve altos e baixos, com méritos inegáveis no combate. “Mas tudo indica que a própria PGR detectou uma desinstitucionalização (…) Veja, nós já não tínhamos mais agentes públicos atuando dentro da esfera de suas competências, tínhamos transgressores da lei e isso é extremamente grave e lamentável”,continuou.

“Um colega de vocês da imprensa escreveu que a lava jato não morreu, foi assassinada. Eu diria que ela cometeu suicídio.”

Ainda na temática da operação, o ministro afirmou que espera julgar ainda no primeiro semestre de 2021 a suspeição de Moro no habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Vamos nos posicionar nessa questão que é básica: saber se o juiz que julgou um dado réu era independente, imparcial em relação a ele”, disse Mendes, ressaltando que a corte pode declarar nulo o julgamento, mas que a decisão valeria apenas para o caso do tríplex no Guarujá.

Lei da Ficha Limpa

O ministro também comentou sobre a Lei da Ficha Limpa. Ele disse que o texto tem boas intenções, mas que precisa de ajustes em alguns de seus pontos..

“A lei da Ficha Limpa é cheia de boas intenções – mas o cemitério também está cheio de boas intenções. Ela foi feita de maneira muito rápida para valer no pleito de 2010, [então] acho que alguma coisa precisa ser feita, ou o próprio Congresso precisa fazer esses ajustes”, disse Gilmar.

Ele se referia à decisão do também ministro do STF Kássio Nunes Marques, em dezembro, que suspendeu um trecho da lei para evitar que a sanção de inelegibilidade dada a condenados políticos ultrapasse o prazo de 8 anos após a condenação.

“Ao invés de criar a inelegibilidade com o trânsito em julgado ela passou a exigir que bastava decisão de tribunal colegiado, portanto, com a decisão de 2º grau já haveria a inelegibilidade. As pessoas continuavam a recorrer até esperar o trânsito em julgado, então, essas inelegibilidades iam sendo somadas. Foi isso que o ministro disse: ‘qual desses 8 anos eu respeito’”, apontou.

Ele ainda brincou e disse que em determinado momento afirmou, mas depois retirou a frase de que a Leia da Ficha Limpa parecia ter sido feita por bêbados. “Uma associação de bêbados me escreveu e reclamou dizendo que eles fazem outras coisas, mas não leis tão mal feitas.”

Combate à pandemia

O ministro também avaliou a atuação do governo durante o combate à pandemia do novo coronavírus e disse que, como um observador, considera que o desempenho poderia ter sido melhor – ainda que se trate de uma tarefa difícil e que poucos países tenham se saído bem.

“Especialmente no aspecto da vacina, acho que claudicamos bastante. Não somos capazes de produzir as vacinas, não temos os insumos, nos demos ao luxo de brigar com a China naquele momento em que precisávamos de insumos, não compramos vacinas de outros países”, disse o ministro.

“Portanto, iniciamos de maneira muito incipiente a vacinação. Mas faço todos os votos para que rompamos essas barreiras e possamos avançar na vacinação. Eu mesmo disse ao presidente [Jair Bolsonaro] que, diante das dificuldades para o isolamento social – e o presidente, vocês sabem, não concorda com o isolamento –, é a da vacinação em massa que nós precisamos.”

Por fim, ao comentar sobre a relação entre Executivo e Legislativo, o ministro afirmou que membros do governo “tomaram tento” depois do inquérito das fake news e dos ato antidemocráticos.

“Aqui ou acolá acontece um rompante no Executivo ou no Legislativo, mas tudo tem sido tratado dentro dos marcos constitucionais. E essa é minha expectativa com esse novo governo, vamos chamar assim, com a mudança nas duas Casas, com a eleição dos presidentes Arthur Lira e Rodrigo Pacheco.”

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Concordo com você, João. Infelizmente o combate à corrupção no Brasil é um caso perdido. O pior de tudo é saber que existe gente do povo que é contra o combate à corrupção, apenas para defender políticos criminosos.

  1. Esse tá doidinho pra levar um esculacho do Moro.
    Poderia lavar a boca pra falar de quem é decente.
    Eu já tou ligado no que esses cafajestes estão planejando.
    Ja mudaram o entendimento pra soltar o ladrão, agora estão querendo que o poste mije no cachorro.
    Querem aquele ladrão de volta, querem que ele seja candidato.
    Kkkkkkkk
    Só queria vê aquele ladrão candidato, pra ser facilmente desmoralizado nas urnas.
    Estamos ON viu boca de fole.

    1. O comentário mais ridículo dos último tempos….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    2. Pouquíssimos podem ser chamados de "homens de bem" nesse País. Em Brasília, quase nenhum!

    3. Companheiro Lula, Homem de bem e injustiçado.
      Mas Deus não dorme e nada melhor que um dia após o outro.

  2. Agora é só esperar absolvição. No Brasil para provar falcatruas de gente rica, é quase impossível, um exemplo é a escuta telefônica, até acho que deveria haver punição para quem faz escuta sem autorização, mas, nunca deveria invalidar as provas por conta disto.

  3. Já falei e repito, essa lava-jato, conhecida também como "FAZ DE CONTA", foi responsável por quebrar muitas empresas, desempregar milhares de trabalhadores, apenas para alimentar a vaidade de certas pessoas que quando não se achavam Deuses, tinham certeza!!!
    Acabou em nada, vão todos para o esquecimento.

  4. Incrível como Moro fica caladinho quando apanha do STF.
    (sim, e cadê as provas de interferência do PR na PF?).

    1. E moro vai dizer o que? O que vc diria se fosse com vc? Esses 11 elementos são os donos do Brasil, que é Gilmar Mendes para criticar Moro? Moro presidente!

    2. Dá para responder de forma 'institucional'. Ou arregaçar mesmo.
      Falar que tá havendo prejulgamento. Que o STF foi casuísta ao rever a prisão em segunda instãncia. Ele não é mais juiz. Tá comprando Moro? Já sabe o que ele pensa sobre corte de gastos? Sobre tamanho do Estado? Sobre politica externa? Sobre drogas e aborto? Para mim Moro é só um corporativista que fez um trabalho certo. Seletivo, mas certo.

    3. Será que ninguém ainda não entendeu as pretensões do marreco mouro? Eram apenas duas: Tirar o cachaceiro do poder, pra abrir caminho pra tucanada e se promover, com intuito de virar ministro do STF ou até Presente da República. Só que não soube fazer o negócio direitinho. Comeu corda do calça colada, se ferrou.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Força-tarefa da Lava Jato no Paraná ‘deixa de existir’, e procuradores passam a integrar o Gaeco, diz MPF

 Foto: Reprodução/TV Globo

A força-tarefa da Lava Jato no Paraná ‘deixou de existir’ desde segunda-feira (1º), de acordo com o Ministério Público Federal informou nesta quarta-feira (3).

A mudança acontece após a publicação de uma portaria da Procuradoria-Geral da República em dezembro de 2020, que estendia as atividades da força-tarefa no Paraná até outubro de 2021, mas com uma nova estrutura.

De acordo com o MPF, cinco dos 15 integrantes da força-tarefa passaram a integrar o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e darão continuidade aos trabalhos da operação.

Outros dez membros que compunham a força-tarefa permanecem designados para atuação em casos específicos ou de forma eventual até 1º de outubro de 2021, segundo o MPF, mas sem integrar o Gaeco e sem dedicação exclusiva ao caso.

Segundo o MPF, os procuradores que passam a integrar o Gaeco são:

Alessandro José Fernandes de Oliveira

Laura Gonçalves Tessler

Lucas Bertinato Maron

Luciana de Miguel Cardoso Bogo

Roberson Henrique Pozzobon

Os demais procuradores continuarão com contribuições eventuais, específicas ou acumularão suas funções nas investigações com o ofício de origem:

Alexandre Jabur

Antônio Augusto Teixeira Diniz

Athayde Ribeiro Costa

Felipe D’Elia Camargo

Filipe Andrios Brasil Siviero

Joel Bogo

Leonardo Gonçaslves Juzinksas

Paulo Henrique Cardozo

Paulo Roberto Galvão de Carvalho

Ramiro Rockenbach da Silva Matos Teixeira de Almeida

Lava Jato no Paraná

A Operação Lava Jato começou em 2014. Ao todo, até o momento, foram 79 fases. De acordo com o MPF, foram apresentadas 130 denúncias contra 533 acusados, e 174 pessoas foram condenadas pela Justiça.

De acordo com o MPF, mais de R$ 4,3 bilhões foram devolvidos aos cofres públicos.

G1

Opinião dos leitores

  1. Anotem, já já Lula sai absolvido e nos braços da galera, inclusive de Bolsonaro, e vai viver na história como um injustiçado de um MP inquisitor! Infeliz do homem, eu me incluo, que votou em Bolsonaro achando que ele sereia o diferente!

    1. A polícia Federal está nas ruas.
      Ontem e hoje.
      Leia o Blog, deixe de mimimi, vcs perderam tá??

  2. Grande obra do presidente que prometeu, para se eleger, apoiar o combate à corrupção. Será lembrado sempre por isso, a história é implacável.

    1. Falou o eleitor de Lula, que fala mal da lavajato e de Sérgio Moro…
      Esquerdista é cara de pau mesmo…

  3. Sei que parece impossível, mas arrisco dizer também: volta SÉRGIO MORO. Todo cidadão de bem reconhece os méritos do Grande Juiz Paranaense.

  4. Nesse país o que avança mesmo é a impunidade e a corrupção, volta Sérgio Moro. Pior que o centrão chegou com sangue nos zói, a saudade dos tempos de luladrão era demais.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Força-tarefa da Lava Jato quer disponibilizar R$ 550 milhões recuperados em operação para compra de vacina contra covid-19

Foto: Reprodução

Atualmente, os processos decorrentes da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro mantêm custodiado, em contas judiciais vinculadas ao Juízo da 7ª Vara Federal Criminal, o valor total de R$ 552.574.264,16, com expectativa de que esses valores aumentem substancialmente nas próximas semanas, em virtude do cumprimento de outras obrigações decorrentes de acordos de colaboração premiada e de leniência já celebrados.

“Consultamos a União se há interesse em realizar o levantamento antecipado dos valores custodiados em contas judiciais, com a finalidade específica de aquisição de vacinas para a imunização contra a covid-19, o que se justificaria dada a situação de emergência na saúde pública e a urgente necessidade de imunização da população”, explica o ofício assinado pelos membros da força-tarefa.

Matéria completa AQUI no Justiça Potiguar

Opinião dos leitores

  1. Essa lava pano é uma piada, quebrou centenas de empresas, desempregou milhares de trabalhadores…
    Os que usam argola de ferro na venta acreditam nessa balela..

    1. É, melhor terem continuado a roubalheira, mais de um trilhão de reais desbaratado e uns 40 bilhões recuperados não é positivo. Melhor terem reforçado o poder da quadrilha e não ter recuperado nada. Com roubalheira o país tem mais futuro. Foi assim com os países de 1o mundo, roubalheira grande e os países se desenvolveram. Excelente raciocínio, parabéns zênio!

    2. Prezado Getulio, em um país sério, essa operação teria ido adiante sim! Só que, não é necessário fechar as empresas como se fez no Brasil.
      Se afasta a diretoria, prende quem tiver que prender e a empresa continua viva e mantendo os empregos.
      Entendeu ou precisa que desenhe?

    3. Devia era usar para recuperação dos empregos dos pais famílias, que eles com essas operações sem do nem piedade deixaram milhares de pais de famílias desempregados por vários anos principalmente da construção civil, deixando claro que não concordo com roubo, mas com a preservação e geração de empregos e renda.

  2. Não gaste esse dinheiro com vacina, luladrão vai provar sua inocência, esse dinheiro vai ser devolvido aos seus legítimos donos. Temos que aniquilar com o lavajatismo e compensar os que foram injustiçados.

    1. Umas perguntas simples:
      De onde o ex presidente teria ganho ou recebido esses milhões? Qual a origem?
      Se juntar tudo que ele recebeu oficialmente, durante toda vida, não chaga a 10% do montante, então explique como ele conseguiu toda essa grana?

  3. Bora lavajatoooo…Tirou dos vagabundos e vai nos devolver em vacinas….Com essa os amantes do vírus e adoradores de corruptos não contavam…haverá chiliques coletivos…kkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *